Sermões

893 visualizações

Publicada em

0 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
893
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
28
Comentários
0
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sermões

  1. 1. SERMÕES PADRE ANTÔNIO VIEIRA Profª Vivian Trombini
  2. 2. FUNCIONAMENTO DO TEXTO ARGUMENTATIVO OBJETIVOS: -DOCERE (ENSINAR) -DELECTARE (AGRADAR) -MOVERE (MODIFICAR)
  3. 3. PRESSUPÕEM A UTILIZAÇÃO DOS MODOS DE PERSUASÃO (ARISTÓTELES) -PATHOS (EMOÇÕES, SENTIMENTOS, ESTIMULANDO AUTOESTIMA) -ETHOS (VALORES DA SOCIEDADE, QUE SÃO VISTOS POSITIVA OU NEGATIVAMENTE, PODEM SER MORAIS TAMBÉM) -LOGOS (ARGUMENTAÇÃO LÓGICA)
  4. 4. ENQUANTO AUTOR: -INVENTIO (INVENÇÃO, IDEIAS, HISTÓRIAS) -DISPOSITIO (ESTRUTURAÇÃO DO DISCURSO) -ELOCUTIO (CAPACIDADE CONSTRUÇÃO FRÁSICA)
  5. 5. ESTRUTURA DO TEXTO ARGUMENTATIVO EXÓRDIO APRESENTAÇÃO DO TEMA E CAPTAÇÃO DA ATENÇÃO DO AUDITÓRIO NARRAÇÃO (EXPOSIÇÃO) NARRAÇÃO/EXPLANAÇÃO DOS FATOS
  6. 6. CONFIRMAÇÃO (PROBLEMATIZAÇÃO, LEVANTAR OS PROBLEMAS) DEFESA DA TESE COM ARGUMENTOS PERORAÇÃO (DISCURSO FINAL EM QUE SE RECOMENDA QUALQUER COISA) RESUMO DO QUE FOI DITO E APELO À ADESÃO DOS OUVINTES
  7. 7. SERMÃO DA SEXAGÉSIMA (OU DO EVANGELHO)
  8. 8. A PARÁBOLA DO SEMEADOR SEMEN EST VERBUM DEI (A SEMENTE É A PALAVRA DE DEUS. LUCAS 8, 11 ) O PAPEL DO PREGADOR NA SOCIEDADE SETECENTISTA
  9. 9. EXÓRDIO — OU INTRÓITO, OU, AINDA, INTRODUÇÃO: *VIEIRA DESTACA O INÍCIO DA PARÁBOLA (SAIU O PREGADOR A SEMEAR A PALAVRA DE DEUS). *MUITOS EVANGELISTAS NÃO SAEM DE SUAS PÁTRIAS PARA EVANGELIZAR OS GENTIOS E ENTRE OS QUE SAEM A EVANGELIZAR, MUITOS RETORNAM À EUROPA POR DESISTIREM DO TRABALHO DIANTE DAS DIFICULDADES.
  10. 10. PORQUE É QUE, MESMO HAVENDO TANTOS EVANGELIZADORES ESPALHADOS PELO MUNDO, TÃO POUCO EFEITO TEM O TRABALHO POR ELES EXERCIDO?
  11. 11. TEMÁTICA CENTRAL DO TEXTO: O PAPEL DO PREGADOR NA EVANGELIZAÇÃO DO MUNDO.
  12. 12. CONFIRMAÇÃO (DESENVOLVIMENTO ARGUMENTATIVO) II TRIGO – PALAVRA DE DEUS ESPINHOS, PEDRAS, CAMINHO E TERRA BOA – DIVERSOS CORAÇÕES DOS HOMENS
  13. 13. III FAZER POUCO FRUTO A PALAVRA DE DEUS PODE PROCEDER DE TRÊS PRINCÍPIOS: PREGADOR, OUVINTE E DEUS PREGADOR – DOUTRINA – PERSUADINDO OUVINTE – ENTENDIMENTO – PERCEBENDO DEUS – GRAÇA - ALUMIANDO
  14. 14. PARA O HOMEM ENXERGAR A SI MESMO: OLHOS, ESPELHO E LUZ ESPELHO – PREGADOR – DOUTRINA LUZ – DEUS – GRAÇA OLHOS – HOMEM - CONHECIMENTO
  15. 15. A CULPA NÃO É DE DEUS! OUVINTES SÃO MAUS OU BONS SEMEADOR DO CÉU – JESUS CRISTO A PALAVRA DE DEUS ATÉ DOS ESPINHOS E DAS PEDRAS TRIUNFA (PEDRAS QUEBRARAM-SE PARA FAZEREM-LHE ACLAMAÇÕES E ESPINHOS TECERAM-LHE COROA)
  16. 16. IV O PREGADOR EXERCE SEU TRABALHO POR MEIO DE CINCO ATRIBUTOS SEUS: A PESSOA, A CIÊNCIA, A MATÉRIA, O ESTILO, A VOZ
  17. 17. O PREGADOR EXERCE SEU TRABALHO PELO EXEMPLO PESSOAL QUE ELE É PARA SEU PÚBLICO; POR MEIO DO CONHECIMENTO QUE TEM DO MUNDO E DAS LEIS DIVINAS; DOS SERMÕES EM SI, EM TODA SUA CONFECÇÃO, DESDE A ESCOLHA DO ASSUNTO ATÉ A SUA ESTRUTURAÇÃO; DO ESTILO QUE USA PARA CONFECCIONÁ-LOS; E DA MANEIRA COMO SE EXPRESSA ORALMENTE NO MOMENTO EM QUE PROFESSA O SERMÃO.
  18. 18. V O ESTILO HÁ DE SER MUITO FÁCIL E MUITO NATURAL RECLAMA DAQUELES QUE TORCEM O TEXTO BÍBLICO ―NÃO FEZ DEUS O CÉU EM XADREZ DE ESTRELAS, COMO OS PREGADORES EM XADREZ DE PALAVRAS.‖
  19. 19. VI O SERMÃO HÁ DE TER UM SÓ ASSUNTO E UMA SÓ MATÉRIA RAÍZES – FORTES E SÓLIDAS, FUNDAMENTADAS NO EVANGELHO TRONCO – UM SÓ ASSUNTO E UMA SÓ MATÉRIA RAMOS – DIVERSOS DISCURSOS
  20. 20. FOLHAS – RAMOS SÃO ORNADOS DE PALAVRAS VARAS – REPREENSÃO DOS VÍCIOS FLORES – SENTENÇAS FRUTOS – FINALIDADE DO SERMÃO
  21. 21. VII FALTA DE CIÊNCIA? O PREGADOR HÁ DE PREGAR O SEU E NÃO O ALHEIO CONHECIMENTO EMPÍRICO JOÃO BATISTA PREGAVA AS EXPERIÊNCIAS DO PROFETA ISAÍAS
  22. 22. VIII HAVIA DOIS ESTILOS DE EXPRESSÃO: UM EXALTADO, PAUTADO NO BRADO, NO GRITO, E OUTRO CONTIDO, MODERADO, SENDO AMBOS IGUALMENTE EFICIENTES
  23. 23. IX SÃO DESCARTADOS OS ELEMENTOS LEVANTADOS NAS HIPÓTESES (A PESSOA, A CIÊNCIA, A MATÉRIA, O ESTILO, A VOZ). VIEIRA ASSINALA AGORA A TESE VERDADEIRA: ―AS PALAVRAS DOS PREGADORES SÃO PALAVRAS, MAS NÃO SÃO PALAVRAS DE DEUS―
  24. 24. PALAVRAS DE DEUS × A PALAVRA DE DEUS. A EVANGELIZAÇÃO TEM POUCO FRUTO PORQUE OS PREGADORES NÃO SEMEIAM A PALAVRA DE DEUS. OS EVANGELIZADORES TÊM USADO A PALAVRA DE DEUS DE ACORDO COM AS CONVENIÊNCIAS HUMANAS, E NÃO NO SENTIDO ―SENTIDO EM QUE DEUS AS DISSE.
  25. 25. SENDO ASSIM E RETOMANDO-SE A MÁXIMA DE LUCAS (A SEMENTE É A PALAVRA DE DEUS) É IMPOSSÍVEL QUE SE FRUTIFIQUE A FÉ CRISTÃ PORQUE NÃO É ELA QUE ESTÁ SENDO LANÇADA AO MUNDO.
  26. 26. X ENTRE DOIS GRANDES PREGADORES, ―QUANDO OUÇO UM, SAIO DO SERMÃO MUITO CONTENTE DO PREGADOR; QUANDO OUÇO OUTRO, SAIO MUITO DESCONTENTE DE MIM.‖
  27. 27. SERMÃO DO BOM LADRÃO
  28. 28. ATACA E CRITICA AQUELES QUE SE VALIAM DA MÁQUINA PÚBLICA PARA ENRIQUECER ILICITAMENTE; DENUNCIA ESCÂNDALOS NO GOVERNO, RIQUEZAS ILÍCITAS, VENALIDADES DE GESTÕES FRAUDULENTAS E, INDIGNADO, A DESPROPORCIONALIDADE DAS PUNIÇÕES.
  29. 29. EMBORA ESTIVESSE NA IGREJA DA MISERICÓRDIA, DISSE SER A CAPELA REAL E NÃO AQUELA IGREJA O LOCAL QUE MAIS SE AJUSTAVA A SEU DISCURSO, PORQUE IRIA FALAR DE ASSUNTOS PERTINENTES À SUA MAJESTADE E NÃO À PIEDADE.
  30. 30. O PADRE ADVERTE AOS REIS QUANTO AO PECADO DA CORRUPÇÃO PASSIVA/ATIVA, PELA CUMPLICIDADE DO SILÊNCIO PERMISSIVO. O SERMÃO APRESENTA UMA VISÃO CRÍTICA SOBRE O COMPORTAMENTO IMORAL DA NOBREZA, DA ÉPOCA.
  31. 31. LEVAREM OS REIS CONSIGO AO PARAÍSO OS LADRÕES, NÃO SÓ NÃO É COMPANHIA INDECENTE, MAS AÇÃO TÃO GLORIOSA E VERDADEIRAMENTE REAL, QUE COM ELA COROOU E PROVOU O MESMO CRISTO A VERDADE DO SEU REINADO, TANTO QUE ADMITIU NA CRUZ O TÍTULO DE REI. MAS O QUE VEMOS PRATICAR EM TODOS OS REINOS DO MUNDO É, EM VEZ DE OS REIS LEVARAM CONSIGO OS LADRÕES AO PARAÍSO, OS LADRÕES SÃO OS QUE LEVAM CONSIGO OS REIS AO INFERNO.
  32. 32. A SALVAÇÃO NÃO PODE ENTRAR SEM SE PERDOAR O PECADO, E O PECADO NÃO SE PERDOA SEM SE RESTITUIR O ROUBADO.
  33. 33. SUPOSTA ESTA PRIMEIRA VERDADE, CERTA E INFALÍVEL; A SEGUNDA VERDADE É A RESTITUIÇÃO DO ALHEIO SOB PENA DE SALVAÇÃO, NÃO SÓ OBRIGANDO AOS SÚDITOS E PARTICULARES, SENÃO TAMBÉM AOS CETROS E AS COROAS. CUIDAM OU DEVERIAM CUIDAR ALGUNS PRÍNCIPES, QUE ASSIM COMO SÃO SUPERIORES A TODOS, ASSIM SÃO SENHORES DE TUDO; E É ENGANO. A LEI DA RESTITUIÇÃO É LEI NATURAL E LEI DIVINA. ENQUANTO LEI NATURAL OBRIGA AOS REIS, PORQUE A NATUREZA FEZ IGUAIS A TODOS; ENQUANTO LEI DIVINA TAMBÉM OS OBRIGA; PORQUE DEUS, QUE OS FEZ MAIORES QUE OS OUTROS, É MAIOR QUE ELES.
  34. 34. NAVEGAVA ALEXANDRE EM UMA PODEROSA ARMADA PELO MAR ERITREU A CONQUISTAR A ÍNDIA; E COMO FOSSE TRAZIDO À SUA PRESENÇA UM PIRATA, QUE POR ALI ANDAVA ROUBANDO OS PESCADORES, REPREENDEU-O MUITO ALEXANDRE DE ANDAR EM TÃO MAU OFÍCIO: PORÉM ELE, QUE NÃO ERA MEDROSO NEM LERDO, RESPONDEU ASSIM: BASTA, SENHOR, QUE EU, PORQUE ROUBO EM UMA BARCA, SOU LADRÃO, E VÓS, PORQUE ROUBAIS EM UMA ARMADA, SOIS IMPERADOR? ASSIM É. O ROUBAR POUCO É CULPA, O ROUBAR MUITO É GRANDEZA: O ROUBAR COM POUCO PODER FAZ OS PIRATAS, O ROUBAR COM MUITO, OS ALEXANDRES.
  35. 35. “QUEM, PODENDO, NÃO IMPEDE O PECADO, ORDENA-O.”
  36. 36. (...) AQUELE QUE TEM OBRIGAÇÃO DE IMPEDIR QUE SE FURTE, SE O NÃO IMPEDIU, FICA OBRIGADO A RESTITUIR O QUE SE FURTOU. E ATÉ OS PRÍNCIPES QUE POR SUA CULPA DEIXARAM CRESCER OS LADRÕES, SÃO OBRIGADOS À RESTITUIÇÃO; PORQUANTO AS RENDAS COM QUE OS POVOS OS SERVEM E ASSISTEM SÃO COMO ESTIPÊNDIOS INSTITUÍDOS E CONSIGNADOS POR ELES, PARA QUE OS PRÍNCIPES OS GUARDEM E MANTENHAM COM JUSTIÇA.
  37. 37. OS TEUS PRÍNCIPES SÃO COMPANHEIROS DOS LADRÕES. E POR QUE? SÃO COMPANHEIROS DOS LADRÕES, PORQUE OS DISSIMULAM; SÃO COMPANHEIROS DOS LADRÕES, PORQUE OS CONSENTEM; SÃO COMPANHEIROS DOS LADRÕES, PORQUE LHES DÃO OS POSTOS E PODERES; SÃO COMPANHEIROS DOS LADRÕES, PORQUE TALVEZ OS DEFENDEM; E SÃO FINALMENTE SEUS COMPANHEIROS, PORQUE OS ACOMPANHAM E HÃO DE ACOMPANHAR AO INFERNO, ONDE OS MESMOS LADRÕES OS LEVAM CONSIGO.
  38. 38. REI DOS REIS E SENHOR DOS SENHORES, QUE MORRESTE ENTRE DOIS LADRÕES PARA PAGAR O FURTO DO PRIMEIRO LADRÃO; E O PRIMEIRO A QUEM PROMETESTE O PARAÍSO FOI OUTRO LADRÃO; PARA QUE OS LADRÕES E OS REIS SE SALVEM, ENSINAI COM VOSSO EXEMPLO E INSPIRAI COM VOSSA GRAÇA A TODOS OS REIS, QUE NÃO ELEGENDO, NEM DISSIMULANDO, NEM CONSENTINDO, NEM AUMENTANDO LADRÕES, DE TAL MANEIRA IMPEÇAM OS FURTOS FUTUROS E FAÇAM RESTITUIR OS PASSADOS, QUE EM LUGAR DE OS LADRÕES OS LEVAREM CONSIGO, COMO LEVAM, AO INFERNO, LEVEM ELES CONSIGO OS LADRÕES AO PARAÍSO.
  39. 39. CONSUBSTANCIADA PELO MODELO DO PREGADOR, ALIMENTA-SE TAMBÉM DA IRONIA, DA SÁTIRA, DO ATAQUE (SUTIL OU EXPLÍCITO) CONTRA VÍCIOS MORAIS E ADMINISTRATIVOS DOS REPRESENTANTES DO REI NA COLÔNIA DO BRASIL, COMO CITADO. O SUPORTE ALEGÓRICO DO BOM LADRÃO É A DEMONSTRAÇÃO POUCO CORRENTE, ESCOLHIDA PELO PREGADOR PARA TESTEMUNHAR MELHOR DOS ERROS DE SUA ÉPOCA, DOS CRIMES DE SUPERIORES E NOBRES E DE COLONIZADORES RELES, DISTANTES DA JUSTIÇA REINOL E DIVINA.
  40. 40. SERMÃO PELO BOM SUCESSO DAS ARMAS DE PORTUGAL CONTRA AS DA HOLANDA
  41. 41. BRASIL, NO ANO DE 1640, NA IGREJA DE NOSSA SENHORA DA AJUDA, NA BAHIA. A BAHIA ESTAVA A PONTO DE CAIR SOB O JUGO HOLANDÊS. ARREBATADO POR UMA INSPIRAÇÃO PATRIÓTICA, VIEIRA QUIS REANIMAR OS BRIOS DOS BRASILEIROS .
  42. 42. MOTIVADO PELO FIRME PROPÓSITO DE TENTAR IMPEDIR O JUGO HOLANDÊS, O PADRE ANTÔNIO VIEIRA CONSTRÓI SEU SERMÃO E DIRIGE-O AO POVO QUE FOMENTOU O PROJETO EXPANSIONISTA, POVO CATÓLICO, IMPREGNADO DE RELIGIOSIDADE, FIÉIS DOMINADOS PELAS VIRTUDES DA FÉ, EM NOME DA QUAL AMPLIAVAM SUAS CONQUISTAS E, CONSEQUENTEMENTE, SUAS RIQUEZAS.
  43. 43. PORTUGUESES – GRANDES CONQUISTADORES DE MARES E TERRAS. MÁ ADMINISTRAÇÃO – PERDER O BRASIL PARA A HOLANDA. O SACERDOTE PREGA O SERMÃO ARGUMENTANDO COM DEUS E REPREENDENDO- O, A FIM DE QUE ELE CONCEDA AOS PORTUGUESES A VITÓRIA QUE ENGRANDECERÁ A GLÓRIA DIVINA.
  44. 44. ESSE SERMÃO SE DESTINAVA A "REANIMAR OS BRIOS DOS BRASILEIROS", ENTENDIDOS AQUI COMO OS BRASILEIROS NASCIDOS NO BRASIL, OS COLONOS PORTUGUESES E O CORPO DE MILÍCIAS QUE DEFENDIA A BAHIA DE TODOS OS SANTOS.
  45. 45. VIEIRA DIRIGE-SE DIRETAMENTE A DEUS: ―NÃO HEI-DE PREGAR HOJE AO POVO, NÃO HEI-DE FALAR COM OS HOMENS, MAIS ALTO HÃO-DE SAIR AS MINHAS PALAVRAS OU AS MINHAS VOZES: A VOSSO PEITO DIVINO SE HÁ-DE DIRIGIR TODO O SERMÃO.‖
  46. 46. NO SERMÃO PELO BOM SUCESSO DAS ARMAS DE PORTUGAL CONTRA AS DE HOLANDA, AS SAGRADAS ESCRITURAS SÃO O MEIO DE PROVA DOS ARGUMENTOS ARROLADOS POR VIEIRA E TAMBÉM O VEÍCULO QUE APROXIMA O ORADOR DO SEU AUDITÓRIO REAL PARA ASSEGURAR A FIDELIDADE DESTE, POIS A BÍBLIA, POR REPRESENTAR A PALAVRA DE DEUS, CONSUBSTANCIA OS ANSEIOS DO ORADOR E DO SEU AUDITÓRIO, NAQUELE MOMENTO HISTÓRICO.
  47. 47. O SACERDOTE ADVOGA QUE DEUS RETOME A ALIANÇA COM OS PORTUGUESES PARA QUE ESTES POSSAM DERROTAR OS HOLANDESES.
  48. 48. O SERMÃO CONSTITUI O LUGAR ONDE SE INSTALAM TODAS AS CONDIÇÕES PARA O EXERCÍCIO DE DOMINAÇÃO PELA PALAVRA, POIS, AO ―ARGUMENTAR‖ COM UM INTERLOCUTOR DO PLANO ESPIRITUAL, VIEIRA ESTÁ, NA VERDADE, MONOLOGANDO, UMA VEZ QUE DEUS NÃO VAI ―CONTRA-ARGUMENTAR‖ COM O PADRE. ASSIM, EM NENHUM MOMENTO, VIEIRA TERÁ UM ―OPOSITOR‖.
  49. 49. O TEXTO SE APRESENTA COMO O LUGAR DO MONÓLOGO, EM DETRIMENTO DO DIÁLOGO, PELO FATO DE O PADRE ARGUMENTAR COM UM SER DO MUNDO ESPIRITUAL. E AINDA QUE ASSIM NÃO FOSSE, SÓ POR BASEAR-SE NA BÍBLIA, O PREGADOR ELIMINOU QUALQUER POSSIBILIDADE DE DIÁLOGO, UMA VEZ QUE A BÍBLIA SAGRADA É A ―PALAVRA DE DEUS‖ E CONTRA ELA NINGUÉM HAVERÁ DE SE LEVANTAR, SOB PENA DE INCORRER EM PECADO GRAVE E CORRER O RISCO DE ―ARDER NAS CHAMAS DO INFERNO‖, DE ACORDO COM A CRENÇA DIFUNDIDA ENTRE OS FIÉIS PELA PRÓPRIA IGREJA CATÓLICA.

×