SlideShare uma empresa Scribd logo
QUESTOES PARA O NCN PANTOJA
ASSUNTOS VARIADOS SOBRE HISTORIAGERAL
gabarito EEDAE ACBAC DCDBC
01. (Albert Einstein) Em agosto de 2020, a descobertade uma vacina para a
COVID-19 estava levando os presidentes dos EUA, Donald Trump, e da Rússia,
Vladimir Putin, a passarem por cima de protocolos científicos rigorosos para anunciar
o quanto antes a cura da doença. Ambos deram declarações e tomaram atitudes que
despertaram a preocupação deque etapas de verificação da segurança de novas
drogas fossem abreviadas na buscapela primazia de um anúncio aguardado no
mundo todo. (www.nexojornal.com.br, 24.08.2020. Adaptado.)
A disputa de EUA e Rússia em torno da vacina contra a COVID-19 remete a
outras controvérsiasno passado, porexemplo,
a) a anexação da Crimeia.
b) a corrida espacial.
c) a gestão da Organização Mundial do Comércio.
d) a imposição de sanções à Síria.
e) a invasão da Ossétia do Sul.
02. (UFRGS)Em relação à história da Europa moderna, assinale a alternativa
CORRETA.
a) Os humanistas eram indivíduos que, inspirados pela escolástica, propagavam um
saber centrado apenas no Cristianismo.
b) O contato dos europeus com os ameríndios não alterou as características do
pensamento renascentista, exclusivamente voltado para a imitação dos autores
gregos e romanos.
c) O deslocamento das rotas comerciais europeias para os entrepostos localizados no
Mar Mediterrâneo ocorreu no século XVI.
d) A ascensão da burguesia, no século XIV, ocasionoua fragmentação do poder
monárquico e o desenvolvimento de Estados capitalistas.
e) A difusão da imprensa, a partir do século XV, foi importante para o
desenvolvimento de novas práticas culturais.
03. (UFRGS)A Santa Aliança, coalizão entre Rússia, Prússia e Áustria, criada
em setembro de 1815, após a derrota de Napoleão Bonaparte,tinha por objetivo
polític0
a) promover e proteger os ideais republicanos e revolucionários franceses em toda a
Europa.
b) impedir as intenções recolonizadoras dos países ibéricos e apoiar as
independências dos países latino-americanos.
c) lutar contra a expansão do absolutismo monárquico e a influência do papado em
todos os países europeus.
d) combater e prevenir a expansão dos ideais republicanos e revolucionários
franceses em todaa Europa.
e) apoiar o retorno de Napoleão ao governo francês e garantir o equilíbrio entre as
potências europeias.
04. (UFVJM) Todos os grandes cientistas e artistas da Europa moderna viveram
intensamente esse processoe contribuíram para ele: Copérnico, Michelangelo,
Leonardo da Vinci, Cristóvão Colombo, Newton, Galileu, Thomas Hobbes, Camões,
Shakespeare seriam impensáveis sem os ‘antigos’. E a lista é infindável. A opção de
reconstruir essamemória deixou uma marca profunda no que viria a ser a moderna
concepção do Ocidente. A criação do ‘antigo’ foi uma verdadeira revolução cultural
que, aos poucos,atingiu todas as camadas da população. O ‘mundo antigo’ tornou-se
assim um participante ativo e necessário de outras revoluções: políticas, sociais e
econômicas, cujas consequências sentimos até hoje.
Fonte: GUARINELLO, Norberto L. História Antiga. São Paulo: Contexto, 2013. p. 19.
A relação mencionada pelo autornesse trecho aponta para a
a) construção de uma memória em torno da antiguidade clássica associadaa
pretensões políticas, culturais e científicas do ocidente moderno.
b) necessidade de uma revolução que modificasse as estruturas da sociedadepara
abertura econômica de práticas mercantilistas.
c) associação entre modernos e antigos, sem a qual a literatura e as artes
renascentistas estariam fadadas ao fracasso.
d) diversidade intelectual do movimento renascentista que atingiu diversas áreas do
conhecimento humano.
e) Nenhuma das alternativas.
05. (UEFS) O expansionismo europeusobre o Norte e o centro da África e sobre
parte da Ásia, no decorrerdo século XIX
a) resultou do avanço do poderdo mercado financeiro e caracterizou a postura
imperialista dos povos africanos.
b) confirmou a supremacia britânica sobreos mares e revelou o declínio da
influência norte-americana no continente africano.
c) ampliou o mercado consumidor para as manufaturas britânicas e francesas e freou
o crescimento industrial dos países africanos.
d) facilitou a circulação marítima entre os Oceanos Atlântico e Pacífico e
restabeleceu as rotas comerciais para o Oriente.
e) derivou da buscade matérias-primas e novas fontes de energia e enfrentou forte
resistência dos povos locais.
06. (UDESC) Na obra O queijo e os vermes, o historiador Carlo Ginzburg conta a
história de Domenico Scandella, vulgo Menocchio, um moleiro do norte da Itália que,
no século XVI, foi considerado herege pela Igreja por afirmar que a origem do
mundo estava na putrefação. Ao analisar o processoinquisitorial que trata do caso,
Ginzburg chama a atenção para as peculiares opiniões de Menocchio sobreos
dogmas da igreja e para suas críticas ao seu poderexcessivo: a igreja chegou a
controlar um terço das terras cultiváveis da Europa. Para o autor, dois grandes
eventos históricos tornaram possívelum caso como o de Menocchio: a invenção da
imprensa e a Reforma.
Com base nas informações e nos estudos sobre a Idade Moderna europeia, analise
as proposições.
I. A Reforma Protestante contribuiu para a uniformização das práticas e dos
significados religiosos no século XVI.
II. O desenvolvimento da imprensa contribuiu para que pessoas comuns tivessem
acesso a informações antes controladas pela Igreja Católica.
III. Avenda deindulgências pela Igreja Católica foium dos motivos quelevou o monge
Martinho Lutero a escrever suas 95 teses, criticando vários pontos dadoutrina católica.
IV. Uma das medidas da Contrarreforma foi o retorno da Inquisição, que tinha como
objetivo reprimir aqueles que não estavam seguindo a doutrina católica.
V. A censura exercida pela Igreja Católica Apostólica Romana foi determinante para a
expansão do protestantismo na Itália e na Península Ibérica.
Assinale a alternativa correta.
a) Somente as afirmativas II, III e IV são verdadeiras.
b) Somente as afirmativas I, III e IV são verdadeiras.
c) Somente a afirmativa IV é verdadeira.
d) Somente a afirmativa I é verdadeira.
e) Todas as afirmativas são verdadeiras.
07. (UESB) A partir de 1870, a economia europeia viveu um período degrande
expansão. A produção, impulsionada pelas inovações técnicas e científicas, cresceu
além do consumo. Desse período até o início do século XX, ocorreuo que alguns
historiadores consideram a Segunda Revolução Industrial. Ela seria caracterizada por
avanços no processo deindustrialização, como a utilização de novas fontes de energia
— petróleo e eletricidade —, que permitiram transformações importantes na
economia capitalista. Houve grande desenvolvimento dos meios de transporte e a
expansão dos meios de comunicação, levando à maior integração entre as diversas
regiões. (BRAICK; MOTA, 2010, p. 11).
A face política da expansão da revolução industrial, descrita no texto, se expressa,
dentre outros,
a) na derrubada das fronteiras coloniais, abrindo os mercados estrangeiros,
igualmente, a todos os países imperialistas.
b) no fortalecimento do tráfico atlântico de africanos escravizados, levados para a
Europa e para a América do Norte portraficantes ingleses.
c) nos processosdeunificação territorial da Itália e daAlemanha e no
estabelecimento do imperialismo europeu sistematizado na Conferência de
Berlim, em 1884/1885.
d) nas revoluções ocorridas na União Soviética e na derrubada do governo
absolutista turco-otomano.
e) nas conquistas napoleônicas no Novo Mundo, especialmente no Canadá e nas
colônias inglesas do leste daAmérica do Norte.
08. (UNESP) Entende-se hoje que a civilização medieval, apesar de limitada
segundo os padrões atuais, dava ao homem um sentido de vida. Ele se via
desempenhando um papel, por menor que fosse, de alcance amplo, importante para o
equilíbrio do Universo. Não sofria, portanto, como sentimento de substituibilidade
que atormenta o homem contemporâneo. O medievo se sentia impotente diante da
natureza, mas convivia bem com ela. O ocidental de hoje se sente a ponto de dominar
a natureza, porisso se exclui dela.
(Hilário Franco Júnior. A Idade Média: nascimento do Ocidente, 1988.)
A afirmação do texto de que, diferentemente do medieval, o homem
contemporâneo “se sente a ponto de dominar a natureza, por isso se exclui dela”
pode serjustificada pela
a) incerteza diante do futuro, gerada pela impossibilidade de impedir terremotos e
outras catástrofes naturais.
b) celebração do progresso e do domínio tecnológico, difundida sobretudo a partir da
Revolução Industrial.
c) visão dessacralizada da natureza, proporcionadapelo ateísmo propagado depois da
Revolução Russa.
d) superação dos perigos naturais, proporcionadapela atual capacidade de controlar o
clima planetário.
e) descrençaem relação ao futuro, nascida com a visualização da barbárie das duas
guerras mundiais.
09. (UNESP) As práticas econômicas mercantilistas são frequentemente
relacionadas aos Estados modernos e representam
a) uma concentração de capitais, alcançada principalmente pormeio da exploração
colonial e de mecanismos de proteção comercial.
b) uma difusão do comércio em escala mundial, obtida coma globalização da
economia e a multipolaridade geoestratégica.
c) uma redução profunda no grau de intervenção do Estado na economia, que passou
a ser gerida pelos movimentos do mercado.
d) o resultado da concentração do poderpolítico nas mãos de governantes que
defendiam, sobretudo, os valores e interesses da burguesia industrial.
e) o combate sistemático às formas compulsórias de trabalho, que impediam o
crescimento dos mercados consumidores internos nos países europeus.
10. (UNESP) Com o fim da Segunda Guerra Mundial, os Estados Unidos se viram
numa situação privilegiada, como a mais forte, coesae prósperaeconomia mundial.
O governo americano coordenouum vasto plano de apoio para recuperar as
economias capitalistas da Europa Ocidental, já no contexto da Guerra Fria. As
agitações revolucionárias na Ásia, África e América Latina forçariam
desdobramentos dos investimentos americanos também para essas áreas.
O resultado desseconjunto de medidas foi um crescimento econômico sem
precedentes das economias industriais. Entre 1953 e 1975 a taxa de produção
industrial cresceu na escala extraordinária de seis porcento ao ano. O crescimento da
riqueza foi de cerca de quatro por cento per capita em todo esse período.Mesmo com
a crise do petróleo, que atingiu e abateu os mercados entre 1973 e 1980, o
crescimento continuou, embora reduzido a cerca de dois e meio porcento ao ano, o
que ainda era uma escala notável.(Nicolau Sevcenko. A corrida para o século XXI: no
loop da montanha-russa, 2001. Adaptado.)
O apoio à recuperação das economiascapitalistasda Europa Ocidental e os
investimentos na Ásia, na África e na América Latina, mencionados no texto,
correspondemà atuação dos Estados Unidos
a) na defesa de posições políticas e ideológicas de caráter globalista e multicultural,
após a onda nacionalista trazida pela Segunda Guerra.
b) na disputa pelos mercados internos dos países do centro e oriente da Europa e dos
países do Hemisfério Sul.
c) no cenário geopolítico do pós-SegundaGuerra, em meio às disputas de caráter
econômico, militar e ideológico com o bloco socialista.
d) na constituição de uma hegemonia mundial unilateral, favorecida pelo declínio
econômico e militar dos países do centro e do ocidente europeus.
e) no esforço de reconstrução dos países afetados diretamente pelos bombardeios e
pelas invasões territoriais durante a Segunda Guerra.
11. (UNESP) Entre as tensões anteriores à Primeira Guerra Mundial (1914-1918)
que contribuíram para o desgaste das relações diplomáticas e para o início do conflito
armado, é possívelcitar:
a) o acirramento das disputas geoestratégicas entre Estados Unidos e União
Soviética.
b) o expansionismo territorial e político japonês no continente asiático e nas ilhas do
Oceano Pacífico.
c) os esforços dos paísescapitalistas para conter o avanço do socialismo no Leste
europeu.
d) as disputas, entre as potências europeias, por áreas coloniais no continente
africano.
e) a incapacidade da Sociedade das Nações de coordenar as negociações entre os
países membros.
12. (FGV) Em 9 de março de 1933, foi lançado nos Estados Unidos um amplo
programa de reformas implementado pelo governo de Franklin Delano Roosevelt.
Surgiu para salvar o país de uma enorme depressão e pôs em xeque os fundamentos
do liberalismo clássico, do “laissez faire, laissez passer”, para o qual o alicerce básico
da economia seria a sua autorregulamentação. (https://operamundi.uol.com.br,
09.03.2018. Adaptado.)
O programa de reformas e a crise que motivou sua implantação correspondem,
respectivamente,
a) ao Plano Marshall e à Primeira Guerra Mundial.
b) à Emenda Platt e à concessãodesubsídios industriais.
c) ao New Deal e à quebra da bolsa de Nova Iorque.
d) à Doutrina Monroe e à queda do poder de compranacional.
e) ao America First e ao déficit da balança comercial.
13. (UNESP) O reconhecimento do território africano empreendido pelas
campanhas de exploração e pelas missões religiosas foi facilitador de uma verdadeira
invasão de mercadores europeus nas caravanas e rotas de comércio que ligavam
diferentes pontos do continente. Muitos desses mercadores começaram a controlar
algumas redes de comércio, criando novos sistemas de autoridade que não passavam
mais por líderes africanos. De início, isso não representou nenhum tipo de perigo para
as elites africanas, que já estavam acostumadas a negociar com árabes, indianos e
com os próprios europeus. No entanto, no decorrer do século, os europeus se
tornaram senhores das principais rotas comerciais do litoral africano, inclusive as que
ligavam as cidades orientais com o continente asiático.
(Ynaê Lopes dos Santos. História da África e do Brasil afrodescendente, 2017.)
Ao avaliar a presença europeia no continente africano ao longo do século XIX, o
texto caracteriza
a) um movimento de intensificação do comércio internacional, realizado a partir da
difusão de valores universais como o cristianismo e a democracia.
b) o respeito europeu à multiplicidade de crenças e manifestações culturais e a
insistência africana em manter formas arcaicas de organização política.
c) um esforço consciente e planejado de integração entre os continentes, por meio da
constituição de ligações terrestres e marítimas.
d) um processodeinterferência gradual e profunda nos padrões culturais africanos,
de organização social e dinâmica política das sociedades locais.
e) a disposição europeia de colaborar para o progresso depaíses subdesenvolvidos,
ampliando a capacidade produtiva das economias locais.
14. (UNICAMP ) Pode-sedizer que o fascismo italiano foi a primeira ditadura de
direita que dominou um país europeu: ele era uma colagem de diversas ideias
políticas e filosóficas. É possívelconceberum movimento totalitário que consiga
juntar monarquia e revolução, exército real e milícia pessoalde Mussolini, os
privilégios concedidos àIgreja e uma educação estatal que exaltava a violência e o
livre mercado? (Adaptado de Umberto Eco, “O Fascismo Eterno”, em Cinco Escritos
Morais. Rio de Janeiro: Record, 2010, p. 29-38.)
A partir da leitura do texto do escritoritaliano Umberto Eco (1932-2016), é
correto afirmar que o fascismo italiano
a) era marcado pela política de integração europeia, eliminação de fronteiras
nacionais e produção regulada pelo Estado.
b) resultou da combinação de ideários político-filosóficos inicialmente
incompatíveis, valendo-se da violência como instrumento político.
c) era uma ditadura de direita que serviu de modelo para países como Espanha,
Portugal, Brasil e Estados Unidos.
d) tinha como centro a figura de Mussolini, um homem carismático que assumia o
papel de líder religioso e político.
e) nenhuma das alternativas
15. (UNICAMP ) Leia o trecho do poema da poetisa grega Safo acerca da beleza de
uma jovem chamada Anactória.
uns dizem queé uma hoste de cavalaria, outros de
infantaria;
outros dizem ser uma frota de naus, na terra negra,
a coisa mais bela: mas eu digo ser aquilo
que se ama.
(Adaptado de Luísa de Nazaré Ferreira, “Turismo e património na antiguidade
clássica: o texto atribuído a Fílon de Bizâncio sobre as Sete Maravilhas”, em Espaços
e Paisagens: Antiguidade Clássica e heranças contemporâneas. 2012. V. 1. Coimbra:
Imprensa da Universidade de Coimbra e Annablume, p. 73.)
A partir da leitura do poema, assinale a alternativa correta sobre o conceito de
beleza na Grécia Antiga.
a) Safo reconhece a beleza como conceito universal e destacaa sua independência
em relação ao amor.
b) Safo exemplifica o conceito de belo e o define como inerente às conquistas
militares e territoriais.
c) Safo constata a diversidade dos gostos humanos e evidencia o valor do amor para
o conceito de beleza.
d) Safo exemplifica os gostos humanos a partir do conceito de amor e o define como
inerente às conquistas militares.
e) nenhuma das alternativas
QUESTOES PARA O NCN HIST GERAL VARIADAS.docx

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a QUESTOES PARA O NCN HIST GERAL VARIADAS.docx

Atividade 2 - 9º ano gabaritada
Atividade 2 - 9º ano gabaritadaAtividade 2 - 9º ano gabaritada
Atividade 2 - 9º ano gabaritada
Elisângela Martins Rodrigues
 
Vestibular: Questões de História [pucrs 2000 2010 = 267 slides]
Vestibular: Questões de História [pucrs 2000   2010 = 267 slides]Vestibular: Questões de História [pucrs 2000   2010 = 267 slides]
Vestibular: Questões de História [pucrs 2000 2010 = 267 slides]
Alex Pinheiro
 
Baixa idade média (renascimento comercial e urbano cruzadas peste negra) - ...
Baixa idade média (renascimento comercial e urbano  cruzadas  peste negra) - ...Baixa idade média (renascimento comercial e urbano  cruzadas  peste negra) - ...
Baixa idade média (renascimento comercial e urbano cruzadas peste negra) - ...
Cassumoraes
 
prova imperialismo e 1 guerra 2023 - 1.docx
prova imperialismo e 1 guerra 2023 - 1.docxprova imperialismo e 1 guerra 2023 - 1.docx
prova imperialismo e 1 guerra 2023 - 1.docx
Taís Braun Rutz
 
Revisão de história.pdf
Revisão de história.pdfRevisão de história.pdf
Revisão de história.pdf
Laís Almeida
 
9.1.pptx
9.1.pptx9.1.pptx
9.1.pptx
RutePinho6
 
L ista de exerc imperialismo
L ista de exerc imperialismoL ista de exerc imperialismo
L ista de exerc imperialismo
Érica Martins
 
História fácil
História fácilHistória fácil
História fácil
Pérysson Nogueira
 
Guerra fria
Guerra friaGuerra fria
Guerra fria
Pedro Goethe Paiva
 
Exercícios - história
Exercícios - históriaExercícios - história
Exercícios - história
Isabella Silva
 
Descomplica ENEM 2012: Ciências Humanas
Descomplica ENEM 2012: Ciências HumanasDescomplica ENEM 2012: Ciências Humanas
Descomplica ENEM 2012: Ciências Humanas
Descomplica Videoaulas
 
Atividade 8 ano
Atividade 8 anoAtividade 8 ano
Atividade 8 ano
Camila Melo
 
História 9ºano
História 9ºanoHistória 9ºano
História 9ºano
Fabiana Severiano
 
Slide reflexo e conquista da América
Slide reflexo e conquista da AméricaSlide reflexo e conquista da América
Slide reflexo e conquista da América
Célia Tavares
 
Prova comentada 2 ano
Prova comentada   2 anoProva comentada   2 ano
Prova comentada 2 ano
KellyCarvalho2011
 
Gabarito 3o. ano história - 2o. bim
Gabarito 3o. ano   história - 2o. bimGabarito 3o. ano   história - 2o. bim
Gabarito 3o. ano história - 2o. bim
stjamesmkt
 
História Prof. Cláudio Nunes
História   Prof. Cláudio NunesHistória   Prof. Cláudio Nunes
História Prof. Cláudio Nunes
Pré-Enem Seduc
 
Caderno do Aluno História 2 ano vol 2 2014-2017
Caderno do Aluno História 2 ano vol 2 2014-2017Caderno do Aluno História 2 ano vol 2 2014-2017
Caderno do Aluno História 2 ano vol 2 2014-2017
Diogo Santos
 
AVALIACAO_-_8.o_ANOS_-_2oBIMESTRE_-_2021.pdf
AVALIACAO_-_8.o_ANOS_-_2oBIMESTRE_-_2021.pdfAVALIACAO_-_8.o_ANOS_-_2oBIMESTRE_-_2021.pdf
AVALIACAO_-_8.o_ANOS_-_2oBIMESTRE_-_2021.pdf
FlavioToledoDeSouza3
 
5609898
56098985609898
5609898
Adriana Silva
 

Semelhante a QUESTOES PARA O NCN HIST GERAL VARIADAS.docx (20)

Atividade 2 - 9º ano gabaritada
Atividade 2 - 9º ano gabaritadaAtividade 2 - 9º ano gabaritada
Atividade 2 - 9º ano gabaritada
 
Vestibular: Questões de História [pucrs 2000 2010 = 267 slides]
Vestibular: Questões de História [pucrs 2000   2010 = 267 slides]Vestibular: Questões de História [pucrs 2000   2010 = 267 slides]
Vestibular: Questões de História [pucrs 2000 2010 = 267 slides]
 
Baixa idade média (renascimento comercial e urbano cruzadas peste negra) - ...
Baixa idade média (renascimento comercial e urbano  cruzadas  peste negra) - ...Baixa idade média (renascimento comercial e urbano  cruzadas  peste negra) - ...
Baixa idade média (renascimento comercial e urbano cruzadas peste negra) - ...
 
prova imperialismo e 1 guerra 2023 - 1.docx
prova imperialismo e 1 guerra 2023 - 1.docxprova imperialismo e 1 guerra 2023 - 1.docx
prova imperialismo e 1 guerra 2023 - 1.docx
 
Revisão de história.pdf
Revisão de história.pdfRevisão de história.pdf
Revisão de história.pdf
 
9.1.pptx
9.1.pptx9.1.pptx
9.1.pptx
 
L ista de exerc imperialismo
L ista de exerc imperialismoL ista de exerc imperialismo
L ista de exerc imperialismo
 
História fácil
História fácilHistória fácil
História fácil
 
Guerra fria
Guerra friaGuerra fria
Guerra fria
 
Exercícios - história
Exercícios - históriaExercícios - história
Exercícios - história
 
Descomplica ENEM 2012: Ciências Humanas
Descomplica ENEM 2012: Ciências HumanasDescomplica ENEM 2012: Ciências Humanas
Descomplica ENEM 2012: Ciências Humanas
 
Atividade 8 ano
Atividade 8 anoAtividade 8 ano
Atividade 8 ano
 
História 9ºano
História 9ºanoHistória 9ºano
História 9ºano
 
Slide reflexo e conquista da América
Slide reflexo e conquista da AméricaSlide reflexo e conquista da América
Slide reflexo e conquista da América
 
Prova comentada 2 ano
Prova comentada   2 anoProva comentada   2 ano
Prova comentada 2 ano
 
Gabarito 3o. ano história - 2o. bim
Gabarito 3o. ano   história - 2o. bimGabarito 3o. ano   história - 2o. bim
Gabarito 3o. ano história - 2o. bim
 
História Prof. Cláudio Nunes
História   Prof. Cláudio NunesHistória   Prof. Cláudio Nunes
História Prof. Cláudio Nunes
 
Caderno do Aluno História 2 ano vol 2 2014-2017
Caderno do Aluno História 2 ano vol 2 2014-2017Caderno do Aluno História 2 ano vol 2 2014-2017
Caderno do Aluno História 2 ano vol 2 2014-2017
 
AVALIACAO_-_8.o_ANOS_-_2oBIMESTRE_-_2021.pdf
AVALIACAO_-_8.o_ANOS_-_2oBIMESTRE_-_2021.pdfAVALIACAO_-_8.o_ANOS_-_2oBIMESTRE_-_2021.pdf
AVALIACAO_-_8.o_ANOS_-_2oBIMESTRE_-_2021.pdf
 
5609898
56098985609898
5609898
 

Mais de Cristiane Pantoja

SIMULADO FILOSOFIA E SOCIOLOGIA 3.docx
SIMULADO FILOSOFIA E SOCIOLOGIA 3.docxSIMULADO FILOSOFIA E SOCIOLOGIA 3.docx
SIMULADO FILOSOFIA E SOCIOLOGIA 3.docx
Cristiane Pantoja
 
Tema Divisão da sociedade vaicairnoenem.docx
Tema Divisão da sociedade vaicairnoenem.docxTema Divisão da sociedade vaicairnoenem.docx
Tema Divisão da sociedade vaicairnoenem.docx
Cristiane Pantoja
 
slide com exercicio partilha da africa e asia.pdf
slide com exercicio partilha da africa e asia.pdfslide com exercicio partilha da africa e asia.pdf
slide com exercicio partilha da africa e asia.pdf
Cristiane Pantoja
 
40 CPV FILOSOFIA E SOCIOLOGIA CRIS PANTOJA BUNKER.pdf
40 CPV FILOSOFIA E SOCIOLOGIA CRIS PANTOJA BUNKER.pdf40 CPV FILOSOFIA E SOCIOLOGIA CRIS PANTOJA BUNKER.pdf
40 CPV FILOSOFIA E SOCIOLOGIA CRIS PANTOJA BUNKER.pdf
Cristiane Pantoja
 
SLIDE FILOSOFIA e sociologia AULAO 2019 SSA1 PANTOJA.pptx
SLIDE FILOSOFIA e sociologia AULAO 2019 SSA1  PANTOJA.pptxSLIDE FILOSOFIA e sociologia AULAO 2019 SSA1  PANTOJA.pptx
SLIDE FILOSOFIA e sociologia AULAO 2019 SSA1 PANTOJA.pptx
Cristiane Pantoja
 
SLIDE FILOSOFIA e sociologia AULAO 2019 SSA1 PANTOJA.pptx
SLIDE FILOSOFIA e sociologia AULAO 2019 SSA1  PANTOJA.pptxSLIDE FILOSOFIA e sociologia AULAO 2019 SSA1  PANTOJA.pptx
SLIDE FILOSOFIA e sociologia AULAO 2019 SSA1 PANTOJA.pptx
Cristiane Pantoja
 
40 CPV 08072020 FILOSOFIA E SOCIOLOGIA CRIS PANTOJA BUNKER.pdf
40 CPV 08072020 FILOSOFIA E SOCIOLOGIA CRIS PANTOJA BUNKER.pdf40 CPV 08072020 FILOSOFIA E SOCIOLOGIA CRIS PANTOJA BUNKER.pdf
40 CPV 08072020 FILOSOFIA E SOCIOLOGIA CRIS PANTOJA BUNKER.pdf
Cristiane Pantoja
 
slide SOBRE O SISTEMA PITÁGORAS.pptx
slide SOBRE O SISTEMA PITÁGORAS.pptxslide SOBRE O SISTEMA PITÁGORAS.pptx
slide SOBRE O SISTEMA PITÁGORAS.pptx
Cristiane Pantoja
 
2. Pré-colonial.pptx
2. Pré-colonial.pptx2. Pré-colonial.pptx
2. Pré-colonial.pptx
Cristiane Pantoja
 
40. aula 1 e 2 sociologia
40. aula 1 e 2  sociologia 40. aula 1 e 2  sociologia
40. aula 1 e 2 sociologia
Cristiane Pantoja
 
1 simulado geral antiguidade grega
1 simulado geral antiguidade grega1 simulado geral antiguidade grega
1 simulado geral antiguidade grega
Cristiane Pantoja
 
China e india exercicio comentado2142012164518 (1)
China e india exercicio comentado2142012164518 (1)China e india exercicio comentado2142012164518 (1)
China e india exercicio comentado2142012164518 (1)
Cristiane Pantoja
 
Ficha 01 reels cpv revisao 02102020
Ficha 01 reels cpv revisao 02102020Ficha 01 reels cpv revisao 02102020
Ficha 01 reels cpv revisao 02102020
Cristiane Pantoja
 
Modernidade liquida
Modernidade liquidaModernidade liquida
Modernidade liquida
Cristiane Pantoja
 

Mais de Cristiane Pantoja (14)

SIMULADO FILOSOFIA E SOCIOLOGIA 3.docx
SIMULADO FILOSOFIA E SOCIOLOGIA 3.docxSIMULADO FILOSOFIA E SOCIOLOGIA 3.docx
SIMULADO FILOSOFIA E SOCIOLOGIA 3.docx
 
Tema Divisão da sociedade vaicairnoenem.docx
Tema Divisão da sociedade vaicairnoenem.docxTema Divisão da sociedade vaicairnoenem.docx
Tema Divisão da sociedade vaicairnoenem.docx
 
slide com exercicio partilha da africa e asia.pdf
slide com exercicio partilha da africa e asia.pdfslide com exercicio partilha da africa e asia.pdf
slide com exercicio partilha da africa e asia.pdf
 
40 CPV FILOSOFIA E SOCIOLOGIA CRIS PANTOJA BUNKER.pdf
40 CPV FILOSOFIA E SOCIOLOGIA CRIS PANTOJA BUNKER.pdf40 CPV FILOSOFIA E SOCIOLOGIA CRIS PANTOJA BUNKER.pdf
40 CPV FILOSOFIA E SOCIOLOGIA CRIS PANTOJA BUNKER.pdf
 
SLIDE FILOSOFIA e sociologia AULAO 2019 SSA1 PANTOJA.pptx
SLIDE FILOSOFIA e sociologia AULAO 2019 SSA1  PANTOJA.pptxSLIDE FILOSOFIA e sociologia AULAO 2019 SSA1  PANTOJA.pptx
SLIDE FILOSOFIA e sociologia AULAO 2019 SSA1 PANTOJA.pptx
 
SLIDE FILOSOFIA e sociologia AULAO 2019 SSA1 PANTOJA.pptx
SLIDE FILOSOFIA e sociologia AULAO 2019 SSA1  PANTOJA.pptxSLIDE FILOSOFIA e sociologia AULAO 2019 SSA1  PANTOJA.pptx
SLIDE FILOSOFIA e sociologia AULAO 2019 SSA1 PANTOJA.pptx
 
40 CPV 08072020 FILOSOFIA E SOCIOLOGIA CRIS PANTOJA BUNKER.pdf
40 CPV 08072020 FILOSOFIA E SOCIOLOGIA CRIS PANTOJA BUNKER.pdf40 CPV 08072020 FILOSOFIA E SOCIOLOGIA CRIS PANTOJA BUNKER.pdf
40 CPV 08072020 FILOSOFIA E SOCIOLOGIA CRIS PANTOJA BUNKER.pdf
 
slide SOBRE O SISTEMA PITÁGORAS.pptx
slide SOBRE O SISTEMA PITÁGORAS.pptxslide SOBRE O SISTEMA PITÁGORAS.pptx
slide SOBRE O SISTEMA PITÁGORAS.pptx
 
2. Pré-colonial.pptx
2. Pré-colonial.pptx2. Pré-colonial.pptx
2. Pré-colonial.pptx
 
40. aula 1 e 2 sociologia
40. aula 1 e 2  sociologia 40. aula 1 e 2  sociologia
40. aula 1 e 2 sociologia
 
1 simulado geral antiguidade grega
1 simulado geral antiguidade grega1 simulado geral antiguidade grega
1 simulado geral antiguidade grega
 
China e india exercicio comentado2142012164518 (1)
China e india exercicio comentado2142012164518 (1)China e india exercicio comentado2142012164518 (1)
China e india exercicio comentado2142012164518 (1)
 
Ficha 01 reels cpv revisao 02102020
Ficha 01 reels cpv revisao 02102020Ficha 01 reels cpv revisao 02102020
Ficha 01 reels cpv revisao 02102020
 
Modernidade liquida
Modernidade liquidaModernidade liquida
Modernidade liquida
 

Último

Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Falcão Brasil
 
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamasConhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
edusegtrab
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Centro Jacques Delors
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
AntHropológicas Visual PPGA-UFPE
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Colaborar Educacional
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
LeilaVilasboas
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Falcão Brasil
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Centro Jacques Delors
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
Mary Alvarenga
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Instituto Walter Alencar
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
JocelynNavarroBonta
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Falcão Brasil
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
Sandra Pratas
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Falcão Brasil
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
marcos oliveira
 
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdfPERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
EsterGabriiela1
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
deboracorrea21
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Falcão Brasil
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
principeandregalli
 

Último (20)

Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdfMarinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
Marinha do Brasil (MB) Politíca Naval.pdf
 
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamasConhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
Conhecimento sobre Vestimenta Anti chamas
 
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
Slide | Eurodeputados Portugueses (2024-2029) - Parlamento Europeu (atualiz. ...
 
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
O processo da farinhada no Assentamento lagoa de Dentro, Zona Rural de Várzea...
 
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .TALENTOS DA NOSSA ESCOLA                .
TALENTOS DA NOSSA ESCOLA .
 
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores LocaisTemática – Projeto para Empreendedores Locais
Temática – Projeto para Empreendedores Locais
 
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptxSlide para aplicação  da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
Slide para aplicação da AVAL. FLUÊNCIA.pptx
 
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
Apresentação Institucional do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prote...
 
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UEInfografia | Presidência húngara do Conselho da UE
Infografia | Presidência húngara do Conselho da UE
 
Caça-palavras - multiplicação
Caça-palavras  -  multiplicaçãoCaça-palavras  -  multiplicação
Caça-palavras - multiplicação
 
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos ConjuntosMatemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
Matemática para Concursos - Teoria dos Conjuntos
 
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONALEMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
EMOCIONES PARA TRABAJAR EN LA AREA SOCIOEMOCIONAL
 
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
Organograma do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia...
 
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
EBOOK_HORA DO CONTO_MARINELA NEVES & PAULA FRANCISCO_22_23
 
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdfGeotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
Geotecnologias Aplicadas na Gestão de Riscos e Desastres Hidrológicos.pdf
 
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
Folha de Atividades (Virei Super-Herói! Projeto de Edição de Fotos) com Grade...
 
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdfPERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
PERÍODO COMPOSTO POR COORDENAÇÃO PDF.pdf
 
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTAEstudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
Estudo Infantil - MISSÕES NACIONAIS - IGREJA BATISTA
 
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
Manual de Identidade Visual do Centro Gestor e Operacional do Sistema de Prot...
 
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
Guia Genealógico da Principesca e Ducal Casa de Mesolcina, 2024
 

QUESTOES PARA O NCN HIST GERAL VARIADAS.docx

  • 1. QUESTOES PARA O NCN PANTOJA ASSUNTOS VARIADOS SOBRE HISTORIAGERAL gabarito EEDAE ACBAC DCDBC 01. (Albert Einstein) Em agosto de 2020, a descobertade uma vacina para a COVID-19 estava levando os presidentes dos EUA, Donald Trump, e da Rússia, Vladimir Putin, a passarem por cima de protocolos científicos rigorosos para anunciar o quanto antes a cura da doença. Ambos deram declarações e tomaram atitudes que despertaram a preocupação deque etapas de verificação da segurança de novas drogas fossem abreviadas na buscapela primazia de um anúncio aguardado no mundo todo. (www.nexojornal.com.br, 24.08.2020. Adaptado.) A disputa de EUA e Rússia em torno da vacina contra a COVID-19 remete a outras controvérsiasno passado, porexemplo, a) a anexação da Crimeia. b) a corrida espacial. c) a gestão da Organização Mundial do Comércio. d) a imposição de sanções à Síria. e) a invasão da Ossétia do Sul. 02. (UFRGS)Em relação à história da Europa moderna, assinale a alternativa CORRETA. a) Os humanistas eram indivíduos que, inspirados pela escolástica, propagavam um saber centrado apenas no Cristianismo. b) O contato dos europeus com os ameríndios não alterou as características do pensamento renascentista, exclusivamente voltado para a imitação dos autores gregos e romanos. c) O deslocamento das rotas comerciais europeias para os entrepostos localizados no Mar Mediterrâneo ocorreu no século XVI. d) A ascensão da burguesia, no século XIV, ocasionoua fragmentação do poder monárquico e o desenvolvimento de Estados capitalistas. e) A difusão da imprensa, a partir do século XV, foi importante para o desenvolvimento de novas práticas culturais. 03. (UFRGS)A Santa Aliança, coalizão entre Rússia, Prússia e Áustria, criada em setembro de 1815, após a derrota de Napoleão Bonaparte,tinha por objetivo polític0 a) promover e proteger os ideais republicanos e revolucionários franceses em toda a
  • 2. Europa. b) impedir as intenções recolonizadoras dos países ibéricos e apoiar as independências dos países latino-americanos. c) lutar contra a expansão do absolutismo monárquico e a influência do papado em todos os países europeus. d) combater e prevenir a expansão dos ideais republicanos e revolucionários franceses em todaa Europa. e) apoiar o retorno de Napoleão ao governo francês e garantir o equilíbrio entre as potências europeias. 04. (UFVJM) Todos os grandes cientistas e artistas da Europa moderna viveram intensamente esse processoe contribuíram para ele: Copérnico, Michelangelo, Leonardo da Vinci, Cristóvão Colombo, Newton, Galileu, Thomas Hobbes, Camões, Shakespeare seriam impensáveis sem os ‘antigos’. E a lista é infindável. A opção de reconstruir essamemória deixou uma marca profunda no que viria a ser a moderna concepção do Ocidente. A criação do ‘antigo’ foi uma verdadeira revolução cultural que, aos poucos,atingiu todas as camadas da população. O ‘mundo antigo’ tornou-se assim um participante ativo e necessário de outras revoluções: políticas, sociais e econômicas, cujas consequências sentimos até hoje. Fonte: GUARINELLO, Norberto L. História Antiga. São Paulo: Contexto, 2013. p. 19. A relação mencionada pelo autornesse trecho aponta para a a) construção de uma memória em torno da antiguidade clássica associadaa pretensões políticas, culturais e científicas do ocidente moderno. b) necessidade de uma revolução que modificasse as estruturas da sociedadepara abertura econômica de práticas mercantilistas. c) associação entre modernos e antigos, sem a qual a literatura e as artes renascentistas estariam fadadas ao fracasso. d) diversidade intelectual do movimento renascentista que atingiu diversas áreas do conhecimento humano. e) Nenhuma das alternativas. 05. (UEFS) O expansionismo europeusobre o Norte e o centro da África e sobre parte da Ásia, no decorrerdo século XIX a) resultou do avanço do poderdo mercado financeiro e caracterizou a postura imperialista dos povos africanos. b) confirmou a supremacia britânica sobreos mares e revelou o declínio da influência norte-americana no continente africano. c) ampliou o mercado consumidor para as manufaturas britânicas e francesas e freou o crescimento industrial dos países africanos. d) facilitou a circulação marítima entre os Oceanos Atlântico e Pacífico e
  • 3. restabeleceu as rotas comerciais para o Oriente. e) derivou da buscade matérias-primas e novas fontes de energia e enfrentou forte resistência dos povos locais. 06. (UDESC) Na obra O queijo e os vermes, o historiador Carlo Ginzburg conta a história de Domenico Scandella, vulgo Menocchio, um moleiro do norte da Itália que, no século XVI, foi considerado herege pela Igreja por afirmar que a origem do mundo estava na putrefação. Ao analisar o processoinquisitorial que trata do caso, Ginzburg chama a atenção para as peculiares opiniões de Menocchio sobreos dogmas da igreja e para suas críticas ao seu poderexcessivo: a igreja chegou a controlar um terço das terras cultiváveis da Europa. Para o autor, dois grandes eventos históricos tornaram possívelum caso como o de Menocchio: a invenção da imprensa e a Reforma. Com base nas informações e nos estudos sobre a Idade Moderna europeia, analise as proposições. I. A Reforma Protestante contribuiu para a uniformização das práticas e dos significados religiosos no século XVI. II. O desenvolvimento da imprensa contribuiu para que pessoas comuns tivessem acesso a informações antes controladas pela Igreja Católica. III. Avenda deindulgências pela Igreja Católica foium dos motivos quelevou o monge Martinho Lutero a escrever suas 95 teses, criticando vários pontos dadoutrina católica. IV. Uma das medidas da Contrarreforma foi o retorno da Inquisição, que tinha como objetivo reprimir aqueles que não estavam seguindo a doutrina católica. V. A censura exercida pela Igreja Católica Apostólica Romana foi determinante para a expansão do protestantismo na Itália e na Península Ibérica. Assinale a alternativa correta. a) Somente as afirmativas II, III e IV são verdadeiras. b) Somente as afirmativas I, III e IV são verdadeiras. c) Somente a afirmativa IV é verdadeira. d) Somente a afirmativa I é verdadeira. e) Todas as afirmativas são verdadeiras.
  • 4. 07. (UESB) A partir de 1870, a economia europeia viveu um período degrande expansão. A produção, impulsionada pelas inovações técnicas e científicas, cresceu além do consumo. Desse período até o início do século XX, ocorreuo que alguns historiadores consideram a Segunda Revolução Industrial. Ela seria caracterizada por avanços no processo deindustrialização, como a utilização de novas fontes de energia — petróleo e eletricidade —, que permitiram transformações importantes na economia capitalista. Houve grande desenvolvimento dos meios de transporte e a expansão dos meios de comunicação, levando à maior integração entre as diversas regiões. (BRAICK; MOTA, 2010, p. 11). A face política da expansão da revolução industrial, descrita no texto, se expressa, dentre outros, a) na derrubada das fronteiras coloniais, abrindo os mercados estrangeiros, igualmente, a todos os países imperialistas. b) no fortalecimento do tráfico atlântico de africanos escravizados, levados para a Europa e para a América do Norte portraficantes ingleses. c) nos processosdeunificação territorial da Itália e daAlemanha e no estabelecimento do imperialismo europeu sistematizado na Conferência de Berlim, em 1884/1885. d) nas revoluções ocorridas na União Soviética e na derrubada do governo absolutista turco-otomano. e) nas conquistas napoleônicas no Novo Mundo, especialmente no Canadá e nas colônias inglesas do leste daAmérica do Norte. 08. (UNESP) Entende-se hoje que a civilização medieval, apesar de limitada segundo os padrões atuais, dava ao homem um sentido de vida. Ele se via desempenhando um papel, por menor que fosse, de alcance amplo, importante para o equilíbrio do Universo. Não sofria, portanto, como sentimento de substituibilidade que atormenta o homem contemporâneo. O medievo se sentia impotente diante da natureza, mas convivia bem com ela. O ocidental de hoje se sente a ponto de dominar a natureza, porisso se exclui dela. (Hilário Franco Júnior. A Idade Média: nascimento do Ocidente, 1988.) A afirmação do texto de que, diferentemente do medieval, o homem contemporâneo “se sente a ponto de dominar a natureza, por isso se exclui dela” pode serjustificada pela a) incerteza diante do futuro, gerada pela impossibilidade de impedir terremotos e outras catástrofes naturais. b) celebração do progresso e do domínio tecnológico, difundida sobretudo a partir da Revolução Industrial. c) visão dessacralizada da natureza, proporcionadapelo ateísmo propagado depois da
  • 5. Revolução Russa. d) superação dos perigos naturais, proporcionadapela atual capacidade de controlar o clima planetário. e) descrençaem relação ao futuro, nascida com a visualização da barbárie das duas guerras mundiais. 09. (UNESP) As práticas econômicas mercantilistas são frequentemente relacionadas aos Estados modernos e representam a) uma concentração de capitais, alcançada principalmente pormeio da exploração colonial e de mecanismos de proteção comercial. b) uma difusão do comércio em escala mundial, obtida coma globalização da economia e a multipolaridade geoestratégica. c) uma redução profunda no grau de intervenção do Estado na economia, que passou a ser gerida pelos movimentos do mercado. d) o resultado da concentração do poderpolítico nas mãos de governantes que defendiam, sobretudo, os valores e interesses da burguesia industrial. e) o combate sistemático às formas compulsórias de trabalho, que impediam o crescimento dos mercados consumidores internos nos países europeus. 10. (UNESP) Com o fim da Segunda Guerra Mundial, os Estados Unidos se viram numa situação privilegiada, como a mais forte, coesae prósperaeconomia mundial. O governo americano coordenouum vasto plano de apoio para recuperar as economias capitalistas da Europa Ocidental, já no contexto da Guerra Fria. As agitações revolucionárias na Ásia, África e América Latina forçariam desdobramentos dos investimentos americanos também para essas áreas. O resultado desseconjunto de medidas foi um crescimento econômico sem precedentes das economias industriais. Entre 1953 e 1975 a taxa de produção industrial cresceu na escala extraordinária de seis porcento ao ano. O crescimento da riqueza foi de cerca de quatro por cento per capita em todo esse período.Mesmo com a crise do petróleo, que atingiu e abateu os mercados entre 1973 e 1980, o crescimento continuou, embora reduzido a cerca de dois e meio porcento ao ano, o que ainda era uma escala notável.(Nicolau Sevcenko. A corrida para o século XXI: no loop da montanha-russa, 2001. Adaptado.) O apoio à recuperação das economiascapitalistasda Europa Ocidental e os investimentos na Ásia, na África e na América Latina, mencionados no texto, correspondemà atuação dos Estados Unidos a) na defesa de posições políticas e ideológicas de caráter globalista e multicultural, após a onda nacionalista trazida pela Segunda Guerra. b) na disputa pelos mercados internos dos países do centro e oriente da Europa e dos países do Hemisfério Sul.
  • 6. c) no cenário geopolítico do pós-SegundaGuerra, em meio às disputas de caráter econômico, militar e ideológico com o bloco socialista. d) na constituição de uma hegemonia mundial unilateral, favorecida pelo declínio econômico e militar dos países do centro e do ocidente europeus. e) no esforço de reconstrução dos países afetados diretamente pelos bombardeios e pelas invasões territoriais durante a Segunda Guerra. 11. (UNESP) Entre as tensões anteriores à Primeira Guerra Mundial (1914-1918) que contribuíram para o desgaste das relações diplomáticas e para o início do conflito armado, é possívelcitar: a) o acirramento das disputas geoestratégicas entre Estados Unidos e União Soviética. b) o expansionismo territorial e político japonês no continente asiático e nas ilhas do Oceano Pacífico. c) os esforços dos paísescapitalistas para conter o avanço do socialismo no Leste europeu. d) as disputas, entre as potências europeias, por áreas coloniais no continente africano. e) a incapacidade da Sociedade das Nações de coordenar as negociações entre os países membros. 12. (FGV) Em 9 de março de 1933, foi lançado nos Estados Unidos um amplo programa de reformas implementado pelo governo de Franklin Delano Roosevelt. Surgiu para salvar o país de uma enorme depressão e pôs em xeque os fundamentos do liberalismo clássico, do “laissez faire, laissez passer”, para o qual o alicerce básico da economia seria a sua autorregulamentação. (https://operamundi.uol.com.br, 09.03.2018. Adaptado.) O programa de reformas e a crise que motivou sua implantação correspondem, respectivamente, a) ao Plano Marshall e à Primeira Guerra Mundial. b) à Emenda Platt e à concessãodesubsídios industriais. c) ao New Deal e à quebra da bolsa de Nova Iorque. d) à Doutrina Monroe e à queda do poder de compranacional. e) ao America First e ao déficit da balança comercial. 13. (UNESP) O reconhecimento do território africano empreendido pelas campanhas de exploração e pelas missões religiosas foi facilitador de uma verdadeira
  • 7. invasão de mercadores europeus nas caravanas e rotas de comércio que ligavam diferentes pontos do continente. Muitos desses mercadores começaram a controlar algumas redes de comércio, criando novos sistemas de autoridade que não passavam mais por líderes africanos. De início, isso não representou nenhum tipo de perigo para as elites africanas, que já estavam acostumadas a negociar com árabes, indianos e com os próprios europeus. No entanto, no decorrer do século, os europeus se tornaram senhores das principais rotas comerciais do litoral africano, inclusive as que ligavam as cidades orientais com o continente asiático. (Ynaê Lopes dos Santos. História da África e do Brasil afrodescendente, 2017.) Ao avaliar a presença europeia no continente africano ao longo do século XIX, o texto caracteriza a) um movimento de intensificação do comércio internacional, realizado a partir da difusão de valores universais como o cristianismo e a democracia. b) o respeito europeu à multiplicidade de crenças e manifestações culturais e a insistência africana em manter formas arcaicas de organização política. c) um esforço consciente e planejado de integração entre os continentes, por meio da constituição de ligações terrestres e marítimas. d) um processodeinterferência gradual e profunda nos padrões culturais africanos, de organização social e dinâmica política das sociedades locais. e) a disposição europeia de colaborar para o progresso depaíses subdesenvolvidos, ampliando a capacidade produtiva das economias locais. 14. (UNICAMP ) Pode-sedizer que o fascismo italiano foi a primeira ditadura de direita que dominou um país europeu: ele era uma colagem de diversas ideias políticas e filosóficas. É possívelconceberum movimento totalitário que consiga juntar monarquia e revolução, exército real e milícia pessoalde Mussolini, os privilégios concedidos àIgreja e uma educação estatal que exaltava a violência e o livre mercado? (Adaptado de Umberto Eco, “O Fascismo Eterno”, em Cinco Escritos Morais. Rio de Janeiro: Record, 2010, p. 29-38.) A partir da leitura do texto do escritoritaliano Umberto Eco (1932-2016), é correto afirmar que o fascismo italiano a) era marcado pela política de integração europeia, eliminação de fronteiras nacionais e produção regulada pelo Estado. b) resultou da combinação de ideários político-filosóficos inicialmente incompatíveis, valendo-se da violência como instrumento político. c) era uma ditadura de direita que serviu de modelo para países como Espanha, Portugal, Brasil e Estados Unidos. d) tinha como centro a figura de Mussolini, um homem carismático que assumia o papel de líder religioso e político.
  • 8. e) nenhuma das alternativas 15. (UNICAMP ) Leia o trecho do poema da poetisa grega Safo acerca da beleza de uma jovem chamada Anactória. uns dizem queé uma hoste de cavalaria, outros de infantaria; outros dizem ser uma frota de naus, na terra negra, a coisa mais bela: mas eu digo ser aquilo que se ama. (Adaptado de Luísa de Nazaré Ferreira, “Turismo e património na antiguidade clássica: o texto atribuído a Fílon de Bizâncio sobre as Sete Maravilhas”, em Espaços e Paisagens: Antiguidade Clássica e heranças contemporâneas. 2012. V. 1. Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra e Annablume, p. 73.) A partir da leitura do poema, assinale a alternativa correta sobre o conceito de beleza na Grécia Antiga. a) Safo reconhece a beleza como conceito universal e destacaa sua independência em relação ao amor. b) Safo exemplifica o conceito de belo e o define como inerente às conquistas militares e territoriais. c) Safo constata a diversidade dos gostos humanos e evidencia o valor do amor para o conceito de beleza. d) Safo exemplifica os gostos humanos a partir do conceito de amor e o define como inerente às conquistas militares. e) nenhuma das alternativas