SlideShare uma empresa Scribd logo
Angela P. Farias Mengatto
Bibliotecária - Especialista em Gestão de Pessoas
    Universidade Federal do Paraná (UFPR)
             angelamen@ufpr.br
   A grande demanda da produção científica
    nacional e estrangeira, em especial a
    publicação     periódica    solicita   uma
    padronização estética de sua estrutura, de
    acordo com as normas (nacionais e
    internacionais) adotadas nos meios de
    publicação. Após essa adoção, é necessário
    pensar como a produção será publicada,
    disseminada, armazenada, recuperada e
    acessada. Daí a importância de publicar em
    revistas que sejam indexadas em bases de
    dados.
produto                                   valor
       (trabalho científico)


                                      MERCADO
                                      EDITORIAL

                                      publicação

                                      qual revista?

                                      qual base de
                                        dados?



       valor                      publicação revista           LUCRO
(trabalho científico)              base de dados




       visibilidade
       notoriedade intelectual
       relevância para a ciência
       estimula a geração de conhecimento
   PERIÓDICO CIENTÍFICO: publicação editada em
    fascículos ou partes, em intervalos pré-
    determinados (periodicidade), com a colaboração
    de diversas pessoas sob uma direção previamente
    constituída. Pode tratar de vários assuntos em uma
    ou mais áreas do conhecimento, pode ser impresso
    ou online. (UFPR, 2007)

   ARTIGO CIENTÍFICO: trabalho escrito por um ou
    mais autores com a finalidade de divulgar estudos
    e resultados de pesquisas. Formam a seção
    principal em revistas especializadas e devem
    seguir as normas editorais das revistas. (UFPR,
    2007).
   BASE DE DADOS – O que é?

    “é uma coleção geral e integrada de dados junto
    com a descrição deles, gerenciada de forma a
    atender a diferentes necessidades de usuários".
    ROWLEY (2002).

    As bases de dados são mantidas e gerenciadas por
    instituições              privadas               ou
    governamentais,      responsáveis        por inserir
    programas          que          permitam           a
    geração, operação, alimentação, armazenação, divu
    lgação, disseminação e principalmente a
    recuperação da informação. (Rowley 2002)
OBJETIVOS DAS BASES DE DADOS

   controle bibliográfico: registro da produção científica
    de uma determinada área do conhecimento:
    livros, revistas, teses, relatórios, projetos e
    documentos governamentais;

   disseminação de documentos de uma determinada
    área do conhecimento, principalmente publicações
    científicas, selecionadas com critérios específicos;

   indicadores estatísticos e bibliométricos: contribuir
    para a análise da produção científica, gerando
    indicadores a partir dos registros da base. Como
    Fator de Impacto e Índice h. (CASTRO, 2005).
Bases de dados

   Como são organizadas: utilizam-se de
    modelos, procedimentos e técnicas normativas
    adotados na área da Biblioteconomia e da
    Ciência da Informação.
   Profissionais habilitados para essa atividade:
    bibliotecários, gestores da informação, analista
    de sistemas, técnicos e profissionais específicos
    da área.

Para que o documento seja incluído na base de
  dados é necessário fazer a indexação do
  documento.
   O QUE É INDEXAÇÃO?
    Indexação é o processo pelo qual é descrito o conteúdo temático
    de um documento mediante a atribuição de descritores de assunto
    ou palavras chaves, após sua leitura técnica e análise. Em resumo,
    a indexação visa recuperar, selecionar e descrever as informações
    contidas nos documentos.

   Descritores: são termos extraídos de vocabulários controlados que
    expressam conceitos de uma ou várias áreas do conhecimento ou
    de atividade.

   Palavras-chave: são termos ou palavras representativas do
    assunto do documento.

   Os descritores e palavras-chaves permitem que se faça uma busca
    por:
    - assunto, tema ou palavra específica;
    - assim também como os outros elementos do documento (autor,
    título, data, instituição, etc...).
   Exemplo:
   O Editor da publicação (periódico) envia um
    pedido formal contendo as informações gerais e
    específicas da revista e dos fascículos definidos
    para avaliação, juntamente com os 3 últimos
    números publicados.

   Algumas áreas possuem bases de dados
    especializadas em indexação, onde o editor da
    publicação pode entrar em contato com os seus
    produtores, para saber se a sua publicação pode
    ser aceita para fazer parte da sua base através da
    indexação.
   qualidade dos artigos publicados;
   tipo de artigos a serem publicados (originais, revisão, estudo de caso, anais, e outros);
   ter mérito científico;
   corpo editorial (comitê e consultores editoriais, profissionais reconhecidos na área);
   importância do tema para a revista;
   endogênia (concentração geográfica e institucional dos autores publicados e do comitê
    editorial);
   política editorial da revista;
   reconhecimento pelos pares (pesquisdores da área);
   língua;
   periodicidade;
   normalização (nacional ou internacional);
   instruções aos autores claras e adequadas;
   ISSN (Número Padrão internacional para Publicação Seriada);
   apresentação (formato);
   divulgação (impresso ou online).
   Multidisciplinares ou gerais (várias áreas) do
    conhecimento.
    Ex. Scielo, Web of Science, Scopus, Science
    Direct.

   Especializadas: área específica.
    Ex. Lilacs, Medline, Engineering Village (EI),
    IEEE.
   Nacionais: país ou região.
    Ex. Scielo - (Brasil e America latina e Caribe)



   Internacionais: vários países.
    Ex. Scopus, Wef of Science, Science Direct.
   Referênciais: contém apenas a referência do
    documento         (autor,      título,   título    do
    periódico, volume, numero, paginação, data de
    publicação, dados do autor e resumo.
    Ex.: MEDLINE - EMBASE (Excerpta Medica) - BIOSIS
    (Biological Abstracts) – ERIC (Education Resources
    Information Center) – Sociological Abstracts –
    PsycINFO – FSTA (Food Science & Technology
    Abstracts) – IPA (International Pharmaceutical
    Abstracts) – LILACS (Literatura Latino-Americana e do
    Caribe de Informação em Ciências da Saúde).

   Textuais: apresentam todos os dados de identificação
    do documento e disponibilizam o texto completo.
    Ex.: Scielo - Scopus - Science Direct - Springer - Ovid -
    Elsevier - Web of Science.

    Como fazer:
    Pesquisar em indicadores bibliométricos ou
    diretórios   (nacionais      e  estrangeiros)   que
    avaliam, organizam e divulgam títulos de
    periódicos significativos, (com fator de impacto) de
    acordo com critérios previamente estabelecidos.

    Para quem é útil: autores e pesquisadores para
    decidir onde publicar ou saber quais os títulos de
    referência na sua área de investigação.

    Internacional:
    - JCR Journal Citation Reports.


    Nacional:
    - Webqualis ou lista Qualis
    - Scielo

    Instituição responsável: Thomson Reuters - Institute for Scientific
    Information (Estados Unidos).
    Base de dados que indica o fator de impacto (FI) de publicações
    periódicas científicas nas áreas de ciência, tecnologia e ciências
    sociais. Atualização anual.
    - Avalia revistas de 3.300 editores de 60 países;
    - Cobertura de 200 disciplinas;
    - Acesso à estatística de citações desde 2001 até o presente.

   Principais possibilidades de pesquisa no JCR:
    - Identificar os periódicos especializados de maior impacto;
    - Identificar os periódicos especializados mais citados;
    - Identificar os periódicos especializados de maior destaque
    - Analisar autocitações;
    - Calcular o fator de impacto de uma publicação por cinco anos.
   Webqualis = lista Qualis.
    Instituição responsável: Capes.
    Qualis é o conjunto de procedimentos utilizados pela Capes
    para estratificação da qualidade da produção intelectual dos
    programas de pós-graduação. O Qualis afere a qualidade
    dos artigos e de outros tipos de produção, a partir da análise
    da qualidade dos veículos de divulgação, ou seja, periódicos
    científicos (SANTOS, 2010).
    Acesso: site da Capes (http://qualis.capes.gov.br/webqualis/)


    A classificação de periódicos é realizada pelas áreas de
    avaliação e passa por processo anual de atualização.
    Indicativos da qualidade:
    - A1, o mais elevado;
    - A2; B1; B2; B3; B4; B5;
    - C - com peso zero
   Base de dados de publicação de periódicos
    eletrônicos na Internet, com ênfase na produção
    dos países ibero-americanos.
    http://www.scielo.org

   A base oferece:
    - Conjunto de
    políticas, normas, diretrizes, procedimentos, e
    ferramentas para a execução das funções de um
    periódico, como avaliação e seleção;
    -
    Preparação, armazenamento, publicação, conserva
    ção, controle de uso;
    - Fator de impacto das revistas científicas
    disponibilizadas nos Sites Scielo.
Vantagens dos artigos serem indexados em bases de dados:

   a) Amplitude, facilidade e rapidez de acesso á informação armazenada
    eletronicamente em qualquer lugar on-line, via internet ou CD-ROM;

   b) Permite a truncagem (combinação) de diversos pontos de acesso
    durante a busca;

   c) Permite descobrir dados que seriam impossíveis ou muito difícil
    conseguir em fontes impressas devido a impossibilidade da busca por
    palavras, no texto completo;

   d) Informações recentes e atualizadas, algumas bases de dados atualizam
    seus dados diariamente;

   e) Maior poder de recuperação de informações em busca informatizada,
    pois há a possibilidade de simultaneidade no uso de várias bases ao
    mesmo tempo;
    f) Flexibilidade, facilidade, rapidez na formulação de buscas
     e na obtenção de respostas;

    g) Permite o uso de operadores booleanos, busca por
     campo, já que todos os campos dos seus registros são
     indexados e, portanto pesquisáveis, isto favorece precisão e
     especificidade nos resultados (CENDÓN, 2002);

    h) Geração de índice ou indicador bibliométrico (fator de
     impacto das revistas, e índice H);

    i) Indicador de produção e qualidade dos trabalhos
     científicos exigidos como por exemplo no Curriculum Lattes.




Curitiba, 27 de outubro 2012.
   BIREME/OPAS/OMS. LILACS - Critérios de Seleção e Permanência de Periódicos. São Paulo,
    2008. Disponível em: <
    http://metodologia.lilacs.bvsalud.org/php/level.php?lang=pt&component=74&item=21>. Acesso
    em: 24/10/2012.

   NAHAS, F. X.; FERREIRA, L. M. A Escolha do Periódico. Acta Cirúrgica Brasileira, v. 20 (Supl. 2, p. 26-
    27, 2005. Disponível em: < http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0102-
    86502005000800007&script=sci_arttext>. Acesso em 23/10/2012.

   SANTOS, G. C. Fontes de indexação para periódicos científicos: um guia para bibliotecários e editores.
    Campinas: Unicamp, 2010. 15p. Disponível em: <
    http://www.seer.net.br/index.php/rdq/article/viewFile/17/25>. Acesso em: 23/10/2012.

   CASTRO, R. F. Procedimentos para indexação de periódicos científicos. Mini curso. Disponível em: <
    http://www.periodicos.ufrgs.br/admin/sobrelinks/arquivos/proc_index.pdf>. Acesso em:
    25/10/2012.

   ARELLANO, M. A. M.; LEITE, F. C L.; MORENO, F. P.; BARRADAS, M. M. Guia de fontes de
    informação para editores de periódicos científicos. Brasília: CID/UNB, 2007. Disponível em: <
    ftp://ftp.ufg.br/.tmp/.portalperiodicos/LIVRO_GuiaFontesInformacao_par_editorse_cientificos.pdf
    >. Acesso em: 25/10/2012.

   UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANA. Sistema de Bibliotecas. Normas para apresentação de
    documentos científicos. 2. ed. Curitiba: Ed. da UFPR, 2007. 9v.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula - Guia de Citações (ABNT-UFC)
Aula - Guia de Citações (ABNT-UFC)Aula - Guia de Citações (ABNT-UFC)
Aula - Guia de Citações (ABNT-UFC)
Fábio de Oliveira Matos
 
Atendente de Farmácia - Microbiologia
Atendente de Farmácia - MicrobiologiaAtendente de Farmácia - Microbiologia
Atendente de Farmácia - Microbiologia
Luis Antonio Cezar Junior
 
Monografia: como fazer
Monografia: como fazerMonografia: como fazer
Monografia: como fazer
Carolina Lara
 
Dicas de Normas: ABNT NBR6023/2018
Dicas de Normas: ABNT NBR6023/2018Dicas de Normas: ABNT NBR6023/2018
Dicas de Normas: ABNT NBR6023/2018
Biblioteca Central PUCRS
 
APOSTILA DE QUIMICA FARMACEUTICA.pdf
APOSTILA DE QUIMICA FARMACEUTICA.pdfAPOSTILA DE QUIMICA FARMACEUTICA.pdf
APOSTILA DE QUIMICA FARMACEUTICA.pdf
MarciaRodrigues615662
 
MARKETING CIENTÍFICO DIGITAL E MÉTRICAS ALTERNATIVAS
MARKETING CIENTÍFICO DIGITAL E MÉTRICAS ALTERNATIVASMARKETING CIENTÍFICO DIGITAL E MÉTRICAS ALTERNATIVAS
MARKETING CIENTÍFICO DIGITAL E MÉTRICAS ALTERNATIVAS
Portal de Periódicos UFMG
 
2ª aula origem e evolução da farmácia
2ª aula   origem e evolução da farmácia2ª aula   origem e evolução da farmácia
2ª aula origem e evolução da farmácia
Claudio Luis Venturini
 
Biossegurança 1
Biossegurança 1Biossegurança 1
Biossegurança 1
sergio oliveira
 
Aula 05 - Referências
Aula 05 - ReferênciasAula 05 - Referências
Aula 05 - Referências
Ghiordanno Bruno
 
Escrita Académica
Escrita AcadémicaEscrita Académica
Escrita Académica
Ana Carla Amaro
 
Teorias administrativas e a enfermagem
Teorias administrativas e a enfermagemTeorias administrativas e a enfermagem
Teorias administrativas e a enfermagem
Marianny Dantas
 
Tutorial Publons - Web of Science
Tutorial Publons - Web of ScienceTutorial Publons - Web of Science
Tutorial Publons - Web of Science
Universidade de São Paulo
 
Biotecnologia farmaceutica
Biotecnologia farmaceuticaBiotecnologia farmaceutica
Biotecnologia farmaceutica
Glauce Trevisan
 
Projeto de pesquisa: problema, objetivo e justifivativa
Projeto de pesquisa: problema, objetivo e justifivativaProjeto de pesquisa: problema, objetivo e justifivativa
Projeto de pesquisa: problema, objetivo e justifivativa
Lúcia da Silveira
 
Niveis de biossegurança 1 2 3 4
Niveis de biossegurança 1 2 3 4Niveis de biossegurança 1 2 3 4
Niveis de biossegurança 1 2 3 4
Rbtconseg Tst
 
Texto seminário
Texto seminárioTexto seminário
Texto seminário
UNIPÊ
 
Ética na pesquisa
Ética na pesquisaÉtica na pesquisa
Ética na pesquisa
Patricia Fraga
 
SlideShare e Scribd
SlideShare e ScribdSlideShare e Scribd
SlideShare e Scribd
Iuri Lammel
 
Atendente de Farmácia - Origem e evolução da farmácia
Atendente de Farmácia - Origem e evolução da farmáciaAtendente de Farmácia - Origem e evolução da farmácia
Atendente de Farmácia - Origem e evolução da farmácia
Luis Antonio Cezar Junior
 
Quimica farmaceutica
Quimica farmaceuticaQuimica farmaceutica
Quimica farmaceutica
Marcos Rocha
 

Mais procurados (20)

Aula - Guia de Citações (ABNT-UFC)
Aula - Guia de Citações (ABNT-UFC)Aula - Guia de Citações (ABNT-UFC)
Aula - Guia de Citações (ABNT-UFC)
 
Atendente de Farmácia - Microbiologia
Atendente de Farmácia - MicrobiologiaAtendente de Farmácia - Microbiologia
Atendente de Farmácia - Microbiologia
 
Monografia: como fazer
Monografia: como fazerMonografia: como fazer
Monografia: como fazer
 
Dicas de Normas: ABNT NBR6023/2018
Dicas de Normas: ABNT NBR6023/2018Dicas de Normas: ABNT NBR6023/2018
Dicas de Normas: ABNT NBR6023/2018
 
APOSTILA DE QUIMICA FARMACEUTICA.pdf
APOSTILA DE QUIMICA FARMACEUTICA.pdfAPOSTILA DE QUIMICA FARMACEUTICA.pdf
APOSTILA DE QUIMICA FARMACEUTICA.pdf
 
MARKETING CIENTÍFICO DIGITAL E MÉTRICAS ALTERNATIVAS
MARKETING CIENTÍFICO DIGITAL E MÉTRICAS ALTERNATIVASMARKETING CIENTÍFICO DIGITAL E MÉTRICAS ALTERNATIVAS
MARKETING CIENTÍFICO DIGITAL E MÉTRICAS ALTERNATIVAS
 
2ª aula origem e evolução da farmácia
2ª aula   origem e evolução da farmácia2ª aula   origem e evolução da farmácia
2ª aula origem e evolução da farmácia
 
Biossegurança 1
Biossegurança 1Biossegurança 1
Biossegurança 1
 
Aula 05 - Referências
Aula 05 - ReferênciasAula 05 - Referências
Aula 05 - Referências
 
Escrita Académica
Escrita AcadémicaEscrita Académica
Escrita Académica
 
Teorias administrativas e a enfermagem
Teorias administrativas e a enfermagemTeorias administrativas e a enfermagem
Teorias administrativas e a enfermagem
 
Tutorial Publons - Web of Science
Tutorial Publons - Web of ScienceTutorial Publons - Web of Science
Tutorial Publons - Web of Science
 
Biotecnologia farmaceutica
Biotecnologia farmaceuticaBiotecnologia farmaceutica
Biotecnologia farmaceutica
 
Projeto de pesquisa: problema, objetivo e justifivativa
Projeto de pesquisa: problema, objetivo e justifivativaProjeto de pesquisa: problema, objetivo e justifivativa
Projeto de pesquisa: problema, objetivo e justifivativa
 
Niveis de biossegurança 1 2 3 4
Niveis de biossegurança 1 2 3 4Niveis de biossegurança 1 2 3 4
Niveis de biossegurança 1 2 3 4
 
Texto seminário
Texto seminárioTexto seminário
Texto seminário
 
Ética na pesquisa
Ética na pesquisaÉtica na pesquisa
Ética na pesquisa
 
SlideShare e Scribd
SlideShare e ScribdSlideShare e Scribd
SlideShare e Scribd
 
Atendente de Farmácia - Origem e evolução da farmácia
Atendente de Farmácia - Origem e evolução da farmáciaAtendente de Farmácia - Origem e evolução da farmácia
Atendente de Farmácia - Origem e evolução da farmácia
 
Quimica farmaceutica
Quimica farmaceuticaQuimica farmaceutica
Quimica farmaceutica
 

Semelhante a Publicação de artigos científicos em revistas indexadas

Aula fontes de informação
Aula  fontes de informaçãoAula  fontes de informação
Aula fontes de informação
Sistema de Bibliotecas da UEL
 
Critérios para indexação em bases de dados
Critérios para indexação em bases de dadosCritérios para indexação em bases de dados
Critérios para indexação em bases de dados
Portal de Periódicos UFMG
 
Critérios de Qualidade de Revista Científicas 2013
Critérios de Qualidade de Revista Científicas 2013Critérios de Qualidade de Revista Científicas 2013
Critérios de Qualidade de Revista Científicas 2013
Edilson Damasio
 
XII Curso Open Journal Systems - Introdução a indexadores
XII Curso Open Journal Systems - Introdução a indexadoresXII Curso Open Journal Systems - Introdução a indexadores
XII Curso Open Journal Systems - Introdução a indexadores
Carla Ferreira
 
Funções e disfunções das bases de dados em levantamentos bibliométricos
Funções e disfunções das bases de dados em levantamentos bibliométricosFunções e disfunções das bases de dados em levantamentos bibliométricos
Funções e disfunções das bases de dados em levantamentos bibliométricos
Leticia Strehl
 
#2# wos workshop de doutoramento__27 e 28 novembro 2015
#2# wos workshop de doutoramento__27 e 28 novembro 2015#2# wos workshop de doutoramento__27 e 28 novembro 2015
#2# wos workshop de doutoramento__27 e 28 novembro 2015
Carlos Lopes
 
Avaliação da produção científica e visibilidade
Avaliação da produção científica e visibilidadeAvaliação da produção científica e visibilidade
Avaliação da produção científica e visibilidade
Susana Lopes
 
Fontes de informação na produção cientifica - Prof. Ma. Diana Vilas Boas Sout...
Fontes de informação na produção cientifica - Prof. Ma. Diana Vilas Boas Sout...Fontes de informação na produção cientifica - Prof. Ma. Diana Vilas Boas Sout...
Fontes de informação na produção cientifica - Prof. Ma. Diana Vilas Boas Sout...
Competências Digitais para Agricultura Familiar
 
Scopus Web of Science 2017
Scopus Web of Science 2017Scopus Web of Science 2017
Scopus Web of Science 2017
Bibliotecas da Universidade de Aveiro
 
Aula 2 ic e artigos sem vídeo-1 - cópia
Aula 2   ic e artigos sem vídeo-1 - cópiaAula 2   ic e artigos sem vídeo-1 - cópia
Aula 2 ic e artigos sem vídeo-1 - cópia
aula123456
 
Escolha de periódicos para publicação de artigos científicos: primeira abord...
Escolha de periódicos para publicação de artigos científicos:  primeira abord...Escolha de periódicos para publicação de artigos científicos:  primeira abord...
Escolha de periódicos para publicação de artigos científicos: primeira abord...
Paola Santos
 
Gestão Editorial: qualidade do periódico com foco na internacionalização
Gestão Editorial: qualidade do periódico com foco na internacionalizaçãoGestão Editorial: qualidade do periódico com foco na internacionalização
Gestão Editorial: qualidade do periódico com foco na internacionalização
Portal de Periódicos UFSC
 
"Fontes de indexação para periódicos científicos", Palestra de Gildenir Carol...
"Fontes de indexação para periódicos científicos", Palestra de Gildenir Carol..."Fontes de indexação para periódicos científicos", Palestra de Gildenir Carol...
"Fontes de indexação para periódicos científicos", Palestra de Gildenir Carol...
Suelybcs .
 
Recursos de apoio à investigação (UAlg)
Recursos de apoio à investigação (UAlg)Recursos de apoio à investigação (UAlg)
Recursos de apoio à investigação (UAlg)
Biblioteca da Universidade do Algarve
 
Papel bibliotecarios Portal Periodicos 2013
Papel bibliotecarios Portal Periodicos 2013Papel bibliotecarios Portal Periodicos 2013
Papel bibliotecarios Portal Periodicos 2013
Edilson Damasio
 
Selecção fontes_inf2011
Selecção fontes_inf2011Selecção fontes_inf2011
Selecção fontes_inf2011
Bibliotecas da Universidade de Aveiro
 
Fator de Impacto e índice H : o antes e o agora da medição da produtividade c...
Fator de Impacto e índice H : o antes e o agora da medição da produtividade c...Fator de Impacto e índice H : o antes e o agora da medição da produtividade c...
Fator de Impacto e índice H : o antes e o agora da medição da produtividade c...
Roberto Lopes
 
Estadísticas de uso e impacto-Tardelli
Estadísticas de uso e impacto-TardelliEstadísticas de uso e impacto-Tardelli
Estadísticas de uso e impacto-Tardelli
Latindex
 
Direito autoral e qualidade das publicações
Direito autoral e qualidade das publicaçõesDireito autoral e qualidade das publicações
Direito autoral e qualidade das publicações
Portal de Periódicos UFSC
 
Oficina Gratuita de Pesquisa Bibliográfica - Curso Prática de revisão bibliog...
Oficina Gratuita de Pesquisa Bibliográfica - Curso Prática de revisão bibliog...Oficina Gratuita de Pesquisa Bibliográfica - Curso Prática de revisão bibliog...
Oficina Gratuita de Pesquisa Bibliográfica - Curso Prática de revisão bibliog...
Essevalter de Sousa
 

Semelhante a Publicação de artigos científicos em revistas indexadas (20)

Aula fontes de informação
Aula  fontes de informaçãoAula  fontes de informação
Aula fontes de informação
 
Critérios para indexação em bases de dados
Critérios para indexação em bases de dadosCritérios para indexação em bases de dados
Critérios para indexação em bases de dados
 
Critérios de Qualidade de Revista Científicas 2013
Critérios de Qualidade de Revista Científicas 2013Critérios de Qualidade de Revista Científicas 2013
Critérios de Qualidade de Revista Científicas 2013
 
XII Curso Open Journal Systems - Introdução a indexadores
XII Curso Open Journal Systems - Introdução a indexadoresXII Curso Open Journal Systems - Introdução a indexadores
XII Curso Open Journal Systems - Introdução a indexadores
 
Funções e disfunções das bases de dados em levantamentos bibliométricos
Funções e disfunções das bases de dados em levantamentos bibliométricosFunções e disfunções das bases de dados em levantamentos bibliométricos
Funções e disfunções das bases de dados em levantamentos bibliométricos
 
#2# wos workshop de doutoramento__27 e 28 novembro 2015
#2# wos workshop de doutoramento__27 e 28 novembro 2015#2# wos workshop de doutoramento__27 e 28 novembro 2015
#2# wos workshop de doutoramento__27 e 28 novembro 2015
 
Avaliação da produção científica e visibilidade
Avaliação da produção científica e visibilidadeAvaliação da produção científica e visibilidade
Avaliação da produção científica e visibilidade
 
Fontes de informação na produção cientifica - Prof. Ma. Diana Vilas Boas Sout...
Fontes de informação na produção cientifica - Prof. Ma. Diana Vilas Boas Sout...Fontes de informação na produção cientifica - Prof. Ma. Diana Vilas Boas Sout...
Fontes de informação na produção cientifica - Prof. Ma. Diana Vilas Boas Sout...
 
Scopus Web of Science 2017
Scopus Web of Science 2017Scopus Web of Science 2017
Scopus Web of Science 2017
 
Aula 2 ic e artigos sem vídeo-1 - cópia
Aula 2   ic e artigos sem vídeo-1 - cópiaAula 2   ic e artigos sem vídeo-1 - cópia
Aula 2 ic e artigos sem vídeo-1 - cópia
 
Escolha de periódicos para publicação de artigos científicos: primeira abord...
Escolha de periódicos para publicação de artigos científicos:  primeira abord...Escolha de periódicos para publicação de artigos científicos:  primeira abord...
Escolha de periódicos para publicação de artigos científicos: primeira abord...
 
Gestão Editorial: qualidade do periódico com foco na internacionalização
Gestão Editorial: qualidade do periódico com foco na internacionalizaçãoGestão Editorial: qualidade do periódico com foco na internacionalização
Gestão Editorial: qualidade do periódico com foco na internacionalização
 
"Fontes de indexação para periódicos científicos", Palestra de Gildenir Carol...
"Fontes de indexação para periódicos científicos", Palestra de Gildenir Carol..."Fontes de indexação para periódicos científicos", Palestra de Gildenir Carol...
"Fontes de indexação para periódicos científicos", Palestra de Gildenir Carol...
 
Recursos de apoio à investigação (UAlg)
Recursos de apoio à investigação (UAlg)Recursos de apoio à investigação (UAlg)
Recursos de apoio à investigação (UAlg)
 
Papel bibliotecarios Portal Periodicos 2013
Papel bibliotecarios Portal Periodicos 2013Papel bibliotecarios Portal Periodicos 2013
Papel bibliotecarios Portal Periodicos 2013
 
Selecção fontes_inf2011
Selecção fontes_inf2011Selecção fontes_inf2011
Selecção fontes_inf2011
 
Fator de Impacto e índice H : o antes e o agora da medição da produtividade c...
Fator de Impacto e índice H : o antes e o agora da medição da produtividade c...Fator de Impacto e índice H : o antes e o agora da medição da produtividade c...
Fator de Impacto e índice H : o antes e o agora da medição da produtividade c...
 
Estadísticas de uso e impacto-Tardelli
Estadísticas de uso e impacto-TardelliEstadísticas de uso e impacto-Tardelli
Estadísticas de uso e impacto-Tardelli
 
Direito autoral e qualidade das publicações
Direito autoral e qualidade das publicaçõesDireito autoral e qualidade das publicações
Direito autoral e qualidade das publicações
 
Oficina Gratuita de Pesquisa Bibliográfica - Curso Prática de revisão bibliog...
Oficina Gratuita de Pesquisa Bibliográfica - Curso Prática de revisão bibliog...Oficina Gratuita de Pesquisa Bibliográfica - Curso Prática de revisão bibliog...
Oficina Gratuita de Pesquisa Bibliográfica - Curso Prática de revisão bibliog...
 

Último

Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
TomasSousa7
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Pedro Luis Moraes
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
joaresmonte3
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
beatrizsilva525654
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
lveiga112
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
LILIANPRESTESSCUDELE
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
TomasSousa7
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
Manuais Formação
 
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdfAULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
SthafaniHussin1
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
Eró Cunha
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
KleginaldoPaz2
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
LuizHenriquedeAlmeid6
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
Marlene Cunhada
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
TomasSousa7
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
AurelianoFerreirades2
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Zenir Carmen Bez Trombeta
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
joseanesouza36
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
CarinaSantos916505
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
fagnerlopes11
 

Último (20)

Leonardo da Vinci .pptx
Leonardo da Vinci                  .pptxLeonardo da Vinci                  .pptx
Leonardo da Vinci .pptx
 
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdfAula Contrato Individual de Trabalho .pdf
Aula Contrato Individual de Trabalho .pdf
 
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptxAtpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
Atpcg PEI Rev Irineu GESTÃO DE SALA DE AULA.pptx
 
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionaisResumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
Resumo de Química 10º ano Estudo exames nacionais
 
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdfTestes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
Testes + soluções_Mensagens12 )11111.pdf
 
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptxSlides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
Slides Lição 12, CPAD, A Bendita Esperança, A Marca do Cristão, 2Tr24.pptx
 
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptxAula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
Aula 2 - Revisando o significado de fração - Parte 2.pptx
 
Fernão Lopes. pptx
Fernão Lopes.                       pptxFernão Lopes.                       pptx
Fernão Lopes. pptx
 
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdfUFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
UFCD_3546_Prevenção e primeiros socorros_geriatria.pdf
 
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdfAULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
AULA-001---AS-CELULAS_5546dad041b949bbb7b1f0fa841a6d1f.pdf
 
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...REGULAMENTO  DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
REGULAMENTO DO CONCURSO DESENHOS AFRO/2024 - 14ª edição - CEIRI /UREI (ficha...
 
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vidakarl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
karl marx biografia resumida com suas obras e história de vida
 
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptxPP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
PP Slides Lição 11, Betel, Ordenança para exercer a fé, 2Tr24.pptx
 
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
GÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptxGÊNERO      TEXTUAL     -     POEMA.pptx
GÊNERO TEXTUAL - POEMA.pptx
 
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões.          pptxRimas, Luís Vaz de Camões.          pptx
Rimas, Luís Vaz de Camões. pptx
 
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdfA QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
A QUESTÃO ANTROPOLÓGICA: O QUE SOMOS OU QUEM SOMOS.pdf
 
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptxCartinhas de solidariedade e esperança.pptx
Cartinhas de solidariedade e esperança.pptx
 
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
Educação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideiaEducação  trabalho HQ em sala de aula uma excelente  ideia
Educação trabalho HQ em sala de aula uma excelente ideia
 
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptxReino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
Reino-Vegetal plantas e demais conceitos .pptx
 
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
-Rudolf-Laban-e-a-teoria-do-movimento.ppt
 

Publicação de artigos científicos em revistas indexadas

  • 1. Angela P. Farias Mengatto Bibliotecária - Especialista em Gestão de Pessoas Universidade Federal do Paraná (UFPR) angelamen@ufpr.br
  • 2. A grande demanda da produção científica nacional e estrangeira, em especial a publicação periódica solicita uma padronização estética de sua estrutura, de acordo com as normas (nacionais e internacionais) adotadas nos meios de publicação. Após essa adoção, é necessário pensar como a produção será publicada, disseminada, armazenada, recuperada e acessada. Daí a importância de publicar em revistas que sejam indexadas em bases de dados.
  • 3. produto valor (trabalho científico) MERCADO EDITORIAL publicação qual revista? qual base de dados? valor publicação revista LUCRO (trabalho científico) base de dados visibilidade notoriedade intelectual relevância para a ciência estimula a geração de conhecimento
  • 4.
  • 5. PERIÓDICO CIENTÍFICO: publicação editada em fascículos ou partes, em intervalos pré- determinados (periodicidade), com a colaboração de diversas pessoas sob uma direção previamente constituída. Pode tratar de vários assuntos em uma ou mais áreas do conhecimento, pode ser impresso ou online. (UFPR, 2007)  ARTIGO CIENTÍFICO: trabalho escrito por um ou mais autores com a finalidade de divulgar estudos e resultados de pesquisas. Formam a seção principal em revistas especializadas e devem seguir as normas editorais das revistas. (UFPR, 2007).
  • 6. BASE DE DADOS – O que é? “é uma coleção geral e integrada de dados junto com a descrição deles, gerenciada de forma a atender a diferentes necessidades de usuários". ROWLEY (2002). As bases de dados são mantidas e gerenciadas por instituições privadas ou governamentais, responsáveis por inserir programas que permitam a geração, operação, alimentação, armazenação, divu lgação, disseminação e principalmente a recuperação da informação. (Rowley 2002)
  • 7. OBJETIVOS DAS BASES DE DADOS  controle bibliográfico: registro da produção científica de uma determinada área do conhecimento: livros, revistas, teses, relatórios, projetos e documentos governamentais;  disseminação de documentos de uma determinada área do conhecimento, principalmente publicações científicas, selecionadas com critérios específicos;  indicadores estatísticos e bibliométricos: contribuir para a análise da produção científica, gerando indicadores a partir dos registros da base. Como Fator de Impacto e Índice h. (CASTRO, 2005).
  • 8. Bases de dados  Como são organizadas: utilizam-se de modelos, procedimentos e técnicas normativas adotados na área da Biblioteconomia e da Ciência da Informação.  Profissionais habilitados para essa atividade: bibliotecários, gestores da informação, analista de sistemas, técnicos e profissionais específicos da área. Para que o documento seja incluído na base de dados é necessário fazer a indexação do documento.
  • 9. O QUE É INDEXAÇÃO? Indexação é o processo pelo qual é descrito o conteúdo temático de um documento mediante a atribuição de descritores de assunto ou palavras chaves, após sua leitura técnica e análise. Em resumo, a indexação visa recuperar, selecionar e descrever as informações contidas nos documentos.  Descritores: são termos extraídos de vocabulários controlados que expressam conceitos de uma ou várias áreas do conhecimento ou de atividade.  Palavras-chave: são termos ou palavras representativas do assunto do documento.  Os descritores e palavras-chaves permitem que se faça uma busca por: - assunto, tema ou palavra específica; - assim também como os outros elementos do documento (autor, título, data, instituição, etc...).
  • 10. Exemplo:
  • 11. O Editor da publicação (periódico) envia um pedido formal contendo as informações gerais e específicas da revista e dos fascículos definidos para avaliação, juntamente com os 3 últimos números publicados.  Algumas áreas possuem bases de dados especializadas em indexação, onde o editor da publicação pode entrar em contato com os seus produtores, para saber se a sua publicação pode ser aceita para fazer parte da sua base através da indexação.
  • 12. qualidade dos artigos publicados;  tipo de artigos a serem publicados (originais, revisão, estudo de caso, anais, e outros);  ter mérito científico;  corpo editorial (comitê e consultores editoriais, profissionais reconhecidos na área);  importância do tema para a revista;  endogênia (concentração geográfica e institucional dos autores publicados e do comitê editorial);  política editorial da revista;  reconhecimento pelos pares (pesquisdores da área);  língua;  periodicidade;  normalização (nacional ou internacional);  instruções aos autores claras e adequadas;  ISSN (Número Padrão internacional para Publicação Seriada);  apresentação (formato);  divulgação (impresso ou online).
  • 13. Multidisciplinares ou gerais (várias áreas) do conhecimento. Ex. Scielo, Web of Science, Scopus, Science Direct.  Especializadas: área específica. Ex. Lilacs, Medline, Engineering Village (EI), IEEE.
  • 14. Nacionais: país ou região. Ex. Scielo - (Brasil e America latina e Caribe)  Internacionais: vários países. Ex. Scopus, Wef of Science, Science Direct.
  • 15. Referênciais: contém apenas a referência do documento (autor, título, título do periódico, volume, numero, paginação, data de publicação, dados do autor e resumo. Ex.: MEDLINE - EMBASE (Excerpta Medica) - BIOSIS (Biological Abstracts) – ERIC (Education Resources Information Center) – Sociological Abstracts – PsycINFO – FSTA (Food Science & Technology Abstracts) – IPA (International Pharmaceutical Abstracts) – LILACS (Literatura Latino-Americana e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde).  Textuais: apresentam todos os dados de identificação do documento e disponibilizam o texto completo. Ex.: Scielo - Scopus - Science Direct - Springer - Ovid - Elsevier - Web of Science.
  • 16. Como fazer: Pesquisar em indicadores bibliométricos ou diretórios (nacionais e estrangeiros) que avaliam, organizam e divulgam títulos de periódicos significativos, (com fator de impacto) de acordo com critérios previamente estabelecidos.  Para quem é útil: autores e pesquisadores para decidir onde publicar ou saber quais os títulos de referência na sua área de investigação.
  • 17. Internacional: - JCR Journal Citation Reports.  Nacional: - Webqualis ou lista Qualis - Scielo
  • 18. Instituição responsável: Thomson Reuters - Institute for Scientific Information (Estados Unidos). Base de dados que indica o fator de impacto (FI) de publicações periódicas científicas nas áreas de ciência, tecnologia e ciências sociais. Atualização anual. - Avalia revistas de 3.300 editores de 60 países; - Cobertura de 200 disciplinas; - Acesso à estatística de citações desde 2001 até o presente.  Principais possibilidades de pesquisa no JCR: - Identificar os periódicos especializados de maior impacto; - Identificar os periódicos especializados mais citados; - Identificar os periódicos especializados de maior destaque - Analisar autocitações; - Calcular o fator de impacto de uma publicação por cinco anos.
  • 19.
  • 20.
  • 21.
  • 22. Webqualis = lista Qualis. Instituição responsável: Capes. Qualis é o conjunto de procedimentos utilizados pela Capes para estratificação da qualidade da produção intelectual dos programas de pós-graduação. O Qualis afere a qualidade dos artigos e de outros tipos de produção, a partir da análise da qualidade dos veículos de divulgação, ou seja, periódicos científicos (SANTOS, 2010). Acesso: site da Capes (http://qualis.capes.gov.br/webqualis/) A classificação de periódicos é realizada pelas áreas de avaliação e passa por processo anual de atualização. Indicativos da qualidade: - A1, o mais elevado; - A2; B1; B2; B3; B4; B5; - C - com peso zero
  • 23.
  • 24.
  • 25. Base de dados de publicação de periódicos eletrônicos na Internet, com ênfase na produção dos países ibero-americanos. http://www.scielo.org  A base oferece: - Conjunto de políticas, normas, diretrizes, procedimentos, e ferramentas para a execução das funções de um periódico, como avaliação e seleção; - Preparação, armazenamento, publicação, conserva ção, controle de uso; - Fator de impacto das revistas científicas disponibilizadas nos Sites Scielo.
  • 26.
  • 27.
  • 28.
  • 29.
  • 30.
  • 31. Vantagens dos artigos serem indexados em bases de dados:  a) Amplitude, facilidade e rapidez de acesso á informação armazenada eletronicamente em qualquer lugar on-line, via internet ou CD-ROM;  b) Permite a truncagem (combinação) de diversos pontos de acesso durante a busca;  c) Permite descobrir dados que seriam impossíveis ou muito difícil conseguir em fontes impressas devido a impossibilidade da busca por palavras, no texto completo;  d) Informações recentes e atualizadas, algumas bases de dados atualizam seus dados diariamente;  e) Maior poder de recuperação de informações em busca informatizada, pois há a possibilidade de simultaneidade no uso de várias bases ao mesmo tempo;
  • 32. f) Flexibilidade, facilidade, rapidez na formulação de buscas e na obtenção de respostas;  g) Permite o uso de operadores booleanos, busca por campo, já que todos os campos dos seus registros são indexados e, portanto pesquisáveis, isto favorece precisão e especificidade nos resultados (CENDÓN, 2002);  h) Geração de índice ou indicador bibliométrico (fator de impacto das revistas, e índice H);  i) Indicador de produção e qualidade dos trabalhos científicos exigidos como por exemplo no Curriculum Lattes. Curitiba, 27 de outubro 2012.
  • 33. BIREME/OPAS/OMS. LILACS - Critérios de Seleção e Permanência de Periódicos. São Paulo, 2008. Disponível em: < http://metodologia.lilacs.bvsalud.org/php/level.php?lang=pt&component=74&item=21>. Acesso em: 24/10/2012.  NAHAS, F. X.; FERREIRA, L. M. A Escolha do Periódico. Acta Cirúrgica Brasileira, v. 20 (Supl. 2, p. 26- 27, 2005. Disponível em: < http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0102- 86502005000800007&script=sci_arttext>. Acesso em 23/10/2012.  SANTOS, G. C. Fontes de indexação para periódicos científicos: um guia para bibliotecários e editores. Campinas: Unicamp, 2010. 15p. Disponível em: < http://www.seer.net.br/index.php/rdq/article/viewFile/17/25>. Acesso em: 23/10/2012.  CASTRO, R. F. Procedimentos para indexação de periódicos científicos. Mini curso. Disponível em: < http://www.periodicos.ufrgs.br/admin/sobrelinks/arquivos/proc_index.pdf>. Acesso em: 25/10/2012.  ARELLANO, M. A. M.; LEITE, F. C L.; MORENO, F. P.; BARRADAS, M. M. Guia de fontes de informação para editores de periódicos científicos. Brasília: CID/UNB, 2007. Disponível em: < ftp://ftp.ufg.br/.tmp/.portalperiodicos/LIVRO_GuiaFontesInformacao_par_editorse_cientificos.pdf >. Acesso em: 25/10/2012.  UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANA. Sistema de Bibliotecas. Normas para apresentação de documentos científicos. 2. ed. Curitiba: Ed. da UFPR, 2007. 9v.