ES/3 D. Afonso Henriques<br />2009/2010<br />Regresso<br />Alda Lara<br />
Trabalho realizado no âmbito da disciplina de Literaturas da Língua Portuguesa<br />Curso de Línguas e Humanidades<br />12...
Pôr-do-sol em Namibe<br />Centro de Luanda<br />Angola<br />Localização de Angola<br />A cidade de Lubango<br />
Angola<br />Avenida dos combatentes, Luanda<br />Sala de aula em Bié<br />Trabalhadora angolana<br />Presidente da Repúbli...
Literatura Angolana<br />Luandino Vieira<br />Viriato Clemente da Cruz<br />José Eduardo Agualusa<br />Pepetela<br />
Literatura Angolana<br />A literatura de Angola nasceu antes da Independência do país em 1975, com o movimento Novos Intel...
Literatura Angolana<br />Presente nas campanhas libertadoras foi responsável por ecoar o grito de liberdade de uma nação p...
Alda Lara<br />Nome completo: Alda Ferreira Pires Barreto de Lara Albuquerque<br />Nascimento: Benguela, Angola, 9 de Junh...
O Poema<br />
Regresso …<br />Voltar... Ver de novo baloiçar a fronde magestosa das palmeiras que as derradeiras horas do dia, circundam...
Regresso …<br />Não mais o pregão das varinas, nem o ar monótono, igual, do casario plano... Hei-de ver outra vez as casua...
Regresso …<br />Sim! Eu hei-de voltar, tenho de voltar, não há nada que mo impeça. Com que prazer hei-de esquecer toda est...
Análise<br />
Tema<br /><ul><li>Centrada no tema Terra-África, esta composição poética demonstra várias temáticas próprias da poesia de ...
Neste poema, o “eu” enaltece a sua pátria (África), expressando as saudades sentidas em versos como: “os meus sentidos ans...
<ul><li>Anáfora</li></ul>“Saudade” / “Saudade” <br />A anáfora é utilizada no poema para sublinhar a saudade que o sujeito...
<ul><li>Adjectivação</li></ul>“fronde magestosa”<br />“odor escaldante”<br />“húmus vivificante” <br />“alegria selvagem”<...
<ul><li>Exclamação:</li></ul>“(oh! … minha terra!...)”<br />“Sim! Eu hei-de voltar” <br />“Voltei!...” <br />A exclamação ...
Análise Formal<br />Esta composição poética é constituída por cinco estrofes livres: a primeira com cinco versos, a segund...
Reflexão<br />Foi, realmente, importante para nós a realização deste trabalho, uma vez que nos colocou em contacto, não só...
Bibliografia &Sites Consultados<br />http://www.infopedia.pt/$alda-lara<br />http://pt.shvoong.com/social-sciences/politic...
Questionário<br />
O país…<br />Identifica as seguintes personalidades angolanas<br />Pepetela<br />José Eduardo dos Santos<br />José Eduardo...
A literatura…<br />As principais temáticas abordadas na obra angolana são…<br /><ul><li> A beleza das paisagens africanas ...
 O preconceito, a dor causada pelos castigos corporais, o trabalho nas roças, a exclusão social e a tensão existente entre...
 Os direitos de reclamação dos cidadãos angolanos quando maltratados pelos brancos na época da escravatura.</li></ul><br />
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Regresso, Alda Lara

3.016 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.016
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
8
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
23
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Regresso, Alda Lara

  1. 1. ES/3 D. Afonso Henriques<br />2009/2010<br />Regresso<br />Alda Lara<br />
  2. 2. Trabalho realizado no âmbito da disciplina de Literaturas da Língua Portuguesa<br />Curso de Línguas e Humanidades<br />12º ano<br />Com a docente: Isabel Cosme<br />e as alunas: Ana João e Cátia Silva<br />
  3. 3. Pôr-do-sol em Namibe<br />Centro de Luanda<br />Angola<br />Localização de Angola<br />A cidade de Lubango<br />
  4. 4. Angola<br />Avenida dos combatentes, Luanda<br />Sala de aula em Bié<br />Trabalhadora angolana<br />Presidente da República, José Eduardo dos Santos<br />
  5. 5. Literatura Angolana<br />Luandino Vieira<br />Viriato Clemente da Cruz<br />José Eduardo Agualusa<br />Pepetela<br />
  6. 6. Literatura Angolana<br />A literatura de Angola nasceu antes da Independência do país em 1975, com o movimento Novos Intelectuais de Angola. <br />A sua literatura traz muito realismo ao retratar o preconceito, a dor causada pelos castigos corporais, o sofrimento pela morte dos entes queridos, a exclusão social.<br />A palavra literária desempenhou em Angola um importante papel na superação do estatuto de colónia. <br />
  7. 7. Literatura Angolana<br />Presente nas campanhas libertadoras foi responsável por ecoar o grito de liberdade de uma nação por muito tempo silenciado, mas nunca esquecido. <br />O angolano vive, por algum tempo, entre duas realidades, a sociedade colonial europeia e a sociedade africana; os seus escritos são, por isso, os resultados dessa tensão existente entre os dois mundos.<br />
  8. 8. Alda Lara<br />Nome completo: Alda Ferreira Pires Barreto de Lara Albuquerque<br />Nascimento: Benguela, Angola, 9 de Junho de1930<br />Estado Civil: casada com o escritor Orlando Albuquerque<br />Educação: Estudou nas Faculdades de Medicina de Lisboa e Coimbra<br />Morte: Cambambe, Angola, 30 de Janeiro de 1962<br />
  9. 9. O Poema<br />
  10. 10. Regresso …<br />Voltar... Ver de novo baloiçar a fronde magestosa das palmeiras que as derradeiras horas do dia, circundam de magia... Regressar... Poder de novo respirar, (oh!...minha terra!...) aquele odor escaldante que o húmus vivificante do teu solo encerra! Embriagar uma vez mais o olhar, numa alegria selvagem, com o tom da tua paisagem, que o sol, a dardejar calor, transforma num inferno de cor... <br />Quando eu voltar, que se alongue sobre o mar, o meu canto ao Creador! Porque me deu, vida e amor, para voltar... <br />
  11. 11. Regresso …<br />Não mais o pregão das varinas, nem o ar monótono, igual, do casario plano... Hei-de ver outra vez as casuarinasa debruar o oceano... Não mais o agitar fremente de uma cidade em convulsão... não mais esta visão, nem o crepitar mordente destes ruídos... os meus sentidos anseiam pela paz das noites tropicais em que o ar parece mudo, e o silêncio envolve tudo Sede...Tenho sede dos crepúsculos africanos, todos os dias iguais, e sempre belos, de tons quasi irreais... <br />Saudade...Tenho saudade do horizonte sem barreiras..., das calemas traiçõeiras, das cheias alucinadas... Saudade das batucadas que eu nunca via mas pressentia em cada hora, soando pelos longes, noites fora!...<br />
  12. 12. Regresso …<br />Sim! Eu hei-de voltar, tenho de voltar, não há nada que mo impeça. Com que prazer hei-de esquecer toda esta luta insana... que em frente está a terra angolana, a prometer o mundo a quem regressa... <br />Ah! quando eu voltar... Hão-de as acácias rubras, a sangrar numa verbena sem fim, florir só para mim!... E o sol esplendoroso e quente, o sol ardente, há-de gritar na apoteose do poente, o meu prazer sem lei... A minha alegria enorme de poder enfim dizer: Voltei!...  <br />
  13. 13. Análise<br />
  14. 14. Tema<br /><ul><li>Centrada no tema Terra-África, esta composição poética demonstra várias temáticas próprias da poesia de Alda Lara, como o tempo ansioso (a ânsia de regresssar), o amor pátrio e a existência de lugares de afecto para o sujeito poético.
  15. 15. Neste poema, o “eu” enaltece a sua pátria (África), expressando as saudades sentidas em versos como: “os meus sentidos anseiam pela paz das noites tropicais”; “Tenho sede dos crepúsculos africanos”; “A minha alegria enorme de poder enfim dizer: Voltei!...”</li></li></ul><li>Divisão<br />O poema apresenta uma estrutura tripartida. <br />A primeira parte integra as duas primeiras estrofes. Nela, o “eu” demonstra a vontade de voltar à sua terra, de ver e sentir tudo o que faz parte dela.<br />“Poder de novo respirar, /(oh!...minha terra!...) /aquele odor escaldante /que o húmus vivificante /do teu solo encerra!”<br />A segunda parte é constituída pela terceira estrofe, onde o sujeito poético refere as fortes saudades que tem da sua terra e de tudo o que a envolve.<br />“Saudade...Tenho saudade /do horizonte sem barreiras...”<br />Por fim, a terceira parte é constituída pela quarta e quinta estrofes. Nela, o “eu” volta à ideia que realçou no início do poema, ou seja, à vontade de regressar às suas origens, mas desta vez já convicto de que regressará em breve . <br />“Sim! Eu hei-de voltar, /tenho de voltar, /não há nada que mo impeça.” <br />
  16. 16. <ul><li>Anáfora</li></ul>“Saudade” / “Saudade” <br />A anáfora é utilizada no poema para sublinhar a saudade que o sujeito poético sente pela sua terra natal.<br /><ul><li>Personificação</li></ul>“E o sol (…) há-de gritar (…)” <br />A personificação dá-nos a imagem do Sol como observador e anunciador da felicidade do sujeito poético aquando do seu regresso a Angola .<br />Recursos Estilísticos <br />
  17. 17. <ul><li>Adjectivação</li></ul>“fronde magestosa”<br />“odor escaldante”<br />“húmus vivificante” <br />“alegria selvagem”<br />“ar monótono”<br />“sol esplendoroso e quente/ sol ardente”<br />“o ar parece mudo”<br />No poema, são apresentados vários adjectivos que facilmente nos remetem à realidade africana, caracterizada como ardente de dia e silenciosa à noite.<br />Recursos Estilísticos <br />
  18. 18. <ul><li>Exclamação:</li></ul>“(oh! … minha terra!...)”<br />“Sim! Eu hei-de voltar” <br />“Voltei!...” <br />A exclamação é utilizada pelo “eu” com o intuito de expressar a sua vontade em voltar às raízes. Podemos focar também a gradação crescente, uma vez que, inicialmente, o “eu” suspira pelo regresso, seguindo-se a decisão de voltar e terminando com a certeza de que dirá “Voltei!”.<br />Recursos Estilísticos <br />
  19. 19. Análise Formal<br />Esta composição poética é constituída por cinco estrofes livres: a primeira com cinco versos, a segunda com dezoito versos, a terceira com vinte e seis versos, a quarta com oito versos e a última com doze. O esquema rimático não segue nenhuma ordem lógica, bem como a métrica dos versos. A rima é pobre e consoante e o ritmo alterna entre lento e rápido. <br />
  20. 20. Reflexão<br />Foi, realmente, importante para nós a realização deste trabalho, uma vez que nos colocou em contacto, não só com a poetisa Alda Lara, mas também com a cultura e literatura do seu país.<br />Pudemos, assim, conhecer melhor Angola e a sua história, para seguidamente a relacionarmos com as temáticas abordadas pelos seus escritores e escritoras, não se tornando a análise do poema “Regresso” uma actividade isolada, mas em harmonia com aquilo que integra a vivência angolana passada e presente.<br />
  21. 21. Bibliografia &Sites Consultados<br />http://www.infopedia.pt/$alda-lara<br />http://pt.shvoong.com/social-sciences/political-science/1874922-passado-presente-na-literatura-angolana/<br />
  22. 22. Questionário<br />
  23. 23. O país…<br />Identifica as seguintes personalidades angolanas<br />Pepetela<br />José Eduardo dos Santos<br />José Eduardo Agualusa<br />
  24. 24. A literatura…<br />As principais temáticas abordadas na obra angolana são…<br /><ul><li> A beleza das paisagens africanas e a época da colonização.
  25. 25. O preconceito, a dor causada pelos castigos corporais, o trabalho nas roças, a exclusão social e a tensão existente entre duas realidades distintas: a sociedade colonial europeia e a sociedade africana.
  26. 26. Os direitos de reclamação dos cidadãos angolanos quando maltratados pelos brancos na época da escravatura.</li></ul><br />
  27. 27. O poema…<br />O poema “Regresso”, de Alda Lara, debruça-se, especialmente, sobre …<br /><ul><li> Uma realidade intrínseca ao sujeito poético, que é exposto ao trabalho nas roças, não podendo regressar a casa.
  28. 28. Uma realidade exterior ao sujeito, que apenas conta a história de uma jovem angolana que há muito se encontrava afastada da pátria.
  29. 29. Uma realidade que retrata o sentimento saudosista do sujeito poético, uma vez que o seu maior desejo é regressar à sua terra.</li></ul><br />
  30. 30. Fim<br />

×