SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 28
Filosofia da Ciência
Professorleosilva.blogspot.com
FILOSOFIA
FILOSOFIA
HISTÓRIA DA CIÊNCIA
 Antiguidade:
• Geometria (Tales de Mileto, Pitágoras e
Euclides).
• Medicina (Hipócrates).
• Biologia e Astronomia (Aristóteles).
• Mecânica (Arquimedes).
• Modelo geocêntrico (Ptolomeu).
FILOSOFIA
1. Transformação de
metais comuns em
ouro
2. Elixir da vida
HISTÓRIA DA CIÊNCIA
 Idade Média:
• O mito da “Idade das Trevas”.
• Patrística e Escolástica (Fé e Razão).
• Contribuição Árabe (Averróis).
• Alquimia.
FILOSOFIA
HISTÓRIA DA CIÊNCIA
 Revolução científica (séc. XVII):
• Renascença.
• Galilei, Copérnico, Kepler e Newton.
• Iluminismo (racionalismo).
• Revolução Industrial.
• Criação do método cientifico.
FILOSOFIA
MÉTODO CIENTÍFICO
 Passos:
• Observação.
• Hipótese.
• Teoria.
• Lei.
EXPERIMENTAÇÃO
FILOSOFIA
FILOSOFIA
A CIÊNCIA RADICAL
 Principais doutrinas:
• Cientificismo.
• Mito do progresso contínuo.
• Mito do especialista.
• Neutralidade.
• Tecnocracia.
FILOSOFIA
ÁREAS DA FILOSOFIA DA CIÊNCIA
 Racionalismo:
• Ciência = conhecimento racional.
• Matemática.
• Método dedutivo.
 Empirismo:
• Experiência/ analise/ observação.
• Método indutivo.
FILOSOFIA
CIÊNCIA
FILOSOFIA
DEDUÇÃO - INDUÇÃO
 Dedução:
• Do geral para o particular.
 Exemplo 1:
• Todos os homens são mortais.
• Sócrates é homem.
• Logo, Sócrates é mortal.
• Exemplo 2:
• Todo mamífero tem coração.
• Todos os cães são mamíferos.
• Logo, todos os cães tem um coração.
P. maior
P. menor
conclusão
FILOSOFIA
DEDUÇÃO - INDUÇÃO
 Indução:
• Do particular para o geral.
 Exemplo 1:
• Saco de arroz.
• Exemplo 2:
• Pesquisa eleitoral.
 Exemplo 3:
• O corvo 1 é negro.
• O corvo 2 é negro.
• Todo corvo é negro.
FILOSOFIA
FILOSOFIA
(Upe 2013) A validade de nossos conhecimentos
é garantida pela correção do raciocínio. São dois
os modos de raciocínio: o indutivo e o dedutivo.
Sobre isso, assinale a alternativa CORRETA.
FILOSOFIA
a) O raciocínio indutivo é amplamente utilizado pelas
ciências experimentais.
b) O raciocínio indutivo parte de uma lei universal,
considerada válida para um determinado conjunto,
aplicando-a aos casos particulares desse conjunto.
c) O raciocínio dedutivo parte de uma lei particular,
considerada válida para um determinado conjunto,
aplicando-a aos casos universais desse conjunto.
d) O raciocínio dedutivo é uma argumentação na qual, a
partir de dados singulares suficientemente enumerados,
inferimos uma verdade universal.
e) O raciocínio indutivo é o argumento cuja conclusão é
inferida necessariamente de duas premissas.
FILOSOFIA
a) O raciocínio indutivo é amplamente utilizado pelas
ciências experimentais.
b) O raciocínio indutivo parte de uma lei universal,
considerada válida para um determinado conjunto,
aplicando-a aos casos particulares desse conjunto.
c) O raciocínio dedutivo parte de uma lei particular,
considerada válida para um determinado conjunto,
aplicando-a aos casos universais desse conjunto.
d) O raciocínio dedutivo é uma argumentação na qual, a
partir de dados singulares suficientemente enumerados,
inferimos uma verdade universal.
e) O raciocínio indutivo é o argumento cuja conclusão é
inferida necessariamente de duas premissas.
FILOSOFIA
BACON
 Principais ideias:
• Método empírico-indutivo.
• Contra divagações metafísicas.
 Passos do método:
• Experiência
• Observação
• Regularidade
• Analise
• Generalização
FILOSOFIA
DESCARTES
 Principais ideias:
• Racionalismo.
• Penso, logo existo.
 Passos do Método:
• Verificar
• Analisar
• Sintetizar
• Enumerar
FILOSOFIA
FILOSOFIA
(Fundação Carlos Chagas – SP – 2010) No
Discurso do Método, René Descartes buscou
estabelecer os procedimentos que asseguram a
verdade das investigações científicas. Ele propõe
quatro regras de conhecimento que seriam
acessíveis a todos os homens que fazem uso de
sua luz natural, quer dizer, da razão. Tais regras,
que também seriam capazes de pôr abaixo todo
pensamento dogmático e confuso produzido pela
escolástica medieval, são:
FILOSOFIA
a) as quatro regras matemáticas: 1. polinomiais; 2.
algébricas; 3. aritméticas; 4. geométricas.
b) os quatro princípios clássicos: 1. o princípio de não
contradição; 2. o princípio do terceiro excluído; 3. o
princípio do fundamento; 4. o princípio de identidade.
c) as quatro regras do método geométrico euclidiano.
d) as quatro regras do método científico: 1. Jamais aceitar
algo como verdadeiro que não seja evidente. 2. Dividir
as dificuldades em tantas partes quanto possível e
necessário. 3. Começar pelo mais elementar e passar
aos poucos ao mais complexo. 4. Fazer enumerações
e revisões do conhecimento adquirido.
e) as quatro regras do Órganon aristotélico.
FILOSOFIA
a) as quatro regras matemáticas: 1. polinomiais; 2.
algébricas; 3. aritméticas; 4. geométricas.
b) os quatro princípios clássicos: 1. o princípio de não
contradição; 2. o princípio do terceiro excluído; 3. o
princípio do fundamento; 4. o princípio de identidade.
c) as quatro regras do método geométrico euclidiano.
d) as quatro regras do método científico: 1. Jamais aceitar
algo como verdadeiro que não seja evidente. 2. Dividir
as dificuldades em tantas partes quanto possível e
necessário. 3. Começar pelo mais elementar e passar
aos poucos ao mais complexo. 4. Fazer enumerações
e revisões do conhecimento adquirido.
e) as quatro regras do Órganon aristotélico.
FILOSOFIA
KANT
 Ideias gerais:
• Junção de elementos empíricos e racionalistas.
• Primeira Fase = Racionalismo dogmático.
• Segunda Fase = influência de Hume.
• Juízos = Formas de conhecimento.
• Juízo analítico = matemática, conhecimento
seguro.
• Juízo sintético = percepções, conhecimento
não seguro.
• Juízo sintético a priori (junção).
• Fenômeno (concreto) x Numeno (Metafísico).
FILOSOFIA
KARL POPPER
 Principais ideias:
• Não há neutralidade na observação científica.
• Todo conhecimento científico está sujeito a
mudanças.
• Falseabilidade (princípio da refutabilidade).
FILOSOFIA
THOMAS KUHN
 Ciclo do progresso cientifico:
• Construção de um paradigma = criação de um
modelo.
• Ciência normal = analise do modelo.
• Identificação da anomalia = problemas dentro
do modelo.
• Revolução = criação de um novo modelo.
 Exemplo:
• Geocentrismo X Heliocentrismo.
• Copérnico, Galileu, Kepler.
FILOSOFIA
FILOSOFIA
(Uel 2011) Leia o texto a seguir.
[...] não exigirei que um sistema científico seja
suscetível de ser dado como válido, de uma vez
por todas, em sentido positivo; exigirei, porém,
que sua forma lógica seja tal que se torne possível
validá-lo através de recurso a provas empíricas
em sentido negativo [...].
(POPPER, K. A lógica da pesquisa científica.
Trad. L. Hegenberg e O. S. da Mota.
São Paulo: Cultrix, 1972. p. 42.)
FILOSOFIA
Assinale a alternativa que corresponde ao critério
de avaliação das teorias científicas empregado
por Popper.
a) Falseabilidade
b) Organicidade
c) Confiabilidade
d) Dialeticidade
e) Diferenciabilidade
FILOSOFIA
Assinale a alternativa que corresponde ao critério
de avaliação das teorias científicas empregado
por Popper.
a) Falseabilidade
b) Organicidade
c) Confiabilidade
d) Dialeticidade
e) Diferenciabilidade

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Teorias do conhecimento
Teorias do conhecimentoTeorias do conhecimento
Teorias do conhecimento
 
Filosofia moderna
Filosofia modernaFilosofia moderna
Filosofia moderna
 
Epistemologia
EpistemologiaEpistemologia
Epistemologia
 
Filosofia ciencia
Filosofia   cienciaFilosofia   ciencia
Filosofia ciencia
 
Platão e a teoria das ideias
Platão e a teoria das ideiasPlatão e a teoria das ideias
Platão e a teoria das ideias
 
Aula02 - Metafísica
Aula02 - MetafísicaAula02 - Metafísica
Aula02 - Metafísica
 
Aula 04 e 05 - Os Pré-Socráticos
Aula 04 e 05 - Os Pré-SocráticosAula 04 e 05 - Os Pré-Socráticos
Aula 04 e 05 - Os Pré-Socráticos
 
Filosofia Renascentista
Filosofia  RenascentistaFilosofia  Renascentista
Filosofia Renascentista
 
7 positivismo comte slide
7 positivismo comte slide7 positivismo comte slide
7 positivismo comte slide
 
Filosofia Medieval
Filosofia MedievalFilosofia Medieval
Filosofia Medieval
 
Sócrates
SócratesSócrates
Sócrates
 
Aula 08 - O Empirismo
Aula 08 - O EmpirismoAula 08 - O Empirismo
Aula 08 - O Empirismo
 
O que é Filosofia?
O que é Filosofia?O que é Filosofia?
O que é Filosofia?
 
Filosofia Socrática
Filosofia SocráticaFilosofia Socrática
Filosofia Socrática
 
O que é ciência
O que é ciênciaO que é ciência
O que é ciência
 
Existencialismo
ExistencialismoExistencialismo
Existencialismo
 
Filosofia Política
Filosofia PolíticaFilosofia Política
Filosofia Política
 
1 teoria do conhecimento
1 teoria do conhecimento1 teoria do conhecimento
1 teoria do conhecimento
 
Ceticismo
CeticismoCeticismo
Ceticismo
 
Platão
PlatãoPlatão
Platão
 

Destaque

A ciencia através dos tempos
A ciencia através dos temposA ciencia através dos tempos
A ciencia através dos temposMonica Alves
 
Breve História da Ciência
Breve História da CiênciaBreve História da Ciência
Breve História da CiênciaGonçalo Ferraz
 
História e filosofia da ciência e ensino
História e filosofia da ciência e ensinoHistória e filosofia da ciência e ensino
História e filosofia da ciência e ensinoVinícius Carvalho
 
A filosofia X ciência
A filosofia X ciência A filosofia X ciência
A filosofia X ciência Thaiane Muniz
 
Filosofia da ciencia
Filosofia da cienciaFilosofia da ciencia
Filosofia da cienciamlenajsilva
 
Filosofia 3º ano 3
Filosofia 3º ano 3Filosofia 3º ano 3
Filosofia 3º ano 3Milena Leite
 
Capitulo 2 A Consciência Mítica
Capitulo 2 A Consciência MíticaCapitulo 2 A Consciência Mítica
Capitulo 2 A Consciência MíticaJOAO AURELIANO
 
Filosofia de la ciencia
Filosofia de la cienciaFilosofia de la ciencia
Filosofia de la cienciacerokian
 
Karl popper - Filosofia 11º ano
Karl popper - Filosofia 11º anoKarl popper - Filosofia 11º ano
Karl popper - Filosofia 11º anoFilipaFonseca
 
Conhecimento Científico - Popper
Conhecimento Científico - PopperConhecimento Científico - Popper
Conhecimento Científico - PopperJorge Barbosa
 
Conhecimento científico evolução metodologia ciência
Conhecimento científico evolução metodologia ciênciaConhecimento científico evolução metodologia ciência
Conhecimento científico evolução metodologia ciênciaMarieta Almeida
 
Senso Comum e Ciência
Senso Comum e CiênciaSenso Comum e Ciência
Senso Comum e CiênciaJorge Barbosa
 

Destaque (20)

Filosofia da ciencia
Filosofia da cienciaFilosofia da ciencia
Filosofia da ciencia
 
Filosofia da Ciência
Filosofia da CiênciaFilosofia da Ciência
Filosofia da Ciência
 
A ciencia através dos tempos
A ciencia através dos temposA ciencia através dos tempos
A ciencia através dos tempos
 
A evolução da ciência
A evolução da ciênciaA evolução da ciência
A evolução da ciência
 
Breve História da Ciência
Breve História da CiênciaBreve História da Ciência
Breve História da Ciência
 
História e filosofia da ciência e ensino
História e filosofia da ciência e ensinoHistória e filosofia da ciência e ensino
História e filosofia da ciência e ensino
 
A filosofia X ciência
A filosofia X ciência A filosofia X ciência
A filosofia X ciência
 
Filosofia da ciencia
Filosofia da cienciaFilosofia da ciencia
Filosofia da ciencia
 
Filosofia 3º ano 3
Filosofia 3º ano 3Filosofia 3º ano 3
Filosofia 3º ano 3
 
A consciência mítica
A consciência míticaA consciência mítica
A consciência mítica
 
Capitulo 2 A Consciência Mítica
Capitulo 2 A Consciência MíticaCapitulo 2 A Consciência Mítica
Capitulo 2 A Consciência Mítica
 
Filosofia de la ciencia
Filosofia de la cienciaFilosofia de la ciencia
Filosofia de la ciencia
 
Karl popper - Filosofia 11º ano
Karl popper - Filosofia 11º anoKarl popper - Filosofia 11º ano
Karl popper - Filosofia 11º ano
 
Conhecimento Científico - Popper
Conhecimento Científico - PopperConhecimento Científico - Popper
Conhecimento Científico - Popper
 
Ciencia
CienciaCiencia
Ciencia
 
Conhecimento científico evolução metodologia ciência
Conhecimento científico evolução metodologia ciênciaConhecimento científico evolução metodologia ciência
Conhecimento científico evolução metodologia ciência
 
Senso Comum e Ciência
Senso Comum e CiênciaSenso Comum e Ciência
Senso Comum e Ciência
 
Aula de filosofia
Aula de filosofia Aula de filosofia
Aula de filosofia
 
Matematica
MatematicaMatematica
Matematica
 
Popper-11ºF 2009
Popper-11ºF 2009Popper-11ºF 2009
Popper-11ºF 2009
 

Semelhante a Aula 21 filosofia da ciência

Ciência natural: os pressupostos filosóficos
Ciência natural: os pressupostos filosóficosCiência natural: os pressupostos filosóficos
Ciência natural: os pressupostos filosóficosLeonardo Kaplan
 
21 o método científico
21 o método científico21 o método científico
21 o método científicoJoao Balbi
 
A ciência e a evolução do método científico
A ciência e a evolução do método científicoA ciência e a evolução do método científico
A ciência e a evolução do método científicoFernando Alcoforado
 
Métodos de Pesquisa - Pós CAF - Epistemologia
Métodos de Pesquisa - Pós CAF - EpistemologiaMétodos de Pesquisa - Pós CAF - Epistemologia
Métodos de Pesquisa - Pós CAF - EpistemologiaCassio Meira Jr.
 
METODOLOGIA CIENTÍFICA 2014.pdf
METODOLOGIA CIENTÍFICA 2014.pdfMETODOLOGIA CIENTÍFICA 2014.pdf
METODOLOGIA CIENTÍFICA 2014.pdfEtieneClavico
 
EM DEFESA DE UM NOVO MÉTODO CIENTÍFICO
EM DEFESA DE UM NOVO MÉTODO CIENTÍFICO       EM DEFESA DE UM NOVO MÉTODO CIENTÍFICO
EM DEFESA DE UM NOVO MÉTODO CIENTÍFICO Fernando Alcoforado
 
Philosophy of science and science of philosophy
Philosophy of science and science of philosophyPhilosophy of science and science of philosophy
Philosophy of science and science of philosophyOsame Kinouchi
 
O que é ciência - Prof. Chibene. Unicamp
O que é ciência - Prof. Chibene. UnicampO que é ciência - Prof. Chibene. Unicamp
O que é ciência - Prof. Chibene. UnicampCarlos Alberto Monteiro
 
Aula de Metodologia do Trabalho Cientifico.ppt
Aula de Metodologia do Trabalho Cientifico.pptAula de Metodologia do Trabalho Cientifico.ppt
Aula de Metodologia do Trabalho Cientifico.pptPedro Luis Moraes
 
Ciência, métodos e paradigmas
Ciência, métodos e paradigmasCiência, métodos e paradigmas
Ciência, métodos e paradigmasNicemara Cardoso
 
AULA 08 - 3 SÉRIE - KARL POPPER E O CRITÉRIO DE REFUTABILIDADE I.pptx
AULA 08 - 3 SÉRIE - KARL POPPER E O CRITÉRIO DE REFUTABILIDADE I.pptxAULA 08 - 3 SÉRIE - KARL POPPER E O CRITÉRIO DE REFUTABILIDADE I.pptx
AULA 08 - 3 SÉRIE - KARL POPPER E O CRITÉRIO DE REFUTABILIDADE I.pptxFlavioCandido8
 
O Racionalismo crítico na filosofia de Popper
O Racionalismo crítico na filosofia de PopperO Racionalismo crítico na filosofia de Popper
O Racionalismo crítico na filosofia de PopperCarlos Alberto Monteiro
 
A Evolução da Ciência.pdf. Resumo do tema "A evolução da Ciência" .
A Evolução da Ciência.pdf. Resumo do tema "A evolução da Ciência" .A Evolução da Ciência.pdf. Resumo do tema "A evolução da Ciência" .
A Evolução da Ciência.pdf. Resumo do tema "A evolução da Ciência" .filipepereira406050
 

Semelhante a Aula 21 filosofia da ciência (20)

Ciência natural: os pressupostos filosóficos
Ciência natural: os pressupostos filosóficosCiência natural: os pressupostos filosóficos
Ciência natural: os pressupostos filosóficos
 
21 o método científico
21 o método científico21 o método científico
21 o método científico
 
A ciência e a evolução do método científico
A ciência e a evolução do método científicoA ciência e a evolução do método científico
A ciência e a evolução do método científico
 
Métodos de Pesquisa - Pós CAF - Epistemologia
Métodos de Pesquisa - Pós CAF - EpistemologiaMétodos de Pesquisa - Pós CAF - Epistemologia
Métodos de Pesquisa - Pós CAF - Epistemologia
 
Filosofia da Ciência 2023.pptx
Filosofia da Ciência 2023.pptxFilosofia da Ciência 2023.pptx
Filosofia da Ciência 2023.pptx
 
Aula 01 e 02
Aula 01 e 02Aula 01 e 02
Aula 01 e 02
 
METODOLOGIA CIENTÍFICA 2014.pdf
METODOLOGIA CIENTÍFICA 2014.pdfMETODOLOGIA CIENTÍFICA 2014.pdf
METODOLOGIA CIENTÍFICA 2014.pdf
 
EM DEFESA DE UM NOVO MÉTODO CIENTÍFICO
EM DEFESA DE UM NOVO MÉTODO CIENTÍFICO       EM DEFESA DE UM NOVO MÉTODO CIENTÍFICO
EM DEFESA DE UM NOVO MÉTODO CIENTÍFICO
 
Philosophy of science and science of philosophy
Philosophy of science and science of philosophyPhilosophy of science and science of philosophy
Philosophy of science and science of philosophy
 
A01 +metodologia+cientifica
A01 +metodologia+cientificaA01 +metodologia+cientifica
A01 +metodologia+cientifica
 
Thomas kuhn
Thomas kuhnThomas kuhn
Thomas kuhn
 
O que é ciência - Prof. Chibene. Unicamp
O que é ciência - Prof. Chibene. UnicampO que é ciência - Prof. Chibene. Unicamp
O que é ciência - Prof. Chibene. Unicamp
 
Aula de Metodologia do Trabalho Cientifico.ppt
Aula de Metodologia do Trabalho Cientifico.pptAula de Metodologia do Trabalho Cientifico.ppt
Aula de Metodologia do Trabalho Cientifico.ppt
 
Ciencia
CienciaCiencia
Ciencia
 
Epistemologia
EpistemologiaEpistemologia
Epistemologia
 
Ciência, métodos e paradigmas
Ciência, métodos e paradigmasCiência, métodos e paradigmas
Ciência, métodos e paradigmas
 
AULA 08 - 3 SÉRIE - KARL POPPER E O CRITÉRIO DE REFUTABILIDADE I.pptx
AULA 08 - 3 SÉRIE - KARL POPPER E O CRITÉRIO DE REFUTABILIDADE I.pptxAULA 08 - 3 SÉRIE - KARL POPPER E O CRITÉRIO DE REFUTABILIDADE I.pptx
AULA 08 - 3 SÉRIE - KARL POPPER E O CRITÉRIO DE REFUTABILIDADE I.pptx
 
O Racionalismo crítico na filosofia de Popper
O Racionalismo crítico na filosofia de PopperO Racionalismo crítico na filosofia de Popper
O Racionalismo crítico na filosofia de Popper
 
A atitude científica
A atitude científicaA atitude científica
A atitude científica
 
A Evolução da Ciência.pdf. Resumo do tema "A evolução da Ciência" .
A Evolução da Ciência.pdf. Resumo do tema "A evolução da Ciência" .A Evolução da Ciência.pdf. Resumo do tema "A evolução da Ciência" .
A Evolução da Ciência.pdf. Resumo do tema "A evolução da Ciência" .
 

Mais de professorleo1989

Mais de professorleo1989 (7)

Aula 9 e 10 karl marx
Aula 9 e 10   karl marxAula 9 e 10   karl marx
Aula 9 e 10 karl marx
 
Aulão de Filosofia (2015)
Aulão de Filosofia (2015)Aulão de Filosofia (2015)
Aulão de Filosofia (2015)
 
Aula 15 sociologia contemporânea
Aula 15   sociologia contemporâneaAula 15   sociologia contemporânea
Aula 15 sociologia contemporânea
 
Aula 7 e 8 max weber
Aula 7 e 8   max weberAula 7 e 8   max weber
Aula 7 e 8 max weber
 
Émile durkheim
Émile durkheimÉmile durkheim
Émile durkheim
 
Aula 13 filosofia política
Aula 13   filosofia políticaAula 13   filosofia política
Aula 13 filosofia política
 
Aula 3 metafísica
Aula 3   metafísicaAula 3   metafísica
Aula 3 metafísica
 

Último

Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...LuizHenriquedeAlmeid6
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoIlda Bicacro
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é precisoMary Alvarenga
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosFernanda Ledesma
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroBrenda Fritz
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxIlda Bicacro
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalcarlamgalves5
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfCsarBaltazar1
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAbdLuxemBourg
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...Manuais Formação
 
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024azulassessoria9
 
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASyan1305goncalves
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilMariaHelena293800
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxIlda Bicacro
 
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdfApostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdflbgsouza
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfandreaLisboa7
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoVALMIRARIBEIRO1
 

Último (20)

Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
Slides Lição 8, Betel, Ordenança para confessar os pecados e perdoar as ofens...
 
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptxSlides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
Slides Lição 8, CPAD, Confessando e Abandonando o Pecado.pptx
 
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º anoNós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
Nós Propomos! Sertã 2024 - Geografia C - 12º ano
 
Produção de poemas - Reciclar é preciso
Produção  de  poemas  -  Reciclar é precisoProdução  de  poemas  -  Reciclar é preciso
Produção de poemas - Reciclar é preciso
 
662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica662938.pdf aula digital de educação básica
662938.pdf aula digital de educação básica
 
Apresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativosApresentação sobre Robots e processos educativos
Apresentação sobre Robots e processos educativos
 
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livroMeu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
Meu corpo - Ruth Rocha e Anna Flora livro
 
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptxEBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
EBPAL_Serta_Caminhos do Lixo final 9ºD (1).pptx
 
bem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animalbem estar animal em proteção integrada componente animal
bem estar animal em proteção integrada componente animal
 
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdfTestes de avaliação português 6º ano .pdf
Testes de avaliação português 6º ano .pdf
 
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdfAparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
Aparatologia na estética - Cavitação, radiofrequência e lipolaser.pdf
 
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
UFCD_9184_Saúde, nutrição, higiene, segurança, repouso e conforto da criança ...
 
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
ATIVIDADE 2 - GQ - COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL E NEGOCIAÇÃO - 52_2024
 
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHASMARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
MARCHA HUMANA. UM ESTUDO SOBRE AS MARCHAS
 
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantilPower Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
Power Point sobre as etapas do Desenvolvimento infantil
 
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptxEB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
EB1 Cumeada Co(n)Vida à Leitura - Livros à Solta_Serta.pptx
 
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdfApostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
Apostila-Letramento-e-alfabetização-2.pdf
 
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptxSlides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
Slides Lição 07, Central Gospel, As Duas Testemunhas Do Final Dos Tempos.pptx
 
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdfHistoria-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
Historia-em-cartaz-Lucas-o-menino-que-aprendeu-a-comer-saudavel- (1).pdf
 
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhosoO Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
O Reizinho Autista.pdf - livro maravilhoso
 

Aula 21 filosofia da ciência

  • 3. FILOSOFIA HISTÓRIA DA CIÊNCIA  Antiguidade: • Geometria (Tales de Mileto, Pitágoras e Euclides). • Medicina (Hipócrates). • Biologia e Astronomia (Aristóteles). • Mecânica (Arquimedes). • Modelo geocêntrico (Ptolomeu).
  • 4. FILOSOFIA 1. Transformação de metais comuns em ouro 2. Elixir da vida HISTÓRIA DA CIÊNCIA  Idade Média: • O mito da “Idade das Trevas”. • Patrística e Escolástica (Fé e Razão). • Contribuição Árabe (Averróis). • Alquimia.
  • 5. FILOSOFIA HISTÓRIA DA CIÊNCIA  Revolução científica (séc. XVII): • Renascença. • Galilei, Copérnico, Kepler e Newton. • Iluminismo (racionalismo). • Revolução Industrial. • Criação do método cientifico.
  • 6. FILOSOFIA MÉTODO CIENTÍFICO  Passos: • Observação. • Hipótese. • Teoria. • Lei. EXPERIMENTAÇÃO
  • 8. FILOSOFIA A CIÊNCIA RADICAL  Principais doutrinas: • Cientificismo. • Mito do progresso contínuo. • Mito do especialista. • Neutralidade. • Tecnocracia.
  • 9. FILOSOFIA ÁREAS DA FILOSOFIA DA CIÊNCIA  Racionalismo: • Ciência = conhecimento racional. • Matemática. • Método dedutivo.  Empirismo: • Experiência/ analise/ observação. • Método indutivo. FILOSOFIA CIÊNCIA
  • 10. FILOSOFIA DEDUÇÃO - INDUÇÃO  Dedução: • Do geral para o particular.  Exemplo 1: • Todos os homens são mortais. • Sócrates é homem. • Logo, Sócrates é mortal. • Exemplo 2: • Todo mamífero tem coração. • Todos os cães são mamíferos. • Logo, todos os cães tem um coração. P. maior P. menor conclusão
  • 11. FILOSOFIA DEDUÇÃO - INDUÇÃO  Indução: • Do particular para o geral.  Exemplo 1: • Saco de arroz. • Exemplo 2: • Pesquisa eleitoral.  Exemplo 3: • O corvo 1 é negro. • O corvo 2 é negro. • Todo corvo é negro.
  • 13. FILOSOFIA (Upe 2013) A validade de nossos conhecimentos é garantida pela correção do raciocínio. São dois os modos de raciocínio: o indutivo e o dedutivo. Sobre isso, assinale a alternativa CORRETA.
  • 14. FILOSOFIA a) O raciocínio indutivo é amplamente utilizado pelas ciências experimentais. b) O raciocínio indutivo parte de uma lei universal, considerada válida para um determinado conjunto, aplicando-a aos casos particulares desse conjunto. c) O raciocínio dedutivo parte de uma lei particular, considerada válida para um determinado conjunto, aplicando-a aos casos universais desse conjunto. d) O raciocínio dedutivo é uma argumentação na qual, a partir de dados singulares suficientemente enumerados, inferimos uma verdade universal. e) O raciocínio indutivo é o argumento cuja conclusão é inferida necessariamente de duas premissas.
  • 15. FILOSOFIA a) O raciocínio indutivo é amplamente utilizado pelas ciências experimentais. b) O raciocínio indutivo parte de uma lei universal, considerada válida para um determinado conjunto, aplicando-a aos casos particulares desse conjunto. c) O raciocínio dedutivo parte de uma lei particular, considerada válida para um determinado conjunto, aplicando-a aos casos universais desse conjunto. d) O raciocínio dedutivo é uma argumentação na qual, a partir de dados singulares suficientemente enumerados, inferimos uma verdade universal. e) O raciocínio indutivo é o argumento cuja conclusão é inferida necessariamente de duas premissas.
  • 16. FILOSOFIA BACON  Principais ideias: • Método empírico-indutivo. • Contra divagações metafísicas.  Passos do método: • Experiência • Observação • Regularidade • Analise • Generalização
  • 17. FILOSOFIA DESCARTES  Principais ideias: • Racionalismo. • Penso, logo existo.  Passos do Método: • Verificar • Analisar • Sintetizar • Enumerar
  • 19. FILOSOFIA (Fundação Carlos Chagas – SP – 2010) No Discurso do Método, René Descartes buscou estabelecer os procedimentos que asseguram a verdade das investigações científicas. Ele propõe quatro regras de conhecimento que seriam acessíveis a todos os homens que fazem uso de sua luz natural, quer dizer, da razão. Tais regras, que também seriam capazes de pôr abaixo todo pensamento dogmático e confuso produzido pela escolástica medieval, são:
  • 20. FILOSOFIA a) as quatro regras matemáticas: 1. polinomiais; 2. algébricas; 3. aritméticas; 4. geométricas. b) os quatro princípios clássicos: 1. o princípio de não contradição; 2. o princípio do terceiro excluído; 3. o princípio do fundamento; 4. o princípio de identidade. c) as quatro regras do método geométrico euclidiano. d) as quatro regras do método científico: 1. Jamais aceitar algo como verdadeiro que não seja evidente. 2. Dividir as dificuldades em tantas partes quanto possível e necessário. 3. Começar pelo mais elementar e passar aos poucos ao mais complexo. 4. Fazer enumerações e revisões do conhecimento adquirido. e) as quatro regras do Órganon aristotélico.
  • 21. FILOSOFIA a) as quatro regras matemáticas: 1. polinomiais; 2. algébricas; 3. aritméticas; 4. geométricas. b) os quatro princípios clássicos: 1. o princípio de não contradição; 2. o princípio do terceiro excluído; 3. o princípio do fundamento; 4. o princípio de identidade. c) as quatro regras do método geométrico euclidiano. d) as quatro regras do método científico: 1. Jamais aceitar algo como verdadeiro que não seja evidente. 2. Dividir as dificuldades em tantas partes quanto possível e necessário. 3. Começar pelo mais elementar e passar aos poucos ao mais complexo. 4. Fazer enumerações e revisões do conhecimento adquirido. e) as quatro regras do Órganon aristotélico.
  • 22. FILOSOFIA KANT  Ideias gerais: • Junção de elementos empíricos e racionalistas. • Primeira Fase = Racionalismo dogmático. • Segunda Fase = influência de Hume. • Juízos = Formas de conhecimento. • Juízo analítico = matemática, conhecimento seguro. • Juízo sintético = percepções, conhecimento não seguro. • Juízo sintético a priori (junção). • Fenômeno (concreto) x Numeno (Metafísico).
  • 23. FILOSOFIA KARL POPPER  Principais ideias: • Não há neutralidade na observação científica. • Todo conhecimento científico está sujeito a mudanças. • Falseabilidade (princípio da refutabilidade).
  • 24. FILOSOFIA THOMAS KUHN  Ciclo do progresso cientifico: • Construção de um paradigma = criação de um modelo. • Ciência normal = analise do modelo. • Identificação da anomalia = problemas dentro do modelo. • Revolução = criação de um novo modelo.  Exemplo: • Geocentrismo X Heliocentrismo. • Copérnico, Galileu, Kepler.
  • 26. FILOSOFIA (Uel 2011) Leia o texto a seguir. [...] não exigirei que um sistema científico seja suscetível de ser dado como válido, de uma vez por todas, em sentido positivo; exigirei, porém, que sua forma lógica seja tal que se torne possível validá-lo através de recurso a provas empíricas em sentido negativo [...]. (POPPER, K. A lógica da pesquisa científica. Trad. L. Hegenberg e O. S. da Mota. São Paulo: Cultrix, 1972. p. 42.)
  • 27. FILOSOFIA Assinale a alternativa que corresponde ao critério de avaliação das teorias científicas empregado por Popper. a) Falseabilidade b) Organicidade c) Confiabilidade d) Dialeticidade e) Diferenciabilidade
  • 28. FILOSOFIA Assinale a alternativa que corresponde ao critério de avaliação das teorias científicas empregado por Popper. a) Falseabilidade b) Organicidade c) Confiabilidade d) Dialeticidade e) Diferenciabilidade