O slideshow foi denunciado.

Trovadorismo

2.339 visualizações

Publicada em

Tudo um pouco sobre o Trovadorismo.

Publicada em: Educação
  • Seja o primeiro a comentar

Trovadorismo

  1. 1. GRUPO A INTEGRANTES: CHRISTIANO FILHO DAVI RIBEIRO FELIPE BRANCO GABRIEL ALVES GABRIELLA CAMELO GIOVANNA CAMELO
  2. 2. INTRODUÇÃO O trovadorismo se manifestou na idade média, tendo inicio no fim do império romano (destruído no século V com a invasão dos bárbaros vindos do norte da Europa), e se estendeu até o século XV. Quando se deu a época do renascimento o artigo tinha como objetivo abordar o contexto histórico-social, cultura e artístico, que foi um grande período da arte literária.
  3. 3. CONTEXTO HISTÓRICO Nessa época toda Europa sofria com as invasões dos povos germânicos, nessa conjuntura desenvolveu- se o feudalismo, que nada mas era que um sistema econômico , onde o direito de governar se concentrava somente a o senhor feudal, ele tinha poder sobre todos os seus servos e vassalos que trabalhavam em suas terras.
  4. 4. CONTEXTO CULTURAL Quanto ao contexto cultural, podemos afirmar que a igreja influenciou toda a idade média. A igreja detia o poder político e econômico, mantendo-se acima da nobreza feudal, nesse período o mundo era baseado no teocentrismo (Deus era o centro das coisas).
  5. 5. CONTEXTO ARTÍSTICO Na arquitetura toda produção estava voltada para a construção de igreja, catedrais e entre outras, tanto na alta idade média, em que predominou o estilo romântico. Quanto na baixa idade média, em que predominou o estilo gótico. Todas as produções literárias eram feitas em galego-português, denominadas cantigas.
  6. 6. CLASSIFICAÇÃO Cantigas Líricas Cantigas Satíricas DE AMOR DE AMIGO DE ESCÁRNIO DE MALDIZER
  7. 7. CANTIGAS DE AMOR Nas cantigas de amor o homem se refere à sua amada como sendo uma figura idealizada, distante. O poeta fica na posição de fiel vassalo, fica as ordens de sua senhora, dama da corte, onde esse amor é considerado como um objeto de sonho, ou se que está longe.
  8. 8. EXEMPLO: Essa cantiga de Afonso Fernandes mostra algumas características de incorrespondência amorosa. “Senhora minha, desde que vos vi, lutei para ocultar esta paixão que me tomou inteiro o coração; mas não o posso mais e decidi que saibam todos o meu grande amor, a tristeza que tenho, a imensa dor que sofro desde o dia em que vos vi.” Nessa 1ª estrofe o trovador expressa o que sente mais de uma maneira súplica, a mulher que ele conheceu está sendo idealizada em que ele se declara a ela, ele expõe os argumentos que justificam sua desgraça.
  9. 9. CANTIGAS DE AMIGO Surgiu na península ibérica, eram inspiradas em cantigas populares, fato que as deixou mais ricas e variadas em relação a temática. Diferentemente da cantiga de amor, no qual o sentimento expresso é masculino, a cantiga de amigo expressa em uma voz feminina, embora seja de autoria masculina, em virtude de que naquela época ás mulheres não tinham o direito da alfabetização.
  10. 10. EXEMPLO De Dom Diniz "Ai flores, ai flores do verde pino, se sabedes novas do meu amigo! ai Deus, e u é? Ai flores, ai flores do verde ramo, se sabedes novas do meu amado! ai Deus, e u é? Se sabedes novas do meu amigo, aquel que mentiu do que pôs comigo! ai Deus, e u é? Se sabedes novas do meu amado, aquel que mentiu do que mi há jurado !ai Deus, e u é?"(...) Observações  Eu lírico: feminino  Presença de paralelismos.  Predomínio da musicalidade.  Assunto Principal: saudade  Amor natural, espontâneo e possível.  Ambientação popular rural ou urbana.  Influência da tradição oral ibérica.  Deus é o elemento mais importante do poema.  Pouca subjetividade.
  11. 11. ANÁLISE DA CANTIGA TROVADORESCA DE DOM DINIS POR FERNANDOS SOARES A cantiga tem início com a apresentação do cenário ligado à natureza e o próprio eu-lírico feminino se dirige às flores do verde pinho ara saber notícias do amado. A expressão que repete ao longo da cantiga representada pelo último verso de cada estrofe revela a saudade dela pelo amado. Há um prazo estabelecido para um reencontro. Contudo, a insegurança da voz feminina faz com que ela se desabafe. O interlocutor (as flores do verde pinho) a tranquiliza, lembrando a ela que nada de mais aconteceu e que no momento estabelecido o reencontro acontecerá. Percebeu como as três situações são semelhantes? A arte, de alguma forma, espelha o social. E se aquele contexto veio a ser retratado pela literatura é porque era relevante para aquele povo.
  12. 12. CANTIGAS DE ESCÁRNIO Nessa cantiga, o eu – lírico, faz uma crítica (sátira) indireta e com duplos sentidos a alguém. Para os trovadores fazerem uma cantiga de escárnio, ele precisa compor uma cantiga falando mal de alguém, ou seja, fazendo uma critica a alguma pessoa, através de palavras de duplo sentido, ou seja, através de ambiguidades, trocadilhos e jogos semânticos, através de um processo denominado pelos trovadores equívoco. Essa cantiga é capaz de estimular a imaginação do autor, sugerindo-lhe uma nova expressão irônica.
  13. 13. EXEMPLO Ai, dona fea, foste-vos queixar que vos nunca louv[o] em meu cantar; mais ora quero fazer um cantar em que vos loarei toda via; e vedes como vos quero loar: dona fea, velha e sandia! (...) OBSERVAÇÕES  Crítica indireta; normalmente a pessoa satirizada não é identificada.  Linguagem trabalhada, cheia de sutilezas, trocadilho e ambiguidades.  Ironia.
  14. 14. CANTIGAS DE MALDIZER Nas cantigas de maldizer, como bem nos retrata o nome, a crítica era feita de maneira direta, e mencionava o nome da pessoa satirizada. Assim, envolvidas por uma linguagem chula, destacavam-se palavrões, geralmente envoltos por um tom de obscenidade, fazendo referência a situações relacionadas a adultério, prostituição, imoralidade dos padres, entre outros aspectos.
  15. 15. EXEMPLO Roi queimado morreu con amor Em seus cantares por Sancta Maria por ua dona que gran bem queria e por se meter por mais trovador porque lhela non quis [o] benfazer fez-sel en seus cantares morrer mas ressurgiu depois ao tercer dia!… OBSERVAÇÕES:  Crítica direta; geralmente a pessoa satirizada é identificada  Linguagem agressiva, direta, por vezes obscena  Zombaria  Linguagem Culta
  16. 16. PRINCIPAIS AUTORES Paio Soares de Taveirós Paio Soares Taveirós (ou Taveirós) era um trovador da primeira metade do século XIII. De origem nobre, é o autor da Cantiga de Amor A Ribeirinha, considerada a primeira obra em língua galaico-portuguesa. D. Dinis Dom Dinis, o Trovador, foi um rei importante para Portugal, sua lírica foi de 139 cantigas, a maioria de amor, apresentando alto domínio técnico e lirismo, tendo renovado a cultura numa época em que ela estava em decadência em terras ibéricas. D. Afonso X D. Afonso X, o Sábio, foi rei de Leão e Castela. É considerado o grande renovador da cultura peninsular na segunda metade do século XIII. Acolheu na sua corte e trovadores, tendo ele próprio escrito um grande número de composições em galaico-português que ficaram conhecidas como Cantigas de Santa Maria. Promoveu, além da poesia, a historiografia, a astronomia e o direito, tendo elaborado general Historia, a Crônica de España, Libro de los Juegos, Las Siete Partidas, Fuero Real, Libros del Saber de Astronomia, e entre outros.
  17. 17. BIBLIOGRAFIA http://www.brasilescola.com.br http://pt.wikipedia.org/wiki/Trovadorismo http://www.colegioweb.com.br/trabalhos- escolares/literatura/trovadorismo/as-cantigas- satiricas-de-escarnio-e-de-maldizer.html

×