ANO LETIVO 2012/2013                                            8º Ano                                           História ...
Havia muita variedade de cenouras – podia ser vermelha escura ou verde-amarelada.Os legumes mais vendidos eram o grão de b...
- O povo via na expansão uma forma de melhorar as suas condições de vida.As condições geográficas da prioridade portuguesa...
Este mapa representa o tratado de Alcáçovas. Este tratado dividia o mundo ao meioatravés de uma linha imaginária paralela ...
Este mapa representa as rotas comerciais e a viagem dos alimentos.ConclusãoEntão, porque viajam os alimentos?Os alimentos ...
Relatorio historia matilde_oliveira
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Relatorio historia matilde_oliveira

252 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
252
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
15
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Relatorio historia matilde_oliveira

  1. 1. ANO LETIVO 2012/2013 8º Ano História Relatório Final Desafio: “O que comemos?” – Alimentação e sustentabilidadeIntroduçãoEste período o desafio que desenvolvemos foi “O que comemos?”. No âmbito destedesafio, realizámos uma saída de campo aos restaurantes e lojas de Matosinhos. Umadas ementas que vi foi:“ – Caldeirada de peixe- Fanecas fritas- Costelinha de porco no forno”A caldeirada de peixe é um prato típico de Portugal. As fanecas são peixes origináriosdas Ilhas Britânicas e do Mediterrâneo, também são comuns em Portugal. A carne deporco é obtida a partir de todo o mundo.Mas afinal, “Qual a origem dos alimentos que comemos? E porque viajam osalimentos?”.DesenvolvimentoDurante as aulas, abordamos várias vezes o desafio e relacionamos a matéria dadacom o desafio. O António realizou uma apresentação sobre a cozinha medieval, emque a partir da qual, pude concluir que:- O pão era o alimento básico, fabricado por cereais como mingau (mistura de cereais eleite) e massa. Consumia-se muito pão (aproximadamente 1kg ou 1,50 kg por pessoapor dia).- Os cereais que se ingeriam mais frequentemente eram o centeio, o trigo, a cevada, omilhete e a aveia. O arroz era a importação mais cara. O trigo era comum em toda aEuropa e muito caro.- Havia muita variedade de frutas. Os vegetais mais consumidos diariamente porcamponeses eram o repolho, a beterraba, a cebola, o alho e a cenoura.
  2. 2. Havia muita variedade de cenouras – podia ser vermelha escura ou verde-amarelada.Os legumes mais vendidos eram o grão de bico, as ervilhas e o feijão, por serem umagrande fonte de proteínas.- A carne de bovino não era tão comum, pois era muito trabalhosa. Os bois e as vacastinham maior valor para tração e leite. Quando estes animais já não tinhamrendimento eram abatidos.A carne mais comum era a carne de porco, já que este requeria menos atenção ealimento e era mais barato.O leitão era muito procurado.O carneiro, cordeiro e a vitela (aproveitamento de lã) eram muito comuns.- Os frutos de mar e o peixe eram o alimento com menos prestígio, era visto comomera alternativa à carne. Era o principal alimento das populações costeiras.“Peixe” era um nome geral para tudo o que era animal marítimo, até mesmo os gansose os castores (pois estavam na água)- Preferiam bebidas alcoólicas. A bebida mais comum do povo europeu do norte era acerveja (feita com cereais)- As ervas e as especiarias mais luxuosas e mais comuns na Idade Média eram apimenta preta, a canela, a cássia, o cominho, a noz-moscada, o gengibre e o cravo(eram fabricados na Ásia e na África). A especiaria mais comum era a pimenta e a maisrestrita era o açafrão.- Alguns dos doces e sobremesas que se comiam na Idade Média eram as amêndoasaçucaradas embebidas em vinho aquecido e mel e açúcar acompanhadas por queijovelho, frutas frescas cobertas por açúcar, mel ou melado de pastas condensadas e umagrande variedade de bolinhos fritos, crepes com açúcar, leite de amêndoa e ovos.Os Descobrimentos influenciaram muito a nossa alimentação. Começou a haver umamaior variedade dos produtos, maior qualidade e maior quantidade. As motivaçõesque levaram os Portugueses a aventurarem-se nos Descobrimentos eram:- A burguesia ambicionava o acesso ao ouro africano, às especiarias, ao açúcar e àsplantas tintureiras;- A nobreza ambicionava fazer a guerra, alargar os seus domínios e obter novos cargos;- O clero desejava expandir a fé cristã;- A nova dinastia de Avis estava desejosa de obter prestígio e reconhecimento a níveleuropeu;
  3. 3. - O povo via na expansão uma forma de melhorar as suas condições de vida.As condições geográficas da prioridade portuguesa eram que Portugal estava situadono extremo ocidental da Europa, possuía uma longa fachada marítima e tinha bonsportos naturais.As condições políticas da prioridade portuguesa eram que Portugal era um dos poucospaíses da Europa que gozava a paz, que tinha fronteiras estabilizadas e que tinha sidoum ponto de encontro de várias culturas, incluindo a judaica e a muçilmanaAs condições científicas da prioridade eram que devido ao comércio e à atividade dapesca Portugal possuía marinheiros experientes e aventureiros.Nas aulas preenchemos os mapas sobre as descobertas, as rotas, a rivalidade luso-castelhana e a origem dos produtos.Este mapa representa as terras descobertas e conquistadas pelo Infante D.Henrique, D.Afonso V e D.João II na época dos Descobrimentos.
  4. 4. Este mapa representa o tratado de Alcáçovas. Este tratado dividia o mundo ao meioatravés de uma linha imaginária paralela ao Equador. A metade de cima era deEspanha e a metade de baixo, de Portugal, com as exceções das Canárias (Espanha) eda Madeira e dos Açores (Portugal).Cristóvão Colombo, ao serviço de Castela, descobriu as Antilhas, que segundo otratado de Alcáçovas pertenciam a Portugal e gerou-se uma guerra entre Portugal eCastela, pois ambos reclamavam para si o direito de poder nas ilhas.Devido aos problemas estabelecidos pela viagem de Cristóvão Colombo , foiestabelecido pelo Papa o tratado de Tordesilhas que dividia o mundo em duas partesiguais através de um meridiano, que inicialmente se situava a 100 léguas das ilhas deCabo Verde, mas D. João II pediu mais 200 léguas, ficando 300 léguas das ilhas de CaboVerde.Esta imagem representa a origem dos produtos.
  5. 5. Este mapa representa as rotas comerciais e a viagem dos alimentos.ConclusãoEntão, porque viajam os alimentos?Os alimentos viajam porque os europeus tinham necessidades de obter as mercadoriasorientais a custos mais baixos, porque era necessário suprimir as necessidadesalimentares dos europeus (trigo, carne, etc) e a burguesia europeia queria aumentaros seus lucros, através do comércio intercontinental (compram o produto a baixocusto, mesmo descontando os custos do transporte, obtinham lucros elevados) –capitalismo comercial.E que consequências tiveram essas viagens para a humanidade?Essas viagens aumentaram a quantidade, qualidade e variedade das dietas alimentaresdos povos, alteraram a agricultura das regiões e consequentemente as paisagensnaturais, globalizaram o mundo – uniformizando os hábitos alimentares dos povos -viagem pelos ingredientes e menus dos restaurantes de Matosinhos e essas viagensinfluenciaram também o modo de vida de toda a humanidade e qualquer crise numdos pontos do mundo, reflete-se no dia-a-dia de todas as pessoas.Hoje em dia, a população ingere muito fast-food e refrigerantes, o que pode levar àobesidade e a outras doenças graves.Hoje em dia, graças ao Descobrimentos, podemos ter uma alimentação mais saudável,dependendo do modo de vida de cada pessoa.

×