Ditadura militar no brasil

1.229 visualizações

Publicada em

Seminário sobre o período da Ditadura Civil-militar no Brasil

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.229
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
48
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ditadura militar no brasil

  1. 1. 1964 - 1985 Ditadura Militar no Brasil
  2. 2. Brasil Nunca Mais
  3. 3. Golpe Militar Cenário Político • Gestão do então Presidente João Goulart, caracterizada pela voz ativa do povo e pela presença ativa de adeptos do Socialismo/Comunismo, provoca imensa insatisfação na elite do Estado. Estes, por sua vez, se aliam às Forças Armadas que, influenciadas pelo Padrão de Ações norte americano,
  4. 4. 1961 • 31.jan.61 — Jânio Quadros toma posse da Presidência da República; • 19.ago.61 — Che Guevara é condecorado por Jânio, o que provoca uma crise nas Forças Armadas; • 25.ago.61 — Jânio renuncia ao cargo de presidente da República. Como o vice, João Goulart, se encontra em visita oficial na China, o presidente da Câmara, Ranieri Mazzili, assume provisoriamente o governo; • 2.set.61 — O Congresso aprova emenda constitucional que estabelece o parlamentarismo, medida que visa limitar os poderes de João Goulart, condição para retirada do veto dos ministros militares à sua posse.
  5. 5. • 7.set.61 — João Goulart toma posse da presidência. • 23.nov.61 — O Brasil restabelece relações diplomáticas com a União Soviética. 1962 • 12.mai.62 — Carlos Lacerda, governador da Guanabara, acusa Jango de tramar golpe de Estado; • 1º.jun.62 — Começa greve organizada pela UNE (União Nacional dos Estudantes) que paralisa 40 universidades no Brasil por três meses • 26.jun.62 — Tancredo Neves renuncia ao cargo de primeiro-ministro • 31.jun.62 — Militantes estudantis da JUC (Juventude Universitária Católica) e agremiações da esquerda católica fundam a Ação Popular (AP)
  6. 6. 1963 • 6.jan.63 — O presidencialismo vence o plebiscito sobre o regime de governo do Brasil, o que restitui plenos poderes a João Goulart; • 11.jul.63 — Projeto de Reforma Agrária apresentado pelo senador Milton Campos (UDN) não passa pela Câmara dos Deputados; • 13.set.63 — Jango nomeia o marechal Castelo Branco chefe do EstadoMaior do Exército; • 6.out.63 — o 4º Exército ocupa Recife para conter manifestação de 30 mil camponeses
  7. 7. 1964 • 13.mar.64 — João Goulart anuncia em comício, na Central do Brasil no Rio, a necessidade das reformas de base; • 19.mar.64 — Cerca de 500 mil pessoas fazem passeata contra Jango no centro de São Paulo, na Marcha da Família com Deus pela Liberdade. Carlos Lacerda é um dos participantes; • 24.mar.64 — Começa a Revolta dos Fuzileiros Navais, no Rio, chefiada pelo cabo Anselmo; • 30.mar.64 — Discurso pró-reformas de Jango no Automóvel Clube, no Rio; • 31.mar.64 — O presidente da República, João Goulart, é deposto pelo golpe militar.
  8. 8. Objetivo: • O projeto que gestou 1964 visava a construção de um Estado de Segurança Nacional e de Desenvolvimento Associado e Hegemônico na América Latina. A violência política utilizada pelas Forças Armadas brasileiras buscou sua legitimidade e está associada a três casos clássicos de ação antiinsurrecional – Indochina, Argélia,
  9. 9. Consequências: • Inoculou a tortura como forma de interrogatório nos quartéis militares a partir de 1964; • Fez da tortura força motriz da repressão praticada pelo Estado brasileiro até pelo menos 1976; • Possibilitou ao Estado praticar atos considerados inéditos em nossa história política: a materialização, sob a forma
  10. 10. Episódios e Documentos • 9.abr.64 — Editado o Ato Institucional n.º 1 (AI-1); • 10.abr.64 — É divulgada a primeira lista de cassados pelo AI-1. Entre os 102 nomes estão o de João Goulart, Jânio Quadros, Luís Carlos Prestes, Leonel Brizola e Celso Furtado, assim como 29 líderes sindicais e alguns oficias das Forças Armadas; • 14.abr.64 — Criação dos Inquéritos Policiais Militares (IPMs); • 15.abr.64 — O marechal Humberto de Alencar
  11. 11. • 9.mai.64 — Carlos Marighella, líder comunista, é baleado e preso no Rio; • 13.mai.64 — Brasil rompe relações diplomáticas com Cuba; • 13.jun.64 — É criado o SNI (Serviço Nacional de Informação), comandado pelo general Golbery do Couto e Silva; • 22.jul.64 — A Emenda Constitucional n.º 9 prorroga o mandato de Castelo Branco até 15 de março de 67;
  12. 12. • 22.abr.65 — Atentado a bomba no jornal "O Estado de S. Paulo―; • 26.abr.65 — A Rede Globo inaugura suas transmissões; • 27.out.65 — É decretado o Ato Institucional n.º 2; • 5.fev.66 — É decretado o Ato Institucional n.º 3;
  13. 13. • 22.set.66 — A UNE estabelece o Dia Nacional da Luta contra a Ditadura; • 10.out.66 — Geraldo Vandré e Theo de Barros, com "Disparada", e Chico Buarque, com a "A Banda", ganham o 2º Festival da Música Popular Brasileira da TV Record; • 07.dez.66 — Ato Institucional n.º 4 obriga o Congresso a votar o Projeto de Constituição; • 24.jan.67 — Castello Branco promulga a nova Constituição.
  14. 14. • 25.jan.67 — Criado o Conselho de Segurança Nacional (CSN); • 13.mar.67 — É promulgada a Lei de Segurança Nacional; • 15.mar.67 — Tomam posse o marechal Costa e Silva; • out.67 — Che Guevara é morto na Bolívia; • 28.mar.68 — O estudante Édson Luís Lima Souto morre em conflito de estudantes com a PM em frente ao restaurante universitário Calabouço, no Rio, quando o movimento estudantil
  15. 15. • mai.68 — É criada a Vanguarda Popular Revolucionária (VPR) • 26.jun.68 — É realizada, com permissão do governo estadual, no Rio, a "Passeata dos 100 mil", manifestação contra o regime militar organizada por estudantes, artistas, intelectuais e trabalhadores • 05.jul.68 — O ministro da Justiça, Gama e Silva, proíbe qualquer tipo de manifestação no país • 18.jul.68 — Membros do CCC (Comando de Caça aos Comunistas) invadem e depredam o Teatro Ruth Escobar , em
  16. 16. • 08.out.68 — A atriz Norma Bengel é sequestrada em São Paulo por um grupo de direita, espancada e solta no Rio • 24.out.68 — A casa do arcebispo dom Hélder Câmara, em Recife, é metralhada • 13.dez.68 — O governo militar fecha o Congresso e decreta o Ato Institucional n.º 5, • 2.dez.68 — Caetano Veloso e Gilberto Gil são presos no Rio • 26.jan.69 — O capitão Carlos Lamarca realiza a "expropriação" de armas e munição do quartel de Quitaúna, em
  17. 17. • 1º.fev.69 — O AI-6 modifica a estrutura do Supremo Tribunal Federal e transfere para a Justiça Militar os crimes contra a segurança nacional • 26.fev.69 — O AI-7 suspende as eleições e o decreto-lei 477 define as infrações de professores e estudantes • 02.abr.69 — O AI-8 cria normas para a reforma administrativa • 25.abr.69 — O AI-9 cria regras para a desapropriação de propriedades rurais • 16.mai.69 — AI-10 aposenta centenas de professores em todo o país
  18. 18. • 1º.jul.69 — É oficialmente criada a Oban (Operação Bandeirantes) dentro do comando do 2º Exército • 14.ago.69 — O AI-11 marca eleição municipais para novembro • 15.ago.69 — Membros da ALN tomam a Rádio Nacional, em São Paulo, e divulgam uma gravação com um manifesto de Carlos Marighella • 1º.set.69 - Brasil governado por junta militar • 1º.set.69 — O "Jornal Nacional", da Rede Globo, é transmitido pela primeira vez • 04.set.69 — Guerrilheiros seqüestram, no
  19. 19. • 07.set.69 — Charles Elbrick é solto após a libertação de 15 presos políticos, que viajam para o México • 25.out.69 — O general Emílio Garrastazu Médici é eleito presidente da República pelo Congresso ―Anos de Chumbo‖ • 04.nov.69 — Carlos Marighella é morto pela equipe liderada pelo delegado Sérgio Fleury. O frei Tito de Alencar é preso e torturado por policiais no Deops, em São Paulo.
  20. 20. • 16.jan.70 — Mário Alves, um dos fundadores do PCBR (Partido Comunista Brasileiro Revolucionário), é preso, no Rio, e morto sob tortura • 11.mar.70 — O cônsul japonês Nobuo Okuchi é sequestrado por integrantes da VPR em São Paulo • mai.70 — O CIE (Centro de Informações do Exército) entra oficialmente em operação • set.70 — A Oban é transformada em DOI— Codi (Destacamento de Operações de Informações - Centro de Operações de Defesa Interna) • 23.out.70 — O dirigente da ALN (Ação
  21. 21. • 07.dez.70 — O embaixador da Suíça, Giovanni Enrico Bucher, é seqüestrado, no Rio, por militantes da ALN • 20.jan.71 — O deputado Rubens Paiva é preso, no Rio, morto sob tortura e dado como desaparecido • 1º.fev.71 — O Brasil se retira da 3ª Assembléia da OEA (Organização dos Estados Americanos) por não concordar com o plano conjunto de ação contra o terrorismo • 14.jun.71 — O militante do MR-8
  22. 22. • mar.72 — A guerrilha do Araguaia, montada pelo PC do B, é descoberta e começam as investigações na região de Xambioá (PA) • 12.abr.72 — Cerca de 3.000 homens do Exército chegam ao Araguaia e dão início à primeira campanha contra a guerrilha • 07.jan.73 — Os militantes da VPR Eudaldo Gomes da Silva, Pauline Reichstul, Evaldo Luís Ferreira de Souza, Jarbas Pereira Marques, José Manoel da Silva e Soledad Barret Viedma são torturados e mortos no município de Paulista (PE) – ―Massacre da Chácara São Bento‖
  23. 23. • 15.jan.74 — O general Ernesto Geisel é eleito presidente pelo colégio eleitoral • abr.74 — Osvaldo Orlando da Costa, o Osvaldão, um dos comandantes da guerrilha do Araguaia, é morto pelo Exército. Sua cabeça é decepada e exposta na base militar de Xambioá • 25.out.75 — O jornalista Vladimir Herzog é assassinado sob tortura nas dependências do DOI-Codi. O boletim da polícia apresenta a versão de que Herzog se enforcara
  24. 24. • 31.out.75 — Mais de 10 mil pessoas participam de um ato ecumênico na Catedral da Sé em memória de Herzog • 17.jan.76 — O metalúrgico Manuel Fiel Filho é encontrado morto nas dependências do DOI-Codi. A explicação para a morte do operário é que ele teria se suicidado • 19.jan.76 — O presidente Geisel demite o general Ednardo D`Ávila Mello do comando do 2º Exército após a repercussão da morte de Manuel Fiel Filho • 14.abr.76 — A estilista Zuzu Angel, que ficou conhecida por denunciar a tortura, morte e ocultação do cadáver de seu filho, Stuart Angel, é morta por agentes da repressão • 16.dez.76 — Em episódio que fica conhecido como "chacina da Lapa", agentes da repressão
  25. 25. • 14.abr.77 — Geisel baixa o Pacote de Abril, que promove a reforma do Judiciário, estabelece o mandato presidencial em seis anos e cria o cargo de senador biônico • 14.fev.78 — É fundado o Comitê Brasileiro pela Anistia (CBA) do Rio de Janeiro • 15.out.78 — O general João Baptista Figueiredo é eleito presidente da República pelo Colégio Eleitoral • 27.out.78 — A Justiça responsabiliza a União pela morte do jornalista Vladimir Herzog • 29.dez.78 — Geisel assina decreto que revoga o banimento de 126 brasileiros e extingue a CGI (Comissão Geral de Investigação), dando o golpe de misericórdia no AI-5 • 15.mar.79 — O presidente Figueiredo toma posse
  26. 26. • 28.ago.79 — O presidente Figueiredo sanciona a Lei de Anistia • 19.abr.80 — Presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo e Diadema, Luíz Inácio da Silva, o Lula, e outros 10 dirigentes sindicais são presos pelo Dops paulista com base na LSN (Lei de Segurança Nacional) • 21.jul.80 — Bomba explode em banca de jornais do Itaim Bibi, em São Paulo, na tentativa de impedir a distribuição de publicações de esquerda • 11.ago.80 — Ato na PUC-SP contra a onda de atentados da extrema direita no país é dissolvido pela polícia com pó-de-mico
  27. 27. • 27.mai.82 — Dops (Departamento de Ordem Política e Social) do Rio Grande do Sul é o primeiro a ser extinto • 25.out.82 — Corpo do jornalista Alexandre von Baumgarten é encontrado na Praia da Macumba (RJ) ao lado de carta em que acusa o general Newton Cruz de tramar sua morte • 15.nov.82 — Eleições diretas para governadores, senadores, prefeitos e deputados federais e estaduais • 13.dez.82 — Presos 91 militantes do Partido Comunista por participarem do 7º Congresso
  28. 28. • 02.mar.83 — O deputado Dante de Oliveira (PMDB) apresenta no Congresso Nacional emenda que estabelece as eleições diretas para Presidência da República • 11.mar.83 — Grampo telefônico é descoberto no gabinete do presidente João Figueiredo • 12.jan.84 — Comício reúne 60 mil pessoas em Curitiba (PR) e lança campanha Diretas-Já • 15.jan.85 — Colégio Eleitoral elege Tancredo Neves, do PMDB, presidente do Brasil, por 480 votos contra 180 de Paulo Maluf (PDS) • 14.mar.85 — Na véspera de tomar posse, o presidente Tancredo Neves é internado no Hospital de Base de Brasília, onde é submetido a uma operação abdominal
  29. 29. • 21.abr.85 — Morre o presidente Tancredo Neves • 8.mai.85 — Aprovado, pelo Congresso, emenda constitucional que estabelece eleições diretas para a Presidência da República e prefeituras, estende o voto aos analfabetos e legaliza os partidos comunistas

×