SlideShare uma empresa Scribd logo
ALUNOS DAS ÁREAS DE EMPREGABILIDADES DA EECIR
VISITAM A USINA HIDRELÉTRICA DE IRAPÉ
http://eecireinventandoem.blogspot.com.br/
Nos dias 26, 27 e 28 de novembro de 2014, os alunos do 2º ano das áreas de
empregabilidades Turismo, Meio Ambiente e Comunicação Aplicada,
orientados pelos professores Geisiane Dionízio, Ana Ferreira, Silda Verlane e
Nalvair, em planejamento interdisciplinar com os professores Gilmar,
Denísia, Arthur Bastos, Sheila, Simone Lino, Deuslânia, José Geraldo,
Juscélia e o engenheiro ambiental Diego Sarmento realizaram visitas técnicas
a Usina Hidrelétrica de Irapé, como atividade complementar das áreas de
empregabilidades, possibilitando a integração entre teoria e prática na
melhoria da qualidade do ensino na escola. Sendo o objetivo principal
oportunizar aos alunos, conhecer a Usina Hidrelétrica de Irapé, consolidar os
conteúdos estudados em sala de aula, bem como, complementar e contribuir
para o desenvolvimento dos conteúdos interdisciplinares práticos.
Na oportunidade, alunos e professores foram recepcionados e orientados pelo
Senhor José Carlos Soares do Amaral Diretor do Centro de Referência e Memória
de Irapé, e tiveram a oportunidade de conhecer in loco as instalações da Usina de
Irapé. Através do programa de visitação da usina, as atividades tiveram início com
uma palestra no auditório daquela unidade, onde os estudantes puderam conhecer:
● As medidas de segurança necessárias para se locomover nas dependências
internas da usina;
● A usina nos aspectos históricos, geográficos, econômicos, culturais e
turísticos;
● O Programa Peixe Vivo que é responsável pelas atividades na área de
piscicultura da Cemig, envolvendo pesquisa de reprodução e monitoramento de
espécies nativas, mecanismos de transposição e manutenção das estações de
piscicultura nas bacias hidrográficas da região;
● os impactos ambientais causados pela construção do reservatório da usina e
os ganhos socioeconômicos na região do vale do Jequitinhonha .
Em seguida, foram conhecer os diversos setores da usina, destacando o Centro
de Referência e Memória de Irapé; o reservatório de água de Irapé; os processos de
geração, transmissão e distribuição de energia; a fauna e a flora circundante.
Na opinião dos alunos e professores a visita técnica a Irapé foi um
sucesso. Superando todas as expectativas!!!
A Usina Hidrelétrica de Irapé ou Usina Presidente Juscelino
Kubitschek, foi construída no Rio Jequitinhonha, entre os municípios de
Berilo e Grão Mogol, região sudeste do Brasil. No contexto estadual o
mesmo integra a região nordeste de Minas Gerais e extremo Sul da Bahia.
Foi inaugurada em 2006 e tem capacidade de 390MW (megawatts),
aproximadamente a mesma produção da Usina de Três Marias. É a
barragem mais alta do Brasil e a segunda maior da América Latina, com
208 metros de altura e 137 km2 de área de reservatório. Em 1998, a CEMIG
venceu a licitação promovida pela ANEEL – Agência Nacional de Energia
Elétrica e tornou-se responsável pela construção e exploração da
hidrelétrica, sendo vista como a maior esperança de desenvolvimento
econômico e social da região do Vale do Jequitinhonha e Norte de Minas,
uma obra estratégica para o Governo de Minas Gerais pela sua importância
social e econômica promovendo o desenvolvimento nestas regiões mineiras.
Foram 43 anos entre planejamento e execução da obra, em 1963 fez-se o
levantamento do potencial do Rio Jequitinhonha para receber a grande obra,
em setembro de 2002, inicia a construção e em julho de 2006 foi
inaugurada e teve início a operação comercial na Usina Hidrelétrica de
Irapé. Seu custo estimado foi de R$1.000.000.000,00 (Um bilhão de reais).
Fonte : http://pt.wikipedia.org/wiki/UsinaHidrelétricadeIrapé
Usina Hidrelétrica de Irapé
Municípios atingidos pela barragem de IRAPÉ
Vejam as imagens:
A beleza da vegetação nativa de
No dia 27/11/2014, às 09h30min, chegamos ao nosso
destino. Fomos recepcionados pelo Senhor José
Carlos Soares do Amaral, Diretor do Centro de
Referência e Memória de Irapé, localizado próximo à
Casa de Força da Usina.
A visita iniciou-se pelo acervo do referido Centro,
que possui salas temáticas, onde são expostos uma
gama enorme de objetos, utensílios e indumentárias
utilizadas no dia-a-dia da população que outrora
habitou a área inundada e, atualmente, vive nas áreas
adjacentes à represa, abrangendo os municípios de
Berilo, Botumirim, José Gonçalves de Minas, Leme
do Prado, Grão Mogol, Turmalina e Virgem da Lapa.
Em seguida, no auditório com recursos de
multimídia, assistimos uma palestra referente às
normas e recomendações no uso de equipamentos e
proteção individual (EPI) e normas de segurança
baseadas na RN10 (Segurança em instalações e
serviços em eletricidade), assim como ao sistema de
gestão de qualidade NBR ISO 9001, gestão ambiental
NBR ISO 14001 e gestão de segurança e saúde
ocupacional OH-SAS 18001.
.
Relatório da Visita técnica em
Irapé
José Geraldo Cardozo
Sarmento
Professor de Geografia
Na fase final, seguimos para a Casa de Força, composta de 03 turbinas fabricadas
pela SIEMENS(empresa alemã), com capacidade geradora instalada de 390MW
(megawatts), energia com quantidade e qualidade suficientes para fomentar a
economia da região, muito prejudicada pelo relevo e condições climáticas adversas.
A área da Bacia do Jequitinhonha a montante possui 13 peixes nativos , são eles:
cari, cascudo, curimatã, lambari, maria mole, piabanha, piau três pintas, roncador,
surubim do jequitinhonha, timburé e trairão. Os alevínios dessas espécies são
introduzidos na represa através de parceria com o IFNMG-Campus Salinas
A visita técnica a Irapé proporcionou uma satisfação enorme aos alunos,
permitindo aos mesmos a compreensão “in-loco” dos conteúdos estudados em sala
de aula. Tiveram a oportunidade de ampliar seus conhecimentos a respeito dos
impactos ambientais causados pela construção da barragem de Irapé, consolidar os
conteúdos de meio ambiente, geografia, física e biologia estudados durante o ano .
Haja vista, os benefícios provenientes da instalação da barragem, tais como:
potencialização do turismo; a perenização do rio à jusante e o abastecimento de
água nos municípios próximos à margem do lago.
Logo após, foi serviço um breve lanche e dirigimo-nos à parte superior da
barragem a qual possui três edículas (que permite a manutenção das turbinas), duas
compostas ligadas ao vertedouro para escoar o excesso de água que chega ao
reservatório durante o período de chuvas. A altura da usina é 208 metros, sendo a
mais alta do Brasil
Avaliação da aluna Naylla Sindell Gonçalves Oliveira do 2º CA2
No dia 28/11/2014, tivemos a oportunidade de
conhecer a Usina Hidrelétrica de Irapé. Foi uma
grande experiência para nós na vida escolar e
pessoal. Esta visita técnica trouxe um amplo
conhecimento sobre o funcionamento de uma usina
hidrelétrica; do ponto de vista da física, geografia e
meio ambiente foi muito enriquecedor. Fomos
orientados pelo senhor José Carlos que nos passou
muitas informações sobre a construção da usina, os
processos de produção de energia, as questões
ambientais da região e conhecemos o acervo
histórico do Centro de Referência e Memória de
Irapé. Enfim, a viagem foi muito proveitosa e
divertimos muito.
PROJETO “CONHECENDO IRAPÉ”
VISITA TÉCNICA A USINA HIDRELÉTRICA DE IRAPÉ
ESCOLA ESTADUAL CORONEL IDALINO RIBEIRO – P.0.4.5.C.A
Rua Padre Salustiano, 333 – Centro – 39.560-000 – Salinas/MG
Telefone: (38) 3841.1320 – Telefax: (38) 3841.3374
email: escola.82457@educacao.mg.gov.br
Municípios atingidos pela barragem de IRAPÉ
INTRODUÇÃO
A Usina Hidrelétrica de Irapé foi construída no Rio Jequitinhonha, entre os
municípios de Berilo e Grão Mogol, região sudeste do Brasil. No contexto
estadual o mesmo integra a região nordeste de Minas Gerais e extremo Sul da
Bahia. Foi inaugurada em 2006 e tem capacidade de 390MW (megawatts),
aproximadamente a mesma produção da Usina de Três Marias. É a barragem
mais alta do Brasil e a segunda maior da América Latina, com 208 metros de
altura e 137 km2 de área de reservatório. Em 1998, a CEMIG venceu a licitação
promovida pela ANEEL – Agência Nacional de Energia Elétrica e tornou-se
responsável pela construção e exploração da hidrelétrica, sendo vista como a
maior esperança de desenvolvimento econômico e social da região do Vale do
Jequitinhonha e Norte de Minas, uma obra estratégica para o Governo de
Minas Gerais pela sua importância social e econômica promovendo o
desenvolvimento nestas regiões mineiras. Foram 43 anos entre planejamento e
execução da obra, em 1963 fez-se o levantamento do potencial do Rio
Jequitinhonha para receber a grande obra, em setembro de 2002, inicia a
construção e em julho de 2006 é inaugurada e tem início a operação comercial
na Usina Hidrelétrica de Irapé
Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/UsinaHidrelétricadeIrapé
JUSTIFICATIVA
Nos últimos tempos acompanhamos o avanço tecnológico atrelado a necessidade do uso consciente e racional
das fontes de energia, fazendo-se necessário proporcionar ao estudante o conhecimento e a vivência no processo
de produção e utilização de energia. A escola tem papel de grande relevância na formação de cidadãos
conscientes em relação ao uso dos recursos que a natureza oferece sem causar danos ao meio ambiente. Sendo
necessário desenvolver atividades que despertam uma consciência do uso correto das fontes de energia sem
causar danos as fontes renováveis. Sabemos também que a saída do estudante do espaço escolar, com uma
proposta pré-definida é motivadora da aprendizagem e desenvolve competências e habilidades. A visita técnica a
Irapé proporcionará aos alunos o conhecimento in loco das instalações de uma usina hidrelétrica, o
funcionamento das turbinas hidráulicas (responsáveis pela transformação da energia hidráulica em mecânica e,
consequentemente, em energia elétrica). É uma experiência que reforça o aprendizado e motiva o aluno para as
atividades escolares. Assim, justifica-se a visitação a Usina Hidrelétrica de Irapé.
Orientações PCN´s propõe ao professor que promova pesquisas em locais ricos em informações: “É
importante salientar que o espaço de aprendizagem não se restringe à escola, sendo necessário propor
atividades que ocorram fora dela. A programação deve contar com passeios, excursões, teatro, cinema, visita a
fábricas, marcenarias, padarias, enfim, com as possibilidades existentes em cada local e as necessidades de
realização do trabalho escolar.”(Parâmetros Curriculares Nacionais)
OBJETIVO GERAL: Oportunizar aos alunos das áreas de empregabilidades, conhecer a Usina Hidrelétrica de Irapé,
consolidar os conteúdos estudados em sala de aula, bem como, complementar e contribuir para o desenvolvimento dos
conteúdos interdisciplinares práticos.
OBJETIVOS ESPECÍFICOS:
•Conhecer a Usina Hidrelétrica de Irapé;
•Conhecer o funcionamento de uma usina hidrelétrica;
•Alargar o conhecimento dos alunos através de novas experiências.
•Promover o processo ensino-aprendizagem no contexto cultural, social, histórico e geográfico;
•Identificar os benefícios da usina hidrelétrica na produção de energia;
•Contribuir para que os alunos conheçam o processo de produção de energia;
•Conhecer a engenharia adaptada para as condições climáticas e geomorfológicas da região;
•Conhecer e avaliar os impactos ambientais positivos e negativos, provocados por uma usina hidrelétrica;
•Analisar os impactos econômicos para os municípios atingidos;
•Analisar os impactos positivos para o desenvolvimento regional;
•Analisar os impactos para o turismo na região;
•Conhecer os procedimentos de construção de uma usina hidrelétrica desde o resgate dos animais na região até o
assentamento das famílias dos agricultores atingidos.
• Sensibilizar o aluno a ter hábitos conscientes relacionados ao consumo de energia.
Promover a reflexão sobre métodos e inovações para suprir possíveis necessidades e garantir o futuro com recursos
renováveis.
METODOLOGIA
O projeto da visita técnica a Usina Hidrelétrica de Irapé foi criado da vontade dos alunos que manifestaram em conhecer
uma usina hidrelétrica, quando assistiram o filme Narradores de Javé, na execução do plano de ensino da professora de
Meio Ambiente. Sendo Irapé a usina hidrelétrica mais próxima de Salinas e com condições favoráveis de visitação,
decidimos elaborar o Projeto “CONHECENDO IRAPÉ” dentro da proposta pedagógica dos professores das áreas de
empregabilidades, física e de geografia, das turmas do 2º ano do reinventando. Complementando os conteúdos estudados
em sala de aula e atendendo a proposta do planejamento de cada professor, a visita técnica a Usina Hidrelétrica de Irapé
tem a finalidade de proporcionar aos alunos atividades práticas nos aspectos geográficos, históricos, econômico, turístico,
social e cultural. Serão selecionados 150 alunos para a viagem, pelos critérios de melhor aproveitamento, avaliação dos
professores nas questões disciplinares e comportamentais e autorização dos pais. Sendo os alunos visitantes
multiplicadores dos ensinamentos repassados a eles durante a visita. Os alunos serão orientados a registrarem todas as
informações dos monitores e as observações importantes em suas cadernetas e fazerem registros de imagens e vídeos,
material que será necessário para montagem de uma maquete da Usina Hidrelétrica de Irapé e repasse para os estudantes da
escola. Outras atividades serão trabalhadas de acordo o plano de ensino de cada professor na sua disciplina.
CONTEÚDOS BÁSICOS:
•Meio Ambiente: Problemática Socioambiental e Saúde Pública II; Impactos ambientais e sociais.
•Comunicação Aplicada: Tópicos especiais
•Turismo: Cultura, Meio Ambiente e Sustentabilidade.
•Geografia: Estudo da bacia hidrográfica do Jequitinhonha; Impactos ambientais.
•Física: Funcionamento de Usinas Hidrelétricas; Capacidade de geração de energia e processo de produção.
RESULTADOS ESPERADOS:
Depois da visita técnica a Usina Hidrelétrica de Irapé, espera-se que os alunos:
•Estejam motivados para a aprendizagem e comprometidos com as atividades
escolares;
•Sejam multiplicadores do conhecimento e da responsabilidade ambiental na
escola e na comunidade;
•Sejam disseminadores de idéias e hábitos conscientes no uso dos recursos
ambientais com sustentabilidade;
•Estejam aptos a repassarem, para os colegas, os conhecimentos e informações
técnicas, recebidos na visita.
PERÍODO ATIVIDADES DESENVOLVIDAS RESPONSÁVEIS
Outubro Preparo teórico das atividades da viagem: Projeto,
ofício a CEMIG, carta aos pais.
Viabilização de recursos financeiros para a viagem.
Agenciamento do transporte- ônibus.
Coordenação REM
Setor Financeiro
Trabalhos de pesquisas sobre e a Usina Hidrelétrica
de Irapé.
Professores e alunos
Outubro Triagem dos alunos visitantes.
Preparativos para a viagem.
Coordenação-REM
Coordenação pedagógica
Professores
Novembro
26, 27 e 28
Realização das viagens Professores
Alunos
Dezembro
Consolidação da visita técnica a IRAPÉ Alunos e professores.
Socialização do material produzido na escola Alunos e professores
Divulgação no blog Coordenadora do REM
Avaliação da visita técnica a IRAPÉ Professores e alunos
Comunidade escolar
PLANEJAMENTO DAS ATIVIDADES:
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
http://www.infoescola.com/energia/usina-hidreletrica/
http://www.cemig.com.br/sites/Imprensa/pt-br/Paginas/renovacao_licenca_irape.aspx
http://blogdojequi.blogspot.com/2012/02/conheca-usina-de-irape-mais-alta-do.html
Projeto Reinventando O Ensino Médio - Orientações 2013
PARTICIPANTES:
Supervisora Pedagógica Fernanda de Petrone Castro__________________________
Coordenadora REM/EECIR Clotildes Clere de Alcântara ________________________
Diretora da EECIR Gleide Aparecida Cardoso Oliveira __________________________
Inspetora Escolar Jackline Silvestre da Costa _________________________________
PROFESSORES:
Arthur Bastos ___________________________________________________________
Ana Ferreira de Oliveira Brito ______________________________________________
Denísia Matos Soares _____________________________________________________
Deuslânia Ferreira dos Santos_____________________________________
Geisiane Dionízio Ferreira Rocha__________________________________
Gilmar Pereira de Souza _________________________________________
José Geraldo Cardozo Sarmento___________________________________
Juscélia dos Santos_____________________________________________
Nalvair Lopes Bahia____________________________________________
Silda Verlane Loiola____________________________________________
Simone Lino__________________________________________________
Sheila Almeida de Oliveira______________________________________
“Nada lhe posso dar que já não existam
em você mesmo.
Não posso abrir-lhe outro mundo
de imagens, além daquele que há
em sua própria alma.
Nada lhe posso dar a não ser a oportunidade,
o impulso, a chave.
Eu o ajudarei a tornar visível o seu
próprio mundo,
e isso é tudo”.
Hermann Hesse
Visita técnica a usina de irapé

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

9 ano propriedades da matéria
9 ano propriedades da matéria9 ano propriedades da matéria
9 ano propriedades da matéria
crisbassanimedeiros
 
Balanceamento de equações químicas
Balanceamento de equações químicasBalanceamento de equações químicas
Balanceamento de equações químicas
Rafael Nishikawa
 
Introducao quimica, materia, substância, mistura, análise
Introducao quimica, materia, substância, mistura, análiseIntroducao quimica, materia, substância, mistura, análise
Introducao quimica, materia, substância, mistura, análise
Vinny Silva
 
Exercícios de química - 9º ano
Exercícios de química - 9º anoExercícios de química - 9º ano
Exercícios de química - 9º ano
V
 
(5) 2008-2009 - 9º ano - noções básicas de hereditariedade
(5)   2008-2009 - 9º ano - noções básicas de hereditariedade(5)   2008-2009 - 9º ano - noções básicas de hereditariedade
(5) 2008-2009 - 9º ano - noções básicas de hereditariedade
Hugo Martins
 
Substância e mistura 9º ano
Substância e mistura 9º anoSubstância e mistura 9º ano
Substância e mistura 9º ano
Karla Almeida
 
Exercicios Enem Química - Treinamento para as aulas 4, 5 e 6
Exercicios Enem Química - Treinamento para as aulas 4, 5 e 6Exercicios Enem Química - Treinamento para as aulas 4, 5 e 6
Exercicios Enem Química - Treinamento para as aulas 4, 5 e 6
Maiquel Vieira
 
Lista de exercícios de revisão energia e máquinas simples 9° ano dudunegão
Lista de exercícios de revisão   energia e máquinas simples 9° ano  dudunegãoLista de exercícios de revisão   energia e máquinas simples 9° ano  dudunegão
Lista de exercícios de revisão energia e máquinas simples 9° ano dudunegão
Eduardo Oliveira
 
Aula - Ligação Química
Aula - Ligação QuímicaAula - Ligação Química
Aula - Ligação Química
alisozinho
 
Transformações químicas
Transformações químicasTransformações químicas
Transformações químicas
Dulcilene Figueiredo
 
Aula 8 sais e oxidos
Aula 8   sais e oxidosAula 8   sais e oxidos
Aula 8 sais e oxidos
José Vitor Alves
 
Consumo de energia eletrica
Consumo de energia eletricaConsumo de energia eletrica
Consumo de energia eletrica
Creuza201011
 
Aula 9 tabela periódica nono ano
Aula 9 tabela periódica nono anoAula 9 tabela periódica nono ano
Aula 9 tabela periódica nono ano
Professora Raquel
 
QUÍMICA - 3ª SÉRIE - HABILIDADE DA BNCC - (EM13CNT203) D3
QUÍMICA - 3ª SÉRIE - HABILIDADE DA BNCC - (EM13CNT203) D3QUÍMICA - 3ª SÉRIE - HABILIDADE DA BNCC - (EM13CNT203) D3
QUÍMICA - 3ª SÉRIE - HABILIDADE DA BNCC - (EM13CNT203) D3
GernciadeProduodeMat
 
Propriedades da matéria
Propriedades da matériaPropriedades da matéria
Propriedades da matéria
matheusrl98
 
Fases lua
Fases luaFases lua
Fases lua
Manuel Silva
 
Aula 3 mruv
Aula 3  mruvAula 3  mruv
Aula 3 mruv
Montenegro Física
 
Tabela periodica
Tabela periodicaTabela periodica
Tabela periodica
Enio Silva De Lima
 
CFQ: Materias e substâncias
CFQ: Materias e substânciasCFQ: Materias e substâncias
CFQ: Materias e substâncias
7F
 
Reações químicas
Reações químicasReações químicas
Reações químicas
João Paulo Luna
 

Mais procurados (20)

9 ano propriedades da matéria
9 ano propriedades da matéria9 ano propriedades da matéria
9 ano propriedades da matéria
 
Balanceamento de equações químicas
Balanceamento de equações químicasBalanceamento de equações químicas
Balanceamento de equações químicas
 
Introducao quimica, materia, substância, mistura, análise
Introducao quimica, materia, substância, mistura, análiseIntroducao quimica, materia, substância, mistura, análise
Introducao quimica, materia, substância, mistura, análise
 
Exercícios de química - 9º ano
Exercícios de química - 9º anoExercícios de química - 9º ano
Exercícios de química - 9º ano
 
(5) 2008-2009 - 9º ano - noções básicas de hereditariedade
(5)   2008-2009 - 9º ano - noções básicas de hereditariedade(5)   2008-2009 - 9º ano - noções básicas de hereditariedade
(5) 2008-2009 - 9º ano - noções básicas de hereditariedade
 
Substância e mistura 9º ano
Substância e mistura 9º anoSubstância e mistura 9º ano
Substância e mistura 9º ano
 
Exercicios Enem Química - Treinamento para as aulas 4, 5 e 6
Exercicios Enem Química - Treinamento para as aulas 4, 5 e 6Exercicios Enem Química - Treinamento para as aulas 4, 5 e 6
Exercicios Enem Química - Treinamento para as aulas 4, 5 e 6
 
Lista de exercícios de revisão energia e máquinas simples 9° ano dudunegão
Lista de exercícios de revisão   energia e máquinas simples 9° ano  dudunegãoLista de exercícios de revisão   energia e máquinas simples 9° ano  dudunegão
Lista de exercícios de revisão energia e máquinas simples 9° ano dudunegão
 
Aula - Ligação Química
Aula - Ligação QuímicaAula - Ligação Química
Aula - Ligação Química
 
Transformações químicas
Transformações químicasTransformações químicas
Transformações químicas
 
Aula 8 sais e oxidos
Aula 8   sais e oxidosAula 8   sais e oxidos
Aula 8 sais e oxidos
 
Consumo de energia eletrica
Consumo de energia eletricaConsumo de energia eletrica
Consumo de energia eletrica
 
Aula 9 tabela periódica nono ano
Aula 9 tabela periódica nono anoAula 9 tabela periódica nono ano
Aula 9 tabela periódica nono ano
 
QUÍMICA - 3ª SÉRIE - HABILIDADE DA BNCC - (EM13CNT203) D3
QUÍMICA - 3ª SÉRIE - HABILIDADE DA BNCC - (EM13CNT203) D3QUÍMICA - 3ª SÉRIE - HABILIDADE DA BNCC - (EM13CNT203) D3
QUÍMICA - 3ª SÉRIE - HABILIDADE DA BNCC - (EM13CNT203) D3
 
Propriedades da matéria
Propriedades da matériaPropriedades da matéria
Propriedades da matéria
 
Fases lua
Fases luaFases lua
Fases lua
 
Aula 3 mruv
Aula 3  mruvAula 3  mruv
Aula 3 mruv
 
Tabela periodica
Tabela periodicaTabela periodica
Tabela periodica
 
CFQ: Materias e substâncias
CFQ: Materias e substânciasCFQ: Materias e substâncias
CFQ: Materias e substâncias
 
Reações químicas
Reações químicasReações químicas
Reações químicas
 

Destaque

Seminário de percurso do rem eecir
Seminário de percurso do rem eecirSeminário de percurso do rem eecir
Seminário de percurso do rem eecir
Clotildes Clere Alcântara
 
Projeto belezas de graomogol
Projeto belezas de graomogolProjeto belezas de graomogol
Projeto belezas de graomogol
Clotildes Clere Alcântara
 
Culinária x matemática
Culinária x matemáticaCulinária x matemática
Culinária x matemática
Clotildes Clere Alcântara
 
Projeto copa do mundo 2014
Projeto copa do mundo 2014Projeto copa do mundo 2014
Projeto copa do mundo 2014
Clotildes Clere Alcântara
 
Festa do estudante 2014
Festa do estudante 2014Festa do estudante 2014
Festa do estudante 2014
Clotildes Clere Alcântara
 
Visita técnico cultural a fundação de cultura de salinas x
Visita técnico cultural a fundação de cultura de salinas xVisita técnico cultural a fundação de cultura de salinas x
Visita técnico cultural a fundação de cultura de salinas x
Clotildes Clere Alcântara
 
Visita na rádio difusora de salinas mg
Visita na rádio difusora de salinas mgVisita na rádio difusora de salinas mg
Visita na rádio difusora de salinas mg
Clotildes Clere Alcântara
 
Seminário de percurso curricular
Seminário de percurso curricularSeminário de percurso curricular
Seminário de percurso curricular
Clotildes Clere Alcântara
 
Aluna da eecir é classificada para a etapa estadual da 4ª olimpíada de língua...
Aluna da eecir é classificada para a etapa estadual da 4ª olimpíada de língua...Aluna da eecir é classificada para a etapa estadual da 4ª olimpíada de língua...
Aluna da eecir é classificada para a etapa estadual da 4ª olimpíada de língua...
Clotildes Clere Alcântara
 
Oficina de sabão ecológico
Oficina de sabão ecológicoOficina de sabão ecológico
Oficina de sabão ecológico
Clotildes Clere Alcântara
 
Visita ao lar santa clara
Visita ao lar santa claraVisita ao lar santa clara
Visita ao lar santa clara
Clotildes Clere Alcântara
 
Pólo presencial uab de salinas mg
Pólo presencial uab de salinas  mgPólo presencial uab de salinas  mg
Pólo presencial uab de salinas mg
Clotildes Clere Alcântara
 
Visita no pólo uab de salinas
Visita no pólo uab de salinasVisita no pólo uab de salinas
Visita no pólo uab de salinas
Clotildes Clere Alcântara
 
Reciclagem de eletronicos finalizado
Reciclagem de eletronicos finalizadoReciclagem de eletronicos finalizado
Reciclagem de eletronicos finalizado
Clotildes Clere Alcântara
 
Projeto dia das mães 2014
Projeto dia das mães 2014Projeto dia das mães 2014
Projeto dia das mães 2014
Clotildes Clere Alcântara
 
Projeto meio ambiente e sustentabilidade
Projeto meio ambiente e sustentabilidadeProjeto meio ambiente e sustentabilidade
Projeto meio ambiente e sustentabilidade
Clotildes Clere Alcântara
 
Visita no lar santa clara
Visita no lar santa claraVisita no lar santa clara
Visita no lar santa clara
Clotildes Clere Alcântara
 
Festa das mães na eecir
Festa das mães na eecirFesta das mães na eecir
Festa das mães na eecir
Clotildes Clere Alcântara
 
Seminário de percurso curricular do rem eecir
Seminário de percurso curricular do rem eecirSeminário de percurso curricular do rem eecir
Seminário de percurso curricular do rem eecir
Clotildes Clere Alcântara
 
Power point museu da cachaça de salinas
Power point museu da cachaça de salinasPower point museu da cachaça de salinas
Power point museu da cachaça de salinas
Clotildes Clere Alcântara
 

Destaque (20)

Seminário de percurso do rem eecir
Seminário de percurso do rem eecirSeminário de percurso do rem eecir
Seminário de percurso do rem eecir
 
Projeto belezas de graomogol
Projeto belezas de graomogolProjeto belezas de graomogol
Projeto belezas de graomogol
 
Culinária x matemática
Culinária x matemáticaCulinária x matemática
Culinária x matemática
 
Projeto copa do mundo 2014
Projeto copa do mundo 2014Projeto copa do mundo 2014
Projeto copa do mundo 2014
 
Festa do estudante 2014
Festa do estudante 2014Festa do estudante 2014
Festa do estudante 2014
 
Visita técnico cultural a fundação de cultura de salinas x
Visita técnico cultural a fundação de cultura de salinas xVisita técnico cultural a fundação de cultura de salinas x
Visita técnico cultural a fundação de cultura de salinas x
 
Visita na rádio difusora de salinas mg
Visita na rádio difusora de salinas mgVisita na rádio difusora de salinas mg
Visita na rádio difusora de salinas mg
 
Seminário de percurso curricular
Seminário de percurso curricularSeminário de percurso curricular
Seminário de percurso curricular
 
Aluna da eecir é classificada para a etapa estadual da 4ª olimpíada de língua...
Aluna da eecir é classificada para a etapa estadual da 4ª olimpíada de língua...Aluna da eecir é classificada para a etapa estadual da 4ª olimpíada de língua...
Aluna da eecir é classificada para a etapa estadual da 4ª olimpíada de língua...
 
Oficina de sabão ecológico
Oficina de sabão ecológicoOficina de sabão ecológico
Oficina de sabão ecológico
 
Visita ao lar santa clara
Visita ao lar santa claraVisita ao lar santa clara
Visita ao lar santa clara
 
Pólo presencial uab de salinas mg
Pólo presencial uab de salinas  mgPólo presencial uab de salinas  mg
Pólo presencial uab de salinas mg
 
Visita no pólo uab de salinas
Visita no pólo uab de salinasVisita no pólo uab de salinas
Visita no pólo uab de salinas
 
Reciclagem de eletronicos finalizado
Reciclagem de eletronicos finalizadoReciclagem de eletronicos finalizado
Reciclagem de eletronicos finalizado
 
Projeto dia das mães 2014
Projeto dia das mães 2014Projeto dia das mães 2014
Projeto dia das mães 2014
 
Projeto meio ambiente e sustentabilidade
Projeto meio ambiente e sustentabilidadeProjeto meio ambiente e sustentabilidade
Projeto meio ambiente e sustentabilidade
 
Visita no lar santa clara
Visita no lar santa claraVisita no lar santa clara
Visita no lar santa clara
 
Festa das mães na eecir
Festa das mães na eecirFesta das mães na eecir
Festa das mães na eecir
 
Seminário de percurso curricular do rem eecir
Seminário de percurso curricular do rem eecirSeminário de percurso curricular do rem eecir
Seminário de percurso curricular do rem eecir
 
Power point museu da cachaça de salinas
Power point museu da cachaça de salinasPower point museu da cachaça de salinas
Power point museu da cachaça de salinas
 

Semelhante a Visita técnica a usina de irapé

EE Ruth Dalva Ferraz Farão
EE Ruth Dalva Ferraz FarãoEE Ruth Dalva Ferraz Farão
EE Ruth Dalva Ferraz Farão
Alexandre Borgonovi
 
Projeto fontes sustentável 2015.
Projeto fontes sustentável 2015.Projeto fontes sustentável 2015.
Projeto fontes sustentável 2015.
Francisco Diassis Bezerra Bezerra
 
Oficina 1º ano – 2º bimestre
Oficina 1º ano – 2º bimestreOficina 1º ano – 2º bimestre
Oficina 1º ano – 2º bimestre
wagneripo
 
EE Elmira Goulart Pereira
EE Elmira Goulart PereiraEE Elmira Goulart Pereira
EE Elmira Goulart Pereira
Alexandre Borgonovi
 
II Fórum Pró-Selo UNICEF
II Fórum Pró-Selo UNICEFII Fórum Pró-Selo UNICEF
II Fórum Pró-Selo UNICEF
Rosa Maria
 
Tcc_Proj_FEFI_Modulo_II
 Tcc_Proj_FEFI_Modulo_II Tcc_Proj_FEFI_Modulo_II
Tcc_Proj_FEFI_Modulo_II
Senac
 
2016 palestra realizada pela patrulha ambiental do rio ivai na es cola lidi...
2016  palestra realizada pela patrulha ambiental do rio ivai  na es cola lidi...2016  palestra realizada pela patrulha ambiental do rio ivai  na es cola lidi...
2016 palestra realizada pela patrulha ambiental do rio ivai na es cola lidi...
Victor Ha-Kã Azevedo
 
Informativo instituto soka
Informativo instituto sokaInformativo instituto soka
Informativo instituto soka
Soka Leão
 
Visita técnica a grão mogol
Visita técnica a grão mogolVisita técnica a grão mogol
Visita técnica a grão mogol
Clotildes Clere Alcântara
 
Projeto Nascentes Urbanas
Projeto Nascentes Urbanas Projeto Nascentes Urbanas
Projeto Nascentes Urbanas
Deise Mara do Nascimento
 
Apres historico instituto2
Apres historico instituto2Apres historico instituto2
Apres historico instituto2
Institutocarijos
 
Atividades complementares no turno noturno 3º bimestre cida
Atividades complementares no turno noturno 3º bimestre cidaAtividades complementares no turno noturno 3º bimestre cida
Atividades complementares no turno noturno 3º bimestre cida
Clotildes Clere Alcântara
 
O Licenciamento Ambiental e a Atuação do Poder Público na Realização do Aterr...
O Licenciamento Ambiental e a Atuação do Poder Público na Realização do Aterr...O Licenciamento Ambiental e a Atuação do Poder Público na Realização do Aterr...
O Licenciamento Ambiental e a Atuação do Poder Público na Realização do Aterr...
mcrudolf
 
Plano De Projeto Finalizado Data 04
Plano De Projeto Finalizado Data 04Plano De Projeto Finalizado Data 04
Plano De Projeto Finalizado Data 04
guest18166af
 
Desenvolvendo Comunidades com Parceria de Grandes Empresas
Desenvolvendo Comunidades com Parceria de Grandes EmpresasDesenvolvendo Comunidades com Parceria de Grandes Empresas
Desenvolvendo Comunidades com Parceria de Grandes Empresas
Daniela Gomes dos Santos
 
P Zilda Da Frota Uchoa
P Zilda Da Frota UchoaP Zilda Da Frota Uchoa
P Zilda Da Frota Uchoa
faijaM
 
Projeto escola nagen
Projeto escola nagenProjeto escola nagen
Projeto escola nagen
leisarobles
 
Entreverdes Campinas - Programa de educação ambiental permanente
Entreverdes Campinas - Programa de educação ambiental permanenteEntreverdes Campinas - Programa de educação ambiental permanente
Entreverdes Campinas - Programa de educação ambiental permanente
THCM
 
Escopo programa viva o rio pinheiros
Escopo  programa viva o rio pinheirosEscopo  programa viva o rio pinheiros
Escopo programa viva o rio pinheiros
Douglas Siqueira
 
2015 relatorio da patrulha ambiental rio ivai jan 2015
2015 relatorio da patrulha ambiental rio ivai  jan 20152015 relatorio da patrulha ambiental rio ivai  jan 2015
2015 relatorio da patrulha ambiental rio ivai jan 2015
Victor Ha-Kã Azevedo
 

Semelhante a Visita técnica a usina de irapé (20)

EE Ruth Dalva Ferraz Farão
EE Ruth Dalva Ferraz FarãoEE Ruth Dalva Ferraz Farão
EE Ruth Dalva Ferraz Farão
 
Projeto fontes sustentável 2015.
Projeto fontes sustentável 2015.Projeto fontes sustentável 2015.
Projeto fontes sustentável 2015.
 
Oficina 1º ano – 2º bimestre
Oficina 1º ano – 2º bimestreOficina 1º ano – 2º bimestre
Oficina 1º ano – 2º bimestre
 
EE Elmira Goulart Pereira
EE Elmira Goulart PereiraEE Elmira Goulart Pereira
EE Elmira Goulart Pereira
 
II Fórum Pró-Selo UNICEF
II Fórum Pró-Selo UNICEFII Fórum Pró-Selo UNICEF
II Fórum Pró-Selo UNICEF
 
Tcc_Proj_FEFI_Modulo_II
 Tcc_Proj_FEFI_Modulo_II Tcc_Proj_FEFI_Modulo_II
Tcc_Proj_FEFI_Modulo_II
 
2016 palestra realizada pela patrulha ambiental do rio ivai na es cola lidi...
2016  palestra realizada pela patrulha ambiental do rio ivai  na es cola lidi...2016  palestra realizada pela patrulha ambiental do rio ivai  na es cola lidi...
2016 palestra realizada pela patrulha ambiental do rio ivai na es cola lidi...
 
Informativo instituto soka
Informativo instituto sokaInformativo instituto soka
Informativo instituto soka
 
Visita técnica a grão mogol
Visita técnica a grão mogolVisita técnica a grão mogol
Visita técnica a grão mogol
 
Projeto Nascentes Urbanas
Projeto Nascentes Urbanas Projeto Nascentes Urbanas
Projeto Nascentes Urbanas
 
Apres historico instituto2
Apres historico instituto2Apres historico instituto2
Apres historico instituto2
 
Atividades complementares no turno noturno 3º bimestre cida
Atividades complementares no turno noturno 3º bimestre cidaAtividades complementares no turno noturno 3º bimestre cida
Atividades complementares no turno noturno 3º bimestre cida
 
O Licenciamento Ambiental e a Atuação do Poder Público na Realização do Aterr...
O Licenciamento Ambiental e a Atuação do Poder Público na Realização do Aterr...O Licenciamento Ambiental e a Atuação do Poder Público na Realização do Aterr...
O Licenciamento Ambiental e a Atuação do Poder Público na Realização do Aterr...
 
Plano De Projeto Finalizado Data 04
Plano De Projeto Finalizado Data 04Plano De Projeto Finalizado Data 04
Plano De Projeto Finalizado Data 04
 
Desenvolvendo Comunidades com Parceria de Grandes Empresas
Desenvolvendo Comunidades com Parceria de Grandes EmpresasDesenvolvendo Comunidades com Parceria de Grandes Empresas
Desenvolvendo Comunidades com Parceria de Grandes Empresas
 
P Zilda Da Frota Uchoa
P Zilda Da Frota UchoaP Zilda Da Frota Uchoa
P Zilda Da Frota Uchoa
 
Projeto escola nagen
Projeto escola nagenProjeto escola nagen
Projeto escola nagen
 
Entreverdes Campinas - Programa de educação ambiental permanente
Entreverdes Campinas - Programa de educação ambiental permanenteEntreverdes Campinas - Programa de educação ambiental permanente
Entreverdes Campinas - Programa de educação ambiental permanente
 
Escopo programa viva o rio pinheiros
Escopo  programa viva o rio pinheirosEscopo  programa viva o rio pinheiros
Escopo programa viva o rio pinheiros
 
2015 relatorio da patrulha ambiental rio ivai jan 2015
2015 relatorio da patrulha ambiental rio ivai  jan 20152015 relatorio da patrulha ambiental rio ivai  jan 2015
2015 relatorio da patrulha ambiental rio ivai jan 2015
 

Mais de Clotildes Clere Alcântara

Reciclagem de eletronicos finalizado
Reciclagem de eletronicos finalizadoReciclagem de eletronicos finalizado
Reciclagem de eletronicos finalizado
Clotildes Clere Alcântara
 
Seminário de percurso curricular
Seminário de percurso curricularSeminário de percurso curricular
Seminário de percurso curricular
Clotildes Clere Alcântara
 
Professores da eecir participam de evento da magistra
Professores da eecir participam de evento da magistraProfessores da eecir participam de evento da magistra
Professores da eecir participam de evento da magistraClotildes Clere Alcântara
 
Seminário de percurso curricular
Seminário de percurso curricularSeminário de percurso curricular
Seminário de percurso curricular
Clotildes Clere Alcântara
 
Relatório do seminário de percurso curricular pais e alunos
Relatório do seminário de percurso curricular   pais e alunosRelatório do seminário de percurso curricular   pais e alunos
Relatório do seminário de percurso curricular pais e alunos
Clotildes Clere Alcântara
 
Visita técnica da área de turismo
Visita técnica da área de turismoVisita técnica da área de turismo
Visita técnica da área de turismo
Clotildes Clere Alcântara
 
I mostra literária da eecir
I mostra literária da eecirI mostra literária da eecir
I mostra literária da eecir
Clotildes Clere Alcântara
 
Projeto cinema na escola
Projeto cinema na escolaProjeto cinema na escola
Projeto cinema na escola
Clotildes Clere Alcântara
 
Dia nacional da consciência negra
Dia nacional da consciência negraDia nacional da consciência negra
Dia nacional da consciência negra
Clotildes Clere Alcântara
 
Turismo em grão mogol
Turismo  em grão mogolTurismo  em grão mogol
Turismo em grão mogol
Clotildes Clere Alcântara
 
Palestra na área de turismo
Palestra na área de turismoPalestra na área de turismo
Palestra na área de turismo
Clotildes Clere Alcântara
 
Semana do meio ambiente na eecir bl
Semana do meio ambiente na eecir blSemana do meio ambiente na eecir bl
Semana do meio ambiente na eecir bl
Clotildes Clere Alcântara
 

Mais de Clotildes Clere Alcântara (12)

Reciclagem de eletronicos finalizado
Reciclagem de eletronicos finalizadoReciclagem de eletronicos finalizado
Reciclagem de eletronicos finalizado
 
Seminário de percurso curricular
Seminário de percurso curricularSeminário de percurso curricular
Seminário de percurso curricular
 
Professores da eecir participam de evento da magistra
Professores da eecir participam de evento da magistraProfessores da eecir participam de evento da magistra
Professores da eecir participam de evento da magistra
 
Seminário de percurso curricular
Seminário de percurso curricularSeminário de percurso curricular
Seminário de percurso curricular
 
Relatório do seminário de percurso curricular pais e alunos
Relatório do seminário de percurso curricular   pais e alunosRelatório do seminário de percurso curricular   pais e alunos
Relatório do seminário de percurso curricular pais e alunos
 
Visita técnica da área de turismo
Visita técnica da área de turismoVisita técnica da área de turismo
Visita técnica da área de turismo
 
I mostra literária da eecir
I mostra literária da eecirI mostra literária da eecir
I mostra literária da eecir
 
Projeto cinema na escola
Projeto cinema na escolaProjeto cinema na escola
Projeto cinema na escola
 
Dia nacional da consciência negra
Dia nacional da consciência negraDia nacional da consciência negra
Dia nacional da consciência negra
 
Turismo em grão mogol
Turismo  em grão mogolTurismo  em grão mogol
Turismo em grão mogol
 
Palestra na área de turismo
Palestra na área de turismoPalestra na área de turismo
Palestra na área de turismo
 
Semana do meio ambiente na eecir bl
Semana do meio ambiente na eecir blSemana do meio ambiente na eecir bl
Semana do meio ambiente na eecir bl
 

Último

Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptxTREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
erssstcontato
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Professor Belinaso
 
Trabalho de Geografia industrialização.pdf
Trabalho de Geografia industrialização.pdfTrabalho de Geografia industrialização.pdf
Trabalho de Geografia industrialização.pdf
erico paulo rocha guedes
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
MarcosPaulo777883
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
DECIOMAURINARAMOS
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
fagnerlopes11
 
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
Gênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9ºGênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9º
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
sjcelsorocha
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Pedro Luis Moraes
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
MatheusSousa716350
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
fernandacosta37763
 
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
AntonioLobosco3
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
vinibolado86
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
todorokillmepls
 

Último (20)

Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptxTREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
TREINAMENTO DE BRIGADA DE INCENDIO BRIGADA CCB 2023.pptx
 
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptxSlides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
Slides Lição 11, Central Gospel, Os Mortos Em CRISTO, 2Tr24.pptx
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escolaIntrodução à Sociologia: caça-palavras na escola
Introdução à Sociologia: caça-palavras na escola
 
Trabalho de Geografia industrialização.pdf
Trabalho de Geografia industrialização.pdfTrabalho de Geografia industrialização.pdf
Trabalho de Geografia industrialização.pdf
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptxTreinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
Treinamento NR 38 - CORPO PRINCIPAL da NORMA.pptx
 
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptxRedação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
Redação e Leitura_7º ano_58_Produção de cordel .pptx
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
 
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
Gênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9ºGênero Textual sobre Crônicas,  8º e  9º
Gênero Textual sobre Crônicas, 8º e 9º
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
 
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
cidadas 5° ano - ensino fundamental 2 ..
 
Atividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º anoAtividade de reforço de matemática 2º ano
Atividade de reforço de matemática 2º ano
 
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
A influência do comércio eletrônico no processo de gestão das livrarias e edi...
 
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024Slide de biologia aula2  2 bimestre no ano de 2024
Slide de biologia aula2 2 bimestre no ano de 2024
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdfcronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
cronograma-enem-2024-planejativo-estudos.pdf
 

Visita técnica a usina de irapé

  • 1. ALUNOS DAS ÁREAS DE EMPREGABILIDADES DA EECIR VISITAM A USINA HIDRELÉTRICA DE IRAPÉ http://eecireinventandoem.blogspot.com.br/
  • 2. Nos dias 26, 27 e 28 de novembro de 2014, os alunos do 2º ano das áreas de empregabilidades Turismo, Meio Ambiente e Comunicação Aplicada, orientados pelos professores Geisiane Dionízio, Ana Ferreira, Silda Verlane e Nalvair, em planejamento interdisciplinar com os professores Gilmar, Denísia, Arthur Bastos, Sheila, Simone Lino, Deuslânia, José Geraldo, Juscélia e o engenheiro ambiental Diego Sarmento realizaram visitas técnicas a Usina Hidrelétrica de Irapé, como atividade complementar das áreas de empregabilidades, possibilitando a integração entre teoria e prática na melhoria da qualidade do ensino na escola. Sendo o objetivo principal oportunizar aos alunos, conhecer a Usina Hidrelétrica de Irapé, consolidar os conteúdos estudados em sala de aula, bem como, complementar e contribuir para o desenvolvimento dos conteúdos interdisciplinares práticos.
  • 3. Na oportunidade, alunos e professores foram recepcionados e orientados pelo Senhor José Carlos Soares do Amaral Diretor do Centro de Referência e Memória de Irapé, e tiveram a oportunidade de conhecer in loco as instalações da Usina de Irapé. Através do programa de visitação da usina, as atividades tiveram início com uma palestra no auditório daquela unidade, onde os estudantes puderam conhecer: ● As medidas de segurança necessárias para se locomover nas dependências internas da usina; ● A usina nos aspectos históricos, geográficos, econômicos, culturais e turísticos; ● O Programa Peixe Vivo que é responsável pelas atividades na área de piscicultura da Cemig, envolvendo pesquisa de reprodução e monitoramento de espécies nativas, mecanismos de transposição e manutenção das estações de piscicultura nas bacias hidrográficas da região; ● os impactos ambientais causados pela construção do reservatório da usina e os ganhos socioeconômicos na região do vale do Jequitinhonha . Em seguida, foram conhecer os diversos setores da usina, destacando o Centro de Referência e Memória de Irapé; o reservatório de água de Irapé; os processos de geração, transmissão e distribuição de energia; a fauna e a flora circundante. Na opinião dos alunos e professores a visita técnica a Irapé foi um sucesso. Superando todas as expectativas!!!
  • 4. A Usina Hidrelétrica de Irapé ou Usina Presidente Juscelino Kubitschek, foi construída no Rio Jequitinhonha, entre os municípios de Berilo e Grão Mogol, região sudeste do Brasil. No contexto estadual o mesmo integra a região nordeste de Minas Gerais e extremo Sul da Bahia. Foi inaugurada em 2006 e tem capacidade de 390MW (megawatts), aproximadamente a mesma produção da Usina de Três Marias. É a barragem mais alta do Brasil e a segunda maior da América Latina, com 208 metros de altura e 137 km2 de área de reservatório. Em 1998, a CEMIG venceu a licitação promovida pela ANEEL – Agência Nacional de Energia Elétrica e tornou-se responsável pela construção e exploração da hidrelétrica, sendo vista como a maior esperança de desenvolvimento econômico e social da região do Vale do Jequitinhonha e Norte de Minas, uma obra estratégica para o Governo de Minas Gerais pela sua importância social e econômica promovendo o desenvolvimento nestas regiões mineiras. Foram 43 anos entre planejamento e execução da obra, em 1963 fez-se o levantamento do potencial do Rio Jequitinhonha para receber a grande obra, em setembro de 2002, inicia a construção e em julho de 2006 foi inaugurada e teve início a operação comercial na Usina Hidrelétrica de Irapé. Seu custo estimado foi de R$1.000.000.000,00 (Um bilhão de reais). Fonte : http://pt.wikipedia.org/wiki/UsinaHidrelétricadeIrapé Usina Hidrelétrica de Irapé Municípios atingidos pela barragem de IRAPÉ
  • 5.
  • 6.
  • 8.
  • 9.
  • 10.
  • 11.
  • 12.
  • 13.
  • 14.
  • 15.
  • 16.
  • 17.
  • 18.
  • 19.
  • 20.
  • 21.
  • 22.
  • 23.
  • 24.
  • 25.
  • 26.
  • 27.
  • 28.
  • 29.
  • 30.
  • 31. A beleza da vegetação nativa de
  • 32. No dia 27/11/2014, às 09h30min, chegamos ao nosso destino. Fomos recepcionados pelo Senhor José Carlos Soares do Amaral, Diretor do Centro de Referência e Memória de Irapé, localizado próximo à Casa de Força da Usina. A visita iniciou-se pelo acervo do referido Centro, que possui salas temáticas, onde são expostos uma gama enorme de objetos, utensílios e indumentárias utilizadas no dia-a-dia da população que outrora habitou a área inundada e, atualmente, vive nas áreas adjacentes à represa, abrangendo os municípios de Berilo, Botumirim, José Gonçalves de Minas, Leme do Prado, Grão Mogol, Turmalina e Virgem da Lapa. Em seguida, no auditório com recursos de multimídia, assistimos uma palestra referente às normas e recomendações no uso de equipamentos e proteção individual (EPI) e normas de segurança baseadas na RN10 (Segurança em instalações e serviços em eletricidade), assim como ao sistema de gestão de qualidade NBR ISO 9001, gestão ambiental NBR ISO 14001 e gestão de segurança e saúde ocupacional OH-SAS 18001. . Relatório da Visita técnica em Irapé José Geraldo Cardozo Sarmento Professor de Geografia
  • 33. Na fase final, seguimos para a Casa de Força, composta de 03 turbinas fabricadas pela SIEMENS(empresa alemã), com capacidade geradora instalada de 390MW (megawatts), energia com quantidade e qualidade suficientes para fomentar a economia da região, muito prejudicada pelo relevo e condições climáticas adversas. A área da Bacia do Jequitinhonha a montante possui 13 peixes nativos , são eles: cari, cascudo, curimatã, lambari, maria mole, piabanha, piau três pintas, roncador, surubim do jequitinhonha, timburé e trairão. Os alevínios dessas espécies são introduzidos na represa através de parceria com o IFNMG-Campus Salinas A visita técnica a Irapé proporcionou uma satisfação enorme aos alunos, permitindo aos mesmos a compreensão “in-loco” dos conteúdos estudados em sala de aula. Tiveram a oportunidade de ampliar seus conhecimentos a respeito dos impactos ambientais causados pela construção da barragem de Irapé, consolidar os conteúdos de meio ambiente, geografia, física e biologia estudados durante o ano . Haja vista, os benefícios provenientes da instalação da barragem, tais como: potencialização do turismo; a perenização do rio à jusante e o abastecimento de água nos municípios próximos à margem do lago. Logo após, foi serviço um breve lanche e dirigimo-nos à parte superior da barragem a qual possui três edículas (que permite a manutenção das turbinas), duas compostas ligadas ao vertedouro para escoar o excesso de água que chega ao reservatório durante o período de chuvas. A altura da usina é 208 metros, sendo a mais alta do Brasil
  • 34. Avaliação da aluna Naylla Sindell Gonçalves Oliveira do 2º CA2 No dia 28/11/2014, tivemos a oportunidade de conhecer a Usina Hidrelétrica de Irapé. Foi uma grande experiência para nós na vida escolar e pessoal. Esta visita técnica trouxe um amplo conhecimento sobre o funcionamento de uma usina hidrelétrica; do ponto de vista da física, geografia e meio ambiente foi muito enriquecedor. Fomos orientados pelo senhor José Carlos que nos passou muitas informações sobre a construção da usina, os processos de produção de energia, as questões ambientais da região e conhecemos o acervo histórico do Centro de Referência e Memória de Irapé. Enfim, a viagem foi muito proveitosa e divertimos muito.
  • 35. PROJETO “CONHECENDO IRAPÉ” VISITA TÉCNICA A USINA HIDRELÉTRICA DE IRAPÉ ESCOLA ESTADUAL CORONEL IDALINO RIBEIRO – P.0.4.5.C.A Rua Padre Salustiano, 333 – Centro – 39.560-000 – Salinas/MG Telefone: (38) 3841.1320 – Telefax: (38) 3841.3374 email: escola.82457@educacao.mg.gov.br Municípios atingidos pela barragem de IRAPÉ
  • 36. INTRODUÇÃO A Usina Hidrelétrica de Irapé foi construída no Rio Jequitinhonha, entre os municípios de Berilo e Grão Mogol, região sudeste do Brasil. No contexto estadual o mesmo integra a região nordeste de Minas Gerais e extremo Sul da Bahia. Foi inaugurada em 2006 e tem capacidade de 390MW (megawatts), aproximadamente a mesma produção da Usina de Três Marias. É a barragem mais alta do Brasil e a segunda maior da América Latina, com 208 metros de altura e 137 km2 de área de reservatório. Em 1998, a CEMIG venceu a licitação promovida pela ANEEL – Agência Nacional de Energia Elétrica e tornou-se responsável pela construção e exploração da hidrelétrica, sendo vista como a maior esperança de desenvolvimento econômico e social da região do Vale do Jequitinhonha e Norte de Minas, uma obra estratégica para o Governo de Minas Gerais pela sua importância social e econômica promovendo o desenvolvimento nestas regiões mineiras. Foram 43 anos entre planejamento e execução da obra, em 1963 fez-se o levantamento do potencial do Rio Jequitinhonha para receber a grande obra, em setembro de 2002, inicia a construção e em julho de 2006 é inaugurada e tem início a operação comercial na Usina Hidrelétrica de Irapé Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/UsinaHidrelétricadeIrapé
  • 37. JUSTIFICATIVA Nos últimos tempos acompanhamos o avanço tecnológico atrelado a necessidade do uso consciente e racional das fontes de energia, fazendo-se necessário proporcionar ao estudante o conhecimento e a vivência no processo de produção e utilização de energia. A escola tem papel de grande relevância na formação de cidadãos conscientes em relação ao uso dos recursos que a natureza oferece sem causar danos ao meio ambiente. Sendo necessário desenvolver atividades que despertam uma consciência do uso correto das fontes de energia sem causar danos as fontes renováveis. Sabemos também que a saída do estudante do espaço escolar, com uma proposta pré-definida é motivadora da aprendizagem e desenvolve competências e habilidades. A visita técnica a Irapé proporcionará aos alunos o conhecimento in loco das instalações de uma usina hidrelétrica, o funcionamento das turbinas hidráulicas (responsáveis pela transformação da energia hidráulica em mecânica e, consequentemente, em energia elétrica). É uma experiência que reforça o aprendizado e motiva o aluno para as atividades escolares. Assim, justifica-se a visitação a Usina Hidrelétrica de Irapé. Orientações PCN´s propõe ao professor que promova pesquisas em locais ricos em informações: “É importante salientar que o espaço de aprendizagem não se restringe à escola, sendo necessário propor atividades que ocorram fora dela. A programação deve contar com passeios, excursões, teatro, cinema, visita a fábricas, marcenarias, padarias, enfim, com as possibilidades existentes em cada local e as necessidades de realização do trabalho escolar.”(Parâmetros Curriculares Nacionais)
  • 38. OBJETIVO GERAL: Oportunizar aos alunos das áreas de empregabilidades, conhecer a Usina Hidrelétrica de Irapé, consolidar os conteúdos estudados em sala de aula, bem como, complementar e contribuir para o desenvolvimento dos conteúdos interdisciplinares práticos. OBJETIVOS ESPECÍFICOS: •Conhecer a Usina Hidrelétrica de Irapé; •Conhecer o funcionamento de uma usina hidrelétrica; •Alargar o conhecimento dos alunos através de novas experiências. •Promover o processo ensino-aprendizagem no contexto cultural, social, histórico e geográfico; •Identificar os benefícios da usina hidrelétrica na produção de energia; •Contribuir para que os alunos conheçam o processo de produção de energia; •Conhecer a engenharia adaptada para as condições climáticas e geomorfológicas da região; •Conhecer e avaliar os impactos ambientais positivos e negativos, provocados por uma usina hidrelétrica; •Analisar os impactos econômicos para os municípios atingidos; •Analisar os impactos positivos para o desenvolvimento regional; •Analisar os impactos para o turismo na região; •Conhecer os procedimentos de construção de uma usina hidrelétrica desde o resgate dos animais na região até o assentamento das famílias dos agricultores atingidos. • Sensibilizar o aluno a ter hábitos conscientes relacionados ao consumo de energia. Promover a reflexão sobre métodos e inovações para suprir possíveis necessidades e garantir o futuro com recursos renováveis.
  • 39. METODOLOGIA O projeto da visita técnica a Usina Hidrelétrica de Irapé foi criado da vontade dos alunos que manifestaram em conhecer uma usina hidrelétrica, quando assistiram o filme Narradores de Javé, na execução do plano de ensino da professora de Meio Ambiente. Sendo Irapé a usina hidrelétrica mais próxima de Salinas e com condições favoráveis de visitação, decidimos elaborar o Projeto “CONHECENDO IRAPÉ” dentro da proposta pedagógica dos professores das áreas de empregabilidades, física e de geografia, das turmas do 2º ano do reinventando. Complementando os conteúdos estudados em sala de aula e atendendo a proposta do planejamento de cada professor, a visita técnica a Usina Hidrelétrica de Irapé tem a finalidade de proporcionar aos alunos atividades práticas nos aspectos geográficos, históricos, econômico, turístico, social e cultural. Serão selecionados 150 alunos para a viagem, pelos critérios de melhor aproveitamento, avaliação dos professores nas questões disciplinares e comportamentais e autorização dos pais. Sendo os alunos visitantes multiplicadores dos ensinamentos repassados a eles durante a visita. Os alunos serão orientados a registrarem todas as informações dos monitores e as observações importantes em suas cadernetas e fazerem registros de imagens e vídeos, material que será necessário para montagem de uma maquete da Usina Hidrelétrica de Irapé e repasse para os estudantes da escola. Outras atividades serão trabalhadas de acordo o plano de ensino de cada professor na sua disciplina. CONTEÚDOS BÁSICOS: •Meio Ambiente: Problemática Socioambiental e Saúde Pública II; Impactos ambientais e sociais. •Comunicação Aplicada: Tópicos especiais •Turismo: Cultura, Meio Ambiente e Sustentabilidade. •Geografia: Estudo da bacia hidrográfica do Jequitinhonha; Impactos ambientais. •Física: Funcionamento de Usinas Hidrelétricas; Capacidade de geração de energia e processo de produção.
  • 40. RESULTADOS ESPERADOS: Depois da visita técnica a Usina Hidrelétrica de Irapé, espera-se que os alunos: •Estejam motivados para a aprendizagem e comprometidos com as atividades escolares; •Sejam multiplicadores do conhecimento e da responsabilidade ambiental na escola e na comunidade; •Sejam disseminadores de idéias e hábitos conscientes no uso dos recursos ambientais com sustentabilidade; •Estejam aptos a repassarem, para os colegas, os conhecimentos e informações técnicas, recebidos na visita.
  • 41. PERÍODO ATIVIDADES DESENVOLVIDAS RESPONSÁVEIS Outubro Preparo teórico das atividades da viagem: Projeto, ofício a CEMIG, carta aos pais. Viabilização de recursos financeiros para a viagem. Agenciamento do transporte- ônibus. Coordenação REM Setor Financeiro Trabalhos de pesquisas sobre e a Usina Hidrelétrica de Irapé. Professores e alunos Outubro Triagem dos alunos visitantes. Preparativos para a viagem. Coordenação-REM Coordenação pedagógica Professores Novembro 26, 27 e 28 Realização das viagens Professores Alunos Dezembro Consolidação da visita técnica a IRAPÉ Alunos e professores. Socialização do material produzido na escola Alunos e professores Divulgação no blog Coordenadora do REM Avaliação da visita técnica a IRAPÉ Professores e alunos Comunidade escolar PLANEJAMENTO DAS ATIVIDADES:
  • 42. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS http://www.infoescola.com/energia/usina-hidreletrica/ http://www.cemig.com.br/sites/Imprensa/pt-br/Paginas/renovacao_licenca_irape.aspx http://blogdojequi.blogspot.com/2012/02/conheca-usina-de-irape-mais-alta-do.html Projeto Reinventando O Ensino Médio - Orientações 2013 PARTICIPANTES: Supervisora Pedagógica Fernanda de Petrone Castro__________________________ Coordenadora REM/EECIR Clotildes Clere de Alcântara ________________________ Diretora da EECIR Gleide Aparecida Cardoso Oliveira __________________________ Inspetora Escolar Jackline Silvestre da Costa _________________________________ PROFESSORES: Arthur Bastos ___________________________________________________________ Ana Ferreira de Oliveira Brito ______________________________________________ Denísia Matos Soares _____________________________________________________ Deuslânia Ferreira dos Santos_____________________________________ Geisiane Dionízio Ferreira Rocha__________________________________ Gilmar Pereira de Souza _________________________________________ José Geraldo Cardozo Sarmento___________________________________ Juscélia dos Santos_____________________________________________ Nalvair Lopes Bahia____________________________________________ Silda Verlane Loiola____________________________________________ Simone Lino__________________________________________________ Sheila Almeida de Oliveira______________________________________
  • 43. “Nada lhe posso dar que já não existam em você mesmo. Não posso abrir-lhe outro mundo de imagens, além daquele que há em sua própria alma. Nada lhe posso dar a não ser a oportunidade, o impulso, a chave. Eu o ajudarei a tornar visível o seu próprio mundo, e isso é tudo”. Hermann Hesse