marinhas             AGRUPAMENTO             VERTICAL             DE ESCOLAS          E.B. 2,3 de Marinhas – 346810       ...
"(...) „Manolo mata no peito e cola na relva, Pauliiinho corta in extrimis e dispara, mas tem Carlãoà ilharga, Juca bate n...
LÍNGUA CUIDADAA língua que encontramos nos discursos parlamentares, nas conferências. Usa um vocabulário mais seleccionado...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Minha ficha inform.

286 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
286
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Minha ficha inform.

  1. 1. marinhas AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS E.B. 2,3 de Marinhas – 346810 Ano lectivo 2008 / 2009 NÍVEIS DE LÍNGUAAo usar a expressão oral ou a expressão escrita, cada falante adapta a língua às diversas situações deacordo com factores como a realidade social em que está inserido, o grau de cultura, a idade. Assim, amesma mensagem pode ser produzida de modo diferente pelo mesmo emissor, que instintivamente opta pelaque melhor se ajusta às circunstâncias, ao contexto e ao destinatário.Repare, por exemplo, nestes comentários que traduzem apreço pelo jogador de futebol Luís Figo.- Gosto mesmo de ver jogar o Figo!- O Figo é um jogador amoroso!- Considero o Figo um jogador fabuloso! Melhor, fascinante!No primeiro comentário Gosto mesmo de ver jogar o Figo! - o vocabulário e a construção da frase sãousuais, e não têm originalidade. No dia-a-dia, as situações de comunicação possuem estas marcas.“A Língua Corrente (...) permite a todos os sujeitos falantes comunicarem entre si e compreenderem-semutuamente, sejam eles de cultura rudimentar (até analfabetos), oude elevada cultura.” * Este uso normal da língua designa-se Nível Corrente.Entre amigos ou em família, numa situação de perfeito à-vontade, surgiriam espontaneamente afirmações dotipo O Figo é um jogador amoroso! “A Língua Familiar é simples, quer no vocabulário, quer naelaboração sintáctica, não distando muito da Língua Padrão”.*O Nível Familiar é mais simples do que o Nível Corrente, empregando-se com frequência provérbios,diminutivos e vocábulos com conotação afectiva. Quanto às frases, estas são,normalmente de estruturasimplificada.Nível Corrente(padrão ou norma)Nível familiar“Já com esta são três que te escrevo, e ó por hora nem uma nem duas da tua parte. Marido! quefazes tu, que não respondes? Ando a futurar que não tens o miolo no seu lugar. Longe da vista,longe do coração, diz lá o ditado. Ora, queira Deus que não seja por minga de saúde; e, se é, di-Io para cá, que eu estou aqui estou lá.” Camilo Castelo Branco, A Queda dum AnjoNeste excerto de uma carta de Teodora a seu marido Calisto Elói, personagens de uma obra de CamiloCastelo Branco, podemos notar que as expressões destacadas revelam o baixo nível de instrução dapersonagem, que utiliza um Nível de Língua Popular.“A Língua Popular é a língua utilizada pelo povo, quer quando fala, quer quando escreve. Caracteriza-seeste nível de língua pela simplicidade do vocabulário, (...) e pelos desvios à norma.(...) Como estas características variam com as regiões do País e com determinados grupos sociais, a LínguaPopular pode assumir as formas de regionalismo e de gíria.” 1
  2. 2. "(...) „Manolo mata no peito e cola na relva, Pauliiinho corta in extrimis e dispara, mas tem Carlãoà ilharga, Juca bate no esférico, rodopia, faz um bonito, éeee lançamento longo... Manecasrecebe e progride no terreno, remata do meio da rua... não é gooooolo... Zezinho sobe e agarra,ripa na rapaqueca e... „ Não é chinês, apenas um pedaço seleccionado do dialecto futebolístico.Aqui fica a tradução: “.. .a bola bate no peito de Manolo e cai no chão. Paulinho evita o golomesmo no último minuto e dá um pontapé na bola com bastante força. Carlão não o larga.Entretanto juca despista O adversário ao mudar a direcção da jogada, mandando o esférico paralonge. Manecas fica com a bola, avança até à baliza doadversário, chuta, mas está demasiadoafastado para marcar golo. O guarda-redes defende, pula, agarra na bola, dá-Ihe uns toques e... “ In Cosmos –nº 28Este excerto de "dialecto futebolístico" é um bom exemplo do uso da língua restrito a um grupo sócioprofissional.Nível Popular:. As Gírias. Os Regionalismos. As Gírias. O Calão “As Gírias são linguagens próprias de certos grupos sociais, de certas profissões, como pedreiros,peixeiras, pescadores, militares, estudantes, etc, que usam um vocabulário próprio, geralmente com afinalidade de não serem compreendidos por indivíduos estranhos ao seu grupo. Dentro das Gírias podeincluir-se também o Calão.”O calão é um linguajar considerado grosseiro e com uma conotação desfavorável sobretudo pelo facto de seroriginário de extractos sociais marginalizados. No entanto, certos vocábulos do calão vão entrando nalinguagem familiar. Assim são já aceitáveis na linguagem familiar termos como: perua, grossura, e pifão(bebedeira); cagaço(medo); acagaçar (meter medo); massa e pasta (dinheiro); teso, limpo, liso, sem cheta (sem dinheiro); tipoe gajo; chato, chatice, chatear; giro (bonito); moina (vadiagem ); dar com os pés (despedir); entre outrosexemplos. Quanto mais não seja por ter ouvido falar na rádio ou na televisão pessoas de regiões ou locaisdiferentes, já deve ter reparado em diferenças regionais na utilização da nossa língua. São variedadespróprias de cada região, que, de modo algum, impedem a comunicação – Regionalismos. ESQUEMA – SÍNTESE-LÍNGUA CUIDADA (CULTA) LÍNGUA COMUM -LÍNGUA FAMILIAR-Língua Literária e Poética NORMA ou -LÍNGUA POPULAR PADRÃO-Linguagem Técnica e Científica Gíria, Calão, ( Corrente) RegionalismoLÍNGUA PADRÃOA língua padrão é constituída por um sistema de signos e regras próprias de uma comunidade linguística, que permitem atodos os sujeitos falantes comunicarem entre si e compreenderem-se mutuamente, sejam eles de cultura rudimentar ou deelevada cultura.Aproximam-se da língua padrão os textos dos manuais escolares, a linguagem do professor e dos alunosnas aulas e todos os textos expositivos em que se vise a clareza e a compreensão fácil. 2
  3. 3. LÍNGUA CUIDADAA língua que encontramos nos discursos parlamentares, nas conferências. Usa um vocabulário mais seleccionado emenos usual.Língua Literária e PoéticaApresenta as características da língua cuidada, mas assume desvios da norma mais arrojados: figuras de estilo e palavrasestudadas para criar ambientes emotivos e poéticos.Linguagem TécnicaÉ constituída por palavras relativas a determinada profissão e se usam nesse contexto: um mecânico de automóveisconhece o nome de todas as peças de um motor, o que não sucede a qualquer falante.Linguagem CientíficaAfasta-se da língua comum porque se refere a questões da Medicina, da Físico-Química, da Biologia, etc..LÍNGUA FAMILIARA língua familiar é simples, não se afastando muito da língua padrão. Os falantes dão a impressão de se conhecerem bem.LÍNGUA POPULARA língua popular é muito simples, sem palavras eruditas e desvia-se da norma, quer na fala, quer na escrita. Ascaracterísticas da língua popular variam com as regiões do país ( Regionalismos) e com os diferentes tipos sociais (Gírias e Calão)RegionalismosSão registos de língua próprios da população de diferentes povoações ou regiões. Distinguem-se pela pronúncia, pelosdiferentes significados e diferente construção de palavras e frases.GíriasSão linguagem própria de certos grupos sociais, de certas profissões que usam um vocabulário próprio, geralmente com afinalidade de não serem compreendidos por indivíduos estranhos ao seu grupo.CalãoO calão é um tipo de gíria própria de grupos sociais mais marginais, onde a acção educativa dificilmente penetra: trata-sede uma linguagem grosseira e muitas vezes obscena. No entanto, certas palavras entram a pouco e pouco na linguagemfamiliar, sobretudo entre os jovens. São frequentes palavras ou expressões como gajo, chatear, pifo, teso, etc.. 3

×