SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 22
Estrutura e formação de
palavras
se
nasce
morre nasce
morre nasce morre
renasce remorre renasce
remorre renasce
Remorre
re re
desnasce
desmorre desnasce
desmorre desnasce desmorre
nascemorrenasce
morrenasce
morre
se Haroldo de Campos
Seu Metaléxico
economiopia
desenvolvimentir
utopiada
consumidoidos
patriotários
suicidadãos
Principais Morfemas
• Prefixo
• Sufixo
• Radical
Morfemas que constituem a
palavra
Língua frases significado
significante palavras
fonemas
Fonemas = menores unidades sonoras de uma palavra.
Ex: fixo - /f/ /i/ /k/ /s/ /o/
Unidades de ordem morfológica
Ex: pedr a em pedr ado
pedr eira (...)
pedr egulho
Classificação dos morfemas
1- Radical – base significativa da palavra.
Palavras que contêm um núcleo significativo comum – pertencem à
mesma família – são chamadas COGNATAS.
Ex: lua
luar
lunático
enluarada
• As palavras “leitura” e “lição” são cognatas, embora não
possuam a mesma sequência de fonemas; o termo “lição”
significa “ato de ler”.
2- Prefixo – em nossa língua são de origem grega ou latina. Os
prefixos são postos ANTES do radical e possuem uma
significação.
Ex: apatia – a + patia = “pathos” (grego) = paixão
“a” ( prefixo grego) = negação, privação
apatia = ausência de emoção.
Classificação dos morfemas
3- Sufixos – elemento colocado APÓS o radical. Os sufixos podem
ser nominais, verbais ou adverbiais.
Sufixo nominal (forma substantivos, adjetivos) – Ex: realismo –
beleza.
Sufixos verbais ( forma verbos) – Ex: afrancesar – repartir ...
Sufixos adverbiais ( forma advérbios) – Ex: lealmente
Os sufixos podem indicar:
• Grau aumentativo – corpanzil , dentuça, cabeçorra ...
• Grau diminutivo – riacho, chuvisco , ilhota ...
• Superlativo – paupérrimo, dificílimo ...
• Noção de quantidade – chumaço, mulherio, cardume...
• Resultado de ação, estado ou qualidade – maldade, civismo ...
• Origem, procedência – catanduvense , sergipano, europeu ...
• Profissão, ofício – dentista, carcereiro, professor ...
• Onde se pratica a ação – bebedouro, refeitório...
• Nomenclatura científica – sulfato , anilina, celulose ...
Neologismo
Neologismo
Beijo pouco, falo menos ainda.
Mas invento palavras
Que traduzem a ternura mais funda
E mais cotidiana.
Inventei, por exemplo, o verbo teadorar.
Intransitivo:
Teadoro, Teodora.
Manuel Bandeira
* O verbo “teadorar” é um neologismo.
Só se inventam verbos terminados em
sufixo “ar”.
Classificação dos morfemas -
continuação
4- Desinências : verbais
nominais
- Desinências verbais indicam o : tempo, o modo, o
número e a pessoa em que se encontram os verbos.
Ex: cantássemos
cant – radical
a – vogal temática ( verbo de 1ª conjugação)
cant + a = canta - tema
sse – desinência modo- temporal ( pret. imp. do subj.)
mos – desinência número-pessoal ( 1ªp. do plural)
Classificação dos morfemas
5- Desinência nominal – indica o gênero e o número dos
nomes (subst./ adj.).
Ex: garotas
garot – radical
a – d.n. (feminino)
S – d.n. (plural)
Ex: rosa
ros – radical
a – v.t. (nominal) * Não há masculino para a palavra “rosa”, neste caso,
após o radical, temos a vogal temática nominal.
Processo de formação de
palavras
As palavras podem ser formadas por dois processos:
composição – radicais que se unem por :
• Justaposição ou aglutinação – formando uma nova palavra.
• Composição por justaposição – não há perda de fonemas na
junção de dois ou mais radicais.
Ex: pé-de-moleque ( pé + de + moleque)
girassol ( gira + sol) - *O “s” foi duplicado por razões fonéticas
• Composição por aglutinação – há perda de fonema na junção de
dois ou mais radicais.
Ex: vinagre – vinho + acre
aguardente – água + ardente
planalto – plano + alto
boquiaberto – boca + aberta
Revisando:
Classificação dos morfemas
Os morfemas em uma palavra podem ser classificados em:
1- radical
2- vogal temática ( nos verbos marca a conjugação : 1ª (a) – 2ª (e)
– 3ª (i) e, nos nomes, caso não haja opção de mudança de
gênero, como em “pent+ e” / “ros+a” ...
3- tema – junção do radical + vogal temática
4- prefixos – elemento colocado antes do radical.
5- sufixos – elemento colocado após o radical.
6- desinências: verbal e nominal.
Desinência verbal – marca o tempo, o modo, o número e a pessoa
dos verbos. Ex: partiriam – part - radical / i - v.t. / parti - tema / ria
–d.m.t.
fut. do pret. do indicativo / m – d.n.p. ( 3ª pessoa do plural).
Desinência nominal – marca o gênero e o número ( nos
substantivos e adjetivos). Ex: Menin - o – s .
Morfemas insignificativos
7- Vogal de ligação e consoante de ligação – são morfemas que
não possuem significação, servem apenas para evitar
dissonâncias (hiatos, encontros consonantais), sequências
sonoras indesejáveis.
Ex: cafe + z + inho
radical = cafe
z = consoante de ligação
inho = sufixo diminutivo.
Ex: gasômetro
gas = radical
o = vogal de ligação
metro = sufixo
Formando palavras derivadas
– tipos de derivação
1- Derivação prefixal – cria-se uma palavra derivada a
partir de um prefixo.
Ex: des + leal = desleal
a + normal = anormal
hiper + tensão = hipertensão
2- Derivação sufixal – cria-se uma palavra derivada a partir
de um sufixo.
Ex: ladro + agem = ladroagem
boi + ada + boiada
chuv + iscar = chuviscar
Continuação – tipos de
derivação
3- Derivação parassintética – cria-se uma palavra derivada
por meio do acréscimo simultâneo de um prefixo e de
um sufixo.
Ex: adoçar anoitecer envelhecer ajoelhar
Atenção!!
Se retiramos um dos morfemas (prefixo ou sufixo) e a
palavra obter significado temos: Derivação prefixal e
sufixal. Ex: deslealdade
desmoralizar
infelizmente
Formação de palavras – cap. 17
4- Derivação regressiva – Por meio da derivação
regressiva cria-se substantivos deverbais, ou seja,
derivados de verbos.
Ex: vender – (a) venda
atacar (o) ataque
lutar – (a) luta
5- Derivação imprópria – A palavra, dependendo do
contexto, muda de classe gramatical, como podemos
perceber na canção de Caetano Veloso.
Exemplo de derivação
imprópria
Língua
Gosto de sentir a minha língua roçar
A língua de Luís de Camões
Gosto de ser e de estar
E quero me dedicar
A criar confusões de prosódias
E uma profusão de paródias
Que encurtem dores
E furtem cores como camaleões
Gosto do Pessoa na pessoa
Da rosa no Rosa
E sei que a poesia está para a prosa
Assim como o amor está para a amizade
E quem há de negar que esta lhe é superior
E deixa os portugais morrerem à míngua
"Minha pátria é minha língua"
Fala mangueira!
Caetano Veloso
Derivação imprópria
O técnico Leão deixou o Santos.
Derivação imprópria
Ele é um pelé da física.
Derivação imprópria
“A Bela e a Fera foi um dos musicais de maior bilheteria na
Broadway.”
Onomatopéia
Abreviação
Redução de fonemas, a palavra se apresenta de
forma reduzida.
Hibridismo
Trata-se de vocábulos, cujos morfemas são de
língua diferentes.
Ex: sambódromo – samba (port.) + dromo (grego)

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Ecxcxzccxczxcxzczxcxzcxzczxczxcxzcxzcs.ppt

Estrutura das palavras
Estrutura das palavrasEstrutura das palavras
Estrutura das palavras
colveromachado
 
Estrutura e28093-formac3a7c3a3o-das-palavras
Estrutura e28093-formac3a7c3a3o-das-palavrasEstrutura e28093-formac3a7c3a3o-das-palavras
Estrutura e28093-formac3a7c3a3o-das-palavras
Eduardo Lopes
 
o estudo da estrutura e formação das palavras
 o estudo da estrutura e formação das palavras o estudo da estrutura e formação das palavras
o estudo da estrutura e formação das palavras
Itacarambi
 
Estrutura Das Palavras
Estrutura Das PalavrasEstrutura Das Palavras
Estrutura Das Palavras
guest7174ad
 
Estrutura Das Palavras2
Estrutura Das Palavras2Estrutura Das Palavras2
Estrutura Das Palavras2
Angela Santos
 
[Trabalho_de_Portoguês]
[Trabalho_de_Portoguês][Trabalho_de_Portoguês]
[Trabalho_de_Portoguês]
Danny_9
 
Aula 1 estrutura, formação e classe das palavras
Aula 1   estrutura, formação e classe das palavrasAula 1   estrutura, formação e classe das palavras
Aula 1 estrutura, formação e classe das palavras
J M
 
Morfologia - formação das palavras
Morfologia - formação das palavrasMorfologia - formação das palavras
Morfologia - formação das palavras
ProfFernandaBraga
 
Estrutura e formação das palavras 1 bimestre
Estrutura e formação das palavras 1 bimestreEstrutura e formação das palavras 1 bimestre
Estrutura e formação das palavras 1 bimestre
rafaelcef3
 
Substantivo e adjetivo
Substantivo e adjetivoSubstantivo e adjetivo
Substantivo e adjetivo
labrant
 

Semelhante a Ecxcxzccxczxcxzczxcxzcxzczxczxcxzcxzcs.ppt (20)

Estrutura das palavras
Estrutura das palavrasEstrutura das palavras
Estrutura das palavras
 
Estrutura e28093-formac3a7c3a3o-das-palavras
Estrutura e28093-formac3a7c3a3o-das-palavrasEstrutura e28093-formac3a7c3a3o-das-palavras
Estrutura e28093-formac3a7c3a3o-das-palavras
 
[c7s] Estrutura das palavras
[c7s] Estrutura das palavras[c7s] Estrutura das palavras
[c7s] Estrutura das palavras
 
Resumão de português
Resumão de portuguêsResumão de português
Resumão de português
 
Plural dos substantivos
Plural dos substantivosPlural dos substantivos
Plural dos substantivos
 
O estudo da estrutura e formação das palavras
O estudo da estrutura e formação das palavrasO estudo da estrutura e formação das palavras
O estudo da estrutura e formação das palavras
 
Finalizado o estudo da estrutura e formação das palavras
Finalizado o estudo da estrutura e formação das palavrasFinalizado o estudo da estrutura e formação das palavras
Finalizado o estudo da estrutura e formação das palavras
 
O estudo da estrutura e formação das palavras
O estudo da estrutura e formação das palavrasO estudo da estrutura e formação das palavras
O estudo da estrutura e formação das palavras
 
o estudo da estrutura e formação das palavras
 o estudo da estrutura e formação das palavras o estudo da estrutura e formação das palavras
o estudo da estrutura e formação das palavras
 
Estrutura e formação da palavra
Estrutura e formação da palavraEstrutura e formação da palavra
Estrutura e formação da palavra
 
Estrutura Das Palavras
Estrutura Das PalavrasEstrutura Das Palavras
Estrutura Das Palavras
 
Meta linguística
Meta linguísticaMeta linguística
Meta linguística
 
Estrutura Das Palavras2
Estrutura Das Palavras2Estrutura Das Palavras2
Estrutura Das Palavras2
 
[Trabalho_de_Portoguês]
[Trabalho_de_Portoguês][Trabalho_de_Portoguês]
[Trabalho_de_Portoguês]
 
Aula 1 estrutura, formação e classe das palavras
Aula 1   estrutura, formação e classe das palavrasAula 1   estrutura, formação e classe das palavras
Aula 1 estrutura, formação e classe das palavras
 
Morfologia - formação das palavras
Morfologia - formação das palavrasMorfologia - formação das palavras
Morfologia - formação das palavras
 
Estrutura e formação das palavras 1 bimestre
Estrutura e formação das palavras 1 bimestreEstrutura e formação das palavras 1 bimestre
Estrutura e formação das palavras 1 bimestre
 
Aula - Morfologia
Aula - MorfologiaAula - Morfologia
Aula - Morfologia
 
Substantivo e adjetivo
Substantivo e adjetivoSubstantivo e adjetivo
Substantivo e adjetivo
 
aula verbo
aula verboaula verbo
aula verbo
 

Último

O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
VALMIRARIBEIRO1
 
Plano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola públicaPlano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola pública
anapsuls
 

Último (20)

Geometria para 6 ano retas angulos .docx
Geometria para 6 ano retas angulos .docxGeometria para 6 ano retas angulos .docx
Geometria para 6 ano retas angulos .docx
 
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.pptAula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
Aula 5 - Fluxo de matéria e energia nos ecossistemas.ppt
 
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdfprova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
prova do exame nacional Port. 2008 - 2ª fase - Criterios.pdf
 
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, Resistindo à Tentação no Caminho, 2Tr24.pptx
 
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdfEnunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
Enunciado_da_Avaliacao_1__Direito_e_Legislacao_Social_(IL60174).pdf
 
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
APH- Avaliação de cena , analise geral do ambiente e paciente.
 
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio ead.pptx
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio  ead.pptxCONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio  ead.pptx
CONCORDÂNCIA NOMINAL atividade ensino médio ead.pptx
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de.    Maio laranja dds.pptxCampanha 18 de.    Maio laranja dds.pptx
Campanha 18 de. Maio laranja dds.pptx
 
Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número Multiplicação - Caça-número
Multiplicação - Caça-número
 
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdfanálise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
análise obra Nós matamos o cão Tinhoso.pdf
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande""Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
"Nós Propomos! Escola Secundária em Pedrógão Grande"
 
Plano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola públicaPlano de aula ensino fundamental escola pública
Plano de aula ensino fundamental escola pública
 
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
Semana Interna de Prevenção de Acidentes SIPAT/2024
 
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamenteDescrever e planear atividades imersivas estruturadamente
Descrever e planear atividades imersivas estruturadamente
 
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdfAs Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
As Mil Palavras Mais Usadas No Inglês (Robert de Aquino) (Z-Library).pdf
 
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdfExercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
Exercícios de Clima no brasil e no mundo.pdf
 
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos AnimaisNós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
Nós Propomos! Canil/Gatil na Sertã - Amigos dos Animais
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
 

Ecxcxzccxczxcxzczxcxzcxzczxczxcxzcxzcs.ppt

  • 1. Estrutura e formação de palavras se nasce morre nasce morre nasce morre renasce remorre renasce remorre renasce Remorre re re desnasce desmorre desnasce desmorre desnasce desmorre nascemorrenasce morrenasce morre se Haroldo de Campos
  • 4. Morfemas que constituem a palavra Língua frases significado significante palavras fonemas Fonemas = menores unidades sonoras de uma palavra. Ex: fixo - /f/ /i/ /k/ /s/ /o/ Unidades de ordem morfológica Ex: pedr a em pedr ado pedr eira (...) pedr egulho
  • 5. Classificação dos morfemas 1- Radical – base significativa da palavra. Palavras que contêm um núcleo significativo comum – pertencem à mesma família – são chamadas COGNATAS. Ex: lua luar lunático enluarada • As palavras “leitura” e “lição” são cognatas, embora não possuam a mesma sequência de fonemas; o termo “lição” significa “ato de ler”. 2- Prefixo – em nossa língua são de origem grega ou latina. Os prefixos são postos ANTES do radical e possuem uma significação. Ex: apatia – a + patia = “pathos” (grego) = paixão “a” ( prefixo grego) = negação, privação apatia = ausência de emoção.
  • 6. Classificação dos morfemas 3- Sufixos – elemento colocado APÓS o radical. Os sufixos podem ser nominais, verbais ou adverbiais. Sufixo nominal (forma substantivos, adjetivos) – Ex: realismo – beleza. Sufixos verbais ( forma verbos) – Ex: afrancesar – repartir ... Sufixos adverbiais ( forma advérbios) – Ex: lealmente Os sufixos podem indicar: • Grau aumentativo – corpanzil , dentuça, cabeçorra ... • Grau diminutivo – riacho, chuvisco , ilhota ... • Superlativo – paupérrimo, dificílimo ... • Noção de quantidade – chumaço, mulherio, cardume... • Resultado de ação, estado ou qualidade – maldade, civismo ... • Origem, procedência – catanduvense , sergipano, europeu ... • Profissão, ofício – dentista, carcereiro, professor ... • Onde se pratica a ação – bebedouro, refeitório... • Nomenclatura científica – sulfato , anilina, celulose ...
  • 7. Neologismo Neologismo Beijo pouco, falo menos ainda. Mas invento palavras Que traduzem a ternura mais funda E mais cotidiana. Inventei, por exemplo, o verbo teadorar. Intransitivo: Teadoro, Teodora. Manuel Bandeira * O verbo “teadorar” é um neologismo. Só se inventam verbos terminados em sufixo “ar”.
  • 8. Classificação dos morfemas - continuação 4- Desinências : verbais nominais - Desinências verbais indicam o : tempo, o modo, o número e a pessoa em que se encontram os verbos. Ex: cantássemos cant – radical a – vogal temática ( verbo de 1ª conjugação) cant + a = canta - tema sse – desinência modo- temporal ( pret. imp. do subj.) mos – desinência número-pessoal ( 1ªp. do plural)
  • 9. Classificação dos morfemas 5- Desinência nominal – indica o gênero e o número dos nomes (subst./ adj.). Ex: garotas garot – radical a – d.n. (feminino) S – d.n. (plural) Ex: rosa ros – radical a – v.t. (nominal) * Não há masculino para a palavra “rosa”, neste caso, após o radical, temos a vogal temática nominal.
  • 10. Processo de formação de palavras As palavras podem ser formadas por dois processos: composição – radicais que se unem por : • Justaposição ou aglutinação – formando uma nova palavra. • Composição por justaposição – não há perda de fonemas na junção de dois ou mais radicais. Ex: pé-de-moleque ( pé + de + moleque) girassol ( gira + sol) - *O “s” foi duplicado por razões fonéticas • Composição por aglutinação – há perda de fonema na junção de dois ou mais radicais. Ex: vinagre – vinho + acre aguardente – água + ardente planalto – plano + alto boquiaberto – boca + aberta
  • 11. Revisando: Classificação dos morfemas Os morfemas em uma palavra podem ser classificados em: 1- radical 2- vogal temática ( nos verbos marca a conjugação : 1ª (a) – 2ª (e) – 3ª (i) e, nos nomes, caso não haja opção de mudança de gênero, como em “pent+ e” / “ros+a” ... 3- tema – junção do radical + vogal temática 4- prefixos – elemento colocado antes do radical. 5- sufixos – elemento colocado após o radical. 6- desinências: verbal e nominal. Desinência verbal – marca o tempo, o modo, o número e a pessoa dos verbos. Ex: partiriam – part - radical / i - v.t. / parti - tema / ria –d.m.t. fut. do pret. do indicativo / m – d.n.p. ( 3ª pessoa do plural). Desinência nominal – marca o gênero e o número ( nos substantivos e adjetivos). Ex: Menin - o – s .
  • 12. Morfemas insignificativos 7- Vogal de ligação e consoante de ligação – são morfemas que não possuem significação, servem apenas para evitar dissonâncias (hiatos, encontros consonantais), sequências sonoras indesejáveis. Ex: cafe + z + inho radical = cafe z = consoante de ligação inho = sufixo diminutivo. Ex: gasômetro gas = radical o = vogal de ligação metro = sufixo
  • 13. Formando palavras derivadas – tipos de derivação 1- Derivação prefixal – cria-se uma palavra derivada a partir de um prefixo. Ex: des + leal = desleal a + normal = anormal hiper + tensão = hipertensão 2- Derivação sufixal – cria-se uma palavra derivada a partir de um sufixo. Ex: ladro + agem = ladroagem boi + ada + boiada chuv + iscar = chuviscar
  • 14. Continuação – tipos de derivação 3- Derivação parassintética – cria-se uma palavra derivada por meio do acréscimo simultâneo de um prefixo e de um sufixo. Ex: adoçar anoitecer envelhecer ajoelhar Atenção!! Se retiramos um dos morfemas (prefixo ou sufixo) e a palavra obter significado temos: Derivação prefixal e sufixal. Ex: deslealdade desmoralizar infelizmente
  • 15. Formação de palavras – cap. 17 4- Derivação regressiva – Por meio da derivação regressiva cria-se substantivos deverbais, ou seja, derivados de verbos. Ex: vender – (a) venda atacar (o) ataque lutar – (a) luta 5- Derivação imprópria – A palavra, dependendo do contexto, muda de classe gramatical, como podemos perceber na canção de Caetano Veloso.
  • 16. Exemplo de derivação imprópria Língua Gosto de sentir a minha língua roçar A língua de Luís de Camões Gosto de ser e de estar E quero me dedicar A criar confusões de prosódias E uma profusão de paródias Que encurtem dores E furtem cores como camaleões Gosto do Pessoa na pessoa Da rosa no Rosa E sei que a poesia está para a prosa Assim como o amor está para a amizade E quem há de negar que esta lhe é superior E deixa os portugais morrerem à míngua "Minha pátria é minha língua" Fala mangueira! Caetano Veloso
  • 17. Derivação imprópria O técnico Leão deixou o Santos.
  • 18. Derivação imprópria Ele é um pelé da física.
  • 19. Derivação imprópria “A Bela e a Fera foi um dos musicais de maior bilheteria na Broadway.”
  • 21. Abreviação Redução de fonemas, a palavra se apresenta de forma reduzida.
  • 22. Hibridismo Trata-se de vocábulos, cujos morfemas são de língua diferentes. Ex: sambódromo – samba (port.) + dromo (grego)