SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 12
Transístor bipolar 
O termo Transístor resulta da aglutinação dos termos ingleses TRANsfer + reSISTOR (resistência de transferência). 
O termo bipolar refere-se ao facto dos portadores electrões e lacunas participarem no processo do fluxo de corrente. 
http://www.prof2000.pt/users/lpa 

2 
Constituição 
Um transístor bipolar (com polaridade NPN ou PNP) é constituído por duas 
junções PN (junção base-emissor e junção base-colector) de material 
semicondutor (silício ou germânio) e por três terminais designados por Emissor 
(E), Base (B) e Colector (C). 
Altamente 
dopado 
Menos 
dopado que 
o Emissor e 
mais dopado 
que a Base 
Altamente 
dopado 
Camada 
mais fina 
e menos 
dopada 
N – Material semicondutor com excesso de electrões livres 
P – Material semicondutor com excesso de lacunas 
Menos 
dopado que 
o Emissor e 
mais dopado 
que a Base 
Camada 
mais fina 
e menos 
dopada
3 
Junções PN internas e símbolos 
Junção PN 
base - emissor 
Junção PN 
base - emissor 
Junção PN 
base - colector 
Junção PN 
base - colector
4 
Principio de funcionamento 
Para que o transístor bipolar conduza é necessário que seja aplicada na 
Base uma corrente mínima (VBE ≥ 0,7 Volt), caso contrário não haverá 
passagem de corrente entre o Emissor e o Colector. 
IB = 0 
O transístor não conduz 
(está ao corte) 
Se aplicarmos uma pequena corrente na base o transístor conduz e 
pode amplificar a corrente que passa do emissor para o colector. 
Uma pequena corrente 
entre a base e o emissor… 
…origina uma grande corrente 
entre o emissor e o colector
5 
Utilização 
O transístor bipolar pode ser utilizado: 
 como interruptor electrónico. 
 na amplificação de sinais. 
 como oscilador.
6 
Polarização 
Para o transístor bipolar poder ser utilizado com interruptor, como amplificador ou como 
oscilador tem que estar devidamente polarizado através de uma fonte DC. 
Para o transístor estar correctamente polarizado a junção PN base – emissor deve 
ser polarizada directamente e a junção base – colector deve ser polarizada 
inversamente. 
Regra prática: 
O Emissor é polarizado com a mesma polaridade que o semicondutor que o constitui. 
A Base é polarizada com a mesma polaridade que o semicondutor que a constitui. 
O Colector é polarizado com polaridade contrária à do semicondutor que o constitui. 
Emissor Base Colector Emissor Base Colector 
P N P N P N 
+ - - - + +
7 
Polarização 
Emissor Base Colector Emissor Base Colector 
P N P N P N 
+ - - - + + 
+ 
Rc 
Rb 
_ 
Rc 
Rb 
+ 
_ 
Rb – Resistência de polarização de base 
Rc – Resistência de colector ou resistência de carga
8 
Representação de tensões e correntes 
VCE – Tensão colector - emissor 
VBE – Tensão base – emissor 
VCB – Tensão colector - base 
IC – Corrente de colector 
IB – Corrente de base 
IE – Corrente de emissor 
VRE – Tensão na resistência de emissor 
VRC – Tensão na resistência de colector
9 
Relação das correntes 
Rc 
Rb 
+ 
IC 
IE 
IB 
Considerando o sentido convencional da corrente e 
aplicando a lei dos nós obtemos a seguinte relação 
das correntes num transístor bipolar 
IE = IC + IB
10 
Características técnicas 
Utilizando o código alfanumérico do transístor podem-se obter as suas 
características técnicas por consulta de um data book ou de um data sheet do 
fabricante. 
IC É a máxima corrente de colector que o transístor pode suportar. Se 
este parâmetro for excedido o componente poderá queimar. 
VCEO Tensão máxima colector – emissor com a base aberta. 
VCBO Tensão máxima colector – base com o emissor aberto. 
VEBO Tensão máxima emissor – base com o colector aberto. 
hFE ou b Ganho ou factor de amplificação do transístor. 
hFE = IC : IB 
Pd Potência máxima de dissipação. 
fT Frequência de transição (frequência para a qual o ganho do transístor 
é 1 ou seja, o transístor não amplifica mais a corrente).
11 
Substituição de transístores por equivalentes 
 Num circuito não se pode substituir um transístor de 
silício por um de germânio ou vice – versa. 
 Também não se pode trocar directamente um transístor 
NPN por um PNP ou vice – versa. 
 A letra (A, B, C…) que pode aparecer no fim do código 
alfanumérico indica sempre aperfeiçoamentos ou 
melhorias em pelo menos um dos parâmetros, limites ou 
características do transístor. 
Exemplo: O BC548A substitui o BC548. 
O BC548A não substitui o BC548B
Dissipadores de calor 
O uso de 
dissipadores ou 
radiadores 
externos de calor 
são quase que 
obrigatórios nos 
transístores que 
trabalham com 
potências 
elevadas de modo 
a evitar o 
sobreaquecimento 
do componente e 
a sua possível 
destruição. 
Lucínio Preza de Araújo 12

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Transformadores
TransformadoresTransformadores
Transformadores
 
Aula 1(1)
Aula 1(1)Aula 1(1)
Aula 1(1)
 
Amplificador operacional
Amplificador operacionalAmplificador operacional
Amplificador operacional
 
Bipolar junction Transistor
Bipolar junction TransistorBipolar junction Transistor
Bipolar junction Transistor
 
Amplificadores operacionais
Amplificadores operacionaisAmplificadores operacionais
Amplificadores operacionais
 
Transistor fet
Transistor fetTransistor fet
Transistor fet
 
Apostila de-eletrônica-básica
Apostila de-eletrônica-básicaApostila de-eletrônica-básica
Apostila de-eletrônica-básica
 
Amplificador operacional
Amplificador operacionalAmplificador operacional
Amplificador operacional
 
Apostila de comandos elétricos (senai sp)
Apostila de comandos elétricos (senai   sp)Apostila de comandos elétricos (senai   sp)
Apostila de comandos elétricos (senai sp)
 
Transistores
TransistoresTransistores
Transistores
 
Apresentação Transistor Junção Bipolar - Eletrônica Analógica
Apresentação Transistor Junção Bipolar - Eletrônica AnalógicaApresentação Transistor Junção Bipolar - Eletrônica Analógica
Apresentação Transistor Junção Bipolar - Eletrônica Analógica
 
IGBT and their Characteristics
IGBT and their CharacteristicsIGBT and their Characteristics
IGBT and their Characteristics
 
Aula 13 diodo zener
Aula 13 diodo zenerAula 13 diodo zener
Aula 13 diodo zener
 
Aula_03_circuitos_diodo.pdf
Aula_03_circuitos_diodo.pdfAula_03_circuitos_diodo.pdf
Aula_03_circuitos_diodo.pdf
 
POWER ELECTRONICS
POWER ELECTRONICSPOWER ELECTRONICS
POWER ELECTRONICS
 
Tudo sobre relés
Tudo sobre relésTudo sobre relés
Tudo sobre relés
 
Power supplies & regulators
Power supplies & regulatorsPower supplies & regulators
Power supplies & regulators
 
Circuit and analog electronics ch6
Circuit and analog electronics ch6  Circuit and analog electronics ch6
Circuit and analog electronics ch6
 
Analog CMOS design
Analog CMOS designAnalog CMOS design
Analog CMOS design
 
Osciloscópio
OsciloscópioOsciloscópio
Osciloscópio
 

Semelhante a Transístor bipolar polarização

Eletronica basica 2,1
Eletronica basica 2,1Eletronica basica 2,1
Eletronica basica 2,1andydurdem
 
O que são transístores
O que são transístoresO que são transístores
O que são transístoressidney assis
 
transistorbipolardejuncaotbj-1-160819144052 (2).pdf
transistorbipolardejuncaotbj-1-160819144052 (2).pdftransistorbipolardejuncaotbj-1-160819144052 (2).pdf
transistorbipolardejuncaotbj-1-160819144052 (2).pdfFelisbertoCorreiaC
 
Aula_05_transistor.pdf
Aula_05_transistor.pdfAula_05_transistor.pdf
Aula_05_transistor.pdfluciano455033
 
Sebenta Módulo 5 - Transistores BJT.pdf
Sebenta Módulo 5 - Transistores BJT.pdfSebenta Módulo 5 - Transistores BJT.pdf
Sebenta Módulo 5 - Transistores BJT.pdfdesportistaluis
 
05_Transistores_Estrutura_e_principio_de.pptx
05_Transistores_Estrutura_e_principio_de.pptx05_Transistores_Estrutura_e_principio_de.pptx
05_Transistores_Estrutura_e_principio_de.pptxAllasJonySilvaOlivei
 
Amplificador darlington de até 500 watts
Amplificador darlington de até 500 wattsAmplificador darlington de até 500 watts
Amplificador darlington de até 500 wattsGrilo Deus
 
Sexta parte do curso de eletrônica apresentado no Hackerspace Uberlândia - MG...
Sexta parte do curso de eletrônica apresentado no Hackerspace Uberlândia - MG...Sexta parte do curso de eletrônica apresentado no Hackerspace Uberlândia - MG...
Sexta parte do curso de eletrônica apresentado no Hackerspace Uberlândia - MG...evandrogaio
 
Curso para conserto de tv
Curso para conserto de tvCurso para conserto de tv
Curso para conserto de tvBruno Pereira
 
Projetos de fonte de alimentação
Projetos de fonte de alimentaçãoProjetos de fonte de alimentação
Projetos de fonte de alimentaçãoAlexandre Mazzei
 
Amplificador Diferencial.pdf
Amplificador Diferencial.pdfAmplificador Diferencial.pdf
Amplificador Diferencial.pdfssuser4aa6dd
 
Aula 08 eletrônica - conceitos básicos
Aula 08   eletrônica - conceitos básicosAula 08   eletrônica - conceitos básicos
Aula 08 eletrônica - conceitos básicosRenaldo Adriano
 

Semelhante a Transístor bipolar polarização (20)

Eletronica basica 2,1
Eletronica basica 2,1Eletronica basica 2,1
Eletronica basica 2,1
 
O que são transístores
O que são transístoresO que são transístores
O que são transístores
 
transistorbipolardejuncaotbj-1-160819144052 (2).pdf
transistorbipolardejuncaotbj-1-160819144052 (2).pdftransistorbipolardejuncaotbj-1-160819144052 (2).pdf
transistorbipolardejuncaotbj-1-160819144052 (2).pdf
 
Transístores
TransístoresTransístores
Transístores
 
Aula_05_transistor.pdf
Aula_05_transistor.pdfAula_05_transistor.pdf
Aula_05_transistor.pdf
 
Sebenta Módulo 5 - Transistores BJT.pdf
Sebenta Módulo 5 - Transistores BJT.pdfSebenta Módulo 5 - Transistores BJT.pdf
Sebenta Módulo 5 - Transistores BJT.pdf
 
Analogica7
Analogica7Analogica7
Analogica7
 
05_Transistores_Estrutura_e_principio_de.pptx
05_Transistores_Estrutura_e_principio_de.pptx05_Transistores_Estrutura_e_principio_de.pptx
05_Transistores_Estrutura_e_principio_de.pptx
 
Aula_06_transistor.ppt
Aula_06_transistor.pptAula_06_transistor.ppt
Aula_06_transistor.ppt
 
Amplificador sinais
Amplificador sinaisAmplificador sinais
Amplificador sinais
 
Emissor comum (polarizacao)
Emissor comum (polarizacao)Emissor comum (polarizacao)
Emissor comum (polarizacao)
 
Capitulo ii
Capitulo iiCapitulo ii
Capitulo ii
 
Amplificador darlington de até 500 watts
Amplificador darlington de até 500 wattsAmplificador darlington de até 500 watts
Amplificador darlington de até 500 watts
 
Sexta parte do curso de eletrônica apresentado no Hackerspace Uberlândia - MG...
Sexta parte do curso de eletrônica apresentado no Hackerspace Uberlândia - MG...Sexta parte do curso de eletrônica apresentado no Hackerspace Uberlândia - MG...
Sexta parte do curso de eletrônica apresentado no Hackerspace Uberlândia - MG...
 
Amplificadores janese
Amplificadores janeseAmplificadores janese
Amplificadores janese
 
Amplificadores janese
Amplificadores janeseAmplificadores janese
Amplificadores janese
 
Curso para conserto de tv
Curso para conserto de tvCurso para conserto de tv
Curso para conserto de tv
 
Projetos de fonte de alimentação
Projetos de fonte de alimentaçãoProjetos de fonte de alimentação
Projetos de fonte de alimentação
 
Amplificador Diferencial.pdf
Amplificador Diferencial.pdfAmplificador Diferencial.pdf
Amplificador Diferencial.pdf
 
Aula 08 eletrônica - conceitos básicos
Aula 08   eletrônica - conceitos básicosAula 08   eletrônica - conceitos básicos
Aula 08 eletrônica - conceitos básicos
 

Último

apostila de eletricidade básica Werther serralheiro
apostila de eletricidade básica Werther serralheiroapostila de eletricidade básica Werther serralheiro
apostila de eletricidade básica Werther serralheirossuserd390f8
 
SEG NR 18 - SEGURANÇA E SAÚDE O TRABALHO NA INDUSTRIA DA COSTRUÇÃO CIVIL.pptx
SEG NR 18 - SEGURANÇA E SAÚDE O TRABALHO NA INDUSTRIA DA COSTRUÇÃO CIVIL.pptxSEG NR 18 - SEGURANÇA E SAÚDE O TRABALHO NA INDUSTRIA DA COSTRUÇÃO CIVIL.pptx
SEG NR 18 - SEGURANÇA E SAÚDE O TRABALHO NA INDUSTRIA DA COSTRUÇÃO CIVIL.pptxavaseg
 
Planejamento e controle da Produção_Lustosa.pdf
Planejamento e controle da Produção_Lustosa.pdfPlanejamento e controle da Produção_Lustosa.pdf
Planejamento e controle da Produção_Lustosa.pdfssusercc9a5f
 
ST 2024 Apresentação Comercial - VF.ppsx
ST 2024 Apresentação Comercial - VF.ppsxST 2024 Apresentação Comercial - VF.ppsx
ST 2024 Apresentação Comercial - VF.ppsxmarketing18485
 
CONCEITOS BÁSICOS DE CONFIABILIDADE COM EMBASAMENTO DE QUALIDADE
CONCEITOS BÁSICOS DE CONFIABILIDADE COM EMBASAMENTO DE QUALIDADECONCEITOS BÁSICOS DE CONFIABILIDADE COM EMBASAMENTO DE QUALIDADE
CONCEITOS BÁSICOS DE CONFIABILIDADE COM EMBASAMENTO DE QUALIDADEssusercc9a5f
 
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdfATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdftatebib346
 
Normas Técnicas para aparelho de solda oxi-acetileno.pdf
Normas Técnicas para aparelho de solda oxi-acetileno.pdfNormas Técnicas para aparelho de solda oxi-acetileno.pdf
Normas Técnicas para aparelho de solda oxi-acetileno.pdfAlexsandroRocha22
 
pgr programa de gerenciamento de risco posto de gasolina
pgr programa de gerenciamento de risco posto  de gasolinapgr programa de gerenciamento de risco posto  de gasolina
pgr programa de gerenciamento de risco posto de gasolinamikhaelbaptista
 

Último (8)

apostila de eletricidade básica Werther serralheiro
apostila de eletricidade básica Werther serralheiroapostila de eletricidade básica Werther serralheiro
apostila de eletricidade básica Werther serralheiro
 
SEG NR 18 - SEGURANÇA E SAÚDE O TRABALHO NA INDUSTRIA DA COSTRUÇÃO CIVIL.pptx
SEG NR 18 - SEGURANÇA E SAÚDE O TRABALHO NA INDUSTRIA DA COSTRUÇÃO CIVIL.pptxSEG NR 18 - SEGURANÇA E SAÚDE O TRABALHO NA INDUSTRIA DA COSTRUÇÃO CIVIL.pptx
SEG NR 18 - SEGURANÇA E SAÚDE O TRABALHO NA INDUSTRIA DA COSTRUÇÃO CIVIL.pptx
 
Planejamento e controle da Produção_Lustosa.pdf
Planejamento e controle da Produção_Lustosa.pdfPlanejamento e controle da Produção_Lustosa.pdf
Planejamento e controle da Produção_Lustosa.pdf
 
ST 2024 Apresentação Comercial - VF.ppsx
ST 2024 Apresentação Comercial - VF.ppsxST 2024 Apresentação Comercial - VF.ppsx
ST 2024 Apresentação Comercial - VF.ppsx
 
CONCEITOS BÁSICOS DE CONFIABILIDADE COM EMBASAMENTO DE QUALIDADE
CONCEITOS BÁSICOS DE CONFIABILIDADE COM EMBASAMENTO DE QUALIDADECONCEITOS BÁSICOS DE CONFIABILIDADE COM EMBASAMENTO DE QUALIDADE
CONCEITOS BÁSICOS DE CONFIABILIDADE COM EMBASAMENTO DE QUALIDADE
 
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdfATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
ATIVIDADE 1 - FSCE - FORMAÇÃO SOCIOCULTURAL E ÉTICA II - 52_2024.pdf
 
Normas Técnicas para aparelho de solda oxi-acetileno.pdf
Normas Técnicas para aparelho de solda oxi-acetileno.pdfNormas Técnicas para aparelho de solda oxi-acetileno.pdf
Normas Técnicas para aparelho de solda oxi-acetileno.pdf
 
pgr programa de gerenciamento de risco posto de gasolina
pgr programa de gerenciamento de risco posto  de gasolinapgr programa de gerenciamento de risco posto  de gasolina
pgr programa de gerenciamento de risco posto de gasolina
 

Transístor bipolar polarização

  • 1. Transístor bipolar O termo Transístor resulta da aglutinação dos termos ingleses TRANsfer + reSISTOR (resistência de transferência). O termo bipolar refere-se ao facto dos portadores electrões e lacunas participarem no processo do fluxo de corrente. http://www.prof2000.pt/users/lpa 
  • 2. 2 Constituição Um transístor bipolar (com polaridade NPN ou PNP) é constituído por duas junções PN (junção base-emissor e junção base-colector) de material semicondutor (silício ou germânio) e por três terminais designados por Emissor (E), Base (B) e Colector (C). Altamente dopado Menos dopado que o Emissor e mais dopado que a Base Altamente dopado Camada mais fina e menos dopada N – Material semicondutor com excesso de electrões livres P – Material semicondutor com excesso de lacunas Menos dopado que o Emissor e mais dopado que a Base Camada mais fina e menos dopada
  • 3. 3 Junções PN internas e símbolos Junção PN base - emissor Junção PN base - emissor Junção PN base - colector Junção PN base - colector
  • 4. 4 Principio de funcionamento Para que o transístor bipolar conduza é necessário que seja aplicada na Base uma corrente mínima (VBE ≥ 0,7 Volt), caso contrário não haverá passagem de corrente entre o Emissor e o Colector. IB = 0 O transístor não conduz (está ao corte) Se aplicarmos uma pequena corrente na base o transístor conduz e pode amplificar a corrente que passa do emissor para o colector. Uma pequena corrente entre a base e o emissor… …origina uma grande corrente entre o emissor e o colector
  • 5. 5 Utilização O transístor bipolar pode ser utilizado:  como interruptor electrónico.  na amplificação de sinais.  como oscilador.
  • 6. 6 Polarização Para o transístor bipolar poder ser utilizado com interruptor, como amplificador ou como oscilador tem que estar devidamente polarizado através de uma fonte DC. Para o transístor estar correctamente polarizado a junção PN base – emissor deve ser polarizada directamente e a junção base – colector deve ser polarizada inversamente. Regra prática: O Emissor é polarizado com a mesma polaridade que o semicondutor que o constitui. A Base é polarizada com a mesma polaridade que o semicondutor que a constitui. O Colector é polarizado com polaridade contrária à do semicondutor que o constitui. Emissor Base Colector Emissor Base Colector P N P N P N + - - - + +
  • 7. 7 Polarização Emissor Base Colector Emissor Base Colector P N P N P N + - - - + + + Rc Rb _ Rc Rb + _ Rb – Resistência de polarização de base Rc – Resistência de colector ou resistência de carga
  • 8. 8 Representação de tensões e correntes VCE – Tensão colector - emissor VBE – Tensão base – emissor VCB – Tensão colector - base IC – Corrente de colector IB – Corrente de base IE – Corrente de emissor VRE – Tensão na resistência de emissor VRC – Tensão na resistência de colector
  • 9. 9 Relação das correntes Rc Rb + IC IE IB Considerando o sentido convencional da corrente e aplicando a lei dos nós obtemos a seguinte relação das correntes num transístor bipolar IE = IC + IB
  • 10. 10 Características técnicas Utilizando o código alfanumérico do transístor podem-se obter as suas características técnicas por consulta de um data book ou de um data sheet do fabricante. IC É a máxima corrente de colector que o transístor pode suportar. Se este parâmetro for excedido o componente poderá queimar. VCEO Tensão máxima colector – emissor com a base aberta. VCBO Tensão máxima colector – base com o emissor aberto. VEBO Tensão máxima emissor – base com o colector aberto. hFE ou b Ganho ou factor de amplificação do transístor. hFE = IC : IB Pd Potência máxima de dissipação. fT Frequência de transição (frequência para a qual o ganho do transístor é 1 ou seja, o transístor não amplifica mais a corrente).
  • 11. 11 Substituição de transístores por equivalentes  Num circuito não se pode substituir um transístor de silício por um de germânio ou vice – versa.  Também não se pode trocar directamente um transístor NPN por um PNP ou vice – versa.  A letra (A, B, C…) que pode aparecer no fim do código alfanumérico indica sempre aperfeiçoamentos ou melhorias em pelo menos um dos parâmetros, limites ou características do transístor. Exemplo: O BC548A substitui o BC548. O BC548A não substitui o BC548B
  • 12. Dissipadores de calor O uso de dissipadores ou radiadores externos de calor são quase que obrigatórios nos transístores que trabalham com potências elevadas de modo a evitar o sobreaquecimento do componente e a sua possível destruição. Lucínio Preza de Araújo 12