Deriva continental

237 visualizações

Publicada em

deriva continental

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
237
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Deriva continental

  1. 1. Deriva dos continentes
  2. 2. Alfred wegener A informação inicial de Alfred Wegener foi feita pela astronomia, concluindo um doutoramento em 1904 na Universidade de Berlim. Contudo, sempre teve interesse pela geofísica e tornou-se também interessado nos campos emergentes da meteorologia e climatologia. Alfred Wegener casou-se com a filha de um famoso meteorologista, Wladimir Köppen. Na área da meteorologia, Wegener foi pioneiro na utilização de balões meteorológicos no estudo das massas de ar. Em 1906 Wegener fez parte de uma expedição à Groenlândia com o objetivo de estudar a circulação das massas de ar polar. Quando regressou da expedição com milhões de anos de história, aceitou um lugar de tutor na Universidade de Marburg. Tornou a viajar para a Groenlândia de novo de 1912 a 1913. Em 1912 foi recrutado para o exército alemão, sendo mais tarde dispensado de combater por ter sido ferido, servindo durante o resto da guerra nos serviços meteorológicos do exército. Após a guerra, Wegener regressou a Marburg, mas em 1924 aceitou um lugar de professor de meteorologia e geofísica na Universidade Austríaca de Graz. A sua última expedição à Groenlândia ocorreu em 1930. Nela, ao regressar de uma expedição de salvamento que levou alimentos a um grupo de seus colegas acampados num local remoto, morreu de hipotermia um dia ou dois após o seu quinquagésimo aniversário.
  3. 3. Deriva dos continentes A deriva dos continentes foi descoberta em 1915 por um homem chamado Alfred Wegener que avanço com a teoria de que os continentes se tinham encontrado unidos no passado, formando um único continente como mostra a imagem. Esta teoria ficou conhecida como a teoria da deriva dos continentes. Esta teoria ia contra as crenças tidas ate ao final do seculo XVII(seculo 17) que faziam querer que o aspeto da superfície terrestre poucas alteracoes havia sofrido.
  4. 4. Deriva dos continentes Segundo a teoria da deriva dos continentes, há cerca de 240 Ma, os continentes formavam apenas um único bloco- a Pangeia. A sua fragmentaçao e a lenta descolocação dos fragmentos continentais tiveram, como resultados a repartição atual dos continentes e dos oceanos.
  5. 5. Deriva dos continentes
  6. 6. Deriva dos continentes A teoria da tectônica de placas a parte mais exterior da Terra está composta de duas camadas: a litosfera, que inclui a crosta e a zona solidificada na parte mais externa do manto, e a astenosfera, que inclui a parte mais interior e viscosa do manto. Numa escala temporal de milhões de anos, o manto parece comportar-se como um líquido superaquecido, mas em resposta a forças repentinas, como os terramotos, comporta-se como um sólido rígido.1 A litosfera encontra-se fragmentada em várias placas tectónicas e estas deslocam-se sobre a astenosfera.2 Esta teoria surgiu a partir da observação de dois fenómenos geológicos distintos: a deriva continental, identificada no início do século XX por Alfred Wegener,3 e a expansão dos fundos oceânicos, detectada pela primeira vez na década de 1960.4 A teoria propriamente dita foi desenvolvida no final dos anos 60, por Robert Palmer e Donald Mackenzie 5 , e desde então tem sido universalmente aceite pelos cientistas, tendo revolucionado as Ciências da Terra (comparável no seu alcance com o desenvolvimento da tabela periódica na Química, a descoberta do código genético na Biologia ou à mecânica quântica na Física).

×