Contratação mão de obra

825 visualizações

Publicada em

Seminário apresentado em 17/11/2010 na disciplina de Princípios de Administração Financeira, UFCG.

Publicada em: Negócios, Esportes, Tecnologia
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Contratação mão de obra

  1. 1. Contratação de mão de obra Vítor Avelino
  2. 2. Estágio PJ CLT Flex Cooperado CLT
  3. 3. CLT
  4. 4. Como fica o empregado?
  5. 5. Algumas vantagens... • Benefícios estabelecidos em lei (férias, FGTS e licença médica remunerada) • Segurança quanto à remuneração • Utilização dos direitos conseguidos pela categoria profissional e sindicatos
  6. 6. Mais vantagens! • Utilização de benefícios no caso de demissão por parte da empresa: FGTS, multa por rescisão, salário desemprego, etc. • A empresa pode oferecer benefícios adicionais (escolas ou cursos pagos, vale-refeição, vale-transporte, bônus por horas trabalhadas, brindes, etc.)
  7. 7. Porém, desvantagens... • Aumentos de remuneração dependentes da disponibilidade (ou conjungação de vários fatores) da empresa ou de acordo com sindicatos e governo • Descontos consideráveis em folha de pagamento
  8. 8. Mais desvantagens... • No caso do pedido de demissão, o funcionário fica com o valor do FGTS retido, além de não receber o valor de multa por rescisão • Tendência à comodidade ("afrouxamento") em relação à remuneração
  9. 9. E mais um pouco! • Total dependência profissional da empresa (método de trabalho, chefias, ambiente, etc.) • Nem sempre o funcionário tem formas de contestar as horas trabalhadas, a não ser pelos penosos processos judiciais
  10. 10. E o empregador?
  11. 11. Algumas vantagens... • Relação com funcionários tendem a ser mais estáveis e duradouras • Maior possibilidade de desenvolver uma identidade da empresa • Maior controle da qualidade de pessoal
  12. 12. Mais vantagens! • Gastos com pessoal são mais previsíveis • Maior facilidade para projetos de longo prazo
  13. 13. Porém, desvantagens... • Alto custo operacional • Necessidade de contornar deficiências oriundas de benefícios, como, por exemplo, férias, faltas justificadas, etc.
  14. 14. E mais um pouco delas! • Governos e/ou sindicatos podem aumentar custos de pessoal • Dificuldade em realocar pessoal para determinadas tarefas sem prejudicar outras
  15. 15. PJ
  16. 16. Como fica o contratado?
  17. 17. Ganhos do contratado... • Grande dimunição dos descontos na remuneração • Possibilidade de negociação da remuneração de acordo com o mercado • Maior independência no trabalho (método, horário, instrumentos, etc.)
  18. 18. • Possibilidade de prestação de serviços a outras empresas • Possibilidade de parcerias com outras empresas prestadoras de serviços • Maiores desafios e maior motivação Outras vantagens
  19. 19. Nem tudo são maravilhas... • Empresa deve prover seus próprios recursos nos casos de ausência de trabalho sem remuneração ou afastamento médico • Necessidade de manter contratos em andamento
  20. 20. • Concorrência pode levar à diminuição dos valores para determinados serviços • Investimentos profissionais muitas vezes são feitos com recursos próprios Mais desvantagens...
  21. 21. E o contratante?
  22. 22. Alguns ganhos... • Diminuição imediata de custo operacional • Possibilidade de trabalho com quadro variável de pessoal • Fácil negociação de custos de serviços
  23. 23. Mais vantagens... • Fácil rescisão de contratos, sem ônus legais • Custos de serviços baseados em valores de mercado • Maior flexibilidade de alocação de pessoal para fins específicos
  24. 24. Mas, prestemos atenção! • Contrato pode dar margens a imprecisões dos serviços • Necessidade de seguir orientações de mercado, tanto para custos quanto para qualidade dos serviços • Necessidade de obter boas referências no mercado • Preços de determinados serviços podem crescer inesperadamente no mercado
  25. 25. CLT Flex
  26. 26. Artifício para pagar menos imposto Apenas 40% a 60% do salário é assinado Direitos como FGTS e INSS enfraquecidos
  27. 27. Beneficia os dois lados Vem tordando-se bastante utilizado Maior risco para o empregado
  28. 28. Cooperado
  29. 29. Aumento imediato da remuneração Custo operacional dividido Requer investimentos privados
  30. 30. Está cada vez mais em desuso Contato direto entre cooperativa e empregado Maior risco para o empregado
  31. 31. Estágio
  32. 32. Máximo 30 horas/semana Férias de 30 dias sem abono Vínculo de no máximo dois anos Remuneração e auxílio transporte compulsórios Não existe piso estabelecido
  33. 33. Quantos estagiários?
  34. 34. • De um a cinco empregados: um estagiário • De seis a dez empregados: até dois estagiários • De 11 a 25 empregados: até cinco estagiários • Acima de 25 empregados: até 20% de estagiários
  35. 35. Caso de estudo Simples nacional
  36. 36. Custo de um empregado?
  37. 37. • 8% de FGTS sobre o salário • Férias + 1/3 de abono • 13º salário
  38. 38. Encargos da empresa?
  39. 39. • IRPJ, PIS/PASEP, COFINS, CSLL e ISS • 6% até 18,50% sobre o faturamento (R$ 0 até 2,4 mi)
  40. 40. Obrigado! Vítor Avelino vitor88@gmail.com - @vitoravelino
  41. 41. Crédito das fotos • http://www.flickr.com/photos/stuartpilbrow/2942333106/ • http://www.flickr.com/photos/swamysk/360173450/ • http://www.flickr.com/photos/labor2008/2743984517/ • http://www.flickr.com/photos/trushu/524574337/ • http://www.flickr.com/photos/usacehq/4857211814/ • http://www.flickr.com/photos/post406/252879466/ • http://www.flickr.com/photos/peterjbaer/2133040558/ • http://www.flickr.com/photos/bpamerica/4645402502/ • http://www.flickr.com/photos/johncohen/152850884/

×