3. morfologia

746 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
746
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
21
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

3. morfologia

  1. 1. Os subdomínios :da (B.2.), das Classe de Palavras (B.3.) e da Sintaxe (B.4.). 1
  2. 2. Na Nomenclatura de 1967, a morfologia compreendia:1 - Flexão das palavras;2 - Categorias gramaticais;3 - Classes de Palavras.Este último domínio surge como independente daMorfologia, no DT.No DT, a morfologia é definida como:A disciplina da linguística que descreve e analisa aestrutura interna das palavras e os processosmorfológicos de variação e de formação de palavras. 2
  3. 3. 3
  4. 4. palavra formada por um únicoradical, sem afixos derivacionais, mas podendo conter afixosflexionais.•Ex.: alunos alun-[radical] + o[índice temático] + s[sufixo de flexão doplural] mar [apenas radical] palavra formada por derivação ou por composição. Ex.: destapar, guarda-redes 4
  5. 5. : constituinte morfológico que contém o significadolexical e exclui os afixos flexionais.Ex.: velh- é o radical da palavra velho. : ocorre obrigatoriamente associado a uma forma debase. Afixo Prefixo Sufixo Interfixo Prever Papelada Raticida (s. derivacional) Agricultor Desnível Cantamos (s. flexional) 5
  6. 6. Gramática da Língua Portuguesa, Areal 6
  7. 7. 7
  8. 8. 8
  9. 9. 9Gramática da Língua Portuguesa, Areal
  10. 10. 10
  11. 11. 11
  12. 12. Nova gramática didática de Português, Santillana 12
  13. 13. Subdomínios Tradição DT gramaticalMorfologia: Flexão: palavras variáveis Flexão: palavras variáveis-morfologia flexional e invariáveis e invariáveis -palavras variáveis -palavras variáveis podem flexionar em: podem flexionar em: -número; -número; -género; -género; -grau; -grau; -pessoa; -pessoa; -tempo; -tempo; -modo. -modo; -caso. Flexão em caso: -forma nominativa: eu, ele -forma acusativa: -me, -o -forma dativa: -me, -lhe -forma oblíqua: mim 13
  14. 14. Subdomínios Tradição gramatical DTConstituinte temático Vogal temática Vogal temática (verbos) Índice temático (nomes e adjetivos) 14
  15. 15. é o sufixo que permiteidentificar a classe morfológica a que determinado radicalpertence. O constituinte temático dos nomes e adjetivos denomina- se .* O constituinte temático dos verbos designa-se . *Nota: há palavras que não têm índice temático: geralmente as que terminam em vogal ou ditongo tónicos (pá, irmã, chapéu, mão) e as que terminam em –r, -s, -z e –l e que, na formação do plural, requerem uma vogal antes do sufixo flexional de número (par/pares; pardal/pardais; cortês/corteses; raiz/raízes). 15
  16. 16. Nova gramática didática de Português, Santillana 16
  17. 17. 17
  18. 18. Subdomínios Tradição gramatical DTTempos e modos Tempos: Tempos:verbais -presente; -presente; -pretérito (perfeito, -pretérito (perfeito, imperfeito e mais –que- imperfeito e mais –que- perfeito); perfeito); -futuro ; -futuro ; -(condicional); Modos: Modos: -formas verbais finitas: -indicativo; -indicativo; -conjuntivo; -conjuntivo; -imperativo; -imperativo; -infinitivo; -condicional. -(condicional). -formas verbais não finitas: -infinitivo (pessoal e impessoal); -gerúndio; -particípio. 18
  19. 19. 19Nova gramática didática de português, Santillana
  20. 20. 20
  21. 21. Sufixo de flexão verbal que acumula valoresde tempo, modo, pessoa e número ou uma combinaçãodestas categorias.Ex.: O sufixo -ste em "cantaste"é, simultaneamente, marcador de pretérito perfeito doindicativo e de segunda pessoa do singular. : Forma flexionada a partir de outrosradicais.Alguns verbos defetivos recorrem a estas formas parapreencher as lacunas existentes no seu paradigma.Ex.: O verbo “ser” recorre a diferentes radicais para a suaflexão, como nas formas “sou”, “és” ou “fui”. 21
  22. 22. 22
  23. 23. 23
  24. 24. Termo que designa os verbos cuja conjugação éincompleta, uma vez que não flexionam em todas asformas possíveis num paradigma flexional regular.São exemplos de verbos defetivos: reaver (que só seusa nas formas em que o verbo haver tem –v-:reavemos, reaveis, reavia, reouve, etc.), colorir, abolir,falir, extorquir, retorquir, etc. 24
  25. 25. E quando o leitor pensava que já tinha ouvido tudo acerca dacrise, de repente fica a saber que, gramaticalmente, é muito difícilque Portugal vá à falência. E, enquanto for gramaticalmenteimpossível, eu acredito. Justifico esta ideia com a seguinte teoriafascinante: normalmente, considera-se que o verbo falir édefectivo. Significa isto que lhe faltam algumas pessoas,designadamente a primeira, a segunda e a terceira do singular, e aterceira do plural do presente do indicativo, e todas as do presentedo conjuntivo. Não se diz "eu falo", "tu fales", nem "ele fale". Nãose diz "eles falem". Todos os modos e tempos verbais do verbofalir se admitem, com excepção de quatro pessoas do presente doindicativo e todo o presente do conjuntivo. Em que medida é queisto são boas notícias? O facto de o verbo falir ser defectivo fazcom que, no presente, nenhum português possa falir. Não épossível falir, presentemente, em Portugal. "Eu falo" é umadeclaração ilegítima. Podemos aventar a hipótese de vir a falir,porque "eu falirei" é uma forma aceitável do verbo falir. E quem játiver falido não tem salvação, porque também é perfeitamentelegítimo afirmar: "eu fali". Mas ninguém pode dizer que, nestemomento, "fale“.(…) 25Excerto da crónica «Esperança gramatical», de Ricardo Araújo Pereira. Revista Visão, 6 de junho de2012.
  26. 26. Verbos que exigem um sujeito específico e que portantosão utilizados apenas na 3.ª pessoa do singular e doplural, salvo quando usados em sentido figurado.Regra geral, estes verbos exprimem vozes de animais.•o cão ladra.•o cavalo relincha•as rãs coaxam. 26
  27. 27. Verbos que apresentam um sujeito nulo, pelo que apenas seconjugam na 3. ª pessoa do singular, salvo quando usados emsentido figurado.Regra geral, este verbos exprimem fenómenos atmosféricos:amanhecer (ex: amanheceu às 6h), chover (ex: choveu muito estanoite), nevar (ex: neva no inverno), trovejar (ex: trovejouontem?), relampejar, etc.Também são verbos impessoais:O verbo haver quando significa existir (ex: havia muitos problemasno país).O verbo fazer quando indica tempo decorrido (ex: faz cinco anosque ele emigrou).O verbo tratar, conjugado pronominalmente (ex: trata-se de umprojeto interessante. 27
  28. 28. 28
  29. 29. Nova gramática didática de português, Santillana 29
  30. 30. 30
  31. 31. palavra formada por um únicoradical, sem afixos derivacionais, mas podendo conter afixosflexionais.Ex.: alunosalun-[radical] + o[índice temático] + s[sufixo de flexão doplural] palavra formada por derivação ou por composição. Ex.: destapar, guarda-redes1.Felizmente é uma palavra complexa formada pela palavra feliz e pelosufixo -mente (um sufixo derivacional): é uma palavra derivada porsufixação.2. Ensonado é uma palavra complexa formada a partir da palavra sono ecom a utilização simultânea do prefixo en- e do sufixo -ado: é umapalavra derivada por parassíntese.3. Guarda-chuva é uma palavra complexa formada a partir de duas palavras(guarda+ chuva): é uma palavra composta. 31
  32. 32. ou : é o constituinte morfológicoque inclui obrigatoriamente um radical, a partir do qual seformam novas palavras.Ex.: “doc-” é a base para “adoçar”; “adoça- ” é a base para “adoçante” 32
  33. 33. Atenção: não há correspondência ! Subdomínios Tradição gramatical DTMorfologia Derivação (radical + um ou Derivação-processos mais afixos): Afixação:morfológicos de -prefixação; -prefixação;formação de palavras -sufixação; -sufixação; -parassíntese; -parassíntese. Sem afixos: -derivação imprópria; -conversão; -derivação regressiva. -derivação não-afixal. Composição (mais de um Composição radical ou palavra): -justaposição; -morfológica; -aglutinação. -morfossintática. 33
  34. 34. Processos morfológicos de formação de palavras Derivaçã Composição o Processos que envolvem adição de Processos que não envolvem constituintes morfológicos adição de constituintes morfológicos morfossintátic morfológica a DerivaçãoPrefixação Sufixação Parassíntese Conversão Não-afixal 34
  35. 35. Derivação Processos que não Processos que envolvem envolvem adição de adição de afixos afixos DerivaçãoPrefixação Sufixação Parassíntese Conversão Não-afixal Rever Mentiroso amanhecer Comer > o comer Cortar > corte 35
  36. 36. Tradição gramatical DTDERIVAÇÃO -Processo de formação DERIVAÇÃO - Processo morfológicode novas palavras a partir de uma de formação de palavras quepalavra primitiva. consiste, tipicamente, na associação de um afixo derivacional a uma forma de base.• prefixação (associação de um prefixo a • prefixação (sem alteração)uma forma de base) refazer,impossível; invisível, descrente;• sufixação (associação de um sufixo a • sufixação (sem alteração)uma forma de base) simplesmente,possibilidade; ventoso;• prefixação e sufixação (associação de • prefixação e sufixação (sem alteração)um prefixo e de um sufixo)  imparcialmente;impossibilidade;• parassíntese (associação simultânea de • parassíntese (sem alteração)um prefixo e de um sufixo a uma forma de  renovar, 36base)  aprofundar,amanhecer; enlouquecer;
  37. 37. Tradição gramatical DTDerivação imprópria - Integração Conversão - Processo de formação deda palavra numa nova classe ou palavras, também chamado derivaçãosubclasse de palavras, sem que imprópria, que procede à integração dese verifique qualquer alteração na uma dada unidade lexical numa novaforma. classe de palavras, sem que se verifique qualquer alteração formal.  olhar –Verbo /(o) olhar - Nome Saber – Verbo /(o) saber - NomeDerivação regressiva - Criação Derivação não-afixal – Processo dede nomes a partir de verbos. formação de palavras que gera nomes deverbais, acrescentando marcas de flexão nominal a um radical verbal. troc- ->troca; troco (do verbo trocar) 37 abraç- -> abraço (do verbo abraçar).
  38. 38. Composição morfossintática morfológica (radical + radical(palavra + palavra) ou lava-louça; radical + palavra) casa de banho; geologia; maldizer agricultura; sociocultural 38
  39. 39. - Formação de uma palavra a partir deduas ou mais palavras, que mantêm a acentuação.obra-prima,vice-diretor. - Formação de uma palavra a partir daunião de palavras primitivas ou de radicais, em que apenasum elemento mantém a acentuação.girassol,multinacional. 39
  40. 40. -Processo de composição que associa umradical a outro(s) radical(is) ou a uma ou mais palavras. Deum modo geral, entre os radicais ou o radical e a palavraassociada ocorre uma vogal de ligação.[agr]+i+[cultura] = [agricultura],[luso]+[descendente]= [luso-descendente],[psic]+o+[pata] - Processo de composição que associaduas ou mais palavras. A estrutura destes compostos dependeda relação sintática e semântica entre os seus membros, oque tem consequências para a forma como são flexionadosem número.[surdo-mudo],[guarda-chuva] 40[via láctea]
  41. 41. Para que é que se ensinam os processos deformação de palavras?Para que os alunos compreendam que existem padrões,regras que permitem:▪construir palavras novas;▪inferir o significado de palavras desconhecidas;▪analisar a sua estrutura interna e compreender melhor osconceitos a elas associados.Regras a seguir:▪trabalhar com estruturas transparentes;▪consultar o dicionário para verificar a etimologia daspalavras 41
  42. 42. 42
  43. 43. Consultado em: http://moodle.dgidc.min- edu.pt/course/view.php?id=2 43
  44. 44. 44
  45. 45. 45
  46. 46. 46
  47. 47. 47
  48. 48. 48
  49. 49. 49
  50. 50. 50
  51. 51. 51
  52. 52. 52
  53. 53. 53
  54. 54. 54
  55. 55. 55
  56. 56. Nova gramática didática de português, Santillana 56
  57. 57. DICIONÁRIO EXEMPLOS TRADIÇÃO GRAMATICAL TERMINOLÓGICOFacilitar Derivação por sufixaçãoAmanhecer Derivação por parassínteseInfelizmente Derivação por prefixação e sufixação(o) comer Derivação imprópriaGuarda-roupa Composição por justaposiçãoBiblioteca Composição erudita (aglutinação)Arranha-céus Composição por justaposiçãoOrtografia Composição erudita (aglutinação)(a) pesca Derivação regressivaÁgua-de- Composição por justaposiçãocolóniaDemocracia Composição erudita (aglutinação) 57
  58. 58. DICIONÁRIO EXEMPLOS TRADIÇÃO GRAMATICAL TERMINOLÓGICOFacilitar Derivação por sufixação Derivação por sufixaçãoAmanhecer Derivação por parassíntese Derivação por parassíntese Derivação por prefixação eInfelizmente Derivação por prefixação e sufixação sufixação(o) comer Derivação imprópria ConversãoGuarda-roupa Composição por justaposição Composição morfossintáticaBiblioteca Composição erudita (aglutinação) Composição morfológica Composição morfossintáticaArranha-céus Composição por justaposição Composição morfossintáticaOrtografia Composição erudita (aglutinação)(a) pesca Derivação regressiva Derivação não-afixalÁgua-de- Composição morfossintática Composição por justaposiçãocolónia* Composição morfológicaDemocracia Composição erudita (aglutinação) 58

×