SlideShare uma empresa Scribd logo
Geografia – 7º ano
   O que são secas ?
   Causas ;
   Consequências ;
   Quais as formas para minimizar os riscos ?
   A seca ou estiagem é um fenômeno climático causado pela
    insuficiência de precipitação pluviométrica, ou chuva numa
    determinada região por um período de tempo muito grande .
   Existe uma pequena diferença entre seca e estiagem pois
    estiagem é o fenômeno que ocorre num intervalo de tempo
    ou seja a estiagem não é permanente, já a seca é
    permanente.
   Este fenômeno provoca desequilíbrios hidrológicos
    importantes. Normalmente a ocorrência da seca se dá
    quando a evapotranspiração ultrapassa por um período de
    tempo a precipitação de chuvas.
   A diminuição do volume de água no Mar de Aral é
    considerado um dos maiores desastres ambientais e
    humanos da história, que produziram uma situação de seca.
   As secas iniciam-se sem que nenhum fenómeno climático ou hidrológico
    as anuncie, e só se tornam percetíveis quando está efetivamente
    instalada, ou seja, quando as suas consequências são já visíveis.

    As causas das secas enquadram-se nas anomalias da circulação geral da
    atmosfera, a que correspondem flutuações do clima numa escala local ou
    regional, gerando condições meteorológicas desfavoráveis, com
    situações de nula ou fraca pluviosidade, durante períodos mais ou menos
    prolongados.

    As condições para que uma seca se instale estão também relacionadas
    com outros fatores como, por exemplo, o incorreto ordenamento do
    território, insuficientes infra estruturas de armazenamento de água, uma
    sobre utilização das reservas hídricas subterrâneas, uma gestão incorreta
    do consumo de água, e até a desflorestação incontrolada do território.
   Perda de culturas agrícolas ;
   Morte do gado por falta de água e de pastagens ;
   Falta de água para consumo humano e para as
    atividades domésticas ;
   Diminuição da qualidade da água ;
   Aumento e propagação mais fácil dos incêndios ;
   Aumento da desertificação , uma vez que :
      - os solos vão ficando ressequidos e, por isso, são
    mais facilmente desgastados e arrastados ;
      - a vegetação vai desaparecendo.
   A duração de uma seca corresponde ao tempo que a variável selecionada para a
    caracterizar se encontra em défice relativamente a um nível de referência . Ou
    seja, corresponde ao intervalo de tempo em que os problemas de escassez de
    água são críticos para determinados fins. Assim, se em termos climatológicos a
    seca tiver início no semestre seco, em termos agrícolas, por exemplo, ela só é
    reconhecida se persistir no período crítico, determinado em função do tipo de
    cultura. Sob outra perspetiva, pode-se considerar como período crítico, por
    exemplo, a época turística de Verão para os sistemas de abastecimento das
    regiões de veraneio. Um sistema de recursos hídricos só recupera de uma situação
    de escassez de água quando uma fração do défice total é compensada por um
    excedente, estimado em relação ao nível de recuperação. Assim, complementar
    ao conceito de duração de uma seca é o conceito de resiliência, que traduz uma
    medida do tempo de recuperação de um sistema desde o seu colapso, durante a
    crise, até um estado aceitável de operacionalidade. Um exemplo pode ser o
    volume de armazenamento de uma albufeira, que se considera recuperado
    quando atinge o nível médio anual e não apenas quando ultrapassou o limiar da
    seca. A questão da duração de uma seca coloca-se pela severidade dos seus
    efeitos em caso de persistência. Os impactes acumulados resultantes de períodos
    cíclicos de seca afetam significativamente o tecido sócio económico da região,
    podendo promover a redução progressiva da produção de culturas, da indústria,
    de energia hidroelétrica e do próprio bem-estar das populações. Desde que
    existem registos meteorológicos em Portugal que não se observam mais de três
   www.prociv.pt
   Livro de geografia – 7º ano
FIM

       Diana Dias

       nº 6 7ºE

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

4 variação da temperatura em portugal
4  variação da temperatura em portugal4  variação da temperatura em portugal
4 variação da temperatura em portugal
Ministério da Educação
 
A Especificidade do Clima em Portugal
A Especificidade do Clima em PortugalA Especificidade do Clima em Portugal
A Especificidade do Clima em Portugal
Catarina Castro
 
Cheias e inundações
Cheias e inundaçõesCheias e inundações
Cheias e inundações
Carlos Henrique Tavares
 
As disponibilidades hídricas
As disponibilidades hídricasAs disponibilidades hídricas
As disponibilidades hídricas
Ilda Bicacro
 
As cantigas de amigo
As cantigas de amigoAs cantigas de amigo
As cantigas de amigo
Helena Coutinho
 
Portugal na 1ª guerra mundial
Portugal na 1ª guerra mundialPortugal na 1ª guerra mundial
Portugal na 1ª guerra mundial
Susana Simões
 
Distribuição da população portuguesa
Distribuição da população portuguesaDistribuição da população portuguesa
Distribuição da população portuguesa
Ilda Bicacro
 
Clima e estados de tempo.2
Clima e estados de tempo.2Clima e estados de tempo.2
Clima e estados de tempo.2
Idalina Leite
 
Tempestades, secas, ondas de frio e calor trabalho geografia 9ºano
Tempestades, secas, ondas de frio e calor trabalho geografia 9ºanoTempestades, secas, ondas de frio e calor trabalho geografia 9ºano
Tempestades, secas, ondas de frio e calor trabalho geografia 9ºano
Hus Juky
 
Riscos naturais 9ºano
Riscos naturais 9ºanoRiscos naturais 9ºano
Riscos naturais 9ºano
Gabriela Vasconcelos
 
Riscos naturais
Riscos naturaisRiscos naturais
Riscos naturais
Mayjö .
 
Desflorestação
DesflorestaçãoDesflorestação
Desflorestação
geografianaserpapinto
 
Fenómenos fonéticos português 9º
Fenómenos fonéticos português 9ºFenómenos fonéticos português 9º
Fenómenos fonéticos português 9º
Felisbela da Silva
 
Especificidade do clima português
Especificidade do clima portuguêsEspecificidade do clima português
Especificidade do clima português
Ilda Bicacro
 
Países desenvolvidos vs países em desenvolvimento
Países desenvolvidos vs países em desenvolvimentoPaíses desenvolvidos vs países em desenvolvimento
Países desenvolvidos vs países em desenvolvimento
lidia76
 
Disponibilidades Hídricas
Disponibilidades HídricasDisponibilidades Hídricas
Disponibilidades Hídricas
acbaptista
 
Vagas de frio e calor
Vagas de frio e calorVagas de frio e calor
Vagas de frio e calor
Mayjö .
 
Obstáculos ao desenvolvimento
Obstáculos ao desenvolvimentoObstáculos ao desenvolvimento
Obstáculos ao desenvolvimento
Rosária Zamith
 
Historia a-12-ano-resumo
Historia a-12-ano-resumoHistoria a-12-ano-resumo
Historia a-12-ano-resumo
Escoladocs
 
Superfícies frontais
Superfícies frontaisSuperfícies frontais
Superfícies frontais
acbaptista
 

Mais procurados (20)

4 variação da temperatura em portugal
4  variação da temperatura em portugal4  variação da temperatura em portugal
4 variação da temperatura em portugal
 
A Especificidade do Clima em Portugal
A Especificidade do Clima em PortugalA Especificidade do Clima em Portugal
A Especificidade do Clima em Portugal
 
Cheias e inundações
Cheias e inundaçõesCheias e inundações
Cheias e inundações
 
As disponibilidades hídricas
As disponibilidades hídricasAs disponibilidades hídricas
As disponibilidades hídricas
 
As cantigas de amigo
As cantigas de amigoAs cantigas de amigo
As cantigas de amigo
 
Portugal na 1ª guerra mundial
Portugal na 1ª guerra mundialPortugal na 1ª guerra mundial
Portugal na 1ª guerra mundial
 
Distribuição da população portuguesa
Distribuição da população portuguesaDistribuição da população portuguesa
Distribuição da população portuguesa
 
Clima e estados de tempo.2
Clima e estados de tempo.2Clima e estados de tempo.2
Clima e estados de tempo.2
 
Tempestades, secas, ondas de frio e calor trabalho geografia 9ºano
Tempestades, secas, ondas de frio e calor trabalho geografia 9ºanoTempestades, secas, ondas de frio e calor trabalho geografia 9ºano
Tempestades, secas, ondas de frio e calor trabalho geografia 9ºano
 
Riscos naturais 9ºano
Riscos naturais 9ºanoRiscos naturais 9ºano
Riscos naturais 9ºano
 
Riscos naturais
Riscos naturaisRiscos naturais
Riscos naturais
 
Desflorestação
DesflorestaçãoDesflorestação
Desflorestação
 
Fenómenos fonéticos português 9º
Fenómenos fonéticos português 9ºFenómenos fonéticos português 9º
Fenómenos fonéticos português 9º
 
Especificidade do clima português
Especificidade do clima portuguêsEspecificidade do clima português
Especificidade do clima português
 
Países desenvolvidos vs países em desenvolvimento
Países desenvolvidos vs países em desenvolvimentoPaíses desenvolvidos vs países em desenvolvimento
Países desenvolvidos vs países em desenvolvimento
 
Disponibilidades Hídricas
Disponibilidades HídricasDisponibilidades Hídricas
Disponibilidades Hídricas
 
Vagas de frio e calor
Vagas de frio e calorVagas de frio e calor
Vagas de frio e calor
 
Obstáculos ao desenvolvimento
Obstáculos ao desenvolvimentoObstáculos ao desenvolvimento
Obstáculos ao desenvolvimento
 
Historia a-12-ano-resumo
Historia a-12-ano-resumoHistoria a-12-ano-resumo
Historia a-12-ano-resumo
 
Superfícies frontais
Superfícies frontaisSuperfícies frontais
Superfícies frontais
 

Semelhante a Trabalho de geografia secas

A seca
A secaA seca
Seca
SecaSeca
Secas e Cheias
Secas e CheiasSecas e Cheias
Secas e Cheias
esmiucao8b
 
Cheias, inundações e secas prolongadas ana e adriana
Cheias, inundações e secas prolongadas ana e adrianaCheias, inundações e secas prolongadas ana e adriana
Cheias, inundações e secas prolongadas ana e adriana
8_c_clube
 
As cheias e as secas
As cheias e as secas   As cheias e as secas
As cheias e as secas
Andriy Russu
 
Precipitacao
PrecipitacaoPrecipitacao
Precipitacao
ana pinho
 
Apostila(cap3 parte1)
Apostila(cap3   parte1)Apostila(cap3   parte1)
Apostila(cap3 parte1)
Carlos G. Soares
 
Pluviometria
PluviometriaPluviometria
Pluviometria
Ronaldo Conceição
 
Agua
AguaAgua
As secas
As secasAs secas
As secas
ESP
 
Cheias
CheiasCheias
Cheias
grobinha
 
Secas e cheias
Secas e cheiasSecas e cheias
Secas e cheias
Carolina Sobrenome
 
Bacias
BaciasBacias
Bacias
BaciasBacias
Bacias
unesp
 
Meio ambiente cerrado
Meio ambiente   cerradoMeio ambiente   cerrado
Meio ambiente cerrado
Diego Santos
 
Trabalho de geografia. desmatamento 7 ano
Trabalho de geografia. desmatamento 7 anoTrabalho de geografia. desmatamento 7 ano
Trabalho de geografia. desmatamento 7 anoolecramsepol
 
Secas ruben 7º e
Secas ruben 7º eSecas ruben 7º e
Secas ruben 7º e
protecaocivil
 
Desert
DesertDesert
Desert
jr2000
 
recursosmaritimos_2.doc
recursosmaritimos_2.docrecursosmaritimos_2.doc
recursosmaritimos_2.doc
Aida Cunha
 
aFATORES QUE INFLUENCIAM NOS CLIMAS.ppt
aFATORES QUE INFLUENCIAM NOS CLIMAS.pptaFATORES QUE INFLUENCIAM NOS CLIMAS.ppt
aFATORES QUE INFLUENCIAM NOS CLIMAS.ppt
VictorLuisDaSilva1
 

Semelhante a Trabalho de geografia secas (20)

A seca
A secaA seca
A seca
 
Seca
SecaSeca
Seca
 
Secas e Cheias
Secas e CheiasSecas e Cheias
Secas e Cheias
 
Cheias, inundações e secas prolongadas ana e adriana
Cheias, inundações e secas prolongadas ana e adrianaCheias, inundações e secas prolongadas ana e adriana
Cheias, inundações e secas prolongadas ana e adriana
 
As cheias e as secas
As cheias e as secas   As cheias e as secas
As cheias e as secas
 
Precipitacao
PrecipitacaoPrecipitacao
Precipitacao
 
Apostila(cap3 parte1)
Apostila(cap3   parte1)Apostila(cap3   parte1)
Apostila(cap3 parte1)
 
Pluviometria
PluviometriaPluviometria
Pluviometria
 
Agua
AguaAgua
Agua
 
As secas
As secasAs secas
As secas
 
Cheias
CheiasCheias
Cheias
 
Secas e cheias
Secas e cheiasSecas e cheias
Secas e cheias
 
Bacias
BaciasBacias
Bacias
 
Bacias
BaciasBacias
Bacias
 
Meio ambiente cerrado
Meio ambiente   cerradoMeio ambiente   cerrado
Meio ambiente cerrado
 
Trabalho de geografia. desmatamento 7 ano
Trabalho de geografia. desmatamento 7 anoTrabalho de geografia. desmatamento 7 ano
Trabalho de geografia. desmatamento 7 ano
 
Secas ruben 7º e
Secas ruben 7º eSecas ruben 7º e
Secas ruben 7º e
 
Desert
DesertDesert
Desert
 
recursosmaritimos_2.doc
recursosmaritimos_2.docrecursosmaritimos_2.doc
recursosmaritimos_2.doc
 
aFATORES QUE INFLUENCIAM NOS CLIMAS.ppt
aFATORES QUE INFLUENCIAM NOS CLIMAS.pptaFATORES QUE INFLUENCIAM NOS CLIMAS.ppt
aFATORES QUE INFLUENCIAM NOS CLIMAS.ppt
 

Mais de protecaocivil

Geografia. catastrofes naturais tatiana
Geografia. catastrofes naturais tatianaGeografia. catastrofes naturais tatiana
Geografia. catastrofes naturais tatiana
protecaocivil
 
Catástrofes naturais cristiana
Catástrofes naturais cristianaCatástrofes naturais cristiana
Catástrofes naturais cristiana
protecaocivil
 
Catástrofes naturais daniel
Catástrofes naturais danielCatástrofes naturais daniel
Catástrofes naturais daniel
protecaocivil
 
Sismos e tsunamis luis 8ºb
Sismos e tsunamis luis 8ºbSismos e tsunamis luis 8ºb
Sismos e tsunamis luis 8ºb
protecaocivil
 
Traabalho filipe plácido
Traabalho filipe plácidoTraabalho filipe plácido
Traabalho filipe plácido
protecaocivil
 
Tsunamis ricardo 7º g
Tsunamis ricardo 7º gTsunamis ricardo 7º g
Tsunamis ricardo 7º g
protecaocivil
 
Sismos andré 7º g
Sismos  andré 7º gSismos  andré 7º g
Sismos andré 7º g
protecaocivil
 
Cheias ou inundações
Cheias ou inundaçõesCheias ou inundações
Cheias ou inundações
protecaocivil
 
Terramoto do japão cláudica e jéssica 7º f
Terramoto do japão cláudica e jéssica 7º fTerramoto do japão cláudica e jéssica 7º f
Terramoto do japão cláudica e jéssica 7º f
protecaocivil
 
Sismo 1976 bruna 7º f
Sismo 1976  bruna 7º fSismo 1976  bruna 7º f
Sismo 1976 bruna 7º fprotecaocivil
 
Catastrofes naturais leandro 8º e
Catastrofes naturais   leandro 8º eCatastrofes naturais   leandro 8º e
Catastrofes naturais leandro 8º e
protecaocivil
 
Nevões libânia 9ºb
Nevões   libânia 9ºbNevões   libânia 9ºb
Nevões libânia 9ºb
protecaocivil
 
Sismos . marcos 7º f
Sismos . marcos 7º fSismos . marcos 7º f
Sismos . marcos 7º f
protecaocivil
 
Bruna 7ºf
Bruna 7ºfBruna 7ºf
Bruna 7ºf
protecaocivil
 
Sismos, tsunamis 1
Sismos, tsunamis 1Sismos, tsunamis 1
Sismos, tsunamis 1
protecaocivil
 
Trabalho de geografia
Trabalho de geografiaTrabalho de geografia
Trabalho de geografia
protecaocivil
 
Sismos e erupções vulcânicas daniela 7º e
Sismos e erupções vulcânicas   daniela 7º eSismos e erupções vulcânicas   daniela 7º e
Sismos e erupções vulcânicas daniela 7º e
protecaocivil
 
Sismos, tsunamis ana
Sismos, tsunamis anaSismos, tsunamis ana
Sismos, tsunamis ana
protecaocivil
 
Protecçao civil ana vieira
Protecçao civil ana vieiraProtecçao civil ana vieira
Protecçao civil ana vieira
protecaocivil
 
Protecçao civil ana vieira
Protecçao civil ana vieiraProtecçao civil ana vieira
Protecçao civil ana vieira
protecaocivil
 

Mais de protecaocivil (20)

Geografia. catastrofes naturais tatiana
Geografia. catastrofes naturais tatianaGeografia. catastrofes naturais tatiana
Geografia. catastrofes naturais tatiana
 
Catástrofes naturais cristiana
Catástrofes naturais cristianaCatástrofes naturais cristiana
Catástrofes naturais cristiana
 
Catástrofes naturais daniel
Catástrofes naturais danielCatástrofes naturais daniel
Catástrofes naturais daniel
 
Sismos e tsunamis luis 8ºb
Sismos e tsunamis luis 8ºbSismos e tsunamis luis 8ºb
Sismos e tsunamis luis 8ºb
 
Traabalho filipe plácido
Traabalho filipe plácidoTraabalho filipe plácido
Traabalho filipe plácido
 
Tsunamis ricardo 7º g
Tsunamis ricardo 7º gTsunamis ricardo 7º g
Tsunamis ricardo 7º g
 
Sismos andré 7º g
Sismos  andré 7º gSismos  andré 7º g
Sismos andré 7º g
 
Cheias ou inundações
Cheias ou inundaçõesCheias ou inundações
Cheias ou inundações
 
Terramoto do japão cláudica e jéssica 7º f
Terramoto do japão cláudica e jéssica 7º fTerramoto do japão cláudica e jéssica 7º f
Terramoto do japão cláudica e jéssica 7º f
 
Sismo 1976 bruna 7º f
Sismo 1976  bruna 7º fSismo 1976  bruna 7º f
Sismo 1976 bruna 7º f
 
Catastrofes naturais leandro 8º e
Catastrofes naturais   leandro 8º eCatastrofes naturais   leandro 8º e
Catastrofes naturais leandro 8º e
 
Nevões libânia 9ºb
Nevões   libânia 9ºbNevões   libânia 9ºb
Nevões libânia 9ºb
 
Sismos . marcos 7º f
Sismos . marcos 7º fSismos . marcos 7º f
Sismos . marcos 7º f
 
Bruna 7ºf
Bruna 7ºfBruna 7ºf
Bruna 7ºf
 
Sismos, tsunamis 1
Sismos, tsunamis 1Sismos, tsunamis 1
Sismos, tsunamis 1
 
Trabalho de geografia
Trabalho de geografiaTrabalho de geografia
Trabalho de geografia
 
Sismos e erupções vulcânicas daniela 7º e
Sismos e erupções vulcânicas   daniela 7º eSismos e erupções vulcânicas   daniela 7º e
Sismos e erupções vulcânicas daniela 7º e
 
Sismos, tsunamis ana
Sismos, tsunamis anaSismos, tsunamis ana
Sismos, tsunamis ana
 
Protecçao civil ana vieira
Protecçao civil ana vieiraProtecçao civil ana vieira
Protecçao civil ana vieira
 
Protecçao civil ana vieira
Protecçao civil ana vieiraProtecçao civil ana vieira
Protecçao civil ana vieira
 

Trabalho de geografia secas

  • 2. O que são secas ?  Causas ;  Consequências ;  Quais as formas para minimizar os riscos ?
  • 3. A seca ou estiagem é um fenômeno climático causado pela insuficiência de precipitação pluviométrica, ou chuva numa determinada região por um período de tempo muito grande .  Existe uma pequena diferença entre seca e estiagem pois estiagem é o fenômeno que ocorre num intervalo de tempo ou seja a estiagem não é permanente, já a seca é permanente.  Este fenômeno provoca desequilíbrios hidrológicos importantes. Normalmente a ocorrência da seca se dá quando a evapotranspiração ultrapassa por um período de tempo a precipitação de chuvas.  A diminuição do volume de água no Mar de Aral é considerado um dos maiores desastres ambientais e humanos da história, que produziram uma situação de seca.
  • 4. As secas iniciam-se sem que nenhum fenómeno climático ou hidrológico as anuncie, e só se tornam percetíveis quando está efetivamente instalada, ou seja, quando as suas consequências são já visíveis. As causas das secas enquadram-se nas anomalias da circulação geral da atmosfera, a que correspondem flutuações do clima numa escala local ou regional, gerando condições meteorológicas desfavoráveis, com situações de nula ou fraca pluviosidade, durante períodos mais ou menos prolongados. As condições para que uma seca se instale estão também relacionadas com outros fatores como, por exemplo, o incorreto ordenamento do território, insuficientes infra estruturas de armazenamento de água, uma sobre utilização das reservas hídricas subterrâneas, uma gestão incorreta do consumo de água, e até a desflorestação incontrolada do território.
  • 5. Perda de culturas agrícolas ;  Morte do gado por falta de água e de pastagens ;  Falta de água para consumo humano e para as atividades domésticas ;  Diminuição da qualidade da água ;  Aumento e propagação mais fácil dos incêndios ;  Aumento da desertificação , uma vez que : - os solos vão ficando ressequidos e, por isso, são mais facilmente desgastados e arrastados ; - a vegetação vai desaparecendo.
  • 6. A duração de uma seca corresponde ao tempo que a variável selecionada para a caracterizar se encontra em défice relativamente a um nível de referência . Ou seja, corresponde ao intervalo de tempo em que os problemas de escassez de água são críticos para determinados fins. Assim, se em termos climatológicos a seca tiver início no semestre seco, em termos agrícolas, por exemplo, ela só é reconhecida se persistir no período crítico, determinado em função do tipo de cultura. Sob outra perspetiva, pode-se considerar como período crítico, por exemplo, a época turística de Verão para os sistemas de abastecimento das regiões de veraneio. Um sistema de recursos hídricos só recupera de uma situação de escassez de água quando uma fração do défice total é compensada por um excedente, estimado em relação ao nível de recuperação. Assim, complementar ao conceito de duração de uma seca é o conceito de resiliência, que traduz uma medida do tempo de recuperação de um sistema desde o seu colapso, durante a crise, até um estado aceitável de operacionalidade. Um exemplo pode ser o volume de armazenamento de uma albufeira, que se considera recuperado quando atinge o nível médio anual e não apenas quando ultrapassou o limiar da seca. A questão da duração de uma seca coloca-se pela severidade dos seus efeitos em caso de persistência. Os impactes acumulados resultantes de períodos cíclicos de seca afetam significativamente o tecido sócio económico da região, podendo promover a redução progressiva da produção de culturas, da indústria, de energia hidroelétrica e do próprio bem-estar das populações. Desde que existem registos meteorológicos em Portugal que não se observam mais de três
  • 7. www.prociv.pt  Livro de geografia – 7º ano
  • 8. FIM  Diana Dias nº 6 7ºE