SlideShare uma empresa Scribd logo
Lista de Aprofundamento - BIOLOGIA – Prof. Emanuel
TREINAMENTO – 1ª etapa
Caros alunos,
Selecionei 40 questões com temas que são importantes para o vestibular da 1ª etapa
da Escola Bahiana de Medicina. Resolvam todas e em caso de dúvida revisem os
respectivos conteúdos. Os alunos do Super Super Med tem essa lista no módulo 04.
Lembrem que o estudo bem orientado é um caminho infalível para a vitória.
Sucessos.
Emanuel
Questões 01 e 03
Mitocôndrias, as usinas de energia da célula, têm seu próprio DNA, evidência de que suas
progenitoras um dia viveram livres e colonizaram células. E elas ainda podem estar agindo
como invasoras. Pesquisadores do Instituto Pasteur em Paris rastrearam o genoma humano no
núcleo e descobriram 211 fragmentos de DNA que equivalem a seqüências de mitocôndrias.
Segundo eles, esses fragmentos podem se integrar por engano durante o trabalho de reparo
rotineiro do DNA. Essa invasão genética parece contínua — 27 fragmentos são exclusivos do
Homo sapiens e certamente colonizaram os cromossomos desde que os humanos divergiram
do resto dos primatas, nos últimos 4 a 6 milhões de anos. A propensão do DNA mitocondrial de
se alojar nos genes nucleares poderia disparar doenças, dizem os pesquisadores na edição de
setembro da Public Library of Science Biology.
01. As descobertas dos pesquisadores do Instituto Pasteur em Paris, ao rastrearem o genoma
humano, reafirmam o conhecimento atual sobre evolução
celular, quando
01) sugerem a ocorrência de mitocôndrias no interior do núcleo de células eucarióticas.
02) admitem a origem das mitocôndrias a partir de procariotos aeróbicos de vida livre em
eventos de simbiose.
03) associam, no tempo, a organização do genoma mitocondrial aos eventos que levaram à
divergência da linhagem humana em relação aos demais primatas.
04) reconhecem a plena independência do genoma mitocondrial em relação ao genoma
nuclear.
05) atribuem aos genes mitocondriais doenças genéticas com segregação mendeliana nas
famílias
02. A expressão “mitocôndrias — as usinas de energia da célula” traduz a
01) presença, nessas organelas, do conjunto de enzimas necessárias à síntese de glicose.
02) dependência universal do mundo vivo das mitocôndrias para a produção de energia
metabólica sob a forma de ATP.
03) dissociação entre reações citossólicas e mitocondriais que convertem energia nas células.
04) autonomia das mitocôndrias na geração de energia para uso da célula, prescindindo de
matéria-prima exógena.
05) degradação completa de moléculas combustíveis em etapas enzimáticas que acoplam a
cadeia transportadora de elétrons à síntese de ATP.
Lista de Aprofundamento - BIOLOGIA – Prof. Emanuel
03. A evidência de que fragmentos do genoma mitocondrial se integram ao genoma nuclear,
mantendo a sua propriedade informativa, revela a
01) instabilidade estrutural e funcional das moléculas hereditárias.
02) especificidade das unidades monoméricas constituintes do genoma mitocondrial em
relação ao nuclear.
03) unicidade da linguagem informacional nos sistemas vivos.
04) impossibilidade de agregação de novos nucleotídeos a uma molécula de DNA funcional.
05) ação isolada de cada nucleotídeo como unidade de codificação de aminoácidos.
Questões 04 a 06
A figura detalha a função associada ao músculo esquelético, que corresponde a mais de um
terço da massa corporal de uma pessoa adulta saudável
04. Na perspectiva da Biologia Celular, o músculo estriado é constituído de células que
01) regulam a contração, a partir da liberação de íons compartimentalizados no retículo
sarcoplasmático.
02) requerem pequeno número de mitocôndrias, em função da realização preferencial do
metabolismo anaeróbico lático.
03) apresentam um citoesqueleto constituído essencialmente de microtúbulos e suas proteínas
associadas.
04) se multiplicam com grande facilidade, devido à manutenção do estado indiferenciado.
05) desenvolvem suas atividades de modo autônomo, preservadas pela impermeabilidade de
suas membranas plasmáticas
05. A organização e a manutenção da estrutura do sarcômero e demais elementos integrantes
da fibra muscular dependem do processo de síntese protéica que envolve a
01) atividade ribossomal desencadeada pela associação da unidade menor a um RNA
mensageiro.
02) transcrição integral da molécula de DNA que compõe um cromossomo.
03) associação direta do DNA a RNA transportadores e seus respectivos aminoácidos.
04) ligação permanente de ribossomos ao retículo endoplasmático rugoso.
05) colaboração de várias unidades ribossomais para a síntese de uma única cadeia
polipeptídica.
06. Em relação à atividade fisiológica específica do músculo esquelético, é uma consideração
pertinente:
01) Cada miofibrila isolada cumpre plenamente a função exibida pelo músculo.
02) A arquitetura muscular e sua função estão subordinadas aos sistemas reguladores
integrativos da fisiologia humana.
03) O músculo esquelético integra um sistema orgânico de resposta involuntária.
04) O movimento do braço é função da estrutura óssea subjacente ao músculo.
Lista de Aprofundamento - BIOLOGIA – Prof. Emanuel
05) A hipertrofia muscular decorrente de exercícios físicos regulares é conseqüência do
aumento no número de fibras musculares.
Questões 07 e 08
A ilustração, meramente didática, atribui diversos caracteres humanos a genes localizados em
um mesmo par de cromossomos homólogos, que sofrem permutas.
07. As bases científicas que explicam o fenômeno ilustrado incluem o seguinte:
01) A origem dos recombinantes está relacionada a eventos moleculares próprios da primeira
fase meiótica.
02) As quatro cromátides de um par de homólogos se envolvem em um mesmo fenômeno de
permuta.
03) A meiose reduz a variabilidade intra-específica ao produzir gametas não recombinantes.
04) As divisões sucessivas das células germinativas diluem a expressão dos fatores a cada
geração.
05) Cromossomos homólogos são transmitidos juntos às células resultantes da meiose, em
condições normais
08. Uma abordagem neomendeliana da ilustração permite afirmar:
01) A variação na cor dos olhos em populações humanas é compatível com a herança
monogênica, com um par de alelos diferentes.
02) Os “fatores” situados em um mesmo par de homólogos não obedecem às proporções
esperadas pela segregação independente.
03) Cada par de cromossomos homólogos corresponde a um par de alelos.
04) A produção de quatro cromátides a partir de um par de homólogos revela a natureza não
conservativa da molécula de DNA.
05) Variações hereditárias produzidas por recombinação refletem a ocorrência de mutações
durante o processo meiótico
Questões 09 a 10
Lista de Aprofundamento - BIOLOGIA – Prof. Emanuel
Dados da Secretaria da Vigilância em Saúde / Ministério da Saúde, divulgados numa revista
semanal de circulação nacional, alertam sobre a ameaça da febre amarela, conforme a
ilustração
09. Aspectos da biologia dos organismos vetores da febre amarela incluem o seguinte:
01) O tipo de ciclo vital dos mosquitos restringe o nicho ecológico dessas espécies às
interações com primatas.
02) Os hábitos hematófagos de Haemagogus janthinomys e Aedes aegypti permitem agrupá-
los em um mesmo gênero.
03) Os vetores de doenças como a febre amarela exibem baixa capacidade de adaptação a
diferentes hábitats.
04) A capacidade interativa vetor/hospedeiro se concretiza através dos machos da espécie
vetora.
05) A relação entre seres humanos e o vetor da febre amarela é relativamente recente,
considerando-se a baixa adaptabilidade humana ao patógeno
10. Os patógenos associados à febre amarela e à dengue constituem um grupo de agentes
infecciosos que compartilham
01) organização estrutural limitada à presença de um ácido nucléico e proteínas
02) estrutura celular procariótica, com a característica ausência de compartimentação.
03) vias metabólicas primitivas relacionadas à obtenção de energia.
04) equipamento citológico para a síntese de cadeias polipeptídicas.
05) estratégia de infecção restrita às relações com a superfície da célula hospedeira.
11. A figura ilustra algumas etapas de determinadas reações oxidativas presentes em células
eucarióticas. Em relação a esse processo e às reações associadas a ele, é possível afirmar:
01) O processo biológico representado é o da fotossíntese e ocorre no interior dos cloroplastos.
02) As reações ilustradas da cadeia transportadora de elétrons são responsáveis por uma
intensa fosforilação dependente da ação da enzima ATP sintase.
Lista de Aprofundamento - BIOLOGIA – Prof. Emanuel
03) A figura ilustra etapas da síntese de cadeias polipeptídicas no interior do retículo
endoplasmático.
04) A glicose é o principal produto resultado da redução química do CO2 utilizado como
reagente da reação.
05) O gradiente de prótons gerado no interior das membranas internas garante a produção
intensa de ATP a partir da energia luminosa fixada previamente pela clorofila.
12. O vírus da influenza é apenas uma bola oca de lipídios, em que se inserem proteínas de
alguns tipos, contendo oito segmentos moleculares de RNA.
Pequeno e simples, o vírus da influenza é reconhecível como uma estrutura perfeita e eficiente,
porque consegue
01) reproduzir-se no interior da célula hospedeira, dividindo-se sucessivas vezes, formando um
grande número de novos vírus.
02) realizar, através de seu envoltório lipídico, intercâmbio com o meio interno de uma célula,
obtendo nutrientes.
03) penetrar em uma célula específica e utilizar o equipamento celular para produzir novas
cópias de RNA viral e suas próprias proteínas, possibilitando a
organização de novos vírus.
04) transcrever a informação genética do vírus em moléculas lipídicas específicas que
organizam a capa víral.
05) traduzir o genoma viral em enzimas que capacitam o vírus realizar reações metabólicas no
citosol da célula parasitada.
13. O material genético propriamente dito é o genoma (haploide) ou o genótipo (diploide) e
controla a produção dos tecidos de um organismo e todos os seus atributos, o fenótipo. Esse é
o resultado da interação do genótipo com o
ambiente durante o desenvolvimento. A amplitude das variações produzidas no fenótipo por
determinado genótipo em diferentes condições ambientais é chamada de norma de reação. [...]
As populações que se reproduzem sexuadamente apresentam duas fontes de variação,
superpostas uma a outra: do genótipo (pois em uma espécie sexuada não existem dois
indivíduos iguais) e do fenótipo. (MAYR, 2009, p. 117-118).
A partir do entendimento das interações existentes entre o genótipo e o ambiente na expressão
das informações genéticas, é correto afirmar:
01) As fontes de variação na reprodução sexuada dificultam a expressão de caracteres
genéticos que sejam evolutivamente vantajosos.
02) Diferentes normas de reação podem levar a comportamentos semelhantes nas mesmas
condições ambientais.
03) O controle das funções celulares ocorre a partir da ativação dos genes que lhe são
exclusivos na composição de cada tipo de tecido presente nos organismos.
04) A interação do fenótipo com o ambiente produz genótipos que variam sua expressão ao
longo do desenvolvimento do indivíduo.
05) Populações de reprodução sexuada potencializam a ação do ambiente,
independentemente da seleção natural, no estabelecimento de diferentes normas de reação.
14.
Lista de Aprofundamento - BIOLOGIA – Prof. Emanuel
O esquema representa, de forma simbólica, a configuração dos cromossomos sexuais na
determinação da herança genética do sexo. Com base nas informações apresentadas e no
conhecimento atual em relação a esse tipo de herança, pode-se afirmar que a
01) ligada ao sexo é determinada por genes presentes na porção não homóloga de X e Y.
02) parcialmente ligada ao sexo é determinada por genes posicionados na porção homóloga
apenas de X.
03) restrita ao sexo é determinada por genes posicionados na porção homóloga de Y e X.
04) ligada ao sexo é determinada por genes presentes apenas na porção não homóloga de X.
05) influenciada pelo sexo é determinada por genes posicionados na porção homóloga de X e
Y.
15.
A figura ilustra um momento do processo de duplicação do material genético presente nos
seres vivos. É possível afirmar em relação a esse processo:
01) Duas novas moléculas de DNA são produzidas a partir de duas cadeias já existentes na
molécula utilizada como molde da replicação.
02) A replicação ocorre de forma unidirecional, ao apresentar um sentido único dentro do sítio
replicativo.
03) A molécula de RNA produzida durante esse processo será responsável pela síntese de
proteínas ao longo da tradução da informação genética.
04) Enzimas específicas participam da separação das cadeias polinucleotídicas através da
quebra das ligações peptídicas presentes entre elas.
05) O sentido obrigatório de montagem das novas cadeias polinucleotídicas pelo DNA
polimerase é sempre 3’→5’.
16.
Lista de Aprofundamento - BIOLOGIA – Prof. Emanuel
O gráfico representa a variação da velocidade de reação em relação à variação da temperatura
do ambiente de duas classes distintas de enzimas. Considerando-se a análise das informações
contidas no gráfico, pode-se inferir que
01) as enzimas representadas participam de reações distintas e em locais distintos, ao longo
do trato digestivo humano.
02) a enzima B é característica de um indivíduo humano em estado febril, com temperatura
corpórea acima de 40
o
C.
03) a capacidade de manutenção da estrutura terciária da enzima A é maior do que se
comparada à enzima B.
04) variações de temperatura a partir da faixa ótima interferem mais na velocidade de reação
da enzima A do que na velocidade de reação da enzima B.
05) a enzima B indica uma alta resistência ao calor, como as que ocorrem, por exemplo, em
bactérias termófilas
17. A ilustração representa a ação integrada de vários sistemas fisiológicos humanos na
manutenção das funções do corpo
A respeito dessa integração orgânica, é possível afirmar:
01) Uma intensa hematose ocorre nos capilares durante a conversão de gás oxigênio em gás
carbônico, nos diversos tecidos do corpo.
02) Os nutrientes absorvidos no intestino são transportados por vasos venosos até os capilares
e entram na célula por transporte ativo.
03) O sangue rico em oxigênio, ao sair dos pulmões, é bombeado pela porção direita do
coração antes de ser enviado para os tecidos do corpo.
04) O sistema cardiovascular funciona como estrutura integradora de diversos sistemas
presentes no organismo.
05) O fígado, ao filtrar o sangue, retira de circulação os resíduos do metabolismo e os
nutrientes orgânicos em excesso presentes no organismo.
Lista de Aprofundamento - BIOLOGIA – Prof. Emanuel
18. A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) acaba de aprovar uma vacina contra a
gripe H1N1 produzida sem a proteína do ovo. Indicada para todas as pessoas, mas, em
especial, para aquelas que são alérgicas a essa
proteína, a vacina é feita em cultivo de célulasVero-derivadas de rins de macaco verde
africano. Menos de 1% da população tem alergia a ovo e
não pode tomar a vacina disponível nos postos de saúde e nas clínicas atualmente.
Por ser produzida em células mais parecidas com as de humanos (no caso, de macacos), essa
vacina não precisa de substâncias que potencializam a ação. Assim, provoca menos efeitos
colaterais. A vacina feita do ovo pode provocar reações, como dor local, febre e dor de cabeça.
(BASSETE, 2010).
O quadro abaixo ilustra a variação da concentração de anticorpos no corpo de um indivíduo em
relação ao tempo, como resposta à aplicação em duas doses de uma determinada vacina.
Considerando-se as informações presentes no texto e no gráfico e o conhecimento sobre a
importância da vacinação na prevenção de doenças, é possível afirmar:
01) As vacinas H1N1 produzidas sem a proteína do ovo apresentam uma resposta imunológica
mais rápida por possuírem apenas proteínas de origem viral.
02) A presença de uma segunda dose em determinadas vacinações favorece a imunização, ao
produzir uma resposta secundária mais rápida e efetiva.
03) A presença de anticorpos específicos na vacina H1N1 desenvolve a imunização esperada
nos indivíduos vacinados exclusivamente para esse vírus em questão.
04) O sistema imunológico, ao ser ativado na primeira inoculação do antígeno, aumenta
progressivamente a produção de monócitos para a produção dos anticorpos específicos.
05) A vacina H1N1 produzida a partir de células de macaco evita a contaminação dos
vacinados contra doenças produzidas por aves e transmitidas por ingestão de proteínas do
ovo.
19. O esquema a seguir ilustra uma das etapas de um importante processo de transformação
de energia luminosa em química no mundo vivo.
Lista de Aprofundamento - BIOLOGIA – Prof. Emanuel
A partir da
análise do esquema, pode-se inferir que
01) a síntese de ATP está diretamente associada ao transporte de elétrons realizado pelo
complexo de citocromos presente na membrana dos tilacoides.
02) o processo representa a etapa fotoquímica da fotossíntese, já que o ATP produzido na
fotofosforilação participa da síntese de carboidratos no lúmen dos tilacoides.
03) a concentração de clorofila nos complexos antena dos tilacoides aumenta a eficiência de
captação de luz em todas as frequências dentro da faixa visível do espectro de ondas
eletromagnéticas.
04) o processo ilustrado se refere à cadeia transportadora de elétrons que ocorre na etapa
dependente do oxigênio da respiração celular.
05) o aumento da concentração de íons de hidrogênio dentro dos tilacoides gera um refluxo de
prótons pela sintetase do ATP que culmina com um intenso processo de fosforilação
20. O esquema abaixo compara, de forma resumida, o processo de expressão da informação
genética em seres procariontes e eucariontes.
A interpretação da figura e os conhecimentos atuais a respeito da expressão do código
genético permitem concluir:
01) A expressão da informação genética em bactérias ocorre através do processo de
replicação do DNA circular.
02) Apenas o gene eucariótico apresenta regiões denominadas de íntrons, que não são
traduzidas em sequências específicas de aminoácidos.
Lista de Aprofundamento - BIOLOGIA – Prof. Emanuel
03) Os genes presentes no material genético de seres eucariontes produzem as proteínas
necessárias para garantir a manutenção do metabolismo celular sem a necessidade de
utilização do RNA.
04) O RNA polimerase transcreve apenas as regiões dos éxons na produção do pré-RNA
mensageiro para que posteriormente, possa ocorrem a ação do splicing genético.
05) A expressão do código genético das bactérias ocorre através de processos que se
modificaram acentuadamente ao longo da evolução desse grupo, o que provocou uma
diferenciação significativa em relação ao padrão eucariótico.
21. Mendel elaborou os princípios básicos da herança em plantas durante um período de
aproximadamente nove anos. Seu trabalho culminou com uma aula pública em 1865 e um
detalhado documento publicado em 1866. O artigo de Mendel apareceu em uma revista que
era recebida por 120 bibliotecas, e ele mandou cópias para vários professores importantes.
Entretanto, sua teoria não
foi aceita. De fato, ela foi ignorada [...]. (PURVES, 2006, p. 177)
Um dos motivos considerado como crucial para que o trabalho de Mendel tivesse sido ignorado
pelos cientistas da época foi
01) a utilização da ervilha-de-cheiro como material biológico estudado, já que não era habitual
a utilização de trabalhos com hibridização de plantas pelos estudiosos do século XIX.
02) o pouco rigor metodológico utilizado por Mendel em seus experimentos, o que gerou pouca
credibilidade nos resultados encontrados.
03) a abordagem matemática utilizada por Mendel na análise dos resultados obtidos, pois essa
prática não era comum em experimentos biológicos da época.
04) a análise simultânea de sete características genéticas da espécie pesquisada, que levou a
erros de inferência nos resultados obtidos.
05) o longo tempo necessário para conclusão dos trabalhos devido ao pequeno número de
descendentes obtidos por geração, resultante da incapacidade de autofecundação da espécie
analisada.
22. A figura a seguir ilustra os tipos de heranças que estão associadas ao par sexual do
sistema XY de determinação do sexo.
Com base na análise da figura e utilizando-se do conhecimento a respeito da herança dos
heterocromossomos, é possível afirmar:
01) Os heterocromossomos caracterizam-se por apresentar genes que estão exclusivamente
envolvidos com características genéticas sexuais
02) Genes da herança ligada ao sexo são transmitidos aos filhos do sexo masculino
exclusivamente por via materna..
03) Todos os genes presentes no cromossomo Y determinam heranças que são exclusivas do
sexo masculino.
04) Genes da herança ligada ao sexo, por estarem posicionados apenas no cromossomo X,
expressam características encontradas preferencialmente no sexo feminino.
05) Os genes da herança restrita ao sexo são exclusivos dos homens, por estarem
posicionados na parte homóloga do cromossomo X.
Lista de Aprofundamento - BIOLOGIA – Prof. Emanuel
23. Descobertas de vírus da Aids e de câncer dão prêmio Nobel de 2008 a europeus.[...] A
premiação chega 25 anos depois do trabalho original de Françoise Barré-Sinoussi e Luc
Montagnier sobre o agente da doença do século — O HIV. (Folha de S. Paulo. Ciência. São
Paulo, terça-feira, 07 de outubro de 2008)
As estratégias de sobrevivência mais surpreendentes do HIV são a capacidade de
multiplicação rápida e a de sofrer mutações. À custa delas, o vírus enfrenta as adversidades do
meio externo, e faz de tudo para escapar das investidas
do sistema imunológico do hospedeiro e dos medicamentos usados para eliminá-lo.
O HIV se multiplica em velocidade alucinante. No organismo infectado, em condições habituais,
são produzidos 10 bilhões de novos vírions (partículas
de vírus) em um único dia. Nesse processo, surgem milhões de variantes geneticamente
distintas das que lhes deram origem. (VARELA, 2008. p. 25)
A respeito do trabalho desenvolvido por Luc Montagnier e colaboradores, bem como do
conhecimento atual sobre a AIDS, pode-se afirmar:
01) O trabalho laureado com o prêmio Nobel de 2008 refere-se à descoberta da utilização do
AZT como uma eficiente droga anti-HIV.
02) As variantes geneticamente distintas produzidas a partir da reprodução do HIV aumentam o
potencial adaptativo desse vírus em relação às tentativas de ação do sistema de defesa do
organismo hospedeiro.
03) A estrutura viral, apesar de simples, é capaz de se autoduplicar com grande eficiência no
interior das hemácias do sangue.
04) A capacidade mutacional do HIV deve-se à alta virulência presente no seu ciclo lisogênico
ao longo do processo de infecção da célula hospedeira.
05) O vírus HIV é estruturalmente semelhante a outros vírus parasitas humanos, podendo,
dessa forma, apresentar DNA ou RNA como material genético.
24. [...] podemos dizer que a teoria da evolução por seleção natural envolve o acaso e a
necessidade. O acaso aparece na aleatoriedade do processo
mutacional de geração de diversidade. A necessidade, no processo de reprodução diferencial
dos indivíduos mais bem adaptados ao ambiente. A ideia revolucionária de Darwin foi que
essas duas forças combinadas eram suficientes para explicar, de forma natural, a emergência
e evolução das diversas formas de vida na Terra.
(PENA, 2007, p. 84)
A opção que melhor se aproxima do conceito desenvolvido inicialmente por Charles Darwin
para explicar a evolução biológica através da seleção natural é
01) O acaso gera variabilidade conforme a natureza vai necessitando de determinadas
características adaptativas.
02) A reprodução diferenciada preserva indivíduos frutos da união de espécies diferentes mais
bem ajustadas ao ambiente em que vivem.
03) A evolução biológica é considerada um processo totalmente aleatório devido à
imprevisibilidade dos seus resultados adaptativos.
04) A adaptação é uma das principais consequências da ação da seleção natural, ao favorecer
a capacidade média dos organismos de uma população de sobreviver e reproduzir no seu
ambiente.
05) Mudanças no conjunto gênico das populações favorecem a formação de espécies que se
tornam independentes das condições impostas pelo ambiente natural.
25. Mendel foi um revolucionário dentro do seu meio e do seu tempo. Aceitando o
evolucionismo e a teoria da seleção natural, apesar de discordar de Darwin em vários pontos,
assumia, na sua qualidade de sacerdote, uma posição altamente arrojada para a sua época.
[...] Mendel introduziu um padrão matemático onde antes havia confusão, tendo descoberto leis
estatísticas que
regem fenômenos dantes considerados como misteriosos e caóticos. O universo biológico é
um universo mendeliano. (FREIRE-MAIA, 1995, p. 46)
Lista de Aprofundamento - BIOLOGIA – Prof. Emanuel
Em relação aos experimentos clássicos realizados por Mendel com Pisum sativum, que
permitiram, posteriormente, revolucionar a nossa compreensão a respeito da hereditariedade, é
possível afirmar:
01) Os cálculos estatísticos utilizados por Mendel em seus experimentos com ervilhas-de-
cheiro permitiram estabelecer uma proporção fenotípica de 1:2:1, nos resultados da F2.
02) A espécie utilizada nos clássicos experimentos mendelianos favoreceu a obtenção de
resultados precisos por apresentar gerações de ciclo longo com
pequena produção de descendentes.
03) O cruzamento entre tipos puros produziu na F1 100% de descendência híbrida que, ao ser
autofecundada, determinou uma F2 com a presença dos dois tipos de fenótipos presentes na
geração parental.
04) A presença do tipo recessivo na F2 esclarece a presença de um único alelo na
determinação das características analisadas.
05) Cada característica estudada é determinada por um par de fatores que se segregam na
fecundação e se recombinam na formação dos gametas.
26.
O gráfico ilustra a variação da taxa respiratória, em litros por minuto, em relação à variação da
quantidade de CO2 e O2 presentes no ar inalado.
Considerando-se as informações presentes no gráfico e o conhecimento sobre o controle
nervoso das trocas gasosas nos animais, é possível considerar:
I. Uma queda na porcentagem de 02 no ar inalado apresenta pouco efeito sobre a variação da
taxa respiratória, se comparada à variação do CO2 também inspirado.
II. O aumento da percentagem de O2 no ar inalado aproxima a curva referente a esse gás para
uma taxa respiratória em torno de 30 litros por minuto.
III. A respiração é mais sensível ao aumento no conteúdo de dióxido de carbono no ar inalado
do que ao decréscimo no conteúdo de oxigênio.
IV. O sistema nervoso autônomo mantém a respiração e modifica a sua profundidade e
frequência para satisfazer às exigências do corpo pelo suprimento de O2 e eliminação do CO2.
Dessas afirmativas, estão corretas as indicadas em
01) apenas I e II.
02) apenas II e III.
03) apenas III e IV.
04) apenas I, III e IV.
05) I, II, III e IV.
Lista de Aprofundamento - BIOLOGIA – Prof. Emanuel
27. Amamentar é um ato de amor! O bebê ainda no útero alimenta-se recebendo da mãe,
através da placenta, os nutrientes necessários ao seu desenvolvimento. Ao nascer, sua
alimentação muda para o leite materno. Considerando-se a mudança de alimentação, o leite
materno tem importância peculiar no desenvolvimento da criança por apresentar
01) teor de vitaminas ideais para o perfeito crescimento e fortalecimento dos ossos.
02) teor de proteínas muito elevado, como maior fonte de energia para o metabolismo do bebê.
03) concentração baixa de lipídios e carboidratos, o que faz com que o bebê não fique obeso.
04) composição de nutrientes específica, com o dissacarídeo lactose, além dos agentes
imunológicos que protege a criança de doenças.
05) concentração de água para super-hidratação do bebê.
28. Considerando-se o aspecto hormonal envolvido no ato de amamentar, é correto afirmar que
01) o aumento da concentração da adrenalina dá maior estímulo às glândulas mamárias a
secretarem mais leite.
02) o estrógeno estimula o crescimento das glândulas mamárias durante a lactação.
03) o aumento na concentração de ocitocina estimula as glândulas mamárias a produzirem
mais leite.
04) a progesterona promove o crescimento das glândulas mamárias.
05) os mineralcorticóides mantêm o nível ideal de potássio no leite.
29. A ilustração representa gatinhos obtidos a partir de cruzamentos de animais que
naturalmente não produzem a proteína Fel-d1, que é encontrada no pêlo, na pele e na saliva
do gato e está associada aos sintomas de alergia. Esses animais não sofreram modificações
genéticas são comercializados após a remoção das gônadas.
A partir das informações do texto, uma interpretação pertinente é
01) os três gatinhos descendem de uma linhagem transgênica para o gene que codifica a
proteína Fel-d1.
Lista de Aprofundamento - BIOLOGIA – Prof. Emanuel
02) a proteína Fel-d1 é uma molécula de ação antigênica capaz de desencadear reações
alérgicas.
03) a incapacidade de produzir a proteína Fel-d1 é a única característica fenotípica que
diferencia os gatinhos dos demais
04) a remoção das gônadas é um procedimento que favorece a perpetuação natural de uma
linhagem, preservando a característica desejada.
05) a obtenção de animais deficientes em Fel-d1 resulta de um processo de clonagem
reprodutiva.
30. A figura ilustra estágios do desenvolvimento de um peixe, de uma galinha e de um ser
humano, destacando a região que deve originar nadadeiras, asas e braços, respectivamente.
A complexa forma de um animal adulto surge no desenvolvimento em que ocorre
01) o mecanismo de divisão mitótica que gera células geneticamente distintas.
02) a inclusão de novos genes no genoma inicial da célula-ovo.
03) a formação do zigoto caracterizado por um cariótipo distinto em relação ao de seus
genitores.
04) a especialização das estruturas anatômicas que emerge em contextos interativos definidos
no processo de diferenciação celular.
05) a redução da informação genética de genes específicos para cada tipo celular
31. Mais de 800 milhões de pessoas — mais de quatro vezes a população brasileira — vivem
diariamente com fome, ou “insegurança alimentar”, como companhia constante. Muitas mais
têm deficiências micronutricionais: não ingerem vitaminas e minerais essenciais em suas
dietas. Insuficiência de ferro — e a anemia que resulta desta carência — é a mais disseminada
dessas mazelas. (CHENG, 2007, p.66)
A deficiência de ferro nas dietas repercute de forma mais imediata
Lista de Aprofundamento - BIOLOGIA – Prof. Emanuel
01) na síntese da hemoglobina, molécula responsável pelo transporte de oxigênio para as
células.
02) no processo de coagulação do sangue, comprometendo a síntese do fibrinogênio.
03) na fisiologia normal da visão, causando a deficiência identificada como cegueira noturna.
04) na contração muscular pela redução da produção da actina e da miosina.
05) na transmissão de impulsos nervosos, inviabilizando as trocas iônicas pela bomba
sódio/potássio.
32. O processo de diferenciação a partir da embriogênese inclui a formação de células
gaméticas no decorrer da meiose, processo que propicia a recombinação gênica, preservando
a espécie e assegurando seu potencial evolutivo.
Essa recombinação estabelece no zigoto
01) a predominância de genes maternos no zigoto do sexo feminino.
02) a combinação aleatória dos cromossomos maternos e paternos.
03) a contribuição haplóide de cada gameta.
04) a seleção de genes dominantes.
05) a presença do cromossomo x exclusiva no cariótipo feminino.
33. Proteínas presentes na superfície das células epiteliais que revestem o intestino utilizam
um sistema eficiente de transporte para internalização dos açúcares da dieta, como
demonstrado na figura. Com base na análise da ilustração e nos conhecimentos relacionados
ao transporte através das membranas celulares, pode-se afirmar que
Lista de Aprofundamento - BIOLOGIA – Prof. Emanuel
01) a difusão facilitada de glicose para o meio intracelular menos concentrado favorece a
manutenção dos baixos níveis de açúcar no
sangue.
02) a energia necessária para translocação de glicose para o meio intracelular é fornecida pelo
transporte de Na+ a favor do seu gradiente de
concentração.
03) a glicose é transportada para as células epiteliais a favor do seu gradiente de concentração
por meio de transporte passivo.
04) macromoléculas, como a glicose, podem transpassar a membrana plasmática com o auxílio
de proteínas carreadoras ou difundir-se através da bicamada fosfolipídica.
05) o transporte de glicose para a matriz extracelular está diretamente ligada ao transporte de
K+ passivamente para o meio intracelular.
34. Desde 2003, soldados americanos que sobreviveram a graves ferimentos no Iraque tiveram
que enfrentar um inimigo ainda mais mortal quando retornaram aos Estados Unidos.
Debilitados por cirurgias e entupidos de
antibióticos, se tornaram presas fáceis para bactérias que atacam justamente pessoas com
problemas graves de saúde. No caso americano, a responsável foi a Acinetobacter baumannii,
que contaminou 700 soldados entre 2003 e 2007. Agora é a vez de o Brasil enfrentar um surto
de KPC, superbactéria que matou uma pessoa no Paraná e 18 no Distrito Federal, e infectou
outras
22 em mais quatro estados. Muitos casos de infecção hospitalar diagnosticados nos hospitais
brasileiros, nos últimos meses do ano de 2010, foram relacionados à superbactéria Klebsiella
pneumoniae (KPC).
Com relação à resistência a antibióticos observada nas superbactérias, normalmente isoladas
em Unidades de Terapia Intensiva de hospitais, pode-se afirmar que
01) a utilização desenfreada de antibióticos induz a ocorrência de alterações metabólicas e
comportamentais em alguns grupos de células procarióticas, tornando-as mais resistentes.
02) a intensificação do controle de comercialização de medicamentos pela ANVISA tem como
principal objetivo evitar a utilização de antibióticos que estimulem a replicação bacteriana.
03) a bactéria Klebsiella pneumoniae, produtora da enzima carbapenemase, é capaz de causar
infecção generalizada independentemente do estado imunológico do indivíduo.
04) a ocorrência de mutações em bactérias comuns, como as do gênero Klebsiella, pode
aumentar o potencial adaptativo desses organismos.
05) nos hospitais, principais focos de contaminação microbiológica, ocorre a disseminação de
fungos que se associam a bactérias comuns, tornando-as resistentes sob condições adversas.
35. As células que constituem o sistema imune atuam em conjunto de uma forma orquestrada
para assegurar proteção ao corpo humano.
De acordo com os conhecimentos relacionados às características das células que compõem o
sistema imunitário humano e seu modo de ação, pode-se afirmar:
01) Linfócitos B, por meio da sua ação fagocitária, são as primeiras células que reconhecem
proteínas de superfície de células estranhas capazes de causar danos ao corpo humano.
02) Citocinas inflamatórias produzidas por monócitos ativados promovem a inibição da
produção de toxinas pelos agentes estranhos ao corpo.
03) A liberação de interleucinas pelos linfócito TCD4 estimula a multiplicação e a seleção clonal
de linfócitos B e a ativação de linfócitos especializados em destruir células alteradas do corpo.
04) A diferenciação dos linfócitos T em plasmócitos maduros capacita-os a produzir anticorpos
capazes de inativar substâncias nocivas ao corpo humano produzidas pelos micro-organismos
invasores.
05) A movimentação contínua de fagócitos entre os tecidos favorece a sua ligação aos
anticorpos e a conseqüente ativação de antígenos específicos presentes na superfície de
linfócitos matadores.
36. No Polo Norte, há ursos, como o urso negro do Alasca, que “hibernam” no inverno —
dormem em sono profundo —, e é interessante pensar o que ocorre quando eles dormem,
como se processa seu metabolismo, como eles se preservam e, ao se levantarem, começam a
Lista de Aprofundamento - BIOLOGIA – Prof. Emanuel
funcionar imediatamente. Imaginem um enorme urso, que dormiu durante todo o inverno,
acorda,
levanta e precisa se alimentar, encontrar uma namorada, caçar e fugir dos predadores, diz a
pesquisadora em sua entrevista. Sobre esse retorno rápido à sua rotina de vida, uma das
respostas do organismo que deve ser imediatamente realizada é
01) A produção de hormônios sexuais em decorrência da decodificação direta da mensagem
genética específica ao nível dos ribossomos.
02) A reconstrução dos músculos que propicia a reativação da síntese proteica com intensa
multiplicação das fibras musculares.
03) A realização da síntese proteica em células do córtex adrenal para desencadear a
produção de adrenalina.
04) A retomada das reações metabólicas que subsidiam as necessidades energéticas normais.
05) O restabelecimento das ligações diretas entre axônios e dendritos, propiciando o reinício da
comunicação com o ambiente.
37. Determinou-se recentemente aqui, no Brasil, a retenção de receitas médicas para a
aquisição de antibióticos como uma forma de controle do uso desses medicamentos. Um
aspecto que justifica essa normatização médica é o
problema da “resistência bacteriana” ao antibiótico, como a reemergência de doenças, a
exemplo da tuberculose. Nesse contexto, uma afirmação correta é
01) O uso prolongado do antibiótico é um fator fundamental para o aumento da sensibilidade
bacteriana ao medicamento.
02) A resistência bacteriana é um estado orgânico do paciente que se desenvolve sob o uso
intermitente do antibiótico.
03) O surgimento e manutenção de linhagens bacterianas resistentes relaciona-se, entre outros
fatores, com seu uso inadequado e com interrupção do medicamento.
04) A reação do sistema imunológico humano neutraliza, por mecanismos naturais, os efeitos
patogênicos das bactérias em qualquer condição infecciosa.
05) A aquisição da resistência a antibiótico expressa uma propriedade universal do material
genético, traduzida na direcionalidade das mutações.
Questões 38 e 39
Em 1934, duas crianças filhas de pais normais, com sinais de retardo mental e que exalavam
um odor peculiar, foram encaminhadas para uma consulta com o Dr. Feeling, médico e
químico. Usando técnicas de química analítica, o médico identificou, na urina das crianças,
uma substância — o ácido fenilpirúvico —, composto que apresenta grande similaridade com a
fenilalanina.
A presença do ácido fenilpirúvico decorre de um erro metabólico, que envolve uma deficiência
na via metabólica, que converte a fenilalanina em tirosina, e o acúmulo daquela substância era
a causa do retardo mental. Posteriormente, concluiu-se que se tratava de uma doença
hereditária, autossômica e recessiva, que foi chamada de fenilcetonúria. Atualmente, essa
doença pode
ser detectada em recém-nascidos pelo “Teste do Pezinho”. A associação da doença com a
fenilalanina permitiu o controle de sua expressão por meio de uma dieta adequada, o que
determina a obrigatoriedade do teste.
38. Considerando os genitores das duas crianças referidas e a base genética da fenilcetonúria,
a probabilidade de uma outra criança desse casal nascer também afetada e ser do sexo
masculino é de
01) 3/4
02) 1/4
03) 1/64
04) 1/8
05) 1/16
39. De acordo com o padrão de herança da fenilcetonúria referido no texto, uma afirmação
correta é
01) O bloqueio na rota metabólica da fenilalanina reflete a ocorrência de uma mutação gênica.
02) A fenilcetonúria depende de um gene que se expressa em heterozigose.
Lista de Aprofundamento - BIOLOGIA – Prof. Emanuel
03) A alteração relacionada ao erro na rota metabólica da fenilalanina traduz uma mudança no
código genético.
04) Uniões consanguíneas diminuem a probabilidade da ocorrência de homozigose na
descendência.
05) O gene associado à fenilcetonúria é um alelo que integra o cromossomo X.
40. Considerando que o material genético é extremamente sensível às radiações, podendo
repercutir letalmente sobre o organismo, a ação cancerígena da radiação ionizante pode ser:
01) Afetar o ritmo da multiplicação celular, alterando genes associados ao controle do ciclo
celular.
02) Atuar sobre as proteínas reguladoras, transformando-as em fatores de crescimento celular
inespecíficos.
03) Induzir as células a um estado de diferenciação, levando-as a um processo ativo de
divisões celulares.
04) Acelerar o processo de obtenção de energia, favorecendo um grande aumento do volume
celular e, consequentemente, a formação do tumor.
05) Inviabilizar o desenvolvimento do ciclo celular, estabilizando as células no estágio zero da
interfase.
Lista de Aprofundamento - BIOLOGIA – Prof. Emanuel
Gabarito
01.02
02.05
03.03
04.01
05.01
06.02
07.01
08.02
09.05
10.01
11.02
12.03
13.02
14.04
15.01
16.05
17.04
18.02
19.05
20.02
21.03
22.02
23.02
24.04
25.03
26.04
27.04
28.04
29.02
30.04
31.01
32.02
33.02
34.04
35.03
36.04
37.03
38.04
39.01
40.01

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Lista de exercicios 14 optica geometrica
Lista de exercicios 14   optica geometricaLista de exercicios 14   optica geometrica
Lista de exercicios 14 optica geometrica
Italo Malinowski Aragão
 
8 ano exercicio fundamentos_de_genetica
8 ano exercicio fundamentos_de_genetica8 ano exercicio fundamentos_de_genetica
8 ano exercicio fundamentos_de_genetica
Nathalia Pietrani
 
Cosmologia
CosmologiaCosmologia
Cosmologia
Pesquisa-Unificada
 
Aula 2 Estrutura Do Atomo2
Aula 2   Estrutura Do Atomo2Aula 2   Estrutura Do Atomo2
Aula 2 Estrutura Do Atomo2
Nelson Virgilio Carvalho Filho
 
Lista de Radioatividade 2º ano
Lista de Radioatividade 2º anoLista de Radioatividade 2º ano
Lista de Radioatividade 2º ano
MarianaMartinsR
 
Motor a Combustão_1ª e 2ª Leis da Termodinâmica_Física II_Eng. Civil
Motor a Combustão_1ª e  2ª Leis da Termodinâmica_Física II_Eng. CivilMotor a Combustão_1ª e  2ª Leis da Termodinâmica_Física II_Eng. Civil
Motor a Combustão_1ª e 2ª Leis da Termodinâmica_Física II_Eng. Civil
Jean Paulo Mendes Alves
 
Espectroscopia de UV-Vis e Fluorescência
Espectroscopia de UV-Vis e Fluorescência Espectroscopia de UV-Vis e Fluorescência
Espectroscopia de UV-Vis e Fluorescência
Tamyris Paschoal
 
Biogás
Biogás Biogás
Biogás
Compagas
 
8 ª lista de exercícios de química geral equilíbrio químico (com respostas)...
8 ª lista de exercícios de química geral   equilíbrio químico (com respostas)...8 ª lista de exercícios de química geral   equilíbrio químico (com respostas)...
8 ª lista de exercícios de química geral equilíbrio químico (com respostas)...
omeireles
 
Apresentação da Nutrição Celular by Prof. David Menezes
Apresentação da Nutrição Celular by Prof. David MenezesApresentação da Nutrição Celular by Prof. David Menezes
Apresentação da Nutrição Celular by Prof. David Menezes
Ricardo Hernández Valdés
 
Teoria da relatividade
Teoria da relatividadeTeoria da relatividade
Teoria da relatividade
123djenani
 
Plano de aula de química do 3° ano 3° bimestre - cem ary
Plano de aula de química do 3° ano    3° bimestre - cem aryPlano de aula de química do 3° ano    3° bimestre - cem ary
Plano de aula de química do 3° ano 3° bimestre - cem ary
PROFESSOR JOSÉ ANTÔNIO PEREIRA - QUÍMICO
 
Física dos Radionuclídeos
Física dos Radionuclídeos Física dos Radionuclídeos
Física dos Radionuclídeos
Vanessa Paiva
 
6. partículas subatômicas
6. partículas subatômicas6. partículas subatômicas
6. partículas subatômicas
Rebeca Vale
 
Fusão e fissão nuclear
Fusão e fissão nuclearFusão e fissão nuclear
Fusão e fissão nuclear
GabrielMachado621905
 
Introdução a Eletricidade
Introdução a EletricidadeIntrodução a Eletricidade
Introdução a Eletricidade
Bruno Strik
 
CNT - 2ª série - 3º bimestre Professor.pdf
CNT - 2ª série - 3º bimestre Professor.pdfCNT - 2ª série - 3º bimestre Professor.pdf
CNT - 2ª série - 3º bimestre Professor.pdf
GernciadeProduodeMat
 
O atual modelo atômico
O atual modelo atômicoO atual modelo atômico
O atual modelo atômico
Moura Construção LTDA ME
 
Plano de curso de fisica
Plano de curso de fisicaPlano de curso de fisica
Plano de curso de fisica
kl3ison
 
Exercícios - ligações
Exercícios - ligaçõesExercícios - ligações
Exercícios - ligações
Isabella Silva
 

Mais procurados (20)

Lista de exercicios 14 optica geometrica
Lista de exercicios 14   optica geometricaLista de exercicios 14   optica geometrica
Lista de exercicios 14 optica geometrica
 
8 ano exercicio fundamentos_de_genetica
8 ano exercicio fundamentos_de_genetica8 ano exercicio fundamentos_de_genetica
8 ano exercicio fundamentos_de_genetica
 
Cosmologia
CosmologiaCosmologia
Cosmologia
 
Aula 2 Estrutura Do Atomo2
Aula 2   Estrutura Do Atomo2Aula 2   Estrutura Do Atomo2
Aula 2 Estrutura Do Atomo2
 
Lista de Radioatividade 2º ano
Lista de Radioatividade 2º anoLista de Radioatividade 2º ano
Lista de Radioatividade 2º ano
 
Motor a Combustão_1ª e 2ª Leis da Termodinâmica_Física II_Eng. Civil
Motor a Combustão_1ª e  2ª Leis da Termodinâmica_Física II_Eng. CivilMotor a Combustão_1ª e  2ª Leis da Termodinâmica_Física II_Eng. Civil
Motor a Combustão_1ª e 2ª Leis da Termodinâmica_Física II_Eng. Civil
 
Espectroscopia de UV-Vis e Fluorescência
Espectroscopia de UV-Vis e Fluorescência Espectroscopia de UV-Vis e Fluorescência
Espectroscopia de UV-Vis e Fluorescência
 
Biogás
Biogás Biogás
Biogás
 
8 ª lista de exercícios de química geral equilíbrio químico (com respostas)...
8 ª lista de exercícios de química geral   equilíbrio químico (com respostas)...8 ª lista de exercícios de química geral   equilíbrio químico (com respostas)...
8 ª lista de exercícios de química geral equilíbrio químico (com respostas)...
 
Apresentação da Nutrição Celular by Prof. David Menezes
Apresentação da Nutrição Celular by Prof. David MenezesApresentação da Nutrição Celular by Prof. David Menezes
Apresentação da Nutrição Celular by Prof. David Menezes
 
Teoria da relatividade
Teoria da relatividadeTeoria da relatividade
Teoria da relatividade
 
Plano de aula de química do 3° ano 3° bimestre - cem ary
Plano de aula de química do 3° ano    3° bimestre - cem aryPlano de aula de química do 3° ano    3° bimestre - cem ary
Plano de aula de química do 3° ano 3° bimestre - cem ary
 
Física dos Radionuclídeos
Física dos Radionuclídeos Física dos Radionuclídeos
Física dos Radionuclídeos
 
6. partículas subatômicas
6. partículas subatômicas6. partículas subatômicas
6. partículas subatômicas
 
Fusão e fissão nuclear
Fusão e fissão nuclearFusão e fissão nuclear
Fusão e fissão nuclear
 
Introdução a Eletricidade
Introdução a EletricidadeIntrodução a Eletricidade
Introdução a Eletricidade
 
CNT - 2ª série - 3º bimestre Professor.pdf
CNT - 2ª série - 3º bimestre Professor.pdfCNT - 2ª série - 3º bimestre Professor.pdf
CNT - 2ª série - 3º bimestre Professor.pdf
 
O atual modelo atômico
O atual modelo atômicoO atual modelo atômico
O atual modelo atômico
 
Plano de curso de fisica
Plano de curso de fisicaPlano de curso de fisica
Plano de curso de fisica
 
Exercícios - ligações
Exercícios - ligaçõesExercícios - ligações
Exercícios - ligações
 

Destaque

2º simulado Enem - Matematica e Linguagens
2º simulado Enem - Matematica e Linguagens2º simulado Enem - Matematica e Linguagens
2º simulado Enem - Matematica e Linguagens
emanuel
 
Noções de Histologia
Noções de HistologiaNoções de Histologia
Noções de Histologia
emanuel
 
4° simulado Enem(28-09) - Gabarito
 4° simulado Enem(28-09) - Gabarito 4° simulado Enem(28-09) - Gabarito
4° simulado Enem(28-09) - Gabarito
emanuel
 
3° simulado ENEM - matematica e linguagens
3° simulado ENEM -  matematica e linguagens3° simulado ENEM -  matematica e linguagens
3° simulado ENEM - matematica e linguagens
emanuel
 
3º simulado enem - ciencias humanas e naturais
3º simulado enem -  ciencias humanas e naturais3º simulado enem -  ciencias humanas e naturais
3º simulado enem - ciencias humanas e naturais
emanuel
 
Revisão bahiana 2ª etapa
Revisão bahiana 2ª etapaRevisão bahiana 2ª etapa
Revisão bahiana 2ª etapa
emanuel
 
Leitura sobre Corpo Humano
Leitura sobre Corpo HumanoLeitura sobre Corpo Humano
Leitura sobre Corpo Humano
emanuel
 
The cell - Introdução a citologia
The cell - Introdução a citologiaThe cell - Introdução a citologia
The cell - Introdução a citologia
emanuel
 
Treinamento para a AV1 - II bimestre
Treinamento para a AV1 - II  bimestreTreinamento para a AV1 - II  bimestre
Treinamento para a AV1 - II bimestre
emanuel
 
Treinamento consultec introdução citologia
Treinamento consultec   introdução citologiaTreinamento consultec   introdução citologia
Treinamento consultec introdução citologia
emanuel
 
Biomoleculas
BiomoleculasBiomoleculas
Biomoleculas
emanuel
 
Diferenciação celular das linhagens somática e germinativa
Diferenciação celular das linhagens somática e germinativaDiferenciação celular das linhagens somática e germinativa
Diferenciação celular das linhagens somática e germinativa
emanuel
 
Leitura complementar de imunologia II
Leitura complementar de imunologia IILeitura complementar de imunologia II
Leitura complementar de imunologia II
emanuel
 
Treinamento para AV2 - Biologia
Treinamento para AV2 - BiologiaTreinamento para AV2 - Biologia
Treinamento para AV2 - Biologia
emanuel
 
Leitura de Introdução a fisiologia Humana
Leitura de Introdução a fisiologia HumanaLeitura de Introdução a fisiologia Humana
Leitura de Introdução a fisiologia Humana
emanuel
 
Treinamento aberto III - Bahiana de Medicina
Treinamento aberto III -  Bahiana de MedicinaTreinamento aberto III -  Bahiana de Medicina
Treinamento aberto III - Bahiana de Medicina
emanuel
 
2º simulado do Super Super MED
2º simulado do Super Super MED2º simulado do Super Super MED
2º simulado do Super Super MED
emanuel
 
15 joias da evolucao
15 joias da evolucao15 joias da evolucao
15 joias da evolucao
emanuel
 
Av2 de biologia,química e física
Av2 de biologia,química e físicaAv2 de biologia,química e física
Av2 de biologia,química e física
emanuel
 
Treinamento aberto II - Bahiana de medicina
Treinamento aberto II - Bahiana de medicinaTreinamento aberto II - Bahiana de medicina
Treinamento aberto II - Bahiana de medicina
emanuel
 

Destaque (20)

2º simulado Enem - Matematica e Linguagens
2º simulado Enem - Matematica e Linguagens2º simulado Enem - Matematica e Linguagens
2º simulado Enem - Matematica e Linguagens
 
Noções de Histologia
Noções de HistologiaNoções de Histologia
Noções de Histologia
 
4° simulado Enem(28-09) - Gabarito
 4° simulado Enem(28-09) - Gabarito 4° simulado Enem(28-09) - Gabarito
4° simulado Enem(28-09) - Gabarito
 
3° simulado ENEM - matematica e linguagens
3° simulado ENEM -  matematica e linguagens3° simulado ENEM -  matematica e linguagens
3° simulado ENEM - matematica e linguagens
 
3º simulado enem - ciencias humanas e naturais
3º simulado enem -  ciencias humanas e naturais3º simulado enem -  ciencias humanas e naturais
3º simulado enem - ciencias humanas e naturais
 
Revisão bahiana 2ª etapa
Revisão bahiana 2ª etapaRevisão bahiana 2ª etapa
Revisão bahiana 2ª etapa
 
Leitura sobre Corpo Humano
Leitura sobre Corpo HumanoLeitura sobre Corpo Humano
Leitura sobre Corpo Humano
 
The cell - Introdução a citologia
The cell - Introdução a citologiaThe cell - Introdução a citologia
The cell - Introdução a citologia
 
Treinamento para a AV1 - II bimestre
Treinamento para a AV1 - II  bimestreTreinamento para a AV1 - II  bimestre
Treinamento para a AV1 - II bimestre
 
Treinamento consultec introdução citologia
Treinamento consultec   introdução citologiaTreinamento consultec   introdução citologia
Treinamento consultec introdução citologia
 
Biomoleculas
BiomoleculasBiomoleculas
Biomoleculas
 
Diferenciação celular das linhagens somática e germinativa
Diferenciação celular das linhagens somática e germinativaDiferenciação celular das linhagens somática e germinativa
Diferenciação celular das linhagens somática e germinativa
 
Leitura complementar de imunologia II
Leitura complementar de imunologia IILeitura complementar de imunologia II
Leitura complementar de imunologia II
 
Treinamento para AV2 - Biologia
Treinamento para AV2 - BiologiaTreinamento para AV2 - Biologia
Treinamento para AV2 - Biologia
 
Leitura de Introdução a fisiologia Humana
Leitura de Introdução a fisiologia HumanaLeitura de Introdução a fisiologia Humana
Leitura de Introdução a fisiologia Humana
 
Treinamento aberto III - Bahiana de Medicina
Treinamento aberto III -  Bahiana de MedicinaTreinamento aberto III -  Bahiana de Medicina
Treinamento aberto III - Bahiana de Medicina
 
2º simulado do Super Super MED
2º simulado do Super Super MED2º simulado do Super Super MED
2º simulado do Super Super MED
 
15 joias da evolucao
15 joias da evolucao15 joias da evolucao
15 joias da evolucao
 
Av2 de biologia,química e física
Av2 de biologia,química e físicaAv2 de biologia,química e física
Av2 de biologia,química e física
 
Treinamento aberto II - Bahiana de medicina
Treinamento aberto II - Bahiana de medicinaTreinamento aberto II - Bahiana de medicina
Treinamento aberto II - Bahiana de medicina
 

Semelhante a Treinamento para Bahiana - 1ª etapa

A hipótese endossimbiótica ou simbiogênese
A hipótese endossimbiótica ou simbiogêneseA hipótese endossimbiótica ou simbiogênese
A hipótese endossimbiótica ou simbiogênese
Alpha Colégio e Vestibulares
 
T.D CITOLOGIA
T.D CITOLOGIAT.D CITOLOGIA
T.D CITOLOGIA
Joselito Oliveira Neto
 
Biologia 1enemexercício
Biologia 1enemexercícioBiologia 1enemexercício
Biologia 1enemexercício
Michele Vasconcelos
 
Biologia 1
Biologia 1Biologia 1
Biologia 1
Ostão Ferreira
 
1S_ Questoes ac nucleicos
1S_ Questoes ac nucleicos  1S_ Questoes ac nucleicos
1S_ Questoes ac nucleicos
Ionara Urrutia Moura
 
Citoplasma
CitoplasmaCitoplasma
Citoplasma
Vitória Almeida
 
EvoluçãO BiolóGica
EvoluçãO BiolóGicaEvoluçãO BiolóGica
EvoluçãO BiolóGica
anabernardes
 
biologia_citologia_divisoes_celulares_meiose.pdf
biologia_citologia_divisoes_celulares_meiose.pdfbiologia_citologia_divisoes_celulares_meiose.pdf
biologia_citologia_divisoes_celulares_meiose.pdf
Helena Flávia
 
biologia-celular-sebenta.pdf
biologia-celular-sebenta.pdfbiologia-celular-sebenta.pdf
biologia-celular-sebenta.pdf
MarianaFernandes310714
 
Exercícios de genética projeto medicina
Exercícios de genética projeto medicinaExercícios de genética projeto medicina
Exercícios de genética projeto medicina
Caio Augusto
 
Estudo dirigido i bcm prof_marconi
Estudo dirigido i bcm prof_marconiEstudo dirigido i bcm prof_marconi
Estudo dirigido i bcm prof_marconi
Marconi Jr
 
Estudo dirigido i bcm prof_marconi
Estudo dirigido i bcm prof_marconiEstudo dirigido i bcm prof_marconi
Estudo dirigido i bcm prof_marconi
Marconi Jr
 
Micro apostila1
Micro apostila1Micro apostila1
Micro apostila1
Deuseny Nascimento
 
Biologia citologia - b1
Biologia   citologia - b1Biologia   citologia - b1
Biologia citologia - b1
Nuricel Aguilera
 
QUESTÕES ENEM
QUESTÕES ENEMQUESTÕES ENEM
QUESTÕES ENEM
Udislan Sousa
 
Enem 3a
Enem 3aEnem 3a
Enem 3a
Udislan Sousa
 
Apontamentos - Endossimbiose
Apontamentos - EndossimbioseApontamentos - Endossimbiose
Apontamentos - Endossimbiose
Isaura Mourão
 
Aula04 citoplasma ou-hialoplasmacbm05012022
Aula04 citoplasma ou-hialoplasmacbm05012022Aula04 citoplasma ou-hialoplasmacbm05012022
Aula04 citoplasma ou-hialoplasmacbm05012022
SandroMendes25
 
Exercício de biologia
Exercício de biologiaExercício de biologia
Exercício de biologia
ADÃO Graciano
 
Treinamento Consultec - introdução citologia
Treinamento Consultec - introdução citologiaTreinamento Consultec - introdução citologia
Treinamento Consultec - introdução citologia
emanuel
 

Semelhante a Treinamento para Bahiana - 1ª etapa (20)

A hipótese endossimbiótica ou simbiogênese
A hipótese endossimbiótica ou simbiogêneseA hipótese endossimbiótica ou simbiogênese
A hipótese endossimbiótica ou simbiogênese
 
T.D CITOLOGIA
T.D CITOLOGIAT.D CITOLOGIA
T.D CITOLOGIA
 
Biologia 1enemexercício
Biologia 1enemexercícioBiologia 1enemexercício
Biologia 1enemexercício
 
Biologia 1
Biologia 1Biologia 1
Biologia 1
 
1S_ Questoes ac nucleicos
1S_ Questoes ac nucleicos  1S_ Questoes ac nucleicos
1S_ Questoes ac nucleicos
 
Citoplasma
CitoplasmaCitoplasma
Citoplasma
 
EvoluçãO BiolóGica
EvoluçãO BiolóGicaEvoluçãO BiolóGica
EvoluçãO BiolóGica
 
biologia_citologia_divisoes_celulares_meiose.pdf
biologia_citologia_divisoes_celulares_meiose.pdfbiologia_citologia_divisoes_celulares_meiose.pdf
biologia_citologia_divisoes_celulares_meiose.pdf
 
biologia-celular-sebenta.pdf
biologia-celular-sebenta.pdfbiologia-celular-sebenta.pdf
biologia-celular-sebenta.pdf
 
Exercícios de genética projeto medicina
Exercícios de genética projeto medicinaExercícios de genética projeto medicina
Exercícios de genética projeto medicina
 
Estudo dirigido i bcm prof_marconi
Estudo dirigido i bcm prof_marconiEstudo dirigido i bcm prof_marconi
Estudo dirigido i bcm prof_marconi
 
Estudo dirigido i bcm prof_marconi
Estudo dirigido i bcm prof_marconiEstudo dirigido i bcm prof_marconi
Estudo dirigido i bcm prof_marconi
 
Micro apostila1
Micro apostila1Micro apostila1
Micro apostila1
 
Biologia citologia - b1
Biologia   citologia - b1Biologia   citologia - b1
Biologia citologia - b1
 
QUESTÕES ENEM
QUESTÕES ENEMQUESTÕES ENEM
QUESTÕES ENEM
 
Enem 3a
Enem 3aEnem 3a
Enem 3a
 
Apontamentos - Endossimbiose
Apontamentos - EndossimbioseApontamentos - Endossimbiose
Apontamentos - Endossimbiose
 
Aula04 citoplasma ou-hialoplasmacbm05012022
Aula04 citoplasma ou-hialoplasmacbm05012022Aula04 citoplasma ou-hialoplasmacbm05012022
Aula04 citoplasma ou-hialoplasmacbm05012022
 
Exercício de biologia
Exercício de biologiaExercício de biologia
Exercício de biologia
 
Treinamento Consultec - introdução citologia
Treinamento Consultec - introdução citologiaTreinamento Consultec - introdução citologia
Treinamento Consultec - introdução citologia
 

Mais de emanuel

Revisão ENEM EVOLUÇÃO
Revisão ENEM EVOLUÇÃORevisão ENEM EVOLUÇÃO
Revisão ENEM EVOLUÇÃO
emanuel
 
Revisão de Ecologia
Revisão de Ecologia   Revisão de Ecologia
Revisão de Ecologia
emanuel
 
Noções de Biotecnologia
Noções de BiotecnologiaNoções de Biotecnologia
Noções de Biotecnologia
emanuel
 
Noções de Cladistica
Noções de CladisticaNoções de Cladistica
Noções de Cladistica
emanuel
 
Sistema digestório e circulatório
Sistema digestório e circulatórioSistema digestório e circulatório
Sistema digestório e circulatório
emanuel
 
2º simulado Enem- Ciências Humanas e Naturais
2º simulado Enem- Ciências Humanas e Naturais2º simulado Enem- Ciências Humanas e Naturais
2º simulado Enem- Ciências Humanas e Naturais
emanuel
 
1º simulado Enem Compacto
1º simulado   Enem Compacto 1º simulado   Enem Compacto
1º simulado Enem Compacto
emanuel
 
Simulado Bahiana 2015.1
Simulado Bahiana 2015.1Simulado Bahiana 2015.1
Simulado Bahiana 2015.1
emanuel
 
1º simulado ENEM - Matematica e Linguagens
1º simulado ENEM - Matematica e Linguagens1º simulado ENEM - Matematica e Linguagens
1º simulado ENEM - Matematica e Linguagens
emanuel
 
1º simulado ENEM - Humanas e Naturais
1º simulado ENEM - Humanas e Naturais1º simulado ENEM - Humanas e Naturais
1º simulado ENEM - Humanas e Naturais
emanuel
 
Ecologia - Níveis de organização
Ecologia - Níveis de organizaçãoEcologia - Níveis de organização
Ecologia - Níveis de organização
emanuel
 
Câncer ( arquivo atualizado)
Câncer ( arquivo atualizado)Câncer ( arquivo atualizado)
Câncer ( arquivo atualizado)
emanuel
 
Lista de Histologia Animal
Lista de Histologia AnimalLista de Histologia Animal
Lista de Histologia Animal
emanuel
 
Reino Monera 2015
Reino Monera 2015Reino Monera 2015
Reino Monera 2015
emanuel
 
Aula dica 2014
Aula dica 2014Aula dica 2014
Aula dica 2014
emanuel
 
Aula Dica 2014 - Lâminas
Aula Dica 2014 - Lâminas Aula Dica 2014 - Lâminas
Aula Dica 2014 - Lâminas
emanuel
 
Gabarito s4 sim_teste_2014
Gabarito s4 sim_teste_2014Gabarito s4 sim_teste_2014
Gabarito s4 sim_teste_2014emanuel
 
Av1 matemática e linguagens - 17-05
Av1   matemática e linguagens - 17-05Av1   matemática e linguagens - 17-05
Av1 matemática e linguagens - 17-05
emanuel
 
Bioquímica - Enem compacto
Bioquímica - Enem compactoBioquímica - Enem compacto
Bioquímica - Enem compacto
emanuel
 
AV1 - ciências humanas e naturais- II bimestre
AV1  - ciências humanas e naturais- II bimestreAV1  - ciências humanas e naturais- II bimestre
AV1 - ciências humanas e naturais- II bimestre
emanuel
 

Mais de emanuel (20)

Revisão ENEM EVOLUÇÃO
Revisão ENEM EVOLUÇÃORevisão ENEM EVOLUÇÃO
Revisão ENEM EVOLUÇÃO
 
Revisão de Ecologia
Revisão de Ecologia   Revisão de Ecologia
Revisão de Ecologia
 
Noções de Biotecnologia
Noções de BiotecnologiaNoções de Biotecnologia
Noções de Biotecnologia
 
Noções de Cladistica
Noções de CladisticaNoções de Cladistica
Noções de Cladistica
 
Sistema digestório e circulatório
Sistema digestório e circulatórioSistema digestório e circulatório
Sistema digestório e circulatório
 
2º simulado Enem- Ciências Humanas e Naturais
2º simulado Enem- Ciências Humanas e Naturais2º simulado Enem- Ciências Humanas e Naturais
2º simulado Enem- Ciências Humanas e Naturais
 
1º simulado Enem Compacto
1º simulado   Enem Compacto 1º simulado   Enem Compacto
1º simulado Enem Compacto
 
Simulado Bahiana 2015.1
Simulado Bahiana 2015.1Simulado Bahiana 2015.1
Simulado Bahiana 2015.1
 
1º simulado ENEM - Matematica e Linguagens
1º simulado ENEM - Matematica e Linguagens1º simulado ENEM - Matematica e Linguagens
1º simulado ENEM - Matematica e Linguagens
 
1º simulado ENEM - Humanas e Naturais
1º simulado ENEM - Humanas e Naturais1º simulado ENEM - Humanas e Naturais
1º simulado ENEM - Humanas e Naturais
 
Ecologia - Níveis de organização
Ecologia - Níveis de organizaçãoEcologia - Níveis de organização
Ecologia - Níveis de organização
 
Câncer ( arquivo atualizado)
Câncer ( arquivo atualizado)Câncer ( arquivo atualizado)
Câncer ( arquivo atualizado)
 
Lista de Histologia Animal
Lista de Histologia AnimalLista de Histologia Animal
Lista de Histologia Animal
 
Reino Monera 2015
Reino Monera 2015Reino Monera 2015
Reino Monera 2015
 
Aula dica 2014
Aula dica 2014Aula dica 2014
Aula dica 2014
 
Aula Dica 2014 - Lâminas
Aula Dica 2014 - Lâminas Aula Dica 2014 - Lâminas
Aula Dica 2014 - Lâminas
 
Gabarito s4 sim_teste_2014
Gabarito s4 sim_teste_2014Gabarito s4 sim_teste_2014
Gabarito s4 sim_teste_2014
 
Av1 matemática e linguagens - 17-05
Av1   matemática e linguagens - 17-05Av1   matemática e linguagens - 17-05
Av1 matemática e linguagens - 17-05
 
Bioquímica - Enem compacto
Bioquímica - Enem compactoBioquímica - Enem compacto
Bioquímica - Enem compacto
 
AV1 - ciências humanas e naturais- II bimestre
AV1  - ciências humanas e naturais- II bimestreAV1  - ciências humanas e naturais- II bimestre
AV1 - ciências humanas e naturais- II bimestre
 

Treinamento para Bahiana - 1ª etapa

  • 1. Lista de Aprofundamento - BIOLOGIA – Prof. Emanuel TREINAMENTO – 1ª etapa Caros alunos, Selecionei 40 questões com temas que são importantes para o vestibular da 1ª etapa da Escola Bahiana de Medicina. Resolvam todas e em caso de dúvida revisem os respectivos conteúdos. Os alunos do Super Super Med tem essa lista no módulo 04. Lembrem que o estudo bem orientado é um caminho infalível para a vitória. Sucessos. Emanuel Questões 01 e 03 Mitocôndrias, as usinas de energia da célula, têm seu próprio DNA, evidência de que suas progenitoras um dia viveram livres e colonizaram células. E elas ainda podem estar agindo como invasoras. Pesquisadores do Instituto Pasteur em Paris rastrearam o genoma humano no núcleo e descobriram 211 fragmentos de DNA que equivalem a seqüências de mitocôndrias. Segundo eles, esses fragmentos podem se integrar por engano durante o trabalho de reparo rotineiro do DNA. Essa invasão genética parece contínua — 27 fragmentos são exclusivos do Homo sapiens e certamente colonizaram os cromossomos desde que os humanos divergiram do resto dos primatas, nos últimos 4 a 6 milhões de anos. A propensão do DNA mitocondrial de se alojar nos genes nucleares poderia disparar doenças, dizem os pesquisadores na edição de setembro da Public Library of Science Biology. 01. As descobertas dos pesquisadores do Instituto Pasteur em Paris, ao rastrearem o genoma humano, reafirmam o conhecimento atual sobre evolução celular, quando 01) sugerem a ocorrência de mitocôndrias no interior do núcleo de células eucarióticas. 02) admitem a origem das mitocôndrias a partir de procariotos aeróbicos de vida livre em eventos de simbiose. 03) associam, no tempo, a organização do genoma mitocondrial aos eventos que levaram à divergência da linhagem humana em relação aos demais primatas. 04) reconhecem a plena independência do genoma mitocondrial em relação ao genoma nuclear. 05) atribuem aos genes mitocondriais doenças genéticas com segregação mendeliana nas famílias 02. A expressão “mitocôndrias — as usinas de energia da célula” traduz a 01) presença, nessas organelas, do conjunto de enzimas necessárias à síntese de glicose. 02) dependência universal do mundo vivo das mitocôndrias para a produção de energia metabólica sob a forma de ATP. 03) dissociação entre reações citossólicas e mitocondriais que convertem energia nas células. 04) autonomia das mitocôndrias na geração de energia para uso da célula, prescindindo de matéria-prima exógena. 05) degradação completa de moléculas combustíveis em etapas enzimáticas que acoplam a cadeia transportadora de elétrons à síntese de ATP.
  • 2. Lista de Aprofundamento - BIOLOGIA – Prof. Emanuel 03. A evidência de que fragmentos do genoma mitocondrial se integram ao genoma nuclear, mantendo a sua propriedade informativa, revela a 01) instabilidade estrutural e funcional das moléculas hereditárias. 02) especificidade das unidades monoméricas constituintes do genoma mitocondrial em relação ao nuclear. 03) unicidade da linguagem informacional nos sistemas vivos. 04) impossibilidade de agregação de novos nucleotídeos a uma molécula de DNA funcional. 05) ação isolada de cada nucleotídeo como unidade de codificação de aminoácidos. Questões 04 a 06 A figura detalha a função associada ao músculo esquelético, que corresponde a mais de um terço da massa corporal de uma pessoa adulta saudável 04. Na perspectiva da Biologia Celular, o músculo estriado é constituído de células que 01) regulam a contração, a partir da liberação de íons compartimentalizados no retículo sarcoplasmático. 02) requerem pequeno número de mitocôndrias, em função da realização preferencial do metabolismo anaeróbico lático. 03) apresentam um citoesqueleto constituído essencialmente de microtúbulos e suas proteínas associadas. 04) se multiplicam com grande facilidade, devido à manutenção do estado indiferenciado. 05) desenvolvem suas atividades de modo autônomo, preservadas pela impermeabilidade de suas membranas plasmáticas 05. A organização e a manutenção da estrutura do sarcômero e demais elementos integrantes da fibra muscular dependem do processo de síntese protéica que envolve a 01) atividade ribossomal desencadeada pela associação da unidade menor a um RNA mensageiro. 02) transcrição integral da molécula de DNA que compõe um cromossomo. 03) associação direta do DNA a RNA transportadores e seus respectivos aminoácidos. 04) ligação permanente de ribossomos ao retículo endoplasmático rugoso. 05) colaboração de várias unidades ribossomais para a síntese de uma única cadeia polipeptídica. 06. Em relação à atividade fisiológica específica do músculo esquelético, é uma consideração pertinente: 01) Cada miofibrila isolada cumpre plenamente a função exibida pelo músculo. 02) A arquitetura muscular e sua função estão subordinadas aos sistemas reguladores integrativos da fisiologia humana. 03) O músculo esquelético integra um sistema orgânico de resposta involuntária. 04) O movimento do braço é função da estrutura óssea subjacente ao músculo.
  • 3. Lista de Aprofundamento - BIOLOGIA – Prof. Emanuel 05) A hipertrofia muscular decorrente de exercícios físicos regulares é conseqüência do aumento no número de fibras musculares. Questões 07 e 08 A ilustração, meramente didática, atribui diversos caracteres humanos a genes localizados em um mesmo par de cromossomos homólogos, que sofrem permutas. 07. As bases científicas que explicam o fenômeno ilustrado incluem o seguinte: 01) A origem dos recombinantes está relacionada a eventos moleculares próprios da primeira fase meiótica. 02) As quatro cromátides de um par de homólogos se envolvem em um mesmo fenômeno de permuta. 03) A meiose reduz a variabilidade intra-específica ao produzir gametas não recombinantes. 04) As divisões sucessivas das células germinativas diluem a expressão dos fatores a cada geração. 05) Cromossomos homólogos são transmitidos juntos às células resultantes da meiose, em condições normais 08. Uma abordagem neomendeliana da ilustração permite afirmar: 01) A variação na cor dos olhos em populações humanas é compatível com a herança monogênica, com um par de alelos diferentes. 02) Os “fatores” situados em um mesmo par de homólogos não obedecem às proporções esperadas pela segregação independente. 03) Cada par de cromossomos homólogos corresponde a um par de alelos. 04) A produção de quatro cromátides a partir de um par de homólogos revela a natureza não conservativa da molécula de DNA. 05) Variações hereditárias produzidas por recombinação refletem a ocorrência de mutações durante o processo meiótico Questões 09 a 10
  • 4. Lista de Aprofundamento - BIOLOGIA – Prof. Emanuel Dados da Secretaria da Vigilância em Saúde / Ministério da Saúde, divulgados numa revista semanal de circulação nacional, alertam sobre a ameaça da febre amarela, conforme a ilustração 09. Aspectos da biologia dos organismos vetores da febre amarela incluem o seguinte: 01) O tipo de ciclo vital dos mosquitos restringe o nicho ecológico dessas espécies às interações com primatas. 02) Os hábitos hematófagos de Haemagogus janthinomys e Aedes aegypti permitem agrupá- los em um mesmo gênero. 03) Os vetores de doenças como a febre amarela exibem baixa capacidade de adaptação a diferentes hábitats. 04) A capacidade interativa vetor/hospedeiro se concretiza através dos machos da espécie vetora. 05) A relação entre seres humanos e o vetor da febre amarela é relativamente recente, considerando-se a baixa adaptabilidade humana ao patógeno 10. Os patógenos associados à febre amarela e à dengue constituem um grupo de agentes infecciosos que compartilham 01) organização estrutural limitada à presença de um ácido nucléico e proteínas 02) estrutura celular procariótica, com a característica ausência de compartimentação. 03) vias metabólicas primitivas relacionadas à obtenção de energia. 04) equipamento citológico para a síntese de cadeias polipeptídicas. 05) estratégia de infecção restrita às relações com a superfície da célula hospedeira. 11. A figura ilustra algumas etapas de determinadas reações oxidativas presentes em células eucarióticas. Em relação a esse processo e às reações associadas a ele, é possível afirmar: 01) O processo biológico representado é o da fotossíntese e ocorre no interior dos cloroplastos. 02) As reações ilustradas da cadeia transportadora de elétrons são responsáveis por uma intensa fosforilação dependente da ação da enzima ATP sintase.
  • 5. Lista de Aprofundamento - BIOLOGIA – Prof. Emanuel 03) A figura ilustra etapas da síntese de cadeias polipeptídicas no interior do retículo endoplasmático. 04) A glicose é o principal produto resultado da redução química do CO2 utilizado como reagente da reação. 05) O gradiente de prótons gerado no interior das membranas internas garante a produção intensa de ATP a partir da energia luminosa fixada previamente pela clorofila. 12. O vírus da influenza é apenas uma bola oca de lipídios, em que se inserem proteínas de alguns tipos, contendo oito segmentos moleculares de RNA. Pequeno e simples, o vírus da influenza é reconhecível como uma estrutura perfeita e eficiente, porque consegue 01) reproduzir-se no interior da célula hospedeira, dividindo-se sucessivas vezes, formando um grande número de novos vírus. 02) realizar, através de seu envoltório lipídico, intercâmbio com o meio interno de uma célula, obtendo nutrientes. 03) penetrar em uma célula específica e utilizar o equipamento celular para produzir novas cópias de RNA viral e suas próprias proteínas, possibilitando a organização de novos vírus. 04) transcrever a informação genética do vírus em moléculas lipídicas específicas que organizam a capa víral. 05) traduzir o genoma viral em enzimas que capacitam o vírus realizar reações metabólicas no citosol da célula parasitada. 13. O material genético propriamente dito é o genoma (haploide) ou o genótipo (diploide) e controla a produção dos tecidos de um organismo e todos os seus atributos, o fenótipo. Esse é o resultado da interação do genótipo com o ambiente durante o desenvolvimento. A amplitude das variações produzidas no fenótipo por determinado genótipo em diferentes condições ambientais é chamada de norma de reação. [...] As populações que se reproduzem sexuadamente apresentam duas fontes de variação, superpostas uma a outra: do genótipo (pois em uma espécie sexuada não existem dois indivíduos iguais) e do fenótipo. (MAYR, 2009, p. 117-118). A partir do entendimento das interações existentes entre o genótipo e o ambiente na expressão das informações genéticas, é correto afirmar: 01) As fontes de variação na reprodução sexuada dificultam a expressão de caracteres genéticos que sejam evolutivamente vantajosos. 02) Diferentes normas de reação podem levar a comportamentos semelhantes nas mesmas condições ambientais. 03) O controle das funções celulares ocorre a partir da ativação dos genes que lhe são exclusivos na composição de cada tipo de tecido presente nos organismos. 04) A interação do fenótipo com o ambiente produz genótipos que variam sua expressão ao longo do desenvolvimento do indivíduo. 05) Populações de reprodução sexuada potencializam a ação do ambiente, independentemente da seleção natural, no estabelecimento de diferentes normas de reação. 14.
  • 6. Lista de Aprofundamento - BIOLOGIA – Prof. Emanuel O esquema representa, de forma simbólica, a configuração dos cromossomos sexuais na determinação da herança genética do sexo. Com base nas informações apresentadas e no conhecimento atual em relação a esse tipo de herança, pode-se afirmar que a 01) ligada ao sexo é determinada por genes presentes na porção não homóloga de X e Y. 02) parcialmente ligada ao sexo é determinada por genes posicionados na porção homóloga apenas de X. 03) restrita ao sexo é determinada por genes posicionados na porção homóloga de Y e X. 04) ligada ao sexo é determinada por genes presentes apenas na porção não homóloga de X. 05) influenciada pelo sexo é determinada por genes posicionados na porção homóloga de X e Y. 15. A figura ilustra um momento do processo de duplicação do material genético presente nos seres vivos. É possível afirmar em relação a esse processo: 01) Duas novas moléculas de DNA são produzidas a partir de duas cadeias já existentes na molécula utilizada como molde da replicação. 02) A replicação ocorre de forma unidirecional, ao apresentar um sentido único dentro do sítio replicativo. 03) A molécula de RNA produzida durante esse processo será responsável pela síntese de proteínas ao longo da tradução da informação genética. 04) Enzimas específicas participam da separação das cadeias polinucleotídicas através da quebra das ligações peptídicas presentes entre elas. 05) O sentido obrigatório de montagem das novas cadeias polinucleotídicas pelo DNA polimerase é sempre 3’→5’. 16.
  • 7. Lista de Aprofundamento - BIOLOGIA – Prof. Emanuel O gráfico representa a variação da velocidade de reação em relação à variação da temperatura do ambiente de duas classes distintas de enzimas. Considerando-se a análise das informações contidas no gráfico, pode-se inferir que 01) as enzimas representadas participam de reações distintas e em locais distintos, ao longo do trato digestivo humano. 02) a enzima B é característica de um indivíduo humano em estado febril, com temperatura corpórea acima de 40 o C. 03) a capacidade de manutenção da estrutura terciária da enzima A é maior do que se comparada à enzima B. 04) variações de temperatura a partir da faixa ótima interferem mais na velocidade de reação da enzima A do que na velocidade de reação da enzima B. 05) a enzima B indica uma alta resistência ao calor, como as que ocorrem, por exemplo, em bactérias termófilas 17. A ilustração representa a ação integrada de vários sistemas fisiológicos humanos na manutenção das funções do corpo A respeito dessa integração orgânica, é possível afirmar: 01) Uma intensa hematose ocorre nos capilares durante a conversão de gás oxigênio em gás carbônico, nos diversos tecidos do corpo. 02) Os nutrientes absorvidos no intestino são transportados por vasos venosos até os capilares e entram na célula por transporte ativo. 03) O sangue rico em oxigênio, ao sair dos pulmões, é bombeado pela porção direita do coração antes de ser enviado para os tecidos do corpo. 04) O sistema cardiovascular funciona como estrutura integradora de diversos sistemas presentes no organismo. 05) O fígado, ao filtrar o sangue, retira de circulação os resíduos do metabolismo e os nutrientes orgânicos em excesso presentes no organismo.
  • 8. Lista de Aprofundamento - BIOLOGIA – Prof. Emanuel 18. A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) acaba de aprovar uma vacina contra a gripe H1N1 produzida sem a proteína do ovo. Indicada para todas as pessoas, mas, em especial, para aquelas que são alérgicas a essa proteína, a vacina é feita em cultivo de célulasVero-derivadas de rins de macaco verde africano. Menos de 1% da população tem alergia a ovo e não pode tomar a vacina disponível nos postos de saúde e nas clínicas atualmente. Por ser produzida em células mais parecidas com as de humanos (no caso, de macacos), essa vacina não precisa de substâncias que potencializam a ação. Assim, provoca menos efeitos colaterais. A vacina feita do ovo pode provocar reações, como dor local, febre e dor de cabeça. (BASSETE, 2010). O quadro abaixo ilustra a variação da concentração de anticorpos no corpo de um indivíduo em relação ao tempo, como resposta à aplicação em duas doses de uma determinada vacina. Considerando-se as informações presentes no texto e no gráfico e o conhecimento sobre a importância da vacinação na prevenção de doenças, é possível afirmar: 01) As vacinas H1N1 produzidas sem a proteína do ovo apresentam uma resposta imunológica mais rápida por possuírem apenas proteínas de origem viral. 02) A presença de uma segunda dose em determinadas vacinações favorece a imunização, ao produzir uma resposta secundária mais rápida e efetiva. 03) A presença de anticorpos específicos na vacina H1N1 desenvolve a imunização esperada nos indivíduos vacinados exclusivamente para esse vírus em questão. 04) O sistema imunológico, ao ser ativado na primeira inoculação do antígeno, aumenta progressivamente a produção de monócitos para a produção dos anticorpos específicos. 05) A vacina H1N1 produzida a partir de células de macaco evita a contaminação dos vacinados contra doenças produzidas por aves e transmitidas por ingestão de proteínas do ovo. 19. O esquema a seguir ilustra uma das etapas de um importante processo de transformação de energia luminosa em química no mundo vivo.
  • 9. Lista de Aprofundamento - BIOLOGIA – Prof. Emanuel A partir da análise do esquema, pode-se inferir que 01) a síntese de ATP está diretamente associada ao transporte de elétrons realizado pelo complexo de citocromos presente na membrana dos tilacoides. 02) o processo representa a etapa fotoquímica da fotossíntese, já que o ATP produzido na fotofosforilação participa da síntese de carboidratos no lúmen dos tilacoides. 03) a concentração de clorofila nos complexos antena dos tilacoides aumenta a eficiência de captação de luz em todas as frequências dentro da faixa visível do espectro de ondas eletromagnéticas. 04) o processo ilustrado se refere à cadeia transportadora de elétrons que ocorre na etapa dependente do oxigênio da respiração celular. 05) o aumento da concentração de íons de hidrogênio dentro dos tilacoides gera um refluxo de prótons pela sintetase do ATP que culmina com um intenso processo de fosforilação 20. O esquema abaixo compara, de forma resumida, o processo de expressão da informação genética em seres procariontes e eucariontes. A interpretação da figura e os conhecimentos atuais a respeito da expressão do código genético permitem concluir: 01) A expressão da informação genética em bactérias ocorre através do processo de replicação do DNA circular. 02) Apenas o gene eucariótico apresenta regiões denominadas de íntrons, que não são traduzidas em sequências específicas de aminoácidos.
  • 10. Lista de Aprofundamento - BIOLOGIA – Prof. Emanuel 03) Os genes presentes no material genético de seres eucariontes produzem as proteínas necessárias para garantir a manutenção do metabolismo celular sem a necessidade de utilização do RNA. 04) O RNA polimerase transcreve apenas as regiões dos éxons na produção do pré-RNA mensageiro para que posteriormente, possa ocorrem a ação do splicing genético. 05) A expressão do código genético das bactérias ocorre através de processos que se modificaram acentuadamente ao longo da evolução desse grupo, o que provocou uma diferenciação significativa em relação ao padrão eucariótico. 21. Mendel elaborou os princípios básicos da herança em plantas durante um período de aproximadamente nove anos. Seu trabalho culminou com uma aula pública em 1865 e um detalhado documento publicado em 1866. O artigo de Mendel apareceu em uma revista que era recebida por 120 bibliotecas, e ele mandou cópias para vários professores importantes. Entretanto, sua teoria não foi aceita. De fato, ela foi ignorada [...]. (PURVES, 2006, p. 177) Um dos motivos considerado como crucial para que o trabalho de Mendel tivesse sido ignorado pelos cientistas da época foi 01) a utilização da ervilha-de-cheiro como material biológico estudado, já que não era habitual a utilização de trabalhos com hibridização de plantas pelos estudiosos do século XIX. 02) o pouco rigor metodológico utilizado por Mendel em seus experimentos, o que gerou pouca credibilidade nos resultados encontrados. 03) a abordagem matemática utilizada por Mendel na análise dos resultados obtidos, pois essa prática não era comum em experimentos biológicos da época. 04) a análise simultânea de sete características genéticas da espécie pesquisada, que levou a erros de inferência nos resultados obtidos. 05) o longo tempo necessário para conclusão dos trabalhos devido ao pequeno número de descendentes obtidos por geração, resultante da incapacidade de autofecundação da espécie analisada. 22. A figura a seguir ilustra os tipos de heranças que estão associadas ao par sexual do sistema XY de determinação do sexo. Com base na análise da figura e utilizando-se do conhecimento a respeito da herança dos heterocromossomos, é possível afirmar: 01) Os heterocromossomos caracterizam-se por apresentar genes que estão exclusivamente envolvidos com características genéticas sexuais 02) Genes da herança ligada ao sexo são transmitidos aos filhos do sexo masculino exclusivamente por via materna.. 03) Todos os genes presentes no cromossomo Y determinam heranças que são exclusivas do sexo masculino. 04) Genes da herança ligada ao sexo, por estarem posicionados apenas no cromossomo X, expressam características encontradas preferencialmente no sexo feminino. 05) Os genes da herança restrita ao sexo são exclusivos dos homens, por estarem posicionados na parte homóloga do cromossomo X.
  • 11. Lista de Aprofundamento - BIOLOGIA – Prof. Emanuel 23. Descobertas de vírus da Aids e de câncer dão prêmio Nobel de 2008 a europeus.[...] A premiação chega 25 anos depois do trabalho original de Françoise Barré-Sinoussi e Luc Montagnier sobre o agente da doença do século — O HIV. (Folha de S. Paulo. Ciência. São Paulo, terça-feira, 07 de outubro de 2008) As estratégias de sobrevivência mais surpreendentes do HIV são a capacidade de multiplicação rápida e a de sofrer mutações. À custa delas, o vírus enfrenta as adversidades do meio externo, e faz de tudo para escapar das investidas do sistema imunológico do hospedeiro e dos medicamentos usados para eliminá-lo. O HIV se multiplica em velocidade alucinante. No organismo infectado, em condições habituais, são produzidos 10 bilhões de novos vírions (partículas de vírus) em um único dia. Nesse processo, surgem milhões de variantes geneticamente distintas das que lhes deram origem. (VARELA, 2008. p. 25) A respeito do trabalho desenvolvido por Luc Montagnier e colaboradores, bem como do conhecimento atual sobre a AIDS, pode-se afirmar: 01) O trabalho laureado com o prêmio Nobel de 2008 refere-se à descoberta da utilização do AZT como uma eficiente droga anti-HIV. 02) As variantes geneticamente distintas produzidas a partir da reprodução do HIV aumentam o potencial adaptativo desse vírus em relação às tentativas de ação do sistema de defesa do organismo hospedeiro. 03) A estrutura viral, apesar de simples, é capaz de se autoduplicar com grande eficiência no interior das hemácias do sangue. 04) A capacidade mutacional do HIV deve-se à alta virulência presente no seu ciclo lisogênico ao longo do processo de infecção da célula hospedeira. 05) O vírus HIV é estruturalmente semelhante a outros vírus parasitas humanos, podendo, dessa forma, apresentar DNA ou RNA como material genético. 24. [...] podemos dizer que a teoria da evolução por seleção natural envolve o acaso e a necessidade. O acaso aparece na aleatoriedade do processo mutacional de geração de diversidade. A necessidade, no processo de reprodução diferencial dos indivíduos mais bem adaptados ao ambiente. A ideia revolucionária de Darwin foi que essas duas forças combinadas eram suficientes para explicar, de forma natural, a emergência e evolução das diversas formas de vida na Terra. (PENA, 2007, p. 84) A opção que melhor se aproxima do conceito desenvolvido inicialmente por Charles Darwin para explicar a evolução biológica através da seleção natural é 01) O acaso gera variabilidade conforme a natureza vai necessitando de determinadas características adaptativas. 02) A reprodução diferenciada preserva indivíduos frutos da união de espécies diferentes mais bem ajustadas ao ambiente em que vivem. 03) A evolução biológica é considerada um processo totalmente aleatório devido à imprevisibilidade dos seus resultados adaptativos. 04) A adaptação é uma das principais consequências da ação da seleção natural, ao favorecer a capacidade média dos organismos de uma população de sobreviver e reproduzir no seu ambiente. 05) Mudanças no conjunto gênico das populações favorecem a formação de espécies que se tornam independentes das condições impostas pelo ambiente natural. 25. Mendel foi um revolucionário dentro do seu meio e do seu tempo. Aceitando o evolucionismo e a teoria da seleção natural, apesar de discordar de Darwin em vários pontos, assumia, na sua qualidade de sacerdote, uma posição altamente arrojada para a sua época. [...] Mendel introduziu um padrão matemático onde antes havia confusão, tendo descoberto leis estatísticas que regem fenômenos dantes considerados como misteriosos e caóticos. O universo biológico é um universo mendeliano. (FREIRE-MAIA, 1995, p. 46)
  • 12. Lista de Aprofundamento - BIOLOGIA – Prof. Emanuel Em relação aos experimentos clássicos realizados por Mendel com Pisum sativum, que permitiram, posteriormente, revolucionar a nossa compreensão a respeito da hereditariedade, é possível afirmar: 01) Os cálculos estatísticos utilizados por Mendel em seus experimentos com ervilhas-de- cheiro permitiram estabelecer uma proporção fenotípica de 1:2:1, nos resultados da F2. 02) A espécie utilizada nos clássicos experimentos mendelianos favoreceu a obtenção de resultados precisos por apresentar gerações de ciclo longo com pequena produção de descendentes. 03) O cruzamento entre tipos puros produziu na F1 100% de descendência híbrida que, ao ser autofecundada, determinou uma F2 com a presença dos dois tipos de fenótipos presentes na geração parental. 04) A presença do tipo recessivo na F2 esclarece a presença de um único alelo na determinação das características analisadas. 05) Cada característica estudada é determinada por um par de fatores que se segregam na fecundação e se recombinam na formação dos gametas. 26. O gráfico ilustra a variação da taxa respiratória, em litros por minuto, em relação à variação da quantidade de CO2 e O2 presentes no ar inalado. Considerando-se as informações presentes no gráfico e o conhecimento sobre o controle nervoso das trocas gasosas nos animais, é possível considerar: I. Uma queda na porcentagem de 02 no ar inalado apresenta pouco efeito sobre a variação da taxa respiratória, se comparada à variação do CO2 também inspirado. II. O aumento da percentagem de O2 no ar inalado aproxima a curva referente a esse gás para uma taxa respiratória em torno de 30 litros por minuto. III. A respiração é mais sensível ao aumento no conteúdo de dióxido de carbono no ar inalado do que ao decréscimo no conteúdo de oxigênio. IV. O sistema nervoso autônomo mantém a respiração e modifica a sua profundidade e frequência para satisfazer às exigências do corpo pelo suprimento de O2 e eliminação do CO2. Dessas afirmativas, estão corretas as indicadas em 01) apenas I e II. 02) apenas II e III. 03) apenas III e IV. 04) apenas I, III e IV. 05) I, II, III e IV.
  • 13. Lista de Aprofundamento - BIOLOGIA – Prof. Emanuel 27. Amamentar é um ato de amor! O bebê ainda no útero alimenta-se recebendo da mãe, através da placenta, os nutrientes necessários ao seu desenvolvimento. Ao nascer, sua alimentação muda para o leite materno. Considerando-se a mudança de alimentação, o leite materno tem importância peculiar no desenvolvimento da criança por apresentar 01) teor de vitaminas ideais para o perfeito crescimento e fortalecimento dos ossos. 02) teor de proteínas muito elevado, como maior fonte de energia para o metabolismo do bebê. 03) concentração baixa de lipídios e carboidratos, o que faz com que o bebê não fique obeso. 04) composição de nutrientes específica, com o dissacarídeo lactose, além dos agentes imunológicos que protege a criança de doenças. 05) concentração de água para super-hidratação do bebê. 28. Considerando-se o aspecto hormonal envolvido no ato de amamentar, é correto afirmar que 01) o aumento da concentração da adrenalina dá maior estímulo às glândulas mamárias a secretarem mais leite. 02) o estrógeno estimula o crescimento das glândulas mamárias durante a lactação. 03) o aumento na concentração de ocitocina estimula as glândulas mamárias a produzirem mais leite. 04) a progesterona promove o crescimento das glândulas mamárias. 05) os mineralcorticóides mantêm o nível ideal de potássio no leite. 29. A ilustração representa gatinhos obtidos a partir de cruzamentos de animais que naturalmente não produzem a proteína Fel-d1, que é encontrada no pêlo, na pele e na saliva do gato e está associada aos sintomas de alergia. Esses animais não sofreram modificações genéticas são comercializados após a remoção das gônadas. A partir das informações do texto, uma interpretação pertinente é 01) os três gatinhos descendem de uma linhagem transgênica para o gene que codifica a proteína Fel-d1.
  • 14. Lista de Aprofundamento - BIOLOGIA – Prof. Emanuel 02) a proteína Fel-d1 é uma molécula de ação antigênica capaz de desencadear reações alérgicas. 03) a incapacidade de produzir a proteína Fel-d1 é a única característica fenotípica que diferencia os gatinhos dos demais 04) a remoção das gônadas é um procedimento que favorece a perpetuação natural de uma linhagem, preservando a característica desejada. 05) a obtenção de animais deficientes em Fel-d1 resulta de um processo de clonagem reprodutiva. 30. A figura ilustra estágios do desenvolvimento de um peixe, de uma galinha e de um ser humano, destacando a região que deve originar nadadeiras, asas e braços, respectivamente. A complexa forma de um animal adulto surge no desenvolvimento em que ocorre 01) o mecanismo de divisão mitótica que gera células geneticamente distintas. 02) a inclusão de novos genes no genoma inicial da célula-ovo. 03) a formação do zigoto caracterizado por um cariótipo distinto em relação ao de seus genitores. 04) a especialização das estruturas anatômicas que emerge em contextos interativos definidos no processo de diferenciação celular. 05) a redução da informação genética de genes específicos para cada tipo celular 31. Mais de 800 milhões de pessoas — mais de quatro vezes a população brasileira — vivem diariamente com fome, ou “insegurança alimentar”, como companhia constante. Muitas mais têm deficiências micronutricionais: não ingerem vitaminas e minerais essenciais em suas dietas. Insuficiência de ferro — e a anemia que resulta desta carência — é a mais disseminada dessas mazelas. (CHENG, 2007, p.66) A deficiência de ferro nas dietas repercute de forma mais imediata
  • 15. Lista de Aprofundamento - BIOLOGIA – Prof. Emanuel 01) na síntese da hemoglobina, molécula responsável pelo transporte de oxigênio para as células. 02) no processo de coagulação do sangue, comprometendo a síntese do fibrinogênio. 03) na fisiologia normal da visão, causando a deficiência identificada como cegueira noturna. 04) na contração muscular pela redução da produção da actina e da miosina. 05) na transmissão de impulsos nervosos, inviabilizando as trocas iônicas pela bomba sódio/potássio. 32. O processo de diferenciação a partir da embriogênese inclui a formação de células gaméticas no decorrer da meiose, processo que propicia a recombinação gênica, preservando a espécie e assegurando seu potencial evolutivo. Essa recombinação estabelece no zigoto 01) a predominância de genes maternos no zigoto do sexo feminino. 02) a combinação aleatória dos cromossomos maternos e paternos. 03) a contribuição haplóide de cada gameta. 04) a seleção de genes dominantes. 05) a presença do cromossomo x exclusiva no cariótipo feminino. 33. Proteínas presentes na superfície das células epiteliais que revestem o intestino utilizam um sistema eficiente de transporte para internalização dos açúcares da dieta, como demonstrado na figura. Com base na análise da ilustração e nos conhecimentos relacionados ao transporte através das membranas celulares, pode-se afirmar que
  • 16. Lista de Aprofundamento - BIOLOGIA – Prof. Emanuel 01) a difusão facilitada de glicose para o meio intracelular menos concentrado favorece a manutenção dos baixos níveis de açúcar no sangue. 02) a energia necessária para translocação de glicose para o meio intracelular é fornecida pelo transporte de Na+ a favor do seu gradiente de concentração. 03) a glicose é transportada para as células epiteliais a favor do seu gradiente de concentração por meio de transporte passivo. 04) macromoléculas, como a glicose, podem transpassar a membrana plasmática com o auxílio de proteínas carreadoras ou difundir-se através da bicamada fosfolipídica. 05) o transporte de glicose para a matriz extracelular está diretamente ligada ao transporte de K+ passivamente para o meio intracelular. 34. Desde 2003, soldados americanos que sobreviveram a graves ferimentos no Iraque tiveram que enfrentar um inimigo ainda mais mortal quando retornaram aos Estados Unidos. Debilitados por cirurgias e entupidos de antibióticos, se tornaram presas fáceis para bactérias que atacam justamente pessoas com problemas graves de saúde. No caso americano, a responsável foi a Acinetobacter baumannii, que contaminou 700 soldados entre 2003 e 2007. Agora é a vez de o Brasil enfrentar um surto de KPC, superbactéria que matou uma pessoa no Paraná e 18 no Distrito Federal, e infectou outras 22 em mais quatro estados. Muitos casos de infecção hospitalar diagnosticados nos hospitais brasileiros, nos últimos meses do ano de 2010, foram relacionados à superbactéria Klebsiella pneumoniae (KPC). Com relação à resistência a antibióticos observada nas superbactérias, normalmente isoladas em Unidades de Terapia Intensiva de hospitais, pode-se afirmar que 01) a utilização desenfreada de antibióticos induz a ocorrência de alterações metabólicas e comportamentais em alguns grupos de células procarióticas, tornando-as mais resistentes. 02) a intensificação do controle de comercialização de medicamentos pela ANVISA tem como principal objetivo evitar a utilização de antibióticos que estimulem a replicação bacteriana. 03) a bactéria Klebsiella pneumoniae, produtora da enzima carbapenemase, é capaz de causar infecção generalizada independentemente do estado imunológico do indivíduo. 04) a ocorrência de mutações em bactérias comuns, como as do gênero Klebsiella, pode aumentar o potencial adaptativo desses organismos. 05) nos hospitais, principais focos de contaminação microbiológica, ocorre a disseminação de fungos que se associam a bactérias comuns, tornando-as resistentes sob condições adversas. 35. As células que constituem o sistema imune atuam em conjunto de uma forma orquestrada para assegurar proteção ao corpo humano. De acordo com os conhecimentos relacionados às características das células que compõem o sistema imunitário humano e seu modo de ação, pode-se afirmar: 01) Linfócitos B, por meio da sua ação fagocitária, são as primeiras células que reconhecem proteínas de superfície de células estranhas capazes de causar danos ao corpo humano. 02) Citocinas inflamatórias produzidas por monócitos ativados promovem a inibição da produção de toxinas pelos agentes estranhos ao corpo. 03) A liberação de interleucinas pelos linfócito TCD4 estimula a multiplicação e a seleção clonal de linfócitos B e a ativação de linfócitos especializados em destruir células alteradas do corpo. 04) A diferenciação dos linfócitos T em plasmócitos maduros capacita-os a produzir anticorpos capazes de inativar substâncias nocivas ao corpo humano produzidas pelos micro-organismos invasores. 05) A movimentação contínua de fagócitos entre os tecidos favorece a sua ligação aos anticorpos e a conseqüente ativação de antígenos específicos presentes na superfície de linfócitos matadores. 36. No Polo Norte, há ursos, como o urso negro do Alasca, que “hibernam” no inverno — dormem em sono profundo —, e é interessante pensar o que ocorre quando eles dormem, como se processa seu metabolismo, como eles se preservam e, ao se levantarem, começam a
  • 17. Lista de Aprofundamento - BIOLOGIA – Prof. Emanuel funcionar imediatamente. Imaginem um enorme urso, que dormiu durante todo o inverno, acorda, levanta e precisa se alimentar, encontrar uma namorada, caçar e fugir dos predadores, diz a pesquisadora em sua entrevista. Sobre esse retorno rápido à sua rotina de vida, uma das respostas do organismo que deve ser imediatamente realizada é 01) A produção de hormônios sexuais em decorrência da decodificação direta da mensagem genética específica ao nível dos ribossomos. 02) A reconstrução dos músculos que propicia a reativação da síntese proteica com intensa multiplicação das fibras musculares. 03) A realização da síntese proteica em células do córtex adrenal para desencadear a produção de adrenalina. 04) A retomada das reações metabólicas que subsidiam as necessidades energéticas normais. 05) O restabelecimento das ligações diretas entre axônios e dendritos, propiciando o reinício da comunicação com o ambiente. 37. Determinou-se recentemente aqui, no Brasil, a retenção de receitas médicas para a aquisição de antibióticos como uma forma de controle do uso desses medicamentos. Um aspecto que justifica essa normatização médica é o problema da “resistência bacteriana” ao antibiótico, como a reemergência de doenças, a exemplo da tuberculose. Nesse contexto, uma afirmação correta é 01) O uso prolongado do antibiótico é um fator fundamental para o aumento da sensibilidade bacteriana ao medicamento. 02) A resistência bacteriana é um estado orgânico do paciente que se desenvolve sob o uso intermitente do antibiótico. 03) O surgimento e manutenção de linhagens bacterianas resistentes relaciona-se, entre outros fatores, com seu uso inadequado e com interrupção do medicamento. 04) A reação do sistema imunológico humano neutraliza, por mecanismos naturais, os efeitos patogênicos das bactérias em qualquer condição infecciosa. 05) A aquisição da resistência a antibiótico expressa uma propriedade universal do material genético, traduzida na direcionalidade das mutações. Questões 38 e 39 Em 1934, duas crianças filhas de pais normais, com sinais de retardo mental e que exalavam um odor peculiar, foram encaminhadas para uma consulta com o Dr. Feeling, médico e químico. Usando técnicas de química analítica, o médico identificou, na urina das crianças, uma substância — o ácido fenilpirúvico —, composto que apresenta grande similaridade com a fenilalanina. A presença do ácido fenilpirúvico decorre de um erro metabólico, que envolve uma deficiência na via metabólica, que converte a fenilalanina em tirosina, e o acúmulo daquela substância era a causa do retardo mental. Posteriormente, concluiu-se que se tratava de uma doença hereditária, autossômica e recessiva, que foi chamada de fenilcetonúria. Atualmente, essa doença pode ser detectada em recém-nascidos pelo “Teste do Pezinho”. A associação da doença com a fenilalanina permitiu o controle de sua expressão por meio de uma dieta adequada, o que determina a obrigatoriedade do teste. 38. Considerando os genitores das duas crianças referidas e a base genética da fenilcetonúria, a probabilidade de uma outra criança desse casal nascer também afetada e ser do sexo masculino é de 01) 3/4 02) 1/4 03) 1/64 04) 1/8 05) 1/16 39. De acordo com o padrão de herança da fenilcetonúria referido no texto, uma afirmação correta é 01) O bloqueio na rota metabólica da fenilalanina reflete a ocorrência de uma mutação gênica. 02) A fenilcetonúria depende de um gene que se expressa em heterozigose.
  • 18. Lista de Aprofundamento - BIOLOGIA – Prof. Emanuel 03) A alteração relacionada ao erro na rota metabólica da fenilalanina traduz uma mudança no código genético. 04) Uniões consanguíneas diminuem a probabilidade da ocorrência de homozigose na descendência. 05) O gene associado à fenilcetonúria é um alelo que integra o cromossomo X. 40. Considerando que o material genético é extremamente sensível às radiações, podendo repercutir letalmente sobre o organismo, a ação cancerígena da radiação ionizante pode ser: 01) Afetar o ritmo da multiplicação celular, alterando genes associados ao controle do ciclo celular. 02) Atuar sobre as proteínas reguladoras, transformando-as em fatores de crescimento celular inespecíficos. 03) Induzir as células a um estado de diferenciação, levando-as a um processo ativo de divisões celulares. 04) Acelerar o processo de obtenção de energia, favorecendo um grande aumento do volume celular e, consequentemente, a formação do tumor. 05) Inviabilizar o desenvolvimento do ciclo celular, estabilizando as células no estágio zero da interfase.
  • 19. Lista de Aprofundamento - BIOLOGIA – Prof. Emanuel Gabarito 01.02 02.05 03.03 04.01 05.01 06.02 07.01 08.02 09.05 10.01 11.02 12.03 13.02 14.04 15.01 16.05 17.04 18.02 19.05 20.02 21.03 22.02 23.02 24.04 25.03 26.04 27.04 28.04 29.02 30.04 31.01 32.02 33.02 34.04 35.03 36.04 37.03 38.04 39.01 40.01