SlideShare uma empresa Scribd logo
Foto: Carlos Freitas
                                João Costa
                                  janeiro.2012
http://www.dbs-freediving.com
Resumo
 Este documento resume os princípios
   essenciais de prevenção e segurança que
   devem ser tidos em conta na prática do
   mergulho livre.




          
           www.dbs-freediving.com           2
Prevenção e Segurança
 Definição:
     A segurança de uma atividade é definida por
      um conjunto de práticas que favorecem a sua
      realização com o mínimo de risco possível.

 Objetivos:
     Prevenir situações de risco.
     Saber atuar em caso de emergência.




             www.dbs-freediving.com
                                                  3
Prevenção e Segurança
 Como?
     Conhecer os Fatores de Risco
     Respeitar as Medidas de Prevenção
     Utilizar Sistemas de Segurança
     Saber aplicar Procedimentos de Salvamento




             www.dbs-freediving.com
                                                 4
                                                  
Fatores de Risco
 Pessoais:                               Externos:
   Apneia                                  Temperatura da
                                            Água
      Hiperventilação

   Profundidade                            Visibilidade no Mar

      Lastro                               Corrente Marítima

                                            Ambiente
                                            Subaquático
                                            Presença Humana



                www.dbs-freediving.com
                                                                  5
                                                                   
Apneia




         www.dbs-freediving.com
                                 6
                                  
Apneia
 Definição:
     A apneia é o estado que ocorre sempre que o ciclo
      respiratório é suspenso.
     A apneia pode ser voluntária ou involuntária.
     Este estado pode ser prolongado durante algum
      tempo sem qualquer risco para o organismo, pois ao
      nível celular as trocas gasosas continuam a se efetuar.
     No entanto, mais cedo ou mais tarde, a respiração
      tem de ser retomada, pois tanto o cérebro como o
      coração precisam de um fornecimento contínuo de
      oxigénio para funcionarem corretamente.


              
               www.dbs-freediving.com                          7
Apneia
 Efeitos:
     À medida que o tempo de apneia aumenta, os níveis
      de oxigénio no organismo diminuem enquanto que os
      de dióxido de carbono aumentam, podendo se atingir
      os estados de hipóxia e hipercapnia, respetivamente.
     Durante o estado de hipercapnia, surge uma
      necessidade involuntária de retomar a respiração
      geralmente acompanhada por contrações
      diafragmáticas.
     Durante o estado de hipóxia, o organismo pode ser
      forçado a “desligar” certas partes do organismo de
      forma a proteger o cérebro e o coração.


              
               www.dbs-freediving.com                        8
                                                             
Apneia
 Riscos:
     Samba
         Perda de controlo motor
     Blackout
         Perda de consciência




                
                 www.dbs-freediving.com   9
                                          
Samba
    Sintomas:
     Durante um samba, a vítima permanece consciente,
      mas perde o controlo muscular do corpo, manifestando-
      se sobre a forma de espasmos musculares involuntários
      e por vezes intensos nos membros superiores e
      inferiores.

    Procedimento:
     A vítima apenas necessita que as suas vias respiratórias
      não estejam submersas para que a sua respiração seja
      retomada voluntariamente.




                
                 www.dbs-freediving.com                      10
Blackout
    Sintomas:
     Durante um blackout, a vítima permanece inconsciente,
      manifestando-se sobre a forma de rigidez muscular,
      sendo que o maxilar inferior fica contraído contra o
      superior e os lábios cerrados.

    Procedimento:
     A vítima necessita que a auxiliem a retomar a
      respiração, falando ou soprando para a face, podendo
      ser necessário aplicar procedimentos de suporte básico
      de vida ou administração de oxigénio.




                
                 www.dbs-freediving.com                        11
                                                               
Hiperventilação




        www.dbs-freediving.com
                                12
                                 
Hiperventilação
   Definição:
       A hiperventilação significa respirar várias vezes
        consecutivas de forma mais profunda e rápida que o
        normal.

   Objetivos:
       Diminuir a saturação de CO2 na corrente sanguínea.
       Prolongar a apneia por inibição das contrações
        diafragmáticas.




                
                 www.dbs-freediving.com                      13
                                                             
Hiperventilação
   Efeitos:
       A saturação de CO2 na corrente sanguínea diminui.
       A saturação de O2 não aumenta consideravelmente.
       O batimento cardíaco aumenta.
       A pressão sanguínea aumenta.
   Riscos:
       Possibilidade de desmaiar (blackout) sem aviso prévio.




                
                 www.dbs-freediving.com                     14
Hiperventilação
   Sintomas:
       A hiperventilação manifesta-se de diferentes formas,
        desde uma sensação de formigueiro nas mãos e/ou
        nos pés, podendo também causar tonturas ou até
        mesmo um desmaio antes de iniciar o mergulho.
   Procedimento:
       A hiperventilação deve ser evitada através da adoção
        de uma respiração mais lenta e profunda que o
        normal.
       Mergulhar apenas quando os sintomas associados à
        hiperventilação tiverem claramente desaparecido.



                
                 www.dbs-freediving.com                        15
                                                               
Profundidade




        www.dbs-freediving.com
                                16
                                 
Profundidade
    Definição:
     À superfície do mar, o nível médio da pressão
      atmosférica é de 1atm.
     Dentro de água, a pressão hidrostática aumenta 1atm a
      cada 10m de profundidade.
     Aos 10m de profundidade a pressão total existente é de
      2atm.
     Sendo o ar compressível com a pressão, o volume de ar
      ocupado aos 10m de profundidade é igual a metade do
      volume inicial. Aos 20m = 1/3, aos 30m 1/4 e assim
      sucessivamente:
          VolProfX = 1 / (ProfX/10 + 1) * VolInicial

                   www.dbs-freediving.com
                                                             17
Profundidade
    Efeitos:
     Como o ar é compressível com a pressão, todas as
      regiões ocupadas por ar, tais como: ouvido interno,
      traqueia, pulmões e até mesmo o óculo de mergulho,
      vão estar sujeitas a uma pressão conforme a
      profundidade a que estiver o mergulhador.
     O aumento da pressão é também responsável pela
      possível entrada na corrente sanguínea de outros gases,
      tais como o azoto (nitrogénio).




                www.dbs-freediving.com
                                                           18
                                                            
Profundidade
    Riscos:
     Rutura do Tímpano

     Compressão Ocular

     Distensão da Traqueia

     Barotrauma Pulmonar

     Narcose

     Doença Descompressiva

     Síncope dos 7 metros




                www.dbs-freediving.com
                                        19
                                         
Rutura do Tímpano
    Sintomas:
     A rutura do tímpano manifesta-se sobre a forma de uma
      dor intensa no ouvido e acontece quando a membrana
      do tímpano é rompida devido ao aumento da pressão
      hidrostática. É provável perder a noção de equilíbrio e
      ter vertigens.

    Procedimento:
     A rutura do tímpano pode ser evitada desde que sejam
      realizadas as devidas compensações ao longo da
      descida.




                
                 www.dbs-freediving.com                         20
                                                                
Compressão Ocular
    Sintomas:
     A compressão ocular manifesta-se sobre a forma de
      dores nos olhos devido à compressão do óculo de
      mergulho contra a face à medida que a profundidade
      aumenta.

    Procedimento:
     A compressão ocular pode ser evitada desde que seja
      expelido pelo nariz algum ar para compensar o óculo de
      mergulho ao longo da descida.




                
                 www.dbs-freediving.com                       21
Distensão da Traqueia
    Sintomas:
     A distensão da traqueia manifesta-se sobre a forma de
      tosse e rouquidão na zona da garganta e acontece
      geralmente após a hiperextensão do pescoço para trás
      durante a descida ao olhar para o fundo.

    Procedimento:
     A distensão da traqueia pode ser evitada mantendo o
      pescoço sempre alinhado com o resto do corpo durante
      a descida. Para olhar para o fundo deve-se inclinar o
      tronco/corpo para trás.




                
                 www.dbs-freediving.com                       22
                                                              
Barotrauma Pulmonar
    Sintomas:
     O barotrauma pulmonar manifesta-se sobre a forma de
      dores na zona do tórax e/ou dificuldades na respiração e
      acontece quando os limites da flexibilidade da caixa
      torácica ou compressibilidade dos pulmões foram
      ultrapassados.

    Procedimento:
     O barotrauma pulmonar pode ser evitado através de
      uma adaptação gradual do organismo à profundidade e
      com a realização regular de alongamentos na zona
      torácica.



                
                 www.dbs-freediving.com                     23
Narcose
    Sintomas:
     A narcose manifesta-se de diferentes formas consoante
      a profundidade e da condição física e mental do
      mergulhador, podendo começar por um estado de
      euforia, pode evoluir para faltas discernimento e
      orientação e até crises de pânico.

    Procedimento:
     A narcose pode ser evitada parando a descida e subindo
      alguns metros até a sensação desaparecer. É possível
      gerir a narcose através do treino.




                
                 www.dbs-freediving.com                       24
                                                              
Doença Descompressiva
    Sintomas:
     A doença descompressiva manifesta-se sobre a forma
      de dores nas articulações, náuseas, alterações visuais e
      paralisias ou fraquezas nos membros superiores e/ou
      inferiores, devido a acumulação de azoto nessas
      regiões.
    Procedimento:
     A doença descompressiva pode ser evitada desde que
      sejam respeitados os tempos de superfície entre
      mergulhos. No mínimo, o tempo de superfície deve ser
      3x superior ao tempo do mergulho anterior. Devendo
      ser maior consoante a profundidade.
     Em mergulhos muito profundos, abaixo dos 80m,
      recomenda-se, após o mergulho, efetuar um patamar de
      descompressão, respirando oxigénio durante 5 a 10
                                                         25
      minutos, a www.dbs-freediving.com
                 5 metros de profundidade.
                                                            
Síncope dos 7 metros
    Sintomas:
     A síncope dos 7 metros manifesta-se quando, à chegada
      à superfície, a taxa de oxigénio no sangue arterial
      diminui bruscamente, provocando um desmaio sem
      aviso prévio.

    Procedimento:
     A síncope dos 7 metros pode ser evitada desde que nos
      últimos metros não se acelere à chegada à superfície,
      conservando energia e deixando o organismo se adaptar
      às diferenças de pressão nos pulmões, de forma a que
      as trocas gasosas se efetuem maior normalidade.



                
                 www.dbs-freediving.com                      26
Lastro
   Definição:
       Peso extra que auxilia a vencer a impulsão da água.
   Riscos:
       A velocidade de descida/subida pode ser demasiado
        elevada/lenta, podendo acentuar os riscos associados
        à profundidade/apneia respetivamente.
   Procedimento:
       O peso do lastro ideal deve garantir uma flutuabilidade
        positiva pelo menos aos 10m de profundidade.
       Obs: A flutuabilidade depende de vários fatores, sendo
        os principais: volume de ar inspirado, gordura
        corporal, espessura do fato e a densidade da água.
                
                 www.dbs-freediving.com                        27
                                                               
Temperatura da Água




       
        www.dbs-freediving.com   28
                                 
Temperatura da Água
    Definição:
     Dentro de água, o calor dispersa-se 25 vezes mais
      depressa.

    Riscos:
     Hipotermia (<35º) e Perigo de Vida (<32º).

    Procedimento:
     Utilizar proteção corporal adequada consoante a
      temperatura da água: fato, luvas, meias.




                  www.dbs-freediving.com
                                                         29
                                                          
Visibilidade no Mar




         www.dbs-freediving.com
                                 30
                                  
Visibilidade no Mar
    Definição:
     Dentro de água, os objetos parecem 25% mais
      próximos e 33% maiores.

    Riscos:
     Erro no cálculo de distâncias e possível desorientação.

    Procedimento:
     Utilizar um cabo-guia com marcas de 5 em 5 metros
      desde a superfície até à profundidade pretendida com
      uma placa branca no fundo.



                 
                  www.dbs-freediving.com                        31
                                                                
Corrente Marítima




        www.dbs-freediving.com
                                32
                                 
Corrente Marítima
    Definição:
     Deslocação contínua de uma massa de água numa
      determinada direcção.

    Riscos:
     O ponto de entrada ser diferente do ponto de saída.

     Esforço extra para manter um movimento vertical.

    Procedimento:
     Utilizar um cabo de segurança ligado ao cabo-guia.

     Não realizar mergulhos máximos na existência de
      correntes.

                   www.dbs-freediving.com
                                                           33
                                                            
Ambiente Subaquático




        www.dbs-freediving.com
                                34
                                 
Ambiente Subaquático
    Definição:
     O ambiente subaquático é composto pelos seres vivos
      que nele habitam assim como a sua estrutura geológica.

    Riscos:
     Queimaduras, envenenamento, ataques, grutas, areia.

    Procedimento:
     Conhecer o meio habitat e potenciais perigos.

     Ter um comportamento não invasivo.

     Utilizar proteção adequada.


                
                  www.dbs-freediving.com                    35
                                                            
Presença Humana




       www.dbs-freediving.com
                               36
                                
Presença Humana
    Definição:
     Qualquer atividade náutica ou subaquática.

    Riscos:
     Acidentes à superfície: embarcações, lixo.

     Acidentes submersos: material de pesca, naufrágios.

    Procedimento:
     Utilizar uma boia de sinalização com a bandeira de
      mergulho.
     Estar equipado com uma faca de mergulho.



                  www.dbs-freediving.com
                                                           37
                                                            
Sistemas de Segurança
 Tipos:
     Autorresgate (Self-Rescue)
     Duplas (Buddy-System)
     Rope-Pull
     Lift-bag
     Contra-Peso (Counter-weight)




             
                 www.dbs-freediving.com   38
                                          
Sistema de Autorresgate
 Definição:
     O sistema de autorresgate consiste em
      libertar o próprio lastro em caso de
      emergência (ex: cãibras).
 Objetivos:
     Proporcionar uma subida rápida com pouco
      esforço.




            
             www.dbs-freediving.com              39
                                                 
Sistema de Autorresgate
 Como?
   Calmamente, tirar o lastro.

   Segurar o lastro com o(s) braço(s) para
     baixo.
   Continuar a subida e em caso de
     necessidade soltar o lastro.




              www.dbs-freediving.com
                                             40
                                              
Sistema de Segurança de Duplas
 Definição:
     O sistema de segurança de duplas consiste
      na realização de mergulhos supervisionados,
      de preferência por mergulhadores com o
      mesmo grau de experiência.
 Objetivos:
     Elevar o nível de segurança.
     Promover o sentimento de confiança.
     Proporcionar o estado de tranquilidade.


             www.dbs-freediving.com
                                                   41
                                                    
Sistema de Segurança de Duplas
 Como?
     Procedimentos de Segurança:
         Segurança em Apneia
         Segurança em Distância
         Segurança em Profundidade
     Procedimentos de Salvamento:
         Resgate em Profundidade
         Socorro à Superfície
         Suporte Básico de Vida


               
                www.dbs-freediving.com   42
                                         
Segurança em Apneia Estática




        www.dbs-freediving.com
                                43
                                 
Segurança em Apneia Estática
   O mergulhador de segurança de verificar
    periodicamente o estado de consciência do
    mergulhador, através de um sinal previamente
    definido, por exemplo:
       mergulhador de segurança:
           toque no ombro do mergulhador.
       Mergulhador em apneia:
           resposta com um dedo da mão.
   A periodicidade do sinal deve aumentar com o
    tempo de apneia. Nos primeiros minutos de 30
    em 30 segundos e depois de 15 em 15
    segundos.
                  
                   www.dbs-freediving.com          44
                                                   
Segurança em Apneia Dinâmica




        www.dbs-freediving.com
                                45
                                 
Segurança em Apneia Dinâmica
   O mergulhador de segurança deve acompanhar
    à superfície o mergulhador em apneia, estando
    atento a movimentos pouco usuais ou a
    libertação de bolhas, que poderão indicar a
    ocorrência de um samba.
   Dar especial atenção aos últimos metros da
    distância que se pretende alcançar, sobretudo
    porque a tendência é aumentar de velocidade.
   Mesmo após o regresso à superfície existe a
    possibilidade de desmaio, pelo que, deve-se
    continuar a estar atento ao estado de
    consciência e respiração do colega, durante pelo
    menos 15s.
             
              www.dbs-freediving.com                46
                                                    
Segurança em Mergulho Livre




        www.dbs-freediving.com
                                47
                                 
Segurança em Mergulho Livre
   O mergulhador de segurança deve estar à
    superfície e apenas mergulhar para acompanhar
    o mergulhador em apneia nos últimos metros
    da subida, onde o risco é maior.
   A subida deve ser feita frente a frente, tentando
    manter o contacto visual, de forma a avaliar
    possíveis sinais de stress.
   À chegada à superfície, o mergulhador deve
    realizar o protocolo de superfície ao
    mergulhador de segurança de forma a
    confirmar o seu estado de consciência.


             
              www.dbs-freediving.com               48
Resgate em Profundidade
 com um braço




         www.dbs-freediving.com
                                 49
                                  
Resgate em Profundidade
 com um braço:
     retirar os cintos de chumbos (o da vítima é
      sempre o primeiro);
     virar a vítima de lado e passar um braço
      debaixo da axila;
     segurar o queixo com a mão, de forma a que
      a boca permaneça fechada;
     iniciar a subida numa posição perpendicular à
      vitima e junto ao corpo, de forma a utilizar as
      barbatanas livremente e evitar ao máximo
      resistência da água.

             www.dbs-freediving.com
                                                   50
                                                    
Resgate em Profundidade
 com os dois braços




          www.dbs-freediving.com
                                  51
                                   
Resgate em Profundidade
 com os dois braços:
     retirar os cintos de chumbos (o da vítima é
      sempre o primeiro);
     virar a vítima de costas e colocar as mãos
      debaixo das axilas;
     Esticar os braços e levantar a vítima;
     iniciar a subida com os braços esticados para
      cima, de forma a utilizar as barbatanas
      livremente.


             www.dbs-freediving.com
                                                    52
Socorro à Superfície




         www.dbs-freediving.com
                                 53
                                  
Socorro à Superfície
 Objetivos:
   Prevenir a entrada de água nas vias
   respiratórias.
   Promover a respiração da vítima.

   Deslocar a vítima para solo firme.




            
             www.dbs-freediving.com       54
                                          
Socorro à Superfície
    Como?
     Segurar e manter o queixo da vítima fora de água com
      uma mão.
     Colocar a cabeça da vítima inclinada para trás sobre o
      externo ou ombro.
     Remover todo o equipamento facial (óculo, snorkel,
      noseclip) com a outra mão.
     Soprar em direção ao nariz e falar ao ouvido da vítima
      incentivando-a a respirar.
     Eliminar qualquer peso supérfluo e deslocar-se para o
      barco ou solo firme.
    (continua)
                 www.dbs-freediving.com
                                                              55
                                                               
Socorro à Superfície
(continuação)

    Se a respiração espontânea não se iniciar, principiar de
     imediato respiração artificial, através de insuflações:
        boca-a-nariz*
        boca-a-tubo**
    Expirar a cada 5s, com a boca*/nariz** da vítima
     fechada/o.
    Manter a cabeça da vítima inclinada para trás e o maxilar
     inferior elevado, pois facilita a respiração.
    Continuar a deslocar a vítima o barco ou solo firme, pois
     só assim os procedimentos de suporte básico de vida
     podem ser realizados eficazmente.


                  www.dbs-freediving.com
                                                                56
                                                                 
Suporte Básico de Vida




        
         www.dbs-freediving.com   57
                                  
Suporte Básico de Vida
       Definição:
         SBV é um procedimento de emergência que é
          realizado quando a vítima se encontra num
          estado de paragem cardiorrespiratório.

       Objetivos:
         Promover a oxigenação da vítima.
         Promover a circulação da vítima.




                 
                     www.dbs-freediving.com       58
                                                  
Suporte Básico de Vida
   Como?
       1 - Avaliar o estado da vítima
           Verificar estado de consciência (reação a estímulos)
           Verificar respiração (ver, ouvir e sentir)

       2 - Promover a oxigenação da vítima
        (apenas se não houver respiração)
           Executar o método de insuflação, de preferência com uma máscara
            facial com válvula unilateral (pocket mask).

       3 - Promover a circulação da vítima
        (apenas se não houver pulsação)
           Executar a técnica de compressão torácica sobre o esterno.



                      www.dbs-freediving.com
                                                                        59
Suporte Básico de Vida
   Tempos:
       Após um blackout, a vítima pode ficar inconsciente
        durante 1 a 2 minutos sem que haja paragem
        respiratória.
       Após uma paragem respiratória, a vítima pode ficar
        sem respirar durante 3 a 4 minutos sem que haja
        paragem cardíaca.
       Após uma paragem cardíaca, a vítima pode ficar sem
        pulsação durante 2 a 3 minutos sem que haja danos
        irreversíveis para o cérebro.
       No geral, após um blackout, a vítima tem entre 6 a 9
        minutos para ser socorrida.

                
                 www.dbs-freediving.com                        60
                                                               
Suporte Básico de Vida
       Observações:
         Se mal aplicadas, as manobras de ressuscitação
          (insuflações e compressões) podem prejudicar
          gravemente a vítima.
         Se há indícios de água nos pulmões, deve-se deslocar
          a vítima ao Hospital de forma a utilizar um aspirador
          de secreções, outros meios são perigosos e
          desnecessários.
         A aprendizagem do Suporte Básico de Vida (SBV) deve
          ser feita através de uma formação especializada para
          o efeito.



                  
                   www.dbs-freediving.com                        61
Suporte Básico de Vida
   Entidades Formadoras:
       CVP (Cruz Vermelha Portuguesa)
       INEM (Instituto Nacional de Emergência Médica)
       ISN (Instituto de Socorros a Náufragos)
       DAN (Divers Alert Network)




                
                 www.dbs-freediving.com                  62
                                                         
Medidas de Prevenção
1.    Permitir a adaptação gradual do organismo à apneia e à profundidade.
2.    Ao preparar o mergulho, respirar sem hiperventilar antes da imersão.
3.    Ao iniciar a imersão, retirar o snorkel da boca.
4.    Na descida, compensar devidamente os ouvidos e o óculo de mergulho.
5.    Na viragem no fundo, virar com calma e não olhar para cima.
6.    Na subida, evitar acelerar na parte final (usufruir da impulsão).
7.    Durante a imersão, não expirar (exceto à chegada à superfície).
8.    Ao finalizar a imersão, apoiar-se em algo (cabo/boia/plataforma).
9.    Após o mergulho, recuperar adequadamente antes de nova imersão.
10.   Ao sentir frio ou fadiga, evitar mergulhar fundo.




                     www.dbs-freediving.com
                                                                            63
                                                                             
Livros recomendados

              “Manual of Freediving –
              Underwater on a single breath”
              by Umberto Pelizzari and Stefano
              Tovaglieri
              (ISBN: 1928649270)




        www.dbs-freediving.com
                                                64
                                                 
Nota Final
 Para colocar os conhecimentos expressos
   neste documento em prática é
   recomendado participar num curso de
   mergulho livre com um instrutor
   devidamente qualificado.




          
           www.dbs-freediving.com        65
                                         

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Ginástica
GinásticaGinástica
Ginástica
ana pinho
 
Distancia de seg aula 8,9 9ano
Distancia de  seg aula 8,9  9anoDistancia de  seg aula 8,9  9ano
Distancia de seg aula 8,9 9ano
Pedro Barata
 
Natação
NataçãoNatação
Natação
Vitor Peixoto
 
Percepção
PercepçãoPercepção
Percepção
Marcos Roberto
 
Pegas na ginástica acrobática
Pegas na ginástica acrobáticaPegas na ginástica acrobática
Pegas na ginástica acrobática
Historiando
 
Apresentação politica monetária
Apresentação politica monetáriaApresentação politica monetária
Apresentação politica monetária
Ivanildo Moreira
 
Natação
NataçãoNatação
Natação
Alanna Alexandre
 
Natação – processo da adaptação ao meio aquático
Natação – processo da adaptação ao meio aquáticoNatação – processo da adaptação ao meio aquático
Natação – processo da adaptação ao meio aquático
João Sequeira
 
Modulo I - OGD
Modulo I - OGDModulo I - OGD
Modulo I - OGD
Joana Oliveira
 
Segurança rodoviária
Segurança rodoviáriaSegurança rodoviária
Segurança rodoviária
Sara Daniela
 
Estrutura socio economicas da africa no inicio do seculo xviii e finais do se...
Estrutura socio economicas da africa no inicio do seculo xviii e finais do se...Estrutura socio economicas da africa no inicio do seculo xviii e finais do se...
Estrutura socio economicas da africa no inicio do seculo xviii e finais do se...
Herminio Banze
 
Aula 1 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 1 - Higiene e Segurança do TrabalhoAula 1 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 1 - Higiene e Segurança do Trabalho
Unidade Acedêmica de Engenharia de Produção
 
Plano de aula ergonomia 2012.1
Plano de aula   ergonomia 2012.1Plano de aula   ergonomia 2012.1
Plano de aula ergonomia 2012.1
Daniel Moura
 
Natação
NataçãoNatação
Nado Crawl Power Point
Nado Crawl Power PointNado Crawl Power Point
Nado Crawl Power Point
marisa.sanches
 
Natacao
NatacaoNatacao
Natacao
dalcimaira
 
Regras da natação
Regras da nataçãoRegras da natação
Regras da natação
lucaszika
 
Ambiente
AmbienteAmbiente
Sistema hormonal
Sistema hormonalSistema hormonal
Sistema hormonal
Catir
 
Tecnica batimentos
Tecnica batimentosTecnica batimentos
Tecnica batimentos
Maria João Vasconcelos
 

Mais procurados (20)

Ginástica
GinásticaGinástica
Ginástica
 
Distancia de seg aula 8,9 9ano
Distancia de  seg aula 8,9  9anoDistancia de  seg aula 8,9  9ano
Distancia de seg aula 8,9 9ano
 
Natação
NataçãoNatação
Natação
 
Percepção
PercepçãoPercepção
Percepção
 
Pegas na ginástica acrobática
Pegas na ginástica acrobáticaPegas na ginástica acrobática
Pegas na ginástica acrobática
 
Apresentação politica monetária
Apresentação politica monetáriaApresentação politica monetária
Apresentação politica monetária
 
Natação
NataçãoNatação
Natação
 
Natação – processo da adaptação ao meio aquático
Natação – processo da adaptação ao meio aquáticoNatação – processo da adaptação ao meio aquático
Natação – processo da adaptação ao meio aquático
 
Modulo I - OGD
Modulo I - OGDModulo I - OGD
Modulo I - OGD
 
Segurança rodoviária
Segurança rodoviáriaSegurança rodoviária
Segurança rodoviária
 
Estrutura socio economicas da africa no inicio do seculo xviii e finais do se...
Estrutura socio economicas da africa no inicio do seculo xviii e finais do se...Estrutura socio economicas da africa no inicio do seculo xviii e finais do se...
Estrutura socio economicas da africa no inicio do seculo xviii e finais do se...
 
Aula 1 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 1 - Higiene e Segurança do TrabalhoAula 1 - Higiene e Segurança do Trabalho
Aula 1 - Higiene e Segurança do Trabalho
 
Plano de aula ergonomia 2012.1
Plano de aula   ergonomia 2012.1Plano de aula   ergonomia 2012.1
Plano de aula ergonomia 2012.1
 
Natação
NataçãoNatação
Natação
 
Nado Crawl Power Point
Nado Crawl Power PointNado Crawl Power Point
Nado Crawl Power Point
 
Natacao
NatacaoNatacao
Natacao
 
Regras da natação
Regras da nataçãoRegras da natação
Regras da natação
 
Ambiente
AmbienteAmbiente
Ambiente
 
Sistema hormonal
Sistema hormonalSistema hormonal
Sistema hormonal
 
Tecnica batimentos
Tecnica batimentosTecnica batimentos
Tecnica batimentos
 

Semelhante a 1. Mergulho Livre - Prevenção e Segurança (v 5.1.11)

2. Mergulho Livre - Imersão e Compensação (V5.4.3)
2. Mergulho Livre - Imersão e Compensação (V5.4.3)2. Mergulho Livre - Imersão e Compensação (V5.4.3)
2. Mergulho Livre - Imersão e Compensação (V5.4.3)
João Costa
 
Ohb rio doenças do mergulho
Ohb rio   doenças do mergulhoOhb rio   doenças do mergulho
Ohb rio doenças do mergulho
Felipe Santos Costa
 
Apostila 1º socorros
Apostila 1º socorrosApostila 1º socorros
Apostila 1º socorros
Fernando Gomes
 
Afogamento, Engasgamento e Crises Convulsivas.pdf
Afogamento, Engasgamento e Crises Convulsivas.pdfAfogamento, Engasgamento e Crises Convulsivas.pdf
Afogamento, Engasgamento e Crises Convulsivas.pdf
esd1assaoka
 
Afogamento 1
Afogamento 1Afogamento 1
4. Mergulho Livre - Propulsão e Hidrodinâmica (v5.9.5)
4. Mergulho Livre - Propulsão e Hidrodinâmica (v5.9.5)4. Mergulho Livre - Propulsão e Hidrodinâmica (v5.9.5)
4. Mergulho Livre - Propulsão e Hidrodinâmica (v5.9.5)
João Costa
 
SegurançA Em InstalaçõEs Mod Ii Slides
SegurançA Em InstalaçõEs Mod Ii SlidesSegurançA Em InstalaçõEs Mod Ii Slides
SegurançA Em InstalaçõEs Mod Ii Slides
Santos de Castro
 
Salvamento Aquatico.pptx
Salvamento Aquatico.pptxSalvamento Aquatico.pptx
Salvamento Aquatico.pptx
GustavoSilva17736
 
Semiologia: Cianose, tosse e dispneia
Semiologia: Cianose, tosse e dispneiaSemiologia: Cianose, tosse e dispneia
Semiologia: Cianose, tosse e dispneia
THIAGO MELANIAS
 
SBV.Patologia
SBV.PatologiaSBV.Patologia
SBV.Patologia
ScotchMan
 
afogamento.pptx
afogamento.pptxafogamento.pptx
afogamento.pptx
JunioHb
 
Abordagem Primeiros Socorros.pdf
Abordagem Primeiros Socorros.pdfAbordagem Primeiros Socorros.pdf
Abordagem Primeiros Socorros.pdf
HernandesAbinoFrana
 
PRIMEIROSSOCORROS.ppt
PRIMEIROSSOCORROS.pptPRIMEIROSSOCORROS.ppt
PRIMEIROSSOCORROS.ppt
consultingtecnico
 
PRIMEIROS SOCORROS (2).ppt....................................
PRIMEIROS SOCORROS (2).ppt....................................PRIMEIROS SOCORROS (2).ppt....................................
PRIMEIROS SOCORROS (2).ppt....................................
LUMendes14
 
Distúrbios pulmonares obstrutivos crônicos
Distúrbios pulmonares obstrutivos crônicosDistúrbios pulmonares obstrutivos crônicos
Distúrbios pulmonares obstrutivos crônicos
Naiara Wonghon
 
Emergências
EmergênciasEmergências
Emergências
natalineller
 
0. Mergulho Livre - Princípios Essenciais
0. Mergulho Livre - Princípios Essenciais0. Mergulho Livre - Princípios Essenciais
0. Mergulho Livre - Princípios Essenciais
João Costa
 
Primeiros Socorros - Afogamento
Primeiros Socorros - AfogamentoPrimeiros Socorros - Afogamento
Primeiros Socorros - Afogamento
Jade Oliveira
 
11ª aula quase afogamento correta Silvio
11ª aula   quase afogamento correta Silvio11ª aula   quase afogamento correta Silvio
11ª aula quase afogamento correta Silvio
Prof Silvio Rosa
 
11ª aula quase afogamento correta
11ª aula   quase afogamento correta11ª aula   quase afogamento correta
11ª aula quase afogamento correta
Prof Silvio Rosa
 

Semelhante a 1. Mergulho Livre - Prevenção e Segurança (v 5.1.11) (20)

2. Mergulho Livre - Imersão e Compensação (V5.4.3)
2. Mergulho Livre - Imersão e Compensação (V5.4.3)2. Mergulho Livre - Imersão e Compensação (V5.4.3)
2. Mergulho Livre - Imersão e Compensação (V5.4.3)
 
Ohb rio doenças do mergulho
Ohb rio   doenças do mergulhoOhb rio   doenças do mergulho
Ohb rio doenças do mergulho
 
Apostila 1º socorros
Apostila 1º socorrosApostila 1º socorros
Apostila 1º socorros
 
Afogamento, Engasgamento e Crises Convulsivas.pdf
Afogamento, Engasgamento e Crises Convulsivas.pdfAfogamento, Engasgamento e Crises Convulsivas.pdf
Afogamento, Engasgamento e Crises Convulsivas.pdf
 
Afogamento 1
Afogamento 1Afogamento 1
Afogamento 1
 
4. Mergulho Livre - Propulsão e Hidrodinâmica (v5.9.5)
4. Mergulho Livre - Propulsão e Hidrodinâmica (v5.9.5)4. Mergulho Livre - Propulsão e Hidrodinâmica (v5.9.5)
4. Mergulho Livre - Propulsão e Hidrodinâmica (v5.9.5)
 
SegurançA Em InstalaçõEs Mod Ii Slides
SegurançA Em InstalaçõEs Mod Ii SlidesSegurançA Em InstalaçõEs Mod Ii Slides
SegurançA Em InstalaçõEs Mod Ii Slides
 
Salvamento Aquatico.pptx
Salvamento Aquatico.pptxSalvamento Aquatico.pptx
Salvamento Aquatico.pptx
 
Semiologia: Cianose, tosse e dispneia
Semiologia: Cianose, tosse e dispneiaSemiologia: Cianose, tosse e dispneia
Semiologia: Cianose, tosse e dispneia
 
SBV.Patologia
SBV.PatologiaSBV.Patologia
SBV.Patologia
 
afogamento.pptx
afogamento.pptxafogamento.pptx
afogamento.pptx
 
Abordagem Primeiros Socorros.pdf
Abordagem Primeiros Socorros.pdfAbordagem Primeiros Socorros.pdf
Abordagem Primeiros Socorros.pdf
 
PRIMEIROSSOCORROS.ppt
PRIMEIROSSOCORROS.pptPRIMEIROSSOCORROS.ppt
PRIMEIROSSOCORROS.ppt
 
PRIMEIROS SOCORROS (2).ppt....................................
PRIMEIROS SOCORROS (2).ppt....................................PRIMEIROS SOCORROS (2).ppt....................................
PRIMEIROS SOCORROS (2).ppt....................................
 
Distúrbios pulmonares obstrutivos crônicos
Distúrbios pulmonares obstrutivos crônicosDistúrbios pulmonares obstrutivos crônicos
Distúrbios pulmonares obstrutivos crônicos
 
Emergências
EmergênciasEmergências
Emergências
 
0. Mergulho Livre - Princípios Essenciais
0. Mergulho Livre - Princípios Essenciais0. Mergulho Livre - Princípios Essenciais
0. Mergulho Livre - Princípios Essenciais
 
Primeiros Socorros - Afogamento
Primeiros Socorros - AfogamentoPrimeiros Socorros - Afogamento
Primeiros Socorros - Afogamento
 
11ª aula quase afogamento correta Silvio
11ª aula   quase afogamento correta Silvio11ª aula   quase afogamento correta Silvio
11ª aula quase afogamento correta Silvio
 
11ª aula quase afogamento correta
11ª aula   quase afogamento correta11ª aula   quase afogamento correta
11ª aula quase afogamento correta
 

1. Mergulho Livre - Prevenção e Segurança (v 5.1.11)

  • 1. Foto: Carlos Freitas João Costa janeiro.2012 http://www.dbs-freediving.com
  • 2. Resumo  Este documento resume os princípios essenciais de prevenção e segurança que devem ser tidos em conta na prática do mergulho livre.  www.dbs-freediving.com  2
  • 3. Prevenção e Segurança  Definição:  A segurança de uma atividade é definida por um conjunto de práticas que favorecem a sua realização com o mínimo de risco possível.  Objetivos:  Prevenir situações de risco.  Saber atuar em caso de emergência. www.dbs-freediving.com   3
  • 4. Prevenção e Segurança  Como?  Conhecer os Fatores de Risco  Respeitar as Medidas de Prevenção  Utilizar Sistemas de Segurança  Saber aplicar Procedimentos de Salvamento www.dbs-freediving.com  4 
  • 5. Fatores de Risco  Pessoais:  Externos:  Apneia  Temperatura da Água  Hiperventilação  Profundidade  Visibilidade no Mar  Lastro  Corrente Marítima  Ambiente Subaquático  Presença Humana www.dbs-freediving.com  5 
  • 6. Apneia www.dbs-freediving.com  6 
  • 7. Apneia  Definição:  A apneia é o estado que ocorre sempre que o ciclo respiratório é suspenso.  A apneia pode ser voluntária ou involuntária.  Este estado pode ser prolongado durante algum tempo sem qualquer risco para o organismo, pois ao nível celular as trocas gasosas continuam a se efetuar.  No entanto, mais cedo ou mais tarde, a respiração tem de ser retomada, pois tanto o cérebro como o coração precisam de um fornecimento contínuo de oxigénio para funcionarem corretamente.  www.dbs-freediving.com  7
  • 8. Apneia  Efeitos:  À medida que o tempo de apneia aumenta, os níveis de oxigénio no organismo diminuem enquanto que os de dióxido de carbono aumentam, podendo se atingir os estados de hipóxia e hipercapnia, respetivamente.  Durante o estado de hipercapnia, surge uma necessidade involuntária de retomar a respiração geralmente acompanhada por contrações diafragmáticas.  Durante o estado de hipóxia, o organismo pode ser forçado a “desligar” certas partes do organismo de forma a proteger o cérebro e o coração.  www.dbs-freediving.com 8 
  • 9. Apneia  Riscos:  Samba  Perda de controlo motor  Blackout  Perda de consciência  www.dbs-freediving.com 9 
  • 10. Samba  Sintomas:  Durante um samba, a vítima permanece consciente, mas perde o controlo muscular do corpo, manifestando- se sobre a forma de espasmos musculares involuntários e por vezes intensos nos membros superiores e inferiores.  Procedimento:  A vítima apenas necessita que as suas vias respiratórias não estejam submersas para que a sua respiração seja retomada voluntariamente.  www.dbs-freediving.com 10
  • 11. Blackout  Sintomas:  Durante um blackout, a vítima permanece inconsciente, manifestando-se sobre a forma de rigidez muscular, sendo que o maxilar inferior fica contraído contra o superior e os lábios cerrados.  Procedimento:  A vítima necessita que a auxiliem a retomar a respiração, falando ou soprando para a face, podendo ser necessário aplicar procedimentos de suporte básico de vida ou administração de oxigénio.  www.dbs-freediving.com 11 
  • 12. Hiperventilação www.dbs-freediving.com  12 
  • 13. Hiperventilação  Definição:  A hiperventilação significa respirar várias vezes consecutivas de forma mais profunda e rápida que o normal.  Objetivos:  Diminuir a saturação de CO2 na corrente sanguínea.  Prolongar a apneia por inibição das contrações diafragmáticas.  www.dbs-freediving.com 13 
  • 14. Hiperventilação  Efeitos:  A saturação de CO2 na corrente sanguínea diminui.  A saturação de O2 não aumenta consideravelmente.  O batimento cardíaco aumenta.  A pressão sanguínea aumenta.  Riscos:  Possibilidade de desmaiar (blackout) sem aviso prévio.  www.dbs-freediving.com 14
  • 15. Hiperventilação  Sintomas:  A hiperventilação manifesta-se de diferentes formas, desde uma sensação de formigueiro nas mãos e/ou nos pés, podendo também causar tonturas ou até mesmo um desmaio antes de iniciar o mergulho.  Procedimento:  A hiperventilação deve ser evitada através da adoção de uma respiração mais lenta e profunda que o normal.  Mergulhar apenas quando os sintomas associados à hiperventilação tiverem claramente desaparecido.  www.dbs-freediving.com 15 
  • 16. Profundidade www.dbs-freediving.com  16 
  • 17. Profundidade  Definição:  À superfície do mar, o nível médio da pressão atmosférica é de 1atm.  Dentro de água, a pressão hidrostática aumenta 1atm a cada 10m de profundidade.  Aos 10m de profundidade a pressão total existente é de 2atm.  Sendo o ar compressível com a pressão, o volume de ar ocupado aos 10m de profundidade é igual a metade do volume inicial. Aos 20m = 1/3, aos 30m 1/4 e assim sucessivamente:  VolProfX = 1 / (ProfX/10 + 1) * VolInicial www.dbs-freediving.com   17
  • 18. Profundidade  Efeitos:  Como o ar é compressível com a pressão, todas as regiões ocupadas por ar, tais como: ouvido interno, traqueia, pulmões e até mesmo o óculo de mergulho, vão estar sujeitas a uma pressão conforme a profundidade a que estiver o mergulhador.  O aumento da pressão é também responsável pela possível entrada na corrente sanguínea de outros gases, tais como o azoto (nitrogénio). www.dbs-freediving.com  18 
  • 19. Profundidade  Riscos:  Rutura do Tímpano  Compressão Ocular  Distensão da Traqueia  Barotrauma Pulmonar  Narcose  Doença Descompressiva  Síncope dos 7 metros www.dbs-freediving.com  19 
  • 20. Rutura do Tímpano  Sintomas:  A rutura do tímpano manifesta-se sobre a forma de uma dor intensa no ouvido e acontece quando a membrana do tímpano é rompida devido ao aumento da pressão hidrostática. É provável perder a noção de equilíbrio e ter vertigens.  Procedimento:  A rutura do tímpano pode ser evitada desde que sejam realizadas as devidas compensações ao longo da descida.  www.dbs-freediving.com 20 
  • 21. Compressão Ocular  Sintomas:  A compressão ocular manifesta-se sobre a forma de dores nos olhos devido à compressão do óculo de mergulho contra a face à medida que a profundidade aumenta.  Procedimento:  A compressão ocular pode ser evitada desde que seja expelido pelo nariz algum ar para compensar o óculo de mergulho ao longo da descida.  www.dbs-freediving.com  21
  • 22. Distensão da Traqueia  Sintomas:  A distensão da traqueia manifesta-se sobre a forma de tosse e rouquidão na zona da garganta e acontece geralmente após a hiperextensão do pescoço para trás durante a descida ao olhar para o fundo.  Procedimento:  A distensão da traqueia pode ser evitada mantendo o pescoço sempre alinhado com o resto do corpo durante a descida. Para olhar para o fundo deve-se inclinar o tronco/corpo para trás.  www.dbs-freediving.com 22 
  • 23. Barotrauma Pulmonar  Sintomas:  O barotrauma pulmonar manifesta-se sobre a forma de dores na zona do tórax e/ou dificuldades na respiração e acontece quando os limites da flexibilidade da caixa torácica ou compressibilidade dos pulmões foram ultrapassados.  Procedimento:  O barotrauma pulmonar pode ser evitado através de uma adaptação gradual do organismo à profundidade e com a realização regular de alongamentos na zona torácica.  www.dbs-freediving.com 23
  • 24. Narcose  Sintomas:  A narcose manifesta-se de diferentes formas consoante a profundidade e da condição física e mental do mergulhador, podendo começar por um estado de euforia, pode evoluir para faltas discernimento e orientação e até crises de pânico.  Procedimento:  A narcose pode ser evitada parando a descida e subindo alguns metros até a sensação desaparecer. É possível gerir a narcose através do treino.  www.dbs-freediving.com 24 
  • 25. Doença Descompressiva  Sintomas:  A doença descompressiva manifesta-se sobre a forma de dores nas articulações, náuseas, alterações visuais e paralisias ou fraquezas nos membros superiores e/ou inferiores, devido a acumulação de azoto nessas regiões.  Procedimento:  A doença descompressiva pode ser evitada desde que sejam respeitados os tempos de superfície entre mergulhos. No mínimo, o tempo de superfície deve ser 3x superior ao tempo do mergulho anterior. Devendo ser maior consoante a profundidade.  Em mergulhos muito profundos, abaixo dos 80m, recomenda-se, após o mergulho, efetuar um patamar de descompressão, respirando oxigénio durante 5 a 10 25 minutos, a www.dbs-freediving.com 5 metros de profundidade.  
  • 26. Síncope dos 7 metros  Sintomas:  A síncope dos 7 metros manifesta-se quando, à chegada à superfície, a taxa de oxigénio no sangue arterial diminui bruscamente, provocando um desmaio sem aviso prévio.  Procedimento:  A síncope dos 7 metros pode ser evitada desde que nos últimos metros não se acelere à chegada à superfície, conservando energia e deixando o organismo se adaptar às diferenças de pressão nos pulmões, de forma a que as trocas gasosas se efetuem maior normalidade.  www.dbs-freediving.com  26
  • 27. Lastro  Definição:  Peso extra que auxilia a vencer a impulsão da água.  Riscos:  A velocidade de descida/subida pode ser demasiado elevada/lenta, podendo acentuar os riscos associados à profundidade/apneia respetivamente.  Procedimento:  O peso do lastro ideal deve garantir uma flutuabilidade positiva pelo menos aos 10m de profundidade.  Obs: A flutuabilidade depende de vários fatores, sendo os principais: volume de ar inspirado, gordura corporal, espessura do fato e a densidade da água.  www.dbs-freediving.com 27 
  • 28. Temperatura da Água  www.dbs-freediving.com 28 
  • 29. Temperatura da Água  Definição:  Dentro de água, o calor dispersa-se 25 vezes mais depressa.  Riscos:  Hipotermia (<35º) e Perigo de Vida (<32º).  Procedimento:  Utilizar proteção corporal adequada consoante a temperatura da água: fato, luvas, meias. www.dbs-freediving.com  29 
  • 30. Visibilidade no Mar www.dbs-freediving.com  30 
  • 31. Visibilidade no Mar  Definição:  Dentro de água, os objetos parecem 25% mais próximos e 33% maiores.  Riscos:  Erro no cálculo de distâncias e possível desorientação.  Procedimento:  Utilizar um cabo-guia com marcas de 5 em 5 metros desde a superfície até à profundidade pretendida com uma placa branca no fundo.  www.dbs-freediving.com 31 
  • 32. Corrente Marítima www.dbs-freediving.com  32 
  • 33. Corrente Marítima  Definição:  Deslocação contínua de uma massa de água numa determinada direcção.  Riscos:  O ponto de entrada ser diferente do ponto de saída.  Esforço extra para manter um movimento vertical.  Procedimento:  Utilizar um cabo de segurança ligado ao cabo-guia.  Não realizar mergulhos máximos na existência de correntes. www.dbs-freediving.com  33 
  • 34. Ambiente Subaquático www.dbs-freediving.com  34 
  • 35. Ambiente Subaquático  Definição:  O ambiente subaquático é composto pelos seres vivos que nele habitam assim como a sua estrutura geológica.  Riscos:  Queimaduras, envenenamento, ataques, grutas, areia.  Procedimento:  Conhecer o meio habitat e potenciais perigos.  Ter um comportamento não invasivo.  Utilizar proteção adequada.  www.dbs-freediving.com 35 
  • 36. Presença Humana www.dbs-freediving.com  36 
  • 37. Presença Humana  Definição:  Qualquer atividade náutica ou subaquática.  Riscos:  Acidentes à superfície: embarcações, lixo.  Acidentes submersos: material de pesca, naufrágios.  Procedimento:  Utilizar uma boia de sinalização com a bandeira de mergulho.  Estar equipado com uma faca de mergulho. www.dbs-freediving.com  37 
  • 38. Sistemas de Segurança  Tipos:  Autorresgate (Self-Rescue)  Duplas (Buddy-System)  Rope-Pull  Lift-bag  Contra-Peso (Counter-weight)  www.dbs-freediving.com 38 
  • 39. Sistema de Autorresgate  Definição:  O sistema de autorresgate consiste em libertar o próprio lastro em caso de emergência (ex: cãibras).  Objetivos:  Proporcionar uma subida rápida com pouco esforço.  www.dbs-freediving.com 39 
  • 40. Sistema de Autorresgate  Como?  Calmamente, tirar o lastro.  Segurar o lastro com o(s) braço(s) para baixo.  Continuar a subida e em caso de necessidade soltar o lastro. www.dbs-freediving.com  40 
  • 41. Sistema de Segurança de Duplas  Definição:  O sistema de segurança de duplas consiste na realização de mergulhos supervisionados, de preferência por mergulhadores com o mesmo grau de experiência.  Objetivos:  Elevar o nível de segurança.  Promover o sentimento de confiança.  Proporcionar o estado de tranquilidade. www.dbs-freediving.com  41 
  • 42. Sistema de Segurança de Duplas  Como?  Procedimentos de Segurança:  Segurança em Apneia  Segurança em Distância  Segurança em Profundidade  Procedimentos de Salvamento:  Resgate em Profundidade  Socorro à Superfície  Suporte Básico de Vida  www.dbs-freediving.com 42 
  • 43. Segurança em Apneia Estática www.dbs-freediving.com  43 
  • 44. Segurança em Apneia Estática  O mergulhador de segurança de verificar periodicamente o estado de consciência do mergulhador, através de um sinal previamente definido, por exemplo:  mergulhador de segurança:  toque no ombro do mergulhador.  Mergulhador em apneia:  resposta com um dedo da mão.  A periodicidade do sinal deve aumentar com o tempo de apneia. Nos primeiros minutos de 30 em 30 segundos e depois de 15 em 15 segundos.  www.dbs-freediving.com 44 
  • 45. Segurança em Apneia Dinâmica www.dbs-freediving.com  45 
  • 46. Segurança em Apneia Dinâmica  O mergulhador de segurança deve acompanhar à superfície o mergulhador em apneia, estando atento a movimentos pouco usuais ou a libertação de bolhas, que poderão indicar a ocorrência de um samba.  Dar especial atenção aos últimos metros da distância que se pretende alcançar, sobretudo porque a tendência é aumentar de velocidade.  Mesmo após o regresso à superfície existe a possibilidade de desmaio, pelo que, deve-se continuar a estar atento ao estado de consciência e respiração do colega, durante pelo menos 15s.  www.dbs-freediving.com 46 
  • 47. Segurança em Mergulho Livre www.dbs-freediving.com  47 
  • 48. Segurança em Mergulho Livre  O mergulhador de segurança deve estar à superfície e apenas mergulhar para acompanhar o mergulhador em apneia nos últimos metros da subida, onde o risco é maior.  A subida deve ser feita frente a frente, tentando manter o contacto visual, de forma a avaliar possíveis sinais de stress.  À chegada à superfície, o mergulhador deve realizar o protocolo de superfície ao mergulhador de segurança de forma a confirmar o seu estado de consciência.  www.dbs-freediving.com 48
  • 49. Resgate em Profundidade  com um braço www.dbs-freediving.com  49 
  • 50. Resgate em Profundidade  com um braço:  retirar os cintos de chumbos (o da vítima é sempre o primeiro);  virar a vítima de lado e passar um braço debaixo da axila;  segurar o queixo com a mão, de forma a que a boca permaneça fechada;  iniciar a subida numa posição perpendicular à vitima e junto ao corpo, de forma a utilizar as barbatanas livremente e evitar ao máximo resistência da água. www.dbs-freediving.com  50 
  • 51. Resgate em Profundidade  com os dois braços www.dbs-freediving.com  51 
  • 52. Resgate em Profundidade  com os dois braços:  retirar os cintos de chumbos (o da vítima é sempre o primeiro);  virar a vítima de costas e colocar as mãos debaixo das axilas;  Esticar os braços e levantar a vítima;  iniciar a subida com os braços esticados para cima, de forma a utilizar as barbatanas livremente. www.dbs-freediving.com   52
  • 53. Socorro à Superfície www.dbs-freediving.com  53 
  • 54. Socorro à Superfície  Objetivos:  Prevenir a entrada de água nas vias respiratórias.  Promover a respiração da vítima.  Deslocar a vítima para solo firme.  www.dbs-freediving.com 54 
  • 55. Socorro à Superfície  Como?  Segurar e manter o queixo da vítima fora de água com uma mão.  Colocar a cabeça da vítima inclinada para trás sobre o externo ou ombro.  Remover todo o equipamento facial (óculo, snorkel, noseclip) com a outra mão.  Soprar em direção ao nariz e falar ao ouvido da vítima incentivando-a a respirar.  Eliminar qualquer peso supérfluo e deslocar-se para o barco ou solo firme. (continua) www.dbs-freediving.com  55 
  • 56. Socorro à Superfície (continuação)  Se a respiração espontânea não se iniciar, principiar de imediato respiração artificial, através de insuflações:  boca-a-nariz*  boca-a-tubo**  Expirar a cada 5s, com a boca*/nariz** da vítima fechada/o.  Manter a cabeça da vítima inclinada para trás e o maxilar inferior elevado, pois facilita a respiração.  Continuar a deslocar a vítima o barco ou solo firme, pois só assim os procedimentos de suporte básico de vida podem ser realizados eficazmente. www.dbs-freediving.com  56 
  • 57. Suporte Básico de Vida  www.dbs-freediving.com 57 
  • 58. Suporte Básico de Vida  Definição:  SBV é um procedimento de emergência que é realizado quando a vítima se encontra num estado de paragem cardiorrespiratório.  Objetivos:  Promover a oxigenação da vítima.  Promover a circulação da vítima.  www.dbs-freediving.com 58 
  • 59. Suporte Básico de Vida  Como?  1 - Avaliar o estado da vítima  Verificar estado de consciência (reação a estímulos)  Verificar respiração (ver, ouvir e sentir)  2 - Promover a oxigenação da vítima (apenas se não houver respiração)  Executar o método de insuflação, de preferência com uma máscara facial com válvula unilateral (pocket mask).  3 - Promover a circulação da vítima (apenas se não houver pulsação)  Executar a técnica de compressão torácica sobre o esterno. www.dbs-freediving.com  59
  • 60. Suporte Básico de Vida  Tempos:  Após um blackout, a vítima pode ficar inconsciente durante 1 a 2 minutos sem que haja paragem respiratória.  Após uma paragem respiratória, a vítima pode ficar sem respirar durante 3 a 4 minutos sem que haja paragem cardíaca.  Após uma paragem cardíaca, a vítima pode ficar sem pulsação durante 2 a 3 minutos sem que haja danos irreversíveis para o cérebro.  No geral, após um blackout, a vítima tem entre 6 a 9 minutos para ser socorrida.  www.dbs-freediving.com 60 
  • 61. Suporte Básico de Vida  Observações:  Se mal aplicadas, as manobras de ressuscitação (insuflações e compressões) podem prejudicar gravemente a vítima.  Se há indícios de água nos pulmões, deve-se deslocar a vítima ao Hospital de forma a utilizar um aspirador de secreções, outros meios são perigosos e desnecessários.  A aprendizagem do Suporte Básico de Vida (SBV) deve ser feita através de uma formação especializada para o efeito.  www.dbs-freediving.com  61
  • 62. Suporte Básico de Vida  Entidades Formadoras:  CVP (Cruz Vermelha Portuguesa)  INEM (Instituto Nacional de Emergência Médica)  ISN (Instituto de Socorros a Náufragos)  DAN (Divers Alert Network)  www.dbs-freediving.com 62 
  • 63. Medidas de Prevenção 1. Permitir a adaptação gradual do organismo à apneia e à profundidade. 2. Ao preparar o mergulho, respirar sem hiperventilar antes da imersão. 3. Ao iniciar a imersão, retirar o snorkel da boca. 4. Na descida, compensar devidamente os ouvidos e o óculo de mergulho. 5. Na viragem no fundo, virar com calma e não olhar para cima. 6. Na subida, evitar acelerar na parte final (usufruir da impulsão). 7. Durante a imersão, não expirar (exceto à chegada à superfície). 8. Ao finalizar a imersão, apoiar-se em algo (cabo/boia/plataforma). 9. Após o mergulho, recuperar adequadamente antes de nova imersão. 10. Ao sentir frio ou fadiga, evitar mergulhar fundo. www.dbs-freediving.com  63 
  • 64. Livros recomendados “Manual of Freediving – Underwater on a single breath” by Umberto Pelizzari and Stefano Tovaglieri (ISBN: 1928649270) www.dbs-freediving.com  64 
  • 65. Nota Final  Para colocar os conhecimentos expressos neste documento em prática é recomendado participar num curso de mergulho livre com um instrutor devidamente qualificado.  www.dbs-freediving.com 65 