O programa REFIS voltou.
A Medida Provisória 638 foi inserida nesta quarta-feira (14/05) , pelo
Deputado Gabriel Guimarães...
Veja o artigo que foi incluso na MP 638 e que trata sobre o Refis 2014 em
http://parcelamentodetributos.blog.com/2014/05/r...
A Estratégia & Negócios obtém acordos fiscais com prazos de acordo
com a capacidade de pagamento, e valores que se ajustam...
Refis 2014 vem aí
Refis 2014 vem aí
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Refis 2014 vem aí

226 visualizações

Publicada em

O programa REFIS voltou.

A Medida Provisória 638 foi inserida nesta quarta-feira, pelo Deputado Gabriel Guimarães (PT).

O programa REFIS de parcelamento de débitos fiscais com a RECEITA deve iniciar em junho/14, com limite de adesão até 30 de Agosto/14.

As empresas que aderirem ao programa deverão pagar uma entrada elevada no momento da inscrição junto à Receita. O pagamento será de 10% do total devido, para dívidas de até R$ 1 milhão, e de 20% para dívidas superiores a isso. A ideia é que, com a sanção do Refis, boa parte dos recursos devidos entrem nos cofres federais entre julho e agosto, fortalecendo o caixa e, assim, facilitando o trabalho do Tesouro Nacional.

Veja o artigo que foi incluso na MP 638 e que trata sobre o Refis 2014
http://parcelamentodetributos.blog.com/2014/05/refis-2014-inicio-e-termino-previstos/

Sob o ponto de vista do empresário, o REFIS resolve o problema da dívida tributária?

A maioria das empresas lutam para manterem-se ativas em um mercado cada vez mais competitivo, e não aproveitam o REFIS por muito tempo. O elevado comprometimento do fluxo de caixa leva à desistência logo nos primeiros meses.

Através de um cálculo simples:
Faça o total de sua dívida Federal dividido por (no máximo) 180. Este valor é passível de pagamento mensal? Com o REFIS, este é o limite.

A Estratégia & Negócios obtém acordos fiscais com prazos de acordo com a capacidade de pagamento, e valores que se ajustam ao fluxo de caixa da companhia. Dependendo do valor da dívida, podem variar de 30 a 300 anos. Os acordos são legais e assinados pelo Estado ou União (ICMS ou Impostos Federais).

Se desejar resolver o problema dos passivos de forma rápida e definitiva, entre em contato conosco.


Estratégia & Negócios

(51) 3028 2835
(51) 3797 3148

Publicada em: Economia e finanças
1 comentário
1 gostou
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
226
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
1
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Refis 2014 vem aí

  1. 1. O programa REFIS voltou. A Medida Provisória 638 foi inserida nesta quarta-feira (14/05) , pelo Deputado Gabriel Guimarães (PT). O programa REFIS de parcelamento de débitos fiscais com a RECEITA deve iniciar em junho/14, com limite de adesão até 30 de Agosto/14. As empresas que aderirem ao programa deverão pagar uma entrada elevada no momento da inscrição junto à Receita. O pagamento será de 10% do total devido, para dívidas de até R$ 1 milhão, e de 20% para dívidas superiores a isso. A ideia é que, com a sanção do Refis, boa parte dos recursos devidos entrem nos cofres federais entre julho e agosto, fortalecendo o caixa e, assim, facilitando o trabalho do Tesouro Nacional.
  2. 2. Veja o artigo que foi incluso na MP 638 e que trata sobre o Refis 2014 em http://parcelamentodetributos.blog.com/2014/05/refis-2014-inicio-e- termino-previstos/ Sob o ponto de vista do empresário, o REFIS resolve o problema da dívida tributária? A maioria das empresas lutam para manterem-se ativas em um mercado cada vez mais competitivo, e não aproveitam o REFIS por muito tempo. O elevado comprometimento do fluxo de caixa leva à desistência logo nos primeiros meses. Através de um cálculo simples: Faça o total de sua dívida Federal dividido por (no máximo) 180. Este valor é passível de pagamento mensal? Com o REFIS, este é o limite.
  3. 3. A Estratégia & Negócios obtém acordos fiscais com prazos de acordo com a capacidade de pagamento, e valores que se ajustam ao fluxo de caixa da companhia. Dependendo do valor da dívida, podem variar de 30 a 300 anos. Os acordos são legais e assinados pelo Estado ou União (ICMS ou Impostos Federais). Se desejar resolver o problema dos passivos de forma rápida e definitiva, entre em contato conosco. Estratégia & Negócios (51) 3028 2835 (51) 3797 3148

×