REFLEXÕES SOBRE
A INFLUÊNCIA DA GLOBALIZAÇÃOA INFLUÊNCIA DA GLOBALIZAÇÃO
NA EDUCAÇÃO SUPERIOR
Alexey Carvalho
Doutorando e...
Estrutura do Artigo
• Introdução
• Organismos Internacionais
• Influências dos Organismos Internacionais
• Considerações F...
Organismos Internacionais
Fundo Monetário Internacional (FMI)
Banco Mundial (BM)
Organização Mundial do Comércio (OMC)
Org...
Influências dos Organismos Internacionais
Orientações do Banco Mundial
1) Fomentar a maior diferenciação das instituições,...
Influências dos Organismos Internacionais
Orientações do Banco Mundial
1) Fomentar a maior diferenciação das instituições,...
Influências dos Organismos Internacionais
Desafios das IES segundo a OCDE (2008)
1) Aumentar as taxas inclusão no ensino
s...
Influências dos Organismos Internacionais
Orientações da OCDE (2008)
1) Adequar as estratégias de financiamento às
priorid...
Evidências da influência das Orientações
1) Entre 2001 e 2012 o número de IES no Brasil
cresceu 74%, passando de 1.391 par...
Evidências da influência das Orientações
5) Criação do Exame Nacional de Cursos em
1995 “provão” embrião do ENADE;
6) Cria...
Visão dos Organismos Internacionais
1) A educação superior é importante
instrumento para o desenvolvimento
econômico e por...
Reflexões Permanentes
1) Financiamento do ensino superior sobre o
princípio de partilha de custos entre o Estado e
estudan...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

REFLEXÕES SOBRE A INFLUÊNCIA DA GLOBALIZAÇÃO NA EDUCAÇÃO SUPERIOR

384 visualizações

Publicada em

Apresentação do Artigo: REFLEXÕES SOBRE A INFLUÊNCIA DA GLOBALIZAÇÃO NA EDUCAÇÃO SUPERIOR realizada no Seminário Internacional de Educação da Universidade de Sorocaba - UNISO em 26/10/2014.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
384
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

REFLEXÕES SOBRE A INFLUÊNCIA DA GLOBALIZAÇÃO NA EDUCAÇÃO SUPERIOR

  1. 1. REFLEXÕES SOBRE A INFLUÊNCIA DA GLOBALIZAÇÃOA INFLUÊNCIA DA GLOBALIZAÇÃO NA EDUCAÇÃO SUPERIOR Alexey Carvalho Doutorando em Educação – Uniso 26 de Outubro de 2014
  2. 2. Estrutura do Artigo • Introdução • Organismos Internacionais • Influências dos Organismos Internacionais • Considerações Finais • Referências
  3. 3. Organismos Internacionais Fundo Monetário Internacional (FMI) Banco Mundial (BM) Organização Mundial do Comércio (OMC) Organização para a Cooperação e Desenvolvimento EconômicoOrganização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO)
  4. 4. Influências dos Organismos Internacionais Orientações do Banco Mundial 1) Fomentar a maior diferenciação das instituições, incluindo o desenvolvimento de instituições privadas; 2) Proporcionar incentivos para que as instituições públicas diversifiquem suas fontes depúblicas diversifiquem suas fontes de financiamento, inclusive com a participação dos estudantes nos custos, além de uma estreita vinculação entre o financiamento e os resultados; 3) Redefinir a função do governo no ensino superior; 4) Adotar políticas que priorizem os objetivos de qualidade e equidade.
  5. 5. Influências dos Organismos Internacionais Orientações do Banco Mundial 1) Fomentar a maior diferenciação das instituições, incluindo o desenvolvimento de instituições privadas; 2) Proporcionar incentivos para que as instituições públicas diversifiquem suas fontes depúblicas diversifiquem suas fontes de financiamento, inclusive com a participação dos estudantes nos custos, além de uma estreita vinculação entre o financiamento e os resultados; 3) Redefinir a função do governo no ensino superior; 4) Adotar políticas que priorizem os objetivos de qualidade e equidade.
  6. 6. Influências dos Organismos Internacionais Desafios das IES segundo a OCDE (2008) 1) Aumentar as taxas inclusão no ensino superior; 2) Melhorar a qualidade; 3) Alcançar nível sustentável de financiamento.3) Alcançar nível sustentável de financiamento.
  7. 7. Influências dos Organismos Internacionais Orientações da OCDE (2008) 1) Adequar as estratégias de financiamento às prioridades nacionais; 2) Garantir e melhorar a qualidade.
  8. 8. Evidências da influência das Orientações 1) Entre 2001 e 2012 o número de IES no Brasil cresceu 74%, passando de 1.391 para 2.412; 2) O crescimento foi de 75% nas IES privadas e 66% nas públicas; 3) O número de Faculdades privadas passou de3) O número de Faculdades privadas passou de 1.059 para 1.898, com aumento de 79%; 4) Nas públicas houve o incremento de 37 novas Universidades Federais e 14 Institutos Federais.
  9. 9. Evidências da influência das Orientações 5) Criação do Exame Nacional de Cursos em 1995 “provão” embrião do ENADE; 6) Criação do Programa Universidade para Todos (PROUNI) em 2005; 7) Ampliação em 2010 dos recursos para o Fundo de Financiamento Estudantil (FIES),Fundo de Financiamento Estudantil (FIES), criado em 1999, com 1,16 milhão de contratos entre 2010 e 2013. 8) Obrigatoriedade do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) para acesso às IES públicas, PROUNI e FIES
  10. 10. Visão dos Organismos Internacionais 1) A educação superior é importante instrumento para o desenvolvimento econômico e por sua vez pode contribuir para a redução das desigualdades sociais; 2) É preciso ampliar o acesso à educação superior, seja por meio de instituiçõessuperior, seja por meio de instituições públicas ou privadas; 3) É necessário que haja um sistema de qualidade na educação superior capaz de garantir a adequada aplicação dos recursos em face aos resultados para a sociedade.
  11. 11. Reflexões Permanentes 1) Financiamento do ensino superior sobre o princípio de partilha de custos entre o Estado e estudante; 2) Caráter reducionista dos sistemas de avaliação que negligenciam a contextualização e o papelque negligenciam a contextualização e o papel de inserção social das IES; 3) A busca por tratar a educação superior como serviço, negociável internacionalmente e regulada pela OMC, em oposição à concepção de bem público e social.

×