Crescimento em Cristo_Lição_original com textos_632014

316 visualizações

Publicada em

A lição original com os textos bíblicos tem como finalidade; facilitar a leitura ou mesmo o estudo, os versos estão na sequência correta, evitando a necessidade de procurá-los, o que agiliza, para os que tem o tempo limitado, vc pode levá-la no ipad, no pendrive, celular e etc, ler a qualquer momento e em qualquer lugar que desejar, até sem a necessidade de estar conectado na internet.

Também facilita se for imprimir por usar bem menos tinta que a lição convencional.

Que... “Deus tenha misericórdia de nós e nós abençoe; e faça resplandecer o seu rosto sobre nós. Para que se conheça na terra o teu caminho, e em todas as nações a tua salvação”. Sal. 67:1-2.

Bom Estudo!

Publicada em: Espiritual
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
316
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Crescimento em Cristo_Lição_original com textos_632014

  1. 1. Lições Adultos Ensinos de Jesus Lição 6 - Crescimento em Cristo 2 a 9 de agosto Sábado à tarde Ano Bíblico: Is 38–40 VERSO PARA MEMORIZAR: “Em verdade, em verdade te digo que, se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus.” Jo 3:3. Leituras da Semana: Jo 3:1-15; Mt 13:33; 2Co 5:17; Jo 15:4-10; Mt 6:9-13; Lc 9:23, 24. Nicodemos se sentiu atraído para Cristo, mas não teve coragem de visitá-Lo publicamente. Ele se dirigiu a Jesus de maneira polida, reconhecendo-O como Mestre vindo de Deus. Jesus sabia que, por trás dessa saudação cortês havia alguém que procurava a verdade. Por isso, sem perder tempo, disse a Nicodemos que, mais do que conhecimento teórico, ele precisava de regeneração espiritual e de um novo nascimento. Esse conceito foi difícil para Nicodemos entender. Por ser da descendência de Abraão, ele tinha certeza de que tinha um lugar no reino de Deus. Além disso, sendo fariseu rigoroso, ele certamente merecia o favor do Senhor. Então, por que ele precisava de uma mudança tão radical? Pacientemente, Jesus explicou que a transformação espiritual é uma obra sobrenatural produzida pelo Espírito Santo. Embora não possamos ver nem entender como isso acontece, podemos perceber os resultados. Chamamos essa experiência de conversão, nova vida em Cristo. Conquanto devamos sempre lembrar como o Senhor nos chamou e nos converteu, nosso desafio é permanecer firmemente nEle a cada dia, para que Ele nos transforme mais e mais à Sua imagem. Faça um plano, ore e trabalhe em favor de uma pessoa ainda não batizada. Domingo - Nascer de novo Ano Bíblico: Is 41–44 Um cristão zeloso confrontou uma senhora participante da política e perguntou a ela: “Você já nasceu de novo?” Irritada com o que considerava uma questão pessoal, ela respondeu: “Deu certo na primeira vez, muito obrigado.” Embora pensemos dessa forma, considerando nossa natureza decaída, nosso primeiro nascimento não é suficiente, pelo menos no que se refere à vida eterna. Para isso, precisamos “nascer de novo”. 1. Leia o diálogo de Jesus com Nicodemos em João 3:1-15. Como Jesus explicou o que significava nascer de novo? 1 E havia entre os fariseus um homem, chamado Nicodemos, príncipe dos judeus. 2 Este foi ter de noite com Jesus, e disse-lhe: Rabi, bem sabemos que és Mestre, vindo de Deus; porque ninguém pode fazer estes sinais que tu fazes, se Deus não for com ele. 3 Jesus respondeu, e disse-lhe: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus. 4 Disse-lhe Nicodemos: Como pode um Veja esta e outras lições sobre Cristo e Sua Lei em: http://cpbmais.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.htmlVeja esta e outras lições sobre Cristo e Sua Lei em: http://cpbmais.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.html
  2. 2. homem nascer, sendo velho? Pode, porventura, tornar a entrar no ventre de sua mãe, e nascer? 5 Jesus respondeu: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus. 6 O que é nascido da carne é carne, e o que é nascido do Espírito é espírito. 7 Não te maravilhes de te ter dito: Necessário vos é nascer de novo. 8 O vento assopra onde quer, e ouves a sua voz, mas não sabes de onde vem, nem para onde vai; assim é todo aquele que é nascido do Espírito. 9 Nicodemos respondeu, e disse-lhe: Como pode ser isso? 10 Jesus respondeu, e disse-lhe: Tu és mestre de Israel, e não sabes isto? 11 Na verdade, na verdade te digo que nós dizemos o que sabemos, e testificamos o que vimos; e não aceitais o nosso testemunho. 12 Se vos falei de coisas terrestres, e não crestes, como crereis, se vos falar das celestiais? 13 Ora, ninguém subiu ao céu, senão o que desceu do céu, o Filho do homem, que está no céu. 14 E, como Moisés levantou a serpente no deserto, assim importa que o Filho do homem seja levantado; 15 Para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Jo 3:1- 15, ACF Sem dúvida, Nicodemos, um mestre em Israel, conhecia as Escrituras do Antigo Testamento, que falam sobre a necessidade de um “novo coração” e a disposição de Deus para criá-lo em nós (Sl 51:10; Ez 36:26). Jesus explicou a Nicodemos essa verdade e como isso pode acontecer. Cria em mim, ó Deus, um coração puro, e renova em mim um espírito reto. Sl 51:10, ACF E dar-vos-ei um coração novo, e porei dentro de vós um espírito novo; e tirarei da vossa carne o coração de pedra, e vos darei um coração de carne. Ez 36:26, ACF O diálogo registrado por João termina com as palavras de Jesus. Não há resposta de Nicodemos. Ele provavelmente tivesse ido para casa imerso em profundas reflexões. Silenciosamente, o Espírito Santo atuou em seu coração e, três anos mais tarde, ele estava pronto para se tornar publicamente discípulo de Cristo. O fato de que é necessário nascer de novo mostra, sem dúvida, que nosso nascimento anterior é insuficiente do ponto de vista espiritual. O novo nascimento deve ser duplo: da água e do Espírito. À luz do ministério de João Batista, Nicodemos facilmente entendeu que nascer da água se referia ao batismo com água. O que ele também precisava saber era que, nascer do Espírito é a renovação do coração pelo Espírito Santo. Existem semelhanças entre o nascimento físico e o espiritual. Ambos marcam o início de uma vida nova. Além disso, não produzimos nem um dos dois nascimentos por nós mesmos. Existe também uma diferença importante entre eles: não tivemos oportunidade de decidir se nasceríamos fisicamente, mas podemos aceitar nascer espiritualmente. Só os que decidem livremente permitir que o Espírito Santo gere uma nova vida espiritual dentro deles nascem de novo. Deus respeita nossa liberdade e, ainda que esteja ansioso para nos transformar, Ele não muda o nosso coração à força. Pense na sua conversão. Não importa se foi por meio de circunstâncias dramáticas ou por um processo longo e imperceptível de transformação. Como você experimentou o novo nascimento? Participe do projeto “Reavivados por Sua Palavra”: acesse o site http://reavivadosporsuapalavra.org/ Segunda - Nova vida em Cristo Ano Bíblico: Is 45–48 Só é possível nascer de novo por intermédio da obra do Espírito Santo. Jesus usou o fato de que a palavra grega pneuma significa tanto “espírito” quanto “vento”, a fim de ilustrar o processo de conversão (Jo 3:8). O vento sopra. Nenhum de nós pode iniciá-lo, dirigi-lo nem impedi-lo. Seu grande poder está além do controle humano. Podemos apenas reagir a ele, aproveitando seu potencial para nosso benefício ou resistindo-o. O vento assopra onde quer, e ouves a sua voz, mas não sabes de onde vem, nem para onde vai; assim é todo aquele que é nascido do Espírito. Jo 3:8, ACF Da mesma forma, o Espírito Santo está constantemente trabalhando no coração de cada ser humano, atraindo-o a Cristo. Ninguém tem controle sobre Seu grande poder para salvar e transformar. Podemos resistir a esse poder ou nos entregar a ele. Quando nos rendemos à Sua influência convincente, o Espírito Veja esta e outras lições sobre Cristo e Sua Lei em: http://cpbmais.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.htmlVeja esta e outras lições sobre Cristo e Sua Lei em: http://cpbmais.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.html
  3. 3. Santo produz nova vida em nós. Existe uma forma de saber se experimentamos o novo nascimento? Sim. O Espírito atua de modo invisível, mas os resultados de Sua atividade são visíveis. As pessoas ao nosso redor saberão que Jesus criou um novo coração em nós. O Espírito sempre produz uma demonstração exterior da transformação interior que Ele realiza. Como Jesus disse: “Pelos seus frutos os conhecereis” (Mt 7:20). A nova vida em Cristo não é remendada com algumas reformas externas. Não é um melhoramento ou modificação da antiga vida, mas uma transformação completa. A vida cristã não é uma modificação ou melhoramento da antiga, mas uma transformação da natureza. Tem lugar a morte do eu e do pecado, e uma vida toda nova. Essa mudança só se pode efetuar mediante a eficaz operação do Espírito Santo. Ellen G. White, O Desejado de Todas as Nações, p. 172. 2. O que os textos a seguir nos dizem sobre o que o novo nascimento realiza em nós? Tt 3:5-7; 2Co 5:17; Gl 6:15 5 Não pelas obras de justiça que houvéssemos feito, mas segundo a sua misericórdia, nos salvou pela lavagem da regeneração e da renovação do Espírito Santo, 6 Que abundantemente ele derramou sobre nós por Jesus Cristo nosso Salvador; 7 Para que, sendo justificados pela sua graça, sejamos feitos herdeiros segundo a esperança da vida eterna. Tt 3:5-7, ACF Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo. 2 Co 5:17, ACF Porque em Cristo Jesus nem a circuncisão, nem a incircuncisão tem virtude alguma, mas sim o ser uma nova criatura. Gl 6:15, ACF Mediante o Espírito Santo, Cristo nos concede novos pensamentos, sentimentos e motivos. Desperta nossa consciência, muda nossa mente, subjuga todo desejo impuro e nos enche com a doce paz do Céu. Embora a mudança não aconteça de imediato, com o tempo, nos tornamos novas criaturas em Jesus. Precisamos nascer de novo, porque viemos ao mundo na condição de injustos diante de Deus. Medite nas suas últimas 24 horas. Até que ponto as pessoas perceberam Cristo em suas palavras, atitudes e ações? Ore sobre traços de caráter que ainda precisam ser modelados pelo Espírito Santo. Terça - Permanecer em Cristo Ano Bíblico: Is 49–51 Uma vida espiritual próspera só é possível pela constante dependência de Cristo. Jesus usou a ilustração da videira para ensinar como alcançar isso. Ele disse: “Eu Sou a videira, vós, os ramos” (Jo 15:5). No Antigo Testamento, Israel foi retratado como uma videira que o Senhor havia plantado (Is 5:1-7; Sl 80:8, 9; Jr 2:21), mas Jesus Se apresenta como “a videira verdadeira” (Jo 15:1), e exorta Seus seguidores a ser unidos a Ele assim como os ramos permanecem na videira. 3. O que João 15:4-10 nos ensina sobre permanecer continuamente em Cristo? 1 Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o lavrador. 2 Toda a vara em mim, que não dá fruto, a tira; e limpa toda aquela que dá fruto, para que dê mais fruto. 3 Vós já estais limpos, pela palavra que vos tenho falado. 4 Estai em mim, e eu em vós; como a vara de si mesma não pode dar fruto, se não estiver na videira, assim também vós, se não estiverdes em mim. 5 Eu sou a videira, vós as varas; quem está em mim, e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer. 6 Se alguém não estiver em mim, será lançado fora, como a vara, e secará; e os colhem e lançam no fogo, e ardem. 7 Se vós estiverdes em mim, e as minhas palavras estiverem em vós, pedireis tudo o que quiserdes, e vos será feito. 8 Nisto é glorificado meu Pai, que deis muito fruto; e assim sereis meus discípulos. 9 Como o Pai me amou, também eu vos amei a vós; permanecei no meu amor. 10 Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor; do mesmo modo que eu tenho guardado os mandamentos de meu Pai, e permaneço no seu amor. Jo 15:1-10, ACF Veja esta e outras lições sobre Cristo e Sua Lei em: http://cpbmais.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.htmlVeja esta e outras lições sobre Cristo e Sua Lei em: http://cpbmais.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.html
  4. 4. Um ramo separado da videira pode parecer vivo por um tempo, mas certamente murchará e morrerá, porque foi cortado da fonte da vida. Da mesma forma, podemos receber vida somente por meio da nossa ligação com Cristo. Mas, para ser eficaz, essa união deve ser mantida. É essencial dedicar tempo para devoção matinal, porém nossa comunhão com o Senhor deve continuar ao longo do dia. Permanecer em Cristo significa buscá-Lo constantemente pedindo Sua orientação, orando por força para obedecer à Sua vontade, e suplicando que Ele encha nosso coração com Seu amor. Uma das armadilhas mais enganosas é tentar viver a vida cristã de forma independente do Senhor. “Sem Mim nada podeis fazer” (Jo 15:5). Sem Ele não podemos vencer nenhuma tentação, não podemos vencer o pecado nem desenvolver um caráter à Sua semelhança. Comunhão ininterrupta com Cristo é o único meio pelo qual podemos crescer espiritualmente. Ao ler a Palavra e meditar sobre ela, somos alimentados e fortalecidos. Jesus disse: “As palavras que Eu vos tenho dito são espírito e são vida” (Jo 6:63). Entesouradas em nosso coração e mente, essas palavras estimulam nossas orações, a fim de nos manter em contato com o Senhor. Embora seja fácil ficar distraído pelos “cuidados do mundo” (Mc 4:19), devemos fazer um esforço concentrado para permanecer em Jesus. 18 E outros são os que recebem a semente entre espinhos, os quais ouvem a palavra; 19 Mas os cuidados deste mundo, e os enganos das riquezas e as ambições de outras coisas, entrando, sufocam a palavra, e fica infrutífera. Mc 4:19, ACF Quais são os maiores obstáculos que o impedem de permanecer em Cristo? Que passos você pode dar a fim de removê-los ou superá-los? Quarta - Oração Ano Bíblico: Is 52–55 Além do estudo da Bíblia, a oração é indispensável para que permaneçamos em Cristo e cresçamos espiritualmente. O próprio Jesus precisava de oração para estar unido ao Pai. Ele nos deixou um exemplo de uma vida de oração. Os momentos cruciais de Sua vida foram marcados pela oração. Ele orou quando foi batizado. Muitas vezes, orou em lugares solitários antes do amanhecer, ou na montanha após o pôr do sol. Às vezes, passou a noite inteira orando, como quando escolheu os doze apóstolos. Orou para ressuscitar Lázaro. Nem mesmo a cruz O impediu de orar. Se o Pai conhece as coisas de que temos necessidade, antes que as peçamos (Mt 6:8), por que precisamos apresentar nossas necessidades a Ele em oração? Porque mediante a oração, aprendemos a nos esvaziar de nós mesmos e nos tornar mais dependentes dEle. Jesus prometeu: “Peçam, e lhes será dado; busquem, e encontrarão; batam, e a porta lhes será aberta” (Mt 7:7). Embora não precisemos impressioná-Lo com orações intermináveis de vãs repetições (Mt 6:5-9), é preciso perseverar na oração, apegando-nos às Suas promessas (Jo 15:7; 16:24), não importa o que aconteça. 5 E, quando orares, não sejas como os hipócritas; pois se comprazem em orar em pé nas sinagogas, e às esquinas das ruas, para serem vistos pelos homens. Em verdade vos digo que já receberam o seu galardão. 6 Mas tu, quando orares, entra no teu aposento e, fechando a tua porta, ora a teu Pai que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará publicamente. 7 E, orando, não useis de vãs repetições, como os gentios, que pensam que por muito falarem serão ouvidos 8 Não vos assemelheis, pois, a eles; porque vosso Pai sabe o que vos é necessário, antes de vós lho pedirdes. 9 Portanto, vós orareis assim: Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome; Mt 6:5-9, ACF Se vós estiverdes em mim, e as minhas palavras estiverem em vós, pedireis tudo o que quiserdes, e vos será feito. Jo 15:7, ACF Até agora nada pedistes em meu nome; pedi, e recebereis, para que o vosso gozo se cumpra. Jo 16:24, ACF 4. Como as diferentes partes da Oração do Senhor podem nos ajudar a crescer em Cristo? Mt 6:9-13 9 Portanto, vós orareis assim: Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome; 10 Venha o teu reino, seja feita a tua vontade, assim na terra como no céu; 11 O pão nosso de cada dia nos dá hoje; 12 E Veja esta e outras lições sobre Cristo e Sua Lei em: http://cpbmais.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.htmlVeja esta e outras lições sobre Cristo e Sua Lei em: http://cpbmais.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.html
  5. 5. perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores; 13 E não nos induzas à tentação; mas livra-nos do mal; porque teu é o reino, e o poder, e a glória, para sempre. Amém. Mt 6:9-13, ACF Jesus é nosso Mediador no Céu. Por isso, Ele nos instruiu a dirigir nossas orações ao Pai em Seu nome. “Eu lhes asseguro que Meu Pai lhes dará tudo o que pedirem em Meu nome” (Jo 16:23, NVI). Cristo ensinou que existem certas condições para que essa maravilhosa promessa seja cumprida. Precisamos acreditar que Deus pode nos responder (Mt 21:22). É requerida uma atitude de perdão para com nosso próximo (Mc 11:25). É importante que nossa vontade esteja sempre subordinada à vontade do Pai (Mt 6:10; Lc 22:42). E qualquer “demora” na resposta não deve nos desencorajar. Ao contrário, precisamos orar sempre e não desistir (Lc 18:1). E, tudo o que pedirdes na oração, crendo, o recebereis. Mt 21:22, ACF E, quando estiverdes orando, perdoai, se tendes alguma coisa contra alguém, para que vosso Pai, que está nos céus, vos perdoe as vossas ofensas. Mc 11:25, ACF Dizendo: Pai, se queres, passa de mim este cálice; todavia não se faça a minha vontade, mas a tua. Lc 22:42, ACF E contou-lhes também uma parábola sobre o dever de orar sempre, e nunca desfalecer. Lc 18:1 ACF Um discípulo pediu: “Senhor, ensina-nos a orar” (Lc 11:1). Esse pedido é sempre relevante, não importa quanto tempo faz que aceitamos Cristo como nosso Salvador. Em que aspecto de sua vida de oração você ainda precisa crescer pela graça de Deus? Quinta - Morrer para si mesmo todos os dias Ano Bíblico: Is 56–58 De maneira paradoxal, somente morrendo podemos verdadeiramente viver. Quando somos batizados, em princípio, morremos para nossa velha natureza e ressuscitamos para uma nova vida. Seria maravilhoso se o velho homem do pecado morresse de forma permanente quando somos sepultados sob as águas batismais. No entanto, mais cedo ou mais tarde, todos nós descobrimos que nossos hábitos e tendências do passado ainda estão vivos e lutam para recuperar o controle de nossa vida. Após o batismo, nossa velha natureza tem que ser morta constantemente. Por isso, Jesus associou a vida cristã à cruz. 5. Qual é o significado de Lucas 9:23, 24? 23 E dizia a todos: Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome cada dia a sua cruz, e siga- me. 24 Porque, qualquer que quiser salvar a sua vida, perdê-la-á; mas qualquer que, por amor de mim, perder a sua vida, a salvará. Lc 9:23-24, ACF Muitos pensam que a cruz que precisam levar seja uma grave doença, circunstâncias desfavoráveis na vida, ou uma deficiência permanente. Ainda que todas essas coisas sejam difíceis, o significado das palavras de Jesus vai mais longe. Tomar nossa cruz significa negar a nós mesmos diariamente. Não apenas de vez em quando, mas todos os dias, não apenas uma parte de nós, mas todo o nosso ser. A vida cristã tem a forma de cruz. “Estou crucificado com Cristo; logo, já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim” (Gl 2:19, 20). No mundo antigo, as vítimas da crucificação não morriam imediatamente. Normalmente, elas agonizavam por muitas horas, às vezes vários dias, enquanto estavam penduradas no madeiro. Nossa velha natureza, embora crucificada, luta para sobreviver e descer da cruz. Não é fácil negar a nós mesmos. Nossa velha natureza persiste, nosso velho homem não quer morrer. Além disso, não podemos pregar-nos à cruz. “Ninguém pode esvaziar-se de si mesmo. Somente podemos consentir que Cristo execute a obra. Então, a linguagem da alma será: Senhor, toma meu coração; pois não o posso dar. É Tua propriedade. Conserva-o puro; pois não posso conservá-lo para Ti. Salva-me a despeito de mim mesmo, fraco e dessemelhante de Cristo. Molda-me, forma-me e eleva-me a uma atmosfera pura e santa, onde a rica corrente de Teu amor possa fluir por minha alma. “Não é só no princípio da vida cristã que essa entrega do próprio eu deve ser feita. Deve ser renovada a cada passo dado em direção do Céu. [...] Só podemos caminhar com segurança por uma constante negação Veja esta e outras lições sobre Cristo e Sua Lei em: http://cpbmais.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.htmlVeja esta e outras lições sobre Cristo e Sua Lei em: http://cpbmais.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.html
  6. 6. de nós mesmos e confiança em Cristo.” Ellen G. White, Parábolas de Jesus, p. 159, 160. Deve haver uma entrega diária ao Senhor. Quando foi a última vez em que você morreu para si mesmo? O que sua resposta lhe diz, especialmente à luz dos textos de hoje? Sexta - Estudo adicional Ano Bíblico: Is 59–62 Leia, de Ellen G. White, Caminho a Cristo, p. 43-48: “Consagração”; O Desejado de Todas as Nações, p. 167-177: “Nicodemos”. “A luta contra o próprio eu é a maior batalha que já foi travada. A renúncia de nós mesmos, sujeitando tudo à vontade de Deus, requer luta; mas a alma tem que se submeter a Deus antes de poder ser renovada em santidade” (Ellen G. White, Caminho a Cristo, p. 43). “Não podemos reter nosso próprio eu e ao mesmo tempo ser tomados de toda a plenitude de Deus. Temos que ser esvaziados de nós mesmos. Se afinal ganharmos o Céu, será unicamente mediante a renúncia do próprio eu e o recebimento da mente, do espírito e da vontade de Cristo Jesus” (Ellen G. White, Nos Lugares Celestiais, p. 155). “Quando o Espírito de Deus toma posse do coração, transforma a vida. Os pensamentos pecaminosos são afastados, renunciadas as más ações; amor, humildade e paz tomam o lugar da ira, da inveja e da contenda. A alegria substitui a tristeza e o semblante reflete a luz do Céu. [...] A bênção vem quando, pela fé, a pessoa se entrega a Deus. Então, aquele poder que olho algum pode discernir, cria um novo ser à imagem de Deus” (Ellen G. White, O Desejado de Todas as Nações, p. 173). Perguntas para reflexão 1. Como tem sido sua experiência de permanecer em Cristo? O que acontece quando você se conecta com Jesus? E quando isso não acontece? 2. Como você mantém a fé em Deus e em Suas promessas, em face de pedidos que não foram respondidos como você esperava? Que coisas cruciais devemos sempre ter em mente, em tais situações? 3. Por que somos chamados a negar a nós mesmos diariamente? Se você não negasse a si mesmo, se permitisse que o eu dominasse seus pensamentos e ações, que tipo de vida você teria? Seria semelhante à vida do nosso Mestre? Como seria sua vida sem Cristo? Respostas sugestivas: 1. Jesus disse que era necessário nascer da água e do Espírito. A obra do Espírito Santo no pecador o leva à demonstração pública de sua transformação por meio do batismo. A obra interior (do Espírito) conduz à manifestação exterior (batismo). 2. O novo nascimento nos transforma em novas criaturas em Jesus Cristo. Fomos lavados pelo Espírito Santo e agora vivemos em novidade de vida. Desse modo, tornamo-nos herdeiros de Deus, segundo a esperança da vida eterna. 3. O segredo para uma vida espiritual próspera é alimentar-se continuamente da seiva que procede dos Céus. Quem permanece em Cristo dá muito fruto, recebe aquilo que pede ao Senhor e se torna Seu discípulo. Assim, permanece no amor de Deus e O glorifica com sua vida. Aquele, porém, que não permanece em Cristo, não dá fruto e é lançado fora. 4. A Oração do Senhor é dividida em duas partes: (1) três pedidos relacionados a Deus e; (2) quatro pedidos relacionados à vida cotidiana. Os três pedidos relacionados a Deus são: que (a) Seu nome seja reconhecido e respeitado pelos homens; (b) Seu reino seja estabelecido na Terra; (c) Sua vontade prevaleça. Os quatro pedidos referentes à vida cotidiana são: (a) supra as nossas necessidades; (b) perdoe nossos pecados e nos ajude a perdoar; (c) não permita que a tentação nos vença e cometamos pecado; (d) livre-nos do mal e do maligno. Essa oração abrange todos os aspectos de nossa vida, à medida que nos faz reconhecer a soberania do Senhor e nossa dependência constante dEle nas questões físicas, emocionais e espirituais. 5. Quem não estiver disposto a renunciar a si mesmo, submetendo sua vontade à de Cristo e vivendo para Ele, não se salvará. O discipulado implica pagar o alto preço de suportar qualquer cruz que o dever nos chame a carregar. Por fim, quem suportou o peso da cruz nesta vida terá a alegria de receber a coroa na eternidade. Veja esta e outras lições sobre Cristo e Sua Lei em: http://cpbmais.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.htmlVeja esta e outras lições sobre Cristo e Sua Lei em: http://cpbmais.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.html
  7. 7. Auxiliar - Resumo Ensinos de Jesus Texto-chave: João 3:14, 15 O aluno deverá: Saber: Que Deus proveu tudo o que é necessário para o crescimento e desenvolvimento do cristão. Sentir: Satisfação pessoal de um encontro íntimo e transformador com Deus, que estimula o crescimento espiritual. Fazer: Crescer em conhecimento, sabedoria e apreço pelo que Deus está fazendo por intermédio de sua vida. Esboço I. Saber: Que a experiência do novo nascimento é motivada pela vontade de Deus e não por iniciativa humana A. Por que o respeito de Deus pela liberdade O impede de forçar a obediência? B. Como a vida de Cristo promove o desejo de crescer espiritualmente e se envolver no discipulado? C. O que acontece com o crescimento espiritual quando é interrompida nossa constante dependência de Cristo? II. Sentir: Relacionamentos sadios e satisfatórios com Deus incentivam o crescimento espiritual A. O que transforma o reconhecimento mental e intelectual de Deus em uma satisfatória ligação emocional? B. Como os relacionamentos espirituais sadios contribuem para nosso crescimento espiritual? C. Como a destruição emocional causada por abordagens legalistas da salvação pode ser revertida? III. Fazer: Os cristãos podem crescer no conhecimento, sabedoria e experiência A. O que os cristãos podem fazer para ter relacionamentos espirituais em constante amadurecimento? B. Se o crescimento cristão for o ponto focal da sua vida, sua rotina diária precisará ser alterada? C. O que os cristãos podem fazer para nutrir o crescimento espiritual em outras pessoas? Resumo: O crescimento cristão é a consequência natural de relacionamento sadio com Deus e da atmosfera encorajadora na igreja. Se existirem essas condições, o crescimento pessoal se multiplicará por meio do crescimento evangelístico. Ciclo do Aprendizado Motivação Focalizando as Escrituras: 2 Coríntios 5:17 Conceito-chave para o crescimento espiritual: O crescimento cristão é consequência natural de relacionamento sadio com Deus e da atmosfera encorajadora na igreja. Somente para o professor: As árvores crescem ou morrem. O crescimento claramente indica vida. Da mesma forma, ou os cristãos crescem ou morrem. A fé cristã é dinâmica, progressiva e produtiva. Sempre que o cristianismo abandona essas características, o crescimento cristão é interrompido. Como é alimentada a fé vibrante, próspera e cada vez mais forte? Talvez a jardinagem ofereça a ilustração perfeita. O crescimento começa com semente e solo saudáveis. O clima favorável apresenta o equilíbrio adequado entre chuva e sol, na sequência e na intensidade adequadas. Temperaturas muito frias poderiam atrasar a germinação. O excesso de chuvas pode adiar o plantio. Chuva insuficiente poderia impedir a colheita. Mesmo quantidades apropriadas de chuva que chegam em momento impróprio podem prejudicar o resultado. A variedade de riscos potenciais é assustadora. Jardinagem bem-sucedida é o resultado da combinação de estratégias que minimizem esses riscos, ao mesmo tempo em que se provê nutrição adequada (fertilizantes, umidade e luz do sol) e colheita no tempo certo. O crescimento espiritual de sucesso acontece em circunstâncias semelhantes. Corações dispostos (sementes) caem em ambientes estimulantes (solo), onde recebem encorajamento espiritual (luz do sol) e convites divinamente designados (chuva). Veja esta e outras lições sobre Cristo e Sua Lei em: http://cpbmais.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.htmlVeja esta e outras lições sobre Cristo e Sua Lei em: http://cpbmais.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.html
  8. 8. Vários tipos de nutrientes (oração, testemunho das Escrituras, testemunho pessoal, até mesmo o dom do sofrimento, e outros fatores) fertilizam a planta que está surgindo. Luz do sol adicional prepara a planta que está amadurecendo para a colheita. Decisões espirituais são o resultado (sementes colhidas). Esses novos cristãos (sementes colhidas atualmente) entram novamente no mundo (solo) e o processo é reiniciado. Atividade de abertura Leve para a classe um vaso de plantas e comente formas de destruir a planta. As respostas podem incluir: não prover umidade suficiente, aplicar fertilização excessiva, não oferecer nutrientes, alterar o solo, danificar a planta, temperaturas elevadas/baixas, e outros riscos ambientais. Atividade/Discussão de Abertura alternativa Se não for possível levar um vaso de plantas, comente a respeito das condições sob as quais as plantas crescem ou são destruídas. As respostas podem ser as mesmas. Pense nisto: (para qualquer uma das atividades): Transfira a discussão para o crescimento espiritual. Como o crescimento espiritual pode ser nutrido? Como o progresso espiritual é interrompido? Quais ferramentas Satanás tem utilizado para prejudicar os cristãos em crescimento? Quais elementos Deus usa para que ocorra o crescimento dos cristãos? Compreensão Somente para o professor: O crescimento cristão é radical e completamente transformador. A pecaminosidade humana, por outro lado, é absolutamente degradante. O coração humano natural, por mais que pareça “bom”, é como “trapo da imundícia” (Is 64:6), quando comparado aos padrões divinos. A avaliação celestial da condição da humanidade prescreve uma revisão completa: pintar o muro foi insuficiente. Dinamitar os restos e lançar novos fundamentos – crucificar criaturas carnais e gerar novos seres espirituais – é a única solução. O estudo bíblico desta semana nos convida a valorizar a oferta sacrifical celestial para nossa redenção, tomar posse desses recursos divinos ao enfrentarmos tentações, e nos dedicarmos à edificação do corpo de Cristo, Sua igreja. A maior necessidade do mundo, além do próprio Cristo, é de que Seu corpo de cristãos manifeste claramente Seu caráter compassivo. O instrumento divino para esse fim é o crescimento espiritual pessoal. Comentário Bíblico I. A experiência do novo nascimento (Recapitule com a classe Jo 3:1-16.) Embora rico, educado e honrado, Nicodemos foi estranhamente atraído pelo humilde Nazareno. Incomodado pela diminuída espiritualidade da liderança religiosa de Israel, ele foi atraído pelo comportamento incorruptível de Cristo. A recente purificação do templo havia atraído sua atenção. Ele se maravilhou de que Alguém sem instrução formal exercesse tanta autoridade. Lembrando-se de como Israel historicamente havia tratado os mensageiros proféticos de Deus, Nicodemos estava angustiado pelo mau tratamento de seus colegas para com esse obscuro Galileu. Embora Nicodemos tivesse aconselhado prudência quanto ao seu planejado curso de ação contra Cristo, ele estava, no entanto, hesitante em declarar claramente apoio a Ele. Em vez disso, ele buscou uma audiência pessoal com Jesus. Consciente de sua condição social e posição política, Nicodemos evitou exposição pública. Jesus concordou com seu pedido de um encontro noturno. Escondido pelas sombras, o importante fariseu se sentiu estranhamente tímido e deslocado. Tentando manter a compostura, ele começou a entrevista lisonjeando Jesus. Reconheceu Seu ensino superior e maravilhosa operação de milagres. Jesus, no entanto, ignorou as gentilezas e lisonjas, maximizando a oportunidade para aprofundar a crescente convicção espiritual no coração de Nicodemos. Com segurança, Ele declarou: “É necessário que vocês nasçam de novo” (Jo 3:7, NVI). O grego anōthen, significando “de cima” [traduzido como “de novo”], tinha duplo significado. O trocadilho também poderia ser entendido como “nascer de novo”. Aparentemente, foi dessa forma que Nicodemos compreendeu a expressão. Ele protestou declarando que esse nascimento era fisiologicamente impossível. Cristo respondeu metaforicamente, não biologicamente, Veja esta e outras lições sobre Cristo e Sua Lei em: http://cpbmais.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.htmlVeja esta e outras lições sobre Cristo e Sua Lei em: http://cpbmais.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.html
  9. 9. referindo-Se às promessas da aliança proferidas anteriormente nos ministérios de Ezequiel e Jeremias. O relacionamento do “coração novo” prometido por Deus estava disponível naquela noite. O Médico Divino estava preparado para realizar a cirurgia de transplante de coração naquele exato instante. Nicodemos, porém, adiou esse momento, saindo perplexo, mas atentando para grandes verdades que mais tarde floresceriam para a salvação. A experiência do “novo nascimento” descrita por Jesus pode ocorrer dramaticamente, como a experiência de Paulo na estrada de Damasco, ou imperceptivelmente, como o desenvolvimento gradual, na vida de Timóteo, da fé que tinham sua mãe e sua avó. Independentemente dos instrumentos utilizados, os resultados são idênticos: vidas resgatadas e transformadas. “Novo nascimento” significa entrega espiritual e humilde reconhecimento de que, sem a graça divina, os seres humanos são capazes de crimes indescritíveis. Pessoas respeitadas, aparentemente bem-sucedidas, mesmo ministros do evangelho, têm sido condenados por assassinar os cônjuges, traficar cocaína, prejudicar financeiramente os seguidores e molestar crianças. A decência humana é insuficiente. A educação sozinha é insuficiente. A mudança moral é muito superficial. “É necessário que vocês nasçam de novo” (Jo 3:7, NVI). Pense nisto: Como Deus destrói as barreiras que impedem as pessoas de crescerem espiritualmente? Por que a humildade é absolutamente essencial para iniciar o crescimento espiritual? II. Proximidade espiritual: ficar perto do coração de Deus (Recapitule com a classe Jo 15:4-10; Mt 6:9-13; Gl 2:20.) Esta seção concentra-se nas práticas que mantêm vibrantes, sadios e emocionantes relacionamentos com Deus. Alguém disse que a oração é a respiração espiritual. A fome pode acabar com a vida humana em algumas semanas. A desidratação pode causar a morte em alguns dias. A asfixia pode matar em apenas alguns minutos. Não é de admirar que Paulo tenha advertido os tessalonicenses a orar sem cessar! Para os asmáticos, que podem frequentemente sofrer traumática falta de ar, a morte realmente parece iminente durante esses episódios. Uma vez que a oração é a respiração espiritual e os seres humanos são asmáticos espirituais, devemos ter muito cuidado para manter abertas as vias aéreas espirituais. Planejar cada dia com oração de manhã e à noite é apenas o começo. Conversar com Deus ao longo do dia é o nosso objetivo. Permanecer em comunhão com Deus certamente inclui oração, mas também as disciplinas espirituais de estudo da Bíblia e meditação. O crescimento saudável exige alimentação equilibrada. As Escrituras nos convidam a provar e ver (Sl 34:8). Cristo e as Escrituras, metaforicamente falando, constituem aquilo que a Palavra de Deus nos convida a consumir. Os nutrientes bíblicos tornam nosso ser espiritual imune contra as heresias, autossuficiência e dezenas de obstáculos que bloqueiam o crescimento cristão. As proteínas bíblicas formam blocos de construção para a restauração do coração e para o crescimento celular ideal. O hábito de começar e terminar todos os dias com as Escrituras nos protege espiritualmente. Ao meditar nas promessas de Deus, em Sua orientação no passado e Sua autorrevelação histórica (preeminentemente o Getsêmani, o Calvário, e o túmulo de José de Arimateia), nossa pecaminosidade é lavada, substituída por pensamentos mais nobres e reflexões mais santas. Morrer parece sem sentido porque as pessoas gastam a vida e a fortuna tentando prolongar a vida, não para reduzi-la. Porém, as Escrituras, exigem que os cristãos “morram”. Paulo se alegrou porque estava “crucificado com Cristo” (Gl 2:19). A morte, ressurreição e ascensão de Cristo foram necessárias para que o Espírito pudesse reinar. Com conotações levemente diferentes, a morte dos cristãos (para sua natureza rebelde) e saída (da transgressão, do pecado e da rebelião) são igualmente necessárias para que o Espírito possa reinar sobre sua vida. Pense nisto: Como podemos incorporar esses princípios em nosso dia a dia? Aplicação Somente para o professor: Utilizar os momentos finais da classe para trocar ideias sobre estratégias espirituais a fim de lidar com obstáculos ao crescimento espiritual. Enfatize o aspecto prático. Vá além do essencial já estudado (estudo bíblico, oração, meditação) para aplicações práticas dos princípios bíblicos. Veja esta e outras lições sobre Cristo e Sua Lei em: http://cpbmais.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.htmlVeja esta e outras lições sobre Cristo e Sua Lei em: http://cpbmais.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.html
  10. 10. Os exemplos podem incluir: desligar o televisor, caminhar em meio à natureza, limitar o uso da internet, usar intervalos no trabalho ou momentos em que as crianças estão dormindo para ler a Bíblia, retirar-se para um lugar especial em que se possa ter comunhão, ouvir música inspiradora, ter um companheiro de luta espiritual, realizar leitura reflexiva e participar de pequenos grupos. Os membros também podem compartilhar textos bíblicos significativos ou citações de Ellen White, títulos de sermões ou sites, locais para caminhadas, títulos de álbuns musicais e organizações de discipulado que os beneficiaram e que respondem à pergunta: “Como podemos nos aproximar mais de Cristo?” Perguntas para aplicação 1. Como podemos nos proteger contra a tentação de substituir a nutrição espiritual pessoal por atividades religiosas e serviços louváveis? 2. Que práticas você incorporou em sua programação regular para criar espaço para reflexão espiritual e meditação? 3. Quais recursos você achou valiosos para cultivar sua vida espiritual? 4. Quais posses materiais você poderia dispensar ou renunciar para promover comunicação espiritual mais eficaz? 5. Quais envolvimentos emocionais você pode entregar a Deus, a fim de crescer em sua vida espiritual? Pense nisto: Às vezes, as posses nos possuem. As pessoas fazem hora extra, para adquirir coisas para as quais eles já não têm tempo, porque estão ocupados trabalhando. Manter essas coisas pode ser desgastante mesmo quando são acessíveis financeiramente. Abandonar essas coisas poderia dar um impulso espiritual. Da mesma forma, envolvimentos emocionais podem retardar nosso progresso espiritual. Nossos relacionamentos estão melhorando ou piorando? Vale a pena perder a vida eterna por causa de uma amizade especial? Pense em outras formas de simplificar seu estilo de vida. Criatividade e atividades práticas Somente para o professor: Continue enfatizando o aspecto prático. Permita que este momento seja utilizado para reflexão pessoal e autoanálise. Atividade Forneça aos alunos pranchetas, canetas e folhas de papel de carta. Convide-os a escrever para si mesmos cartas que descrevam as mudanças que eles implementarão em seu estilo de vida, rotina e relacionamentos. O objetivo dessas mudanças é aumentar seu crescimento espiritual. Atividade/Discussão alternativa Peça que os alunos descrevam as mudanças que eles implementarão em seu estilo de vida, rotina e relacionamentos. Outro propósito dessas mudanças é aumentar seu crescimento espiritual. Planejando atividades: O que sua classe de Escola Sabatina pode fazer, na próxima semana, como resposta ao estudo da lição? É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo sem prévia autorização da Casa Publicadora Brasileira. Veja esta e outras lições sobre Cristo e Sua Lei em: http://cpbmais.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.htmlVeja esta e outras lições sobre Cristo e Sua Lei em: http://cpbmais.cpb.com.br/htdocs/periodicos/les2014.html

×