O Potencial dos Cultivos de Oliveiras no Brasil

323 visualizações

Publicada em

Este trabalho é uma revisão que preparei com o objetivo de elucidar o atual mercado de azeites e azeitonas no Brasil, demonstrando o potencial agrícola que possuímos para ser explorado e gerar riquezas.

Publicada em: Negócios
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
323
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

O Potencial dos Cultivos de Oliveiras no Brasil

  1. 1. VICTOR RAFAEL BARRA
  2. 2. Introdução: Plantae Magnoliophyta Magnoliopsida Lamiales Oleaceae Olea L. Olea europaea L. Olea europaea L. spp. europaea Olea europaea L. spp. sylvestris
  3. 3. Origem Genética • 10.000 a.C. na Líbia ou Síria (Paleolítico e Neolítico); • Região do Mediterraneo;
  4. 4. Origem Genética Ithaca, Grécia 1500 anos? Lasithi, Creta 3500 anos Stª Iria Azóia 2850 anos Monsarz 2450 anos
  5. 5. Produção Mundial
  6. 6. Mercado Internacional Algeria 3% Morocco 5% Syria 5% Tunisia 15% Turkey 8% EU 64% 2,2 mil (91,5%) toneladas com 6 países 0,0 500,0 1000,0 1500,0 2000,0 2500,0 3000,0 3500,0 Produçao em 1 mil toneladas Prod. 10 anos - 4 Principais Regiões Syria Tunisia Turkey EU Produção Mundial 2014/15 de : • 2.988,5 mil toneladas de Azeite • 2.470,5 mil toneladas de Azeitonas
  7. 7. Variedades Cultivadas
  8. 8. O Cultivo no Brasil - RS • Início: dec. 40/50 Uruguaiana; • 2005: • Projeto aprovado EMBRAPA • Zoneamento Agroclimático • Banco de Germoplasma • Área plantada de 700 ha.
  9. 9. O Cultivo no Brasil - MG • Início: dec. 40/50 Sul de MInas; • 2005: • Epamig avanca pesquisas • 400 hectares cultivados • 70 produtores • 2009 • Projeto piloto de extração de • azeite.
  10. 10. O Cultivo no Brasil – SP • Início: dec. 40/50 IAC com 16 variedades com apoio do Conde Matarazzo • 2005: • Municípios: São Bento do Sapucaí, Campos do Jordão, Silveiras, Lorena, Natividade da Serra, Espírito Santo do Pinhal, Águas da Prata • 2009 • A Secretaria Estadual solicitou um censo para Demandas de pesquisa em oliveiras.
  11. 11. Áreas com Pontecial Brasil Fonte: Rev. Bras. Frutic. vol.37 no.3 Jaboticabal July/Sept. 2015
  12. 12. Regiões Produtoras Minas Gerais 37% São Paulo 3% Rio Grande do Sul 60% 241 hectares colhidos de Azeitona - 2014 Minas Gerais 34% São Paulo 9% Rio Grande do Sul 57% 512 ton produzidas em 2014 1,92 6,00 2,03 R$2,71 R$3,50 R$1,62 MINAS GERAIS SÃO PAULO RIO GRANDE DO SUL Produtivida (ton) e Rentabilidade (R$) por hectare Produtividade Rentabilidade Fonte: SISDRA/IBGE 2016
  13. 13. Variedades Cultivadas - Brasil Produz azeite de excelente qualidade mas, de baixa estabilidade. Entrada precoce em produção, possuindo uma elevada produtividade. Vigor reduzido o que permite a sua utilização em plantações intensivas. O tamanho pequeno dos frutos dificulta a colheita por vibração É uma variedade utilizada para plantações modernas de alta densidade, com maduração tardia e com alta produtividade. O seu azeite é muito comparado ao da Arbequina no entanto menos afrutado. ArbequinaAirbosana É uma planta com bom vigor; o seu fruto de madurez média, que se mantém na árvore com uma pequena percentagem de queda da colheita, caracterìstica apropriada à recolha com a máquina vibradora. Em plantações novas entra rápidamente em produção. Fruto pequeno, possuindo uma maturação geralmente precoce, com produtividade elevada, resistente a seca e um bom rendimento de azeite. O seu azeite tende a ser de ótima qualidade devido ao seu alto teor de polifenóis, o que torna o óleo de oliveira extremamente estável. KoroneikiPicual
  14. 14. Negócio de R$ 800 milhões de reais. Aumento consumo azeites e azeitonas * Divulgação de benefícios da dieta mediterrânea na saúde; * Produtos com preço mais acessível no mercado brasileiro; * Aumento de poder aquisitivo de algumas classes sociais. ●Consumo azeites e azeitonas Brasil: 0,2 kg/habitante/ano ●Grécia; Itália e Espanha = 23 e 12 kg/habitante/ano,respectivamente Mercado Nacional T=129% T=166% Fonte: COI – International Olive Council - Novembro/2015
  15. 15. Viabilidade Econômica Fonte: Aspectos Técnicos da Cultura da Oliveira, EPAMIG 2008. $ Informação Particular De um Produtor em Maria da Fé/MG, o custo até o quarto ano está estimado em R$ 36 mil/hectare, sendo 50% do valor investido no primeiro ano.
  16. 16. 1- Fatores climáticos A- Temperatura: Frio para transformação de gemas vegetativas em florais Temperaturas de 5 -7o C com alternância de 4 a 18o C entre dia e noite • Abaixo de -12o C = danos graves as plantas. • Acima de 35-40oC = bloqueio de processo fotossintético, aborto de floração. • Stress hidrico; uso de hormônios: resultados não conclusivos para produção. B- Exigência hídrica: • em torno de 200 mm ano; • 600-700 mm evitar stress hídrico • Falta de água no florescimento = dificulta pegamento flores e formação de frutos Sicilia/Itália Precip. anual: 500 e 700 m Temp. mínima inverno: 10 Fatores Importantes de Produção
  17. 17. Fatores Importantes de Produção C – Ventos / excesso de chuva • Excesso chuva e vento = queda defloração • Excesso de umidade no florescimento = não fecundação de flores • Excesso chuva antes maturação frutos = frutos maiores • Maior teorde água do que de azeite = afeta qualidade doazeite. D -Condições subtropicais (calor e umidade) = Crescimento vegetativo • Produção ocorre em ramos novos: ramos laterais desvia nutrientes para vegetação em detrimento da produção de frutos; • Piora alternância de produção (ano ON e ano OFF); • Altura elevada que dificulta a colheita.
  18. 18. Fatores Importantes de Produção Reduzir problemas com crescimento vegetativo • Escolha de cultivares menos vigorosos; • Poda correta, se necessário várias vezes ao ano; • Controle de adubações, especialmente adubação nitrogenada. Monocone Vaso/taça Condução Errada
  19. 19. Fatores Importantes de Produção 2- Escolha de cultivares • Exigência de menores quantidades de horas de frio para florescimento; • Cultivares menos vigorosos (redução de podas; facilita colheita);Diversificação de cultivares: evitar problemas de polinização; redução de riscos e perdas totais com pragas e doenças; • Material vegetativo de viveiros idôneos: mudas sadias, inteiras (corte de ponteiro) • Entrada de material vegetativo do exterior, Quarentenário: impedir propagação de pragas e doenças ainda não existentes em nossas condições ● Desafio Pesquisa • Melhoramento genético: cultivares menos exigentes em horas de frio; • Plantas menores
  20. 20. Fatores Importantes de Produção 3 - Fertilidade do solo • Oliveira é planta rústica, pouco exigente em fertilidade do solo, cultivos comerciais exige solos aerados, com boa drenagem e aeração e fornecimento adequado de nutrientes; • Não tolera solos encharcados por períodos superiores a 04 semanas. Preparo e conservação do solo – cultura perene • Descompactação do solo; • Construção de terraços; • Calagem e gessagem em área total; Ca/P: elementos de baixa mobilidade no solo • Adubaçãoorgânica:40-50 t/ha; • Plantio em sulcos ao invés de covas (concentra sistema radicular; acúmulo de água); • Espaçamento adequado ao manejo da cultura.
  21. 21. Fatores Importantes de Produção 3- Fertilidade do solo Exportação média anual de macronutrientes pela oliveira (Alfei & Panelli, 2002) Cultura N P2O5 K2O CaO MgO kg ha-1 oliveira 30-50 15-30 50-100 35-70 10-20 Exportação de macronutrientes, para cada 100 kg de azeitonas produzidas 0,9 kg de N; 0,2 kg de P; 1,0 kg de K ( retirado do solo pelos - frutos) 2,7 kg de N; 0,6 kg de P; 3,0 kg de K (perdas: lixiviação/imobilização) Adubações nitrogenadas Não resposta da planta no plantio;Aumenta risco de crescimentovegetativo ●DesafioPesquisa • Estudo de exportação de nutrientes para diversos cultivares em diversas condiçõesedafo-climáticas; • Curvas de resposta de fertilizações.
  22. 22. Oportunidades • Aumento volume e qualidade de pesquisas sobre a cultura (Epamig/Embrapa); • Aumento consumo de azeites e azeitonas pelo mercado brasileiro; • Interesse crescente de investidores no cultivo de oliveiras e produção de azeite; • Norma do MAPA restrição qualidade azeites importados; • Buscas de Áreas Marginais de produção: em função do aumento de demanda, vem crescendo a necessidade de expansão das áreas de plantio pelo mundo. Contudo, não existe mais área disponível nos países tradicionalmente produtores de oliva. • Associação do Azeite a Saúde: Rico em monoinsaturados, ácidos graxo benéficos a saúde, o que previne doenças cardiovasculares, combate ao mal colesterol, doenças do trato digestivo. – Consumo regrado e regular. • Mercado brasileiro é o segundo maior importador de Azeite e Azeitonas do mundo, mercado forte demanda e praticamente sem produção interna.
  23. 23. Oportunidades • Diante do Consumo atual: Ø 67 mil toneladas de azeite; Ø 103 mil toneladas de azeitonas • Considerando: Ø espaçamento entre plantas 5 x 5 m = 400 plantas/há; Ø e produção média de 20 kg azeitonas/planta; Ø Taxa de extração média de 15%; Área necessária para produção apenas de Azeite = 45 mil hectares Área necessária para produção de Azeitonas = 10 mil hectares O BRASIL NECESSITA DE MAIS DE 55 MIL HECTARES DE CULTIVOS COM OLIVEIRA PARA SUPRIR A DEMANDA INTERNA, QUE É CRESCENTE. ATUALMENTE NAO POSSUIMOS NEM 2 MIL HECTARES CULTIVADOS.
  24. 24. Um antigo provérbio francês já dizia que para temperar muito bem uma salada são necessários: "um avarento para pôr o vinagre, um generoso para pôr o azeite, um sábio para pôr o sal e um maluco para mexê-la"

×