SlideShare uma empresa Scribd logo
PESQUISA -
HIPOTESES
CIENTIFICAS DA
REENCARNAÇÃO
Associação Espírita Paulo e
Estevão (AEPE)
EVOLUÇÃO PENSAMENTO HUMANO
No decorrer da história, o ser humano foi desenvolvendo cada vez mais seu intelecto.
Uma das consequências disso é que hoje ele anseia por compreender as coisas, e
não simplesmente observar fenômenos sem conseguir entender por que eles se
passam.
Também não lhe agrada aceitar leis e regras sociais sem compreender sua razão
de ser, ou admitir teorias sem que elas lhe façam sentido, sejam logicamente
coerentes e correspondam ao que ele pode observar fora e dentro de si.
EVOLUÇÃO PENSAMENTO HUMANO
Em termos de concepções de mundo, é importante separar o que é hipótese de
trabalho e o que é crença; vejamos as características de cada uma, salientando as
diferenças entre elas.
• Uma hipótese é uma afirmação que é tomada como verdade e serve de base para
comprovações experimentais ou para uma teoria.
• Uma crença é uma afirmação tomada como verdade, sendo a base para uma
visão de mundo que pode não envolver, parcial ou totalmente, uma compreensão
conceitual. Uma crença não deve depender de comprovações experimentais.
DIFERENÇA
HIPOTESE E
CRENÇA
• A expressão "acreditar" como sinônimo exclusivo de "ter
crença", no sentido exposto. exemplo de crença é
tomarem-se as imagens da Gênese como fatos literais, por
exemplo considerando-se que os "dias" da "criação" foram
de 24 horas, como querem muitos criacionistas bíblicos.
• Já uma hipótese de trabalho poderia ser a de que essas
imagens são símbolos para fatos que realmente
ocorreram. Nota-se por esse exemplo como uma hipótese
de trabalho deve necessariamente levar a uma pesquisa: no
caso, quais as realidades representadas por essas e outras
imagens bíblicas.
Já a crença não leva a nenhuma investigação ou busca
de compreensão.
FORMULE ALGUMAS HIPÓTESES
PARA RESPONDER AS SEGUINTES
PERGUNTAS:?
Por que existem crianças prodígios?
Por que uns nascem ricos e outros pobres?
Por que uns sofrem e outros são felizes?
Por que crianças morrem em tenra idade?
Por que muitos de nos não possuímos necessidades especiais físicas e
mentais e outros sim?....
Por que se Deus é justo existe tanta injustiça na terra?
DICA: tenha hipóteses de trabalho, e não tenha crenças, use a
razão
A IDEIA DE REENCARNAÇÃO NA
HISTORIA - COMO CRENÇA
• O termo metempsicose, de origem grega, cujo significado aproxima-se do de
reencarnação, porém implica no retorno, também, a formas animais, sem
nenhuma evidencia. Era CRENÇA, comum entre os Gregos, Egipcios, Romanos,
Indianos,esquimós, na china (Lao-Tsé), Incas e nos povos antigos do egito
(Livro dos Mortos)
• Na História do Ocidente a reencarnação era conhecida desde a época da
Grécia Antiga por Platão e Sócrates como: "A Doutrina Palingenésia”.
• Nos 3° primeiros séculos da Cristianismo era conhecida a Reencarnação
onde se destacava a figura de Orígenes (185 a 254 D.C.), que era um teólogo,
um profundo conhecedor das sagradas escrituras
ESTDUDO HIPOTESES SOBRE
REENCARNAÇÃO
Crianças
Prodígios
Lembranças de
vidas passadas
Marcas de
nascimento
transferidas
Nos textos
bíblicos (novo e
velho
testamento)
Terapia Vidas
Passadas (TVP –
Regressão)
Experiência
quase morte
A IDEIA DE
REENCARNAÇÃO NA
HISTORIA- COMO
HIPOTESE
• EUGÈNE AUGUSTE ALBERT DE ROCHA (engenheiro, coronel
do exército) - “As vidas sucessivas”, publicada em 1924,
sistematizou, pela primeira vez na História Moderna.
• Ian Stevenson (Medico, diretor do departamento de
psiquiatria da Universidade da Virginia) Dedicou 40 anos a
estudos científicos com mais de 3.000 casos e publica
“Twenty Cases Suggestive of Reencarnation” Dr. Stevenson
(Vinte casos sugestivos de reencarnação) e também Where
Reincarnation and Biology Intersect” (Quando a
Reencarnação e a Biologia se Cruzam)
A IDEIA DE
REENCARNAÇÃO NA
HISTORIA- COMO
HIPOTESE
• Helen Wambach em 1982, fez um relatório com aproximadamente
1.000 casos de pessoas que retornaram através de hipnose, à
experiência do nascimento e antes deste e afirma: Não só acredito
em reencarnação, como tenho certeza que ela existe
• Brian Weiss é médico diplomado pela Universidade de Yale, com
especialização em Psiquiatria na Universidade de Columbia. Publica o
livro Muitas vidas uma só alma
• O Prof. Hemendra Nath Banerjee nasceu na Índia em 1929 e faleceu
em 1985. Foi um dos mais destacados pesquisadores sobre
reencarnação. Desenvolveu a maioria de seus trabalhos enquanto era
Diretor do Departamento de Parapsicologia da Universidade de
Rajasthan, Índia. Em 1979, publicou o livro Vida Pretérita e Futura,
um relato de 25 anos de pesquisas na área da reencarnação.
A IDEIA DE REENCARNAÇÃO NA
HISTORIA- COMO HIPOTESE
Experiência de quase morte:
Alguns médicos, como os Dr. Raymond Moody, Ken Ring e Bruce
Greyson têm pacientes que viveram a experiência de quase-
morte. Seus relatos envolvendo pessoas e dados conhecidos
vem contribuindo para o estudo cientifico quanto a
reencarnação.
A IDEIA DE REENCARNAÇÃO NA
HISTORIA- COMO HIPOTESE
• No Brasil uns dos grandes nomes:
• Hernani Guimarães Andrade (Desencarnou em 2003) Brasileiro, engenheiro, parapsicólogo,
pesquisador da reencarnação, e da existência do espirito, professor da pos graduação da
USP diretor do Instituto Brasileiro de Pesquisas Psicobiofísicas, IBPP. Publicou “Um Caso que
Sugere Reencarnação” “Reencarnação no Brasil” 8 casos registrados e 75 estudados.
• Estudos com crianças entre 2 a 4 anos com recordações reencarnatórias, registrados com
devida precisão: nome, localidade etc...
A IDEIA DE REENCARNAÇÃO NA
HISTORIA- COMO HIPOTESE
• Hippolyte Léon Denizard Rivail (Allan Kardec) nasceu em Lyon, na França, no dia 3 de
outubro de 1804.
• Passou a observar os fenômenos das “mesas que giravam, corriam e saltavam”.
• Muitas indagações surgiram, e, aplicando o método experimental, ou racional, Kardec
procurava por indução conhecer, a fundo, o significado desses fenômenos.
• Formado na tradição cultural do Século XVIII, herdeiro de Francis Bacon, René Descartes e
Rousseau, compreendeu claramente que o problema do seu tempo repousava na
questão do método. Kardec resolveu aplicar o método experimental ao estudo dos
fenômenos espíritas.
• Kardec enfrentou a questão com extraordinária coragem. Enfrentou sozinho, sem o apoio
de nenhum poder terreno, todo o poderio religioso da época. Teve então de colocar-se
entre os fogos cruzados da Religião, da Filosofia e da Ciência.
• Os teólogos o atacavam na defesa de seus dogmas, a Filosofia o considerava um intruso e
a Ciência o condenava como um reativador de superstições que ela já havia praticamente
destruído.
• A vitória de Kardec definiu-se bem cedo. A Ciência Psíquica inglesa, a Parapsicologia
alemã e a Metapsíquica francesa nasceram da sua coragem e das suas pesquisas. Mais de
cem anos depois, Rhine e Mac Dougal fundariam nos Estados Unidos a Parapsicologia
moderna, seguindo a mesma orientação metodológica de Kardec.
José Herculano Pires
A IDEIA DE REENCARNAÇÃO NA
HIPOTESE DE ALLAN KARDEC
A IDEIA DE
REENCARNAÇÃO NA
HIPOTESE DE ALLAN
KARDEC
Para Allan Kardec, a universalidade e a
concordância da revelação dos espíritos
conferem a seu método força e
autoridade. É na concordância universal
que reside a melhor comprovação do
ensino dos espíritos. Em suas pesquisas,
Allan Kardec utilizou esse critério, o da
concordância do ensino dos Espíritos, que
ele denominou “critério da verdade”.
Marcelo Gulão Pimentel
• Assim ele definiu a ciência espírita: [...] O Espiritismo é uma ciência que trata da natureza, origem e
destino dos Espíritos, bem como de suas relações com o mundo corporal. (Id, 1997b, p.50).
• Assim como a Ciência propriamente dita tem por objeto o estudo das leis do princípio material, o
objeto especial do Espiritismo é o conhecimento das leis do princípio espiritual. […] (Id, 2007c, p.
363, grifo nosso).
A IDEIA DE REENCARNAÇÃO NA
HIPOTESE DE ALLAN KARDEC
A IDEIA DE
REENCARNAÇÃO
NA HISTORIA-
COMO HIPOTESE
ALLAN KARDEC
“Não foram os fatos que vieram a posteriori
confirmar a teoria: a teoria é que veio
subsequentemente explicar e resumir os fatos. É,
pois, rigorosamente exato dizer-se que o
Espiritismo é uma ciência de observação e não
produto da imaginação.”
Hippolyte Léon Denizard Rivail (Allan Kardec)
VOLTAMOS A PERGUNTAR - VOCÊ
ACREDITA EM REENCARNAÇÃO?
171. Sobre o que se funda o dogma da reencarnação?
— Sobre a justiça de Deus e a revelação, pois não nos cansamos de repetir: um bom
pai deixa sempre aos filhos uma porta aberta ao arrependimento. A razão não diz
que seria injusto privar para sempre da felicidade eterna daqueles cujo
melhoramento não dependeu deles mesmos? Todos os homens não são filhos de
Deus? Somente entre os homens egoístas é que se encontram a iniqüidade, o ódio
implacável e os castigos sem perdão.
Livro das Espíritos
AFINAL O QUE É O ESPIRITISMO?
O Espiritismo é ao mesmo tempo, uma ciência de observação e uma doutrina filosófica. Como ciência,
consiste nas relações que podem estabelecer com os Espíritos; como filosofia, compreende todas as
consequências morais que decorrem dessas relações.
Podemos assim defini-lo:
O Espiritismo é uma ciência que trata da natureza, da origem e do destino dos Espíritos, e de suas relações com o
mundo corporal.
Allan Kardec, no livro “O QUE É O ESPIRITISMO”, (Preâmbulo).
“A REENCARNAÇÃO
É UMA QUESTÃO DE
JUSTIÇA.”
ALLAN KARDEC

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Provas Cientificas Reencarnação.pptx

Filosofia - teoria do conhecimento na modernidade
Filosofia  - teoria do conhecimento na modernidadeFilosofia  - teoria do conhecimento na modernidade
Filosofia - teoria do conhecimento na modernidade
Francisco Vasconcelos Silva Júnior
 
Unidade I – evolução do conhecimento
Unidade I – evolução do conhecimentoUnidade I – evolução do conhecimento
Unidade I – evolução do conhecimento
Alex Alembert
 
Aula materialismo, espiritualismo e espiritismo
Aula materialismo, espiritualismo e espiritismoAula materialismo, espiritualismo e espiritismo
Aula materialismo, espiritualismo e espiritismo
Mocidade Bezzerra de Menezes
 
O Espiritismo por Herculano Pires
O Espiritismo por Herculano PiresO Espiritismo por Herculano Pires
O Espiritismo por Herculano Pires
guest7849ae00
 
Aula 02 2013 - o que é espiritismo
Aula 02 2013 - o que é espiritismoAula 02 2013 - o que é espiritismo
Aula 02 2013 - o que é espiritismo
contatodoutrina2013
 
Livro dos Espíritos - Introdução ao estudo do espiritismo
Livro dos Espíritos - Introdução ao estudo do espiritismoLivro dos Espíritos - Introdução ao estudo do espiritismo
Livro dos Espíritos - Introdução ao estudo do espiritismo
Anderson Zilli
 
Aula 05 Curso Básico de Espiritismo
Aula 05 Curso Básico de EspiritismoAula 05 Curso Básico de Espiritismo
Aula 05 Curso Básico de Espiritismo
liliancostadias
 
02 a ciência
02 a ciência02 a ciência
02 a ciência
Joao Balbi
 
Ciência e conhecimento cotidiano - parte 2
Ciência e conhecimento cotidiano - parte 2Ciência e conhecimento cotidiano - parte 2
Ciência e conhecimento cotidiano - parte 2
Leonardo Kaplan
 
Hipnoterapia
HipnoterapiaHipnoterapia
Hipnoterapia
Luis Mendes
 
Geead - Excelência Pedagógica do Espiritismo
Geead - Excelência Pedagógica do EspiritismoGeead - Excelência Pedagógica do Espiritismo
Geead - Excelência Pedagógica do Espiritismo
Geead Abu Dhabi
 
Tipos de conhecimento
Tipos de conhecimentoTipos de conhecimento
Tipos de conhecimento
janaroza
 
03 metod cient1 (1)
03   metod cient1 (1)03   metod cient1 (1)
03 metod cient1 (1)
Luiz Augusto
 
Provas reencarnação
Provas reencarnaçãoProvas reencarnação
Provas reencarnação
Sergio Menezes
 
Jesus e a lei da atração uma nova visão cristã sobre o universo quântico
Jesus e a lei da atração   uma nova visão cristã sobre o universo quânticoJesus e a lei da atração   uma nova visão cristã sobre o universo quântico
Jesus e a lei da atração uma nova visão cristã sobre o universo quântico
Mautama
 
Genese cap 01 de 1 a 29
Genese cap 01  de 1 a 29Genese cap 01  de 1 a 29
Genese cap 01 de 1 a 29
Fernando A. O. Pinto
 
Genese CAP 01 de 1 a 29
Genese CAP 01  de 1 a 29Genese CAP 01  de 1 a 29
Genese CAP 01 de 1 a 29
Fernando Pinto
 
ESDE 3 - 2013 - REVISÃO POSTULADOS DOUTRINA ESPÍRITA
ESDE 3 - 2013 - REVISÃO POSTULADOS DOUTRINA ESPÍRITAESDE 3 - 2013 - REVISÃO POSTULADOS DOUTRINA ESPÍRITA
ESDE 3 - 2013 - REVISÃO POSTULADOS DOUTRINA ESPÍRITA
Almir Silva
 
Instituto Espírita de Educação - Livro dos Espíritos
Instituto Espírita de Educação - Livro dos EspíritosInstituto Espírita de Educação - Livro dos Espíritos
Instituto Espírita de Educação - Livro dos Espíritos
Instituto Espírita de Educação
 
História das-religiões
História das-religiõesHistória das-religiões
História das-religiões
Messyas Rhennyk Rhennyk
 

Semelhante a Provas Cientificas Reencarnação.pptx (20)

Filosofia - teoria do conhecimento na modernidade
Filosofia  - teoria do conhecimento na modernidadeFilosofia  - teoria do conhecimento na modernidade
Filosofia - teoria do conhecimento na modernidade
 
Unidade I – evolução do conhecimento
Unidade I – evolução do conhecimentoUnidade I – evolução do conhecimento
Unidade I – evolução do conhecimento
 
Aula materialismo, espiritualismo e espiritismo
Aula materialismo, espiritualismo e espiritismoAula materialismo, espiritualismo e espiritismo
Aula materialismo, espiritualismo e espiritismo
 
O Espiritismo por Herculano Pires
O Espiritismo por Herculano PiresO Espiritismo por Herculano Pires
O Espiritismo por Herculano Pires
 
Aula 02 2013 - o que é espiritismo
Aula 02 2013 - o que é espiritismoAula 02 2013 - o que é espiritismo
Aula 02 2013 - o que é espiritismo
 
Livro dos Espíritos - Introdução ao estudo do espiritismo
Livro dos Espíritos - Introdução ao estudo do espiritismoLivro dos Espíritos - Introdução ao estudo do espiritismo
Livro dos Espíritos - Introdução ao estudo do espiritismo
 
Aula 05 Curso Básico de Espiritismo
Aula 05 Curso Básico de EspiritismoAula 05 Curso Básico de Espiritismo
Aula 05 Curso Básico de Espiritismo
 
02 a ciência
02 a ciência02 a ciência
02 a ciência
 
Ciência e conhecimento cotidiano - parte 2
Ciência e conhecimento cotidiano - parte 2Ciência e conhecimento cotidiano - parte 2
Ciência e conhecimento cotidiano - parte 2
 
Hipnoterapia
HipnoterapiaHipnoterapia
Hipnoterapia
 
Geead - Excelência Pedagógica do Espiritismo
Geead - Excelência Pedagógica do EspiritismoGeead - Excelência Pedagógica do Espiritismo
Geead - Excelência Pedagógica do Espiritismo
 
Tipos de conhecimento
Tipos de conhecimentoTipos de conhecimento
Tipos de conhecimento
 
03 metod cient1 (1)
03   metod cient1 (1)03   metod cient1 (1)
03 metod cient1 (1)
 
Provas reencarnação
Provas reencarnaçãoProvas reencarnação
Provas reencarnação
 
Jesus e a lei da atração uma nova visão cristã sobre o universo quântico
Jesus e a lei da atração   uma nova visão cristã sobre o universo quânticoJesus e a lei da atração   uma nova visão cristã sobre o universo quântico
Jesus e a lei da atração uma nova visão cristã sobre o universo quântico
 
Genese cap 01 de 1 a 29
Genese cap 01  de 1 a 29Genese cap 01  de 1 a 29
Genese cap 01 de 1 a 29
 
Genese CAP 01 de 1 a 29
Genese CAP 01  de 1 a 29Genese CAP 01  de 1 a 29
Genese CAP 01 de 1 a 29
 
ESDE 3 - 2013 - REVISÃO POSTULADOS DOUTRINA ESPÍRITA
ESDE 3 - 2013 - REVISÃO POSTULADOS DOUTRINA ESPÍRITAESDE 3 - 2013 - REVISÃO POSTULADOS DOUTRINA ESPÍRITA
ESDE 3 - 2013 - REVISÃO POSTULADOS DOUTRINA ESPÍRITA
 
Instituto Espírita de Educação - Livro dos Espíritos
Instituto Espírita de Educação - Livro dos EspíritosInstituto Espírita de Educação - Livro dos Espíritos
Instituto Espírita de Educação - Livro dos Espíritos
 
História das-religiões
História das-religiõesHistória das-religiões
História das-religiões
 

Mais de Norberto Tomasini Jr

Fundamentos Doutrina EspírtaGABI.pptx
Fundamentos Doutrina EspírtaGABI.pptxFundamentos Doutrina EspírtaGABI.pptx
Fundamentos Doutrina EspírtaGABI.pptx
Norberto Tomasini Jr
 
Niver_SEB_ Extinção.pptx
Niver_SEB_ Extinção.pptxNiver_SEB_ Extinção.pptx
Niver_SEB_ Extinção.pptx
Norberto Tomasini Jr
 
Flagelos Coletivos.pptx
Flagelos Coletivos.pptxFlagelos Coletivos.pptx
Flagelos Coletivos.pptx
Norberto Tomasini Jr
 
Fotografia do pensamento.pptx
Fotografia do pensamento.pptxFotografia do pensamento.pptx
Fotografia do pensamento.pptx
Norberto Tomasini Jr
 
Trajetória Mediunidade atraves dos tempos.pptx
Trajetória Mediunidade atraves dos tempos.pptxTrajetória Mediunidade atraves dos tempos.pptx
Trajetória Mediunidade atraves dos tempos.pptx
Norberto Tomasini Jr
 
Natureza de Jesus.pptx
Natureza de Jesus.pptxNatureza de Jesus.pptx
Natureza de Jesus.pptx
Norberto Tomasini Jr
 
Transição Planetaria.pptx
Transição Planetaria.pptxTransição Planetaria.pptx
Transição Planetaria.pptx
Norberto Tomasini Jr
 
Consciencia.pptx
Consciencia.pptxConsciencia.pptx
Consciencia.pptx
Norberto Tomasini Jr
 
LivreArbitrio.pptx
LivreArbitrio.pptxLivreArbitrio.pptx
LivreArbitrio.pptx
Norberto Tomasini Jr
 
Lider-Liderança-Workshop - Tatuape.potx
Lider-Liderança-Workshop - Tatuape.potxLider-Liderança-Workshop - Tatuape.potx
Lider-Liderança-Workshop - Tatuape.potx
Norberto Tomasini Jr
 
Conflito_Gerações.pptx
Conflito_Gerações.pptxConflito_Gerações.pptx
Conflito_Gerações.pptx
Norberto Tomasini Jr
 
Pensamento e Vontade 2.pptx
Pensamento e Vontade 2.pptxPensamento e Vontade 2.pptx
Pensamento e Vontade 2.pptx
Norberto Tomasini Jr
 
Moral e Tecnologia.pptx
Moral e Tecnologia.pptxMoral e Tecnologia.pptx
Moral e Tecnologia.pptx
Norberto Tomasini Jr
 
Jornada 2008 apocalipse e os problemas humanos
Jornada 2008   apocalipse e os problemas humanosJornada 2008   apocalipse e os problemas humanos
Jornada 2008 apocalipse e os problemas humanos
Norberto Tomasini Jr
 
Reencarnacao aepe
Reencarnacao   aepeReencarnacao   aepe
Reencarnacao aepe
Norberto Tomasini Jr
 
O passe-na-historia - Fluidoterapia
O passe-na-historia - FluidoterapiaO passe-na-historia - Fluidoterapia
O passe-na-historia - Fluidoterapia
Norberto Tomasini Jr
 
O grande enigma
O grande enigmaO grande enigma
O grande enigma
Norberto Tomasini Jr
 
Espiritismo sociedade e a nova geração
Espiritismo sociedade e a nova geraçãoEspiritismo sociedade e a nova geração
Espiritismo sociedade e a nova geração
Norberto Tomasini Jr
 
Há muitas moradas na casa de meu pai
Há muitas moradas na casa de meu paiHá muitas moradas na casa de meu pai
Há muitas moradas na casa de meu pai
Norberto Tomasini Jr
 
O grande enigma
O grande enigmaO grande enigma
O grande enigma
Norberto Tomasini Jr
 

Mais de Norberto Tomasini Jr (20)

Fundamentos Doutrina EspírtaGABI.pptx
Fundamentos Doutrina EspírtaGABI.pptxFundamentos Doutrina EspírtaGABI.pptx
Fundamentos Doutrina EspírtaGABI.pptx
 
Niver_SEB_ Extinção.pptx
Niver_SEB_ Extinção.pptxNiver_SEB_ Extinção.pptx
Niver_SEB_ Extinção.pptx
 
Flagelos Coletivos.pptx
Flagelos Coletivos.pptxFlagelos Coletivos.pptx
Flagelos Coletivos.pptx
 
Fotografia do pensamento.pptx
Fotografia do pensamento.pptxFotografia do pensamento.pptx
Fotografia do pensamento.pptx
 
Trajetória Mediunidade atraves dos tempos.pptx
Trajetória Mediunidade atraves dos tempos.pptxTrajetória Mediunidade atraves dos tempos.pptx
Trajetória Mediunidade atraves dos tempos.pptx
 
Natureza de Jesus.pptx
Natureza de Jesus.pptxNatureza de Jesus.pptx
Natureza de Jesus.pptx
 
Transição Planetaria.pptx
Transição Planetaria.pptxTransição Planetaria.pptx
Transição Planetaria.pptx
 
Consciencia.pptx
Consciencia.pptxConsciencia.pptx
Consciencia.pptx
 
LivreArbitrio.pptx
LivreArbitrio.pptxLivreArbitrio.pptx
LivreArbitrio.pptx
 
Lider-Liderança-Workshop - Tatuape.potx
Lider-Liderança-Workshop - Tatuape.potxLider-Liderança-Workshop - Tatuape.potx
Lider-Liderança-Workshop - Tatuape.potx
 
Conflito_Gerações.pptx
Conflito_Gerações.pptxConflito_Gerações.pptx
Conflito_Gerações.pptx
 
Pensamento e Vontade 2.pptx
Pensamento e Vontade 2.pptxPensamento e Vontade 2.pptx
Pensamento e Vontade 2.pptx
 
Moral e Tecnologia.pptx
Moral e Tecnologia.pptxMoral e Tecnologia.pptx
Moral e Tecnologia.pptx
 
Jornada 2008 apocalipse e os problemas humanos
Jornada 2008   apocalipse e os problemas humanosJornada 2008   apocalipse e os problemas humanos
Jornada 2008 apocalipse e os problemas humanos
 
Reencarnacao aepe
Reencarnacao   aepeReencarnacao   aepe
Reencarnacao aepe
 
O passe-na-historia - Fluidoterapia
O passe-na-historia - FluidoterapiaO passe-na-historia - Fluidoterapia
O passe-na-historia - Fluidoterapia
 
O grande enigma
O grande enigmaO grande enigma
O grande enigma
 
Espiritismo sociedade e a nova geração
Espiritismo sociedade e a nova geraçãoEspiritismo sociedade e a nova geração
Espiritismo sociedade e a nova geração
 
Há muitas moradas na casa de meu pai
Há muitas moradas na casa de meu paiHá muitas moradas na casa de meu pai
Há muitas moradas na casa de meu pai
 
O grande enigma
O grande enigmaO grande enigma
O grande enigma
 

Último

14 - Um Convite à Oração. Incentivar a orar
14 - Um Convite à Oração. Incentivar a orar14 - Um Convite à Oração. Incentivar a orar
14 - Um Convite à Oração. Incentivar a orar
PIB Penha
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
PIB Penha
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
PIB Penha
 
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptxPalestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
NEDIONOSSOMUNDO
 
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdfmetafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
GuilhermeCerqueira17
 
PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...
PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...
PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...
Sammis Reachers
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
Nilson Almeida
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
PIB Penha
 
13 - Estudo dos Relacionamentos do Cristão
13 - Estudo dos Relacionamentos do Cristão13 - Estudo dos Relacionamentos do Cristão
13 - Estudo dos Relacionamentos do Cristão
PIB Penha
 
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdfDiscipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
LEILANEGOUVEIA1
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
PIB Penha
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
PIB Penha
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
PIB Penha
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Ricardo Azevedo
 

Último (14)

14 - Um Convite à Oração. Incentivar a orar
14 - Um Convite à Oração. Incentivar a orar14 - Um Convite à Oração. Incentivar a orar
14 - Um Convite à Oração. Incentivar a orar
 
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
9 - Negação e Afirmação na Vida do Cristão-Alvo da Lição: Entender que ser cr...
 
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
15 - Renúncia - Escolha a vida para viver.pdf
 
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptxPalestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
Palestra ECC - A Fé nos Reverses da Vida.pptx
 
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdfmetafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
metafc3adsica-da-sac3bade-vol-4-luiz-gasparetto.pdf
 
PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...
PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...
PREGUE A MISSÃO - 15 Esboços de Sermões sobre Missões e Evangelização - Sammi...
 
Oração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A BondadeOração Para Pedir A Bondade
Oração Para Pedir A Bondade
 
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambição ...
12 - A ambição do Cristão. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambição ...
 
13 - Estudo dos Relacionamentos do Cristão
13 - Estudo dos Relacionamentos do Cristão13 - Estudo dos Relacionamentos do Cristão
13 - Estudo dos Relacionamentos do Cristão
 
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdfDiscipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
Discipulado Kids 01 Cristão Lição 01.pdf
 
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira  ambi...
11 - A oração que Deus atende. Alvo da Lição: Entender que a verdadeira ambi...
 
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
16 - O compromisso do cristão.Relacionamento do crente com Deus
 
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar  e...
10 - A Piedade do Cristão.Alvo da Lição: Entender que o dar esmolas, orar e...
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não TiranizesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 143 - Não Tiranizes
 

Provas Cientificas Reencarnação.pptx

  • 2. EVOLUÇÃO PENSAMENTO HUMANO No decorrer da história, o ser humano foi desenvolvendo cada vez mais seu intelecto. Uma das consequências disso é que hoje ele anseia por compreender as coisas, e não simplesmente observar fenômenos sem conseguir entender por que eles se passam. Também não lhe agrada aceitar leis e regras sociais sem compreender sua razão de ser, ou admitir teorias sem que elas lhe façam sentido, sejam logicamente coerentes e correspondam ao que ele pode observar fora e dentro de si.
  • 3. EVOLUÇÃO PENSAMENTO HUMANO Em termos de concepções de mundo, é importante separar o que é hipótese de trabalho e o que é crença; vejamos as características de cada uma, salientando as diferenças entre elas. • Uma hipótese é uma afirmação que é tomada como verdade e serve de base para comprovações experimentais ou para uma teoria. • Uma crença é uma afirmação tomada como verdade, sendo a base para uma visão de mundo que pode não envolver, parcial ou totalmente, uma compreensão conceitual. Uma crença não deve depender de comprovações experimentais.
  • 4. DIFERENÇA HIPOTESE E CRENÇA • A expressão "acreditar" como sinônimo exclusivo de "ter crença", no sentido exposto. exemplo de crença é tomarem-se as imagens da Gênese como fatos literais, por exemplo considerando-se que os "dias" da "criação" foram de 24 horas, como querem muitos criacionistas bíblicos. • Já uma hipótese de trabalho poderia ser a de que essas imagens são símbolos para fatos que realmente ocorreram. Nota-se por esse exemplo como uma hipótese de trabalho deve necessariamente levar a uma pesquisa: no caso, quais as realidades representadas por essas e outras imagens bíblicas. Já a crença não leva a nenhuma investigação ou busca de compreensão.
  • 5. FORMULE ALGUMAS HIPÓTESES PARA RESPONDER AS SEGUINTES PERGUNTAS:? Por que existem crianças prodígios? Por que uns nascem ricos e outros pobres? Por que uns sofrem e outros são felizes? Por que crianças morrem em tenra idade? Por que muitos de nos não possuímos necessidades especiais físicas e mentais e outros sim?.... Por que se Deus é justo existe tanta injustiça na terra? DICA: tenha hipóteses de trabalho, e não tenha crenças, use a razão
  • 6. A IDEIA DE REENCARNAÇÃO NA HISTORIA - COMO CRENÇA • O termo metempsicose, de origem grega, cujo significado aproxima-se do de reencarnação, porém implica no retorno, também, a formas animais, sem nenhuma evidencia. Era CRENÇA, comum entre os Gregos, Egipcios, Romanos, Indianos,esquimós, na china (Lao-Tsé), Incas e nos povos antigos do egito (Livro dos Mortos) • Na História do Ocidente a reencarnação era conhecida desde a época da Grécia Antiga por Platão e Sócrates como: "A Doutrina Palingenésia”. • Nos 3° primeiros séculos da Cristianismo era conhecida a Reencarnação onde se destacava a figura de Orígenes (185 a 254 D.C.), que era um teólogo, um profundo conhecedor das sagradas escrituras
  • 7. ESTDUDO HIPOTESES SOBRE REENCARNAÇÃO Crianças Prodígios Lembranças de vidas passadas Marcas de nascimento transferidas Nos textos bíblicos (novo e velho testamento) Terapia Vidas Passadas (TVP – Regressão) Experiência quase morte
  • 8. A IDEIA DE REENCARNAÇÃO NA HISTORIA- COMO HIPOTESE • EUGÈNE AUGUSTE ALBERT DE ROCHA (engenheiro, coronel do exército) - “As vidas sucessivas”, publicada em 1924, sistematizou, pela primeira vez na História Moderna. • Ian Stevenson (Medico, diretor do departamento de psiquiatria da Universidade da Virginia) Dedicou 40 anos a estudos científicos com mais de 3.000 casos e publica “Twenty Cases Suggestive of Reencarnation” Dr. Stevenson (Vinte casos sugestivos de reencarnação) e também Where Reincarnation and Biology Intersect” (Quando a Reencarnação e a Biologia se Cruzam)
  • 9. A IDEIA DE REENCARNAÇÃO NA HISTORIA- COMO HIPOTESE • Helen Wambach em 1982, fez um relatório com aproximadamente 1.000 casos de pessoas que retornaram através de hipnose, à experiência do nascimento e antes deste e afirma: Não só acredito em reencarnação, como tenho certeza que ela existe • Brian Weiss é médico diplomado pela Universidade de Yale, com especialização em Psiquiatria na Universidade de Columbia. Publica o livro Muitas vidas uma só alma • O Prof. Hemendra Nath Banerjee nasceu na Índia em 1929 e faleceu em 1985. Foi um dos mais destacados pesquisadores sobre reencarnação. Desenvolveu a maioria de seus trabalhos enquanto era Diretor do Departamento de Parapsicologia da Universidade de Rajasthan, Índia. Em 1979, publicou o livro Vida Pretérita e Futura, um relato de 25 anos de pesquisas na área da reencarnação.
  • 10. A IDEIA DE REENCARNAÇÃO NA HISTORIA- COMO HIPOTESE Experiência de quase morte: Alguns médicos, como os Dr. Raymond Moody, Ken Ring e Bruce Greyson têm pacientes que viveram a experiência de quase- morte. Seus relatos envolvendo pessoas e dados conhecidos vem contribuindo para o estudo cientifico quanto a reencarnação.
  • 11. A IDEIA DE REENCARNAÇÃO NA HISTORIA- COMO HIPOTESE • No Brasil uns dos grandes nomes: • Hernani Guimarães Andrade (Desencarnou em 2003) Brasileiro, engenheiro, parapsicólogo, pesquisador da reencarnação, e da existência do espirito, professor da pos graduação da USP diretor do Instituto Brasileiro de Pesquisas Psicobiofísicas, IBPP. Publicou “Um Caso que Sugere Reencarnação” “Reencarnação no Brasil” 8 casos registrados e 75 estudados. • Estudos com crianças entre 2 a 4 anos com recordações reencarnatórias, registrados com devida precisão: nome, localidade etc...
  • 12. A IDEIA DE REENCARNAÇÃO NA HISTORIA- COMO HIPOTESE • Hippolyte Léon Denizard Rivail (Allan Kardec) nasceu em Lyon, na França, no dia 3 de outubro de 1804. • Passou a observar os fenômenos das “mesas que giravam, corriam e saltavam”. • Muitas indagações surgiram, e, aplicando o método experimental, ou racional, Kardec procurava por indução conhecer, a fundo, o significado desses fenômenos. • Formado na tradição cultural do Século XVIII, herdeiro de Francis Bacon, René Descartes e Rousseau, compreendeu claramente que o problema do seu tempo repousava na questão do método. Kardec resolveu aplicar o método experimental ao estudo dos fenômenos espíritas.
  • 13. • Kardec enfrentou a questão com extraordinária coragem. Enfrentou sozinho, sem o apoio de nenhum poder terreno, todo o poderio religioso da época. Teve então de colocar-se entre os fogos cruzados da Religião, da Filosofia e da Ciência. • Os teólogos o atacavam na defesa de seus dogmas, a Filosofia o considerava um intruso e a Ciência o condenava como um reativador de superstições que ela já havia praticamente destruído. • A vitória de Kardec definiu-se bem cedo. A Ciência Psíquica inglesa, a Parapsicologia alemã e a Metapsíquica francesa nasceram da sua coragem e das suas pesquisas. Mais de cem anos depois, Rhine e Mac Dougal fundariam nos Estados Unidos a Parapsicologia moderna, seguindo a mesma orientação metodológica de Kardec. José Herculano Pires A IDEIA DE REENCARNAÇÃO NA HIPOTESE DE ALLAN KARDEC
  • 14. A IDEIA DE REENCARNAÇÃO NA HIPOTESE DE ALLAN KARDEC Para Allan Kardec, a universalidade e a concordância da revelação dos espíritos conferem a seu método força e autoridade. É na concordância universal que reside a melhor comprovação do ensino dos espíritos. Em suas pesquisas, Allan Kardec utilizou esse critério, o da concordância do ensino dos Espíritos, que ele denominou “critério da verdade”. Marcelo Gulão Pimentel
  • 15. • Assim ele definiu a ciência espírita: [...] O Espiritismo é uma ciência que trata da natureza, origem e destino dos Espíritos, bem como de suas relações com o mundo corporal. (Id, 1997b, p.50). • Assim como a Ciência propriamente dita tem por objeto o estudo das leis do princípio material, o objeto especial do Espiritismo é o conhecimento das leis do princípio espiritual. […] (Id, 2007c, p. 363, grifo nosso). A IDEIA DE REENCARNAÇÃO NA HIPOTESE DE ALLAN KARDEC
  • 16. A IDEIA DE REENCARNAÇÃO NA HISTORIA- COMO HIPOTESE ALLAN KARDEC “Não foram os fatos que vieram a posteriori confirmar a teoria: a teoria é que veio subsequentemente explicar e resumir os fatos. É, pois, rigorosamente exato dizer-se que o Espiritismo é uma ciência de observação e não produto da imaginação.” Hippolyte Léon Denizard Rivail (Allan Kardec)
  • 17. VOLTAMOS A PERGUNTAR - VOCÊ ACREDITA EM REENCARNAÇÃO? 171. Sobre o que se funda o dogma da reencarnação? — Sobre a justiça de Deus e a revelação, pois não nos cansamos de repetir: um bom pai deixa sempre aos filhos uma porta aberta ao arrependimento. A razão não diz que seria injusto privar para sempre da felicidade eterna daqueles cujo melhoramento não dependeu deles mesmos? Todos os homens não são filhos de Deus? Somente entre os homens egoístas é que se encontram a iniqüidade, o ódio implacável e os castigos sem perdão. Livro das Espíritos
  • 18. AFINAL O QUE É O ESPIRITISMO? O Espiritismo é ao mesmo tempo, uma ciência de observação e uma doutrina filosófica. Como ciência, consiste nas relações que podem estabelecer com os Espíritos; como filosofia, compreende todas as consequências morais que decorrem dessas relações. Podemos assim defini-lo: O Espiritismo é uma ciência que trata da natureza, da origem e do destino dos Espíritos, e de suas relações com o mundo corporal. Allan Kardec, no livro “O QUE É O ESPIRITISMO”, (Preâmbulo).
  • 19. “A REENCARNAÇÃO É UMA QUESTÃO DE JUSTIÇA.” ALLAN KARDEC

Notas do Editor

  1. Cada vez mais o ser humano se tornou racional e busca cada vez mais entender a Natureza suas leis. Na sociedade ele busca entender o porque das coisas e se fazem sentido logico se são coerentes entre si.
  2. Hipotese é uma afirmação que tomada como verdade até sua comprovação Crença: Não deve depender de comprovações experimentais
  3. Crença = Acreditar
  4. Em sua obra: De Principiis e Contra Celsum, Orígenes tinha reconhecido, abertamente, a existência da alma antes do nascimento e sua dependência de ações passadas.   A condenação oficial por parte da Igreja Católica veio através do Concílio de Constantinopla - 553 D.C. Através do Imperador Justiniano (483-565), que proclamou através do edito:   "TODO AQUELE QUE ENSINAR ESTA FANTÁSTICA PREEXISTÊNCIA DA ALMA E SUA MONSTRUOSA RENOVAÇÃO, SERÁ CONDENADO".
  5. Crença = Acreditar
  6. .
  7. Em sua obra: De Principiis e Contra Celsum, Orígenes tinha reconhecido, abertamente, a existência da alma antes do nascimento e sua dependência de ações passadas.   A condenação oficial por parte da Igreja Católica veio através do Concílio de Constantinopla - 553 D.C. Através do Imperador Justiniano (483-565), que proclamou através do edito:   "TODO AQUELE QUE ENSINAR ESTA FANTÁSTICA PREEXISTÊNCIA DA ALMA E SUA MONSTRUOSA RENOVAÇÃO, SERÁ CONDENADO".
  8. Vivendo em Paris, considerada então como o cérebro do mundo, impôs-se ao consenso geral como homem de elevada cultura, um intelectual por excelência. Colocado num momento crucial da evolução terrena, viu e viveu o drama cultural da época. E só aos 50 anos de idade, maduro e culto, deparou com o problema nodal do tempo e procurou solucioná-lo em termos culturais. Esse problema se resumia no seguinte: a cultura clássica, religiosa e filosófica, desabava ao impacto do desenvolvimento das Ciências, sem a menor capacidade para enfrentar o realismo científico e salvar os seus próprios valores fundamentais.
  9. Aplicação do método experimental. Observação cuidadosa. Comparação, dedução de consequências. Dos efeitos remontar às causas, por dedução e pelo encadeamento lógico dos fatos. Validação do resultado somente quando resolve todas as dificuldades da questão.
  10. Como meio de elaboração, o Espiritismo procede exatamente da mesma forma que as ciências positivas, aplicando o método experimental. Fatos novos se apresentam, que não podem ser explicados pelas leis conhecidas; ele os observa, compara, analisa e, remontando dos efeitos às causas, chega à lei que os rege; depois, deduzlhes as conseqüências e busca as aplicações úteis.
  11. “O método científico é a combinação de três operações que visam descobrir as regras que regem os fenômenos naturais: observação, experimentação e raciocínio. A partir da análise das observações, tenta-se levantar uma hipótese que explique o fenômeno: é a fase do raciocínio. A hipótese leva a uma nova série de experiências que irão confirmar, ou não, a hipótese feita. Se ela se mostrar acertada e puder prever os resultados de uma nova experiência, ela se torna uma lei natural.” (Penteado, 1998, p.4) As etapas de um método cientifico são: formular hipóteses, construir experiências, observar o fenômeno, utilizar instrumentos e procurar descobrir como os dados se relacionam. Marconi e Lakatos classificam os métodos científicos em quatro tipos, sendo eles: indutivo, dedutivo, hipotético-dedutivo e dialético.
  12. Comentário de Kardec: Todos os Espíritos também tendem a perfeição, e Deus lhes proporciona os meios de consegui-la, com as provas da vida corpórea. Mas, na sua justiça, permite-lhes realizar, em novas existências, aquilo que não puderam fazer ou acabar numa primeira prova.   Não estaria de acordo com a eqüidade, nem segundo a bondade de Deus, castigar para sempre aqueles que encontraram obstáculos ao seu melhoramento, independentemente de sua vontade, no próprio meio em que foram colocados. Se a sorte do homem fosse irrevogavelmente fixada após a sua morte, Deus não teria pesado as ações de todos na mesma balança e não os teria tratado com imparcialidade.   A doutrina da reencarnação, que consiste em admitir para o homem muitas existências sucessivas, é a única que corresponde a idéia da justiça de Deus, com respeito aos homens de condição moral interior; a única que pode explicar o nosso futuro e fundamentar as nossas esperanças, pois oferece-nos o meio de resgatarmos os nossos erros através de novas provas. A razão assim nos diz, e é o que os Espíritos nos ensinam.   O homem que tem consciência da sua inferioridade encontra na doutrina da reencarnação uma consoladora esperança. Se crê na justiça de Deus, não pode esperar que, por toda a eternidade, haja de ser igual aos que agiram melhor do que ele. O pensamento de que essa inferioridade não o deserdará para sempre do bem supremo e que ele poderá conquistá-lo através de novos esforços o ampara e lhe reanima a coragem. Qual é aquele que, no fim da sua carreira, não lamenta ter adquirido demasiado tarde uma experiência que já não pode aproveitar? Pois esta experiência tardia não estará perdida: ele a aproveitará numa nova existência.  
  13. Em sua obra: De Principiis e Contra Celsum, Orígenes tinha reconhecido, abertamente, a existência da alma antes do nascimento e sua dependência de ações passadas.   A condenação oficial por parte da Igreja Católica veio através do Concílio de Constantinopla - 553 D.C. Através do Imperador Justiniano (483-565), que proclamou através do edito:   "TODO AQUELE QUE ENSINAR ESTA FANTÁSTICA PREEXISTÊNCIA DA ALMA E SUA MONSTRUOSA RENOVAÇÃO, SERÁ CONDENADO".