1. o que é filosofia

729 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
729
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
17
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

1. o que é filosofia

  1. 1. Antes de falarmos de Filosofia, precisamos saber o que ela é, o que significa. Etimologicamente, o termo Filosofia vêm das palavras gregas “philos”, que significa amizade, e “sophia”, que quer dizer sabedoria. Portanto, Filosofia é a amizade com a sabedoria. Ora, então podemos que o filósofo é o amigo do saber ou da sabedoria, ou seja, é aquele que tem “sede” de conhecimento.
  2. 2. Diversas civilizações antigas tiveram muito conhecimento sobre o mundo e o universo. Porém, o conhecimento era mantido nas mãos de poucos, dos sacerdotes dessas civilizações. Foi na Grécia Antiga que o conhecimento se tornou democrático, ou melhor, democratizado. A palavra democracia, assim como filosofia, também deriva de duas palavras gregas: “demos”, que significa „povo‟, e “kratos”, que significa „governo‟. Mais adiante, veremos que os filósofos clássicos Platão e Aristóteles não gostavam da democracia como forma de governo. Para eles, a melhor forma de governo seria a Aristocracia, isto é, o governo dos melhores.
  3. 3. O objeto de estudo da Filosofia, pode-se dizer, é o pensamento, são as ideias, os conceitos sobre a realidade.
  4. 4. Se entendermos a Filosofia como a atividade de pensar, a resposta é sim. Na história da humanidade, os homens sempre pensaram, de alguma forma. Antes de tudo, temos que entender que, antigamente, não existia a separação entre ciência e filosofia. Tudo era Filosofia ou ciência natural.
  5. 5. Antes do pensamento filosófico-científico, o mundo era explicado através dos mitos. Você já ouviu falar em Mitologia? O que isso significa? A palavra mito vem do grego “mythos” e significa fábula, e até mentira em alguns casos. Os personagens principais dos mitos gregos são os deuses. Podemos dizer, portanto, que o mito grego tem duas características fundamentais, que são: a tentativa de explicar um fenômeno qualquer e a presença de forças ou seres sobrenaturais (deuses).
  6. 6. Na Grécia Antiga, acreditava-se em vários deuses. Isso significa dizer que o povo grego antigo era politeísta. “Poli” é uma palavra grega e significa „muitos‟; “theo”, que também é grego, significa „deus‟. Portanto, muitos deuses. No Brasil atual, por exemplo, tanto a cultura quanto as diversas religiões existentes, podem ser consideradas monoteístas, pois acreditam num único deus.
  7. 7.  É o deus grego primordial. Representa a desordem inicial do mundo, portanto, é considerado o deus da desordem, como o próprio nome já sugere.
  8. 8.  É considerado o pai de todos os deuses e dos homens, além de ser o deus do céu e do trovão. Teve diversas esposas e casos com deusas e humanas.
  9. 9.  É considerado o deus da razão, da clareza, do sol, da luz da verdade.
  10. 10.  É a deusa da sabedoria, da inteligência. É também a deusa virgem e padroeira da cidade de Atenas, capital da Grécia.
  11. 11.  É o deus supremo dos mares e também dos terremotos.
  12. 12. Ainda sobre a Grécia Antiga, mas sem esquecer o momento atual, falaremos de senso comum. Mas o que significa isso? Senso comum é também chamado de conhecimento espontâneo, que todos temos e usamos nos aspectos comuns do nosso viver. O senso comum é um sistema de conhecimento sem métodos de transmissão ou recebimento; e é transmitido e recebido sem ser enquadrado num sistema. Portanto, é ametódico e assistemático. É, também, um conhecimento empírico, pois é resultado da experiência.
  13. 13. A ciência, por sua vez, também é empírica, pois precisa fazer experimentos para chegar a determinadas conclusões. Porém, diferentemente do senso comum, ela tem seus próprios métodos e sistemas de trabalho. Muitas vezes o senso comum evolui para um conhecimento científico, tornando- se, assim, uma ciência.
  14. 14. Se houve um tempo em que tudo era explicado através do mito e do sobrenatural, também houve um tempo em que os homens começaram a fazer questionamentos acerca do mundo e da natureza. Estes homens foram considerados os primeiros filósofos-cientistas. Vejamos alguns dos principais filósofos pré- socráticos e seus archés (princípios, em grego):
  15. 15.  Ao observar a natureza, percebeu que tudo o que morre, seca, que todos os seres vivos têm a água como base da vida. Por isso, afirmou que “tudo é água”. Foi considerado o primeiro filósofo (dito assim por Aristóteles).
  16. 16.  Foi discípulo de Tales. Considerava como elemento primordial, formador de tudo, o ar (pneuma, em grego).
  17. 17.  Considerava que a terra era o princípio (arché) de tudo.
  18. 18.  É o filósofo do “tudo passa” (panta rei) e da frase clássica “não se pode pisar duas vezes no mesmo rio”. Acreditava que o fogo era o princípio de tudo.
  19. 19.  Acreditava na união dos quatro elementos. Portanto, para ele, o princípio de tudo era a união da água, terra, fogo e ar.
  20. 20.  Acreditava que o princípio de tudo era o ápeiron, que em grego significa indeterminado. Portanto, para ele, tudo é formado por algo que não possui forma.
  21. 21.  Tinha como o princípio de tudo o átomo, que significa indivisível. As coisas, para ele, são formadas por partículas tão pequenas que não podem mais ser divididas; um turbilhão de átomos.
  22. 22. Assim, os filósofos pré-socráticos também foram considerados filósofos da natureza, pois suas cosmologias eram baseadas em um elemento da natureza. Cada um deles tinha um elemento que usava para explicar o mundo.
  23. 23.  Abandonou a preocupação com a natureza, preocupando-se com questões morais;  Sua preocupação era definir conceitos morais, tais como justiça, virtude, coragem, bom, belo, etc.; responder à pergunta “o que é?”;  Utilizava dois métodos de ensino:  1) a ironia, que em grego significa perguntar; e  2) a maiêutica, que em grego significa parteira. Sócrates se considerava um parteiro de ideias, “dando a luz as ideias”.  [Continua...]
  24. 24. A ciência estuda os fatos concretos, é baseada em dados experimentais (empírica). A filosofia, por sua vez, tem como objeto de estudo as ideias, os pensamentos e os conceitos sobre a realidade estudada pela ciência. Vídeo Matrix
  25. 25. GAARDER, Jostein. O mundo de Sofia: romance da história da filosofia. São Paulo (SP): Companhia das Letras, 1995. 555p. MARCONDES, Danilo. Iniciação à história da filosofia: dos pré-socráticos a Wittgenstein. 10. ed. Rio de Janeiro: Zahar, 2006. 298 p. Filosofia – Bloco C. Módulo 1 do Ensino Médio. MATRIX. Direção: Andy e Lana Wachowski. Warner Bros. Pictures. 1999. 136 min.

×