Evte logistica reversa equip eletroeletronicos abrelpe

299 visualizações

Publicada em

Logística Reversa de Resíduos de Equipamentos Eletroeletrônicos no Brasil - Abrelpe

Publicada em: Meio ambiente
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
299
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
5
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Evte logistica reversa equip eletroeletronicos abrelpe

  1. 1. Programa ABRELPE de Logística Reversa de Resíduos de Equipamentos EletroEletrônicos – REEE 1
  2. 2. A ABRELPE • Associação nacional, sem fins lucrativos, que congrega e representa as empresas prestadoras de serviços de limpeza urbana e manejo de resíduos sólidos. Sua missão é promover o desenvolvimento técnico- operacional do setor, dentro dos princípios da preservação ambiental e desenvolvimento sustentável. AÇÕES: • Panorama dos Resíduos Sólidos no Brasil; • Membro Nacional da ISWA – International Solid Waste Association; • Revista Conexão Academia; • Prêmio ABRELPE de Reportagem; • Prêmio Eco-Cidade
  3. 3. PANORAMA2010 Geração de RSU (per capita) Kg/hab/ano Coleta de RSU (t/ano) Iniciativas em Coleta SeletivaDestinação de RSU (t/ano) Geração de RSU (t/ano) 60.868.080 378,4 54.157.896
  4. 4. Conformidade na Gestão de Resíduos ATENDIMENTO À LEI 12.305/2010 - PNRS – POLITICA NACIONAL DE RESÍDUOS SÓLIDOS “ENCAMINHAR PARA ATERRO APENAS OS REJEITOS, IMPLEMENTAR A LOGISTICA REVERSA...” ATENDIMENTO À LEI 12.300/06 – PERS/SP
  5. 5. PNRS • Resíduo sólido é todo “material, substância, objeto ou bem descartado resultante de atividades humanas em sociedade, a cuja destinação final se procede, se propõe proceder ou se está obrigado a proceder, nos estados sólido ou semissólido, bem como gases contidos em recipientes e líquidos cujas particularidades tornem inviável o seu lançamento na rede pública de esgotos ou em corpos d’água, ou exijam para isso soluções técnica ou economicamente inviáveis em face da melhor tecnologia disponível”.
  6. 6. PNRS • Rejeito: “resíduos sólidos que, depois de esgotadas todas as possibilidades de tratamento e recuperação por processos tecnológicos disponíveis e economicamente viáveis, não apresentem outra possibilidade que não a disposição final ambientalmente adequada”. PNRS = duas classes de resíduos: “resíduos sólidos” x rejeitos
  7. 7. PNRS • Logística Reversa: instrumento pelo qual deverão ser implementadas ações, procedimentos e meios destinados a viabilizar a coleta e a restituição dos resíduos sólidos ao setor empresarial, para reaproveitamento, em seu ciclo ou em outros ciclos produtivos, ou para que os mesmos sejam encaminhados para uma destinação final ambientalmente adequada.
  8. 8. PNRS • Princípio da hierarquia na gestão: ordem de prioridade de ações, que deve ser aplicada na gestão e no gerenciamento de resíduos sólidos, iniciando-se com a não geração e passando ordenadamente pelas ações seguintes, a saber, redução, reutilização, reciclagem, tratamento dos resíduos sólidos e disposição final ambientalmente adequada dos rejeitos.
  9. 9. Quando falamos de lixo eletrônico, a maioria das pessoas imaginam se tratar apenas de Produtos de informática. “Todo produto que utiliza energia elétrica ou de acumuladores como fonte de alimentação e se torna obsoleto é considerado LIXO ELETRÔNICO – REE. Seja de uso industrial ,doméstico, comercial e de serviços.” O QUE É LIXO ELETROELETRÔNICO? Lixo Eletrônico
  10. 10. Panorama Mundial do Lixo Eletrônico União Européia 2005 44 milhões de eletrodomésticos 48 milhões de PCs e Notebooks 9,7 milhões de toneladas de lixo eletrônico Estados Unidos 2006 34 milhões de TVs e monitores 24 milhões de PCs 139 milhões de aparelhos de comunicação (celular, pager, modem, etc) China 2005 14 milhões de PCs 48 milhões de TVs 20 milhões de refrigeradores
  11. 11. Panorama Mundial do Lixo Eletrônico  Holanda 2000 - coletados 57 milhões/kg de REEE, o equivalente a 3,6 kg por pessoa por ano.  Suíça: coletados 36.000 t de REEE, o equivalente a 5,1 kg por pessoa/ano em 2000.  Noruega: coletados 25.000 telefones móveis em 2000. No mesmo ano foram vendidas 1,5 milhões de unidades.
  12. 12. Panorama Mundial do Lixo Eletrônico ONU • Lixo eletrônico = 70% dos metais pesados em aterros. • 40 milhões de toneladas de lixo eletrônico acumulado no mundo - 80% acabam em países em desenvolvimento
  13. 13. Passivo EEE Brasil – 2005 (ONU) •PCs 480.000 Ton. •Celulares 8.600 Ton. •TVs 1.1 milhao/Ton. •Refrigeradores 1,15 milhao/Ton. Panorama Brasil do Lixo Eletrônico  REEE no Brasil*: • 680.000 t/ano; • Geração per capita de REEE** (2001-2030) = 3,4 kg/hab/ano; • Projeção de acúmulo de REEE** (2001-2030) = 22 milhões/t. * Fonte: Diagnóstico da Geração de Resíduos Eletroeletrônicos – FEAM/MG – jun2009 **telefones celulares e fixos, televisores, computadores, rádios, máquinas de lavar roupa, geladeiras e freezers.
  14. 14. Panorama Brasil do Lixo Eletrônico
  15. 15. Panorama do Lixo Eletrônico Equipamento Vida útil em anos Peso (kg) PC + monitor 5-8 25 Laptop 5-8 5 Impressora 5 8 Telefone móvel 4 0,1 TV 8 30 Refrigerador 10 45 Estimativa de vida útil e peso de alguns EEE
  16. 16. Logística Reversa de Lixo Eletrônico PERICULOSIDADE DOS COMPONENTES DOS REE Um EE moderno combina vários elementos químicos que foram unidos para formar um produto de imensa utilidade para a humanidade. No entanto, muitas peças contêm metais pesados e outras substâncias tóxicas. Em partes de um EEE podemos encontrar: • No monitor: Chumbo,Cádmio, Mercúrio e outros metais • Nas placas de circuito impresso: Cromo, Níquel, Prata, Ouro, Berílio, Chumbo • Nas pilhas e baterias: Lítio, Cádmio, Manganês, Mercúrio, Chumbo Em alguns plásticos: retardante de chama
  17. 17. A disposição final inadequada desses resíduos pode causar danos significativos ao solo, ar e água e riscos a saúde da população. Uma vez que nosso organismo entra em contato com a água ou alimento contaminado, ele bioacumula, os metais pesados, os quais podem causar uma série de efeitos biológicos. Esta bioacumulação não só ocorre em humanos, mas em todos os seres vivos, por exemplo: plantas, frutos, animais aquáticos. Logística Reversa de Lixo Eletrônico
  18. 18. Logística Reversa de Lixo Eletrônico
  19. 19. Benefícios do Sistema de Logística Reversa • Diminui a quantidade de resíduos encaminhados para aterros; • Estimula o uso eficiente dos recursos naturais; • Reduz as obrigações físicas e financeiras dos municípios para com a gestão de determinados resíduos; • Desenvolve os processos de reutilização, reciclagem e recuperação de produtos e materiais; • Promove processos de Produção mais Limpa (P+L); Logística Reversa de Lixo Eletrônico
  20. 20. Benefícios do Sistema de Logística Reversa • Incrementa a conscientização da sociedade; • Viabiliza ações de responsabilidade socioambiental; • Promove inclusão social com dignidade, segurança e profissionalismo; • Maximiza oportunidades de negócios e os resultados; • Permite a internalização do custo diretamente nos produtos no lugar do “rateio social”; • Melhora as condições ambientais através de uma gestão mais eficiente de resíduos. Logística Reversa de Lixo Eletrônico
  21. 21. Logística Reversa de Lixo Eletrônico • Objetivos: • Maximizar o ciclo de retorno C Consumo D Disposição Sistema de Gestão De Resíduos (hierarquia) Min Max C Consumo D Disposição Sistema de Gestão Municipal • Evitar que o resíduos ingressem no sistema municipal • Evitar a destinação irregular C Consumo D Disposição
  22. 22. Residuo Reciclagem Planta de Manufatura Reversa CONSUMIDOR ECOPONTO Tratamento CENTRO DE CONSOLIDAÇÃO E TRIAGEM INDUSTRIA Logística Reversa de Lixo Eletrônico
  23. 23. INFRA-ESTRUTURA E AÇÕES •CARTILHA •ECOPONTOS •GIRO NAS ESCOLAS •DIVULGAÇÃO NOS MEIOS DE COMUNICAÇÃO •GESTÃO DOS RESÍDUOS • COLETA • TRANSPORTE • MANUFATURA REVERSA •CERTIFICADO DE CONFORMIDADE AMBIENTAL Logística Reversa de Lixo Eletrônico
  24. 24. Logística Reversa de Lixo Eletrônico Cartilha
  25. 25. Logística Reversa de Lixo Eletrônico
  26. 26. Logística Reversa de Lixo Eletrônico
  27. 27. Logística Reversa de Lixo Eletrônico
  28. 28. Logística Reversa de Lixo Eletrônico
  29. 29. Logística Reversa de Lixo Eletrônico
  30. 30. Logística Reversa de Lixo Eletrônico
  31. 31. Logística Reversa de Lixo Eletrônico
  32. 32. Logística Reversa de Lixo Eletrônico
  33. 33. Logística Reversa de Lixo Eletrônico
  34. 34. Logística Reversa de Lixo Eletrônico Materiais Gerados no Processo – Desmontagem e classificação Placas Metais Plásticos - diversos Placas
  35. 35. Logística Reversa de Lixo Eletrônico Materiais Gerados no Processo – Reciclagem de Plásticos
  36. 36. Uma parceria: CAMPANHA NATAL RESPONSÁVEL
  37. 37. OBRIGADO! Carlos R V Silva Filho carlos@abrelpe.org.br @crvsilvafilho

×