SlideShare uma empresa Scribd logo
Alunos: Ezequias Guimarães
Lizandra Abreu
Lucas Barros
Professora: Moeme Máximo
TECTOSSILICATOS
BOA VISTA, RR.
1. Introdução...............................................................................................................................3
2. A Classe dos Tectossilicatos...................................................................................................4
3. Grupo da Sílica.......................................................................................................................5
4. Grupo dos Feldspatos...........................................................................................................12
4.1 Série dos Plagioclásios .......................................................................................14
4.2 Série do K-Feldspato ..........................................................................................16
5. Grupo dos Feldspatóides......................................................................................................13
6. Grupo Zeólitas.......................................................................................................................19
7. Grupo das Escapolitas ..........................................................................................................22
8. Conclusão...............................................................................................................................25
Referências..................................................................................................................................26
2
A grande maioria das rochas é formada por
silicatos devido a alta concentração de Si e O na
crosta terrestre, sendo raras as rochas magmáticas,
metamórficas e sedimentares que não possuem como
minerais essenciais, silicatos.
Assim sendo, é impossível classificar rochas
sem possuir uma boa base de mineralogia dos
silicatos. Os minerais da classe dos tectossilicatos são
os mais importantes entre os denominados minerais
formadores de rocha.
Os minerais dessa subdivisão dos silicatos é
constituída por tetraedros de SiO4 ligados
tridimensionalmente.
3
 TECTOSSILICATOS
GRUPO DA SÍLICA
GRUPO DOS FELDSPATOS
GRUPO DOS FELDSPATÓIDES
GRUPO DAS ESCAPOLITAS
SÉRIE DOS PLAGIOCLÁSIOS
SÉRIE DO FELDSPATO-K
SÉRIE DA ESCAPOLITA
GRUPO DAS ZEÓLITAS
4
 Reúne diversos polimorfos cristalinos (os denominados minerais de sílica);
 Muitas variedades criptocristalinas e ainda compostos amorfos;
 A coesita e a stishovita, são as variedades de pressão alta, respectivamente com densidades
relativas de 3,01 e 4,35, enquanto a densidade do quartzo é 2,60g/cm3.
 Minerais e mineralóides deste grupo se formam em ambientes geológicos e sob condições de
temperatura e pressão muito diversificados.
5
POLIMORFO DE ALTA
TEMPERATURA
CRISTALIZA COMO FORMA
ESTÁVEL. ACIMA DE 1 atm. P
INVERTE-SE À FORMA DE
BAIXA TEMPERATURA. 1 atm. P
Cristobalita de alta 1.470º 163-275º (?)
Tridimita de alta 870º 117-163º (?)
Quartzo de alta 573º 573º
Tabela 1. Temperaturas de inversão para transformações de alguns polimorfos, deslocamento do SiO2
 Cada átomo de silício se encontra ligado a 4
átomos de oxigênio.
6
A estrutura de cristal de quartzo pode ser visto aqui, com os círculos negros representam átomos de
silício e os círculos vermelhos que representam átomos de oxigênio.
Então porque SiO2 ao invés de SiO4?
7
Estrutura tetraédrica da Tridimita de alta temperatura. Estrutura tetraédrica da Cristobalita de alta temperatura.
Quartzo (SiO2) – Trigonal
Tridimita (SiO2) - Ortorrômbico
Cristobalita (SiO2) – Tetragonal (?), pseudo-isométrica
8
9
Quartzo Citrino (SiO2) – Trigonal
Ametista (SiO2) – Trigonal
Quartzo Rosa (SiO2) – Trigonal
10Ágata (SiO2) – Criptocristalino.
Crisoprásio (SiO2) – Criptocristalino.
Cornalina (SiO2) – Criptocristalino.
Ônix (SiO2) – Criptocristalino.
11
Jaspe (SiO2) – Criptocristalino. Prásio (SiO2) – Criptocristalino.
 Fórmula química geral: MT4O8;
 Entre 1/3 e ½ das localizações tetraédricas contém alumínio;
 Principal base de classificação das rochas ígneas, estando
ausente apenas em algumas rochas ultramáficas e em
raríssimas alcalinas e metamórficas;
 Sistema monoclínico ou triclínico;
 Possuem isomorfos de alta e baixa temperatura;
 Utilizados principalmente na indústria da cerâmica.
12
Feldspato
60%
Quartzo
12%
Piroxênios
e
Anfibólios
17%
Micas
4%
Outros
7%
MINERAIS FORMADORES
DE ROCHAS
13Celsiana (BaAl2Si2O8 ) – Monoclínico
Anortoclásio ((Na,K)AlSi3O8 ) – Monoclínico
Hialofono ((Ba,K,Na)Al2Si2O8) – Monoclínico
 Feldspato com Na e Ca;
 Formula Geral: Na1xCax Al (Si3xAlx)O8
 Se aumentar a temperatura pode entrar alguma
molécula de Ca, Sr ou Ba no lugar dos metais
alcalinos e substituição de um átomo de Si por
Al;
 Comum em rochas ígneas, metamórficas e
pouco sedimentares.
1:32:2
1:1
14
Albita (Na1-0,9,Ca0-0,1)Al(Al0-0,1,Si1-0,9)Si2O8– Triclínico Oligoclásio (Ca,Na)Al (Al,Si)Si2O8 – Triclínico Andesina (Na0,7-0,5,Ca0,3-0,5)Al(Al0,3-0,5,Si0,7-0,5)Si2O8– Triclínico
Labradorita (Na0,5-0,3,Ca0,5-0,7)Al(Al0,5-0,7,Si0,5-0,3)Si2O8– Triclínico
Bytownita (Na0,3-0,1,Ca0,7-0,9)Al(Al0,7-0,9,Si0,3-0,1)Si2O8 – Triclínico
Anortita (Na0,1-0,Ca0,9-1)Al(Al0,9-1,Si0,1-0)Si2O8 – Triclínico
15
16
Sanidina (KAlSi3O8) – Monoclínico
Microclíneo (KAlSi3O8) – Triclíneo
Adulária (KALSi3O8) – MonoclínicoMicroclíneo (KAlSi3O8) – Triclíneo
Microclíneo (KAlSi3O8) – Triclíneo
 São alumossilicatos de K, Na e Ca
que se cristalizam em lugar dos
feldspatos em magmas ricos em
álcalis e deficientes em sílica (SiO2);
 As estruturas dos feldspatóides são
também mais abertas, com cavidades
em geral maiores entre as unidades
tetraédricas fundamentais [(Si,Al)O4];
 Diferentes sistemas cristalinos.
75%
25%
FELDSPATOS
ALCALINOS
Sílica
Metais
Alcalinos
50%50%
FELDSPATÓIDES
Sílica
Metais
Alcalinos
17
18Lazurita (Na,Ca)8(Al,Si)12O24(S,SO2) - Isométrica
Sodalita - Na4(SiAlO4)3Cl - Isométrica
Noseana - Na8Al6Si6O24SO4 - Isométrica
Leucita - KAlSi2O6 - Tetragonal Nefelita - NaAlSi2O6 – Hexagonal
Petalita – LiAlSi4O10 - Monoclínico
 Fórmula Geral: (Na2,K2,Ca,Ba)[(Al,Si)O2 ]nxH2O;
 Incluem diversos grupos minerais constituídos por aluminossilicatos hidratados;
 Cerca de quatro dezenas de zeólitas de ocorrência natural, reunidas em diversos grupos;
 Ocorrem em ambientes de baixa temperatura e pressão;
 São minerais presentes em alguns depósitos sedimentares espessos, particularmente aqueles
com contribuição vulcanoclástica significativa, formados em ambientes subaquáticos e em
algumas rochas metamórficas de baixo grau.
 As espécies são formadas por cadeias de anéis tetraédricos de SiO4 e AlO4, ligadas pelos
cátions intersticiais (Na, Ca, K, Ba, Sr) originando uma estrutura aberta, com grandes canais,
nos quais a água e outras moléculas podem se alojar.
19
20
Cristais de estilbita (Na2,Ca,K2Al2Si7O18.7H2O) - Monoclínico
Mesolita (Ca2Na2Al6Si9O30.8H2O) - Monoclínico
Phillipsita (K2,Na2,Ca)Al2Si4O12.4,5H2O) - Monoclínico
Natrolita (K2,Na2,Ca)Al2Si4O12.4,5H2O) –
Monoclínico
21
 Na+ + Si4+ substitui Ca2+ + Al3 (Como a série dos plagioclásios);
 Na+ + Cl- substitui Ca2+ + Co3
2-.SO4
2-
 OH- substitui CO3
2–
 OH- substitui Cl-
 Encontrados em rochas metamórficos de contato e regional;
 Encontrados em xistos cristalinos, nos gnaisses, nos anfibólios ou derivada dos
feldspatos plagioclásios;
 Uso apenas como gema.
22
23
Na visão da esquerda, azul tetraedros consistem de silício
ou de alumínio rodeado por oxigênios. esferas amarelas
representam sódio ou cálcio, roxo representa ânions
Na vista lateral à esquerda, vemos como os ions de
metais alcalinos estão contidos em pequenas gaiolas
tetraédricos e radicais ânions grandes nas grandes
aberturas. Aqui, o tamanho variável dos ions representa a
distância a partir do plano do diagrama.
Marianita ((Na,Ca,K)4Al3(Al,Si)3Si6O24(Cl,CO3,SO4,OH)) - Tetragonal
Meionita ((Na,Ca,K)4Al3(Al,Si)3Si6O24(Cl,CO3,SO4,OH)) - Tetragonal
Wernerita ((Na,Ca,K)4Al3(Al,Si)3Si6O24(Cl,CO3,SO4,OH)) - Tetragonal
24
Compreender as classes de minerais é de suma importância para o
entendimento do contesto geológico de formação das rochas, principalmente a classe
dos silicatos, e suas subclasses.
A classe dos minerais tectossilicatos é importância para inúmeras atividades
industriais essências para a vida humana. Essa importância é principalmente devido ao
fato de ser a classe de maior presença na crosta terrestre.
25
 Baseado no artigo publicado em Cadernos Didáticos da USP, do Professor Doutor Silvio Roberto Farias Vlach - Departamento de
Mineralogia e Geotectônica, Universidade de São Paulo
 KLEIN, C.; HURLBUT JR., C. S. (1993) Manual of mineralogy. 21. ed. New York, John Wiley. 681 p.
 MACHADO, F.B.; MOREIRA, C.A.; ZANARDO, A; ANDRE, A.C.;GODOY, A.M.; FERREIRA, J. A.; GALEMBECK, T.; NARDY, A.J.R.;
ARTUR, A.C.; OLIVEIRA, M.A.F.de. Enciclopédia Multimídia de Minerais. [on-line].ISBN: 85-89082-11-3 Disponível na Internet via
WWW. URL: http://www.rc.unesp.br/museudpm. Arquivo capturado em 25 de fevereiro de 2016.
 Dana’s Mineral And How Study Them. 4ª Edição,. Cornelis S. Hulbert Jr. W. Edwin Sharp. New Yokr. John Wiley & Sons.
 Geologia Geral. 6ª Edição. José Henrique Popp. LTC. Rio de Janeiro. 2010.
 Minerais Comuns e de Importância Econômica. Oficina do Texto. Sebastião de Oliveira Menezes. 22ª Edição. São Paulo. 2012.
 Introduction to Mineralogy. William D. Nesse. New York. 2000. Oxford University Press. 1ª Edição.
 Manual of Mineral Science. Cornels Klein & Barbara Dutrow. 23ª Edição. 2008. Couriers Companies. USA.
 Minerais Constituintes das Rochas. W. A. Deer, R. A. Howie, J. Zuisman. Fundação Calouste Gulbenkian. 2ª Edição. Coimbra. 1992.
 https://www.uwgb.edu/dutchs/Petrology/ScapoliteStructure.HTM, acesso em 03/03/2016
 http://abetterchemtext.com/Condensed/quartz.htm, acesso em 03/03/2016
26

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Minerais e rochas
Minerais e rochasMinerais e rochas
Minerais e rochas
karolpoa
 
Manual de Mineralogia I
Manual de Mineralogia IManual de Mineralogia I
Manual de Mineralogia I
Gabriela Leal
 
47029772 relatorio-de-quimica-analitica-analise-gravimetrica
47029772 relatorio-de-quimica-analitica-analise-gravimetrica47029772 relatorio-de-quimica-analitica-analise-gravimetrica
47029772 relatorio-de-quimica-analitica-analise-gravimetrica
aifa230600
 
Geologia estrutural lineações em rocha
Geologia estrutural   lineações em rochaGeologia estrutural   lineações em rocha
Geologia estrutural lineações em rocha
marciotecsoma
 
Apresentação mineralogia
Apresentação mineralogiaApresentação mineralogia
Apresentação mineralogia
Leonardo De Miranda
 
Rochas metamorficas
Rochas metamorficasRochas metamorficas
Rochas metamorficas
professoraIsabel
 
Identificando as rochas aula 1
Identificando as rochas   aula 1Identificando as rochas   aula 1
Identificando as rochas aula 1
Marcus Corradini
 
Prova classificação de rochas e minerais
Prova classificação de rochas e mineraisProva classificação de rochas e minerais
Prova classificação de rochas e minerais
Camila Brito
 
Aula minerais
Aula mineraisAula minerais
Aula minerais
Carolina Corrêa
 
Introducão à mineralogia e a petrografia
Introducão à mineralogia e a petrografiaIntroducão à mineralogia e a petrografia
Introducão à mineralogia e a petrografia
Wendell Fabrício
 
2 minerais
2  minerais2  minerais
2 minerais
margaridabt
 
Tipos de rochas sedimentares
Tipos de rochas sedimentaresTipos de rochas sedimentares
Tipos de rochas sedimentares
Géssica Santos
 
RELATÓRIO DA DISCIPLINA DE ESTÁGIO DE CAMPO I
RELATÓRIO DA DISCIPLINA DE ESTÁGIO DE CAMPO IRELATÓRIO DA DISCIPLINA DE ESTÁGIO DE CAMPO I
RELATÓRIO DA DISCIPLINA DE ESTÁGIO DE CAMPO I
Ezequias Guimaraes
 
GEOLOGIA ESTRUTURAL- AULA 1
GEOLOGIA ESTRUTURAL- AULA 1GEOLOGIA ESTRUTURAL- AULA 1
GEOLOGIA ESTRUTURAL- AULA 1
Camila Brito
 
Separação magnética e eletrostatica
Separação magnética e eletrostaticaSeparação magnética e eletrostatica
Separação magnética e eletrostatica
Rogério Papa
 
ciclo rochoso e rochas igneas
ciclo rochoso e rochas igneas ciclo rochoso e rochas igneas
ciclo rochoso e rochas igneas
Nice Maia
 
ORIGENS E AMBIENTES TECTÔNICOS DE GRANITOS TIPO A
ORIGENS E AMBIENTES TECTÔNICOS DE GRANITOS TIPO AORIGENS E AMBIENTES TECTÔNICOS DE GRANITOS TIPO A
ORIGENS E AMBIENTES TECTÔNICOS DE GRANITOS TIPO A
Astrid Siachoque
 
Aula t3 silicatos
Aula t3 silicatosAula t3 silicatos
Aula t3 silicatos
mirolisilva
 
Aula 3 cristalografia
Aula 3   cristalografiaAula 3   cristalografia
Aula 3 cristalografia
João Nascimento
 
RELATÓRIO DE CAMPO - GEOLOGIA
RELATÓRIO DE CAMPO - GEOLOGIARELATÓRIO DE CAMPO - GEOLOGIA
RELATÓRIO DE CAMPO - GEOLOGIA
Ezequias Guimaraes
 

Mais procurados (20)

Minerais e rochas
Minerais e rochasMinerais e rochas
Minerais e rochas
 
Manual de Mineralogia I
Manual de Mineralogia IManual de Mineralogia I
Manual de Mineralogia I
 
47029772 relatorio-de-quimica-analitica-analise-gravimetrica
47029772 relatorio-de-quimica-analitica-analise-gravimetrica47029772 relatorio-de-quimica-analitica-analise-gravimetrica
47029772 relatorio-de-quimica-analitica-analise-gravimetrica
 
Geologia estrutural lineações em rocha
Geologia estrutural   lineações em rochaGeologia estrutural   lineações em rocha
Geologia estrutural lineações em rocha
 
Apresentação mineralogia
Apresentação mineralogiaApresentação mineralogia
Apresentação mineralogia
 
Rochas metamorficas
Rochas metamorficasRochas metamorficas
Rochas metamorficas
 
Identificando as rochas aula 1
Identificando as rochas   aula 1Identificando as rochas   aula 1
Identificando as rochas aula 1
 
Prova classificação de rochas e minerais
Prova classificação de rochas e mineraisProva classificação de rochas e minerais
Prova classificação de rochas e minerais
 
Aula minerais
Aula mineraisAula minerais
Aula minerais
 
Introducão à mineralogia e a petrografia
Introducão à mineralogia e a petrografiaIntroducão à mineralogia e a petrografia
Introducão à mineralogia e a petrografia
 
2 minerais
2  minerais2  minerais
2 minerais
 
Tipos de rochas sedimentares
Tipos de rochas sedimentaresTipos de rochas sedimentares
Tipos de rochas sedimentares
 
RELATÓRIO DA DISCIPLINA DE ESTÁGIO DE CAMPO I
RELATÓRIO DA DISCIPLINA DE ESTÁGIO DE CAMPO IRELATÓRIO DA DISCIPLINA DE ESTÁGIO DE CAMPO I
RELATÓRIO DA DISCIPLINA DE ESTÁGIO DE CAMPO I
 
GEOLOGIA ESTRUTURAL- AULA 1
GEOLOGIA ESTRUTURAL- AULA 1GEOLOGIA ESTRUTURAL- AULA 1
GEOLOGIA ESTRUTURAL- AULA 1
 
Separação magnética e eletrostatica
Separação magnética e eletrostaticaSeparação magnética e eletrostatica
Separação magnética e eletrostatica
 
ciclo rochoso e rochas igneas
ciclo rochoso e rochas igneas ciclo rochoso e rochas igneas
ciclo rochoso e rochas igneas
 
ORIGENS E AMBIENTES TECTÔNICOS DE GRANITOS TIPO A
ORIGENS E AMBIENTES TECTÔNICOS DE GRANITOS TIPO AORIGENS E AMBIENTES TECTÔNICOS DE GRANITOS TIPO A
ORIGENS E AMBIENTES TECTÔNICOS DE GRANITOS TIPO A
 
Aula t3 silicatos
Aula t3 silicatosAula t3 silicatos
Aula t3 silicatos
 
Aula 3 cristalografia
Aula 3   cristalografiaAula 3   cristalografia
Aula 3 cristalografia
 
RELATÓRIO DE CAMPO - GEOLOGIA
RELATÓRIO DE CAMPO - GEOLOGIARELATÓRIO DE CAMPO - GEOLOGIA
RELATÓRIO DE CAMPO - GEOLOGIA
 

Semelhante a Tectossilicatos

03 - silicatos e gemologia.pdf
03 - silicatos e gemologia.pdf03 - silicatos e gemologia.pdf
03 - silicatos e gemologia.pdf
JernimoLoureno1
 
03 - silicatos e gemologia.pdf
03 - silicatos e gemologia.pdf03 - silicatos e gemologia.pdf
03 - silicatos e gemologia.pdf
JernimoLoureno1
 
Minerais: Constituintes básicos das rochas
Minerais: Constituintes básicos das rochasMinerais: Constituintes básicos das rochas
Minerais: Constituintes básicos das rochas
Priscila Gomes
 
Gemologia - Classificação de Minerais e Rochas
Gemologia - Classificação de Minerais e RochasGemologia - Classificação de Minerais e Rochas
Gemologia - Classificação de Minerais e Rochas
Francisco Caetano Caetanodf
 
Peneiras Moleculares: O que são e para que servem?
Peneiras Moleculares: O que são e para que servem?Peneiras Moleculares: O que são e para que servem?
Peneiras Moleculares: O que são e para que servem?
Eliezer Ladeia Gomes
 
Metais e ligas metálicas
Metais e ligas metálicasMetais e ligas metálicas
Metais e ligas metálicas
Iva Monteiro
 
Quimica Inorganica - Estudo dos metais alcalinos e alcalinos-terrosos
Quimica Inorganica - Estudo dos metais alcalinos e alcalinos-terrososQuimica Inorganica - Estudo dos metais alcalinos e alcalinos-terrosos
Quimica Inorganica - Estudo dos metais alcalinos e alcalinos-terrosos
Lucas Valente
 
Meteoritos
MeteoritosMeteoritos
Meteoritos
Fernando Martins
 
Teoria DLVO estendida
Teoria DLVO estendidaTeoria DLVO estendida
Teoria DLVO estendida
Gilmara Lopes
 
O Petróleo e o Mundo, 26.08.2014
O Petróleo e o Mundo, 26.08.2014O Petróleo e o Mundo, 26.08.2014
O Petróleo e o Mundo, 26.08.2014
Lincoln Weinhardt
 
MINERAIS DO SOLO - MATÉRIA DESCRITORA DOS MINERAIS
MINERAIS DO SOLO - MATÉRIA DESCRITORA DOS MINERAISMINERAIS DO SOLO - MATÉRIA DESCRITORA DOS MINERAIS
MINERAIS DO SOLO - MATÉRIA DESCRITORA DOS MINERAIS
Matheus679743
 
63 Rochas magmáticas.pptx
63 Rochas magmáticas.pptx63 Rochas magmáticas.pptx
63 Rochas magmáticas.pptx
Isaura Mourão
 
Substâncias presentes na litosfera
Substâncias presentes na litosferaSubstâncias presentes na litosfera
Substâncias presentes na litosfera
Glaucia Perez
 
Quimica mineral nova versão para apresentaçaõ ao 11º congresso
Quimica mineral nova versão para apresentaçaõ ao 11º congressoQuimica mineral nova versão para apresentaçaõ ao 11º congresso
Quimica mineral nova versão para apresentaçaõ ao 11º congresso
ceaduan01
 
EXame-BioGeo702-Epoca Especial -2015.pdf
EXame-BioGeo702-Epoca Especial -2015.pdfEXame-BioGeo702-Epoca Especial -2015.pdf
EXame-BioGeo702-Epoca Especial -2015.pdf
RitaGoulartS
 
Os minerais
Os mineraisOs minerais
Silício
SilícioSilício
Silício
Gil Portela
 
Os Minerais
Os MineraisOs Minerais
Os Minerais
Catir
 
Quartzo cetem
Quartzo  cetemQuartzo  cetem
Os Minerais
Os MineraisOs Minerais
Os Minerais
Sérgio Luiz
 

Semelhante a Tectossilicatos (20)

03 - silicatos e gemologia.pdf
03 - silicatos e gemologia.pdf03 - silicatos e gemologia.pdf
03 - silicatos e gemologia.pdf
 
03 - silicatos e gemologia.pdf
03 - silicatos e gemologia.pdf03 - silicatos e gemologia.pdf
03 - silicatos e gemologia.pdf
 
Minerais: Constituintes básicos das rochas
Minerais: Constituintes básicos das rochasMinerais: Constituintes básicos das rochas
Minerais: Constituintes básicos das rochas
 
Gemologia - Classificação de Minerais e Rochas
Gemologia - Classificação de Minerais e RochasGemologia - Classificação de Minerais e Rochas
Gemologia - Classificação de Minerais e Rochas
 
Peneiras Moleculares: O que são e para que servem?
Peneiras Moleculares: O que são e para que servem?Peneiras Moleculares: O que são e para que servem?
Peneiras Moleculares: O que são e para que servem?
 
Metais e ligas metálicas
Metais e ligas metálicasMetais e ligas metálicas
Metais e ligas metálicas
 
Quimica Inorganica - Estudo dos metais alcalinos e alcalinos-terrosos
Quimica Inorganica - Estudo dos metais alcalinos e alcalinos-terrososQuimica Inorganica - Estudo dos metais alcalinos e alcalinos-terrosos
Quimica Inorganica - Estudo dos metais alcalinos e alcalinos-terrosos
 
Meteoritos
MeteoritosMeteoritos
Meteoritos
 
Teoria DLVO estendida
Teoria DLVO estendidaTeoria DLVO estendida
Teoria DLVO estendida
 
O Petróleo e o Mundo, 26.08.2014
O Petróleo e o Mundo, 26.08.2014O Petróleo e o Mundo, 26.08.2014
O Petróleo e o Mundo, 26.08.2014
 
MINERAIS DO SOLO - MATÉRIA DESCRITORA DOS MINERAIS
MINERAIS DO SOLO - MATÉRIA DESCRITORA DOS MINERAISMINERAIS DO SOLO - MATÉRIA DESCRITORA DOS MINERAIS
MINERAIS DO SOLO - MATÉRIA DESCRITORA DOS MINERAIS
 
63 Rochas magmáticas.pptx
63 Rochas magmáticas.pptx63 Rochas magmáticas.pptx
63 Rochas magmáticas.pptx
 
Substâncias presentes na litosfera
Substâncias presentes na litosferaSubstâncias presentes na litosfera
Substâncias presentes na litosfera
 
Quimica mineral nova versão para apresentaçaõ ao 11º congresso
Quimica mineral nova versão para apresentaçaõ ao 11º congressoQuimica mineral nova versão para apresentaçaõ ao 11º congresso
Quimica mineral nova versão para apresentaçaõ ao 11º congresso
 
EXame-BioGeo702-Epoca Especial -2015.pdf
EXame-BioGeo702-Epoca Especial -2015.pdfEXame-BioGeo702-Epoca Especial -2015.pdf
EXame-BioGeo702-Epoca Especial -2015.pdf
 
Os minerais
Os mineraisOs minerais
Os minerais
 
Silício
SilícioSilício
Silício
 
Os Minerais
Os MineraisOs Minerais
Os Minerais
 
Quartzo cetem
Quartzo  cetemQuartzo  cetem
Quartzo cetem
 
Os Minerais
Os MineraisOs Minerais
Os Minerais
 

Mais de Ezequias Guimaraes

VULNERABILIDADE NATURAL À CONTAMINAÇÃO DOS AQUÍFEROS DA SUB-BACIA DO RIO SIRI...
VULNERABILIDADE NATURAL À CONTAMINAÇÃO DOS AQUÍFEROS DA SUB-BACIA DO RIO SIRI...VULNERABILIDADE NATURAL À CONTAMINAÇÃO DOS AQUÍFEROS DA SUB-BACIA DO RIO SIRI...
VULNERABILIDADE NATURAL À CONTAMINAÇÃO DOS AQUÍFEROS DA SUB-BACIA DO RIO SIRI...
Ezequias Guimaraes
 
MAPEAMENTO DE AQUÍFEROS NA CIDADE DE MANAUS
MAPEAMENTO DE AQUÍFEROS NA CIDADE DE MANAUSMAPEAMENTO DE AQUÍFEROS NA CIDADE DE MANAUS
MAPEAMENTO DE AQUÍFEROS NA CIDADE DE MANAUS
Ezequias Guimaraes
 
Geologia de Roraima
Geologia de RoraimaGeologia de Roraima
Geologia de Roraima
Ezequias Guimaraes
 
Geologia de Roraima - Bacia do Tacutu
Geologia de Roraima - Bacia do TacutuGeologia de Roraima - Bacia do Tacutu
Geologia de Roraima - Bacia do Tacutu
Ezequias Guimaraes
 
Interface homem-maquina
Interface  homem-maquinaInterface  homem-maquina
Interface homem-maquina
Ezequias Guimaraes
 
A Eletricidade e suas Aplicações - Termoelétricas
A Eletricidade e suas Aplicações - TermoelétricasA Eletricidade e suas Aplicações - Termoelétricas
A Eletricidade e suas Aplicações - Termoelétricas
Ezequias Guimaraes
 
TV Series to improve your English
TV Series to improve your EnglishTV Series to improve your English
TV Series to improve your English
Ezequias Guimaraes
 
Movie and Book - The Color Purple
Movie and Book - The Color PurpleMovie and Book - The Color Purple
Movie and Book - The Color Purple
Ezequias Guimaraes
 
Political system of the USA
Political system of the USAPolitical system of the USA
Political system of the USA
Ezequias Guimaraes
 
TV Series Outlander
TV Series OutlanderTV Series Outlander
TV Series Outlander
Ezequias Guimaraes
 
Proyecto para extracción de crudo
Proyecto para extracción de crudoProyecto para extracción de crudo
Proyecto para extracción de crudo
Ezequias Guimaraes
 
BOOK - THE FOUR AGREEMENTS
BOOK - THE FOUR AGREEMENTS BOOK - THE FOUR AGREEMENTS
BOOK - THE FOUR AGREEMENTS
Ezequias Guimaraes
 
PLAN DE NEGOCIO - PLATAFORMA PETROLERA
PLAN DE NEGOCIO - PLATAFORMA PETROLERAPLAN DE NEGOCIO - PLATAFORMA PETROLERA
PLAN DE NEGOCIO - PLATAFORMA PETROLERA
Ezequias Guimaraes
 
PROYECTO DE UNA PLATAFORMA PETROLERA
PROYECTO DE UNA PLATAFORMA PETROLERA PROYECTO DE UNA PLATAFORMA PETROLERA
PROYECTO DE UNA PLATAFORMA PETROLERA
Ezequias Guimaraes
 
PLAN MUNICIPAL DE DESARROLLO CELAYA 2012-2037
PLAN MUNICIPAL DE DESARROLLO CELAYA 2012-2037PLAN MUNICIPAL DE DESARROLLO CELAYA 2012-2037
PLAN MUNICIPAL DE DESARROLLO CELAYA 2012-2037
Ezequias Guimaraes
 
METODO DE REDES - IMPACTO FINAL
METODO DE REDES - IMPACTO FINALMETODO DE REDES - IMPACTO FINAL
METODO DE REDES - IMPACTO FINAL
Ezequias Guimaraes
 
CONTAMINANTES DEL SUELO - METALES PESADOS
CONTAMINANTES DEL SUELO - METALES PESADOSCONTAMINANTES DEL SUELO - METALES PESADOS
CONTAMINANTES DEL SUELO - METALES PESADOS
Ezequias Guimaraes
 
LICENCIA DE FUNCIONAMIENTO
LICENCIA DE FUNCIONAMIENTOLICENCIA DE FUNCIONAMIENTO
LICENCIA DE FUNCIONAMIENTO
Ezequias Guimaraes
 
Vertederos Trapezoidales
Vertederos TrapezoidalesVertederos Trapezoidales
Vertederos Trapezoidales
Ezequias Guimaraes
 
Fundamentos de aguas residuales - ABSORCIÓN
Fundamentos de aguas residuales - ABSORCIÓNFundamentos de aguas residuales - ABSORCIÓN
Fundamentos de aguas residuales - ABSORCIÓN
Ezequias Guimaraes
 

Mais de Ezequias Guimaraes (20)

VULNERABILIDADE NATURAL À CONTAMINAÇÃO DOS AQUÍFEROS DA SUB-BACIA DO RIO SIRI...
VULNERABILIDADE NATURAL À CONTAMINAÇÃO DOS AQUÍFEROS DA SUB-BACIA DO RIO SIRI...VULNERABILIDADE NATURAL À CONTAMINAÇÃO DOS AQUÍFEROS DA SUB-BACIA DO RIO SIRI...
VULNERABILIDADE NATURAL À CONTAMINAÇÃO DOS AQUÍFEROS DA SUB-BACIA DO RIO SIRI...
 
MAPEAMENTO DE AQUÍFEROS NA CIDADE DE MANAUS
MAPEAMENTO DE AQUÍFEROS NA CIDADE DE MANAUSMAPEAMENTO DE AQUÍFEROS NA CIDADE DE MANAUS
MAPEAMENTO DE AQUÍFEROS NA CIDADE DE MANAUS
 
Geologia de Roraima
Geologia de RoraimaGeologia de Roraima
Geologia de Roraima
 
Geologia de Roraima - Bacia do Tacutu
Geologia de Roraima - Bacia do TacutuGeologia de Roraima - Bacia do Tacutu
Geologia de Roraima - Bacia do Tacutu
 
Interface homem-maquina
Interface  homem-maquinaInterface  homem-maquina
Interface homem-maquina
 
A Eletricidade e suas Aplicações - Termoelétricas
A Eletricidade e suas Aplicações - TermoelétricasA Eletricidade e suas Aplicações - Termoelétricas
A Eletricidade e suas Aplicações - Termoelétricas
 
TV Series to improve your English
TV Series to improve your EnglishTV Series to improve your English
TV Series to improve your English
 
Movie and Book - The Color Purple
Movie and Book - The Color PurpleMovie and Book - The Color Purple
Movie and Book - The Color Purple
 
Political system of the USA
Political system of the USAPolitical system of the USA
Political system of the USA
 
TV Series Outlander
TV Series OutlanderTV Series Outlander
TV Series Outlander
 
Proyecto para extracción de crudo
Proyecto para extracción de crudoProyecto para extracción de crudo
Proyecto para extracción de crudo
 
BOOK - THE FOUR AGREEMENTS
BOOK - THE FOUR AGREEMENTS BOOK - THE FOUR AGREEMENTS
BOOK - THE FOUR AGREEMENTS
 
PLAN DE NEGOCIO - PLATAFORMA PETROLERA
PLAN DE NEGOCIO - PLATAFORMA PETROLERAPLAN DE NEGOCIO - PLATAFORMA PETROLERA
PLAN DE NEGOCIO - PLATAFORMA PETROLERA
 
PROYECTO DE UNA PLATAFORMA PETROLERA
PROYECTO DE UNA PLATAFORMA PETROLERA PROYECTO DE UNA PLATAFORMA PETROLERA
PROYECTO DE UNA PLATAFORMA PETROLERA
 
PLAN MUNICIPAL DE DESARROLLO CELAYA 2012-2037
PLAN MUNICIPAL DE DESARROLLO CELAYA 2012-2037PLAN MUNICIPAL DE DESARROLLO CELAYA 2012-2037
PLAN MUNICIPAL DE DESARROLLO CELAYA 2012-2037
 
METODO DE REDES - IMPACTO FINAL
METODO DE REDES - IMPACTO FINALMETODO DE REDES - IMPACTO FINAL
METODO DE REDES - IMPACTO FINAL
 
CONTAMINANTES DEL SUELO - METALES PESADOS
CONTAMINANTES DEL SUELO - METALES PESADOSCONTAMINANTES DEL SUELO - METALES PESADOS
CONTAMINANTES DEL SUELO - METALES PESADOS
 
LICENCIA DE FUNCIONAMIENTO
LICENCIA DE FUNCIONAMIENTOLICENCIA DE FUNCIONAMIENTO
LICENCIA DE FUNCIONAMIENTO
 
Vertederos Trapezoidales
Vertederos TrapezoidalesVertederos Trapezoidales
Vertederos Trapezoidales
 
Fundamentos de aguas residuales - ABSORCIÓN
Fundamentos de aguas residuales - ABSORCIÓNFundamentos de aguas residuales - ABSORCIÓN
Fundamentos de aguas residuales - ABSORCIÓN
 

Tectossilicatos

  • 1. Alunos: Ezequias Guimarães Lizandra Abreu Lucas Barros Professora: Moeme Máximo TECTOSSILICATOS BOA VISTA, RR.
  • 2. 1. Introdução...............................................................................................................................3 2. A Classe dos Tectossilicatos...................................................................................................4 3. Grupo da Sílica.......................................................................................................................5 4. Grupo dos Feldspatos...........................................................................................................12 4.1 Série dos Plagioclásios .......................................................................................14 4.2 Série do K-Feldspato ..........................................................................................16 5. Grupo dos Feldspatóides......................................................................................................13 6. Grupo Zeólitas.......................................................................................................................19 7. Grupo das Escapolitas ..........................................................................................................22 8. Conclusão...............................................................................................................................25 Referências..................................................................................................................................26 2
  • 3. A grande maioria das rochas é formada por silicatos devido a alta concentração de Si e O na crosta terrestre, sendo raras as rochas magmáticas, metamórficas e sedimentares que não possuem como minerais essenciais, silicatos. Assim sendo, é impossível classificar rochas sem possuir uma boa base de mineralogia dos silicatos. Os minerais da classe dos tectossilicatos são os mais importantes entre os denominados minerais formadores de rocha. Os minerais dessa subdivisão dos silicatos é constituída por tetraedros de SiO4 ligados tridimensionalmente. 3
  • 4.  TECTOSSILICATOS GRUPO DA SÍLICA GRUPO DOS FELDSPATOS GRUPO DOS FELDSPATÓIDES GRUPO DAS ESCAPOLITAS SÉRIE DOS PLAGIOCLÁSIOS SÉRIE DO FELDSPATO-K SÉRIE DA ESCAPOLITA GRUPO DAS ZEÓLITAS 4
  • 5.  Reúne diversos polimorfos cristalinos (os denominados minerais de sílica);  Muitas variedades criptocristalinas e ainda compostos amorfos;  A coesita e a stishovita, são as variedades de pressão alta, respectivamente com densidades relativas de 3,01 e 4,35, enquanto a densidade do quartzo é 2,60g/cm3.  Minerais e mineralóides deste grupo se formam em ambientes geológicos e sob condições de temperatura e pressão muito diversificados. 5 POLIMORFO DE ALTA TEMPERATURA CRISTALIZA COMO FORMA ESTÁVEL. ACIMA DE 1 atm. P INVERTE-SE À FORMA DE BAIXA TEMPERATURA. 1 atm. P Cristobalita de alta 1.470º 163-275º (?) Tridimita de alta 870º 117-163º (?) Quartzo de alta 573º 573º Tabela 1. Temperaturas de inversão para transformações de alguns polimorfos, deslocamento do SiO2
  • 6.  Cada átomo de silício se encontra ligado a 4 átomos de oxigênio. 6 A estrutura de cristal de quartzo pode ser visto aqui, com os círculos negros representam átomos de silício e os círculos vermelhos que representam átomos de oxigênio. Então porque SiO2 ao invés de SiO4?
  • 7. 7 Estrutura tetraédrica da Tridimita de alta temperatura. Estrutura tetraédrica da Cristobalita de alta temperatura.
  • 8. Quartzo (SiO2) – Trigonal Tridimita (SiO2) - Ortorrômbico Cristobalita (SiO2) – Tetragonal (?), pseudo-isométrica 8
  • 9. 9 Quartzo Citrino (SiO2) – Trigonal Ametista (SiO2) – Trigonal Quartzo Rosa (SiO2) – Trigonal
  • 10. 10Ágata (SiO2) – Criptocristalino. Crisoprásio (SiO2) – Criptocristalino. Cornalina (SiO2) – Criptocristalino. Ônix (SiO2) – Criptocristalino.
  • 11. 11 Jaspe (SiO2) – Criptocristalino. Prásio (SiO2) – Criptocristalino.
  • 12.  Fórmula química geral: MT4O8;  Entre 1/3 e ½ das localizações tetraédricas contém alumínio;  Principal base de classificação das rochas ígneas, estando ausente apenas em algumas rochas ultramáficas e em raríssimas alcalinas e metamórficas;  Sistema monoclínico ou triclínico;  Possuem isomorfos de alta e baixa temperatura;  Utilizados principalmente na indústria da cerâmica. 12 Feldspato 60% Quartzo 12% Piroxênios e Anfibólios 17% Micas 4% Outros 7% MINERAIS FORMADORES DE ROCHAS
  • 13. 13Celsiana (BaAl2Si2O8 ) – Monoclínico Anortoclásio ((Na,K)AlSi3O8 ) – Monoclínico Hialofono ((Ba,K,Na)Al2Si2O8) – Monoclínico
  • 14.  Feldspato com Na e Ca;  Formula Geral: Na1xCax Al (Si3xAlx)O8  Se aumentar a temperatura pode entrar alguma molécula de Ca, Sr ou Ba no lugar dos metais alcalinos e substituição de um átomo de Si por Al;  Comum em rochas ígneas, metamórficas e pouco sedimentares. 1:32:2 1:1 14
  • 15. Albita (Na1-0,9,Ca0-0,1)Al(Al0-0,1,Si1-0,9)Si2O8– Triclínico Oligoclásio (Ca,Na)Al (Al,Si)Si2O8 – Triclínico Andesina (Na0,7-0,5,Ca0,3-0,5)Al(Al0,3-0,5,Si0,7-0,5)Si2O8– Triclínico Labradorita (Na0,5-0,3,Ca0,5-0,7)Al(Al0,5-0,7,Si0,5-0,3)Si2O8– Triclínico Bytownita (Na0,3-0,1,Ca0,7-0,9)Al(Al0,7-0,9,Si0,3-0,1)Si2O8 – Triclínico Anortita (Na0,1-0,Ca0,9-1)Al(Al0,9-1,Si0,1-0)Si2O8 – Triclínico 15
  • 16. 16 Sanidina (KAlSi3O8) – Monoclínico Microclíneo (KAlSi3O8) – Triclíneo Adulária (KALSi3O8) – MonoclínicoMicroclíneo (KAlSi3O8) – Triclíneo Microclíneo (KAlSi3O8) – Triclíneo
  • 17.  São alumossilicatos de K, Na e Ca que se cristalizam em lugar dos feldspatos em magmas ricos em álcalis e deficientes em sílica (SiO2);  As estruturas dos feldspatóides são também mais abertas, com cavidades em geral maiores entre as unidades tetraédricas fundamentais [(Si,Al)O4];  Diferentes sistemas cristalinos. 75% 25% FELDSPATOS ALCALINOS Sílica Metais Alcalinos 50%50% FELDSPATÓIDES Sílica Metais Alcalinos 17
  • 18. 18Lazurita (Na,Ca)8(Al,Si)12O24(S,SO2) - Isométrica Sodalita - Na4(SiAlO4)3Cl - Isométrica Noseana - Na8Al6Si6O24SO4 - Isométrica Leucita - KAlSi2O6 - Tetragonal Nefelita - NaAlSi2O6 – Hexagonal Petalita – LiAlSi4O10 - Monoclínico
  • 19.  Fórmula Geral: (Na2,K2,Ca,Ba)[(Al,Si)O2 ]nxH2O;  Incluem diversos grupos minerais constituídos por aluminossilicatos hidratados;  Cerca de quatro dezenas de zeólitas de ocorrência natural, reunidas em diversos grupos;  Ocorrem em ambientes de baixa temperatura e pressão;  São minerais presentes em alguns depósitos sedimentares espessos, particularmente aqueles com contribuição vulcanoclástica significativa, formados em ambientes subaquáticos e em algumas rochas metamórficas de baixo grau.  As espécies são formadas por cadeias de anéis tetraédricos de SiO4 e AlO4, ligadas pelos cátions intersticiais (Na, Ca, K, Ba, Sr) originando uma estrutura aberta, com grandes canais, nos quais a água e outras moléculas podem se alojar. 19
  • 20. 20
  • 21. Cristais de estilbita (Na2,Ca,K2Al2Si7O18.7H2O) - Monoclínico Mesolita (Ca2Na2Al6Si9O30.8H2O) - Monoclínico Phillipsita (K2,Na2,Ca)Al2Si4O12.4,5H2O) - Monoclínico Natrolita (K2,Na2,Ca)Al2Si4O12.4,5H2O) – Monoclínico 21
  • 22.  Na+ + Si4+ substitui Ca2+ + Al3 (Como a série dos plagioclásios);  Na+ + Cl- substitui Ca2+ + Co3 2-.SO4 2-  OH- substitui CO3 2–  OH- substitui Cl-  Encontrados em rochas metamórficos de contato e regional;  Encontrados em xistos cristalinos, nos gnaisses, nos anfibólios ou derivada dos feldspatos plagioclásios;  Uso apenas como gema. 22
  • 23. 23 Na visão da esquerda, azul tetraedros consistem de silício ou de alumínio rodeado por oxigênios. esferas amarelas representam sódio ou cálcio, roxo representa ânions Na vista lateral à esquerda, vemos como os ions de metais alcalinos estão contidos em pequenas gaiolas tetraédricos e radicais ânions grandes nas grandes aberturas. Aqui, o tamanho variável dos ions representa a distância a partir do plano do diagrama.
  • 24. Marianita ((Na,Ca,K)4Al3(Al,Si)3Si6O24(Cl,CO3,SO4,OH)) - Tetragonal Meionita ((Na,Ca,K)4Al3(Al,Si)3Si6O24(Cl,CO3,SO4,OH)) - Tetragonal Wernerita ((Na,Ca,K)4Al3(Al,Si)3Si6O24(Cl,CO3,SO4,OH)) - Tetragonal 24
  • 25. Compreender as classes de minerais é de suma importância para o entendimento do contesto geológico de formação das rochas, principalmente a classe dos silicatos, e suas subclasses. A classe dos minerais tectossilicatos é importância para inúmeras atividades industriais essências para a vida humana. Essa importância é principalmente devido ao fato de ser a classe de maior presença na crosta terrestre. 25
  • 26.  Baseado no artigo publicado em Cadernos Didáticos da USP, do Professor Doutor Silvio Roberto Farias Vlach - Departamento de Mineralogia e Geotectônica, Universidade de São Paulo  KLEIN, C.; HURLBUT JR., C. S. (1993) Manual of mineralogy. 21. ed. New York, John Wiley. 681 p.  MACHADO, F.B.; MOREIRA, C.A.; ZANARDO, A; ANDRE, A.C.;GODOY, A.M.; FERREIRA, J. A.; GALEMBECK, T.; NARDY, A.J.R.; ARTUR, A.C.; OLIVEIRA, M.A.F.de. Enciclopédia Multimídia de Minerais. [on-line].ISBN: 85-89082-11-3 Disponível na Internet via WWW. URL: http://www.rc.unesp.br/museudpm. Arquivo capturado em 25 de fevereiro de 2016.  Dana’s Mineral And How Study Them. 4ª Edição,. Cornelis S. Hulbert Jr. W. Edwin Sharp. New Yokr. John Wiley & Sons.  Geologia Geral. 6ª Edição. José Henrique Popp. LTC. Rio de Janeiro. 2010.  Minerais Comuns e de Importância Econômica. Oficina do Texto. Sebastião de Oliveira Menezes. 22ª Edição. São Paulo. 2012.  Introduction to Mineralogy. William D. Nesse. New York. 2000. Oxford University Press. 1ª Edição.  Manual of Mineral Science. Cornels Klein & Barbara Dutrow. 23ª Edição. 2008. Couriers Companies. USA.  Minerais Constituintes das Rochas. W. A. Deer, R. A. Howie, J. Zuisman. Fundação Calouste Gulbenkian. 2ª Edição. Coimbra. 1992.  https://www.uwgb.edu/dutchs/Petrology/ScapoliteStructure.HTM, acesso em 03/03/2016  http://abetterchemtext.com/Condensed/quartz.htm, acesso em 03/03/2016 26