O Fruto do Espírito Santo

31.195 visualizações

Publicada em

Slides subsídios à lição 4 da revista de EBD Juvenis - Fundamentos da nossa fé - da editora CPAD

Publicada em: Espiritual
1 comentário
26 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
31.195
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.467
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
908
Comentários
1
Gostaram
26
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O Fruto do Espírito Santo

  1. 1. O Fruto do Espírito Santo Lição 4
  2. 2. Textos Bíblicos “Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o lavrador. Toda a vara em mim, que não dá fruto, a tira; e limpa toda aquela que dá fruto, para que dê mais fruto. Eu sou a videira, vós as varas; quem está em mim, e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer.” João 15:1,2,5
  3. 3. “Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança. Contra estas coisas não há lei. E os que são de Cristo crucificaram a carne com as suas paixões e concupiscências. Se vivemos em Espírito, andemos também em Espírito.” Gálatas 5:22-26
  4. 4. Enfoque Bíblico “Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança.” Gálatas 5.22
  5. 5. Reflexão Jesus é a Verdadeira Videira porque dEle vem a vida, a força, a capacidade, o alimento espiritual, a criatividade, tudo isso e muito mais.
  6. 6. “O Fruto do Espírito é produzido em nossas vidas por um poder que não temos;” Alan Brizoti
  7. 7. Por que tenho de frutificar? Porque é uma ordem de Cristo: “Não me escolhestes vós a mim, mas eu vos escolhi a vós, e vos nomeei, para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça; a fim de que tudo quanto em meu nome pedirdes ao Pai ele vo-lo conceda.” João 15:16
  8. 8. O que é dar fruto? 1º - O fruto é do Espírito Santo, não nosso; 2º - O fruto é o resultado do trabalho do Espírito na nossa vida quando decidimos obedecer a Cristo; 3º - É desenvolver o caráter cristão, o qual é a manifestação das nove virtudes do Fruto.
  9. 9. As obras da carne e o Fruto do Espírito Todo dia acontece uma batalha entre nossa carne (natureza humana corrompida) e o Espírito: • A carne quer nos levar ao pecado; • O Espírito quer produzir seu fruto em nós e nos santificar.
  10. 10. Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais. Efésios 6:12
  11. 11. Se não deixarmos o Espírito Santo controlar nossa vida fatalmente a carne produzirá as obras dela em nós: adultério fornicação impureza lascívia Idolatria feitiçaria inimizades porfias emulações iras, pelejas dissensões heresias Invejas homicídios bebedices glutonarias
  12. 12. “Porque as obras da carne são manifestas, as quais são: adultério, fornicação, impureza, lascívia, Idolatria, feitiçaria, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias, Invejas, homicídios, bebedices, glutonarias, e coisas semelhantes a estas, acerca das quais vos declaro, como já antes vos disse, que os que cometem tais coisas não herdarão o reino de Deus. Gálatas 5:19-21
  13. 13. O que compõe o Fruto do Espírito “Mas o fruto do Espírito é: amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão, temperança.” Gálatas 5:22
  14. 14. O Fruto do Espírito é o conjunto de virtudes morais e espirituais amadurecidas pelo Espírito Santo na vida do crente, como resultado de uma permanente comunhão com Cristo.
  15. 15. O Fruto do Espírito é o perfeito retrato de Cristo Amor, alegria e paz – relacionamento com Deus; Paciência, ternura e bondade – relacionamento com os outros; Fidelidade, mansidão e domínio próprio – relacionamento pessoal.
  16. 16. Amor • É diferente do amor humano; • Não é apenas uma emoção ou sentimento; • Faz o bem sem esperar recompensa; • É um dom de Deus.
  17. 17. Alegria • É a atmosfera distintiva da vida cristã; [1] • Não é algo esporádico, é fator constante; • Vem de uma vida santa, da comunhão com Deus e de confiarmos Nele.
  18. 18. Paz • Jesus é o Príncipe da Paz e a dá aos seus filhos (Jo 14.27); • É a convicção de que tudo vai bem entre o crente e o seu Pai celestial (Rm 15.33); • Caracteriza o nosso relacionamento com Deus (Jr 29.11)
  19. 19. Paciência ou longanimidade • Vai além da tolerância negativa de não desejar o mal a ninguém, passando para a benevolência de desejar o bem a todos; [1] • É ser perseverante; • É ser tardio para irar-se ou desesperar-se.
  20. 20. Ternura (benignidade) e Bondade • Benignidade é o sentimento que nos leva a fazer o que é bom. • Bondade é a prática de um coração benigno, é a titude de fazer o bem (que faz o bem).
  21. 21. Fidelidade É a capacidade que faz uma pessoa ser confiável, leal, constante e inabalável a alguém com quem está unido por promessa, compromisso e honestidade.
  22. 22. Mansidão • É uma virtude de pessoas fortes e dinâmicas, que mantém sua força e energia sob controle. • Sabe agir com autoridade, e também sabe submeter-se humildemente e no momento certo.
  23. 23. Temperança (domínio próprio) • Capacidade de controlar a si mesmo; • Controle sobre a língua, desejos e paixões.
  24. 24. Cristo e o Fruto do Espírito “Jesus chegou ao ápice de cada virtude da lista de Paulo. (...) O Fruto do Espírito é o retrato de Cristo” [1].
  25. 25. Jesus Cristo: • Demonstrou amor dando sua vida pela humanidade (Ef 1.7); • Transmitiu alegria aos pobres, oprimidos e abatidos (Lc 4.18); • Deixou-nos sua Paz (Jo 14.27); • Foi paciente com seus discípulos e com as multidões que o seguiam (Mt 5.1);
  26. 26. • Demonstrou sua bondade multiplicando pães e peixes, curando, libertando oprimidos (Lc 4.18); • Vemos sua benignidade quando Ele perdoou e amou até mesmo os que O crucificaram (Lc 23.24); • Foi fiel até a morte (Is 53.9); • Ele era manso e humilde de coração (Mt 11.29); • Demonstrou domínio próprio sempre; Em tudo foi tentado, mas nunca pecou (Hb 4.15)
  27. 27. Conclusão Não basta dizer que é cristão, tem de ser produtivo. Jesus libertou-o do pecado para que as obras da carne não dominem sua vida. O Espírito não ministra opressão e escravidão, mas liberdade e poder.

×