Trabalho em Altura Consc.

14.703 visualizações

Publicada em

Publicada em: Negócios, Tecnologia
5 comentários
4 gostaram
Estatísticas
Notas
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
14.703
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
141
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
934
Comentários
5
Gostaram
4
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Trabalho em Altura Consc.

  1. 1. IH! O CÉU É PARA PÁSSAROS! ...OU PARA PROFISSIONAIS BEM EQUIPADOS!
  2. 2. TRABALHO EM ALTURA TREINAMENTO - SEGURANÇA Instrutora: Devânia Silva TST / EIM
  3. 3. OBJETIVO Orientar a força de trabalho no entendimento do “Padrão de Segurança nos Trabalhos em Altura”, quanto a identificação dos riscos e procedimentos básicos para execução de atividades com segurança.
  4. 4. MOTIVO DOS ACIDENTES DE TRABALHO  Excesso de confiança;  Não uso ou uso incorreto de EPI;  Descumprimento e/ou desconhecimento do Padrão de Execução.  Não realizar Análise Preliminar de Riscos (APR);
  5. 5. UMA ESTATÍSTICA ALARMANTE 30% dos acidentes de trabalho ocorridos ao ano são decorrentes de quedas, ou seja, trabalhos executados em altura. Fonte: MTE
  6. 6. ACIDENTES NÃO ACONTECEM POR ACASO
  7. 7. O QUE É TRABALHO EM ALTURA? É toda atividade executada acima de 2 metros do piso de referência.
  8. 8. DISPOSIÇÃO GERAL  Em trabalho com altura a partir de 2m, o cinto de segurança e deverá estar conectado, preferencialmente, acima da cabeça e nunca abaixo da cintura.  O cinto de segurança deve possuir talabarte duplo, sem emendas e comprimento superior a 1,5m.
  9. 9. DISPOSIÇÃO GERAL  Antes de cada uso, todos os dispositivos de trabalho em altura devem ser inspecionados pelo usuário para identificar cortes, trincas, quebras, conectores soltos, desgaste excessivo.  Nos trabalhos em pontos elevados, deve ser providenciado um sistema que elimine a possibilidade de queda de ferramentas e objetos.
  10. 10. DISPOSIÇÃO GERAL  Todo cinto de segurança deve ser usado com aperto suficiente para que o usuário não escape e escorregue do equipamento, para que, em caso de queda, a força de choque seja distribuída uniformemente.  A APR determinará a necessidade do acompanhamento de outras pessoas para o trabalho em altura com objetivo de contingência (socorro, resgate).
  11. 11. PROFISSIONAL HABILITADO É o profissional que recebeu o treinamento operacional para “Trabalhos em Altura” e que, no decorrer do treinamento, demonstrou conhecimento e habilidade para executar as tarefas de forma segura. Este trabalha sob responsabilidade de um profissional competente e/ou qualificado.
  12. 12. PONTOS DE ANCORAGEM TEMPORÁRIOS É uma estrutura fixa e sólida na qual o dispositivo de segurança é acoplado, podendo ser vigas, olhais, cabos de aço, tubos metálicos e outros. A ancoragem deve suportar o impacto causado pelo peso do colaborador.
  13. 13. CONTROLE DE RISCOS  Usar sempre os EPI’s;  Cumprir os procedimentos e normas;  Manter o local de trabalho sempre limpo e organizado;  Não realizar serviços em condições inseguras;  Isolar e sinalizar os locais de trabalho;  Inspecionar escadas e andaimes, antes do uso;  Conhecer e aplicar as ações definidas na Análise Preliminar dos Riscos;  NA DÚVIDA, PARE!
  14. 14. O QUE DEVEMOS SABER SOBRE O TRABALHO EM ALTURA?  A partir de 2,0 metros, o cinto de segurança é obrigatório.  O cinto de segurança deve possuir talabarte duplo e em perfeito estado de conservação.  Inspecionar os equipamentos antes de utilizá- los.  Providenciar um sistema que elimine riscos de queda de objetos e ferramentas de trabalho.  Nenhum trabalho pode ser iniciado sem a prévia emissão da Permissão de Trabalho.
  15. 15. É MUITO IMPORTANTE SABER QUE...  É proibida a utilização de qualquer dispositivo para obter altura adicional de uma plataforma.  A estrutura da plataforma deve ser convenientemente contraventada e ancorada, de tal forma a eliminar qualquer oscilação.
  16. 16. Andaimes Conhecendo os acessórios do andaime
  17. 17. Qual seria a definição de andaime? Andaimes são plataformas necessárias à execução de trabalhos em lugares elevados, onde não possam ser executados em condições de segurança a partir do piso. São utilizados em serviços de construção, reforma, demolição, pintura, limpeza e manutenção. Segundo NBR 6494/90 da ABNT...
  18. 18. Objetivo Esta Norma fixa as condições exigíveis de segurança dos andaimes quanto à sua condição estrutural, bem como de segurança das pessoas que neles trabalham e transitam. NBR 6494/90 da ABNT
  19. 19. Conhecendo os acessórios do andaime 1. Trave Utilizada para travar a torre, deve ser colocada a cada 3 metros.
  20. 20. 2. Plataforma Fabricada em chapa de aço antiderrapante proporcionando resistência e segurança.
  21. 21. 3. Sapatas e Rodízios 1.Sapata simples ou fixa 2.Sapata ajustável 3.Rodízio simples 4.Rodízio ajustável
  22. 22. 4. Suporte para rodapé Dispositivo para fixar as madeiras formando o rodapé. Atende a NR 18.
  23. 23. 5. Torre
  24. 24. 6.Escada de acesso ao andaime
  25. 25. Andaime Padrão Tubular 1.Rodapé 3.Rodízio simples 7.Escada de acesso 2.Torre 4.Guarda corpo 5.Plataforma (assoalho) 6.Trave diagonal 1 2 7 6 5 . 4 3
  26. 26. Segurança na utilização de andaimes 1. Toda precaução deve ser tomada para evitar queda de objetos dos andaimes. Não deve haver empilhamento de material sobre os andaimes. 2.Toda a sobra de material deve ser retirada, acondicionada adequadamente ou através da utilização de dutos de descarga. 3. Toda a movimentação vertical de componentes e acessórios para a montagem e/ou desmontagem de andaimes deve ser feita através de cordas ou sistemas próprios de içamento. Não é permitido lançar peças em queda livre.
  27. 27. Obrigada!!!

×