SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 23
 CONCEITO
 Doença infectocontagiosa viral aguda, que ataca o
sistema neurológico, que pode se manifestar de
infecções inaparentes a formas paralíticas e morte.
 Maior incidência em
crianças
 Sinonímia:
 Paralisia infantil
 Doença de Heine-Medin
1953 Jonas salk
desenvolveu a vacina
injetável com vírus
inativado
1962 Albert sabin e seus
colaboradores criaram
outra vacina apartir do
vírus atenuado
 AGENTE ETIOLÓGICO
 Familía: Picornaviridae
Gênero: Enterovirus
Espécie: Poliovirus
 O Poliovirus possui três sorotipos: I, II e III
 É um vírus com alta infectividade e resistência a
condições ambientais
 Vírus RNA
 EPIDEMIOLOGIA
 Características epidemiológicas
 90% a 95% dos casos de poliomielite apresentam-se
sob a forma benigna
 Idade de maior incidência é de seis meses a 3 anos
 Endêmica: No sul da Ásia e África
 No Brasil
• Foi de alta incidência e em outros países
americanos
• Não há casos de poliomielite desde 1989
• Em 1994, o poliovírus selvagem foi considerado
erradicado no Brasil e nas Américas.
 Transmissão
 O vírus fica albergado no trato gastrointestinal e é
transmitido através da saliva, do vômito e das fezes
 Oral -Oral - gotículas de muco da orofaringe
 Fecal-Oral - Má higiene
- Fraldas sujas(ex: em creches)
- Água e alimentos contaminados (as
moscas podem transmitir passivamente os vírus das
fezes para os alimentos)
OBS: Saneamento básico deficiente e superpovoamento
são condições de vida que favorecem a transmissão do
vírus.
 Período de incubação
 Em média entre 7 a 14 dias após o contágio
 Período de Transmissão
 Período de transmissibilidade pode iniciar antes do
surgimento das manifestações clínicas
 Eliminação do vírus pelas fezes por cerca de seis
semanas, depois do inicio da doença
 Eliminação do vírus se faz pela orofaringe por um
período de cerca de uma semana
 SÍNDROMES CLÍNICAS
Poliomielite não paralítica, frusta ou forma inaparente
(90% a 95%)
 É confundida com uma forte gripe sem deixar sequelas
Dor de cabeça
Dor de garganta
Espirros
Fraqueza
Mal-estar geral
Vômitos
Dor ou rigidez nas costas, braços, pernas e abdome
Poliomielite paralítica (1% a 1,6%)
 São parecidos com uma gripe que desaparecem em
alguns dias, mas que depois reaparecerem já com
sintomas característicos da doença na forma
paralítica, ou em outros casos a paralisia aparece logo
na fase inicial da doença
Dor de cabeça, dor de garganta, fraqueza
Dor muscular
Rigidez na nuca ou nas costas
Período grave:
- Dificuldade de locomoção brusca
- Dificuldade de respirar
- Dificuldade de deglutição
- Espasmos musculares, fadiga muscular
Logo após esses sintomas aparecem as paralisias:
- Paralisia dos membros inferiores
- Paralisia dos membros superiores
- Paralisia dos músculos respiratórios
- Paralisia dos músculos do tronco
http://www.avozdedeus.org.br/site/materias/notas/140-irmgarnett-peak.html
Garnett Lee Peake (1945-1963)
 CONTROLE E PREVENÇÃO
 Medidas Sanitárias
 Saneamento básico eficiente
 Tratamento da água para consumo
 Tratamento adequado dos dejetos humanos
 Notificação Compulsória e Imediata às Autoridades
Sanitárias.
 Vacinação
 Vacinação Sabin (Poliovírus atenuado)
 Vacinação Salk (Poliovírus inativado)
 Todas as crianças menores de 5 anos devem ser
vacinadas
 Medidas Gerais
 Higiene dos alimentos
 Usar água potável ou fervida
 Não frequentar locais de alimentação suspeitos ou
com péssimas condições de higiene
 TRATAMENTO
Não há tratamento específico
O objetivo do tratamento é controlar e diminuir os
sintomas
Os sintomas são tratados com base em sua
gravidade. Os tratamentos incluem:
Antibióticos
Calor úmido (bolsa de água quente, toalhas
quentes)
 Analgésicos
 Fisioterapia, órteses ou botas ortopédicas, ou cirurgia
ortopédica
É uma doença que necessita hospitalização
obrigatória, imediata e de isolamento para que não
evolua até a poliomielite bulbar (comprometendo a parte
do cérebro responsável pela respiração e função
cardíaca), que é a forma mais grave e fatal da doença.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Zika Vírus
Zika VírusZika Vírus
Zika Vírus
 
Aula de Parasitologia Básica
Aula de Parasitologia BásicaAula de Parasitologia Básica
Aula de Parasitologia Básica
 
Tuberculose
TuberculoseTuberculose
Tuberculose
 
Apresentação aids
Apresentação aidsApresentação aids
Apresentação aids
 
Novo Trabalho De CiêNcias
Novo Trabalho De CiêNciasNovo Trabalho De CiêNcias
Novo Trabalho De CiêNcias
 
Apresentação malária
Apresentação maláriaApresentação malária
Apresentação malária
 
Dst aids para adolescentes
Dst   aids para adolescentesDst   aids para adolescentes
Dst aids para adolescentes
 
Leishmaniose visceral
Leishmaniose visceralLeishmaniose visceral
Leishmaniose visceral
 
Dengue
DengueDengue
Dengue
 
Apresentação bactérias
Apresentação bactériasApresentação bactérias
Apresentação bactérias
 
Cólera
CóleraCólera
Cólera
 
Coqueluche
Coqueluche  Coqueluche
Coqueluche
 
Dengue
Dengue Dengue
Dengue
 
AEDES: Zika, Dengue e Chicungunha - Medicina UFRJ 3o. período, Disciplina AIS
AEDES: Zika, Dengue e Chicungunha - Medicina UFRJ 3o. período, Disciplina AISAEDES: Zika, Dengue e Chicungunha - Medicina UFRJ 3o. período, Disciplina AIS
AEDES: Zika, Dengue e Chicungunha - Medicina UFRJ 3o. período, Disciplina AIS
 
TUBERCULOSE
TUBERCULOSETUBERCULOSE
TUBERCULOSE
 
Febre Amarela - Saúde Coletiva II
Febre Amarela - Saúde Coletiva IIFebre Amarela - Saúde Coletiva II
Febre Amarela - Saúde Coletiva II
 
Epidemiologia das doenças transmissíveis
Epidemiologia das doenças transmissíveisEpidemiologia das doenças transmissíveis
Epidemiologia das doenças transmissíveis
 
Sarampo e catapora
Sarampo e cataporaSarampo e catapora
Sarampo e catapora
 
Pneumonia
PneumoniaPneumonia
Pneumonia
 
Hepatites a, b e c
Hepatites a, b e cHepatites a, b e c
Hepatites a, b e c
 

Semelhante a Poliomielite

Gripe e Influenza A (H1N1)
Gripe e Influenza A (H1N1)Gripe e Influenza A (H1N1)
Gripe e Influenza A (H1N1)Aluisio Junior
 
Documento técnico da síndrome pós pólio
Documento técnico da síndrome pós   pólioDocumento técnico da síndrome pós   pólio
Documento técnico da síndrome pós pólioJuca Souza
 
Rotavírus e poliomielite
Rotavírus e poliomieliteRotavírus e poliomielite
Rotavírus e poliomieliteYlla Cohim
 
Rotavírus e poliomielite
Rotavírus e poliomieliteRotavírus e poliomielite
Rotavírus e poliomieliteYlla Cohim
 
Rotavrusepoliomielite 140720234859-phpapp02
Rotavrusepoliomielite 140720234859-phpapp02Rotavrusepoliomielite 140720234859-phpapp02
Rotavrusepoliomielite 140720234859-phpapp02MatheusMaciel53
 
Rotavírus e poliomielite
Rotavírus e poliomieliteRotavírus e poliomielite
Rotavírus e poliomieliteYlla Cohim
 
Apresentação.grupo01.pdf
Apresentação.grupo01.pdfApresentação.grupo01.pdf
Apresentação.grupo01.pdfCarolina68640
 
Gripe E Resfriado
Gripe E ResfriadoGripe E Resfriado
Gripe E Resfriadoecsette
 
Seminário tópicos integradores
Seminário tópicos integradoresSeminário tópicos integradores
Seminário tópicos integradoresLaíz Coutinho
 
A causa da doenças.
A causa da doenças.A causa da doenças.
A causa da doenças.clebison
 
Gripe Suína- H1N1. Epidemiologia e outros.
Gripe Suína- H1N1. Epidemiologia e outros.Gripe Suína- H1N1. Epidemiologia e outros.
Gripe Suína- H1N1. Epidemiologia e outros.FagnaFerreira
 
Seminário de /doencas Infec.
Seminário de /doencas Infec.Seminário de /doencas Infec.
Seminário de /doencas Infec.Tamiris Ferreira
 

Semelhante a Poliomielite (20)

A poliomielite
A poliomieliteA poliomielite
A poliomielite
 
A poliomielite
A poliomieliteA poliomielite
A poliomielite
 
Gripe e Influenza A (H1N1)
Gripe e Influenza A (H1N1)Gripe e Influenza A (H1N1)
Gripe e Influenza A (H1N1)
 
Doc tec spp-1
Doc tec spp-1Doc tec spp-1
Doc tec spp-1
 
Documento técnico da síndrome pós pólio
Documento técnico da síndrome pós   pólioDocumento técnico da síndrome pós   pólio
Documento técnico da síndrome pós pólio
 
Slides rubéola
Slides rubéolaSlides rubéola
Slides rubéola
 
Trabalho de biologia
Trabalho de biologiaTrabalho de biologia
Trabalho de biologia
 
Doenças emergentes
Doenças emergentesDoenças emergentes
Doenças emergentes
 
Rotavírus e poliomielite
Rotavírus e poliomieliteRotavírus e poliomielite
Rotavírus e poliomielite
 
Rotavírus e poliomielite
Rotavírus e poliomieliteRotavírus e poliomielite
Rotavírus e poliomielite
 
Rotavrusepoliomielite 140720234859-phpapp02
Rotavrusepoliomielite 140720234859-phpapp02Rotavrusepoliomielite 140720234859-phpapp02
Rotavrusepoliomielite 140720234859-phpapp02
 
Rotavírus e poliomielite
Rotavírus e poliomieliteRotavírus e poliomielite
Rotavírus e poliomielite
 
Influenza a
Influenza aInfluenza a
Influenza a
 
Apresentação.grupo01.pdf
Apresentação.grupo01.pdfApresentação.grupo01.pdf
Apresentação.grupo01.pdf
 
Gripe E Resfriado
Gripe E ResfriadoGripe E Resfriado
Gripe E Resfriado
 
Seminário tópicos integradores
Seminário tópicos integradoresSeminário tópicos integradores
Seminário tópicos integradores
 
A causa da doenças.
A causa da doenças.A causa da doenças.
A causa da doenças.
 
Gripe Suína- H1N1. Epidemiologia e outros.
Gripe Suína- H1N1. Epidemiologia e outros.Gripe Suína- H1N1. Epidemiologia e outros.
Gripe Suína- H1N1. Epidemiologia e outros.
 
Aula 2 virus
Aula 2   virusAula 2   virus
Aula 2 virus
 
Seminário de /doencas Infec.
Seminário de /doencas Infec.Seminário de /doencas Infec.
Seminário de /doencas Infec.
 

Mais de Danielle Climaco

Mais de Danielle Climaco (14)

Mão - Anatomia Radiológica
Mão - Anatomia RadiológicaMão - Anatomia Radiológica
Mão - Anatomia Radiológica
 
Ressonância Magnética das Órbitas
Ressonância Magnética das ÓrbitasRessonância Magnética das Órbitas
Ressonância Magnética das Órbitas
 
Anatomia radiológica
Anatomia radiológicaAnatomia radiológica
Anatomia radiológica
 
Radiobiologia seminario
Radiobiologia seminarioRadiobiologia seminario
Radiobiologia seminario
 
Angio ressonância Magnética
Angio ressonância MagnéticaAngio ressonância Magnética
Angio ressonância Magnética
 
Tronco encefálico anterior
Tronco encefálico anterior Tronco encefálico anterior
Tronco encefálico anterior
 
Tronco encefálico posterior
Tronco encefálico posterior Tronco encefálico posterior
Tronco encefálico posterior
 
Diencefalo Imagem 2
Diencefalo Imagem 2Diencefalo Imagem 2
Diencefalo Imagem 2
 
Diencefalo Imagem
Diencefalo ImagemDiencefalo Imagem
Diencefalo Imagem
 
Cerebelo Imagem
Cerebelo ImagemCerebelo Imagem
Cerebelo Imagem
 
Adenovírus
Adenovírus  Adenovírus
Adenovírus
 
Raiva.
Raiva.Raiva.
Raiva.
 
Paramixovírus
Paramixovírus Paramixovírus
Paramixovírus
 
Gripe influenza
Gripe influenza Gripe influenza
Gripe influenza
 

Último

PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.pptPSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.pptAlberto205764
 
Enhanced recovery after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery  after surgery in neurosurgeryEnhanced recovery  after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery after surgery in neurosurgeryCarlos D A Bersot
 
Primeiros Socorros - Sinais vitais e Anatomia
Primeiros Socorros - Sinais vitais e AnatomiaPrimeiros Socorros - Sinais vitais e Anatomia
Primeiros Socorros - Sinais vitais e AnatomiaCristianodaRosa5
 
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdfSistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdfGustavoWallaceAlvesd
 
O mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdf
O mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdfO mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdf
O mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdfNelmo Pinto
 
Anatomopatologico HU UFGD sobre CA gástrico
Anatomopatologico HU UFGD sobre CA gástricoAnatomopatologico HU UFGD sobre CA gástrico
Anatomopatologico HU UFGD sobre CA gástricoMarianaAnglicaMirand
 
ParasitosesDeformaResumida.finalissima.ppt
ParasitosesDeformaResumida.finalissima.pptParasitosesDeformaResumida.finalissima.ppt
ParasitosesDeformaResumida.finalissima.pptAlberto205764
 
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICASAULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICASArtthurPereira2
 

Último (9)

Aplicativo aleitamento: apoio na palma das mãos
Aplicativo aleitamento: apoio na palma das mãosAplicativo aleitamento: apoio na palma das mãos
Aplicativo aleitamento: apoio na palma das mãos
 
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.pptPSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
PSORÍASE-Resumido.Diagnostico E Tratamento- aula.ppt
 
Enhanced recovery after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery  after surgery in neurosurgeryEnhanced recovery  after surgery in neurosurgery
Enhanced recovery after surgery in neurosurgery
 
Primeiros Socorros - Sinais vitais e Anatomia
Primeiros Socorros - Sinais vitais e AnatomiaPrimeiros Socorros - Sinais vitais e Anatomia
Primeiros Socorros - Sinais vitais e Anatomia
 
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdfSistema endocrino anatomia humana slide.pdf
Sistema endocrino anatomia humana slide.pdf
 
O mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdf
O mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdfO mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdf
O mundo secreto dos desenhos - Gregg M. Furth.pdf
 
Anatomopatologico HU UFGD sobre CA gástrico
Anatomopatologico HU UFGD sobre CA gástricoAnatomopatologico HU UFGD sobre CA gástrico
Anatomopatologico HU UFGD sobre CA gástrico
 
ParasitosesDeformaResumida.finalissima.ppt
ParasitosesDeformaResumida.finalissima.pptParasitosesDeformaResumida.finalissima.ppt
ParasitosesDeformaResumida.finalissima.ppt
 
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICASAULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
AULA SOBRE SAMU, CONCEITOS E CARACTERICAS
 

Poliomielite

  • 1.
  • 2.  CONCEITO  Doença infectocontagiosa viral aguda, que ataca o sistema neurológico, que pode se manifestar de infecções inaparentes a formas paralíticas e morte.  Maior incidência em crianças  Sinonímia:  Paralisia infantil  Doença de Heine-Medin
  • 3. 1953 Jonas salk desenvolveu a vacina injetável com vírus inativado 1962 Albert sabin e seus colaboradores criaram outra vacina apartir do vírus atenuado
  • 4.  AGENTE ETIOLÓGICO  Familía: Picornaviridae Gênero: Enterovirus Espécie: Poliovirus  O Poliovirus possui três sorotipos: I, II e III  É um vírus com alta infectividade e resistência a condições ambientais  Vírus RNA
  • 5.  EPIDEMIOLOGIA  Características epidemiológicas  90% a 95% dos casos de poliomielite apresentam-se sob a forma benigna  Idade de maior incidência é de seis meses a 3 anos  Endêmica: No sul da Ásia e África  No Brasil • Foi de alta incidência e em outros países americanos • Não há casos de poliomielite desde 1989 • Em 1994, o poliovírus selvagem foi considerado erradicado no Brasil e nas Américas.
  • 6.
  • 7.  Transmissão  O vírus fica albergado no trato gastrointestinal e é transmitido através da saliva, do vômito e das fezes  Oral -Oral - gotículas de muco da orofaringe
  • 8.  Fecal-Oral - Má higiene - Fraldas sujas(ex: em creches) - Água e alimentos contaminados (as moscas podem transmitir passivamente os vírus das fezes para os alimentos) OBS: Saneamento básico deficiente e superpovoamento são condições de vida que favorecem a transmissão do vírus.
  • 9.
  • 10.  Período de incubação  Em média entre 7 a 14 dias após o contágio  Período de Transmissão  Período de transmissibilidade pode iniciar antes do surgimento das manifestações clínicas  Eliminação do vírus pelas fezes por cerca de seis semanas, depois do inicio da doença  Eliminação do vírus se faz pela orofaringe por um período de cerca de uma semana
  • 11.
  • 12.  SÍNDROMES CLÍNICAS Poliomielite não paralítica, frusta ou forma inaparente (90% a 95%)  É confundida com uma forte gripe sem deixar sequelas Dor de cabeça Dor de garganta Espirros Fraqueza Mal-estar geral Vômitos Dor ou rigidez nas costas, braços, pernas e abdome
  • 13. Poliomielite paralítica (1% a 1,6%)  São parecidos com uma gripe que desaparecem em alguns dias, mas que depois reaparecerem já com sintomas característicos da doença na forma paralítica, ou em outros casos a paralisia aparece logo na fase inicial da doença Dor de cabeça, dor de garganta, fraqueza Dor muscular Rigidez na nuca ou nas costas Período grave: - Dificuldade de locomoção brusca - Dificuldade de respirar
  • 14. - Dificuldade de deglutição - Espasmos musculares, fadiga muscular Logo após esses sintomas aparecem as paralisias: - Paralisia dos membros inferiores - Paralisia dos membros superiores - Paralisia dos músculos respiratórios - Paralisia dos músculos do tronco
  • 15.
  • 17.
  • 18.  CONTROLE E PREVENÇÃO  Medidas Sanitárias  Saneamento básico eficiente  Tratamento da água para consumo  Tratamento adequado dos dejetos humanos  Notificação Compulsória e Imediata às Autoridades Sanitárias.
  • 19.  Vacinação  Vacinação Sabin (Poliovírus atenuado)  Vacinação Salk (Poliovírus inativado)  Todas as crianças menores de 5 anos devem ser vacinadas
  • 20.  Medidas Gerais  Higiene dos alimentos  Usar água potável ou fervida  Não frequentar locais de alimentação suspeitos ou com péssimas condições de higiene
  • 21.  TRATAMENTO Não há tratamento específico O objetivo do tratamento é controlar e diminuir os sintomas Os sintomas são tratados com base em sua gravidade. Os tratamentos incluem: Antibióticos Calor úmido (bolsa de água quente, toalhas quentes)
  • 22.  Analgésicos  Fisioterapia, órteses ou botas ortopédicas, ou cirurgia ortopédica
  • 23. É uma doença que necessita hospitalização obrigatória, imediata e de isolamento para que não evolua até a poliomielite bulbar (comprometendo a parte do cérebro responsável pela respiração e função cardíaca), que é a forma mais grave e fatal da doença.