VariaçãO LinguíStica

13.283 visualizações

Publicada em

0 comentários
8 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
13.283
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
38
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
355
Comentários
0
Gostaram
8
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

VariaçãO LinguíStica

  1. 1. Variantes linguísticas: dialetos e registros Prof. Ewerton Rezer Gindri
  2. 2. Nesta apresentação veremos: <ul><li>As Inter-relações entre Língua e Cultura </li></ul><ul><li>Os dialetos do Português </li></ul><ul><li>Os registros do Português </li></ul>
  3. 3. <ul><li>Há uma grande diferença se fala um deus ou um herói; se um velho amadurecido ou um jovem impetuoso na flor da idade; se uma matrona autoritária ou uma ama delicada; se um colco ou um assírio; se um homem educado em Tebas ou em Argos. </li></ul><ul><li>HORÁCIO, Arte Poética. </li></ul>
  4. 4. Podemos conceituar cultura como o conjunto de ações pensamentos e valores de uma pessoa ou de uma comunidade.
  5. 5. A língua, em um movimento paradoxal, representa a cultura, mas também a modifica. “ ...a linguagem é realmente o próprio fundamento da cultura. Em relação à linguagem, todos os outros sistemas de símbolos são acessórios ou derivados.” (Jakobson, R.)
  6. 6. As variações da língua são de duas ordens: <ul><li>1- as variantes comuns a um grupo, chamadas dialetos; </li></ul><ul><li>2- as variantes do uso de cada sujeito, na situação concreta de interação, chamadas registros. </li></ul>“ ...a língua tem regularidades, um sistema a ser seguido. Mas, como é um sistema aberto, a língua oferece inúmeras possibilidades de variação de uso, que criam, junto com o contexto, interações sempre novas e irrepetíveis .”
  7. 7. Dialetos <ul><li>Etário; </li></ul><ul><li>Geográfico; </li></ul><ul><li>Gênero; </li></ul><ul><li>Social; </li></ul><ul><li>Profissional. </li></ul>
  8. 8. <ul><li>Como os registros dependem das condições de produção,usaremos os pressupostos da Análise do Discurso. </li></ul><ul><li>Segundo Pêcheux: </li></ul><ul><li>“ Existe, por outro lado, um sistema de signos não linguísticos ...que tornam possíveis as intervenções indiretas do auditório sobre o orador...” </li></ul>
  9. 9. Registros Formal Informal
  10. 10. Lembrando que... “ O nível de formalidade só pode ser considerado em função das características linguísticas do locutor.”
  11. 11. Ampliando nossas referências
  12. 12. Grau de formalismo Variação de modo Dimensões de sintonia Variações de registros, conforme Halliday.
  13. 13. Grau de Formalismo <ul><li>Constitui-se no maior cuidado e apuro no uso dos recursos linguísticos, aproximando-se o máximo possível da língua padrão e culta. </li></ul>Variação de modo <ul><li>Por variação de modo entende-se a língua falada em contraposição à língua escrita. </li></ul>
  14. 15. Dimensões de sintonia <ul><li>“...o que funciona nos processos discursivos é uma série de formações imaginárias que designam o lugar que A e B se atribuem cada um a si e ao outro , a imagem que eles se fazem de seu próprio lugar e do lugar do outro.” ( Pêcheux, M.) </li></ul>
  15. 16. <ul><li>Status: adequação relacionada à hierarquia social; </li></ul><ul><li>Tecnicidade: emprego de diferentes níveis de tecnicidade, adequados aos interlocutores; </li></ul><ul><li>Cortesia: é a variação que acontece devido à dignidade que o falante considera apropriada ao(s) seu(s) ouvintes e/ou à ocasião; </li></ul><ul><li>Norma (aqui entendida como regularidade): refere-se ao uso de determinada variante linguística, considerada adequada ao interlocutor. </li></ul>

×