Ciclo cardíaco

39.275 visualizações

Publicada em

Fisiologia do Coração

Publicada em: Educação
1 comentário
7 gostaram
Estatísticas
Notas
  • muito interessante esse texto,me tirou algumas duvidas q tinha sobre o ciclo cardiaco,parabens.
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
39.275
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
441
Comentários
1
Gostaram
7
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ciclo cardíaco

  1. 1. Fisiologia Ciclo Cardíaco Ciclo cardíaco é o ciclo completo de um batimento, que consiste na contração dos átrios, com posterior relaxamento, enquanto os átrios estão contraindo os ventrículos estão relaxados e quando os átrios se relaxam os ventrículos se contraem. Por definição são os eventos cardíacos que ocorrem desde o início de um batimento cardíaco até o início do batimento seguinte. Quantos ciclos cardíacos têm em um minuto, em média? Em média uns 80 batimentos por minuto, chamado de frequência cardíaca. O inicio de cada ciclo ocorre a partir da geração espontânea do potencial de ação no nodo sino atrial, que ao ser transmitido causa a despolarização atrial chegando ao nodo átrio ventricular ocorrendo um retardo para permitir o enchimento dos ventrículos seguindo para o sistema His-Purkinje, permitindo então a contração dos ventrículos. O coração é uma bomba, em especial quando pensamos na contração das câmaras ventriculares, então, a força cardíaca se resume basicamente na contração dos ventrículos, mais especificamente no ventrículo esquerdo. O ventrículo direito envia o sangue para o pulmão para que o sangue seja oxigenado e o ventrículo esquerdo envia para o corpo o sangue oxigenado. Toda oxigenação tecidual corpórea é proveniente do sangue é ejetado na aorta. Então no coração, o ventrículo
  2. 2. esquerdo vai bombear para oxigenar todo o corpo levando nutriente eoxigênio, o ventrículo direito vai bombear para o pulmão para ocorrer àstrocas, para limpar o sangue.Todos os vasos que chegam ao coração chamamos de veia.Todos os vasos que saem do coração chamamos de artéria.Saindo do coração são os vasos dos ventrículos, artéria pulmonar e aorta,chegando ao coração são os vasos dos átrios, veia cava e veia pulmonar.O sangue que está presente no ventrículo esquerdo é um sangue rico em O₂, osangue que sai do ventrículo direito é rico em CO₂.O sangue que está presente no átrio esquerdo é rico em O₂ e o sangue quechega no átrio direito é rico em CO₂.O átrio direito ou coração direito, circula sangue venoso e o átrio esquerdo oucoração esquerdo, circula sangue arterial.Quando os ventrículos se contraem para ejeção do sangue, o sangue doventrículo esquerdo vai para aorta e do ventrículo direito para artériapulmonar.O sangue arterial chega ao átrio esquerdo e o sangue venoso pelo átrio direito.O caminho de sair da aorta e retorno através da veia cava, chamamos deretorno venoso.A quantidade de sangue que chega aos átrios tem que ser a mesma quantidadede sangue que saem dos ventrículos, para que o volume que fica dentro docoração, que permite que ele funcione como uma bomba, se mantenha, entãoa quantidade de volume sanguíneo que deixa tem que ser igual a quantidadede volume que chega.Alteração nesta hemodinâmica causa transtornos vasculares, por exemplo,numa hemorragia perde-se sangue e o volume de saída fica diferente dovolume de chegada, tendo-se então um choque cardiogênico, ou seja, ocoração entra em pane por que não tem sangue o suficiente para bombear.A quantidade de sangue que sai do ventrículo esquerdo tem que ser igual aquantidade de sangue que chega ao átrio direito e a quantidade de sangue quesai do ventrículo direito tem que ser igual a quantidade de sangue que chegaao átrio esquerdo.
  3. 3.  Quando se faz uma comparação entre propagação do potencial de ação, aumento de cálcio inracelular e contração efetiva, sempre ocorrerá primeiro a depolarização do atrios (linha preta no gráfico), após a despolarização há o aumento de cálcio intracelular (linha azul no gráfico), e só depois que a concentração de cálcio intracelular aumentou é que se efetiva a contração (linha vermelha pontilhada do gráfico). O ciclo cardíaco é composto de sístoles, que são as contrações atriais e ventriculares, e de diástoles, que são os relaxamentos atriais e ventriculares. O controle do enchimento cardíaco, principalmente o ventricular, se dá por duas válvulas cardíacas, chamadas de válvula tricúspide, do lado direito, e válvula mitral, do lado esquerdo. Os ventrículos só se enchem quando essas válvulas estiverem abertas. Quando o ventrículo vai se contrair as válvulas tem estar fechadas.
  4. 4.  Explicação do GráficoA linha de tempo designadono gráfico é o tempo de umbatimento.As ondas geradas são pressõesdesenvolvidas nos átrios e nosventrículos no decorrer dotempo desse batimentoEste gráfico pode ser divididoem 7 fases, onde a fase A estárelacionada com os átrios.Quando se avalia de B a F,está relacionado com osventrículos, desde de suadespolarização até arepolarização.A fase A há o aumento depressão nos átrios, sempre quehá um aumento de pressão éuma contração, ou seja, acontração dos átrios nestafase, e o enchimento dosventrículos.Os átrios estavam relaxados aválvula mitral estava fechadae o átrio estava se enchendo, oventrículo relaxou a tal pontoque a pressão interior erainferior a pressão dos átrios e por isso a válvula mitral se abre. O gatilho paraabertura de todas as válvulas é a diferença de pressão.Quando a pressão ventricular é menor que a dos atrios as válvulas tricuspede emitral se abrem, quando a pressão nos ventrículos é maior do que a das artériasas válvulas semilunar e aórtica se abrem.Quando a pressão do ventrículo aumenta a ponde de ficar maior do que a dosatrios , as válvulas se fecham.Quando a pressão das artérias aumenta de forma a ficar maior que a dosventrículos as válvulas de fecham.Sempre as válvulas iram se fechar por diferença de pressão.Pensando no coração esquerdo, a pressão ventricular está muito baixa, entornode zero, se essa pressão ventricular esta baixa a pressão no átrios esta maior,então as válvulas estão abertas. O sangue que está voltando para o coração,passa passivamente, enchendo os ventrículos, até que o nodo sino atrial gere o
  5. 5. estimulo e os átrios se contraem, quando os átrios se contraem os átrios acabemde encher os ventrículos. A contração atrial é termino do enchimento ventricular.Quando os átrios terminam de encher os ventrículos, começam a relaxar, e este éo gatilho para que as válvulas se fechem.Este momento de ejeção atrial e o fechamento das válvulas se tem o fechamentode todas as válvulas, a tricúspide, a mitral, a semilunar e a aórtica, deixando todoo sangue preso nos ventrículos, gerando uma pressão que só aumenta, semalteração do volume. Esse aumento de pressão ventrículos, sem a alteração dovolume é chamada de isovolumétrica. Por exemplo, uma xuxinha de cabelo, asfibras da xuxinha são células que quando estão sendo esticadas está contraindo,mas o volume não muda.A pressão nos ventrículos aumenta tanto que fica maior que a pressão dasartérias e por isso as válvulas semilunar e aórtica se abrem. Neste momento há aejeção do sangue que esta nos ventrículos pra as artérias, ejeção ventricularrápida.Ainda ejeta um pouco mais, chamada de ejeção ventricular lenta.Não se consegue ejetar todo o sangue que esta no coração, possui volumeresidual. O coração ejeta cerca de 70 mL e resta cerca de 60mL.Fisiologicamente tem que ficar um pouco de sangue residual.Existem situações em que o coração não consegue ejetar de forma eficiente, queé a insuficiência cardíaca.O coração ejeta cerca de 55%, e quando se diz, por exemplo, que a fração deejeção estava a 20% é por que o coração não estava ejetando, então estavainsuficiente.A válvula aórtica se abriu, os ventrículos fizeram a ejeção por completo e após acontração inicia o relaxamento.O sangue foi ejetado para as artérias, as artérias são elásticas, o sangue faz comque a pressão arterial aumente, fazendo com que a válvula aórtica se feche.Da mesma forma que se tem a contração isovolumétrica, se tem o relaxamentoisovolumétrico.O ventrículo se relaxou a tal ponto que pressão do átrio ficou maior que apressão do ventrículo, novamente as válvulas se abrem e o ciclo se reinicia.Enquanto os ventrículos estão ejetando os átrios estão relaxados recebendosangue.Quando a válvula aórtica se fecha o ventrículo continua relaxado, mas a válvulamitral ainda esta fechada. E num segundo momento as duas válvulas estãofechadas, onde só haverá relaxamento, chamado de relaxamento isovolumétrico,até um ponto que a pressão ventricular fica inferior a pressão atrial, nessemomento há a despolarização. Abriu a válvula, os átrios já estão cheios desangue, pois esta recebendo sangue que estão vindo do corpo, já passa sanguepara o ventrículo, enchimento passivo, por que o átrio ainda não contraiu.
  6. 6.  Outra explicação do gráfico anterior. Quando se tem contração de ventrículo, queda de pressão, aumento de volume. Quando se tem um aumento de volume, tem relaxamento de ventrículo para o seu enchimento. Alça pressão-volume É um gráfico que vai relacionar a pressão dos ventrículos, com o seu volume. Tem um volume máximo ventricular e se aumente a pressão, ocorre contração. Se a contração não altera o volume, é uma contração isovolumétrica. A partir do momento que essa contração começa a diminuir volume, ocorre a ejeção ventricular. No momento pós ejeção, começa ter um relaxamento, novamente sem alteração no volume, ou seja, uma relaxamento isovolumétrico. No final de B a pressão ventricular esta muito baixa, então começa o aumento de volume ventricular A- Volume sistólico final B- Abertura da valva mitral C- Final da diástole D- Abertura da valva aórtica. A área interior do gráfico, se calculada, nos dá o Trabalho cardíaco. Trabalho em fisiologia é a força x o volume, ou seja, a relação entre a força do coração esta fazendo e o volume que ele esta ejetando, então é a eficiência cardíaca.
  7. 7.  Bulhas cardíaca São os sons que escutamos durante a aferição de pressão. Temos dois importantes sons que são possíveis de se escutar, os dois de amplitude maior especificados no gráfico são os que escutamos em adultos. Em criança consegue-se escutar três sons. O primeiro som que escutamos é a pressão sistólica, é quando a válvula mitral e a tricúspide se fecham. Quando escutamos Tum-Tum, o primeiro Tum é da mitral e o segundo Tum é da tricúspide, pois a tricúspide fecha um pouquinho após a mitral. Os dois juntos é o primeiro som que escutamos. Passa-se um tempo, e se escuta o segundo Tum-Tum, que são provenientes da válvula aórtica e semilunar, novamente a aórtica se fecha primeiro que a semilunar, então o primeiro Tum é da aórtica e o segundo da semilunar. Pulso Normalmente a palpação do pulso é uma das primeiras fontes de informação acerca da ação cardíaca, Por estar sincronizado com o ciclo cardíaco (embora defasado), o pulso periférico nos permite saber, por exemplo, a frequência cardíaca. Não se pode sentir o pulso com o dedão, pois pode-se sentir o próprio pulso, por isso deve-se sentir a pulsação com o indicador e o dedo médio. Na pulsação consegue-se sentir a frequência cardíaca. Quando o coração ejeta nas artérias, ela se estica e apesar dessa pressão sofrer variações, gera uma onda. Essa onda é sentida em todas as artérias. Por isso é possível sentir a frequência cardíaca em qualquer artéria. Não se pode medir a frequência cardíaca no pescoço, pois pode causa uma hipotenção cardíaca. PRESSÃO DIASTÓLICA É a pressão que precede o relaxamento, ocorre no momento exato antior a contração. Pode ser enfluenciada pela resistência periférica e pela frequência cardíaca.
  8. 8.  Mecanismo de FRANK-STARLING. OTTO FRANK e ENERST HENRY STARLING descreveram uma teoria de funcionamento cardíaco chamada de teoria de Frank-Starling, onde define a eficiência da contração. “A lei do coração é, pois, a mesma do músculo esquelético, a saber, a energia mecânica liberada na passagem do estado relaxado para o de contração depende da área das superfícies quimicamente ativas, isto é, do comprimento das fibras musculares.” Nas palavras de Starling. O coração possui um posicionamento de fibras adequado, quando essa sobreposição é perfeita a contração é melhorada, ou seja, existe um relaxamento adequado para uma contração adequada. Por exemplo a xuxinha de cabelo, quando mais eu a estico, com mais força ela volta. Quanto maior o relaxamento a ponto de deixar o coração com a sobreposição dos sítios de aquitina e miosina de forma adquada, melhor será a eficiência de contração. Mas se esticar muito a xuxinha, vai chegar um ponto em que a xuxinha não vai suporta. Então existe um ponto adequado. 1:01:57

×