História e Ensino Criativo

1.122 visualizações

Publicada em

Apresentação para formação de professores de História sobre Ensino Criativo e Tecnologia.

Publicada em: Educação, Tecnologia, Negócios
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.122
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
457
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
10
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

História e Ensino Criativo

  1. 1. História e Ensino Criativo
  2. 2. Da Criatividade ao Conhecimento Uma visão estratégica de articulação entre a Criatividade e a Aprendizagem em Contexto
  3. 3. Ideia Aprendizagem
  4. 5. Vejam bem…
  5. 7. Ensinar História
  6. 9. <ul><li>«É elementar que o artista não cria a realidade; vai buscar os materiais que se lhe oferecem, que lhe são comuns com os outros homens; na escolha deles residem o seu primeiro trabalho e a sua primeira prova; em seguida — e aqui temos a sua tarefa mais alta — tece um certo número de relações entre esses elementos; quanto mais amplas elas forem, de mais universal carácter e valor, tanto mais elevado será o poema; mas, até nos casos mais simples, surge com a obra um mundo novo , um mundo que não existia com tal arquitectura, com tal ordem.» </li></ul><ul><li>Agostinho da Silva </li></ul>
  7. 10. E os Conflitos?
  8. 12. <ul><li>«Estou sempre disposto a aprender, mas nem sempre gosto que me ensinem.» </li></ul><ul><li>Winston Churchill  </li></ul>
  9. 13. Solução: Tecnologia? Não.
  10. 15. Solução: Curiosidade...
  11. 16. Criatividade = Conhecimento
  12. 18. <ul><li>«Um dos preconceitos mais conhecidos e mais espalhados consiste em crer que cada homem possui como sua propriedade certas qualidades definidas, que há homens bons ou maus, inteligentes ou estúpidos, enérgicos ou apáticos, e assim por diante. Os homens não são feitos assim. Podemos dizer que determinado homem se mostra mais frequentemente bom do que mau, mais frequentemente inteligente do que estúpido, mais frequentemente enérgico do que apático, ou inversamente; mas seria falso afirmar de um homem que é bom ou inteligente, e de outro que é mau ou estúpido. No entanto, é assim que os julgamos. Pois isso é falso. Os homens parecem-se com os rios : todos são feitos dos mesmos elementos, mas ora são estreitos, ora rápidos, ora largos, ora plácidos, claros ou frios, turvos ou tépidos.» </li></ul><ul><li>Leon Tolstoi </li></ul>
  13. 19. Teorias?
  14. 21. “ Possibilista”
  15. 22. Quando um Homem…
  16. 24. História e Ensino Criativo

×