Textos a pares

606 visualizações

Publicada em

histórias

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
606
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
68
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Textos a pares

  1. 1. Chuva de estrelas Era uma vez uma cidade onde havia constelações e constelações deestrelas. Nessa cidade havia uma família ansiosa por ir à serra das estrelinhas. Essafamília tinha três crianças, dois rapazes e uma rapariga, eles chamavam-se David,Madalena e Guilherme e também dois adultos chamados Sara e Ricardo. A família tinha três características: engraçada, divertida e especial. Um diadecidiram então ir à serra das estrelinhas e como estavam muito longe chegaramsó á meia-noite. Quando lá chegaram houve um estrondo e as estrelas caíram docéu. O David, a Madalena e o Guilherme ficaram tristes e pensaram uma formapara as meter seguras no céu. Como o Ricardo era mágico perguntaram-lhe -Pai existe algum feitiço para voltar a por as estrelas no céu ?-Disse oDavid -Claro que sim só temos de o ver no livro de magia – Disse a pai. Rapidamente encontraram um feitiço e o pai disse as palavras mágicas: - Xilibim xalaba melhor mágico não há e poof !! As estrelas puseram-se de novo no céu. A família voltou a ficar feliz e essepreciso dia passou-se a chamar “Chuva de estrelas”. Autores: Madalena Bicho, David Carreira e Guilherme Santos
  2. 2. Uma viagem numa flor Longe muito, longe da Europa duas meninas descobriram uma casa abandonada perto de umaselva. Tiveram a ideia de viver lá e começaram a mudar as suas coisas. Uma chamava-se Luana e aoutra Clara. Elas eram muito divertidas. Era verão, Luana e Clara aproveitaram para ir brincar pela selva fora. Passavam horas e horas, mas as duas meninas não se cansavam de brincar, pois o quintal dacasa era muito grande. De repente a Luana encontrou uma flor muito estranha e exclamou com curiosidade: -Que flor tão estranha! Nem parece uma flor! -Não me chames estranha, porque eu não sou. – Disse a Clara um pouco chateada. -Não, não me estava a referir a ti! – Disse a Luana um pouco desconfiada da flor. Logo de seguida, a Clara foi para perto da sua irmã Luana. Quando já estava perto dela, tocounuma das pétalas da flor e…diminuíram de tamanho e entraram para dentro da flor. Olharam à sua voltae repararam que não estavam no mesmo sítio. Inesperadamente ouviu-se o rei da selva (leão ): - Bem-vindos à selva dos Hero-super heróis. – Disse o leão com uma voz grossa. -Uau, que giro! - Disse a Clara De repente… aproximou-se uma grande tempestade! -Ajuda ajuda! – Gritou um leãozinho bebé. A Luana e Clara correram para perto do leãozinho que estava muito aflito. -Calma vai tudo correr bem! -Disse a Luana! Nesse momento pediram ao rei da selva um escadote para ajudar o seu filho. Subiram oescadote e tiraram o leãozinho bebé do tronco e desceram de lá. Depois o leãozinho agradeceu. As irmãspegaram na flor, tocaram nas pétalas e de novo voltaram para a sua casa. -Adorei conhecer aquela flor! - Disseram em simultâneo. Autores: Beatriz Ferreira e Catarina Abrantes
  3. 3. O hotel para girafas Numa cidade muito distante chamada Veneza, havia um hotel abandonado,velho e feio. Três meninos tentaram arranjar o hotel para servir de hotel paragirafas que quisessem passar férias. Quando o hotel ficou pronto os meninos deram um nome, chamava-se“Hotel Gira Afonso”. Nesse hotel só podiam entrar girafas. Um dia um cão de três cabeças, muito furioso por não poder entrar nohotel, destruiu o hotel outra vez. Um dos meninos disse: -Ora esta! Outra vez este cão, que chatice! Os meninos como eram fortes ganharam coragem para reconstruir o hotelde novo. O cão não voltou a aparecer. As pessoas puseram as suas girafas no hotel para elas iram de férias. Osmeninos tiveram de cuidar delas. As pessoas ficaram muito surpreendidos com osmeninos porque eles davam comida, davam banho para elas ficarem lavadinhas echeirosas. Até tinham um WC (uma casa de banho ). As pessoas agradeceram aos meninos por cuidarem tão bem das suasgirafas. Autores: Juliana Nunes e bernardo Mendonça
  4. 4. O relógio que marcava as horas ao contrário Na casa do Rodrigo, havia um grande relógio. Mas, tinha um problema, ele marcava as horas ao contrário! O Rodrigo era alto, magro e tinha cabelos finos. Ele tinha um amigo especial, o Fernando. Ele era baixo, gordo e tinhacabelos grossos. O Rodrigo e o Fernando repararam que o relógio estava com as horas aocontrário. Como o Rodrigo era alto tirou o relógio da parede, o Fernando sabia repararrelógios, mas não encontrou solução. Como era o penúltimo dia de aulas, os dois amigos tinham de ver as horas,porque a escola ia ter uma festa para os finalistas e eles eram uns deles. Então decidiram ver se mecanismo estava avariado, e descobriram que osenhor da loja tinha colocado um mini chip de vírus. Quando retiraram o mini chip, o relógio começou a tremer e de repenteparecia ter-se estragado. Entretanto os pais do Rodrigo, a dona Maria e o dono Afonso chegaram eviram que os dois amigos precisavam de ajuda. E então eles colocaram o relógio na parede e tudo voltou ao normal. Autores: Bernardo Brito e Salvador Antunes
  5. 5. Objetos com vida Num dia de objetos, numa casa velha e assustadora, um objeto muito velhofez 60 anos e ninguém sabia. Esse objeto era uma mesa com asas e bengala. Então ele ficou muito chateado e começou a gritar porque ninguém se tinhalembrado da sua festa de anos. Quando o armário sem uma gaveta a ouviu a gritar foi ter com ele eperguntou: - O que é que se passa? Porque estás tão chateada? -Porque fiz anos e ninguém sabia, nem tu. – Respondeu a mesa aindamais chateada. - Pois de qualquer forma estás muito gasta e velha. – Respondeu o armáriosem uma gaveta. - Olha quem fala, tu também não ficas nada atrás. – Respondeu a mesacom asas e bengala. Continuavam a discutir até que a mesa com asas, que estava tão furiosa,começou a dar com a bengala na cara do armário. A vela ao ver aquilo disse deimediato: - Não é preciso ficares assim, porque se calhar os teus amigos podem estara preparar-te uma surpresa sem que tu sabias… vem comigo! No fim da conversa a mesa com asas recebeu uma surpresa. Uma festasurpresa e outra bengala. Ficaram todos muito contentes. No fim do dia, a mesa com asas recebeu uma surpresa. Uma festa surpresae outra bengala. A mesa velha ficou muito contente. Autores: Francisco Valente e Henrique Carreira
  6. 6. Sonhos de um pequeno pássaro No tempo em que os pequenos pássaros falavam, existia um passarinho,muito pequenino. Ele tinha os olhos como se fossem dois tomatinhos verdes, umbico da cor do céu e duas pequenas patas. Esse pequeno passarinho vivia na cidade Passaralta. O pássaro tinha um grande sonho… Estava na altura do pequeno pássaro conseguir voar, cheirar os aromasdas flores, ver longos prados e tocar nas nuvens. Já era noitinha, passou uma estrela cadente, ele pediu 5 desejos e disse: - Desejo conseguir voar, cheirar os aromas das flores, ver longos prados etocar nas nuvens mas o desejo que eu mais queria era… No dia seguinte ele tentou voar, estava a sair-se muito bem, mas derepente, quando estava a tentar treinar a aterragem caiu. Um humano reparounele, no chão a piar, levou-o logo para o veterinário. Dentro do consultório o veterinário exclamou: - O pássaro não pode voar até que a ferida cure. O humano ficou com ele em casa. Passado dois dias o pássaro recuperou, mas o humano e o passarinhogostavam tanto um do outro, que os dois queriam ficar juntos para toda a vida. Finalmente o passarinho concretizou o seu grande sonho, que era… TERUMA GRANDE AMIZADE ! Autores: Carolina Franco e Mariana Barradas
  7. 7. Um estojo especial Num dia quente, na cidade dos sacos de lixo, morava um meninochamado Jorge. Esse menino tinha um estojo, muito diferente dos outros, esseestojo falava! Uma noite, o menino Jorge não conseguia dormir, então foi buscar oseu estojo, voltou para a cama e adormeceu agarrado a ele. No dia seguinte, a mãe foi acordar o Jorge para ele ir para a escola, eespantada exclamou: -Jorge! Acorda, posso saber porque é que adormeceste agarrado ao teuestojo? - Então porque ele é um estojo especial, ele fala! -Não sejas brincalhão! Vai-te vestir e vai para a escola. Já na escola, o menino Jorge reparou que não trouxe o seu estojo . No fimdas aulas o Jorge voltou para casa com uma preocupação enorme. Quandochegou ao quarto, não viu o seu estojo e percebeu de imediato que tinha perdido oseu estojo falante: -Não! Onde será que se meteu?! O menino saiu de casa e foi à procura do estojo. Foi à cidade dossacos de lixo 1, à cidade dos sacos de lixo 2 e finalmente à cidade dos sacos delixo 3.O menino Jorge estava desesperado! Foi para casa e de foi-se deitar muitotriste. Quando se meteu debaixo dos lençóis… reparou que estava lá o seuestojo!!! Assim que a mãe do Jorge foi ao quarto para lhe dar um beijinho de boanoite, viu o menino a falar com o estojo e pensou para si: -Afinal o estojo fala, é mesmo um estojo especial! Autores: Frederico Delfim e Tomás Pereira
  8. 8. Onde serão as férias? Num dia repleto de chuva, um menino muito, mas mesmo muito engraçado perguntou asi mesmo: -Onde serão as férias? Eu queria ir a França ver a torre Eiffel. Passado algum tempo, o menino muito engraçado chamado Zeca foi comprar um bilhetepara França. O Zeca foi para casa fazer as suas dez malas porque ele adorava levar muitomaterial para explorar os países por onde viajava. Passaram dias até que …Chegou o grande dia, era a ida para França. O Zeca estavaum pouco atrasado porque era complicado levar as 10 malas atrás. Quando o Zeca chegou ao aeroporto de Lisboa, o avião estava quase a descolarmas…o Zeca gritou tanto que em todo o aeroporto que até se ouviu dentro do avião: - Parem!! Falto eu! Eu também quero ir para França! O piloto ao ouvir o Zeca, e não descolou. Então o Zeca ainda conseguiu entrar e passados quinze minutos e o piloto avisou ospassageiros que o avião iria partir. Depois de uma longa viagem, o Zeca chegou a França disse muito entusiasmado: -Vou já tirar as minhas dez malas, que estão cheias de bons objetos para a aventura queeu quero fazer neste país!! Mas primeiro vou tirar uma fotografia ao pé da torre Eiffel e comerumas especialidades. Passado algum tempo o Zeca já estava de volta da torre Eiffel. Durante o resto dos diaso Zeca aproveitou para visitar o país e descansar. Foi uma ideia brilhante. O Zeca estava a adorar a sua aventura, mas já tinham passado os seus dias de férias eestava na hora de regressar. No avião ouviu-se o Zeca ainda a cantar o hino de França. Quando o Zeca chegou a casa foi rever com calma a sua aventura e colar as fotografiasnum álbum para depois mostrar aos seus melhores amigos. Autores: Miguel Curião e Carlota Cesário
  9. 9. O jogo de futebol Era uma vez dois amigos, o Vasco e o Tiago. Eles eram muito simpáticos etambém gostavam de jogar futebol. Um dia, depois da escola foram para o treino de futebol. O Vasco e o Tiagoencontraram-se no treino. Quando o mister deles chegou, o Vasco e o Tiago foramcumprimentá-lo e começaram o treino a dar três voltas ao campo. Quando acabouo treino, o mister informou-os com quem iam jogar no próximo jogo e quem eramos convocados. Nesse dia o Vasco foi dormir a casa do Tiago. Passaram a noite a falarsobre o jogo que iria acontecer no dia seguinte. De manhã acordaram ansiosos eforam logo tomar o pequeno almoço, depois foram-se vestir para irem para grandejogo de futebol TIRES VS ESTORIL. Quando lá chegaram foram-se equipar parao balneário. Assim que a outra equipa chegou o jogo começou. O Vasco deu pontapé de saída e passou ao Tiago, ele atacou a balizaadversária e fintou-os a todos e depois passou ao Vasco e ele fora de árearematou e foi golo. No fim do jogo fizeram uma grande festa por terem ganho ao Estoril 1-0. Autores do texto: Tiago e Vasco

×