SlideShare uma empresa Scribd logo
Antropologia Filosófica Faculdade Castro Alves Curso: Psicologia 1º semestre-  Noturno Componentes: Cristiane Amado Jeane Ribeiro Jessi Anne Matos Juliana Galo Maria de Lourdes Viviane Dias Marco Antônio
Mitologia O imaginário grego era povoado por narrativas mitológicas visando preservar o legado histórico  valorizando assim a sua cultura. O mito procura explicar a vida, os fenômenos naturais, a origem do homem e do mundo.
Mitologia  Grega Por volta de 2000 a.C., lendas e deuses norteavam a ideologia desta civilização.  Os doze deuses do Olímpio - Zeus, Hera, Poseidon, Ares, Hefestos, Apolo, Dionísio, Heracles, Demeter, Hestia, Afrodite, Hermes - eram considerados os mais importantes para a cultura grega. A mitologia era o principal assunto no núcleo da aprendizagem, ela também compreendia as crenças enraizadas em relatos considerados fictícios e imaginários. Na religião, era uma forma de criar rituais ou práticas com o propósito de estabelecer vínculos com a espiritualidade.
Mitologia Egípcia Na mitologia egípcia os deuses possuíam personificação animalesca. No sincretismo religioso esses deuses são representações alegóricas, cujos seus significados são semelhantes aos de outras mitologias. Elementos como: ar, fogo e água eram objetos de adoração religiosa e suas divindades passaram a ser personificação desses poderes da natureza. Os mitos de diferentes culturas revelam forças semelhantes, possivelmente estas semelhanças sejam resultados de arquétipos que estão presentes no inconsciente coletivo.
Período pré Socrático Os filósofos deste período preocupam-se exclusivamente com os problemas cosmológicos.  Tales de Mileto (624-548 a.C.) teve uma tendência elementista ao identificar a água como substância única de todas as coisas,mas não encontrou a unidade fundamental do universo. Anaximandro de Mileto (6111-547 a.C.) iniciador da astronomia grega, imaginou a terra como um disco suspenso no ar. Para ele o Apeíron (ilimitado) está em constante movimento, que resulta numa série de pares opostos, água e fogo, frio e calor etc. Segundo Anaximandro o principio ativo da natureza é o Apeíron. Anaxímenes de Mileto   (588-524 a.C.) segundo este, o ar é o elemento ativo que comanda o mundo, tudo provém do ar através de seus movimentos. Dedicou-se especialmente a numerologia , sendo o primeiro a afirmar que a lua   recebe luz do sol .
Sofistas Nômades gregos que tinham como objetivo substituir a educação tradicional grega voltada à formação de atletas e guerreiros, por uma educação  voltada à formação do cidadão. Os métodos educacionais dos Sofistas estão voltados e agrupados em dois tipos fundamentais: Cultura geral: Este método compreende ao estudo da aritmética, geometria, astronomia e música. Formação política: este ensino correspondia as exigências das atividades políticas. Constavam das seguintes disciplinas : Gramática, dialética, retórica. Os sofistas mostravam-se dispostos a discutirem todos os assuntos, as palavras eram destituídas do seu sentido coerente, e usadas como instrumento de sugestão e persuasão para convencer seus interlocutores.
Os Filósofos Clássicos Sócrates (436-336 a.C.) nasceu em Atenas e se tornou um dos principais pensadores da Grécia. Foi  influenciado por Anaxágoras e muitas vezes confundido com os sofistas. Seus primeiros estudos e pensamentos discorrem sobre a essência da natureza humana. Segundo Sócrates, o conhecimento é absolvido por meio de questionamento. Desta forma, tentava levar o conhecimento sobre o ser humano, e por esse motivo foi acusado de corromper a mente da juventude grega e criticar muitos aspectos desta cultura.  Platão  (427 – 347 a.C.) discípulo de Sócrates, foi um Importante filósofo grego. Assim como seu professor, valorizava os métodos de debate e conversação como forma de desenvolver o conhecimento. Segundo Platão, a educação deveria funcionar como forma de desenvolver o homem moral. Ele também explica que a alma antes de encarnar, contempla um mundo de idéias , mas ao unir-se  ao corpo, porém, esquece-se dela. O corpo é um obstáculo ao conhecimento. Dessa forma distingue no homem um mundo imaterial que seria a mente.
Os Filósofos Clássicos Aristóteles (348-322 a.C.) discípulo de Platão e seu opositor. Seus princípios filosóficos baseavam-se em experimentações para fenômenos da natureza. Não acreditava na existência de idéias inatas nem no mundo das idéias. Discordando de Platão, afirmava que mente e corpo eram indivisíveis como forma e matéria. Para ele, a alma era imortal, uma espécie de intelecto ativo e imaterial. Admitia também que havia uma alma para cada tipo de espécie, ou seja, nas plantas esta alma seria vegetativa, nos animais alma animal e no homem alma racional.
Filosofia Medieval Os filósofos cristãos tentavam conciliar fé e razão. Esse período teve inicio nos primeiros séculos após a queda do império romano, onde os filósofos tentavam conciliar a herança Greco-Romana com o pensamento cristão. Destaques para: Santo Agostinho (354-430 d.C) acreditava que a alma não era somente sede da razão e sim uma prova de manifestação divina no homem. Formulava a idéia de interioridade de uma consciência humana dotada de moral e de livre arbitro. São Tomas de Aquino (1224-1274) elaborou os princípios da teologia cristã. O homem busca a perfeição através de sua existência, e somente Deus seria capaz de reunir a essência e a existência em termos de igualdade.
Humanismo renascentista Defende a idéia do homem ser o centro do pensamento filosófico, ao contrario do teocentrismo que defende a idéia que Deus é o centro do pensamento filosófico. Empirismo É uma doutrina filosófica cujo principal teórico é o inglês John Lock, ele defende que o conhecimento é limitado as experiências  vivenciadas, e o conhecimento se dá por meio de tentativas e erros. No empirismo, as afirmações de cunho metafísico eram rejeitadas. Pois para tais  afirmações, não há experimentações, testes ou controles possíveis. Aristóteles
O racionalismo é baseado nos princípios da busca da certeza e da demonstração, sustentados por um conhecimento, ou seja, conhecimentos que não vêm da experiência. São elaborados somente pela razão. Principais racionalistas modernos: Descartes, Leibniz, Pascal e Spinoza No racionalismo, só é verdadeiro conhecimento que for logicamente necessário e universalmente válido, isto é, o conhecimento matemático é o próprio modelo do conhecimento.  Assim sendo, o racionalismo admite que há determinados tipos de conhecimentos, em especial as noções matemáticas, que têm origem na razão. Entretanto não  desconhece o conhecimento empírico, admitem-no e consideram-no, porém como simples opinião. Descartes
Notas e Referencias Bibliográficas ARANHA, Maria e MARTINS, Maria.  Filosofando  - Introdução à filosofia. 2.ed. São Paulo: Moderna, 1993.  FREIRE, Isabel Ribeiro.  Raízes da psicologia . Petrópolis RJ 1 Psicologia Historia 150.9- 1997 - Editora  Vozes Ltda. CASSIM, Barbara –  Ensaios Sofísticos  – São Paulo Siciliano- 1990 WILL Durant,  História da filosofia   - A vida e as idéias de grandes filósofos , São Paulo, editora nacional 1ª edição, 1926. Wikipédia – Enciclopédia Livre.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Revisão Geral da História da Filosofia
Revisão Geral da História da FilosofiaRevisão Geral da História da Filosofia
Revisão Geral da História da Filosofia
Alan
 
Antropologia Filosófica
Antropologia FilosóficaAntropologia Filosófica
Antropologia Filosófica
Lusilene Carvalho
 
Conceito e origem da antropologia
Conceito e origem da antropologiaConceito e origem da antropologia
Conceito e origem da antropologia
Arare Carvalho Júnior
 
Introdução à filosofia
Introdução à filosofiaIntrodução à filosofia
Introdução à filosofia
PriscillaTomazi2015
 
IntroduçãO à Filosofia
IntroduçãO à FilosofiaIntroduçãO à Filosofia
IntroduçãO à Filosofia
nestorigor
 
Cap 4 antropologia cultural
Cap 4 antropologia culturalCap 4 antropologia cultural
Cap 4 antropologia cultural
Joao Balbi
 
Documento sem título (61)
Documento sem título (61)Documento sem título (61)
Documento sem título (61)
Elieidw
 
Antropologia filosofica
Antropologia filosoficaAntropologia filosofica
Antropologia filosofica
Agostinhofilho
 
A filosofia no mundo
A filosofia no mundoA filosofia no mundo
A filosofia no mundo
Célio Alves de Moura
 
Concepção clássica do homem
Concepção clássica do homemConcepção clássica do homem
Concepção clássica do homem
Pedro Abrão Marques Junior
 
Antropologia filosófica história
Antropologia filosófica históriaAntropologia filosófica história
Antropologia filosófica história
Arthur Chagas
 
Cap 2 antropologia
Cap 2 antropologiaCap 2 antropologia
Cap 2 antropologia
Joao Balbi
 
Antropologia contemporânea
Antropologia contemporânea Antropologia contemporânea
Antropologia contemporânea
Edenilson Morais
 
Filosofia clássica 2
Filosofia clássica 2Filosofia clássica 2
Filosofia clássica 2
Douglas Gregorio
 
Antropologia
AntropologiaAntropologia
Antropologia
Claudia
 
Slides Antropologia
Slides AntropologiaSlides Antropologia
Slides Antropologia
Misterios10
 
Introdução às Ciências Humanas
Introdução às Ciências HumanasIntrodução às Ciências Humanas
Introdução às Ciências Humanas
Vitor Vieira Vasconcelos
 
Filosofia intro
Filosofia introFilosofia intro
Filosofia intro
Vinícius Vieira
 
Paradigmas do Pensamento Ocidental
Paradigmas do Pensamento OcidentalParadigmas do Pensamento Ocidental
Paradigmas do Pensamento Ocidental
Alan
 
Evolução histórica da reflexão sobre a condição humana
Evolução histórica da reflexão sobre a condição humanaEvolução histórica da reflexão sobre a condição humana
Evolução histórica da reflexão sobre a condição humana
19121992
 

Mais procurados (20)

Revisão Geral da História da Filosofia
Revisão Geral da História da FilosofiaRevisão Geral da História da Filosofia
Revisão Geral da História da Filosofia
 
Antropologia Filosófica
Antropologia FilosóficaAntropologia Filosófica
Antropologia Filosófica
 
Conceito e origem da antropologia
Conceito e origem da antropologiaConceito e origem da antropologia
Conceito e origem da antropologia
 
Introdução à filosofia
Introdução à filosofiaIntrodução à filosofia
Introdução à filosofia
 
IntroduçãO à Filosofia
IntroduçãO à FilosofiaIntroduçãO à Filosofia
IntroduçãO à Filosofia
 
Cap 4 antropologia cultural
Cap 4 antropologia culturalCap 4 antropologia cultural
Cap 4 antropologia cultural
 
Documento sem título (61)
Documento sem título (61)Documento sem título (61)
Documento sem título (61)
 
Antropologia filosofica
Antropologia filosoficaAntropologia filosofica
Antropologia filosofica
 
A filosofia no mundo
A filosofia no mundoA filosofia no mundo
A filosofia no mundo
 
Concepção clássica do homem
Concepção clássica do homemConcepção clássica do homem
Concepção clássica do homem
 
Antropologia filosófica história
Antropologia filosófica históriaAntropologia filosófica história
Antropologia filosófica história
 
Cap 2 antropologia
Cap 2 antropologiaCap 2 antropologia
Cap 2 antropologia
 
Antropologia contemporânea
Antropologia contemporânea Antropologia contemporânea
Antropologia contemporânea
 
Filosofia clássica 2
Filosofia clássica 2Filosofia clássica 2
Filosofia clássica 2
 
Antropologia
AntropologiaAntropologia
Antropologia
 
Slides Antropologia
Slides AntropologiaSlides Antropologia
Slides Antropologia
 
Introdução às Ciências Humanas
Introdução às Ciências HumanasIntrodução às Ciências Humanas
Introdução às Ciências Humanas
 
Filosofia intro
Filosofia introFilosofia intro
Filosofia intro
 
Paradigmas do Pensamento Ocidental
Paradigmas do Pensamento OcidentalParadigmas do Pensamento Ocidental
Paradigmas do Pensamento Ocidental
 
Evolução histórica da reflexão sobre a condição humana
Evolução histórica da reflexão sobre a condição humanaEvolução histórica da reflexão sobre a condição humana
Evolução histórica da reflexão sobre a condição humana
 

Destaque

Antropologia: conceitos basicos
 Antropologia: conceitos basicos Antropologia: conceitos basicos
Antropologia: conceitos basicos
Flávia De Mattos Motta
 
Antropologia introdução
Antropologia introduçãoAntropologia introdução
Antropologia introdução
Flávia De Mattos Motta
 
Antropologia.
Antropologia.Antropologia.
Antropologia.
Douglas Gregorio
 
O que é antropologia
O que é antropologiaO que é antropologia
O que é antropologia
Aldenei Barros
 
Slide de antropologia
Slide de antropologiaSlide de antropologia
Slide de antropologia
joell07
 
Aula 1 o que é antropologia
Aula 1   o que é antropologiaAula 1   o que é antropologia
Aula 1 o que é antropologia
Fábio Nogueira, PhD
 
Cultura um conceito antropológico Roque Laraia
Cultura um conceito antropológico  Roque LaraiaCultura um conceito antropológico  Roque Laraia
Cultura um conceito antropológico Roque Laraia
Gisele Da Fonseca
 
Antropologia.
Antropologia.Antropologia.
Antropologia.
roberto mosca junior
 
Estruturalismo
EstruturalismoEstruturalismo
Aula antropologia da educação
Aula antropologia da educaçãoAula antropologia da educação
Aula antropologia da educação
unieubra
 
Estruturalismo
EstruturalismoEstruturalismo
Estruturalismo
mundissa
 
1 Resumo: cultura, um conceito antropológico (LARAIA)
1 Resumo: cultura, um conceito antropológico (LARAIA)1 Resumo: cultura, um conceito antropológico (LARAIA)
1 Resumo: cultura, um conceito antropológico (LARAIA)
Israel serique
 
Cultura um conceito antropológico
Cultura  um conceito antropológicoCultura  um conceito antropológico
Cultura um conceito antropológico
Andreia Regina Moura Mendes
 
Slide sociologia 1
Slide sociologia 1Slide sociologia 1
Slide sociologia 1
Over Lane
 
O corpo-na-teoria-antropologica
O corpo-na-teoria-antropologicaO corpo-na-teoria-antropologica
O corpo-na-teoria-antropologica
pedroarts
 
A antropologia
A antropologiaA antropologia
A antropologia
lukinha10
 
Antropologia arte levistrauss (2)
Antropologia arte levistrauss (2)Antropologia arte levistrauss (2)
Antropologia arte levistrauss (2)
Luana Gonçalves
 
Linguagem e Parentesco
Linguagem e ParentescoLinguagem e Parentesco
Linguagem e Parentesco
Luana Gonçalves
 
mapa antropologia
mapa antropologiamapa antropologia
mapa antropologia
ze_flavio
 
Aspectos do Direito na obra de Santo Tomás de Aquino
Aspectos do Direito na obra de Santo Tomás de AquinoAspectos do Direito na obra de Santo Tomás de Aquino
Aspectos do Direito na obra de Santo Tomás de Aquino
Orlando Junior
 

Destaque (20)

Antropologia: conceitos basicos
 Antropologia: conceitos basicos Antropologia: conceitos basicos
Antropologia: conceitos basicos
 
Antropologia introdução
Antropologia introduçãoAntropologia introdução
Antropologia introdução
 
Antropologia.
Antropologia.Antropologia.
Antropologia.
 
O que é antropologia
O que é antropologiaO que é antropologia
O que é antropologia
 
Slide de antropologia
Slide de antropologiaSlide de antropologia
Slide de antropologia
 
Aula 1 o que é antropologia
Aula 1   o que é antropologiaAula 1   o que é antropologia
Aula 1 o que é antropologia
 
Cultura um conceito antropológico Roque Laraia
Cultura um conceito antropológico  Roque LaraiaCultura um conceito antropológico  Roque Laraia
Cultura um conceito antropológico Roque Laraia
 
Antropologia.
Antropologia.Antropologia.
Antropologia.
 
Estruturalismo
EstruturalismoEstruturalismo
Estruturalismo
 
Aula antropologia da educação
Aula antropologia da educaçãoAula antropologia da educação
Aula antropologia da educação
 
Estruturalismo
EstruturalismoEstruturalismo
Estruturalismo
 
1 Resumo: cultura, um conceito antropológico (LARAIA)
1 Resumo: cultura, um conceito antropológico (LARAIA)1 Resumo: cultura, um conceito antropológico (LARAIA)
1 Resumo: cultura, um conceito antropológico (LARAIA)
 
Cultura um conceito antropológico
Cultura  um conceito antropológicoCultura  um conceito antropológico
Cultura um conceito antropológico
 
Slide sociologia 1
Slide sociologia 1Slide sociologia 1
Slide sociologia 1
 
O corpo-na-teoria-antropologica
O corpo-na-teoria-antropologicaO corpo-na-teoria-antropologica
O corpo-na-teoria-antropologica
 
A antropologia
A antropologiaA antropologia
A antropologia
 
Antropologia arte levistrauss (2)
Antropologia arte levistrauss (2)Antropologia arte levistrauss (2)
Antropologia arte levistrauss (2)
 
Linguagem e Parentesco
Linguagem e ParentescoLinguagem e Parentesco
Linguagem e Parentesco
 
mapa antropologia
mapa antropologiamapa antropologia
mapa antropologia
 
Aspectos do Direito na obra de Santo Tomás de Aquino
Aspectos do Direito na obra de Santo Tomás de AquinoAspectos do Direito na obra de Santo Tomás de Aquino
Aspectos do Direito na obra de Santo Tomás de Aquino
 

Semelhante a Antropologia slides

Blog
BlogBlog
Antropologia
AntropologiaAntropologia
Antropologia
psicoonline2010
 
Apresentações Sociais
Apresentações SociaisApresentações Sociais
Apresentações Sociais
itassa
 
Antropologia correcao3.
Antropologia correcao3.Antropologia correcao3.
Antropologia correcao3.
itassa
 
1 aula - fil. impressão.pptx
1 aula - fil. impressão.pptx1 aula - fil. impressão.pptx
1 aula - fil. impressão.pptx
josuelsilva19
 
Filo 2 trimestre larissa e monique 26
Filo 2 trimestre larissa e monique 26Filo 2 trimestre larissa e monique 26
Filo 2 trimestre larissa e monique 26
Alexandre Misturini
 
A evolução da reflexão humana.
A evolução da reflexão humana.A evolução da reflexão humana.
A evolução da reflexão humana.
PatriciaKarla
 
Trabalho de antropologia
Trabalho de antropologiaTrabalho de antropologia
Trabalho de antropologia
PSIFCA
 
Antropologia
Antropologia Antropologia
Antropologia
Cleberson Alves
 
Antropologia modificado
Antropologia modificadoAntropologia modificado
Antropologia modificado
Cleberson Alves
 
Antropologia modificado
Antropologia modificadoAntropologia modificado
Antropologia modificado
Cleberson Alves
 
Lascrael 21 mp
Lascrael 21 mpLascrael 21 mp
Lascrael 21 mp
Alexandre Misturini
 
Evolucao historica da reflexao humana
Evolucao historica da reflexao humanaEvolucao historica da reflexao humana
Evolucao historica da reflexao humana
Aniel Soares
 
Evolucao historica da reflexao humana
Evolucao historica da reflexao humanaEvolucao historica da reflexao humana
Evolucao historica da reflexao humana
Aniel Soares
 
VisãO Geral da Filosofia
VisãO Geral da FilosofiaVisãO Geral da Filosofia
VisãO Geral da Filosofia
ProfMario De Mori
 
Psicologia da educação.pptx
Psicologia da educação.pptxPsicologia da educação.pptx
Psicologia da educação.pptx
RENATOGOMESMACHADO2
 
Filosofia Unidade 2
Filosofia Unidade 2Filosofia Unidade 2
Filosofia Unidade 2
Jorge Eduardo Brandán
 
Principais períodos da história da filosofia
Principais períodos da história da filosofiaPrincipais períodos da história da filosofia
Principais períodos da história da filosofia
Aldenei Barros
 
25
2525
A origem da filosofia
A origem da filosofia A origem da filosofia
A origem da filosofia
Colégio Nova Geração COC
 

Semelhante a Antropologia slides (20)

Blog
BlogBlog
Blog
 
Antropologia
AntropologiaAntropologia
Antropologia
 
Apresentações Sociais
Apresentações SociaisApresentações Sociais
Apresentações Sociais
 
Antropologia correcao3.
Antropologia correcao3.Antropologia correcao3.
Antropologia correcao3.
 
1 aula - fil. impressão.pptx
1 aula - fil. impressão.pptx1 aula - fil. impressão.pptx
1 aula - fil. impressão.pptx
 
Filo 2 trimestre larissa e monique 26
Filo 2 trimestre larissa e monique 26Filo 2 trimestre larissa e monique 26
Filo 2 trimestre larissa e monique 26
 
A evolução da reflexão humana.
A evolução da reflexão humana.A evolução da reflexão humana.
A evolução da reflexão humana.
 
Trabalho de antropologia
Trabalho de antropologiaTrabalho de antropologia
Trabalho de antropologia
 
Antropologia
Antropologia Antropologia
Antropologia
 
Antropologia modificado
Antropologia modificadoAntropologia modificado
Antropologia modificado
 
Antropologia modificado
Antropologia modificadoAntropologia modificado
Antropologia modificado
 
Lascrael 21 mp
Lascrael 21 mpLascrael 21 mp
Lascrael 21 mp
 
Evolucao historica da reflexao humana
Evolucao historica da reflexao humanaEvolucao historica da reflexao humana
Evolucao historica da reflexao humana
 
Evolucao historica da reflexao humana
Evolucao historica da reflexao humanaEvolucao historica da reflexao humana
Evolucao historica da reflexao humana
 
VisãO Geral da Filosofia
VisãO Geral da FilosofiaVisãO Geral da Filosofia
VisãO Geral da Filosofia
 
Psicologia da educação.pptx
Psicologia da educação.pptxPsicologia da educação.pptx
Psicologia da educação.pptx
 
Filosofia Unidade 2
Filosofia Unidade 2Filosofia Unidade 2
Filosofia Unidade 2
 
Principais períodos da história da filosofia
Principais períodos da história da filosofiaPrincipais períodos da história da filosofia
Principais períodos da história da filosofia
 
25
2525
25
 
A origem da filosofia
A origem da filosofia A origem da filosofia
A origem da filosofia
 

Antropologia slides

  • 1. Antropologia Filosófica Faculdade Castro Alves Curso: Psicologia 1º semestre- Noturno Componentes: Cristiane Amado Jeane Ribeiro Jessi Anne Matos Juliana Galo Maria de Lourdes Viviane Dias Marco Antônio
  • 2. Mitologia O imaginário grego era povoado por narrativas mitológicas visando preservar o legado histórico valorizando assim a sua cultura. O mito procura explicar a vida, os fenômenos naturais, a origem do homem e do mundo.
  • 3. Mitologia Grega Por volta de 2000 a.C., lendas e deuses norteavam a ideologia desta civilização. Os doze deuses do Olímpio - Zeus, Hera, Poseidon, Ares, Hefestos, Apolo, Dionísio, Heracles, Demeter, Hestia, Afrodite, Hermes - eram considerados os mais importantes para a cultura grega. A mitologia era o principal assunto no núcleo da aprendizagem, ela também compreendia as crenças enraizadas em relatos considerados fictícios e imaginários. Na religião, era uma forma de criar rituais ou práticas com o propósito de estabelecer vínculos com a espiritualidade.
  • 4. Mitologia Egípcia Na mitologia egípcia os deuses possuíam personificação animalesca. No sincretismo religioso esses deuses são representações alegóricas, cujos seus significados são semelhantes aos de outras mitologias. Elementos como: ar, fogo e água eram objetos de adoração religiosa e suas divindades passaram a ser personificação desses poderes da natureza. Os mitos de diferentes culturas revelam forças semelhantes, possivelmente estas semelhanças sejam resultados de arquétipos que estão presentes no inconsciente coletivo.
  • 5. Período pré Socrático Os filósofos deste período preocupam-se exclusivamente com os problemas cosmológicos. Tales de Mileto (624-548 a.C.) teve uma tendência elementista ao identificar a água como substância única de todas as coisas,mas não encontrou a unidade fundamental do universo. Anaximandro de Mileto (6111-547 a.C.) iniciador da astronomia grega, imaginou a terra como um disco suspenso no ar. Para ele o Apeíron (ilimitado) está em constante movimento, que resulta numa série de pares opostos, água e fogo, frio e calor etc. Segundo Anaximandro o principio ativo da natureza é o Apeíron. Anaxímenes de Mileto (588-524 a.C.) segundo este, o ar é o elemento ativo que comanda o mundo, tudo provém do ar através de seus movimentos. Dedicou-se especialmente a numerologia , sendo o primeiro a afirmar que a lua recebe luz do sol .
  • 6. Sofistas Nômades gregos que tinham como objetivo substituir a educação tradicional grega voltada à formação de atletas e guerreiros, por uma educação voltada à formação do cidadão. Os métodos educacionais dos Sofistas estão voltados e agrupados em dois tipos fundamentais: Cultura geral: Este método compreende ao estudo da aritmética, geometria, astronomia e música. Formação política: este ensino correspondia as exigências das atividades políticas. Constavam das seguintes disciplinas : Gramática, dialética, retórica. Os sofistas mostravam-se dispostos a discutirem todos os assuntos, as palavras eram destituídas do seu sentido coerente, e usadas como instrumento de sugestão e persuasão para convencer seus interlocutores.
  • 7. Os Filósofos Clássicos Sócrates (436-336 a.C.) nasceu em Atenas e se tornou um dos principais pensadores da Grécia. Foi influenciado por Anaxágoras e muitas vezes confundido com os sofistas. Seus primeiros estudos e pensamentos discorrem sobre a essência da natureza humana. Segundo Sócrates, o conhecimento é absolvido por meio de questionamento. Desta forma, tentava levar o conhecimento sobre o ser humano, e por esse motivo foi acusado de corromper a mente da juventude grega e criticar muitos aspectos desta cultura. Platão (427 – 347 a.C.) discípulo de Sócrates, foi um Importante filósofo grego. Assim como seu professor, valorizava os métodos de debate e conversação como forma de desenvolver o conhecimento. Segundo Platão, a educação deveria funcionar como forma de desenvolver o homem moral. Ele também explica que a alma antes de encarnar, contempla um mundo de idéias , mas ao unir-se ao corpo, porém, esquece-se dela. O corpo é um obstáculo ao conhecimento. Dessa forma distingue no homem um mundo imaterial que seria a mente.
  • 8. Os Filósofos Clássicos Aristóteles (348-322 a.C.) discípulo de Platão e seu opositor. Seus princípios filosóficos baseavam-se em experimentações para fenômenos da natureza. Não acreditava na existência de idéias inatas nem no mundo das idéias. Discordando de Platão, afirmava que mente e corpo eram indivisíveis como forma e matéria. Para ele, a alma era imortal, uma espécie de intelecto ativo e imaterial. Admitia também que havia uma alma para cada tipo de espécie, ou seja, nas plantas esta alma seria vegetativa, nos animais alma animal e no homem alma racional.
  • 9. Filosofia Medieval Os filósofos cristãos tentavam conciliar fé e razão. Esse período teve inicio nos primeiros séculos após a queda do império romano, onde os filósofos tentavam conciliar a herança Greco-Romana com o pensamento cristão. Destaques para: Santo Agostinho (354-430 d.C) acreditava que a alma não era somente sede da razão e sim uma prova de manifestação divina no homem. Formulava a idéia de interioridade de uma consciência humana dotada de moral e de livre arbitro. São Tomas de Aquino (1224-1274) elaborou os princípios da teologia cristã. O homem busca a perfeição através de sua existência, e somente Deus seria capaz de reunir a essência e a existência em termos de igualdade.
  • 10. Humanismo renascentista Defende a idéia do homem ser o centro do pensamento filosófico, ao contrario do teocentrismo que defende a idéia que Deus é o centro do pensamento filosófico. Empirismo É uma doutrina filosófica cujo principal teórico é o inglês John Lock, ele defende que o conhecimento é limitado as experiências vivenciadas, e o conhecimento se dá por meio de tentativas e erros. No empirismo, as afirmações de cunho metafísico eram rejeitadas. Pois para tais afirmações, não há experimentações, testes ou controles possíveis. Aristóteles
  • 11. O racionalismo é baseado nos princípios da busca da certeza e da demonstração, sustentados por um conhecimento, ou seja, conhecimentos que não vêm da experiência. São elaborados somente pela razão. Principais racionalistas modernos: Descartes, Leibniz, Pascal e Spinoza No racionalismo, só é verdadeiro conhecimento que for logicamente necessário e universalmente válido, isto é, o conhecimento matemático é o próprio modelo do conhecimento. Assim sendo, o racionalismo admite que há determinados tipos de conhecimentos, em especial as noções matemáticas, que têm origem na razão. Entretanto não desconhece o conhecimento empírico, admitem-no e consideram-no, porém como simples opinião. Descartes
  • 12. Notas e Referencias Bibliográficas ARANHA, Maria e MARTINS, Maria. Filosofando - Introdução à filosofia. 2.ed. São Paulo: Moderna, 1993. FREIRE, Isabel Ribeiro. Raízes da psicologia . Petrópolis RJ 1 Psicologia Historia 150.9- 1997 - Editora Vozes Ltda. CASSIM, Barbara – Ensaios Sofísticos – São Paulo Siciliano- 1990 WILL Durant, História da filosofia - A vida e as idéias de grandes filósofos , São Paulo, editora nacional 1ª edição, 1926. Wikipédia – Enciclopédia Livre.