Sermão do bom ladrão

11.474 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação, Tecnologia
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
11.474
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
16
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
120
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Sermão do bom ladrão

  1. 1. SERMÃO DO BOM LADRÃO BARROCO NO BRASIL PADRE ANTÔNIO VIERA
  2. 2. INTROITO  O introito é a primeira das três partes de um sermão que diz o plano que se utilizará na análise. O intuito do Pe. Vieira era que basicamente todos pudessem imitar o Rei dos Reis. Inicia discorrendo sobre dois ladrões que haviam sido condenados e executados através da crucifixão.
  3. 3.  Narra que quando o bom ladrão (Dimas) pediu a Cristo que se lembrasse dele no seu reino, o Senhor teve a lembrança de que ambos se vissem no Paraíso. A subjetividade, a emoção e o convencimento são expressos no texto através de figuras de linguagens.
  4. 4.  Como: “Este sermão, que hoje se prega na Misericórdia de Lisboa” Percebe-se aqui a presença da metonímia.
  5. 5. SEGUNDA PARTE  A segunda parte de um sermão é o seu desenvolvimento o qual nos apresentará o sermão propriamente dito.Uma das características do barroco era a religião como alívio para as angústias.A literatura barroca procurou conciliar o espiritualismo medieval com o materialismo do classicismo renascentista numa tentativa de equilibrar os contrários.Por exemplo:
  6. 6.  O DIVINO E O HUMANO, O BEM E O MAL, O PECADO E A VIRTUDE, A VIDA TERRENA E A ETERNA, O SAGRADO E O PROFANO, O AMOR PURO E O PECADO, A DÚVIDA E A CERTEZA. “Nem os Reis podem ir ao Paraíso sem levar consigo os ladrões, nem os ladrões podem ir ao inferno sem levar consigo os Reis. Isto é o que hei de pregar. Ave Maria.”
  7. 7.  Nesta citação nota-se o conjunto de ideias com a presença de antíteses bem como o reflexo das oposições acima citadas. São várias as características barrocas que podem ser encontradas neste sermão e que se apresentam por marcas lingüísticas e floreios literários presentes em todo o texto, e também por fatores como a necessidade do perdão e as maneiras de se alcançá-lo.
  8. 8.  Para Pe. Vieira sem a restituição do alheio não se poderia alcançar a salvação. Não se perdoava o pecado sem se restituir o roubado quando o ladrão tivesse possibilidade de restituí-lo. As restituições do alheio sob pena da salvação estavam sujeitos tanto os súditos quanto os reis. Os ladrões de quem fala o padre neste sermão, não são os miseráveis a quem a pobreza obriga a agir de maneira incorreta, mas os ladrões de maior calibre e de mais alta esfera.
  9. 9.  É narrado que Alexandre em uma poderosa armada pelo mar Eritreu repreendeu um pirata que fora trazido à sua presença porque roubava os pescadores; porém o pirata respondeu que ele por roubar em uma barca era considerado um ladrão e que Alexandre ao usar uma armada para roubar era considerado imperador. O Pe. vieira insinua, metaforicamente, que os reis adquirem um passaporte para furtar .
  10. 10.  O vocabulário rico, as comparações, as metáforas, além da dubiedade de sentidos aparecem em muitas passagens do texto.Há um trecho bastante longo, porém interessante que se apresenta em mais evidência que é quando ele explica as maneiras de furtar: no modo indicativo, imperativo, optativo, permissivo, infinito; acrescenta ainda que esses modos sejam conjugados em todas as pessoas que ainda furtam por todos os tempos.
  11. 11. TERCEIRA PARTE  A terceira parte de um Sermão é a Peroração que é o momento que além de finalizá-lo, os ouvintes são conclamados a seguirem a prática das virtudes propostas como se percebe quando ele faz com que o ouvinte pense sobre sua citação: não se pode calar com boa consciência, ainda que seja com repugnância, ou ainda quando ele narra baseado no que disse Cristo: que é melhor ir ao Paraíso manco, aleijado e cego, que com todos membros inteiros ao inferno.
  12. 12. FINALIZANDO  . Finaliza fazendo uso de repetições, pedindo a Deus que ensine com o seu exemplo e inspire com a sua graça a todos os reis, de tal forma que evitem os furtos futuros e ainda devolvam os passados, para que no lugar de os ladrões irem ao inferno, que vão ao Paraíso juntamente com os reis.

×