SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 28
Archeopteryx:réptil intermediário que deu origem às aves.

Fósseis, Anatomia comparada, Embriologia comparada
•

É considerado fóssil qualquer indício da presença de organismos que viveram
em tempos remotos da Terra.

• Um fóssil animal forma-se quando as partes moles do corpo se decompõe, mas
seu esqueleto é substituído por minerais do solo (mineralização).
• Processo semelhante pode ocorrer com troncos de árvores são recobertos de lava,
e a sílica substitui a madeira.
• Representa a possibilidade de conhecermos organismos que viveram na Terra em
tempos remotos, sob condições ambientais distintas das encontradas atualmente,
e que podem fornecer indícios de parentesco com as espécies atuais. Por isso, os
fósseis são testemunhos da evolução.
 Permineralização:
Somente acontece
quando líquidos que
contém sílica ou calcita
sobem à superfície e
substituem os
componentes
orgânicos originais da
criatura ou planta que
ali morreu. O processo
leva o nome de
substituição ou
mineralização.

Trilobitas
 Molde: Quando o
organismo fossilizado
contém tecidos moles –
carne e músculos, por
exemplo -, o hidrogênio e o
oxigênio que compunham
essa estrutura em vida são
liberados, deixando para
trás apenas o carbono.
 Este forma uma película
negra na rocha que delineia
o contorno do organismo
original. Esse contorno
chama-se molde, e os
moldes de organismos
muito delgados, como
folhas, por exemplo, são
chamados de impressões
• Vestígios fósseis:
Quando pegadas,
rastros ou fezes
fossilizadas
(coprólitos) são assim
prensados e
preservados chamamse vestígios fósseis.
•

Pegadas de Laetoli - Tanzânia
• Âmbar fóssil
• Fornecem a possibilidade de se conhecer
organismos que viveram na Terra em
tempos remotos, sob condições
ambientais diferentes da atual.
• Mostra que muitos destes organismos tem
semelhanças com espécies recentes, o
que fornece indícios de parentesco
evolutivo
• À medida que o embrião se desenvolve, surgem
características individualizantes e as semelhanças
diminuem.
• Essa
semelhança
também
foi
verificada
no
desenvolvimento embrionário de todos animais.
Entretanto, quando mais diferentes são os organismos,
menor é o período embrionário comum entre eles.
• São aquelas que se assemelham pois derivam de
estruturas presentes em um mesmo grupo ancestral
comum, refletindo portanto parentesco evolutivo.
• As estruturas homólogas podem ou não desempenhar a
mesma função.
• Quando duas estruturas homólogas não desempenham
a mesma função fala-se em divergência evolutiva.
• São as que se assemelham simplesmente por
exercerem a mesma função e não são compartilhadas
por ancestrais comuns.
• São fruto da evolução convergente (convergência
evolutiva), que ocorre quando grupos não aparentados
de seres vivos assemelham-se em função da adaptação
a uma mesma condição ecológica.
• A divergência evolutiva pode originar grande variedade
de formas adaptativas que exploram de maneira
diversificada os recursos ou habitat.
• São aqueles reduzidos em tamanho e geralmente sem
função, que correspondem a órgãos maiores e
funcionais em outros organismos.

Coelhos e outros herbívoros com ceco
bem desenvolvido e no ser humano
reduzido
• As diversas técnicas de análise bioquímica tem revelado
grande semelhança molecular entre diversos
organismos.
• Ex: Proteínas são constituintes fundamentais de
qualquer organismo vivo e todas as formas de vida
atuais possuem proteínas formadas pelos mesmos 20
tipos de aa.

• Ex.2: Citocromo C
• 01) (UFV-JULHO/2007) Dentre as afirmativas seguintes,
assinale a que NÃO corresponde a uma evidência que apóie
a Teoria de Evolução das espécies:
a) Estudos de anatomia comparada mostram que as
semelhanças internas entre seres de espécies diferentes são
resultantes de irradiação adaptativa.
b) Os embriões dos vertebrados apresentam os mesmos
padrões básicos de desenvolvimento, decorrentes do
parentesco entre eles.
c) Os estudos envolvendo fósseis indicam que a vida na terra
sofreu alterações ao longo do tempo, além de permitirem
comparações com os seres vivos atuais.
d) Ao longo de sua vida, os seres vivos sofrem alterações de
seu material genético, em conseqüência das pressões seletivas
do ambiente em que vivem.
• 02)(UNIRIO) O citocromo C é uma proteína respiratória que
se encontra em todos os organismos aeróbios. A molécula
desta proteína existe em todas as espécies com a mesma
função, sendo constituída por 104 aminoácidos. No decurso
da evolução, as mutações mudaram os aminoácidos em
certas posições da proteína, mas o citocromo C de todas as
espécies tem proteína, incontestavelmente estrutura e função
semelhantes, tornando-se, para o evolucionismo, uma
evidência de ordem:
a) paleontológica.
b) embriológica.
c) citológica.
d) anatômica.
e) bioquímica.
03) (UFJF/2003) Em relação às evidências da evolução biológica, é correto
afirmar que:
a) um órgão vestigial, como o apêndice vermiforme no homem, não é
evidência da evolução, porque é uma estrutura atrofiada e sem função
aparente.
b) a pata dianteira de um cavalo e a asa de um morcego constituem evidência
da evolução, porque são estruturas homólogas, apesar de o cavalo ter
perdido os dedos, enquanto no morcego estes não só foram mantidos como
alongados.
c) a asa de uma ave e o élitro (asa dura) de um besouro podem ser
considerados como evidência da evolução, porque são estruturas análogas,
que possuem origem embriológica diferente.
d) os fósseis constituem uma evidência da evolução, porque mostram que os
organismos atuais são mais especializados e mais adaptados que os extintos.
e) a embriogênese é uma evidência da evolução, porque mostra que uma
célula ovo evolui para mórula, blástula, gástrula e embrião, que, finalmente,
evolui para o indivíduo

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

2 - Teorias evolucionistas
2 - Teorias evolucionistas2 - Teorias evolucionistas
2 - Teorias evolucionistas
Ana Castro
 
Ecologia - Introdução
Ecologia - IntroduçãoEcologia - Introdução
Ecologia - Introdução
Killer Max
 
Caracteristicas gerais dos seres vivos
Caracteristicas gerais dos seres vivosCaracteristicas gerais dos seres vivos
Caracteristicas gerais dos seres vivos
César Milani
 
Genética introdução
Genética introduçãoGenética introdução
Genética introdução
Dalu Barreto
 
Reino Fungi
Reino FungiReino Fungi
Reino Fungi
emanuel
 
Níveis de organização dos seres vivos
Níveis de organização dos seres vivosNíveis de organização dos seres vivos
Níveis de organização dos seres vivos
Fatima Comiotto
 

Mais procurados (20)

Reino plantae
Reino plantaeReino plantae
Reino plantae
 
2 - Teorias evolucionistas
2 - Teorias evolucionistas2 - Teorias evolucionistas
2 - Teorias evolucionistas
 
Evolução ( Lamarck e darwin)
Evolução ( Lamarck e darwin)Evolução ( Lamarck e darwin)
Evolução ( Lamarck e darwin)
 
Aula ecologia.
Aula ecologia.Aula ecologia.
Aula ecologia.
 
Ecologia - Introdução
Ecologia - IntroduçãoEcologia - Introdução
Ecologia - Introdução
 
Teorias de evolução
Teorias de evoluçãoTeorias de evolução
Teorias de evolução
 
Evolução
EvoluçãoEvolução
Evolução
 
Caracteristicas gerais dos seres vivos
Caracteristicas gerais dos seres vivosCaracteristicas gerais dos seres vivos
Caracteristicas gerais dos seres vivos
 
IV. 1 Formação de novas espécies
IV. 1 Formação de novas espéciesIV. 1 Formação de novas espécies
IV. 1 Formação de novas espécies
 
Biodiversidade
BiodiversidadeBiodiversidade
Biodiversidade
 
Reprodução Animal
Reprodução AnimalReprodução Animal
Reprodução Animal
 
Biomas Brasileiros
Biomas Brasileiros Biomas Brasileiros
Biomas Brasileiros
 
Genética introdução
Genética introduçãoGenética introdução
Genética introdução
 
Reino Fungi
Reino FungiReino Fungi
Reino Fungi
 
Níveis de organização dos seres vivos
Níveis de organização dos seres vivosNíveis de organização dos seres vivos
Níveis de organização dos seres vivos
 
A primeira lei de mendel
A primeira lei de mendelA primeira lei de mendel
A primeira lei de mendel
 
Especiação
EspeciaçãoEspeciação
Especiação
 
Reprodução sexuada e assexuada
Reprodução sexuada e assexuadaReprodução sexuada e assexuada
Reprodução sexuada e assexuada
 
Nomenclatura taxonomia
Nomenclatura taxonomiaNomenclatura taxonomia
Nomenclatura taxonomia
 
Orgãos análogos e homólogos
Orgãos análogos e homólogosOrgãos análogos e homólogos
Orgãos análogos e homólogos
 

Semelhante a Evidências da evolução

Cap 12 evidencias da evolucao
Cap 12 evidencias da evolucaoCap 12 evidencias da evolucao
Cap 12 evidencias da evolucao
Joao Balbi
 
Anatomia comparada
Anatomia comparadaAnatomia comparada
Anatomia comparada
João Félix
 
3 critérios de classificação 1
3   critérios de classificação 13   critérios de classificação 1
3 critérios de classificação 1
Pelo Siro
 

Semelhante a Evidências da evolução (20)

Introdução à evolução
Introdução à evoluçãoIntrodução à evolução
Introdução à evolução
 
Cap 12 evidencias da evolucao
Cap 12 evidencias da evolucaoCap 12 evidencias da evolucao
Cap 12 evidencias da evolucao
 
Evidenciasevo
EvidenciasevoEvidenciasevo
Evidenciasevo
 
04 evolução-evidências
04 evolução-evidências04 evolução-evidências
04 evolução-evidências
 
6ª semana
6ª semana6ª semana
6ª semana
 
Evolução
EvoluçãoEvolução
Evolução
 
Evidências da evolução 3 C
Evidências da evolução 3 CEvidências da evolução 3 C
Evidências da evolução 3 C
 
Evolucao
EvolucaoEvolucao
Evolucao
 
Anatomia comparada
Anatomia comparadaAnatomia comparada
Anatomia comparada
 
Teste 25 fev v1
Teste 25 fev v1Teste 25 fev v1
Teste 25 fev v1
 
Evolução humana 3 C
Evolução humana 3 CEvolução humana 3 C
Evolução humana 3 C
 
Classificação dos seres vovos
Classificação dos seres vovosClassificação dos seres vovos
Classificação dos seres vovos
 
Argumentos do Evolucionismo
Argumentos do EvolucionismoArgumentos do Evolucionismo
Argumentos do Evolucionismo
 
Evolução biológica resumos 1
Evolução biológica   resumos 1Evolução biológica   resumos 1
Evolução biológica resumos 1
 
Evolução
EvoluçãoEvolução
Evolução
 
Evolução (primeiros conceitos)
Evolução  (primeiros conceitos)Evolução  (primeiros conceitos)
Evolução (primeiros conceitos)
 
Evolução
EvoluçãoEvolução
Evolução
 
EVOLUÇÃO - II
EVOLUÇÃO - IIEVOLUÇÃO - II
EVOLUÇÃO - II
 
Umabordagemcontextualizada
UmabordagemcontextualizadaUmabordagemcontextualizada
Umabordagemcontextualizada
 
3 critérios de classificação 1
3   critérios de classificação 13   critérios de classificação 1
3 critérios de classificação 1
 

Mais de Kamila Joyce

Sistema digestório Peixes, repteis, anfíbios e aves
Sistema digestório Peixes, repteis, anfíbios e avesSistema digestório Peixes, repteis, anfíbios e aves
Sistema digestório Peixes, repteis, anfíbios e aves
Kamila Joyce
 
Teoria moderna da evolução
Teoria moderna da evoluçãoTeoria moderna da evolução
Teoria moderna da evolução
Kamila Joyce
 
Divisão do tempo geológico
Divisão do tempo geológicoDivisão do tempo geológico
Divisão do tempo geológico
Kamila Joyce
 
Conceito de espécie e especiação
Conceito de espécie e especiaçãoConceito de espécie e especiação
Conceito de espécie e especiação
Kamila Joyce
 
Bases genéticas da evolução
Bases genéticas da evoluçãoBases genéticas da evolução
Bases genéticas da evolução
Kamila Joyce
 

Mais de Kamila Joyce (20)

Sistema digestório Peixes, repteis, anfíbios e aves
Sistema digestório Peixes, repteis, anfíbios e avesSistema digestório Peixes, repteis, anfíbios e aves
Sistema digestório Peixes, repteis, anfíbios e aves
 
Mini-curso sobre sistema circulatório
Mini-curso sobre sistema circulatório Mini-curso sobre sistema circulatório
Mini-curso sobre sistema circulatório
 
Código de ética da radiologia
Código de ética da radiologiaCódigo de ética da radiologia
Código de ética da radiologia
 
O PROBLEMA DO SEDENTARISMO DA OBESIDADE E DOS TRANSTORNOS PSICOLÓGICOS OCASIO...
O PROBLEMA DO SEDENTARISMO DA OBESIDADE E DOS TRANSTORNOS PSICOLÓGICOS OCASIO...O PROBLEMA DO SEDENTARISMO DA OBESIDADE E DOS TRANSTORNOS PSICOLÓGICOS OCASIO...
O PROBLEMA DO SEDENTARISMO DA OBESIDADE E DOS TRANSTORNOS PSICOLÓGICOS OCASIO...
 
Peça sobre o Câncer do colo do útero e HPV
Peça sobre o Câncer do colo do útero e HPVPeça sobre o Câncer do colo do útero e HPV
Peça sobre o Câncer do colo do útero e HPV
 
Tecnologia radiológica e diagnóstico de imagem cap. 9
Tecnologia radiológica e diagnóstico de imagem cap. 9Tecnologia radiológica e diagnóstico de imagem cap. 9
Tecnologia radiológica e diagnóstico de imagem cap. 9
 
O trabalho ao longo da história
O trabalho ao longo da históriaO trabalho ao longo da história
O trabalho ao longo da história
 
Energia mecânica
Energia mecânicaEnergia mecânica
Energia mecânica
 
Reino Metaphyta
Reino MetaphytaReino Metaphyta
Reino Metaphyta
 
Revolução industrial e fazes do capitalismo
Revolução industrial e fazes do capitalismoRevolução industrial e fazes do capitalismo
Revolução industrial e fazes do capitalismo
 
Doenças vírais
Doenças víraisDoenças vírais
Doenças vírais
 
Fernando Henrique Cardoso
Fernando Henrique CardosoFernando Henrique Cardoso
Fernando Henrique Cardoso
 
Matrizes e Vetores para programação
Matrizes e Vetores para programaçãoMatrizes e Vetores para programação
Matrizes e Vetores para programação
 
Política e o Poder
Política e o PoderPolítica e o Poder
Política e o Poder
 
Mini curso redes sociais - IMD instituto Metrópole Digital
Mini curso redes sociais -  IMD instituto Metrópole DigitalMini curso redes sociais -  IMD instituto Metrópole Digital
Mini curso redes sociais - IMD instituto Metrópole Digital
 
Nicolau Maquiavel
Nicolau MaquiavelNicolau Maquiavel
Nicolau Maquiavel
 
Teoria moderna da evolução
Teoria moderna da evoluçãoTeoria moderna da evolução
Teoria moderna da evolução
 
Divisão do tempo geológico
Divisão do tempo geológicoDivisão do tempo geológico
Divisão do tempo geológico
 
Conceito de espécie e especiação
Conceito de espécie e especiaçãoConceito de espécie e especiação
Conceito de espécie e especiação
 
Bases genéticas da evolução
Bases genéticas da evoluçãoBases genéticas da evolução
Bases genéticas da evolução
 

Evidências da evolução

  • 1. Archeopteryx:réptil intermediário que deu origem às aves. Fósseis, Anatomia comparada, Embriologia comparada
  • 2. • É considerado fóssil qualquer indício da presença de organismos que viveram em tempos remotos da Terra. • Um fóssil animal forma-se quando as partes moles do corpo se decompõe, mas seu esqueleto é substituído por minerais do solo (mineralização). • Processo semelhante pode ocorrer com troncos de árvores são recobertos de lava, e a sílica substitui a madeira. • Representa a possibilidade de conhecermos organismos que viveram na Terra em tempos remotos, sob condições ambientais distintas das encontradas atualmente, e que podem fornecer indícios de parentesco com as espécies atuais. Por isso, os fósseis são testemunhos da evolução.
  • 3.  Permineralização: Somente acontece quando líquidos que contém sílica ou calcita sobem à superfície e substituem os componentes orgânicos originais da criatura ou planta que ali morreu. O processo leva o nome de substituição ou mineralização. Trilobitas
  • 4.  Molde: Quando o organismo fossilizado contém tecidos moles – carne e músculos, por exemplo -, o hidrogênio e o oxigênio que compunham essa estrutura em vida são liberados, deixando para trás apenas o carbono.  Este forma uma película negra na rocha que delineia o contorno do organismo original. Esse contorno chama-se molde, e os moldes de organismos muito delgados, como folhas, por exemplo, são chamados de impressões
  • 5.
  • 6. • Vestígios fósseis: Quando pegadas, rastros ou fezes fossilizadas (coprólitos) são assim prensados e preservados chamamse vestígios fósseis.
  • 9.
  • 10.
  • 11. • Fornecem a possibilidade de se conhecer organismos que viveram na Terra em tempos remotos, sob condições ambientais diferentes da atual. • Mostra que muitos destes organismos tem semelhanças com espécies recentes, o que fornece indícios de parentesco evolutivo
  • 12.
  • 13. • À medida que o embrião se desenvolve, surgem características individualizantes e as semelhanças diminuem. • Essa semelhança também foi verificada no desenvolvimento embrionário de todos animais. Entretanto, quando mais diferentes são os organismos, menor é o período embrionário comum entre eles.
  • 14.
  • 15.
  • 16.
  • 17. • São aquelas que se assemelham pois derivam de estruturas presentes em um mesmo grupo ancestral comum, refletindo portanto parentesco evolutivo. • As estruturas homólogas podem ou não desempenhar a mesma função. • Quando duas estruturas homólogas não desempenham a mesma função fala-se em divergência evolutiva.
  • 18.
  • 19. • São as que se assemelham simplesmente por exercerem a mesma função e não são compartilhadas por ancestrais comuns. • São fruto da evolução convergente (convergência evolutiva), que ocorre quando grupos não aparentados de seres vivos assemelham-se em função da adaptação a uma mesma condição ecológica.
  • 20.
  • 21. • A divergência evolutiva pode originar grande variedade de formas adaptativas que exploram de maneira diversificada os recursos ou habitat.
  • 22.
  • 23. • São aqueles reduzidos em tamanho e geralmente sem função, que correspondem a órgãos maiores e funcionais em outros organismos. Coelhos e outros herbívoros com ceco bem desenvolvido e no ser humano reduzido
  • 24.
  • 25. • As diversas técnicas de análise bioquímica tem revelado grande semelhança molecular entre diversos organismos. • Ex: Proteínas são constituintes fundamentais de qualquer organismo vivo e todas as formas de vida atuais possuem proteínas formadas pelos mesmos 20 tipos de aa. • Ex.2: Citocromo C
  • 26. • 01) (UFV-JULHO/2007) Dentre as afirmativas seguintes, assinale a que NÃO corresponde a uma evidência que apóie a Teoria de Evolução das espécies: a) Estudos de anatomia comparada mostram que as semelhanças internas entre seres de espécies diferentes são resultantes de irradiação adaptativa. b) Os embriões dos vertebrados apresentam os mesmos padrões básicos de desenvolvimento, decorrentes do parentesco entre eles. c) Os estudos envolvendo fósseis indicam que a vida na terra sofreu alterações ao longo do tempo, além de permitirem comparações com os seres vivos atuais. d) Ao longo de sua vida, os seres vivos sofrem alterações de seu material genético, em conseqüência das pressões seletivas do ambiente em que vivem.
  • 27. • 02)(UNIRIO) O citocromo C é uma proteína respiratória que se encontra em todos os organismos aeróbios. A molécula desta proteína existe em todas as espécies com a mesma função, sendo constituída por 104 aminoácidos. No decurso da evolução, as mutações mudaram os aminoácidos em certas posições da proteína, mas o citocromo C de todas as espécies tem proteína, incontestavelmente estrutura e função semelhantes, tornando-se, para o evolucionismo, uma evidência de ordem: a) paleontológica. b) embriológica. c) citológica. d) anatômica. e) bioquímica.
  • 28. 03) (UFJF/2003) Em relação às evidências da evolução biológica, é correto afirmar que: a) um órgão vestigial, como o apêndice vermiforme no homem, não é evidência da evolução, porque é uma estrutura atrofiada e sem função aparente. b) a pata dianteira de um cavalo e a asa de um morcego constituem evidência da evolução, porque são estruturas homólogas, apesar de o cavalo ter perdido os dedos, enquanto no morcego estes não só foram mantidos como alongados. c) a asa de uma ave e o élitro (asa dura) de um besouro podem ser considerados como evidência da evolução, porque são estruturas análogas, que possuem origem embriológica diferente. d) os fósseis constituem uma evidência da evolução, porque mostram que os organismos atuais são mais especializados e mais adaptados que os extintos. e) a embriogênese é uma evidência da evolução, porque mostra que uma célula ovo evolui para mórula, blástula, gástrula e embrião, que, finalmente, evolui para o indivíduo