VEGETAIS SUPERIORES
Apresentam as
seguintes
inovações
evolutivas:
formação de
grãos de pólen,
de óvulos
formados sobre
macrosporófilos
ou estr...
As flores (em
conjuntos, por
isto chamados
estróbilos) são
formadas apenas
de
microsporófilos
(folhas
modificadas que
orig...
Gimnospermas
Fanerógamas de
óvulos nus,
desprovidas de um
perianto (cálice e
corola) e de ovário
por não haver
enrolamento...
ou estames
reunidos em
inflorescências ou
estróbilos
(:amentos) e de
macrosporófilos
(folhas
modificadas que
originarão
es...
ou carpelos
(:cones), também
em geral
agrupados entre
si, mas nunca
microsporófilos e
macrosporófilos
no mesmo
estróbilo
Os esporângios
femininos
localizam-se nos
CONES,
freqüentemente
recobertos por
escamas
endurecidas
(carpelos).
As escamas
encaixam-se
perfeitamente
umas nas
outras e só se
abrem depois
da fecundação,
para liberar a
semente.
Não esquecer que os cones são estróbilos com
as flores femininas.
Os estróbilos
masculinos são
estruturas muito
mais frágeis,
que se abrem
para liberar os
grãos de pólen.
Ocorrida a
fecundação
originam-se
pinhas que são
conjuntos de
sementes
popularmente
denominadas
pinhões.
Ao final de um ano,
aproximadamente,
a pinha abre-se e
deixa cair os
pinhões que se
dispersam ao vento
até caírem num
luga...
No pinheiro do
Paraná
(Araucaria
angustifolia) os
esporófilos
masculinos e
femininos
encontram-se em
indivíduos
separados ...
As coníferas
reúnem grande
número de
espécies
arbóreas, entre
as quais
algumas - as
sequóias - são
as maiores e
mais longe...
As folhas das
gimnospermas
são em geral
perenes e podem
ter aspecto
acicular
(pinheiros,
abetos etc.),
escamiforme
(cipres...
PINHEIR
OS
PINHEIROS
ABETOS
ABETOS
CIPRESTE
GINKGO
Cicas
Certas árvores,
como os
ginkgos e os
lariços, são de
folhas caducas.
As flores não
são vistosas e
na verdade se
reduzem ao...
Estas têm a
forma de cone
em muitas
espécies, como
nos pinheiros,
abetos e
cedros, o que
originou a
denominação
de conífer...
O gênero
Zamia,
estendido
por diversas
regiões da
África e no
México
principalmen
te, apresenta
caule muito
curto, de que
...
Na região
mediterrânea
, abunda a
espécie E.
distachya,
com hastes
ramificadas,
finas e com
muitos nós,
que lhe dão
aparên...
Em regiões áridas da África há uma espécie curiosa, a tumboa
(W. mirabilis), composta de uma grossa porção subterrânea,
qu...
As ginkgófitas,
que datam do
período
permiano, foram
abundantes no
passado, mas
subsistem por
meio de apenas
uma espécie,
...
São vegetais cujos
óvulos estão
encerrados no
interior do ovário e
que,
conseqüentement
e tem suas
sementes
encerradas no
...
O fruto contribui para a dispersão da semente, o
que explica o sucesso do grupo das
angiospermas.
•São plantas
de portes
variados,
encontradas
em
praticamente
todos os
ambientes.
Os principais
representantes
são terrestres
embora
existam
espécies
dulcícolas e
marinhas
(emersas ou
submersas).
São
Cormófitos,
ou seja,
possuem
órgãos
vegetativos
(Raiz, caule e
folhas) bem
definidos.
São
Vasculares ou
Traqueófitas
possuindo
canais ou
vasos
condutores de
água e
nutrientes
orgânicos ou
inorgânicos
(seivas).
São
Fanerógamos
por possuírem
flores e
espermáfitos
por produzirem
sementes. São
Embriófitos,
ou seja,
formam
embriões.
0 ovário,
após a
fecundação,
desenvolve-
se num
envoltório
de proteção
e dispersão:
o fruto.
São plantas extremamente importantes,
principais produtores dos ecossistemas
terrestres, servindo para alimentação (cenour...
O processo
reprodutivo
das
angiospermas
é algo mais
elaborado do
que o das
coníferas. A
planta adulta
representa a
geração...
A flor contém
pistilo e
estames, que
produzem os
esporos que,
germinando,
originarão aos
gametófitos
masculinos e
feminino...
O esporo que
originará ao
gametófito
masculino é
produzido na
antera, que
fica na
extremidade
superior do
estame.
Este esporo
desenvolve-se
formando o grão
de pólen. O
pistilo é
composto de três
partes: o estigma
(extremidade
superior),...
No interior
do ovário
localizam-
se os
óvulos que
abrigam a
oosfera.
A flor, portanto, é um conjunto de esporófilos, isto é, de
folhas diferenciadas que elaboram esporos.
É formada de:• Pedúnculo ou haste
Perianto é formado pelos verticilos de proteção :
O Cálice – formado de sépalas.
A Corola – formada de pétalas.
Androceu – formado por estames ou microsporófilos.
Gineceu ou pistilo – formado por carpelos ou
macrosporófilos
As sépalas
em geral são
verdes,
apresentando
a mesma
estrutura das
folhas.
As pétalas
apresentam
cores variadas,
de acordo com
a natureza de
seus pigmentos
e comumente
elaboram
matérias
açucaradas ...
Lembrando que
quando as
pétalas não se
diferenciam das
sépalas as
chamamos de
tépalas e
utilizamos para
o conjunto de
cáli...
Monocotiledôneas e Dicotiledôneas
As angiospermas podem ser divididas
nestes dois grupos dependendo de quantos
cotilédones...
Monocotiledônea
Dicotiledônea
Vegetais superiores
Vegetais superiores
Vegetais superiores
Vegetais superiores
Vegetais superiores
Vegetais superiores
Vegetais superiores
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Vegetais superiores

839 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
839
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
9
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
9
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Vegetais superiores

  1. 1. VEGETAIS SUPERIORES
  2. 2. Apresentam as seguintes inovações evolutivas: formação de grãos de pólen, de óvulos formados sobre macrosporófilos ou estruturas análogas e produção de sementes.
  3. 3. As flores (em conjuntos, por isto chamados estróbilos) são formadas apenas de microsporófilos (folhas modificadas que originarão esporos que ao germinarem originarão estruturas masculinas)
  4. 4. Gimnospermas Fanerógamas de óvulos nus, desprovidas de um perianto (cálice e corola) e de ovário por não haver enrolamento dos macrosporófilos durante o seu desenvolvimento.
  5. 5. ou estames reunidos em inflorescências ou estróbilos (:amentos) e de macrosporófilos (folhas modificadas que originarão esporos que ao germinarem originarão estruturas femininas)
  6. 6. ou carpelos (:cones), também em geral agrupados entre si, mas nunca microsporófilos e macrosporófilos no mesmo estróbilo
  7. 7. Os esporângios femininos localizam-se nos CONES, freqüentemente recobertos por escamas endurecidas (carpelos).
  8. 8. As escamas encaixam-se perfeitamente umas nas outras e só se abrem depois da fecundação, para liberar a semente.
  9. 9. Não esquecer que os cones são estróbilos com as flores femininas.
  10. 10. Os estróbilos masculinos são estruturas muito mais frágeis, que se abrem para liberar os grãos de pólen.
  11. 11. Ocorrida a fecundação originam-se pinhas que são conjuntos de sementes popularmente denominadas pinhões.
  12. 12. Ao final de um ano, aproximadamente, a pinha abre-se e deixa cair os pinhões que se dispersam ao vento até caírem num lugar propício para sua germinação.
  13. 13. No pinheiro do Paraná (Araucaria angustifolia) os esporófilos masculinos e femininos encontram-se em indivíduos separados e os estróbilos são diferentes entre si.
  14. 14. As coníferas reúnem grande número de espécies arbóreas, entre as quais algumas - as sequóias - são as maiores e mais longevas árvores do planeta. Outras são arbustos e, umas poucas, lianas e cipós.
  15. 15. As folhas das gimnospermas são em geral perenes e podem ter aspecto acicular (pinheiros, abetos etc.), escamiforme (ciprestes) ou lobulado (ginkgo), ou ainda se assemelharem às das palmeiras (cicadáceas).
  16. 16. PINHEIR OS PINHEIROS
  17. 17. ABETOS ABETOS
  18. 18. CIPRESTE
  19. 19. GINKGO
  20. 20. Cicas
  21. 21. Certas árvores, como os ginkgos e os lariços, são de folhas caducas. As flores não são vistosas e na verdade se reduzem aos elementos reprodutores, agrupados em massas ou inflorescências.
  22. 22. Estas têm a forma de cone em muitas espécies, como nos pinheiros, abetos e cedros, o que originou a denominação de coníferas.
  23. 23. O gênero Zamia, estendido por diversas regiões da África e no México principalmen te, apresenta caule muito curto, de que saem pequenas hastes e folhas. Zamia
  24. 24. Na região mediterrânea , abunda a espécie E. distachya, com hastes ramificadas, finas e com muitos nós, que lhe dão aparência articulada.
  25. 25. Em regiões áridas da África há uma espécie curiosa, a tumboa (W. mirabilis), composta de uma grossa porção subterrânea, que emerge até meio metro acima do solo, e de duas folhas opostas que medem até dois metros de comprimento, rentes ao chão.
  26. 26. As ginkgófitas, que datam do período permiano, foram abundantes no passado, mas subsistem por meio de apenas uma espécie, Ginkgo biloba, originária da China.
  27. 27. São vegetais cujos óvulos estão encerrados no interior do ovário e que, conseqüentement e tem suas sementes encerradas no interior dos frutos (angios=vasos e sperma=semente). Angiospermas
  28. 28. O fruto contribui para a dispersão da semente, o que explica o sucesso do grupo das angiospermas.
  29. 29. •São plantas de portes variados, encontradas em praticamente todos os ambientes.
  30. 30. Os principais representantes são terrestres embora existam espécies dulcícolas e marinhas (emersas ou submersas).
  31. 31. São Cormófitos, ou seja, possuem órgãos vegetativos (Raiz, caule e folhas) bem definidos.
  32. 32. São Vasculares ou Traqueófitas possuindo canais ou vasos condutores de água e nutrientes orgânicos ou inorgânicos (seivas).
  33. 33. São Fanerógamos por possuírem flores e espermáfitos por produzirem sementes. São Embriófitos, ou seja, formam embriões.
  34. 34. 0 ovário, após a fecundação, desenvolve- se num envoltório de proteção e dispersão: o fruto.
  35. 35. São plantas extremamente importantes, principais produtores dos ecossistemas terrestres, servindo para alimentação (cenoura, alface, mamão, feijão), aplicações industriais (jacarandá, algodão), ornamentação (orquídea) e fabricação de produtos farmacêuticos (camomila).
  36. 36. O processo reprodutivo das angiospermas é algo mais elaborado do que o das coníferas. A planta adulta representa a geração esporofítica.
  37. 37. A flor contém pistilo e estames, que produzem os esporos que, germinando, originarão aos gametófitos masculinos e femininos.
  38. 38. O esporo que originará ao gametófito masculino é produzido na antera, que fica na extremidade superior do estame.
  39. 39. Este esporo desenvolve-se formando o grão de pólen. O pistilo é composto de três partes: o estigma (extremidade superior), estilo ou estilete e o ovário.
  40. 40. No interior do ovário localizam- se os óvulos que abrigam a oosfera.
  41. 41. A flor, portanto, é um conjunto de esporófilos, isto é, de folhas diferenciadas que elaboram esporos.
  42. 42. É formada de:• Pedúnculo ou haste
  43. 43. Perianto é formado pelos verticilos de proteção : O Cálice – formado de sépalas. A Corola – formada de pétalas.
  44. 44. Androceu – formado por estames ou microsporófilos.
  45. 45. Gineceu ou pistilo – formado por carpelos ou macrosporófilos
  46. 46. As sépalas em geral são verdes, apresentando a mesma estrutura das folhas.
  47. 47. As pétalas apresentam cores variadas, de acordo com a natureza de seus pigmentos e comumente elaboram matérias açucaradas (o néctar), que atraem insetos e pássaros, indispensáveis a polinização.
  48. 48. Lembrando que quando as pétalas não se diferenciam das sépalas as chamamos de tépalas e utilizamos para o conjunto de cálice e corola o nome de perigônio.
  49. 49. Monocotiledôneas e Dicotiledôneas As angiospermas podem ser divididas nestes dois grupos dependendo de quantos cotilédones suas sementes apresentam. Para um cotilédone, monocotiledônea.
  50. 50. Monocotiledônea
  51. 51. Dicotiledônea

×