Teoria do Conhecimento

1.048 visualizações

Publicada em

Apresentação Teoria do Conhecimento - Ufba 2011

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.048
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
51
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Teoria do Conhecimento

  1. 1. Texto: Um discurso sobre as Ciências (Santos, 2009 – pág. 7-40)
  2. 3. Todo o conhecimento científico é socialmente construído , que o seu rigor tem limites inultrapassáveis e que a sua objetividade não implica a sua neutralidade .
  3. 4. A ciência, em geral, depois de ter rompido com o senso comum, deve transformar-se num novo e mais esclarecido senso comum.
  4. 5. Sombras que vêm do passado que ora pensamos já não sermos, ora pensamos não termos ainda deixado de ser, sombras que vêm do futuro que ora pensamos já sermos, ora pensamos nunca virmos a ser.
  5. 6. Conhecimento TRANSIÇÃO Quem eu fui? Quem eu sou? Quem eu quero ser?
  6. 7. Campo Teórico que nos move atualmente Adam Smith David Ricardo Antoine Lavoisier Darwin
  7. 8. Emile Durkheim Pareto Weber Einstein Humboldt Como seria nosso conhecimento sem estes senhores? E como eu faria esta apresentação? Bill Larry Page
  8. 11. Os perigos cada vez mais verossímeis da catástrofe ecológica ou da guerra nuclear fazem-nos temer que o século XXI termine antes de começar. WTC
  9. 13. A ambigüidade e a complexidade da situação do tempo presente, um tempo de transição.
  10. 14. O progresso das ciências e das artes contribuirá para purificar ou para corromper os nossos costumes? Obs: eu não podia perder a piada
  11. 15. Há alguma relação entre a ciência e a virtude? Há alguma razão de peso para substituirmos o conhecimento vulgar que temos da natureza e da vida e que partilhamos com os homens e mulheres da nossa sociedade pelo conhecimento científico produzido por poucos e inacessível à maioria? Contribuirá a ciência para diminuir o fosso crescente na nossa sociedade entre o que se é e o que se aparenta ser?
  12. 16. x x
  13. 18. Paris Hilton = Fútil? Diamantes de Sangue na África Dolly
  14. 19. Minas Terrestres
  15. 20. REFUGIADOS
  16. 21. Não somos, do mesmo modo que o éramos há quinze ou vinte anos.
  17. 22. Estamos numa fase de transição.
  18. 23. Contributo positivo ou negativo da ciência para a nossa felicidade.
  19. 24. É muito diferente perguntar pela utilidade ou pela felicidade que o automóvel me pode proporcionar se a pergunta é feita quando ninguém na minha vizinhança tem automóvel, quando toda a gente tem exceto eu ou quando eu próprio tenho carro há mais de vinte anos. X <ul><li>Felicidade x utilidade </li></ul><ul><li>Status x locomoção </li></ul>
  20. 25. Ao contrário da ciência aristotélica, a ciência moderna desconfia sistematicamente das evidências da nossa experiência imediata. Tais evidências, que estão na base do conhecimento vulgar, são ilusórias.
  21. 26. É total a separação entre a natureza e o ser humano. A natureza é tão-só extensão e movimento ; é passiva, eterna e reversível. O Homem visa conhecer a natureza para a dominar e controlar. Como diz Bacon, a ciência fará da pessoa humana&quot; o senhor e o possuidor da natureza '&quot;
  22. 29. Conhecer significa quantificar. O rigor científico afere-se pelo rigor das medições.
  23. 30. O que não é quantificável é cientificamente irrelevante.
  24. 31. O mundo é complicado e a mente humana não o pode compreender completamente. Conhecer significa dividir e classificar para depois poder determinar relações sistemáticas entre o que se separou. Já em Descartes uma das regras do Método consiste precisamente em &quot;dividir cada uma das dificuldades ... em tantas parcelas quanto for possível. Delimitação do tema do mestrado/doutorado.
  25. 32. Conhecimento científico rompe com o conhecimento do senso comum.
  26. 34. Um conhecimento baseado na formulação de leis tem como pressuposto [...], a idéia de que o passado se repete no futuro.
  27. 35. Tal como foi possível descobrir as leis da natureza, seria igualmente possível descobrir as leis da sociedade. Bacon, Vico e Montesquieu são os grandes precursores. Bacon afirma a plasticidade da natureza humana e, portanto, a sua perfectibilidade, dadas as condições sociais, jurídicas e políticas adequadas, condições que é possível determinar com rigor&quot;. Vico sugere a existência de leis que governam deterministicamente a evolução das sociedades e tornam possível prever os resultados das ações coletivas.
  28. 36. As ciências sociais não podem estabelecer leis universais porque os fenômenos sociais são historicamente condicionados e culturalmente determinados; as ciências sociais não podem produzir previsões fiáveis porque os seres humanos modificam o seu comportamento em função do conhecimento que sobre ele se adquire;
  29. 37. O que isso influencia na construção do meu projeto de Tese? IMAGEM DO PAÍS = O que somos? O que representamos? BRAND NATION

×