SlideShare uma empresa Scribd logo
UFSM
Relatório de Estagio Profissionalizante
ATIVIDADE FÍSICA RELACIONADA
À SAÚDE
______________________________________
Jorge Luiz dos Santos de Souza
CEF - CEFD
Santa Maria, RS, Brasil
2003
ATIVIDADE FÍSICA RELACIONADA À SAÚDE
______________________________________________________
por
Jorge Luiz dos Santos de Souza
Relatório de Estagio Profissionalizante apresentado ao Curso de
Educação Física: Licenciatura Plena, do Centro de Educação Física e
Desportos da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM, RS), como
requisito parcial para a obtenção do grau de
Licenciado (a) em Educação Física
CEF - CEFD
Santa Maria, RS, Brasil
2003
I - CONSIDERAÇÕES INICIAIS
A disciplina de estágio profissionalizante foi realizada no Núcleo de
Pesquisa em Cineantropometria e Desempenho Humano (Nucidh) do Centro de
Desportos (CDS) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) com estudos
e pesquisa na área de cineantropometria e ainda participando das disciplinas de
informática para educação física e educação física especial do curso de
graduação na condição de disciplina isolada, além da disciplina de
cineantropometria como ouvinte objetivando complemento dos estudos individuais
na área para um melhor desempenho nas pesquisas e trabalhos durante o período
de estágio.
Ao decorrer do relatório irei abordar o porque da escolha de trabalhar com
pesquisa na área de cineantropometria, os motivos pela escolha de atuar no
Nucidh/Centro de Desportos (CDS) da Universidade Federal de Santa Catarina na
cidade de Florianópolis.
Falarei dos objetivos do nosso trabalho em Florianópolis, da metodologia
empregada para atingirmos tais objetivos e do próprio trabalho dentro do núcleo.
Serão abordadas questões sobre as disciplinas realizadas durante este semestre
com a graduação do Departamento de Educação Física.
O estágio na área de cineantropometria justifica-se ao desenvolver novos
conhecimentos relativos aos seus objetos de estudos e solidificar os já
aprendidos, assim como na pesquisa cientifica. Além é claro do interesse pessoal
por tal assunto, poder assim ficar a par dos novos assuntos surgidos através das
pesquisas tendo condições de refletir e contribuir para o surgimento de uma
melhor compreensão do tema, seus usos e aplicações.
A escolha pelo Núcleo de Pesquisa em Cineantropometria e Desempenho
Humano deu-se devido estreita ligação com o nosso Centro de Educação Física e
Desportos, pois muitos de seus membros fizeram o programa de pós-graduação
em Ciência do Movimento Humano do CEFD/UFSM além de pós-graduandos no
CDS/UFSC vindos do nosso curso, bem como por conhecer alguns dos trabalhos
realizados pelo Nucidh na divulgação do conhecimento em cineantropometria e
1
desempenho humano nas diversas linhas que o núcleo comporta. Outra coisa que
motivou foi de ter a oportunidade de conhecer o acelerômetro triaxial Tritac-rt3,
instrumento este ainda pouco utilizado em pesquisas Brasileiras, mas muito
encontrado em literatura internacional.
São objetivos para o estágio profissionalizante: adquirir novos
conhecimentos em cineantropometria; vivenciar a pesquisa científica na área de
cineantropometria; experenciar todas as etapas de uma pesquisa científica e
conhecer as metodologias utilizadas pelo Nucidh;
Para conquistarmos os objetivos descritos acima serão utilizados estudos
em grupos e individuais, trabalhos de campo como coleta de dados para
pesquisas realizadas pelo Núcleo de Cineantropometria e Desempenho Humano,
apresentações de seminários, grupos de discussão, participação de mini-cursos e
palestras realizados pelo Nucidh, reuniões sobre assuntos diversos assim como
reuniões de orientação para a condução das atividades propostas pelo plano de
trabalho finalizando com pesquisas desenvolvidas pelo acadêmico.
Conforme os objetivos do curso e da disciplina de estágio profissionalizante
UFSM/CEFD (2003), busca-se a formação de profissionais capazes de contribuir
no desenvolvimento harmônico do indivíduo proporcionando ao aluno do oitavo
semestre vivências práticas na área de educação física em instituições no Brasil
ou no exterior.
Através das atividades desenvolvidas durante o estágio profissionalizante o
aluno pode analisar todo seu período como acadêmico do curso de educação
física, emitir opiniões sobre sua formação, as disciplinas da grade curricular e
assim contribuir para o aperfeiçoamento e desenvolvimento dos futuros
profissionais a serem formados pela sua instituição.
2
2 – O ESTÁGIO PROFISSIONALIZANTE DE EDUCAÇÃO
FÍSICA
2.1 – CARACTERIZAÇÃO DO CAMPO DE ESTÁGIO
A UFSC foi criada em 18 de dezembro de 1960 após a reunião das varias
faculdades existentes na capital de Santa Catarina sendo oficialmente instalada
em 12 de março de 1962 contando hoje com 56 departamentos e 2
coordenadorias especiais, os quais integram 11 unidades universitárias. São
oferecidos 28 cursos de graduação com 51 habilitações tendo 15.875 alunos
matriculados, a universidade ainda conta com 11 cursos de Doutorado e 31 de
Mestrado com um campus integrado aproximadamente por 20000 pessoas. A
administração da UFSC tem como Reitor o Professor Rodolfo Joaquim Pinto da
Luz e como Vice-Reitor o professor Lúcio José Botelho (UFSC, 2003).
O CDS iniciou suas atividades em 7 de outubro de 1974 sendo reconhecido
em 6 de junho de 1978 através do decreto 81759 da Presidência da República. O
curso de educação física do CDS/UFSC tem como objetivo formar profissionais
licenciados de cunho generalista o habilitando a exercer a função de professor
junto aos sistemas de educação escolar e secundariamente funções educacionais
em opções de trabalho não escolares (CDS, 2003).
O Centro de Desportos conta com o curso de graduação e pós-graduação
em educação física nos níveis de especialização e mestrado, o Laboratório de
Esforço Físico (LAEF), o Núcleo de Pesquisa em Atividade Física e Saúde
(NUPAF); Núcleo de Estudos Pedagógicos em Educação Física (NEPEF); Núcleo
de Estudos em Tênis de Campo (NETEC); Núcleo de Estudos e Pesquisas em
Políticas Esportivas (NEPPE) e o Núcleo de Pesquisa em Cineantropometria e
Desempenho Humano (Nucidh).
O Nucidh teve sua criação em 1996 a partir da linha de pesquisa em
biodinâmica do movimento humano e tem como objetivo produzir e veicular o
conhecimento cientifico em educação física, para o entendimento do crescimento,
exercício, desempenho, nutrição e aprendizagem motora. O Nucidh se propõem a
3
desenvolver projetos de pesquisa, atividades de treinamento acadêmico em
avaliações direcionais às áreas de concentração, promover intercâmbios com
outras instituições de ensino, núcleos de pesquisa e desenvolver projetos
direcionados aos atletas e a comunidade (Nucidh, 2003).
A área predominante do núcleo é ciências da saúde – educação física e
suas linhas de pesquisa subdivide se em:
- Adaptações orgânicas a atividade física;
- Administração e protocolos de medidas;
- Aprendizagem motora;
- Comportamento humano relacionado às atividades físicas;
- Diagnóstico e avaliação da aptidão física;
- Inter-relação entre morfologia e função (cineantropometria);
- Qualidade de vida na velhice e educação física.
Os trabalhos de maior repercussão do Nucidh, que tem como responsável o
prof. Dr. Edio Luiz Petroski e coordenadora a Profa. Nívia Márcia Velho, é a
Revista Brasileira de Cineantropometria e Desempenho Humano, editada a partir
de 1999 e o livro Antropometria: Técnicas e Padronizações que em 2003 teve sua
2 edição lançada.
O estágio possui profunda relação com a pesquisa em adolescentes,
atividade física, hábitos alimentares e estilo de vida, pois uma das tarefas no
núcleo foi de auxiliar na coleta de dados da dissertação de mestrado da Prof.
Paula Ilha, que contempla todos estes aspectos, todavia cineantropometria vai
muito além em seu estudo, pois de acordo com Beuen & Borms apud Böhme
(2000) os conteúdos estudados são os componentes de constituição corporal,
capacidades motoras condicionais e coordenativas, medidas dos níveis de
atividade física, e habilidades motoras.
2.2 – CARACTERIZAÇÃO DA ÁREA DE ESTÁGIO
Cineantropometria segundo Beunen & Borns apud Martins & Waltortt
(2003); Implica em mensurar e avaliar diversos aspectos do homem bem como
4
suas característica físicas tendo o propósito de estudar as variações inter-
humanas considerando características e qualidades do indivíduo, de um grupo e
de grupos comparados entre si. Já Petroski (2003) considera ser a
cineantropometria uma área que estuda a forma, dimensão, proporção,
composição, maturação e o desenvolvimento do corpo na ontogênese humana em
relação ao crescimento, ao desporto, a atividade física e a nutrição. Sendo mais
sucintos De Rose, Pigatto & De Rose (1984) a análise de diferentes aspectos do
indivíduo, em especial os que se relacionam com a sua compleição física, como
forma, proporcionalidade e composição corporal é a cineantropometria. Para
Martins & Waltortt (2003), são varias as aplicações da cineantropometria sendo
ela formada por uma tríade básica, a saber: composição corporal,
proporcionalidade e somatotipia.
O estágio está muito ligado com a composição corporal que para Petroski
(2003) é a quantificação dos principais componentes estruturais do corpo humano
sendo os ossos, músculos e gorduras seus maiores representantes, já Böhme
(2000) dá uma dimensão mais ampla, pois cita a quantidade e proporção dos
diversos constituintes do corpo humano, relacionando-os com a saúde, doença e
qualidade de vida do indivíduo.
Muito de nosso contato com pesquisas incluem a composição corporal em
seus procedimentos como poderemos ver a seguir nas atividades realizadas.
2.3 – CARACTERIZAÇÃO DO PÚBLICO ALVO
Nossos estudos em relação a cineantropometria serão direcionados a
adolescentes e adultos jovens, pois a maioria das pesquisas realizada
compreendeu uma população entre 15 e 24 anos, embora durante os estudos
realizados nas reuniões foram abordadas diferentes idades, desde pré-
adolescentes até a terceira idade. Lembramos que o objetivo do estágio não foi o
de pesquisar somente esta população e sim a pesquisa científica na área de
cineantropometria como um todo, podendo após a conclusão da disciplina
elaborar, executar e dominar os diversos aspectos ligados a área e a pesquisa.
5
2.4 - ATIVIDADES REALIZADAS
O estágio teve começo no dia 19 de fevereiro deste ano com a
apresentação do núcleo ao estagiário vindo da UFSM, embora oficialmente tenha
tido início dia 24/05/2003 conforme calendário acadêmico do CEFD/UFSM. Como
tarefas destaca-se dentro do Nucidh participação em pesquisa (coleta de dados,
elaboração e execução), reunião quinzenal e semanal, além de estudos
individuais. Para Otimizar o período em que estive na UFSC participamos das
disciplinas de Informática aplicada, Educação Física Especial e
Cineantropometria.
2.4.1 - PROJETOS DE PESQUISA
Em primeiro plano conheci a dissertação de minha orientadora, Profª Paula
Ilha, que trata da relação entre nível de atividade física e hábitos alimentares de
adolescentes e estilo de vida dos pais, bem como a coleta de dados que envolvem
a mensuração de massa corporal, estatura, dobras cutâneas tríciptal e
subescapular, onde com estes dados através da equação de Lohman (1986) apud
Petroski (2003) é obtido o percentual de gordura, questionário sócio-econômico do
ANEP (1997) que classifica em classes A, B, C, D a população brasileira,
questionário Estilo de vida Fantástico, validado por Rodrigues-anez & Petroski
(2002) a ser respondido pelos pais, inquérito alimentar e registro das atividades
diárias por três dias sendo um em dia de final de semana para os adolescentes e
mensuração do gasto energético através do acelerômetro triaxial Tritrac-rt3
durante o mesmo período. Os dados foram coletados e estão sendo tabulados
para análise estatística e discussão dos resultados.
Ainda foi mostrada toda documentação necessária para dar seqüência às
pesquisas na UFSC, como o ofício para o comitê de ética, e também os ofícios
para as partes envolvidas na coleta.
6
A primeira parte da coleta foi realizada, no colégio policial militar de
Florianópolis com turmas a partir da 8º série do ensino fundamental até o terceiro
ano do ensino médio em ambos os sexos, todavia para utilização na pesquisa
somente foram classificados os rapazes, esta primeira parte foi até o questionário
do nível sócio-econômico.
Fomos recebidos pelos professores responsáveis da disciplina de educação
física e apresentados para a turma onde a professora responsável pelo trabalho
explicou o objetivo da pesquisa bem como o que seria feito, procedimento este
repetido em todas as turmas analisadas, foram mensuradas as dobras de tríceps e
subescapular para obter o percentual de gordura e aplicado o questionário sócio-
econômico.
Para dar continuidade no trabalho entrávamos em contato com os pais a
fim de obter a autorização para seus filhos participarem da pesquisa utilizando o
acelerômetro, registrando suas atividades desde o acordar até dormir por três
dias, registro da alimentação do café da manhã, lanche da manhã, almoço, lanche
da tarde e janta também por três dias e aplicava-se aos pais o questionário de
estilo de vida fantástico. Este instrumento possui 25 questões divididas em 9
domínios que são: 1) família e amigos, 2) atividade física, 3) nutrição, 4) tabaco e
tóxicos, 5) álcool, 6) sono, cinto de segurança, estresse e sexo seguro, 7) tipo de
comportamento, 8) introspecção e 9) trabalho e visa classificar o estilo de vida em
relação à saúde.
Neste item o estágio foi marcado por intenso trabalho, pois além da referida
tarefa citada acima foi feita uma coleta com os alunos do colégio Aplicação da
UFSC para verificar o gasto energético e o VO2 máximo através da corrida de 20m
vai-e-vem no ginásio do centro de desportos da UFSC onde foi usado o
acelerômetro triaxial Tritrac-rt3 que mensura o gasto energético minuto a minuto
sendo usado na linha da cintura e esta mensuração é feita conforme a variação do
centro de gravidade nos eixos x, y, z; verificado o peso e estatura, dobras
cutâneas de tríceps e subescapular dos indivíduos pesquisados que neste caso
foram apenas do sexo masculino com idades entre 11 e 14 anos.
7
Desta coleta originou-se um resumo apresentado no Congresso Brasileiro
de Medicina do Esporte que realizou-se de 5 a 7 de junho deste ano na cidade de
Florianópolis-SC, todavia mais indivíduos deverão ser analisadas para aumentar a
amostra. Um segundo trabalho enviado para o mesmo congresso citado acima foi
o de Características Morfológicas de Composição Corporal e Neuromotoras de
Adolescentes onde foi analisada a flexibilidade, resistência muscular localizada,
velocidade, percentual de gordura, massa corporal e estatura.
Outro trabalho de pesquisa que desenvolvemos foi o de Estilo de Vida e
Composição Corporal de Jogadoras de Pólo Aquático onde foi verificado a
composição corporal através do percentual de gordura, massa corporal magra
(MCM), massa residual, massa óssea e massa muscular, bem como o estilo de
vida das atletas da UFSC. Desta coleta originou um resumo enviado para a XVIII
Jornada Acadêmica Integrada da Universidade Federal de Santa Maria e um
artigo para XV Simpósio de Educação Física e Desportos do Sul do Brasil em
Ponta Grossa No Paraná.
2.4.2- REUNIÕES QUINZENAIS
A primeira reunião teve a apresentação de pré-defesa da dissertação do
mestrado com autoria de Gustavo de Sá e Souza e orientação da prof(a). Dra.
Maria de Fátima Duarte intitulada “Determinantes da Atividade Física e Estágios
na Mudança de Comportamentos em Adolescentes”, visando reforço e correções
para a defesa do dia 21 de fevereiro.
No início do mês de abril tivemos uma reunião do núcleo sobre programas
estatísticos, neste caso o Excel e o SPSS versão 11.0 ministrado Pelos
doutorandos Ciro Romelio Rodrigues Anez e Rodrigo Siqueira Reis, para
maximizar a utilização durante o tratamento dos dados em pesquisas, este tipo de
8
reunião faz parte do cronograma semestral de encontros do Nucidh apresentados
pelos pesquisadores do núcleo.
O encontro quinzenal do Nucidh teve, além dos assuntos gerais,
apresentação dos resumos enviados para o 16o
Congresso Brasileiro de Medicina
do Esporte, a saber: Análise do efeito de um programa de ginástica no IMC de
idosas, segundo a sociedade canadense de fisiologia do exercício; Eficácia de um
programa de atividade física regular na flexibilidade de idosos após um ano de
treinamento; Gasto energético mensurado por acelerômetro durante teste de VO2
máximo em adolescentes e Características morfológicas, de composição corporal
e neuromotoras de adolescentes. Nesta mesma reunião foi discutido o envio de
trabalhos para o 7o
Congresso Paulista de Educação Física em Jundiaí que foi
realizado no mês de junho.
Outro tema visto foi o programa Nudist, que é um programa de análise
qualitativa, composto de uma aula teórica e uma prática apresentado pela
mestranda Paula M. V. Ilha, foram abordados também os próximos eventos
científicos no país e datas das próximas reuniões.
Seguindo os estudos conjuntos o Ddo. Rodrigo Siqueira Reis apresentou
seu trabalho intitulado “Proposta de Programa de promoção da saúde no trabalho
Para Professores Universitários das Instituições Federais de Ensino Superior do
Sul do Brasil”, Que tem como Orientador o Prof. Dr. Edio Luiz Petroski.
Nas últimas reuniões a ênfase maior foi às apresentações dos Pós-
graduandos do Nucidh. Desta vez foi o Ddo. Ciro Romelio Rodrigues-Anez
apresentar seu trabalho sob título “Proposta de um Sistema de Avaliação para a
Promoção do Estilo de Vida e da Aptidão Física Relacionada à Saúde de Militares”
também orientado pelo professor Edio Petroski. Vale lembrar que tanto o Ddo.
Reis quanto o Rodrigues-Anez são do Programa de Pós Graduação em
Engenharia de Produção.
Estas apresentações dos membros do núcleo para os demais colegas tem
por fim receberem opiniões ou contribuições para assim ter um melhor preparo na
hora de suas defesas ou também quando apresentarem seus trabalhos em
eventos científicos.
9
Na seguinte reunião tivemos a apresentação do projeto de dissertação de
mestrado do Prof. Leandro Hübner da Silva. Seu estudo “As posturas e cargas de
trabalho de faxineiros: um estudo de caso.” Tem como orientador o Prof. Dr. Edio
Luiz Petroski e está em fase de conclusão.
Tivemos ainda a defesa de tese de Doutorado do professor Ciro Romélio
Rodrigues-Anez, com a presença na banca de avaliação do Prof. Dr. João Luiz
Zinn do CEFD/UFSM e do Prof. Dr. Cândido Pires Neto da PUC-Pr, que por
muitos anos atuou no laboratório de cineantropometria da UFSM.
Finalizamos as apresentações com a defesa de mestrado do professor José
Henrrique Ramos “Estudo Retrospectivo dos Efeitos de um Programa de
Reabilitação Cardiovascular sobre Componentes da Aptidão Física Relacionados
a Saúde” também com a presença do Prof. João Luiz Zinn em sua avaliação.
Salientamos que além dos estudos coletivos nestas reuniões também são
abordados assuntos referentes ao funcionamento do Nucidh, a organização e
planejamento de atividades, participação em eventos, assuntos sobre andamento
de pesquisas como as metodologias, meios para divulgação e ética.
2.4.3- REUNIÕES SEMANAIS
A primeira reunião foi de orientação para tratar do plano de trabalho, do
relatório de estágio e do preenchimento do cadastro do campo de estágio, da
carta de recebimento da documentação necessária ao estágio pelo orientador.
Foi decidido os dias e horários a cumprir dentro do Nucidh para trabalhos
que envolvam atividades gerais como preenchimento de documentos, atendimento
a visitantes e interessados nas produções editadas pelo núcleo, que foi as terças e
quintas das 14 às 18 horas. Ficou certo também que assuntos relacionados ao
estágio e confecção do relatório teriam as quintas pela tarde para serem tratados.
Na seguinte semana foi proposto fazer como parte do estágio um projeto de
pesquisa, que atualmente encontra-se em fase de tabulação e interpretação dos
dados, sobre comparação do gasto energético em adolescentes com diferentes
composições corporais.
10
O relatório parcial, que foi entregue no final de maio, teve especial atenção
sobre como fazer a introdução, o que informar neste relatório, sobre o
desenvolvimento e anexos para este período, assim como a avaliação parcial.
Estilo de Vida e Composição Corporal de Jogadoras de Pólo Aquático foi o
outro trabalho decidido nestas reuniões semanais, onde tivemos orientação de
referencial bibliográfico, instrumentos de coleta, tabulação e interpretação dos
dados.
Durante nossos encontros semanais nos era dado a conhecer como fazer
os resumos e artigos para serem enviados aos eventos. Tivemos noções de
estatística básica, como maximizar o uso da informática em nossos estudos, como
fazer da internet uma aliada na busca de referencial teórico confiável.
2.4.4- ESTUDOS INDIVIDUAIS
Nas primeiras semanas buscamos conhecer através dos estudos de artigos
relacionados a obesidade, atividade física e gasto energético um pouco mais dos
assuntos que fariam parte de nosso trabalho durante este semestre em que
estaríamos ligados ao Nucidh.
Foram discutidos os objetivos e metodologias do projeto de pesquisa de
comparação do gasto energético entre adolescentes com diferentes composições
corporais além da pesquisa onde foi verificado o estilo de vida e indicadores
antropométricos de jogadores de pólo aquático.
Fizeram parte dos estudos individuais questões sobre a revisão de
literatura, instrumentos a serem utilizados e procedimentos metodológicos assim
como busca de material bibliográfico para fundamentação teórica dos projetos de
pesquisa, principalmente em relação ao estilo de vida, ao pólo aquático, a
utilização dos questionários Estilo de Vida Fantástico, questionário do nível sócio-
11
econômico, inquérito alimentar, recordatório das atividades diárias e utilização do
acelerômetro triaxial RT3.
2.4.5- AS DISCIPLINAS
Ao ser aberta a matrícula da UFSC para disciplina isolada (aluno especial),
aproveitamos a oportunidade para enriquecer o estágio com as disciplinas DEF-
5141 Educação física especial e DEF-5501 informática aplicada à educação física
bem como a participação na disciplina de cineantropometria para aprofundar os
estudos na área de atuação do estágio através das aulas, trabalhos em grupos, e
demais atividades exigidas pela disciplina.
As disciplinas realizadas no período de estágio, educação física especial,
informática aplicada à educação física e cineantropometria, fazem parte da grade
curricular do curso de graduação em educação física do Centro de Desportos
(CDS) na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), sendo a primeira da
sexta fase e as outras duas disciplinas optativas. Foi decidido realizar estas
disciplinas como mais uma forma de enriquecer a formação profissional já que as
mesmas não são contempladas no currículo do CEFD/UFSM.
Em educação física especial, com a professora Angela Zuchetto, foi
estudado os tipos de deficiência e intervenções possíveis de serem feitas através
da educação física desenvolvimentista. Também fez parte da disciplina aulas
práticas no projeto AMA (atividade motora adaptada) onde uma aula por semana é
dada pelos grupos organizados em aula.
Como principais tarefas tivemos que aprender a fazer o registro cursivo da
aula, onde filmamos as aulas e anotamos todos comportamentos dos alunos
deficientes para posterior análise, tivemos aulas de “vivência” quando passamos
por deficientes nós mesmos com o propósito de saber as dificuldades que os
portadores de necessidades especiais passam e apresentação do seminário final.
A informática aplicada, que teve como professor o “Joca” Joaquim, mostrou
noções básicas de utilização dos principais softwares, histórico, alguns hardware,
estando assim mais voltado para iniciantes.
12
Com os principais programas destacamos a utilização do Microsoft Word
2000, onde além de vermos suas principais ferramentas e recursos nos foi
mostrado como fazermos trabalhos acadêmicos através da utilização da micro
informática.
Com o Programa Excell tivemos a oportunidade de aprofundarmos nossos
conhecimentos das suas possibilidades de utilização, principalmente para sua
aplicação em análise de dados e como ferramenta auxiliar de cálculos estatísticos.
Com o Power Point conhecemos as melhores maneiras de fazermos
apresentações de trabalhos através de slides, a diferença para quando o usarmos
em aula ou em eventos, seus recursos e limitações.
Em cineantropometria foi estudado o histórico, conceitos e as diversas
aplicações tanto na educação física como em outras áreas. Foram feitos
apresentações de seminários e aulas práticas de mensuração de dobras
cutâneas, circunferências, diâmetros ósseos, alturas e comprimentos, além de
aprendermos a utilização da impedância bioelétrica.
Aprendemos o fracionamento do corpo humano em seus diversos
componentes onde segundo a literatura podemos dividí-lo em massa gorda (MG)
e massa corporal magra (MCM) ou ainda em massa gorda, massa óssea (MO),
massa residua (MR) e massa muscular (MM) (De Rose, Pigatto & De Rose, 1984;
Beunen & Borns apud Martins & Waltortt, 2003; Petroski, 2003).
Foi mostrado como escolher as equações certas, suas limitações,
populações adequadas, erros na hora de utilização bem como suas possibilidades
de uso em pesquisas. Esta disciplina teve como ministrante o professor Edio Luiz
Petroski.
2.5 – ANALISANDO A PRÁTICA
Tive grande envolvimento no cotidiano do núcleo e da vida acadêmica
dentro do centro de desportos da UFSC, o que nos possibilitou uma visão mais
ampla sobre o curso, tanto na UFSC como em Santa Maria na UFSM.
13
Estar presente no Nucidh, em suas pesquisas, estudos e reuniões
possibilitou, além de fazer novas amizades, um grande crescimento pessoal e
profissional, bem como ao participar das disciplinas isoladas junto com os
acadêmicos do Departamento de Educação Física do CDS.
A experiência adquirida em pesquisa e o maior conhecimento em
cineantropometria, atividade física e saúde fazem com que tenha valido, cada
instante da disciplina de estágio profissionalizante, mesmo estando longe de casa.
Podemos dizer que hoje, ao contrário de quando começamos a realização
das atividades jundo ao Nucidh, temos uma boa bagagem de conhecimentos que
devem ser cada vez mais exploradas através da pesquisa, do ensino e da
aplicação na vida diária.
Os mini cursos de pacotes estatísticos oferecido pelo Nucidh, as
apresentações de trabalhos a serem enviados aos congressos e as apresentações
de pré-defesas faz com que todos seus participantes estejam cientes do que está
sendo produzido pelo núcleo e a discussão gerada nestas apresentações faz
todos pensarem sobre a questão levantada, sobre os trabalhos e sobre o seu
próprio papel dentro do Nucidh.
Aprendi que pesquisar é uma tarefa séria, prática e sempre que
pesquisamos num assunto de nosso interesse o trabalho torna-se agradável e
fascinante. Quando através dos resultados de uma pesquisa podemos visualizar o
que está escrito nos livros ou artigos, isto faz refletir cada vez mais sobre a
interação entre teoria e prática, uma sem a outra não existe. È preciso a teoria
para fundamentar a prática, assim como, é preciso a prática para sustentar a
teoria.
Creio estar em plenas condições de desenvolver trabalhos científicos em
cineantropometria bem como atuar de forma consciente nas suas mais variadas
aplicações em qualquer lugar onde estaremos trabalhando dando maior qualidade
ao nosso desempenho profissional.
14
3 - CONSIDERAÇÕES FINAIS
A disciplina de estágio profissionalizante certamente é uma das mais
importantes de todo o currículo, pois é nela que iremos por a prova toda nossa
formação acadêmica tanto em esforço pessoal como o próprio curso. Nesta fase
da graduação adquirimos conhecimentos novos, solidificamos alguns já existentes
e outros iremos guardá-los para talvez um dia utilizá-lo, sendo este semestre final
muito rico para minha formação profissional e pessoal.
Profissional pelo motivo de estar trabalhando com uma linha de
conhecimento onde não tinha a experiência que gostaria de ter e agora esta foi
oportunizada, além de conhecer mais sobre cineantropometria descobri o gosto da
pesquisa científica.
Para alguém antes totalmente “prático” do início do curso até o semestre
passado, ficar horas lendo ou pesquisando na frente de um computador, ou ainda
se preocupar com estatística, população, amostra, materiais e métodos, isto não
passava de uma certa admiração por quem conseguia ter a dedicação e paciência
necessária para tal tarefa, hoje com a ajuda dos colegas, professores,
pesquisadores e orientadora no Nucidh consegui.
No Núcleo de Pesquisa em Cineantropometria e Desempenho Humano fui
muito bem recebido por todos ficando eu muito a vontade para desempenhar
minhas funções, pois tive acesso aos pesquisadores, coordenadora e
responsável, assim como os demais colegas do Nucidh. Tive acesso também ao
material produzido pelo núcleo e demais ferramentas que precisei no decorrer dos
trabalhos.
15
Quanto a orientação recebida só tenho o dever de corresponder cada vez
mais e melhor a confiança e o trabalho em minha pessoa depositada. Recebi o
acompanhamento da orientadora em todas as etapas do estágio; reuniões onde
foram discutidos assuntos de interesse do estágio e do núcleo, sugestões para
correta execução das tarefas, da confecção do relatório e ainda apoio em algumas
dificuldades posteriormente relatadas.
No Centro de Desportos a participação nas citadas disciplinas da
graduação deu uma visão das diferenças entre os cursos de educação física da
Universidade Federal de Santa Maria e de Santa Catarina. A grade curricular é
diferente entre as duas, como era de se esperar, e tem na UFSC disciplinas que
faltam em nosso currículo ou são apenas ACGs no CEFD, como as que fiz.
Algo positivo do Centro de Educação Física e Desportos da UFSM é a
participação dos acadêmicos em projetos de pesquisa e extensão mesmo de
forma voluntária, isto é muito incentivado em Santa Maria oportunizando assim
uma formação prática muito boa. Tenho certeza que foi por causa desta
experiência nos projetos Idoso Natação & saúde e Natação Para Todos da UFSM
que fui convidado pela coordenadora do projeto AMA, Professora Ângela
Zuchetto, a trabalhar com eles na piscina e com atividade motora adaptada.
Sobre as dificuldades encontradas neste período referem-se as condições
mínimas para assegurar um bom desempenho dos alunos matriculados em
disciplinas isoladas (aluno especial). As informações dadas a estes são
insuficientes e ambíguas como se todos já conhecessem os estatutos da UFSC ou
do CDS, somente após um mês de aula consegui acesso à biblioteca central (BC),
o acesso ao restaurante universitário (RU) foi liberado uma semana depois do da
BC, muito tardiamente tive acesso ao núcleo de informática e a biblioteca setorial
do Centro de Desportos. Esta situação foi informada a coordenação do curso em
Santa Maria onde receBI orientações de como proceder e algumas saídas para
tais empecilhos.
Enquanto durava esta situação tinha permissão da orientadora de usar sua
matrícula para pegar livros na biblioteca, usar o RU e o núcleo de informática.
Outra situação que chamou muito a atenção: na UFSC aluno especial pagar dois
16
reais por disciplina na hora da matrícula e a taxa para quem reprova por
freqüência é de vinte reais.
Para finalizar devo dizer que consegui atingir os objetivos propostos pelo
estágio, sinto-me mais seguro ao lidar com o assunto cineantropometria, estou
mais a vontade com a pesquisa científica, adquiri conhecimentos sobre as várias
etapas de uma pesquisa e ainda vivenciei outra visão de graduação, além de
melhorar a perspectiva do que é um curso de pós-graduação, pois tinha contato
com a turma do mestrado e da especialização.
Ganhei muito mais que conhecimentos isolados em determinado assunto,
através desta visão mais ampla adquirida nesses meses sugiro que nosso curso
inclua as disciplinas de cineantropometria, educação física especial, informática
aplicada, lingua estrangeira instrumental e portuguesa instrumental. Estas fazem
parte do currículo da UFSC e mostram sua eficiência pela facilidade de expressão
dos seus acadêmicos em tais assuntos.
Considero que nosso curso da UFSM tem disciplinas muito valiosas que
ainda não fazem parte da grade curricular obrigatoria, como é o caso de
aprendizagem motora, fundamentos cinesiológicos do movimento humano,
educação física métodos e técnicas, educação psicomotora e estatística.
Uma idéia que poderia ser adotada em nível nacional são as atividades
complementres de graduação (ACGs) nos moldes da UFSM, que oportunizam aos
acadêmicos relatarem suas experiências fora da instituição universitária mas as
aproveitando em sua formação.
Com a nova resolução sobre o ensino da educação física no país em que
divide-se o curso em licenciatura e bacharelado creio que quem sairá perdendo
serão os próprios alunos quanto ao mercado de trabalho, mas em relação ao
ensino creio que será possível aprofundar nas questões pedagógicas quem for
para a licenciatura e a questões técnicas quem for para o bacharelado.
17
IV- BIBLIOGRAFIA
BAGATINI, V.F. Educação Física para Excepcional, 5 edição, Sagra, Porto
Alegre, 1994.
BITTAR, A.F., Portadores de deficiência - Inclusão, Curso de capacitação de
recursos humanos no esporte, editora da Ulbra, Canoas, 2001.
Duarte, M.F.S. e Duarte, R.C; Validade do teste aeróbico de corrida de vai-e-
vem de 20 metros. Revista Brasileira de Ciência e Movimento, V.9. nº3; Brasília,
Junho 2001
FERREIRA, A.I. de F., Avaliação motora para pessoa deficiente mental nas
APAEs de Campinas - SP: um estudo de caso, tese de doutorado, Campinas,
Universidade Estadual de Campinas, 1997.
FERREIRA, M.B.R., O ser anthropos: a databilidade, alteridade, diferenças e
diálogo in: IV Congresso Brasileiro de Atividade Motora Adaptada, ANAIS,
Curitiba, Parana, Brasil, 2001
MAGILL, R.A., Aprendizagem motora: conceitos e aplicações, editora Edgard
Blücher Ltda, São Paulo, 1984.
18
OLIVEIRA, M.M. e Maia, J.A; Avaliação da atividade física em contextos
epidemiológicos.Uma revisão da validade e fialidade do acelerômetro Tritrac-
r3d, do pedômetro Yamax Digi-walker e do questionário de Baecke. Revista
Portuguesa de Ciências do Desporto, v.1 nº3 2001.
PETROSKI, E.L; Antropometria: técnicas e padronizações- 2°edição Gráfica e
Editora Pallotti; Porto Alegre, 2003.
PIRES, M.C; Crescimento, composição corporal e estilo de vida de escolares
no município de Florianópolis-SC, Brasil. Dissertação de Mestrado;
Florianópolis-SC, 2002.
ROSADAS, S.C. Educação Física Especial para Deficientes, 3 edição, Livraria
Ateneu Editora, São Paulo, 1991.
SILVIA, R.C.R. e Malina, R.M; Nível de atividade física em adolescentes do
município de Niterói, Rio de Janeiro, Brasil. Caderno de Saúde Pública; Rio de
Janeiro, 2000.
SINGER, R.N. & DICK, W., Ensinando Educação Física: uma abordagem
sistêmica, editora Globo, Porto Alegre, 1980.
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA. Centro de Desportos. Nucidh.
Revista Brasileira de cineantropometria e Desempenho Humano-V.1
n°1;Florianópolis: imprensa universitária, 1999.
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA. Centro de Desportos. Nucidh.
Revista Brasileira de Cineantropometria e Desempenho Humano-V.2 n°1;
Florianópolis: imprensa universitária, 2000.
19
V- REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
BÖHME, M.T.S; Cineantropometria- Componentes da composição corporal in:
Revista Brasileira de Cineantropometria e Desempenho Humano/ Universidade
Federal de Santa Catarina. Centro de Desportos. Nucidh.- V.2 n°1; Florianópolis:
imprensa universitária, 2000.
CENTRO DE DESPORTOS. Disponível em: http://www.cds.ufsc.br acesso em 27
de março de 2003.
CENTRO DE EDUCAÇÃO FÍSICA E DESPORTOS. Disponível em
http://www.ufsm.br/cefd Acesso em 05 de julho de 2003.
DE ROSE, E.H.; PIGATTO, E.; DE ROSE, R.C.F; Cineantropometria, educação
física e treinamento desportivo. Prêmio Lisellot Diem de Literetura Desportiva
1981, Ministério da Educação e Cultura, Fundação de Assistência ao Estudante,
Rio de Janeiro.
MARTINS, M.de O. e WALTORTT, L.C.B; Antropometria: uma revisão histórica
in: Petroski, E.L; Antropometria: técnicas e padronizações- 2°edição Gráfica e
Editora Pallotti; Porto Alegre, 2003.
20
NÚCLEO DE PESQUISA EM CINEANTROPOMETRIA E DESEMPENHO
HUMANO. Disponível em http://www.nucidh.ufsc.br acesso em 27 de março de
2003.
PETROSKI, E.L; Antropometria: técnicas e padronizações- 2°edição Gráfica e
Editora Pallotti; Porto Alegre, 2003.
UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA. Histórico. Disponível em:
http://www.ufsc.br acesso em 27 de março de 2003.
21

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Apostila fundamentos da ginástica
Apostila fundamentos da ginásticaApostila fundamentos da ginástica
Apostila fundamentos da ginástica
Nayara de Queiroz
 
Aparelhos de Ginástica Rítmica
Aparelhos de Ginástica RítmicaAparelhos de Ginástica Rítmica
Aparelhos de Ginástica Rítmica
Vivianne Oliveira
 
A utilização do judô nas aulas de educação física para melhoria dos aspectos ...
A utilização do judô nas aulas de educação física para melhoria dos aspectos ...A utilização do judô nas aulas de educação física para melhoria dos aspectos ...
A utilização do judô nas aulas de educação física para melhoria dos aspectos ...
Chicao Serra Talhada
 
Divulgação dos trabalhos aprovados
Divulgação dos trabalhos aprovadosDivulgação dos trabalhos aprovados
Divulgação dos trabalhos aprovados
Ever Amaral
 
Programa Educação Física - Cursos Profissionais
Programa Educação Física - Cursos ProfissionaisPrograma Educação Física - Cursos Profissionais
Programa Educação Física - Cursos Profissionais
Maria João Vasconcelos
 
Anais III Extremos do sul 2013
Anais III Extremos do sul 2013Anais III Extremos do sul 2013
Anais III Extremos do sul 2013
Ever Amaral
 
Treinamento funcional
Treinamento funcionalTreinamento funcional
Treinamento funcional
ryenne22
 
Livro recomendacoes confef atenção básica
Livro recomendacoes confef atenção básicaLivro recomendacoes confef atenção básica
Livro recomendacoes confef atenção básica
jorge luiz dos santos de souza
 
Metodologia multi funcional
Metodologia multi funcionalMetodologia multi funcional
Metodologia multi funcional
marcelosilveirazero1
 
8º ano a fátima-ef-2ºsemestre
8º ano a fátima-ef-2ºsemestre8º ano a fátima-ef-2ºsemestre
8º ano a fátima-ef-2ºsemestre
Fatima Moraes
 
Modulo 07 - elementos do processo de pesquisa em esporte escolar - pré-projeto
Modulo 07  - elementos do processo de pesquisa em esporte escolar - pré-projetoModulo 07  - elementos do processo de pesquisa em esporte escolar - pré-projeto
Modulo 07 - elementos do processo de pesquisa em esporte escolar - pré-projeto
marcelosilveirazero1
 
Apresentação do artigo "O judô enquanto instrumento pedagógico nas aulas de E...
Apresentação do artigo "O judô enquanto instrumento pedagógico nas aulas de E...Apresentação do artigo "O judô enquanto instrumento pedagógico nas aulas de E...
Apresentação do artigo "O judô enquanto instrumento pedagógico nas aulas de E...
Ronaldo Rodrigues Moises
 
Formacao didactica da-orientacao_na_escola
Formacao didactica da-orientacao_na_escolaFormacao didactica da-orientacao_na_escola
Formacao didactica da-orientacao_na_escola
Sérgio Abreu
 
Treinamento fisico
Treinamento fisicoTreinamento fisico
Treinamento fisico
williamwmo
 
Mtb 31 condicionamento fisico
Mtb 31 condicionamento fisicoMtb 31 condicionamento fisico
Mtb 31 condicionamento fisico
roaugustus2010
 
Profissional em educação física na área de saúde da família
Profissional em educação física na área de saúde da famíliaProfissional em educação física na área de saúde da família
Profissional em educação física na área de saúde da família
jorge luiz dos santos de souza
 
Profissional em educação física na área de saúde mental
Profissional em educação física na área de saúde mentalProfissional em educação física na área de saúde mental
Profissional em educação física na área de saúde mental
jorge luiz dos santos de souza
 
Plano 7º 2013
Plano 7º 2013Plano 7º 2013
Plano 7º 2013
Marcio Lucasdacruz
 
Profissional em educação física na área de saúde coletiva
Profissional em educação física na área de saúde coletivaProfissional em educação física na área de saúde coletiva
Profissional em educação física na área de saúde coletiva
jorge luiz dos santos de souza
 
O atletismo na moda outra vez
O atletismo na moda outra vezO atletismo na moda outra vez
O atletismo na moda outra vez
SILVANARAUJO
 

Mais procurados (20)

Apostila fundamentos da ginástica
Apostila fundamentos da ginásticaApostila fundamentos da ginástica
Apostila fundamentos da ginástica
 
Aparelhos de Ginástica Rítmica
Aparelhos de Ginástica RítmicaAparelhos de Ginástica Rítmica
Aparelhos de Ginástica Rítmica
 
A utilização do judô nas aulas de educação física para melhoria dos aspectos ...
A utilização do judô nas aulas de educação física para melhoria dos aspectos ...A utilização do judô nas aulas de educação física para melhoria dos aspectos ...
A utilização do judô nas aulas de educação física para melhoria dos aspectos ...
 
Divulgação dos trabalhos aprovados
Divulgação dos trabalhos aprovadosDivulgação dos trabalhos aprovados
Divulgação dos trabalhos aprovados
 
Programa Educação Física - Cursos Profissionais
Programa Educação Física - Cursos ProfissionaisPrograma Educação Física - Cursos Profissionais
Programa Educação Física - Cursos Profissionais
 
Anais III Extremos do sul 2013
Anais III Extremos do sul 2013Anais III Extremos do sul 2013
Anais III Extremos do sul 2013
 
Treinamento funcional
Treinamento funcionalTreinamento funcional
Treinamento funcional
 
Livro recomendacoes confef atenção básica
Livro recomendacoes confef atenção básicaLivro recomendacoes confef atenção básica
Livro recomendacoes confef atenção básica
 
Metodologia multi funcional
Metodologia multi funcionalMetodologia multi funcional
Metodologia multi funcional
 
8º ano a fátima-ef-2ºsemestre
8º ano a fátima-ef-2ºsemestre8º ano a fátima-ef-2ºsemestre
8º ano a fátima-ef-2ºsemestre
 
Modulo 07 - elementos do processo de pesquisa em esporte escolar - pré-projeto
Modulo 07  - elementos do processo de pesquisa em esporte escolar - pré-projetoModulo 07  - elementos do processo de pesquisa em esporte escolar - pré-projeto
Modulo 07 - elementos do processo de pesquisa em esporte escolar - pré-projeto
 
Apresentação do artigo "O judô enquanto instrumento pedagógico nas aulas de E...
Apresentação do artigo "O judô enquanto instrumento pedagógico nas aulas de E...Apresentação do artigo "O judô enquanto instrumento pedagógico nas aulas de E...
Apresentação do artigo "O judô enquanto instrumento pedagógico nas aulas de E...
 
Formacao didactica da-orientacao_na_escola
Formacao didactica da-orientacao_na_escolaFormacao didactica da-orientacao_na_escola
Formacao didactica da-orientacao_na_escola
 
Treinamento fisico
Treinamento fisicoTreinamento fisico
Treinamento fisico
 
Mtb 31 condicionamento fisico
Mtb 31 condicionamento fisicoMtb 31 condicionamento fisico
Mtb 31 condicionamento fisico
 
Profissional em educação física na área de saúde da família
Profissional em educação física na área de saúde da famíliaProfissional em educação física na área de saúde da família
Profissional em educação física na área de saúde da família
 
Profissional em educação física na área de saúde mental
Profissional em educação física na área de saúde mentalProfissional em educação física na área de saúde mental
Profissional em educação física na área de saúde mental
 
Plano 7º 2013
Plano 7º 2013Plano 7º 2013
Plano 7º 2013
 
Profissional em educação física na área de saúde coletiva
Profissional em educação física na área de saúde coletivaProfissional em educação física na área de saúde coletiva
Profissional em educação física na área de saúde coletiva
 
O atletismo na moda outra vez
O atletismo na moda outra vezO atletismo na moda outra vez
O atletismo na moda outra vez
 

Semelhante a Relatório de estágio profissionalizante ufsm 2003

Prescrição de Exercicios e Atividade Física para crianças e adolescentes - CR...
Prescrição de Exercicios e Atividade Física para crianças e adolescentes - CR...Prescrição de Exercicios e Atividade Física para crianças e adolescentes - CR...
Prescrição de Exercicios e Atividade Física para crianças e adolescentes - CR...
marcelosilveirazero1
 
Apresentação eefe 20170123
Apresentação   eefe 20170123Apresentação   eefe 20170123
Apresentação eefe 20170123
eefeusp
 
Fisiologia do exercício
Fisiologia do exercício Fisiologia do exercício
Fisiologia do exercício
WillWanderkaay
 
Fisioterapeuta de sucesso
Fisioterapeuta de sucessoFisioterapeuta de sucesso
Fisioterapeuta de sucesso
Eduardo Santana Cordeiro
 
Dos questionários de atividade física ao método da escuta: para além da críti...
Dos questionários de atividade física ao método da escuta: para além da críti...Dos questionários de atividade física ao método da escuta: para além da críti...
Dos questionários de atividade física ao método da escuta: para além da críti...
Rodrigo Hisgail de Almeida Nogueira
 
Feira das Profissões - Educação Física - UESC
Feira das Profissões - Educação Física - UESCFeira das Profissões - Educação Física - UESC
Feira das Profissões - Educação Física - UESC
Alisson Soares
 
Educação física no ensino médio e fisiologia do exercício
Educação física no ensino médio e fisiologia do exercícioEducação física no ensino médio e fisiologia do exercício
Educação física no ensino médio e fisiologia do exercício
Marcos Ferreira
 
Esporte ensino -saúde e políticas públicas
Esporte ensino -saúde e políticas públicasEsporte ensino -saúde e políticas públicas
Esporte ensino -saúde e políticas públicas
marcelosilveirazero1
 
Apresentação us pi_tec
Apresentação us pi_tecApresentação us pi_tec
Apresentação us pi_tec
eefeusp
 
14. didatica aplicada a ef
14. didatica aplicada a ef14. didatica aplicada a ef
14. didatica aplicada a ef
Anderson Madeira
 
Diretrizes EAFUV 2016
Diretrizes EAFUV 2016Diretrizes EAFUV 2016
Diretrizes EAFUV 2016
primeirolivro
 
Diretrizes EAFUV 2016
Diretrizes EAFUV 2016Diretrizes EAFUV 2016
Diretrizes EAFUV 2016
Amanda Cristina
 
Treinamento funcional Uma aboragem pratica 3ed - Artur Guerrini Monteiro.pdf
Treinamento funcional  Uma aboragem pratica 3ed - Artur Guerrini Monteiro.pdfTreinamento funcional  Uma aboragem pratica 3ed - Artur Guerrini Monteiro.pdf
Treinamento funcional Uma aboragem pratica 3ed - Artur Guerrini Monteiro.pdf
Leonardo dos santos macedo
 
74166726 imagem-corporal
74166726 imagem-corporal74166726 imagem-corporal
74166726 imagem-corporal
Vivianne Oliveira
 
Esporte e analise
Esporte e analiseEsporte e analise
Esporte e analise
Gelsa Silva
 
O Que é EducaçãO FíSica Pro Info
O Que é EducaçãO FíSica Pro InfoO Que é EducaçãO FíSica Pro Info
O Que é EducaçãO FíSica Pro Info
GreiceKelly
 
Efeito 6 meses jogos adaptados idosos
Efeito 6 meses jogos adaptados idososEfeito 6 meses jogos adaptados idosos
Efeito 6 meses jogos adaptados idosos
ProfessorMarceloBorges
 
Atividades Físicas e Esportivas para Pessoas com Deficiência Física.pptx
Atividades Físicas e Esportivas para Pessoas com Deficiência Física.pptxAtividades Físicas e Esportivas para Pessoas com Deficiência Física.pptx
Atividades Físicas e Esportivas para Pessoas com Deficiência Física.pptx
Mirian Bovi Borba
 
O corpo humano em desenvovimento aspectos biológicos anatômicos e maturaciona...
O corpo humano em desenvovimento aspectos biológicos anatômicos e maturaciona...O corpo humano em desenvovimento aspectos biológicos anatômicos e maturaciona...
O corpo humano em desenvovimento aspectos biológicos anatômicos e maturaciona...
HELENO FAVACHO
 

Semelhante a Relatório de estágio profissionalizante ufsm 2003 (20)

Prescrição de Exercicios e Atividade Física para crianças e adolescentes - CR...
Prescrição de Exercicios e Atividade Física para crianças e adolescentes - CR...Prescrição de Exercicios e Atividade Física para crianças e adolescentes - CR...
Prescrição de Exercicios e Atividade Física para crianças e adolescentes - CR...
 
Apresentação eefe 20170123
Apresentação   eefe 20170123Apresentação   eefe 20170123
Apresentação eefe 20170123
 
Fisiologia do exercício
Fisiologia do exercício Fisiologia do exercício
Fisiologia do exercício
 
Grupo de pesquisa Dom fisiologia
Grupo de pesquisa Dom fisiologiaGrupo de pesquisa Dom fisiologia
Grupo de pesquisa Dom fisiologia
 
Fisioterapeuta de sucesso
Fisioterapeuta de sucessoFisioterapeuta de sucesso
Fisioterapeuta de sucesso
 
Dos questionários de atividade física ao método da escuta: para além da críti...
Dos questionários de atividade física ao método da escuta: para além da críti...Dos questionários de atividade física ao método da escuta: para além da críti...
Dos questionários de atividade física ao método da escuta: para além da críti...
 
Feira das Profissões - Educação Física - UESC
Feira das Profissões - Educação Física - UESCFeira das Profissões - Educação Física - UESC
Feira das Profissões - Educação Física - UESC
 
Educação física no ensino médio e fisiologia do exercício
Educação física no ensino médio e fisiologia do exercícioEducação física no ensino médio e fisiologia do exercício
Educação física no ensino médio e fisiologia do exercício
 
Esporte ensino -saúde e políticas públicas
Esporte ensino -saúde e políticas públicasEsporte ensino -saúde e políticas públicas
Esporte ensino -saúde e políticas públicas
 
Apresentação us pi_tec
Apresentação us pi_tecApresentação us pi_tec
Apresentação us pi_tec
 
14. didatica aplicada a ef
14. didatica aplicada a ef14. didatica aplicada a ef
14. didatica aplicada a ef
 
Diretrizes EAFUV 2016
Diretrizes EAFUV 2016Diretrizes EAFUV 2016
Diretrizes EAFUV 2016
 
Diretrizes EAFUV 2016
Diretrizes EAFUV 2016Diretrizes EAFUV 2016
Diretrizes EAFUV 2016
 
Treinamento funcional Uma aboragem pratica 3ed - Artur Guerrini Monteiro.pdf
Treinamento funcional  Uma aboragem pratica 3ed - Artur Guerrini Monteiro.pdfTreinamento funcional  Uma aboragem pratica 3ed - Artur Guerrini Monteiro.pdf
Treinamento funcional Uma aboragem pratica 3ed - Artur Guerrini Monteiro.pdf
 
74166726 imagem-corporal
74166726 imagem-corporal74166726 imagem-corporal
74166726 imagem-corporal
 
Esporte e analise
Esporte e analiseEsporte e analise
Esporte e analise
 
O Que é EducaçãO FíSica Pro Info
O Que é EducaçãO FíSica Pro InfoO Que é EducaçãO FíSica Pro Info
O Que é EducaçãO FíSica Pro Info
 
Efeito 6 meses jogos adaptados idosos
Efeito 6 meses jogos adaptados idososEfeito 6 meses jogos adaptados idosos
Efeito 6 meses jogos adaptados idosos
 
Atividades Físicas e Esportivas para Pessoas com Deficiência Física.pptx
Atividades Físicas e Esportivas para Pessoas com Deficiência Física.pptxAtividades Físicas e Esportivas para Pessoas com Deficiência Física.pptx
Atividades Físicas e Esportivas para Pessoas com Deficiência Física.pptx
 
O corpo humano em desenvovimento aspectos biológicos anatômicos e maturaciona...
O corpo humano em desenvovimento aspectos biológicos anatômicos e maturaciona...O corpo humano em desenvovimento aspectos biológicos anatômicos e maturaciona...
O corpo humano em desenvovimento aspectos biológicos anatômicos e maturaciona...
 

Mais de jorge luiz dos santos de souza

Comunicação Não Violenta e Escuta Qualificada
Comunicação Não Violenta e Escuta QualificadaComunicação Não Violenta e Escuta Qualificada
Comunicação Não Violenta e Escuta Qualificada
jorge luiz dos santos de souza
 
NAAF Campus Vacaria
NAAF Campus VacariaNAAF Campus Vacaria
NAAF Campus Vacaria
jorge luiz dos santos de souza
 
Projeto Escuta!
Projeto Escuta!Projeto Escuta!
Princípios da Administração Pública
Princípios da Administração PúblicaPrincípios da Administração Pública
Princípios da Administração Pública
jorge luiz dos santos de souza
 
Comunicação Não Violenta
Comunicação Não ViolentaComunicação Não Violenta
Comunicação Não Violenta
jorge luiz dos santos de souza
 
Outubro rosa e novembro azul 2018
Outubro rosa e novembro azul 2018Outubro rosa e novembro azul 2018
Outubro rosa e novembro azul 2018
jorge luiz dos santos de souza
 
Cuidado de Si & Saúde Neurofisiológica
Cuidado de Si & Saúde NeurofisiológicaCuidado de Si & Saúde Neurofisiológica
Cuidado de Si & Saúde Neurofisiológica
jorge luiz dos santos de souza
 
EDUCAÇÃO, AÇÕES AFIRMATIVAS E OS DIREITOS HUMANOS
EDUCAÇÃO, AÇÕES AFIRMATIVAS E OS DIREITOS HUMANOS EDUCAÇÃO, AÇÕES AFIRMATIVAS E OS DIREITOS HUMANOS
EDUCAÇÃO, AÇÕES AFIRMATIVAS E OS DIREITOS HUMANOS
jorge luiz dos santos de souza
 
Relato de Experiência: Apresentação de Palestra no Curso de Introdução à Vida...
Relato de Experiência: Apresentação de Palestra no Curso de Introdução à Vida...Relato de Experiência: Apresentação de Palestra no Curso de Introdução à Vida...
Relato de Experiência: Apresentação de Palestra no Curso de Introdução à Vida...
jorge luiz dos santos de souza
 
MÉDICOS DÁ ARTE: BLOG COMO FERRAMENTA DE DIVULGAÇÃO E PROMOTOR DOS PROCESSOS ...
MÉDICOS DÁ ARTE: BLOG COMO FERRAMENTA DE DIVULGAÇÃO E PROMOTOR DOS PROCESSOS ...MÉDICOS DÁ ARTE: BLOG COMO FERRAMENTA DE DIVULGAÇÃO E PROMOTOR DOS PROCESSOS ...
MÉDICOS DÁ ARTE: BLOG COMO FERRAMENTA DE DIVULGAÇÃO E PROMOTOR DOS PROCESSOS ...
jorge luiz dos santos de souza
 
REIKI NO CAMPUS: UMA EXPERIENCIA COM TERAPIAS COMPLEMENTARES NO CURSO DE MEDI...
REIKI NO CAMPUS: UMA EXPERIENCIA COM TERAPIAS COMPLEMENTARES NO CURSO DE MEDI...REIKI NO CAMPUS: UMA EXPERIENCIA COM TERAPIAS COMPLEMENTARES NO CURSO DE MEDI...
REIKI NO CAMPUS: UMA EXPERIENCIA COM TERAPIAS COMPLEMENTARES NO CURSO DE MEDI...
jorge luiz dos santos de souza
 
PROJETO ATITUDES QUE SALVAM VIDAS NA VISÃO DE SEUS INTEGRANTES: RELATOS BASEA...
PROJETO ATITUDES QUE SALVAM VIDAS NA VISÃO DE SEUS INTEGRANTES: RELATOS BASEA...PROJETO ATITUDES QUE SALVAM VIDAS NA VISÃO DE SEUS INTEGRANTES: RELATOS BASEA...
PROJETO ATITUDES QUE SALVAM VIDAS NA VISÃO DE SEUS INTEGRANTES: RELATOS BASEA...
jorge luiz dos santos de souza
 
INTRODUÇÃO À VIDA ACADÊMICA: APRESENTANDO A UNIVERSIDADE E SUAS POSSIBILIDADE...
INTRODUÇÃO À VIDA ACADÊMICA: APRESENTANDO A UNIVERSIDADE E SUAS POSSIBILIDADE...INTRODUÇÃO À VIDA ACADÊMICA: APRESENTANDO A UNIVERSIDADE E SUAS POSSIBILIDADE...
INTRODUÇÃO À VIDA ACADÊMICA: APRESENTANDO A UNIVERSIDADE E SUAS POSSIBILIDADE...
jorge luiz dos santos de souza
 
EDUCAÇÃO E OS DIREITOS HUMANOS NA UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL
EDUCAÇÃO E OS DIREITOS HUMANOS NA UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SULEDUCAÇÃO E OS DIREITOS HUMANOS NA UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL
EDUCAÇÃO E OS DIREITOS HUMANOS NA UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL
jorge luiz dos santos de souza
 
COMUNIDADES QUILOMBOLAS DO RIO GRANDE DO SUL: HISTÓRIA, CULTURA, SABERES E PR...
COMUNIDADES QUILOMBOLAS DO RIO GRANDE DO SUL: HISTÓRIA, CULTURA, SABERES E PR...COMUNIDADES QUILOMBOLAS DO RIO GRANDE DO SUL: HISTÓRIA, CULTURA, SABERES E PR...
COMUNIDADES QUILOMBOLAS DO RIO GRANDE DO SUL: HISTÓRIA, CULTURA, SABERES E PR...
jorge luiz dos santos de souza
 
Bem estar e qualidade de vida para profissionais da saúde
Bem estar e qualidade de vida para profissionais da saúdeBem estar e qualidade de vida para profissionais da saúde
Bem estar e qualidade de vida para profissionais da saúde
jorge luiz dos santos de souza
 
Perímetros corporais trabalho cds-ufsc
Perímetros corporais trabalho cds-ufscPerímetros corporais trabalho cds-ufsc
Perímetros corporais trabalho cds-ufsc
jorge luiz dos santos de souza
 
Educação Física Especial
Educação Física EspecialEducação Física Especial
Educação Física Especial
jorge luiz dos santos de souza
 
O Nado golfinho
O Nado golfinhoO Nado golfinho
A Influência das Atividades Aquáticas nos Domínios do Comportamento Humano em...
A Influência das Atividades Aquáticas nos Domínios do Comportamento Humano em...A Influência das Atividades Aquáticas nos Domínios do Comportamento Humano em...
A Influência das Atividades Aquáticas nos Domínios do Comportamento Humano em...
jorge luiz dos santos de souza
 

Mais de jorge luiz dos santos de souza (20)

Comunicação Não Violenta e Escuta Qualificada
Comunicação Não Violenta e Escuta QualificadaComunicação Não Violenta e Escuta Qualificada
Comunicação Não Violenta e Escuta Qualificada
 
NAAF Campus Vacaria
NAAF Campus VacariaNAAF Campus Vacaria
NAAF Campus Vacaria
 
Projeto Escuta!
Projeto Escuta!Projeto Escuta!
Projeto Escuta!
 
Princípios da Administração Pública
Princípios da Administração PúblicaPrincípios da Administração Pública
Princípios da Administração Pública
 
Comunicação Não Violenta
Comunicação Não ViolentaComunicação Não Violenta
Comunicação Não Violenta
 
Outubro rosa e novembro azul 2018
Outubro rosa e novembro azul 2018Outubro rosa e novembro azul 2018
Outubro rosa e novembro azul 2018
 
Cuidado de Si & Saúde Neurofisiológica
Cuidado de Si & Saúde NeurofisiológicaCuidado de Si & Saúde Neurofisiológica
Cuidado de Si & Saúde Neurofisiológica
 
EDUCAÇÃO, AÇÕES AFIRMATIVAS E OS DIREITOS HUMANOS
EDUCAÇÃO, AÇÕES AFIRMATIVAS E OS DIREITOS HUMANOS EDUCAÇÃO, AÇÕES AFIRMATIVAS E OS DIREITOS HUMANOS
EDUCAÇÃO, AÇÕES AFIRMATIVAS E OS DIREITOS HUMANOS
 
Relato de Experiência: Apresentação de Palestra no Curso de Introdução à Vida...
Relato de Experiência: Apresentação de Palestra no Curso de Introdução à Vida...Relato de Experiência: Apresentação de Palestra no Curso de Introdução à Vida...
Relato de Experiência: Apresentação de Palestra no Curso de Introdução à Vida...
 
MÉDICOS DÁ ARTE: BLOG COMO FERRAMENTA DE DIVULGAÇÃO E PROMOTOR DOS PROCESSOS ...
MÉDICOS DÁ ARTE: BLOG COMO FERRAMENTA DE DIVULGAÇÃO E PROMOTOR DOS PROCESSOS ...MÉDICOS DÁ ARTE: BLOG COMO FERRAMENTA DE DIVULGAÇÃO E PROMOTOR DOS PROCESSOS ...
MÉDICOS DÁ ARTE: BLOG COMO FERRAMENTA DE DIVULGAÇÃO E PROMOTOR DOS PROCESSOS ...
 
REIKI NO CAMPUS: UMA EXPERIENCIA COM TERAPIAS COMPLEMENTARES NO CURSO DE MEDI...
REIKI NO CAMPUS: UMA EXPERIENCIA COM TERAPIAS COMPLEMENTARES NO CURSO DE MEDI...REIKI NO CAMPUS: UMA EXPERIENCIA COM TERAPIAS COMPLEMENTARES NO CURSO DE MEDI...
REIKI NO CAMPUS: UMA EXPERIENCIA COM TERAPIAS COMPLEMENTARES NO CURSO DE MEDI...
 
PROJETO ATITUDES QUE SALVAM VIDAS NA VISÃO DE SEUS INTEGRANTES: RELATOS BASEA...
PROJETO ATITUDES QUE SALVAM VIDAS NA VISÃO DE SEUS INTEGRANTES: RELATOS BASEA...PROJETO ATITUDES QUE SALVAM VIDAS NA VISÃO DE SEUS INTEGRANTES: RELATOS BASEA...
PROJETO ATITUDES QUE SALVAM VIDAS NA VISÃO DE SEUS INTEGRANTES: RELATOS BASEA...
 
INTRODUÇÃO À VIDA ACADÊMICA: APRESENTANDO A UNIVERSIDADE E SUAS POSSIBILIDADE...
INTRODUÇÃO À VIDA ACADÊMICA: APRESENTANDO A UNIVERSIDADE E SUAS POSSIBILIDADE...INTRODUÇÃO À VIDA ACADÊMICA: APRESENTANDO A UNIVERSIDADE E SUAS POSSIBILIDADE...
INTRODUÇÃO À VIDA ACADÊMICA: APRESENTANDO A UNIVERSIDADE E SUAS POSSIBILIDADE...
 
EDUCAÇÃO E OS DIREITOS HUMANOS NA UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL
EDUCAÇÃO E OS DIREITOS HUMANOS NA UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SULEDUCAÇÃO E OS DIREITOS HUMANOS NA UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL
EDUCAÇÃO E OS DIREITOS HUMANOS NA UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL
 
COMUNIDADES QUILOMBOLAS DO RIO GRANDE DO SUL: HISTÓRIA, CULTURA, SABERES E PR...
COMUNIDADES QUILOMBOLAS DO RIO GRANDE DO SUL: HISTÓRIA, CULTURA, SABERES E PR...COMUNIDADES QUILOMBOLAS DO RIO GRANDE DO SUL: HISTÓRIA, CULTURA, SABERES E PR...
COMUNIDADES QUILOMBOLAS DO RIO GRANDE DO SUL: HISTÓRIA, CULTURA, SABERES E PR...
 
Bem estar e qualidade de vida para profissionais da saúde
Bem estar e qualidade de vida para profissionais da saúdeBem estar e qualidade de vida para profissionais da saúde
Bem estar e qualidade de vida para profissionais da saúde
 
Perímetros corporais trabalho cds-ufsc
Perímetros corporais trabalho cds-ufscPerímetros corporais trabalho cds-ufsc
Perímetros corporais trabalho cds-ufsc
 
Educação Física Especial
Educação Física EspecialEducação Física Especial
Educação Física Especial
 
O Nado golfinho
O Nado golfinhoO Nado golfinho
O Nado golfinho
 
A Influência das Atividades Aquáticas nos Domínios do Comportamento Humano em...
A Influência das Atividades Aquáticas nos Domínios do Comportamento Humano em...A Influência das Atividades Aquáticas nos Domínios do Comportamento Humano em...
A Influência das Atividades Aquáticas nos Domínios do Comportamento Humano em...
 

Último

Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Nertan Dias
 
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃOAUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
FernandaOliveira758273
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
silvamelosilva300
 
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.pptFUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
MarceloMonteiro213738
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
fagnerlopes11
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
DouglasMoraes54
 
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTALPlanejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
katbrochier1
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdfUFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
Manuais Formação
 
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdfAula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Marília Pacheco
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
ProfessoraTatianaT
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
CarlosJean21
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
AntonioAngeloNeves
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
vitorreissouzasilva
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
AlessandraRibas7
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
WELTONROBERTOFREITAS
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Simone399395
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
rloureiro1
 

Último (20)

Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologiaPedagogia universitária em ciência e tecnologia
Pedagogia universitária em ciência e tecnologia
 
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃOAUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
AUTISMO LEGAL - DIREITOS DOS AUTISTAS- LEGISLAÇÃO
 
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdfO Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
O Mito da Caverna de Platão_ Uma Jornada em Busca da Verdade.pdf
 
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.pptFUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
FUNCAO EQUAÇÃO DO 2° GRAU SLIDES AULA 1.ppt
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
 
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
O Profeta Jeremias - A Biografia de Jeremias.pptx4
 
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTALPlanejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
Planejamento BNCC - 4 ANO -TRIMESTRAL - ENSINO FUNDAMENTAL
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdfUFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
UFCD_6580_Cuidados na saúde a populações mais vulneráveis_índice.pdf
 
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdfAula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
Aula Aberta_Avaliação Digital no ensino basico e secundário.pdf
 
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGTUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
TUTORIAL PARA LANÇAMENTOGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGGG
 
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasnTabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
Tabela Funções Orgânicas.pdfnsknsknksnksn nkasn
 
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdfAula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
Aula 02 - Introducao a Algoritmos.pptx.pdf
 
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdfAula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
Aula04A-Potencia em CA eletricidade USP.pdf
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, Betel, Ordenança para amar o próximo, 2Tr24.pptx
 
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidadeAula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
Aula de filosofia sobre Sexo, Gênero e sexualidade
 
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de GeografiaAula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
Aula 1 - Ordem Mundial Aula de Geografia
 
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de cursoDicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
Dicas de normas ABNT para trabalho de conclusão de curso
 
As sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativasAs sequências didáticas: práticas educativas
As sequências didáticas: práticas educativas
 

Relatório de estágio profissionalizante ufsm 2003

  • 1. UFSM Relatório de Estagio Profissionalizante ATIVIDADE FÍSICA RELACIONADA À SAÚDE ______________________________________ Jorge Luiz dos Santos de Souza CEF - CEFD Santa Maria, RS, Brasil 2003
  • 2. ATIVIDADE FÍSICA RELACIONADA À SAÚDE ______________________________________________________ por Jorge Luiz dos Santos de Souza Relatório de Estagio Profissionalizante apresentado ao Curso de Educação Física: Licenciatura Plena, do Centro de Educação Física e Desportos da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM, RS), como requisito parcial para a obtenção do grau de Licenciado (a) em Educação Física CEF - CEFD Santa Maria, RS, Brasil 2003
  • 3. I - CONSIDERAÇÕES INICIAIS A disciplina de estágio profissionalizante foi realizada no Núcleo de Pesquisa em Cineantropometria e Desempenho Humano (Nucidh) do Centro de Desportos (CDS) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) com estudos e pesquisa na área de cineantropometria e ainda participando das disciplinas de informática para educação física e educação física especial do curso de graduação na condição de disciplina isolada, além da disciplina de cineantropometria como ouvinte objetivando complemento dos estudos individuais na área para um melhor desempenho nas pesquisas e trabalhos durante o período de estágio. Ao decorrer do relatório irei abordar o porque da escolha de trabalhar com pesquisa na área de cineantropometria, os motivos pela escolha de atuar no Nucidh/Centro de Desportos (CDS) da Universidade Federal de Santa Catarina na cidade de Florianópolis. Falarei dos objetivos do nosso trabalho em Florianópolis, da metodologia empregada para atingirmos tais objetivos e do próprio trabalho dentro do núcleo. Serão abordadas questões sobre as disciplinas realizadas durante este semestre com a graduação do Departamento de Educação Física. O estágio na área de cineantropometria justifica-se ao desenvolver novos conhecimentos relativos aos seus objetos de estudos e solidificar os já aprendidos, assim como na pesquisa cientifica. Além é claro do interesse pessoal por tal assunto, poder assim ficar a par dos novos assuntos surgidos através das pesquisas tendo condições de refletir e contribuir para o surgimento de uma melhor compreensão do tema, seus usos e aplicações. A escolha pelo Núcleo de Pesquisa em Cineantropometria e Desempenho Humano deu-se devido estreita ligação com o nosso Centro de Educação Física e Desportos, pois muitos de seus membros fizeram o programa de pós-graduação em Ciência do Movimento Humano do CEFD/UFSM além de pós-graduandos no CDS/UFSC vindos do nosso curso, bem como por conhecer alguns dos trabalhos realizados pelo Nucidh na divulgação do conhecimento em cineantropometria e 1
  • 4. desempenho humano nas diversas linhas que o núcleo comporta. Outra coisa que motivou foi de ter a oportunidade de conhecer o acelerômetro triaxial Tritac-rt3, instrumento este ainda pouco utilizado em pesquisas Brasileiras, mas muito encontrado em literatura internacional. São objetivos para o estágio profissionalizante: adquirir novos conhecimentos em cineantropometria; vivenciar a pesquisa científica na área de cineantropometria; experenciar todas as etapas de uma pesquisa científica e conhecer as metodologias utilizadas pelo Nucidh; Para conquistarmos os objetivos descritos acima serão utilizados estudos em grupos e individuais, trabalhos de campo como coleta de dados para pesquisas realizadas pelo Núcleo de Cineantropometria e Desempenho Humano, apresentações de seminários, grupos de discussão, participação de mini-cursos e palestras realizados pelo Nucidh, reuniões sobre assuntos diversos assim como reuniões de orientação para a condução das atividades propostas pelo plano de trabalho finalizando com pesquisas desenvolvidas pelo acadêmico. Conforme os objetivos do curso e da disciplina de estágio profissionalizante UFSM/CEFD (2003), busca-se a formação de profissionais capazes de contribuir no desenvolvimento harmônico do indivíduo proporcionando ao aluno do oitavo semestre vivências práticas na área de educação física em instituições no Brasil ou no exterior. Através das atividades desenvolvidas durante o estágio profissionalizante o aluno pode analisar todo seu período como acadêmico do curso de educação física, emitir opiniões sobre sua formação, as disciplinas da grade curricular e assim contribuir para o aperfeiçoamento e desenvolvimento dos futuros profissionais a serem formados pela sua instituição. 2
  • 5. 2 – O ESTÁGIO PROFISSIONALIZANTE DE EDUCAÇÃO FÍSICA 2.1 – CARACTERIZAÇÃO DO CAMPO DE ESTÁGIO A UFSC foi criada em 18 de dezembro de 1960 após a reunião das varias faculdades existentes na capital de Santa Catarina sendo oficialmente instalada em 12 de março de 1962 contando hoje com 56 departamentos e 2 coordenadorias especiais, os quais integram 11 unidades universitárias. São oferecidos 28 cursos de graduação com 51 habilitações tendo 15.875 alunos matriculados, a universidade ainda conta com 11 cursos de Doutorado e 31 de Mestrado com um campus integrado aproximadamente por 20000 pessoas. A administração da UFSC tem como Reitor o Professor Rodolfo Joaquim Pinto da Luz e como Vice-Reitor o professor Lúcio José Botelho (UFSC, 2003). O CDS iniciou suas atividades em 7 de outubro de 1974 sendo reconhecido em 6 de junho de 1978 através do decreto 81759 da Presidência da República. O curso de educação física do CDS/UFSC tem como objetivo formar profissionais licenciados de cunho generalista o habilitando a exercer a função de professor junto aos sistemas de educação escolar e secundariamente funções educacionais em opções de trabalho não escolares (CDS, 2003). O Centro de Desportos conta com o curso de graduação e pós-graduação em educação física nos níveis de especialização e mestrado, o Laboratório de Esforço Físico (LAEF), o Núcleo de Pesquisa em Atividade Física e Saúde (NUPAF); Núcleo de Estudos Pedagógicos em Educação Física (NEPEF); Núcleo de Estudos em Tênis de Campo (NETEC); Núcleo de Estudos e Pesquisas em Políticas Esportivas (NEPPE) e o Núcleo de Pesquisa em Cineantropometria e Desempenho Humano (Nucidh). O Nucidh teve sua criação em 1996 a partir da linha de pesquisa em biodinâmica do movimento humano e tem como objetivo produzir e veicular o conhecimento cientifico em educação física, para o entendimento do crescimento, exercício, desempenho, nutrição e aprendizagem motora. O Nucidh se propõem a 3
  • 6. desenvolver projetos de pesquisa, atividades de treinamento acadêmico em avaliações direcionais às áreas de concentração, promover intercâmbios com outras instituições de ensino, núcleos de pesquisa e desenvolver projetos direcionados aos atletas e a comunidade (Nucidh, 2003). A área predominante do núcleo é ciências da saúde – educação física e suas linhas de pesquisa subdivide se em: - Adaptações orgânicas a atividade física; - Administração e protocolos de medidas; - Aprendizagem motora; - Comportamento humano relacionado às atividades físicas; - Diagnóstico e avaliação da aptidão física; - Inter-relação entre morfologia e função (cineantropometria); - Qualidade de vida na velhice e educação física. Os trabalhos de maior repercussão do Nucidh, que tem como responsável o prof. Dr. Edio Luiz Petroski e coordenadora a Profa. Nívia Márcia Velho, é a Revista Brasileira de Cineantropometria e Desempenho Humano, editada a partir de 1999 e o livro Antropometria: Técnicas e Padronizações que em 2003 teve sua 2 edição lançada. O estágio possui profunda relação com a pesquisa em adolescentes, atividade física, hábitos alimentares e estilo de vida, pois uma das tarefas no núcleo foi de auxiliar na coleta de dados da dissertação de mestrado da Prof. Paula Ilha, que contempla todos estes aspectos, todavia cineantropometria vai muito além em seu estudo, pois de acordo com Beuen & Borms apud Böhme (2000) os conteúdos estudados são os componentes de constituição corporal, capacidades motoras condicionais e coordenativas, medidas dos níveis de atividade física, e habilidades motoras. 2.2 – CARACTERIZAÇÃO DA ÁREA DE ESTÁGIO Cineantropometria segundo Beunen & Borns apud Martins & Waltortt (2003); Implica em mensurar e avaliar diversos aspectos do homem bem como 4
  • 7. suas característica físicas tendo o propósito de estudar as variações inter- humanas considerando características e qualidades do indivíduo, de um grupo e de grupos comparados entre si. Já Petroski (2003) considera ser a cineantropometria uma área que estuda a forma, dimensão, proporção, composição, maturação e o desenvolvimento do corpo na ontogênese humana em relação ao crescimento, ao desporto, a atividade física e a nutrição. Sendo mais sucintos De Rose, Pigatto & De Rose (1984) a análise de diferentes aspectos do indivíduo, em especial os que se relacionam com a sua compleição física, como forma, proporcionalidade e composição corporal é a cineantropometria. Para Martins & Waltortt (2003), são varias as aplicações da cineantropometria sendo ela formada por uma tríade básica, a saber: composição corporal, proporcionalidade e somatotipia. O estágio está muito ligado com a composição corporal que para Petroski (2003) é a quantificação dos principais componentes estruturais do corpo humano sendo os ossos, músculos e gorduras seus maiores representantes, já Böhme (2000) dá uma dimensão mais ampla, pois cita a quantidade e proporção dos diversos constituintes do corpo humano, relacionando-os com a saúde, doença e qualidade de vida do indivíduo. Muito de nosso contato com pesquisas incluem a composição corporal em seus procedimentos como poderemos ver a seguir nas atividades realizadas. 2.3 – CARACTERIZAÇÃO DO PÚBLICO ALVO Nossos estudos em relação a cineantropometria serão direcionados a adolescentes e adultos jovens, pois a maioria das pesquisas realizada compreendeu uma população entre 15 e 24 anos, embora durante os estudos realizados nas reuniões foram abordadas diferentes idades, desde pré- adolescentes até a terceira idade. Lembramos que o objetivo do estágio não foi o de pesquisar somente esta população e sim a pesquisa científica na área de cineantropometria como um todo, podendo após a conclusão da disciplina elaborar, executar e dominar os diversos aspectos ligados a área e a pesquisa. 5
  • 8. 2.4 - ATIVIDADES REALIZADAS O estágio teve começo no dia 19 de fevereiro deste ano com a apresentação do núcleo ao estagiário vindo da UFSM, embora oficialmente tenha tido início dia 24/05/2003 conforme calendário acadêmico do CEFD/UFSM. Como tarefas destaca-se dentro do Nucidh participação em pesquisa (coleta de dados, elaboração e execução), reunião quinzenal e semanal, além de estudos individuais. Para Otimizar o período em que estive na UFSC participamos das disciplinas de Informática aplicada, Educação Física Especial e Cineantropometria. 2.4.1 - PROJETOS DE PESQUISA Em primeiro plano conheci a dissertação de minha orientadora, Profª Paula Ilha, que trata da relação entre nível de atividade física e hábitos alimentares de adolescentes e estilo de vida dos pais, bem como a coleta de dados que envolvem a mensuração de massa corporal, estatura, dobras cutâneas tríciptal e subescapular, onde com estes dados através da equação de Lohman (1986) apud Petroski (2003) é obtido o percentual de gordura, questionário sócio-econômico do ANEP (1997) que classifica em classes A, B, C, D a população brasileira, questionário Estilo de vida Fantástico, validado por Rodrigues-anez & Petroski (2002) a ser respondido pelos pais, inquérito alimentar e registro das atividades diárias por três dias sendo um em dia de final de semana para os adolescentes e mensuração do gasto energético através do acelerômetro triaxial Tritrac-rt3 durante o mesmo período. Os dados foram coletados e estão sendo tabulados para análise estatística e discussão dos resultados. Ainda foi mostrada toda documentação necessária para dar seqüência às pesquisas na UFSC, como o ofício para o comitê de ética, e também os ofícios para as partes envolvidas na coleta. 6
  • 9. A primeira parte da coleta foi realizada, no colégio policial militar de Florianópolis com turmas a partir da 8º série do ensino fundamental até o terceiro ano do ensino médio em ambos os sexos, todavia para utilização na pesquisa somente foram classificados os rapazes, esta primeira parte foi até o questionário do nível sócio-econômico. Fomos recebidos pelos professores responsáveis da disciplina de educação física e apresentados para a turma onde a professora responsável pelo trabalho explicou o objetivo da pesquisa bem como o que seria feito, procedimento este repetido em todas as turmas analisadas, foram mensuradas as dobras de tríceps e subescapular para obter o percentual de gordura e aplicado o questionário sócio- econômico. Para dar continuidade no trabalho entrávamos em contato com os pais a fim de obter a autorização para seus filhos participarem da pesquisa utilizando o acelerômetro, registrando suas atividades desde o acordar até dormir por três dias, registro da alimentação do café da manhã, lanche da manhã, almoço, lanche da tarde e janta também por três dias e aplicava-se aos pais o questionário de estilo de vida fantástico. Este instrumento possui 25 questões divididas em 9 domínios que são: 1) família e amigos, 2) atividade física, 3) nutrição, 4) tabaco e tóxicos, 5) álcool, 6) sono, cinto de segurança, estresse e sexo seguro, 7) tipo de comportamento, 8) introspecção e 9) trabalho e visa classificar o estilo de vida em relação à saúde. Neste item o estágio foi marcado por intenso trabalho, pois além da referida tarefa citada acima foi feita uma coleta com os alunos do colégio Aplicação da UFSC para verificar o gasto energético e o VO2 máximo através da corrida de 20m vai-e-vem no ginásio do centro de desportos da UFSC onde foi usado o acelerômetro triaxial Tritrac-rt3 que mensura o gasto energético minuto a minuto sendo usado na linha da cintura e esta mensuração é feita conforme a variação do centro de gravidade nos eixos x, y, z; verificado o peso e estatura, dobras cutâneas de tríceps e subescapular dos indivíduos pesquisados que neste caso foram apenas do sexo masculino com idades entre 11 e 14 anos. 7
  • 10. Desta coleta originou-se um resumo apresentado no Congresso Brasileiro de Medicina do Esporte que realizou-se de 5 a 7 de junho deste ano na cidade de Florianópolis-SC, todavia mais indivíduos deverão ser analisadas para aumentar a amostra. Um segundo trabalho enviado para o mesmo congresso citado acima foi o de Características Morfológicas de Composição Corporal e Neuromotoras de Adolescentes onde foi analisada a flexibilidade, resistência muscular localizada, velocidade, percentual de gordura, massa corporal e estatura. Outro trabalho de pesquisa que desenvolvemos foi o de Estilo de Vida e Composição Corporal de Jogadoras de Pólo Aquático onde foi verificado a composição corporal através do percentual de gordura, massa corporal magra (MCM), massa residual, massa óssea e massa muscular, bem como o estilo de vida das atletas da UFSC. Desta coleta originou um resumo enviado para a XVIII Jornada Acadêmica Integrada da Universidade Federal de Santa Maria e um artigo para XV Simpósio de Educação Física e Desportos do Sul do Brasil em Ponta Grossa No Paraná. 2.4.2- REUNIÕES QUINZENAIS A primeira reunião teve a apresentação de pré-defesa da dissertação do mestrado com autoria de Gustavo de Sá e Souza e orientação da prof(a). Dra. Maria de Fátima Duarte intitulada “Determinantes da Atividade Física e Estágios na Mudança de Comportamentos em Adolescentes”, visando reforço e correções para a defesa do dia 21 de fevereiro. No início do mês de abril tivemos uma reunião do núcleo sobre programas estatísticos, neste caso o Excel e o SPSS versão 11.0 ministrado Pelos doutorandos Ciro Romelio Rodrigues Anez e Rodrigo Siqueira Reis, para maximizar a utilização durante o tratamento dos dados em pesquisas, este tipo de 8
  • 11. reunião faz parte do cronograma semestral de encontros do Nucidh apresentados pelos pesquisadores do núcleo. O encontro quinzenal do Nucidh teve, além dos assuntos gerais, apresentação dos resumos enviados para o 16o Congresso Brasileiro de Medicina do Esporte, a saber: Análise do efeito de um programa de ginástica no IMC de idosas, segundo a sociedade canadense de fisiologia do exercício; Eficácia de um programa de atividade física regular na flexibilidade de idosos após um ano de treinamento; Gasto energético mensurado por acelerômetro durante teste de VO2 máximo em adolescentes e Características morfológicas, de composição corporal e neuromotoras de adolescentes. Nesta mesma reunião foi discutido o envio de trabalhos para o 7o Congresso Paulista de Educação Física em Jundiaí que foi realizado no mês de junho. Outro tema visto foi o programa Nudist, que é um programa de análise qualitativa, composto de uma aula teórica e uma prática apresentado pela mestranda Paula M. V. Ilha, foram abordados também os próximos eventos científicos no país e datas das próximas reuniões. Seguindo os estudos conjuntos o Ddo. Rodrigo Siqueira Reis apresentou seu trabalho intitulado “Proposta de Programa de promoção da saúde no trabalho Para Professores Universitários das Instituições Federais de Ensino Superior do Sul do Brasil”, Que tem como Orientador o Prof. Dr. Edio Luiz Petroski. Nas últimas reuniões a ênfase maior foi às apresentações dos Pós- graduandos do Nucidh. Desta vez foi o Ddo. Ciro Romelio Rodrigues-Anez apresentar seu trabalho sob título “Proposta de um Sistema de Avaliação para a Promoção do Estilo de Vida e da Aptidão Física Relacionada à Saúde de Militares” também orientado pelo professor Edio Petroski. Vale lembrar que tanto o Ddo. Reis quanto o Rodrigues-Anez são do Programa de Pós Graduação em Engenharia de Produção. Estas apresentações dos membros do núcleo para os demais colegas tem por fim receberem opiniões ou contribuições para assim ter um melhor preparo na hora de suas defesas ou também quando apresentarem seus trabalhos em eventos científicos. 9
  • 12. Na seguinte reunião tivemos a apresentação do projeto de dissertação de mestrado do Prof. Leandro Hübner da Silva. Seu estudo “As posturas e cargas de trabalho de faxineiros: um estudo de caso.” Tem como orientador o Prof. Dr. Edio Luiz Petroski e está em fase de conclusão. Tivemos ainda a defesa de tese de Doutorado do professor Ciro Romélio Rodrigues-Anez, com a presença na banca de avaliação do Prof. Dr. João Luiz Zinn do CEFD/UFSM e do Prof. Dr. Cândido Pires Neto da PUC-Pr, que por muitos anos atuou no laboratório de cineantropometria da UFSM. Finalizamos as apresentações com a defesa de mestrado do professor José Henrrique Ramos “Estudo Retrospectivo dos Efeitos de um Programa de Reabilitação Cardiovascular sobre Componentes da Aptidão Física Relacionados a Saúde” também com a presença do Prof. João Luiz Zinn em sua avaliação. Salientamos que além dos estudos coletivos nestas reuniões também são abordados assuntos referentes ao funcionamento do Nucidh, a organização e planejamento de atividades, participação em eventos, assuntos sobre andamento de pesquisas como as metodologias, meios para divulgação e ética. 2.4.3- REUNIÕES SEMANAIS A primeira reunião foi de orientação para tratar do plano de trabalho, do relatório de estágio e do preenchimento do cadastro do campo de estágio, da carta de recebimento da documentação necessária ao estágio pelo orientador. Foi decidido os dias e horários a cumprir dentro do Nucidh para trabalhos que envolvam atividades gerais como preenchimento de documentos, atendimento a visitantes e interessados nas produções editadas pelo núcleo, que foi as terças e quintas das 14 às 18 horas. Ficou certo também que assuntos relacionados ao estágio e confecção do relatório teriam as quintas pela tarde para serem tratados. Na seguinte semana foi proposto fazer como parte do estágio um projeto de pesquisa, que atualmente encontra-se em fase de tabulação e interpretação dos dados, sobre comparação do gasto energético em adolescentes com diferentes composições corporais. 10
  • 13. O relatório parcial, que foi entregue no final de maio, teve especial atenção sobre como fazer a introdução, o que informar neste relatório, sobre o desenvolvimento e anexos para este período, assim como a avaliação parcial. Estilo de Vida e Composição Corporal de Jogadoras de Pólo Aquático foi o outro trabalho decidido nestas reuniões semanais, onde tivemos orientação de referencial bibliográfico, instrumentos de coleta, tabulação e interpretação dos dados. Durante nossos encontros semanais nos era dado a conhecer como fazer os resumos e artigos para serem enviados aos eventos. Tivemos noções de estatística básica, como maximizar o uso da informática em nossos estudos, como fazer da internet uma aliada na busca de referencial teórico confiável. 2.4.4- ESTUDOS INDIVIDUAIS Nas primeiras semanas buscamos conhecer através dos estudos de artigos relacionados a obesidade, atividade física e gasto energético um pouco mais dos assuntos que fariam parte de nosso trabalho durante este semestre em que estaríamos ligados ao Nucidh. Foram discutidos os objetivos e metodologias do projeto de pesquisa de comparação do gasto energético entre adolescentes com diferentes composições corporais além da pesquisa onde foi verificado o estilo de vida e indicadores antropométricos de jogadores de pólo aquático. Fizeram parte dos estudos individuais questões sobre a revisão de literatura, instrumentos a serem utilizados e procedimentos metodológicos assim como busca de material bibliográfico para fundamentação teórica dos projetos de pesquisa, principalmente em relação ao estilo de vida, ao pólo aquático, a utilização dos questionários Estilo de Vida Fantástico, questionário do nível sócio- 11
  • 14. econômico, inquérito alimentar, recordatório das atividades diárias e utilização do acelerômetro triaxial RT3. 2.4.5- AS DISCIPLINAS Ao ser aberta a matrícula da UFSC para disciplina isolada (aluno especial), aproveitamos a oportunidade para enriquecer o estágio com as disciplinas DEF- 5141 Educação física especial e DEF-5501 informática aplicada à educação física bem como a participação na disciplina de cineantropometria para aprofundar os estudos na área de atuação do estágio através das aulas, trabalhos em grupos, e demais atividades exigidas pela disciplina. As disciplinas realizadas no período de estágio, educação física especial, informática aplicada à educação física e cineantropometria, fazem parte da grade curricular do curso de graduação em educação física do Centro de Desportos (CDS) na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), sendo a primeira da sexta fase e as outras duas disciplinas optativas. Foi decidido realizar estas disciplinas como mais uma forma de enriquecer a formação profissional já que as mesmas não são contempladas no currículo do CEFD/UFSM. Em educação física especial, com a professora Angela Zuchetto, foi estudado os tipos de deficiência e intervenções possíveis de serem feitas através da educação física desenvolvimentista. Também fez parte da disciplina aulas práticas no projeto AMA (atividade motora adaptada) onde uma aula por semana é dada pelos grupos organizados em aula. Como principais tarefas tivemos que aprender a fazer o registro cursivo da aula, onde filmamos as aulas e anotamos todos comportamentos dos alunos deficientes para posterior análise, tivemos aulas de “vivência” quando passamos por deficientes nós mesmos com o propósito de saber as dificuldades que os portadores de necessidades especiais passam e apresentação do seminário final. A informática aplicada, que teve como professor o “Joca” Joaquim, mostrou noções básicas de utilização dos principais softwares, histórico, alguns hardware, estando assim mais voltado para iniciantes. 12
  • 15. Com os principais programas destacamos a utilização do Microsoft Word 2000, onde além de vermos suas principais ferramentas e recursos nos foi mostrado como fazermos trabalhos acadêmicos através da utilização da micro informática. Com o Programa Excell tivemos a oportunidade de aprofundarmos nossos conhecimentos das suas possibilidades de utilização, principalmente para sua aplicação em análise de dados e como ferramenta auxiliar de cálculos estatísticos. Com o Power Point conhecemos as melhores maneiras de fazermos apresentações de trabalhos através de slides, a diferença para quando o usarmos em aula ou em eventos, seus recursos e limitações. Em cineantropometria foi estudado o histórico, conceitos e as diversas aplicações tanto na educação física como em outras áreas. Foram feitos apresentações de seminários e aulas práticas de mensuração de dobras cutâneas, circunferências, diâmetros ósseos, alturas e comprimentos, além de aprendermos a utilização da impedância bioelétrica. Aprendemos o fracionamento do corpo humano em seus diversos componentes onde segundo a literatura podemos dividí-lo em massa gorda (MG) e massa corporal magra (MCM) ou ainda em massa gorda, massa óssea (MO), massa residua (MR) e massa muscular (MM) (De Rose, Pigatto & De Rose, 1984; Beunen & Borns apud Martins & Waltortt, 2003; Petroski, 2003). Foi mostrado como escolher as equações certas, suas limitações, populações adequadas, erros na hora de utilização bem como suas possibilidades de uso em pesquisas. Esta disciplina teve como ministrante o professor Edio Luiz Petroski. 2.5 – ANALISANDO A PRÁTICA Tive grande envolvimento no cotidiano do núcleo e da vida acadêmica dentro do centro de desportos da UFSC, o que nos possibilitou uma visão mais ampla sobre o curso, tanto na UFSC como em Santa Maria na UFSM. 13
  • 16. Estar presente no Nucidh, em suas pesquisas, estudos e reuniões possibilitou, além de fazer novas amizades, um grande crescimento pessoal e profissional, bem como ao participar das disciplinas isoladas junto com os acadêmicos do Departamento de Educação Física do CDS. A experiência adquirida em pesquisa e o maior conhecimento em cineantropometria, atividade física e saúde fazem com que tenha valido, cada instante da disciplina de estágio profissionalizante, mesmo estando longe de casa. Podemos dizer que hoje, ao contrário de quando começamos a realização das atividades jundo ao Nucidh, temos uma boa bagagem de conhecimentos que devem ser cada vez mais exploradas através da pesquisa, do ensino e da aplicação na vida diária. Os mini cursos de pacotes estatísticos oferecido pelo Nucidh, as apresentações de trabalhos a serem enviados aos congressos e as apresentações de pré-defesas faz com que todos seus participantes estejam cientes do que está sendo produzido pelo núcleo e a discussão gerada nestas apresentações faz todos pensarem sobre a questão levantada, sobre os trabalhos e sobre o seu próprio papel dentro do Nucidh. Aprendi que pesquisar é uma tarefa séria, prática e sempre que pesquisamos num assunto de nosso interesse o trabalho torna-se agradável e fascinante. Quando através dos resultados de uma pesquisa podemos visualizar o que está escrito nos livros ou artigos, isto faz refletir cada vez mais sobre a interação entre teoria e prática, uma sem a outra não existe. È preciso a teoria para fundamentar a prática, assim como, é preciso a prática para sustentar a teoria. Creio estar em plenas condições de desenvolver trabalhos científicos em cineantropometria bem como atuar de forma consciente nas suas mais variadas aplicações em qualquer lugar onde estaremos trabalhando dando maior qualidade ao nosso desempenho profissional. 14
  • 17. 3 - CONSIDERAÇÕES FINAIS A disciplina de estágio profissionalizante certamente é uma das mais importantes de todo o currículo, pois é nela que iremos por a prova toda nossa formação acadêmica tanto em esforço pessoal como o próprio curso. Nesta fase da graduação adquirimos conhecimentos novos, solidificamos alguns já existentes e outros iremos guardá-los para talvez um dia utilizá-lo, sendo este semestre final muito rico para minha formação profissional e pessoal. Profissional pelo motivo de estar trabalhando com uma linha de conhecimento onde não tinha a experiência que gostaria de ter e agora esta foi oportunizada, além de conhecer mais sobre cineantropometria descobri o gosto da pesquisa científica. Para alguém antes totalmente “prático” do início do curso até o semestre passado, ficar horas lendo ou pesquisando na frente de um computador, ou ainda se preocupar com estatística, população, amostra, materiais e métodos, isto não passava de uma certa admiração por quem conseguia ter a dedicação e paciência necessária para tal tarefa, hoje com a ajuda dos colegas, professores, pesquisadores e orientadora no Nucidh consegui. No Núcleo de Pesquisa em Cineantropometria e Desempenho Humano fui muito bem recebido por todos ficando eu muito a vontade para desempenhar minhas funções, pois tive acesso aos pesquisadores, coordenadora e responsável, assim como os demais colegas do Nucidh. Tive acesso também ao material produzido pelo núcleo e demais ferramentas que precisei no decorrer dos trabalhos. 15
  • 18. Quanto a orientação recebida só tenho o dever de corresponder cada vez mais e melhor a confiança e o trabalho em minha pessoa depositada. Recebi o acompanhamento da orientadora em todas as etapas do estágio; reuniões onde foram discutidos assuntos de interesse do estágio e do núcleo, sugestões para correta execução das tarefas, da confecção do relatório e ainda apoio em algumas dificuldades posteriormente relatadas. No Centro de Desportos a participação nas citadas disciplinas da graduação deu uma visão das diferenças entre os cursos de educação física da Universidade Federal de Santa Maria e de Santa Catarina. A grade curricular é diferente entre as duas, como era de se esperar, e tem na UFSC disciplinas que faltam em nosso currículo ou são apenas ACGs no CEFD, como as que fiz. Algo positivo do Centro de Educação Física e Desportos da UFSM é a participação dos acadêmicos em projetos de pesquisa e extensão mesmo de forma voluntária, isto é muito incentivado em Santa Maria oportunizando assim uma formação prática muito boa. Tenho certeza que foi por causa desta experiência nos projetos Idoso Natação & saúde e Natação Para Todos da UFSM que fui convidado pela coordenadora do projeto AMA, Professora Ângela Zuchetto, a trabalhar com eles na piscina e com atividade motora adaptada. Sobre as dificuldades encontradas neste período referem-se as condições mínimas para assegurar um bom desempenho dos alunos matriculados em disciplinas isoladas (aluno especial). As informações dadas a estes são insuficientes e ambíguas como se todos já conhecessem os estatutos da UFSC ou do CDS, somente após um mês de aula consegui acesso à biblioteca central (BC), o acesso ao restaurante universitário (RU) foi liberado uma semana depois do da BC, muito tardiamente tive acesso ao núcleo de informática e a biblioteca setorial do Centro de Desportos. Esta situação foi informada a coordenação do curso em Santa Maria onde receBI orientações de como proceder e algumas saídas para tais empecilhos. Enquanto durava esta situação tinha permissão da orientadora de usar sua matrícula para pegar livros na biblioteca, usar o RU e o núcleo de informática. Outra situação que chamou muito a atenção: na UFSC aluno especial pagar dois 16
  • 19. reais por disciplina na hora da matrícula e a taxa para quem reprova por freqüência é de vinte reais. Para finalizar devo dizer que consegui atingir os objetivos propostos pelo estágio, sinto-me mais seguro ao lidar com o assunto cineantropometria, estou mais a vontade com a pesquisa científica, adquiri conhecimentos sobre as várias etapas de uma pesquisa e ainda vivenciei outra visão de graduação, além de melhorar a perspectiva do que é um curso de pós-graduação, pois tinha contato com a turma do mestrado e da especialização. Ganhei muito mais que conhecimentos isolados em determinado assunto, através desta visão mais ampla adquirida nesses meses sugiro que nosso curso inclua as disciplinas de cineantropometria, educação física especial, informática aplicada, lingua estrangeira instrumental e portuguesa instrumental. Estas fazem parte do currículo da UFSC e mostram sua eficiência pela facilidade de expressão dos seus acadêmicos em tais assuntos. Considero que nosso curso da UFSM tem disciplinas muito valiosas que ainda não fazem parte da grade curricular obrigatoria, como é o caso de aprendizagem motora, fundamentos cinesiológicos do movimento humano, educação física métodos e técnicas, educação psicomotora e estatística. Uma idéia que poderia ser adotada em nível nacional são as atividades complementres de graduação (ACGs) nos moldes da UFSM, que oportunizam aos acadêmicos relatarem suas experiências fora da instituição universitária mas as aproveitando em sua formação. Com a nova resolução sobre o ensino da educação física no país em que divide-se o curso em licenciatura e bacharelado creio que quem sairá perdendo serão os próprios alunos quanto ao mercado de trabalho, mas em relação ao ensino creio que será possível aprofundar nas questões pedagógicas quem for para a licenciatura e a questões técnicas quem for para o bacharelado. 17
  • 20. IV- BIBLIOGRAFIA BAGATINI, V.F. Educação Física para Excepcional, 5 edição, Sagra, Porto Alegre, 1994. BITTAR, A.F., Portadores de deficiência - Inclusão, Curso de capacitação de recursos humanos no esporte, editora da Ulbra, Canoas, 2001. Duarte, M.F.S. e Duarte, R.C; Validade do teste aeróbico de corrida de vai-e- vem de 20 metros. Revista Brasileira de Ciência e Movimento, V.9. nº3; Brasília, Junho 2001 FERREIRA, A.I. de F., Avaliação motora para pessoa deficiente mental nas APAEs de Campinas - SP: um estudo de caso, tese de doutorado, Campinas, Universidade Estadual de Campinas, 1997. FERREIRA, M.B.R., O ser anthropos: a databilidade, alteridade, diferenças e diálogo in: IV Congresso Brasileiro de Atividade Motora Adaptada, ANAIS, Curitiba, Parana, Brasil, 2001 MAGILL, R.A., Aprendizagem motora: conceitos e aplicações, editora Edgard Blücher Ltda, São Paulo, 1984. 18
  • 21. OLIVEIRA, M.M. e Maia, J.A; Avaliação da atividade física em contextos epidemiológicos.Uma revisão da validade e fialidade do acelerômetro Tritrac- r3d, do pedômetro Yamax Digi-walker e do questionário de Baecke. Revista Portuguesa de Ciências do Desporto, v.1 nº3 2001. PETROSKI, E.L; Antropometria: técnicas e padronizações- 2°edição Gráfica e Editora Pallotti; Porto Alegre, 2003. PIRES, M.C; Crescimento, composição corporal e estilo de vida de escolares no município de Florianópolis-SC, Brasil. Dissertação de Mestrado; Florianópolis-SC, 2002. ROSADAS, S.C. Educação Física Especial para Deficientes, 3 edição, Livraria Ateneu Editora, São Paulo, 1991. SILVIA, R.C.R. e Malina, R.M; Nível de atividade física em adolescentes do município de Niterói, Rio de Janeiro, Brasil. Caderno de Saúde Pública; Rio de Janeiro, 2000. SINGER, R.N. & DICK, W., Ensinando Educação Física: uma abordagem sistêmica, editora Globo, Porto Alegre, 1980. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA. Centro de Desportos. Nucidh. Revista Brasileira de cineantropometria e Desempenho Humano-V.1 n°1;Florianópolis: imprensa universitária, 1999. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA. Centro de Desportos. Nucidh. Revista Brasileira de Cineantropometria e Desempenho Humano-V.2 n°1; Florianópolis: imprensa universitária, 2000. 19
  • 22. V- REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS BÖHME, M.T.S; Cineantropometria- Componentes da composição corporal in: Revista Brasileira de Cineantropometria e Desempenho Humano/ Universidade Federal de Santa Catarina. Centro de Desportos. Nucidh.- V.2 n°1; Florianópolis: imprensa universitária, 2000. CENTRO DE DESPORTOS. Disponível em: http://www.cds.ufsc.br acesso em 27 de março de 2003. CENTRO DE EDUCAÇÃO FÍSICA E DESPORTOS. Disponível em http://www.ufsm.br/cefd Acesso em 05 de julho de 2003. DE ROSE, E.H.; PIGATTO, E.; DE ROSE, R.C.F; Cineantropometria, educação física e treinamento desportivo. Prêmio Lisellot Diem de Literetura Desportiva 1981, Ministério da Educação e Cultura, Fundação de Assistência ao Estudante, Rio de Janeiro. MARTINS, M.de O. e WALTORTT, L.C.B; Antropometria: uma revisão histórica in: Petroski, E.L; Antropometria: técnicas e padronizações- 2°edição Gráfica e Editora Pallotti; Porto Alegre, 2003. 20
  • 23. NÚCLEO DE PESQUISA EM CINEANTROPOMETRIA E DESEMPENHO HUMANO. Disponível em http://www.nucidh.ufsc.br acesso em 27 de março de 2003. PETROSKI, E.L; Antropometria: técnicas e padronizações- 2°edição Gráfica e Editora Pallotti; Porto Alegre, 2003. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA. Histórico. Disponível em: http://www.ufsc.br acesso em 27 de março de 2003. 21