SlideShare uma empresa Scribd logo
Redução da
mortalidade na
infância no
Brasil
Setembro de 2013
Taxa de mortalidade na infância
Óbitos por mil nascidos vivos
1990
62
2000
33
2012
14
Redução de 77% em 22 anos
(em menores de 5 anos)
*Parâmetro comparado internacionalmente
Taxa de mortalidade na infância
América Latina-Caribe – 65%
Leste da Ásia e Pacífico – 65%
Europa Central – 60%
Sul da Ásia – 54%
África Subsahariana – 45%
Leste Europeu e Norte da África – 30%
Brasil - redução de 77% em 22 anos
Redução da mortalidade na infância foi de 40% nos últimos
10 anos, segundo dados do Ministério da Saúde
A redução chegou a 9% entre 2010 e 2012
A região Nordeste foi a que teve maior queda da mortalidade
na infância (77%) nos últimos 22 anos, passando de 87,3
para 19,6 óbitos por mil nascidos vivos
Destaque para Alagoas (84%), Ceará (82%), Paraíba (81%),
Pernambuco (81%) e Rio Grande do Norte (79%)
Avanços do Brasil
Brasil já atingiu a meta do Objetivos do Milênio (ODM 4) de
reduzir em dois terços, até 2015, a mortalidade de crianças
menores de 5 anos
O governo brasileiro assumiu o compromisso de realizar
ações de cooperação internacional com outros países do
mundo que ainda não conseguiram cumprir o ODM 4
Objetivos do Milênio
Taxa de mortalidade infantil
(menores de 1 ano)
Óbitos por mil nascidos vivos
1990
46,8
2002
24,7
2010
16
2012
14,6
Redução de 45% em 10 anos
Dados do Ministério da Saúde
Redução de 9%
entre 2010 e 2012
Taxa de mortalidade neonatal
(até 27 dias)
Óbitos por mil nascidos vivos
1990
23,1
2002
15,4
2010
11,1
2012
10,2
Redução de 31% em 10 anos
Dados do Ministério da Saúde
Redução de 8%
entre 2010 e 2012
Causas de óbitos na infância
• Transtornos respiratórios e cardiovasculares
específicos perinatal
• Infecções específicas do período perinatal
• Feto e recém-nascido afetado por fatores
maternos e complicação na gravidez,
trabalho de parto
• Malformações congênitas do aparelho
circulatório
• Transtornos relacionadas com a duração
da gestação e crescimento fetal
Causas de óbitos na infância
 A prematuridade* é a principal causa dos óbitos infantis
na primeira semana de vida, seguido pela malformação
 As duas principais causas de mortalidade infantil pós-
neonatal são as infecções da criança e as malformações
congênitas, responsáveis por cerca de 50% dos óbitos
infantis no período pós-neonatal
*IDB-2011da RIPSA
Pneumonias (37%)
Diarreias/desidratação (25%)
Septicemias (24%)
Meningites (8%)
Bronquiolites (5%)
Ações do
Ministério da Saúde
Ampliação da rede de atendimento
no Sistema Único de Saúde
 Aumento de 23% dos números de leitos de UTI neonatal de 2010
a 2013.
 Avanço do número de leitos UTI neonatal
 Aumento de 36% das internações neonatais entre 2008 e 2012
2010
3,4 mil 2013
4,2 mil
Saúde da família
Programa alcança 55,4%
da população, por meio
de 34.185 equipes, o
que representa
atendimento a 108
milhões de cidadãos
Investimentos de R$ 2,8 bilhões, em 2010 a R$ 3,2 bilhões,
em 2012
Saúde da família
Em municípios com mais de
70% de cobertura da
Estratégia Saúde Família,
existem 34% menos crianças
com baixo peso e cobertura
vacinal é 2 vezes melhor
do que municípios com baixa
cobertura
Dados PNDS, 2009
Vacinação
 O calendário básico infantil oferece 12 vacinas que previnem contra mais de 20
doenças
 A cobertura vacinal, nos últimos dez anos, foi de 95%, na média, para a maioria
das vacinas do calendário infantil
 Redução de 40% de casos de meningites e pneumonias em crianças menores de
2 anos após incorporação meningocócica C conjugada (2011) e Pneumocócica 10
valente (2010)
 Com a incorporação da vacina Rotavírus (2010), houve redução 22% da taxa de
mortalidade de crianças menores de 5 anos por diarreia.
A partir de 2012, o Ministério passou a reforçar a suplementação de
Vitamina A para crianças de seis meses a menores de cinco anos
Rede Cegonha
Lançada em 2011, a Rede Cegonha tem
ajudado a diminuir a mortalidade
infantil, neonatal e materna no país
A iniciativa já atende 98% das
gestantes do SUS em
5.009 municípios
(até mar/2013)
Até 2014, serão R$ 9,4 bilhões
em investimentos
O programa criou
825 leitos neonatais e
4011 leitos neonatais receberam
custeio para qualificação
Bancos de leite
8 12
10
55
12
17
7
5
5
3
1
3 4
1 2
1
4
2
6 3
5
10
19
6
8
15
1
212 Bancos
128 postos
de coleta
Ministério está
investindo
R$ 3,9 milhões na
reforma de
53 Bancos e mais
R$ 746 mil para
construção de
5 novos até o fim de
2013
Aleitamento
materno
• Hospital Amigo da Criança certifica
instituições que cumprem os Dez Passos
para o Sucesso do Aleitamento Materno
e o Cuidado Amigo da Mulher
• Apoio à Mulher Trabalhadora que
Amamenta, estimulando a criação de
salas de apoio à amamentação em
empresas públicas e privadas e a adoção
da licença maternidade de 6 meses
• Campanhas nacionais alusivas à Semana
Mundial da Amamentação e ao Dia de
Doação de Leite Humano
Nas capitais brasileiras e no DF,
o tempo médio de aleitamento
materno aumentou em um mês e meio
entre 1999 e 2008
Bolsa Família levou a uma redução de 20% na taxa de
mortalidade infantil no Brasil entre 2004 e 2009, segundo
INCT-Citecs
Nos casos de mortes por insuficiência nutricional e
problemas respiratórios, a queda chega a 60%
Estudo realizado pelo Instituto Nacional de Ciência,
Inovação e Tecnologia em Saúde da Bahia (INCT-Citecs)
Bolsa Família
Melhorar sua vida, nosso compromisso
Obrigado!

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Mortalidade Materna e Infantil
Mortalidade Materna e InfantilMortalidade Materna e Infantil
Medidas de saúde coletiva
Medidas de saúde coletivaMedidas de saúde coletiva
Medidas de saúde coletiva
ligiatonuci
 
Promoção e saúde
Promoção e saúdePromoção e saúde
Promoção e saúde
EducacaoIntegralPTC
 
Saúde Coletiva - 1. introdução e conceitos fundamentais
Saúde Coletiva - 1. introdução e conceitos fundamentaisSaúde Coletiva - 1. introdução e conceitos fundamentais
Saúde Coletiva - 1. introdução e conceitos fundamentais
Mario Gandra
 
A situação da Saúde Materno Infantil no Brasil e suas implicações na organiza...
A situação da Saúde Materno Infantil no Brasil e suas implicações na organiza...A situação da Saúde Materno Infantil no Brasil e suas implicações na organiza...
A situação da Saúde Materno Infantil no Brasil e suas implicações na organiza...
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
Historico sus
Historico susHistorico sus
Historico sus
Jorge Samuel Lima
 
Prevenção câncer
Prevenção câncerPrevenção câncer
Prevenção câncer
Alinebrauna Brauna
 
Crescimento e desenvolvimento infantil
Crescimento e desenvolvimento infantilCrescimento e desenvolvimento infantil
Crescimento e desenvolvimento infantil
Camila Oliveira
 
Crescimento e desenvolvimento infantil
Crescimento e desenvolvimento infantilCrescimento e desenvolvimento infantil
Crescimento e desenvolvimento infantil
Alexandre Donha
 
Consulta de pre natal
Consulta de pre natalConsulta de pre natal
Consulta de pre natal
ilanaseixasladeia
 
Saúde da Mulher
Saúde da MulherSaúde da Mulher
Saúde da Mulher
Neto Pontes
 
Saúde Pública aula 1
Saúde Pública aula 1Saúde Pública aula 1
Saúde Pública aula 1
profsempre
 
Rede materno infantil - Rede Cegonha Bahia
Rede materno infantil - Rede Cegonha BahiaRede materno infantil - Rede Cegonha Bahia
Rede materno infantil - Rede Cegonha Bahia
Lucas Matos
 
Grupo com gestantes
Grupo com gestantesGrupo com gestantes
Grupo com gestantes
Alinebrauna Brauna
 
Slides sus
Slides susSlides sus
Aula 3 prénatal
Aula 3 prénatalAula 3 prénatal
Aula 3 prénatal
Rejane Durães
 
Pre-natal de baixo risco
Pre-natal de baixo riscoPre-natal de baixo risco
Pre-natal de baixo risco
Centro Universitário Ages
 
Pré natal
Pré natalPré natal
Seminário saúde coletiva enfermagem 8º período
Seminário saúde coletiva enfermagem 8º períodoSeminário saúde coletiva enfermagem 8º período
Seminário saúde coletiva enfermagem 8º período
Laíz Coutinho
 
Estatística básica
Estatística básicaEstatística básica
Estatística básica
Horacimar Cotrim
 

Mais procurados (20)

Mortalidade Materna e Infantil
Mortalidade Materna e InfantilMortalidade Materna e Infantil
Mortalidade Materna e Infantil
 
Medidas de saúde coletiva
Medidas de saúde coletivaMedidas de saúde coletiva
Medidas de saúde coletiva
 
Promoção e saúde
Promoção e saúdePromoção e saúde
Promoção e saúde
 
Saúde Coletiva - 1. introdução e conceitos fundamentais
Saúde Coletiva - 1. introdução e conceitos fundamentaisSaúde Coletiva - 1. introdução e conceitos fundamentais
Saúde Coletiva - 1. introdução e conceitos fundamentais
 
A situação da Saúde Materno Infantil no Brasil e suas implicações na organiza...
A situação da Saúde Materno Infantil no Brasil e suas implicações na organiza...A situação da Saúde Materno Infantil no Brasil e suas implicações na organiza...
A situação da Saúde Materno Infantil no Brasil e suas implicações na organiza...
 
Historico sus
Historico susHistorico sus
Historico sus
 
Prevenção câncer
Prevenção câncerPrevenção câncer
Prevenção câncer
 
Crescimento e desenvolvimento infantil
Crescimento e desenvolvimento infantilCrescimento e desenvolvimento infantil
Crescimento e desenvolvimento infantil
 
Crescimento e desenvolvimento infantil
Crescimento e desenvolvimento infantilCrescimento e desenvolvimento infantil
Crescimento e desenvolvimento infantil
 
Consulta de pre natal
Consulta de pre natalConsulta de pre natal
Consulta de pre natal
 
Saúde da Mulher
Saúde da MulherSaúde da Mulher
Saúde da Mulher
 
Saúde Pública aula 1
Saúde Pública aula 1Saúde Pública aula 1
Saúde Pública aula 1
 
Rede materno infantil - Rede Cegonha Bahia
Rede materno infantil - Rede Cegonha BahiaRede materno infantil - Rede Cegonha Bahia
Rede materno infantil - Rede Cegonha Bahia
 
Grupo com gestantes
Grupo com gestantesGrupo com gestantes
Grupo com gestantes
 
Slides sus
Slides susSlides sus
Slides sus
 
Aula 3 prénatal
Aula 3 prénatalAula 3 prénatal
Aula 3 prénatal
 
Pre-natal de baixo risco
Pre-natal de baixo riscoPre-natal de baixo risco
Pre-natal de baixo risco
 
Pré natal
Pré natalPré natal
Pré natal
 
Seminário saúde coletiva enfermagem 8º período
Seminário saúde coletiva enfermagem 8º períodoSeminário saúde coletiva enfermagem 8º período
Seminário saúde coletiva enfermagem 8º período
 
Estatística básica
Estatística básicaEstatística básica
Estatística básica
 

Semelhante a Slides mortalidade

RadBrasil registra maior queda de mortalidade na infância entre os países da ...
RadBrasil registra maior queda de mortalidade na infância entre os países da ...RadBrasil registra maior queda de mortalidade na infância entre os países da ...
RadBrasil registra maior queda de mortalidade na infância entre os países da ...
Ministério da Saúde
 
PNAISC.pdf
PNAISC.pdfPNAISC.pdf
PNAISC.pdf
ShesterDamaceno1
 
Brasil registra queda de 21% no número de mortes maternas
Brasil registra queda de 21% no número de mortes maternasBrasil registra queda de 21% no número de mortes maternas
Brasil registra queda de 21% no número de mortes maternas
Ministério da Saúde
 
Relatorio Nacional de Acompanhamento dos ODM
Relatorio Nacional de Acompanhamento dos ODMRelatorio Nacional de Acompanhamento dos ODM
Relatorio Nacional de Acompanhamento dos ODM
Movimento Nós Podemos Santa Catarina
 
Artigo ods 2016 a 2030
Artigo ods 2016 a 2030Artigo ods 2016 a 2030
Artigo ods 2016 a 2030
Sélen Souza
 
Jornal Ação municipal. Dezembro de 2014
Jornal Ação municipal. Dezembro de 2014Jornal Ação municipal. Dezembro de 2014
Jornal Ação municipal. Dezembro de 2014
Érika Souza
 
Estratégias de atenção à saúde para redução da mortalidade materna e na infância
Estratégias de atenção à saúde para redução da mortalidade materna e na infânciaEstratégias de atenção à saúde para redução da mortalidade materna e na infância
Estratégias de atenção à saúde para redução da mortalidade materna e na infância
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
Atenção a saúde do rn
Atenção a saúde do rnAtenção a saúde do rn
Atenção a saúde do rn
Erica Navegante
 
Atenção a saúde do Recém-Nascido Volume 3
Atenção a saúde do Recém-Nascido Volume 3Atenção a saúde do Recém-Nascido Volume 3
Atenção a saúde do Recém-Nascido Volume 3
Letícia Spina Tapia
 
Atenção à saúde do recém nascido volume 3
Atenção à saúde do recém nascido volume  3Atenção à saúde do recém nascido volume  3
Atenção à saúde do recém nascido volume 3
pryloock
 
Objetivos de Desenvolvimento do Milênio - Relatório Nacional de Acompanhamen...
Objetivos de Desenvolvimento  do Milênio - Relatório Nacional de Acompanhamen...Objetivos de Desenvolvimento  do Milênio - Relatório Nacional de Acompanhamen...
Objetivos de Desenvolvimento do Milênio - Relatório Nacional de Acompanhamen...
Governo de Santa Catarina
 
RECÉM-NASCIDO: Cuidados com o pré termo. Vol. 4. Ministério da Saúde
RECÉM-NASCIDO: Cuidados com o pré termo. Vol. 4. Ministério da SaúdeRECÉM-NASCIDO: Cuidados com o pré termo. Vol. 4. Ministério da Saúde
RECÉM-NASCIDO: Cuidados com o pré termo. Vol. 4. Ministério da Saúde
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 
Atenção a saúde do Recém-Nascido - Volume 4
Atenção a saúde do Recém-Nascido - Volume 4Atenção a saúde do Recém-Nascido - Volume 4
Atenção a saúde do Recém-Nascido - Volume 4
Letícia Spina Tapia
 
Manual 4 rnpt
Manual 4 rnptManual 4 rnpt
Manual 4 rnpt
Luzia Alves
 
Guia gestor transmissão vertical hiv aids_2008
Guia gestor transmissão vertical hiv aids_2008Guia gestor transmissão vertical hiv aids_2008
Guia gestor transmissão vertical hiv aids_2008
Nádia Elizabeth Barbosa Villas Bôas
 
MORTALIDADE-INFANTIL-30-ANOS-DO-SUS-FINAL.pdf
MORTALIDADE-INFANTIL-30-ANOS-DO-SUS-FINAL.pdfMORTALIDADE-INFANTIL-30-ANOS-DO-SUS-FINAL.pdf
MORTALIDADE-INFANTIL-30-ANOS-DO-SUS-FINAL.pdf
AntonioBatysta1
 
Construindo um protocolo único para uma atenção integral à primeira infância ...
Construindo um protocolo único para uma atenção integral à primeira infância ...Construindo um protocolo único para uma atenção integral à primeira infância ...
Construindo um protocolo único para uma atenção integral à primeira infância ...
SAE - Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República
 
P boletim_sifilis_2015_fechado_pdf_p__18327 (1)
 P boletim_sifilis_2015_fechado_pdf_p__18327 (1) P boletim_sifilis_2015_fechado_pdf_p__18327 (1)
P boletim_sifilis_2015_fechado_pdf_p__18327 (1)
Jessé Milanez dos Santos
 
Linha guiahivaids
Linha guiahivaidsLinha guiahivaids
Linha guiahivaids
Luciane Caetano da Silva
 
IHAC: promove Amamentação & diminui Mortalidade Infantil no Brasil
IHAC: promove Amamentação & diminui Mortalidade Infantil no Brasil IHAC: promove Amamentação & diminui Mortalidade Infantil no Brasil
IHAC: promove Amamentação & diminui Mortalidade Infantil no Brasil
Prof. Marcus Renato de Carvalho
 

Semelhante a Slides mortalidade (20)

RadBrasil registra maior queda de mortalidade na infância entre os países da ...
RadBrasil registra maior queda de mortalidade na infância entre os países da ...RadBrasil registra maior queda de mortalidade na infância entre os países da ...
RadBrasil registra maior queda de mortalidade na infância entre os países da ...
 
PNAISC.pdf
PNAISC.pdfPNAISC.pdf
PNAISC.pdf
 
Brasil registra queda de 21% no número de mortes maternas
Brasil registra queda de 21% no número de mortes maternasBrasil registra queda de 21% no número de mortes maternas
Brasil registra queda de 21% no número de mortes maternas
 
Relatorio Nacional de Acompanhamento dos ODM
Relatorio Nacional de Acompanhamento dos ODMRelatorio Nacional de Acompanhamento dos ODM
Relatorio Nacional de Acompanhamento dos ODM
 
Artigo ods 2016 a 2030
Artigo ods 2016 a 2030Artigo ods 2016 a 2030
Artigo ods 2016 a 2030
 
Jornal Ação municipal. Dezembro de 2014
Jornal Ação municipal. Dezembro de 2014Jornal Ação municipal. Dezembro de 2014
Jornal Ação municipal. Dezembro de 2014
 
Estratégias de atenção à saúde para redução da mortalidade materna e na infância
Estratégias de atenção à saúde para redução da mortalidade materna e na infânciaEstratégias de atenção à saúde para redução da mortalidade materna e na infância
Estratégias de atenção à saúde para redução da mortalidade materna e na infância
 
Atenção a saúde do rn
Atenção a saúde do rnAtenção a saúde do rn
Atenção a saúde do rn
 
Atenção a saúde do Recém-Nascido Volume 3
Atenção a saúde do Recém-Nascido Volume 3Atenção a saúde do Recém-Nascido Volume 3
Atenção a saúde do Recém-Nascido Volume 3
 
Atenção à saúde do recém nascido volume 3
Atenção à saúde do recém nascido volume  3Atenção à saúde do recém nascido volume  3
Atenção à saúde do recém nascido volume 3
 
Objetivos de Desenvolvimento do Milênio - Relatório Nacional de Acompanhamen...
Objetivos de Desenvolvimento  do Milênio - Relatório Nacional de Acompanhamen...Objetivos de Desenvolvimento  do Milênio - Relatório Nacional de Acompanhamen...
Objetivos de Desenvolvimento do Milênio - Relatório Nacional de Acompanhamen...
 
RECÉM-NASCIDO: Cuidados com o pré termo. Vol. 4. Ministério da Saúde
RECÉM-NASCIDO: Cuidados com o pré termo. Vol. 4. Ministério da SaúdeRECÉM-NASCIDO: Cuidados com o pré termo. Vol. 4. Ministério da Saúde
RECÉM-NASCIDO: Cuidados com o pré termo. Vol. 4. Ministério da Saúde
 
Atenção a saúde do Recém-Nascido - Volume 4
Atenção a saúde do Recém-Nascido - Volume 4Atenção a saúde do Recém-Nascido - Volume 4
Atenção a saúde do Recém-Nascido - Volume 4
 
Manual 4 rnpt
Manual 4 rnptManual 4 rnpt
Manual 4 rnpt
 
Guia gestor transmissão vertical hiv aids_2008
Guia gestor transmissão vertical hiv aids_2008Guia gestor transmissão vertical hiv aids_2008
Guia gestor transmissão vertical hiv aids_2008
 
MORTALIDADE-INFANTIL-30-ANOS-DO-SUS-FINAL.pdf
MORTALIDADE-INFANTIL-30-ANOS-DO-SUS-FINAL.pdfMORTALIDADE-INFANTIL-30-ANOS-DO-SUS-FINAL.pdf
MORTALIDADE-INFANTIL-30-ANOS-DO-SUS-FINAL.pdf
 
Construindo um protocolo único para uma atenção integral à primeira infância ...
Construindo um protocolo único para uma atenção integral à primeira infância ...Construindo um protocolo único para uma atenção integral à primeira infância ...
Construindo um protocolo único para uma atenção integral à primeira infância ...
 
P boletim_sifilis_2015_fechado_pdf_p__18327 (1)
 P boletim_sifilis_2015_fechado_pdf_p__18327 (1) P boletim_sifilis_2015_fechado_pdf_p__18327 (1)
P boletim_sifilis_2015_fechado_pdf_p__18327 (1)
 
Linha guiahivaids
Linha guiahivaidsLinha guiahivaids
Linha guiahivaids
 
IHAC: promove Amamentação & diminui Mortalidade Infantil no Brasil
IHAC: promove Amamentação & diminui Mortalidade Infantil no Brasil IHAC: promove Amamentação & diminui Mortalidade Infantil no Brasil
IHAC: promove Amamentação & diminui Mortalidade Infantil no Brasil
 

Mais de Jornal do Commercio

sorteados Reserva de vagas 2024.pdf
sorteados Reserva de vagas 2024.pdfsorteados Reserva de vagas 2024.pdf
sorteados Reserva de vagas 2024.pdf
Jornal do Commercio
 
sorteados Livre Concorrência 2024.pdf
sorteados Livre Concorrência 2024.pdfsorteados Livre Concorrência 2024.pdf
sorteados Livre Concorrência 2024.pdf
Jornal do Commercio
 
CADERNO DE PROVAS - SSA 3 1o DIA (1) (1).pdf
CADERNO DE PROVAS - SSA 3 1o DIA (1) (1).pdfCADERNO DE PROVAS - SSA 3 1o DIA (1) (1).pdf
CADERNO DE PROVAS - SSA 3 1o DIA (1) (1).pdf
Jornal do Commercio
 
Gabarito Oficial Enem 2023 - Provas Azul e Branca segudo dia.pdf
Gabarito Oficial Enem 2023 - Provas Azul e Branca segudo dia.pdfGabarito Oficial Enem 2023 - Provas Azul e Branca segudo dia.pdf
Gabarito Oficial Enem 2023 - Provas Azul e Branca segudo dia.pdf
Jornal do Commercio
 
Gabarito Oficial Enem 2023 - Provas Amarela e Rosa segundo dia.pdf
Gabarito Oficial Enem 2023 - Provas Amarela e Rosa segundo dia.pdfGabarito Oficial Enem 2023 - Provas Amarela e Rosa segundo dia.pdf
Gabarito Oficial Enem 2023 - Provas Amarela e Rosa segundo dia.pdf
Jornal do Commercio
 
Gabarito Enem 2023 - Provas Rosa e Amarela.pdf
Gabarito Enem 2023 - Provas Rosa e Amarela.pdfGabarito Enem 2023 - Provas Rosa e Amarela.pdf
Gabarito Enem 2023 - Provas Rosa e Amarela.pdf
Jornal do Commercio
 
Programação do FIG 2023
Programação do FIG 2023Programação do FIG 2023
Programação do FIG 2023
Jornal do Commercio
 
ED_6_SEDUC_RECIFE_RES_FINAL_OBJETIVA_PROV_DISC_.PDF
ED_6_SEDUC_RECIFE_RES_FINAL_OBJETIVA_PROV_DISC_.PDFED_6_SEDUC_RECIFE_RES_FINAL_OBJETIVA_PROV_DISC_.PDF
ED_6_SEDUC_RECIFE_RES_FINAL_OBJETIVA_PROV_DISC_.PDF
Jornal do Commercio
 
ESPAÇO CIÊNCIA: PROGRAMAÇÃO FÉRIAS JULHO 2023
ESPAÇO CIÊNCIA: PROGRAMAÇÃO FÉRIAS JULHO 2023ESPAÇO CIÊNCIA: PROGRAMAÇÃO FÉRIAS JULHO 2023
ESPAÇO CIÊNCIA: PROGRAMAÇÃO FÉRIAS JULHO 2023
Jornal do Commercio
 
Resultado homologação concurso professor Olinda
Resultado homologação concurso professor OlindaResultado homologação concurso professor Olinda
Resultado homologação concurso professor Olinda
Jornal do Commercio
 
Reajuste do piso dos professores.pdf
Reajuste do piso dos professores.pdfReajuste do piso dos professores.pdf
Reajuste do piso dos professores.pdf
Jornal do Commercio
 
analise-de-material-apreendido.pdf
analise-de-material-apreendido.pdfanalise-de-material-apreendido.pdf
analise-de-material-apreendido.pdf
Jornal do Commercio
 
Edital Prouni 2º semestre
Edital Prouni 2º semestreEdital Prouni 2º semestre
Edital Prouni 2º semestre
Jornal do Commercio
 
2023-05-22E.pdf
2023-05-22E.pdf2023-05-22E.pdf
2023-05-22E.pdf
Jornal do Commercio
 
Projeto Piso salarial Pernambuco
Projeto Piso salarial PernambucoProjeto Piso salarial Pernambuco
Projeto Piso salarial Pernambuco
Jornal do Commercio
 
Listão 2 convocados UFPE (Caruaru)
Listão 2 convocados UFPE (Caruaru)Listão 2 convocados UFPE (Caruaru)
Listão 2 convocados UFPE (Caruaru)
Jornal do Commercio
 
Listão 2 convocação UFPE (Recife)
Listão 2 convocação UFPE (Recife)Listão 2 convocação UFPE (Recife)
Listão 2 convocação UFPE (Recife)
Jornal do Commercio
 
agreste.pdf
agreste.pdfagreste.pdf
agreste.pdf
Jornal do Commercio
 
vitoria.pdf
vitoria.pdfvitoria.pdf
vitoria.pdf
Jornal do Commercio
 
recife.pdf
recife.pdfrecife.pdf

Mais de Jornal do Commercio (20)

sorteados Reserva de vagas 2024.pdf
sorteados Reserva de vagas 2024.pdfsorteados Reserva de vagas 2024.pdf
sorteados Reserva de vagas 2024.pdf
 
sorteados Livre Concorrência 2024.pdf
sorteados Livre Concorrência 2024.pdfsorteados Livre Concorrência 2024.pdf
sorteados Livre Concorrência 2024.pdf
 
CADERNO DE PROVAS - SSA 3 1o DIA (1) (1).pdf
CADERNO DE PROVAS - SSA 3 1o DIA (1) (1).pdfCADERNO DE PROVAS - SSA 3 1o DIA (1) (1).pdf
CADERNO DE PROVAS - SSA 3 1o DIA (1) (1).pdf
 
Gabarito Oficial Enem 2023 - Provas Azul e Branca segudo dia.pdf
Gabarito Oficial Enem 2023 - Provas Azul e Branca segudo dia.pdfGabarito Oficial Enem 2023 - Provas Azul e Branca segudo dia.pdf
Gabarito Oficial Enem 2023 - Provas Azul e Branca segudo dia.pdf
 
Gabarito Oficial Enem 2023 - Provas Amarela e Rosa segundo dia.pdf
Gabarito Oficial Enem 2023 - Provas Amarela e Rosa segundo dia.pdfGabarito Oficial Enem 2023 - Provas Amarela e Rosa segundo dia.pdf
Gabarito Oficial Enem 2023 - Provas Amarela e Rosa segundo dia.pdf
 
Gabarito Enem 2023 - Provas Rosa e Amarela.pdf
Gabarito Enem 2023 - Provas Rosa e Amarela.pdfGabarito Enem 2023 - Provas Rosa e Amarela.pdf
Gabarito Enem 2023 - Provas Rosa e Amarela.pdf
 
Programação do FIG 2023
Programação do FIG 2023Programação do FIG 2023
Programação do FIG 2023
 
ED_6_SEDUC_RECIFE_RES_FINAL_OBJETIVA_PROV_DISC_.PDF
ED_6_SEDUC_RECIFE_RES_FINAL_OBJETIVA_PROV_DISC_.PDFED_6_SEDUC_RECIFE_RES_FINAL_OBJETIVA_PROV_DISC_.PDF
ED_6_SEDUC_RECIFE_RES_FINAL_OBJETIVA_PROV_DISC_.PDF
 
ESPAÇO CIÊNCIA: PROGRAMAÇÃO FÉRIAS JULHO 2023
ESPAÇO CIÊNCIA: PROGRAMAÇÃO FÉRIAS JULHO 2023ESPAÇO CIÊNCIA: PROGRAMAÇÃO FÉRIAS JULHO 2023
ESPAÇO CIÊNCIA: PROGRAMAÇÃO FÉRIAS JULHO 2023
 
Resultado homologação concurso professor Olinda
Resultado homologação concurso professor OlindaResultado homologação concurso professor Olinda
Resultado homologação concurso professor Olinda
 
Reajuste do piso dos professores.pdf
Reajuste do piso dos professores.pdfReajuste do piso dos professores.pdf
Reajuste do piso dos professores.pdf
 
analise-de-material-apreendido.pdf
analise-de-material-apreendido.pdfanalise-de-material-apreendido.pdf
analise-de-material-apreendido.pdf
 
Edital Prouni 2º semestre
Edital Prouni 2º semestreEdital Prouni 2º semestre
Edital Prouni 2º semestre
 
2023-05-22E.pdf
2023-05-22E.pdf2023-05-22E.pdf
2023-05-22E.pdf
 
Projeto Piso salarial Pernambuco
Projeto Piso salarial PernambucoProjeto Piso salarial Pernambuco
Projeto Piso salarial Pernambuco
 
Listão 2 convocados UFPE (Caruaru)
Listão 2 convocados UFPE (Caruaru)Listão 2 convocados UFPE (Caruaru)
Listão 2 convocados UFPE (Caruaru)
 
Listão 2 convocação UFPE (Recife)
Listão 2 convocação UFPE (Recife)Listão 2 convocação UFPE (Recife)
Listão 2 convocação UFPE (Recife)
 
agreste.pdf
agreste.pdfagreste.pdf
agreste.pdf
 
vitoria.pdf
vitoria.pdfvitoria.pdf
vitoria.pdf
 
recife.pdf
recife.pdfrecife.pdf
recife.pdf
 

Slides mortalidade

  • 1. Redução da mortalidade na infância no Brasil Setembro de 2013
  • 2. Taxa de mortalidade na infância Óbitos por mil nascidos vivos 1990 62 2000 33 2012 14 Redução de 77% em 22 anos (em menores de 5 anos) *Parâmetro comparado internacionalmente
  • 3. Taxa de mortalidade na infância América Latina-Caribe – 65% Leste da Ásia e Pacífico – 65% Europa Central – 60% Sul da Ásia – 54% África Subsahariana – 45% Leste Europeu e Norte da África – 30% Brasil - redução de 77% em 22 anos
  • 4. Redução da mortalidade na infância foi de 40% nos últimos 10 anos, segundo dados do Ministério da Saúde A redução chegou a 9% entre 2010 e 2012 A região Nordeste foi a que teve maior queda da mortalidade na infância (77%) nos últimos 22 anos, passando de 87,3 para 19,6 óbitos por mil nascidos vivos Destaque para Alagoas (84%), Ceará (82%), Paraíba (81%), Pernambuco (81%) e Rio Grande do Norte (79%) Avanços do Brasil
  • 5. Brasil já atingiu a meta do Objetivos do Milênio (ODM 4) de reduzir em dois terços, até 2015, a mortalidade de crianças menores de 5 anos O governo brasileiro assumiu o compromisso de realizar ações de cooperação internacional com outros países do mundo que ainda não conseguiram cumprir o ODM 4 Objetivos do Milênio
  • 6. Taxa de mortalidade infantil (menores de 1 ano) Óbitos por mil nascidos vivos 1990 46,8 2002 24,7 2010 16 2012 14,6 Redução de 45% em 10 anos Dados do Ministério da Saúde Redução de 9% entre 2010 e 2012
  • 7. Taxa de mortalidade neonatal (até 27 dias) Óbitos por mil nascidos vivos 1990 23,1 2002 15,4 2010 11,1 2012 10,2 Redução de 31% em 10 anos Dados do Ministério da Saúde Redução de 8% entre 2010 e 2012
  • 8. Causas de óbitos na infância • Transtornos respiratórios e cardiovasculares específicos perinatal • Infecções específicas do período perinatal • Feto e recém-nascido afetado por fatores maternos e complicação na gravidez, trabalho de parto • Malformações congênitas do aparelho circulatório • Transtornos relacionadas com a duração da gestação e crescimento fetal
  • 9. Causas de óbitos na infância  A prematuridade* é a principal causa dos óbitos infantis na primeira semana de vida, seguido pela malformação  As duas principais causas de mortalidade infantil pós- neonatal são as infecções da criança e as malformações congênitas, responsáveis por cerca de 50% dos óbitos infantis no período pós-neonatal *IDB-2011da RIPSA Pneumonias (37%) Diarreias/desidratação (25%) Septicemias (24%) Meningites (8%) Bronquiolites (5%)
  • 11. Ampliação da rede de atendimento no Sistema Único de Saúde  Aumento de 23% dos números de leitos de UTI neonatal de 2010 a 2013.  Avanço do número de leitos UTI neonatal  Aumento de 36% das internações neonatais entre 2008 e 2012 2010 3,4 mil 2013 4,2 mil
  • 12. Saúde da família Programa alcança 55,4% da população, por meio de 34.185 equipes, o que representa atendimento a 108 milhões de cidadãos Investimentos de R$ 2,8 bilhões, em 2010 a R$ 3,2 bilhões, em 2012
  • 13. Saúde da família Em municípios com mais de 70% de cobertura da Estratégia Saúde Família, existem 34% menos crianças com baixo peso e cobertura vacinal é 2 vezes melhor do que municípios com baixa cobertura Dados PNDS, 2009
  • 14. Vacinação  O calendário básico infantil oferece 12 vacinas que previnem contra mais de 20 doenças  A cobertura vacinal, nos últimos dez anos, foi de 95%, na média, para a maioria das vacinas do calendário infantil  Redução de 40% de casos de meningites e pneumonias em crianças menores de 2 anos após incorporação meningocócica C conjugada (2011) e Pneumocócica 10 valente (2010)  Com a incorporação da vacina Rotavírus (2010), houve redução 22% da taxa de mortalidade de crianças menores de 5 anos por diarreia. A partir de 2012, o Ministério passou a reforçar a suplementação de Vitamina A para crianças de seis meses a menores de cinco anos
  • 15. Rede Cegonha Lançada em 2011, a Rede Cegonha tem ajudado a diminuir a mortalidade infantil, neonatal e materna no país A iniciativa já atende 98% das gestantes do SUS em 5.009 municípios (até mar/2013) Até 2014, serão R$ 9,4 bilhões em investimentos O programa criou 825 leitos neonatais e 4011 leitos neonatais receberam custeio para qualificação
  • 16. Bancos de leite 8 12 10 55 12 17 7 5 5 3 1 3 4 1 2 1 4 2 6 3 5 10 19 6 8 15 1 212 Bancos 128 postos de coleta Ministério está investindo R$ 3,9 milhões na reforma de 53 Bancos e mais R$ 746 mil para construção de 5 novos até o fim de 2013
  • 17. Aleitamento materno • Hospital Amigo da Criança certifica instituições que cumprem os Dez Passos para o Sucesso do Aleitamento Materno e o Cuidado Amigo da Mulher • Apoio à Mulher Trabalhadora que Amamenta, estimulando a criação de salas de apoio à amamentação em empresas públicas e privadas e a adoção da licença maternidade de 6 meses • Campanhas nacionais alusivas à Semana Mundial da Amamentação e ao Dia de Doação de Leite Humano Nas capitais brasileiras e no DF, o tempo médio de aleitamento materno aumentou em um mês e meio entre 1999 e 2008
  • 18. Bolsa Família levou a uma redução de 20% na taxa de mortalidade infantil no Brasil entre 2004 e 2009, segundo INCT-Citecs Nos casos de mortes por insuficiência nutricional e problemas respiratórios, a queda chega a 60% Estudo realizado pelo Instituto Nacional de Ciência, Inovação e Tecnologia em Saúde da Bahia (INCT-Citecs) Bolsa Família
  • 19. Melhorar sua vida, nosso compromisso Obrigado!