ApresentaçãO Para DéCimo Segundo Ano, Aula 14

6.553 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.553
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
5.482
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
13
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

ApresentaçãO Para DéCimo Segundo Ano, Aula 14

  1. 3. <ul><li>Processos morfológicos </li></ul><ul><li>de formação de palavras </li></ul>
  2. 4. <ul><li>Afixação </li></ul><ul><li>(Derivação) </li></ul><ul><li>inclui-se flexão </li></ul><ul><li>Composição </li></ul><ul><li>inclui-se composição erudita </li></ul><ul><li>Conversão </li></ul><ul><li>(Derivação Imprópria; </li></ul><ul><li>Derivação Regressiva) </li></ul>
  3. 5. <ul><li>Afixação </li></ul><ul><li>por prefixo ( in vulgar) </li></ul><ul><li>por sufixo (vulgar mente ) </li></ul><ul><li>por parassíntese ( en gord ar ) </li></ul>
  4. 6. <ul><li>Derivação (formal > formal ismo ) </li></ul><ul><li>adj. subst. </li></ul><ul><li>Modificação (formal > in formal) </li></ul><ul><li> adj. adj. </li></ul><ul><li>Flexão (ceifeiro s ; ama r ) </li></ul>
  5. 7. <ul><li>Composição </li></ul><ul><li>morfológica (biblioteca; luso-descendente) </li></ul><ul><li>[cfr. composição erudita ou radicais gregos e latinos] </li></ul><ul><li>morfo-sintáctica (abre-latas) </li></ul><ul><li>[cfr. composição] </li></ul>
  6. 8. <ul><li>Conversão </li></ul><ul><li>derivação imprópria (os prós e os contras) </li></ul><ul><li>prep. > substantivo </li></ul><ul><li>derivação regressiva (trocar > troca) </li></ul>
  7. 10. <ul><li>feni </li></ul><ul><li>adjectivo </li></ul><ul><li>«Eu hoje estou completamente feni». </li></ul>
  8. 11. <ul><li>poete [poe:te] </li></ul><ul><li>adjectivo </li></ul><ul><li>« Fiquei mesmo poete » . </li></ul>
  9. 12. <ul><li>[ não consigo grafar ] </li></ul><ul><li>adjectivo </li></ul><ul><li>«Agora é que eu fiquei mesmo [?]» </li></ul>
  10. 13. <ul><li>brenaca </li></ul><ul><li>substantivo </li></ul><ul><li>«Vá para o brenaca» </li></ul>
  11. 14. <ul><li>baúte aúba </li></ul><ul><li>substantivo substantivo </li></ul><ul><li>«Pegue no baúte e enfie-o no aúba» </li></ul>
  12. 15. <ul><li>As palavras propostas por Juvenal Barbosa aproveitam pouco o léxico já existente. Poderiam esses neologismos seguir os processos descritos na p. 17 do Caderno do Aluno , mas isso não acontece. </li></ul><ul><li>O Dr. Juvenal prefere cunhar as palavras a partir do nada, um processo também de neologia, é certo, mas bastante raro. </li></ul>
  13. 16. <ul><li>Ainda por cima, as palavras cunhadas (exemplo: «besidróglio») costumam ser criadas segundo os padrões da língua em que se vão integrar, o que não sucede com uma ou duas das palavras de Juvenal, a que nem conseguimos grafar ou a que tem um alongamento numa das vogais. </li></ul>
  14. 17. <ul><li>Se houvesse em outras línguas palavras tão específicas como pretende, o linguista-afinal-físico-químico poderia importá-las (seriam empréstimos , mais ou menos adaptados ao padrão português — e, na fase em que estivessem a ser introduzidos, chamar-lhes-íamos, quase pejorativamente, estrangeirismos ). </li></ul>
  15. 18. <ul><li>Se preferisse as amálgamas — designadas também palavras entrecruzadas —, Juvenal poderia juntar o início de «irritação» e o final de «peúgo», formando o adjectivo « irritugo », que serviria para ‘irritado com as meias que descaem no calcanhar’. </li></ul>
  16. 19. <ul><li>Para o impropério com que termina o diálogo — «Vai para o brenaca» — era aceitável um acrónimo ou uma sigla (às vezes, eufemística e ironicamente substituem-se as ordinarices por iniciais). </li></ul>
  17. 20. <ul><li>Uma das criações de Juvenal, o adjectivo correspondente à frustração por não haver sumo no frigorífico, talvez se possa considerar uma onomatopeia , na medida em que parece basear-se num som ligado à surpresa desagradável de não haver o que se procura. </li></ul>
  18. 21. <ul><li>Poderia ainda Juvenal ter recorrido à extensão semântica (passamos a usar uma palavra num contexto tão diferente do original, que, na verdade, se trata também de um neologismo). «Estou frito { pensa tu num adjectivo }» é um exemplo de adjectivo que, por metáfora, daria satisfatoriamente a noção de ‘estar frustrado por não encontrar leite’. </li></ul>
  19. 23. <ul><li>1. </li></ul><ul><li>« humanizar » (verbo); </li></ul><ul><li>« humanamente » (advérbio); «humanidade», « humanismo », « humanização » (nomes). </li></ul>
  20. 24. <ul><li>2. </li></ul><ul><li>Seria grande desumanidade lembrar a Bernardo que o Mucifalense perdeu com o Pero Pinheiro por claros 4 a 2. </li></ul>
  21. 25. <ul><li>2. </li></ul><ul><li>Seria grande desumanidade colocar cocós de cão em frente à sala D9. </li></ul>
  22. 26. <ul><li>3. </li></ul><ul><li>Os sufixos «-ista» e « -dor ». Por exemplo: «dentista», «trapezista», «prista», «oculista»; «caçador», «encadernador», «canalizador». </li></ul>
  23. 27. <ul><li>4.1 </li></ul><ul><li>Estas palavras têm em comum o facto de serem derivadas por sufixação e utilizarem o mesmo sufixo ,«-idade». </li></ul>
  24. 28. <ul><li>4.2 </li></ul><ul><li>O sufixo tem o valor semântico de qualidade ou característica . </li></ul>
  25. 29. <ul><li>5. </li></ul><ul><li>Com tele- : « televisão », « telegrama », « telepatia »; </li></ul><ul><li>com -fone : « microfone », « saxofone », « xilofone » . </li></ul>
  26. 30. <ul><li>6. </li></ul><ul><li>«Computador», « software », « IBM ». </li></ul>
  27. 31. <ul><li>7. </li></ul><ul><li>A expressão que lhe corresponde, em português, é « correio electrónico ». </li></ul>
  28. 35. <ul><li>TPC </li></ul><ul><li>Ir tratando da tarefa grande (ver em Gaveta de Nuvens instruções; relancear e reservar poemas). </li></ul>

×