REPÚBLICA DA GUINÉ-BISSAU
PTA – REFORÇO DOS SERVIÇOS DE SAÚDE REPRODUTIVA
DE QUALIDADE E DE PREVENÇÃO DO VIH/SIDA
FORMAÇÃO...
1. INTRODUÇÃO
No quadro da Execução do 5º Programa de Cooperação entre o Governo da
Guiné-Bissau e o Fundo das Nações Unid...
Seguidamente abordou-se o tema a Mortalidade Materna e o Papel dos Media.
Definiu-se a morte materna e a morte materna dir...
Falando ainda das consequências de MGF, a Drª Cândida Lopes destacou a
Saúde psico-sexual e psicologia e a medicalização d...
No terceiro dia de formação apresentou-se dois temas a IEC e Plaidoyer em
SPSR e o Papel das Rádios Comunitárias na promoç...
de programas SR para os próximos seis (6) meses (de Julho a Dezembro de 2009)
nas respectivas rádios comunitárias.
Finalme...
Nº
1

NOME E
APELIDO
Jaqueline Barreto

FUNÇÃO
Produtora e Apresentadora de
Programa “Saudi pa tudu
djintis”
Produtor e Ap...
5. DURAÇÃO E LOCAL DE FORMAÇÃO
A formação de produtores e apresentadores de programa SR decorreu de 22 a
26 de Junho de 20...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Relatorio formacao jornalistas quinhamel2009

350 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
350
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
140
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Relatorio formacao jornalistas quinhamel2009

  1. 1. REPÚBLICA DA GUINÉ-BISSAU PTA – REFORÇO DOS SERVIÇOS DE SAÚDE REPRODUTIVA DE QUALIDADE E DE PREVENÇÃO DO VIH/SIDA FORMAÇÃO E CAPACITAÇÃO DE JORNALISTAS DAS RÁDIOS COMUNITARIAS NO DOMÍNIO DA SAÚDE REPRODUTIVA RELATÓRIO DE FORMAÇÃO QUINHAMEL, 22 A 26 DE JUNHO DE 2009 PARCERIA: MINSAP (SSF) – UNFPA – RÁDIOS COMUNITÁRIAS BISSAU, JULHO DE 2009
  2. 2. 1. INTRODUÇÃO No quadro da Execução do 5º Programa de Cooperação entre o Governo da Guiné-Bissau e o Fundo das Nações Unidas para População “UNFPA” (20082012), realizou-se na região sanitária de Biombo, área sanitária de Quinhamel de 22 à 26 de Junho de 2009, uma acção formação no domínio da Saúde Reprodutiva para comunicadores de radiodifusão comunitária. Esta formação foi organizada pelo PTA “Oferta dos Serviços de Saúde Reprodutiva de Qualidade e de Prevenção do VIH/SIDA” (MINSAP/SSF) através da DIECS em colaboração com a Rede de Jornalistas em Matéria de População e Desenvolvimento “REJOPOD”. Nela participaram 15 produtores e apresentadores de programas SR das 15 rádios comunitárias instaladas nas respectivas regiões sanitárias de intervenção. 2. OBJECTIVOS DA FORMAÇÃO O objectivo do seminário visa essencialmente: ⇒ Capacitar Jornalistas produtores e apresentadores de programas de SR das rádios comunitárias com conhecimentos sobre a saúde reprodutiva e componentes comuns; ⇒ Fornecer ferramentas de técnicas de produção radiofónica para a recolha e tratamento de mensagens educativas e de informação das populações rurais com vista a mudança de comportamento, atitudes, praticas e hábitos em relação a SR. ⇒ Favorecer a troca de experiências e ideias entre os produtores e apresentadores de programas SR mormente a elaboração de guião de programas para uma produção e difusão de programas de qualidade; 3. TEMAS APRESENTADAS DURANTE A FORMAÇÃO A formação teve início no dia 22 de Junho, com a apresentação dos temas Saúde Reprodutiva (conceito e considerações gerais sobre a Saúde Sexual e Reprodutiva da População Guineense), Mortalidade Materna e o Papel dos Media, Mutualismo para a Saúde na Guiné-Bissau, Gravidez na Adolescência e Jovens em Matéria de Sexualidade e SR orados por Enf. Jean-Pierre Umpeça (Especialista em IECS). Na sua comunicação, o orador definiu a SR referenciando a CIPD, Cairo/1994 na qual a saúde sexual e reprodutiva passou a ser encarada como um dos direitos humanos beneficiando ambos os sexos independentemente da idade, da raça e da condição socio-económica. Em relação a Guiné-Bissau ilustrou dados estatísticos da mortalidade materna de 700 mortes maternas por 100.000 nados vivos. Evocou entre outras razões da mortalidade materna, a qualidade dos serviços prestados, a formação do pessoal da saúde, os aspectos culturais da população, os custos elevados de medicamentos, o acesso deficiente dos serviços de saúde, etc. 2
  3. 3. Seguidamente abordou-se o tema a Mortalidade Materna e o Papel dos Media. Definiu-se a morte materna e a morte materna directa e indirecta e referiu-se os sinais de perigo que podem ser detectados durante a gravidez, as complicações obstétricas e as hemorragias. Falou igualmente de partos seguros, das estatísticas da mortalidade materna, dos serviços COU e parteiras tradicionais (Matronas). Quanto ao tema “Mutualismo para a Saúde na Guiné-Bissau, o facilitador definiu o mutualismo como sendo uma sociedade de pessoas com fins não lucrativos e que se organizam por principio de solidariedade entre os membros que aderem de forma livre e voluntária. Diz o facilitador que o objectivo do mutualismo é de apoiar as iniciativas comunitárias que permitam o reforço do acesso das famílias aos serviços de saúde sobretudo aos COU e Neonatal. Falou dos movimentos mutualistas para a saúde, a sua abrangência no país, etapas de implementação, modalidade de intervenção e lições aprendidas. Diz que a iniciativa foi lançada no país em Março de 2006. Relativamente ao tema Gravidez na Adolescência e Aborto, o facilitador falou da gravidez indesejada e aspectos psicossociais, os factores que motivam a gravidez, as questões envolventes e transversais de género. Abordou as orientações para ajudar os jovens nas tomadas de decisões relacionadas com a saúde sexual e reprodutiva. Antes de encerrar a sessão, apresentou-se o tema Jovens em Matéria da Sexualidade e SR. O facilitador primeiro definiu os termos adolescentes e jovens e respectivas fases etárias. Seguidamente definiu o Sexo e a Sexualidade bem como o período da actividade genital e a puberdade. Falou dos sinais de crescimento físico nas jovens raparigas e rapazes, dos direitos de jovens em matéria de sexualidade, a educação sobre a sexualidade, as características de estima positivas e negativas de jovens e suas necessidades. As estratégias, etapas e factores para tomada de decisão e o comportamento sexual de jovens. No segundo dia de formação, apresentou-se os temas Mutilação Genital Feminina (MGF), Segurança dos Produtos da SR, Violência em SR, Género e Saúde Reprodutiva, Planeamento Familiar e Prevenção das IST e VIH/SIDA. O tema MGF, foi orado pela Dr.ª Cândida Lopes Gomes NPP/UNFPA/SR, que durante a sua exposição definiu a MGF e classificou os quatro tipos de corte. Falou da extensão da pratica e persistência de MGF no mundo e na africa e em particular na Guiné-Bissau por razões psicossociais, sociológicas, higiénicas e de estética, místicas e religiosas. Também falou das consequências nefastas a saúde das raparigas e das mulheres a curto e logo termo. 3
  4. 4. Falando ainda das consequências de MGF, a Drª Cândida Lopes destacou a Saúde psico-sexual e psicologia e a medicalização da MGF. Referiu os acordos internacionais e regionais sobre MGF e Declaração conjunta do SNU. Ilustrou as acções nacionais e comunitárias, as estratégias e medidas internacionais. A Drª Cândida Lopes também apresentou o tema a Segurança dos Produtos da SR. Diz que existe a segurança de produtos de SR quando cada pessoa pode escolher, obter e Drª Cândida Lopes na sessão de formação. utilizar os produtos de SR d qualidade cada vez que ele ou ela manifesta a sua necessidade. Falou da estratégia da segurança de produtos de SR (SPSR), origem da SPSR, as justificações da Segurança de Produtos SR e as consequências da situação. A facilitadora falou da importância dos produtos SR e produtos farmacêuticos utilizados nos três principais domínios da SR durante a Gravidez, nos COU e Post-parto e no tratamento das IST. Finalmente, falou de equipamento e material médico e dos desafios tendo feito uma abordagem estratégica para perenização da SPSR. O tema Violência em SR foi apresentado por Enfº Jean-Pierre Umpeça. Abordouse os tipos de violência, os custos da violência, as consequências da violência sexual, danos provocados pela excisão feminina. Falou da violência entre parceiros e como evitar a violência. Seguidamente, Jean-Pierre apresentou o tema Género e Saúde Reprodutiva, Planeamento Familiar e Prevenção das IST e VIH/SIDA. Em relação ao tema Género e SR, o facilitador definiu o género como um conjunto de valores, atitudes, condutas e formas de relacionamento que definem o que significa ser homem ou mulher na sociedade. Falou dos papéis tradicionais do homem e da mulher, a sexualidade, as desigualdades, a equidade e a violência de género. No concernente ao PF, Jean-Pierre apresentou todos os métodos contraceptivos de PF, nomeadamente, Amamentação, Pílulas, Preservativos masculinos e femininos, DIU (Anilha), Neochampoon, Depoprovera, Muco-Servical, Laqueação de Trompas, Vasectomia (corte) Norplalt (Implante ou Jadel), Coito Interrompido, Abstinência Sexual e Calendário. Também o facilitador falou do período menstrual, da fecundação e gravidez, do ciclo ovarino e alterações endometriais. Antes do fim da sessão, Jean-Pierre apresentou o ultimo tema a Prevenção das IST e VIH/SIDA. Sobre as IST abordou as mais frequentes no país. Tanto as IST e VIH/SIDA falou dos tipos, dos sinais e sintomas e como se apanha e como não se apanha. 4
  5. 5. No terceiro dia de formação apresentou-se dois temas a IEC e Plaidoyer em SPSR e o Papel das Rádios Comunitárias na promoção da SR e as Técnicas de Produção de Programas SR tendo como facilitador o Jornalista Cipriano Domingos Sanca. Quanto ao primeiro tema, o orador destacou as diferentes formas de comunicação referindo o Documento de Politica e Estratégias de Comunicação para o Desenvolvimento na Guiné-Bissau do qual o Governo propôs um modelo com três componentes: Advocacia (Plaidoyer), Mobilização social e Comunicação em apoio aos programas. Definiu o plaidoyer e sua relação com a IEC e falou-se das suas etapas, dos problemas e politicas, temas, grupos alvos e mensagens de plaidoyer. E, abordou igualmente as metodologias, as técnicas, os meios ou suportes e a operacionalização de plaidoyer: a mobilização de recursos e as parcerias. Seguidamente, o facilitador apresentou o tema Técnicas de Produção Radiofónica tendo referido que as pessoas não escutam uma rádio comunitária só porque ela existe. Mas, a rádio tem o dever de produzir programas de boa qualidade e de agrado dos ouvintes sobretudo trabalhar com a comunidade e envolvê-la na produção dos seus programas. Diz o facilitador que a produção não se faz por acaso, obedece uma regra que passa pela apresentação de um Guião de Programa, a Capacidade técnica, material e financeira para produzir um programa de rádio. Falou dos formatos de programas e da etapa de produção de programa em passos preliminares, essenciais e finais. Demonstrou a agenda de um produtor de rádio para que previamente identifique e prepare os temas e os conteúdos de abordagem do programa, as pessoas recursos, os suportes de produção as datas de produção, realização e difusão de programas SR. Falou igualmente da realização, registo e montagem, da preocupação do produtor e apresentador de programa SR na recolha e tratamento das mensagens, da relevância da voz durante apresentação do programa Aspecto de trabalho de grupos. e da selecção das musicas dos programas. Deu-se ênfase nas características da mensagem e da linguagem. Finalmente abordou a importância de Guião de apresentação de programa bem como Guião de Transmissão de Programas SR. Já no quarto dia, criou-se grupos de trabalho para a elaboração de Guião de Produção 5
  6. 6. de programas SR para os próximos seis (6) meses (de Julho a Dezembro de 2009) nas respectivas rádios comunitárias. Finalmente, no quinto e último dia do seminário apresentou-se o tema “Que papel da REJOPOD (Rede de Jornalistas em Matéria de População e Desenvolvimento) para uma parceria bem sucedida?” facilitado por Cipriano Domingos Sanca. O facilitador falou do objectivo da criação da REJOPOD que é a promoção do bem-estar da população e da defesa dos seus direitos sociais e reprodutivos através de informação e de sensibilização nos Media. Assim sendo, as rádios comunitárias em parceria com o MINSAP (SSF) e UNFPA poderão contribuir para uma larga difusão de mensagens SR ao grande publico mas sobretudo para a mudança de comportamento e atitudes sobre as praticas sociais nefastas a saúde e influenciar as opiniões e os decisores sobre a problemática da SR. 4. RÁDIOS COMUNITÁRIAS PARTICIPANTES Um total de 15 produtores e apresentadores de programa de SR das 15 rádios comunitárias participaram neste seminário de formação segundo o quadro abaixo. 6
  7. 7. Nº 1 NOME E APELIDO Jaqueline Barreto FUNÇÃO Produtora e Apresentadora de Programa “Saudi pa tudu djintis” Produtor e Apresentador de Programa “Homi ku saudi” 2 Ernesto Dja Nhace 3 Gil Suleimane 4 César Cumuca 5 Adulai T. Camará 6 Braima Balde 7 Cida Nantcharé 8 Orlando O. Nhaga 9 Braima S. Camara 10 Miguel C. Lima 11 Djanystela Albino 12 José Mango 13 Wilson Pereira Produtor e Apresentador de Programa “Saudi regional” 14 Cândido Só 15 Sabino Có Produtor e Apresentador de Programa “Saudi na tabanca” Produtor e Apresentador de Programa “Saudi di nô populaçon” Produtor e Apresentador de Programa “Nô Saudi na tabanca” Produtor e Apresentador de Programa “Saudi pa tudu djuntis” Produtor e Apresentador de Programa “Saudi di nô populaçon” Produtor e Apresentador de Programa “Saudi na tabanca” Produtora e Apresentadora de Prog.SR, Género e Desenvolvim. Produtor e Apresentador de Programa “Saudi pa tudu djintis” Produtor e Apresentador de Programa “Saudi pa tudu djintis” Produtor e Apresentador de Programa “Saudi di nô populaçon” Produtora e Apresentadora de Prog. “Nô tcholana cumpanher pa um morança mindjor” Produtor e Apresentador de Programa “Viva saudi” ORGÃO SEDE Rádio Canchungo Comunitária (Reg. “Uler Abande” Cacheu) Rádio Gabú Comunitária (Reg. Gabú) Sintchan Oco Rádio Buba Comunitária Reg. Quinara Papagaio Rádio Ingoré Comunitária (Reg. Balafom Cacheu) Rádio Iemberém Comunitária Reg. Tombali Lamparam Rádio Contuboel Comunitária (Reg. Bafata) Wakelare Rádio Djalicunda Comunitária “Voz (Reg. de Djalicunda” Oio) Rádio Bula Comunitária (Reg. Viva Bula Cacheu) Rádio S. Domingos Comunitária (Reg. Kasumai Cacheu) Rádio Bissau Comunitária SAB “Voz de Quelele” Bissau Rádio Jovem SAB Rádio Sol Mansi Rádio Comunitária Bafata “RCB” Rádio Gandal Rádio Comunitária Lua Nova CONTAC T 661 92 22 667 91 89 610 47 43 667 79 90 654 87 17 656 42 97 662 30 25 684 03 51 678 53 63 677 66 23 678 78 64 Mansoa (Reg. de Oio) Bafatá (Reg. Bafata) 665 73 29 Gabú (Reg. Gabú) Quinhamel (Reg. Biombo) 682 01 64 664 08 36 671 73 78 7
  8. 8. 5. DURAÇÃO E LOCAL DE FORMAÇÃO A formação de produtores e apresentadores de programa SR decorreu de 22 a 26 de Junho de 2009, na região sanitária de Biombo, cidade de Quinhamel. 6. METODOLOGIA DO SEMINÁRIO      Breve apresentação dos temas por facilitadores em PowerPoint Troca de experiências entre os participantes Exploração de documentos Trabalho de grupos Relatório e avaliação de dia por participantes 7. RECOMENDAÇÕES DO SEMINÁRIO a) Alargamento de formação em SR para abranger maior numero possível de Jornalistas das Rádios Comunitárias tendo em conta os frequentes abandonos que se verificam nas rádios devido a falta de motivação. b) Orientar as estruturas sanitárias para uma maior colaboração com os produtores de programa SR. c) Apoiar na medida do possível os produtores de programas SR com gravadores de reportagem e meio de transporte para facilitar a recolhe de informações e deslocações de repórteres as diferentes áreas sanitárias de cobertura das rádios. d) Que sejam efectuadas pelo menos semestralmente visitas de seguimento para monitorar e avaliar os trabalhos realizados ao longo da parceria e medir o impacto das mensagens radiodifundidas e as mudanças verificadas nas regiões sanitárias cobertas. 8. ANEXOS 1. Programa de formação 2. Comunicações dos facilitadores 3. Lista de presenças Bissau, 7 de Julho de 2009 O Facilitadores Enfº Jean-Pierre Umpeça - DIECS Jornalista Cipriano Domingos Sanca - REJOPOD 8

×