UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ – UFCCurso: Engenharia de AlimentosDisciplina: Introdução à Análise SensorialDocente: Dr(a):...
Seleção e     Treinamento     de Provadores A equipe de provadores é oAAinstrumento da análise.Portanto, quanto melhorsele...
Seleção e Treinamento           de Provadores No planejamento da seleção e treinamento devemos considerar: nossas exigênc...
Pré-SeleçãoInformações dadas                 Critérios da Pré- seleção:Objetivos gerais dos testes;      Interesse;Tempo n...
Seleção e Treinamento        de ProvadoresRecrutamento   Empresa   ComunidadeTempo de Treinamento    Reuniões semanais ...
Procedimentos para seleção Entrevista; Teste de Reconhecimentos de odores; Teste de Intensidade de gostos; Teste de Difere...
Testes DiscriminativosAjustar      o     grau     de   dificuldade do teste;O ajuste deve ser em   função dos resultados  ...
Testes AfetivosProvadoresPopulação alvo: classificação em função de  renda, idade, sexo, etç.Evitar provadores treinados.E...
Treinamento e Motivação  Voluntários Selecionados                       MotivaçãoOs Voluntários são informados de como    ...
ObjetivosFamiliarizar o provador com os  procedimentos dos testes;Aperfeiçoar     sua    habilidade    em  reconhecer e id...
RecomendaçõesRecrutar 3 vezes o número desejado;Testar sensibilidade para a variável específica; Selecionar provadores que...
Hora da Revisão!!!!
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Seleção e treinamento de provadores

319 visualizações

Publicada em

Analise sensorial

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
319
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
17
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Seleção e treinamento de provadores

  1. 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ – UFCCurso: Engenharia de AlimentosDisciplina: Introdução à Análise SensorialDocente: Dr(a): Maria do Carmo Passos RodriguesMonitor: Renier Felinto J. da Rocha
  2. 2. Seleção e Treinamento de Provadores A equipe de provadores é oAAinstrumento da análise.Portanto, quanto melhorselecionada e treinada foressa equipe, maior será aprecisão e exatidão dosresultados obtidos.
  3. 3. Seleção e Treinamento de Provadores No planejamento da seleção e treinamento devemos considerar: nossas exigências versus nossas possibilidades.
  4. 4. Pré-SeleçãoInformações dadas Critérios da Pré- seleção:Objetivos gerais dos testes; Interesse;Tempo necessário; Disponibilidade de Tempo; Saúde ;Freqüência dos testes; Não ter aversão ao produto;Necessidade de seleção e Facilidade de Trabalhar em treinamento. grupo.Informações sobre os provadores: questionários e/ou entrevista.
  5. 5. Seleção e Treinamento de ProvadoresRecrutamento  Empresa  ComunidadeTempo de Treinamento  Reuniões semanais  Duração da reunião  Tipo de provador
  6. 6. Procedimentos para seleção Entrevista; Teste de Reconhecimentos de odores; Teste de Intensidade de gostos; Teste de Diferença. Testes Específicos Iniciar com um grupo de 2 ou 3 vezes o nº de provadores que se desejana equipe Testes recomendados: os que determinam a habilidade do provadorem discriminar diferenças no produto ( para testes discriminativos); emdiscriminar e usar escalas ( para testes descritivos);Nesses testes as amostras devem apresentar o tipo de variaçãosimilar a que vai ser estudada.
  7. 7. Testes DiscriminativosAjustar o grau de dificuldade do teste;O ajuste deve ser em função dos resultados da 1º sessão de seleção. Recomenda-se obter diferenças significativas somente em nível de 1% (p=0,01);Teste mais recomendado: Triangular;Selecionar candidatos com mais de 60 a 70 % de acertos;
  8. 8. Testes AfetivosProvadoresPopulação alvo: classificação em função de renda, idade, sexo, etç.Evitar provadores treinados.Evitar funcionários da empresa. Número de Provadores: De acordo com o local de aplicação dos testes: Laboratório: entre 25 e 100 Local central: mínimo de 100 Em Residência : Entre 50 e 100 domicílios
  9. 9. Treinamento e Motivação Voluntários Selecionados MotivaçãoOs Voluntários são informados de como Resultados parciais e finais sãoacorrem as percepções. fornecidos como informação.São treinados para um tipo de produtoA terminologia é ensinada e padronizadaParticipam de discussão em mesa-redonda para esclarecimento de termos edesenvolvimento de um espírito de grupo.O termo de treinamento dos voluntáriosselecionados depende da complexidadedo produto. Normalmente de 3 a 6 meses.
  10. 10. ObjetivosFamiliarizar o provador com os procedimentos dos testes;Aperfeiçoar sua habilidade em reconhecer e identificar atributos sensoriais nos alimentos;Melhorar sua capacidade sensitiva e de memória;Obter julgamentos precisos e consistentes através da “padronização” das medidas sensoriais, a fim de que os resultados possam ser re produzidos.
  11. 11. RecomendaçõesRecrutar 3 vezes o número desejado;Testar sensibilidade para a variável específica; Selecionar provadores que mostram: Sensibilidade para a variável em estudo. Apresentam repetibilidade de respostas. Possuam características pessoais como: interesse, disponibilidade de tempo, inteligência, honestidade, objetividade e estabilidade Treinamento com o produto, usando o procedimento final do teste. Estudo final: cada provador deve participar em igual número de vezes. Manter o interesse e a motivação. Visar um balanço entre os extremos dos fatores de personalidade.
  12. 12. Hora da Revisão!!!!

×