Appa

814 visualizações

Publicada em

Publicada em: Turismo, Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
814
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
2
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Appa

  1. 1. TENDÊNCIAS PARA A MOVIMENTAÇÃO DE CARGAS DO AGRONEGÓCIO NA APPA<br /> <br /> MOVIMENTAÇÃO DOS PRINCIPAIS PRODUTOS DO AGRONEGÓCIO PELA APPA<br />(Últimos 20 anos)<br />Fonte: APPA –OBS.: incluídas as movimentações do porto de Antonina.<br />
  2. 2. GRÁFICO 1: EXPORTAÇÃO DE SOJA NO PARANÁ – 1991 A 2010<br />Fonte: APPA –OBS.: incluídas as movimentações do porto de Antonina.<br />GRÁFICO 2: IMPORTAÇÕES DE FERTILIZANTES NO PARANÁ – 1991 A 2010<br />Fonte: APPA –OBS.: incluídas as movimentações do porto de Antonina.<br />
  3. 3. GRÁFICO 3: PRODUÇÃO DE SOJA NO PARANÁ – 2002 a 2011<br />Fonte: SEAB/DERAL<br />PRODUÇÃO DE SOJA E MILHO NO PARANÁ (t)<br />( 10 Anos )<br />Fonte: SEAB/DERAL<br />
  4. 4. CONSIDERAÇÕES FAVORÁVEIS AOS PRODUTOS NO PARANÁ<br />A produção no Paraná, tanto de soja como de milho, vem crescendo aritmeticamente ao longo dos últimos 10 anos, excepcionalmente em 03 anos quando houve frustrações de safras por razões climáticas.<br />A continuidade da motivação pelo plantio de soja principalmente, por parte dos produtores rurais, se deve a vocação do Paraná pelo produto, pelo mercado mundial em crescente consumo e preços atrativos embora a variação cambial seja desfavorável no momento atual, a evolução da tecnologia de produção que tem proporcionado aumento da produtividade, entre outros.<br />Não se prevê para os próximos 20 anos um produto substituto da soja como fornecedor de proteína vegetal.<br />O Estado possui rebanhos suínos, bovinos e avícolas, principalmente, que oferecem uma demanda crescente por soja e milho, o que garantirá o mercado em situações em que a conjuntura internacional possa desfavorecer grandes volumes de exportações.<br />O desenvolvimento acelerado da biotecnologia deverá oferecer a curto prazo variedades de soja e milho que duplicarão a produtividade desses produtos.<br />A expansão das áreas para essas culturas esta limitada as áreas ocupadas atualmente com pastagens principalmente, embora novas variedades e manejo com aprimoramento tecnológico vêm proporcionando ganhos de produtividade nos últimos 03 anos.<br /> <br />CONSIDERAÇÕES DESFAVORÁVEIS AOS PRODUTOS NO PARANÁ<br />Custos de produção crescentes que podem tornar a produção dos estados do centro oeste principalmente mais atraentes aos mercados.<br />Estagnação do aumento da produção pela limitação da expansão das áreas de plantio.<br />Legislação ambiental que obrigue a redução de algumas áreas de plantio.<br /> <br />MOVIMENTAÇÃO DE SOJA E FARELO NO PORTO DE PARANAGUÁ<br />Tendências positivas:<br />O volume de exportações de soja e farelo nos últimos 10 anos vem se mantendo estável, com pequenas variações entre em 11 a 12 milhões de toneladas. <br />O aumento do consumo interno do estado poderá ser compensado pelo crescimento marginal das áreas de plantio e pelo significativo aumento da produtividade com as novas variedades desenvolvidas pela biotecnologia.<br />O crescimento significativo da produção dos demais estados, MS, TO, GO, MT, SC, SP e o Paraguai, que deverá voltar a exportar por esse porto.<br />Aparelhamento do porto, que é o único tradicional e especializado na exportação de granéis sólidos do Brasil com tarifas ainda atrativas em relação aos demais portos.<br />
  5. 5. Tendências negativas:<br /> Entrada em operação dos portos de região norte do país nos próximos 05 anos, Itaqui no MA, Santarém no PA e Itacoatiara no AM, principalmente.<br />O porto de Santos pode oferecer alguma ameaça ao porto de Paranaguá pela conclusão da ferrovia norte – sul e pela possível melhoria de seu aparelhamento, entretanto, os enormes gargalos e suas tarifas poderão diminuir essa ameaça.<br />Colapso operacional do porto de Paranaguá pelas suas dificuldades logísticas atuais.<br /> <br />OUTROS PRODUTOS EM PARANAGUÁ<br />A movimentação do açúcar vem crescendo significativamente, com tendência a ter uma tendência de aumentar ainda mais pela importância do produto no mercado mundial e pelo dinamismo das empresas que operam com esse porto na conquista de novos mercados.<br />A importação de fertilizante vem crescendo na sua movimentação em Paranaguá, por onde chegam cerca de 50% do produto importado pelo Brasil. Essa tendência de aumento de movimentação deve continuar devido ao desenvolvimento técnico da agricultura brasileira.<br /> <br /> <br />CONCLUSÃO<br />Sob nossa análise, o porto de Paranaguá deverá manter os volumes movimentados do complexo soja, com leve tendência de aumento durante os próximos 05 anos, quando deverá entrar em operação os portos da região norte do Brasil.<br />Embora os complexo soja tenha tendência a manter os volumes de exportação, outros produtos tendem a aumentar significativamente; o açúcar na exportação e o fertilizante na importação.<br />A melhoria da logística e a expansão do portos de Paranaguá é indispensável para viabilizar as exportações pelo estado do Paraná.<br />Equipamentos com acentuado aumento de produtividade e novos berços de múltiplo uso são fundamentais para essa melhoria.<br /> <br />Nilson Hanke Camargo Curitiba, 17 de Maio de 2011.<br />Departamento Técnico-Econômico<br />FAEP <br /> <br />

×