SlideShare uma empresa Scribd logo
Ações Estratégicas
SEP/PR
Secretaria de
Portos
Plano Safra
Secretaria de
Portos
Conjunto de ações
estruturantes e integradas de
gestão envolvendo as três
esferas de Governo e o setor
privado, com o objetivo de
reduzir o congestionamento
de veículos de carga durante o
escoamento da safra pelo
modal rodoviário, desde as
regiões produtoras até os
terminais portuários.
Plano Safra - Definição
Plano Safra em Anos
Anteriores
Secretaria de
Portos
Coordenação do Plano Safra - Estrutura de Governança
NÍVEL FEDERAL
BASE BRASÍLIA
NÍVEL LOCAL
BASE SANTOS
COORDENAÇÃO DO PLANO SAFRA 2014/15
MAPA MT SEP/PR (coordenação)
Intervenientes federais (regionais São Paulo)
Intervenientes estaduais e municipais
Intervenientes privados
(embarcadores, transportadores, pátios, terminais)
Informação > Decisão > Execução > Avaliação
Gerente do
Plano Safra
(CODESP)
Secretaria de
Portos
Criação de Grupo
de Trabalho
Interministerial
SGTC Sistema de
Agendamento de
Caminhões
Credenciamento
de pátios
reguladores
Publicação de
normas de
regulamentação
Fiscalização e
monitoramento
coordenados nas vias
de acesso ao porto
Elaboração e
divulgação de Plano
de Competências
Desobstrução e
sinalização dos
acessos portuários
Campanha
educativa de
divulgação do
agendamento
Ações do Plano Safra - Anos Anteriores
Secretaria de
Portos
Resultados do Plano Safra
 Redução das filas de caminhões para acessar
o Porto de Santos
 Redução do custo do frete (~7%) – conforme
informações dos terminais
 Melhor coordenação entre as autoridades
envolvidas, nas três esferas de governo
 Melhoria da trafegabilidade urbana
(Cubatão, Santos e Guarujá)
Secretaria de
Portos
51,4 MMt
74%
17,8 MMt
26%
Demais Portos Santos
 O Porto de Santos movimenta 26% da soja exportada pelo país, sendo o primeiro porto na
movimentação desse produto, seguido pelo Porto de Paranaguá.
 O modal ferroviário já corresponde a 53% da movimentação de granéis vegetais no Porto de Santos
 Em 2015, 2,6 milhões de caminhões acessaram o Porto de Santos
 Deste total, aproximadamente 660.000 caminhões movimentaram granéis vegetais
Fonte: MDIC
Resultados do Plano Safra 2015
Participação de Santos na Movimentação Nacional
de Soja e Farelo em 2015 (milhões ton.)
Secretaria de
Portos
Evolução de Agendamento de caminhões (Quantidade por mês)
 Desde a Safra de 2014, foi montado um programa de agendamento de caminhões com vistas a organizar a
fila e minimizar o impacto de contingências;
 Observa-se que o funcionamento do programa de agendamento permaneceu controlado durante todo o
ano de 2015, reduzindo as filas e o valor do frete.
57.387
71.773
54.078
48.951
52.978
52.307
43.044
25.297
36.456
26.699
23.047
18.351
37.701
71.703
63.935
63.589
40.379
59.252
76.722
65.997
65.303
50.949
43.325
48%
74% 76% 78% 72%
86% 88% 87%
94% 96% 95% 93% 91%
94% 94% 95%
91% 94% 96% 96% 97% 97% 96%
42%
55%
59%
70%73% 70% 71%
79% 77% 77%
74%
81% 81% 79%
74%
77% 78% 79% 79%
83% 83% 80% 79%
0%
10%
20%
30%
40%
50%
60%
70%
80%
90%
100%
0
10.000
20.000
30.000
40.000
50.000
60.000
70.000
80.000
90.000
Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez
2014 2015
%Agendamento/Janela
Acessos
Terminais de Granéis Sólidos Vegetais
Agendamento Janela
Fonte: SGTC - CODESP
Evolução dos Agendamentos para Granéis Vegetais
Secretaria de
Portos
Evolução da participação - rodoviária e ferroviária
58,9 61,3 65,9 68,6 66,7 67,0
76,5 75,7 80,5
89,1 83,7
8,7
10,6
10,4
12,1 14,4 16,2
19,5 21,5
24,0
25,0
27,5
0
20
40
60
80
100
120
2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014
MILHÕES(TONELADAS)
Rodo FerroviárioRodoviário
Plano Safra
Ações Estratégicas
Secretaria de
Portos
Projeção de Demanda - PNLP
Secretaria de
Portos
Projeção de Demanda – Granéis Sólidos Agrícolas
25,8
12,2
5,4
3,6
21,7
8,8
9,5
3,9
29,9
15,6
2042
2014
2042
2014
2042
2014
2042
2014
2042
2014
SOJA
FARELODE
SOJAMILHO
ADUBOS+
FERTILIZ.AÇÚCAR
milhões de toneladas
Secretaria de
Portos
Investimento Ganho de Capacidade
Panorama: Instalações Privadas Autorizadas*
*Instalações autorizadas desde a promulgação da Lei nº12.815/2013
Secretaria de
Portos
ÁREA STS 04
Ponta da Praia
Valor do Arrecadamento
R$ 810.721.500
Investimento
R$ 206.000.000
Valor da Outorga
R$ 303.069.333,18
Ganho de Capacidade
3,4 milhões t
Consórcio LDC
Granéis Sólidos
TOTAL
R$ 1.319.790.833,18
Capacidade Atual
3,4 milhões t
Capacidade Futura
6,8 milhões t
ÁREA STS 07
Macuco
Valor do Arrecadamento
R$ 169.083.300
Investimento
R$ 155.000.000
Valor da Outorga
R$ 115.047.000,00
Ganho de Capacidade
1,05 milhão t
Fibria Celulose
Papel e celulose
TOTAL
R$ 439.130.300,00
Capacidade Atual
0,75 milhões t
Capacidade Futura
1,8 milhão t
ÁREA STS 36
Paquetá
Valor do Arrecadamento
R$ 47.976.600
Investimento
R$ 247.000.000
Valor da Outorga
R$ 12.500.000,00
Ganho de Capacidade
1,8 milhão t
Marimex Despachos
Papel e celulose
TOTAL
R$ 307.476.600,00
Capacidade Atual
0
Capacidade Futura
1,8 milhão t
Panorama: 1º Leilão de Arrendamentos – 09/12/2015
Secretaria de
Portos
Panorama: 2º Leilão de Arrendamentos - 31/03/2016
ÁREA OUT 01, 02 E 03
Outeiro/PA
Investimento OUT 01
R$ 243.610.000
Investimento OUT 02
R$ 243.610.000
Investimento OUT 03
R$ 243.610.000
Ganho de Capacidade
10,2 milhões t
Granéis Sólidos Vegetais
TOTAL
R$ 730.830.000
Capacidade Atual
0
Capacidade Futura
10,2 milhões t
ÁREA STM 01
Santarém/PA
Investimento
R$ 347.750.000
Ganho de Capacidade
5,1 milhões t
Granéis Sólidos Vegetais
TOTAL
R$ 347.750.000
Capacidade Atual
0
Capacidade Futura
5,1 milhões t
STM 02
SANTAREM
Investimento
R$ 91.000.000
Ganho de Capacidade
1,6 milhão t
Granéis Sólidos Minerais
TOTAL
R$ 91.000.000
Capacidade Atual
0
Capacidade Futura
1,6 milhões t
ÁREA VDC 29
Vila do Conde/PA
Investimento
R$ 501.060.000
Ganho de Capacidade
5,1 milhões t
Granéis Sólidos Vegetais
TOTAL
R$ 501.060.000
Capacidade Atual
0
Capacidade Futura
5,1 milhões t
Secretaria de
Portos
Perspectivas Plano Safra 2016
A ampliação de capacidade para o escoamento de granéis vegetais
pelo Porto de Santos e a mitigação dos impactos em seus acessos
rodoviários tem sido uma prioridade para a SEP/PR nos últimos anos.
Apesar dos efeitos positivos das ações tomadas já serem observados,
precisamos manter o monitoramento e garantir a realização das
demais ações previstas por cada órgão.
Contamos com a colaboração de todos os intervenientes para
garantir o sucesso do
PLANO SAFRA 2016
Obrigado!
Secretaria de
Portos

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

FPM Timbaúba
FPM TimbaúbaFPM Timbaúba
FPM Timbaúba
timbaubaagora
 
Bahia: como pode a infraestrutura aumentar a competitividade industrial?
Bahia: como pode a infraestrutura aumentar a competitividade industrial? Bahia: como pode a infraestrutura aumentar a competitividade industrial?
Bahia: como pode a infraestrutura aumentar a competitividade industrial?
Romeu Temporal
 
Marcelo Salles
Marcelo Salles Marcelo Salles
Marcelo Salles
ProjetoBr
 
Cenário do Transporte Rodoviário de Cargas no Brasil 2019
Cenário do Transporte Rodoviário de Cargas no Brasil 2019Cenário do Transporte Rodoviário de Cargas no Brasil 2019
Cenário do Transporte Rodoviário de Cargas no Brasil 2019
SETCESP - Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de São Paulo e Região
 
Programa de Investimentos em Aeroportos
Programa de Investimentos em AeroportosPrograma de Investimentos em Aeroportos
Programa de Investimentos em Aeroportos
Palácio do Planalto
 
Oferta publica
Oferta publicaOferta publica
Oferta publica
claudiusinhos
 
Boletim fundos imobiliários julho 2015
Boletim fundos imobiliários julho 2015Boletim fundos imobiliários julho 2015
Boletim fundos imobiliários julho 2015
claudiusinhos
 
Apresentação 1T08
Apresentação 1T08Apresentação 1T08
Apresentação 1T08
Arteris S.A.
 
Concessões Rodoviárias: o que é melhor para o Brasil?”
Concessões Rodoviárias: o que é melhor para o Brasil?” Concessões Rodoviárias: o que é melhor para o Brasil?”
Concessões Rodoviárias: o que é melhor para o Brasil?”
Fiesp Federação das Indústrias do Estado de SP
 
Boletim fundos imobiliários setembro 2015
Boletim fundos imobiliários setembro 2015Boletim fundos imobiliários setembro 2015
Boletim fundos imobiliários setembro 2015
claudiusinhos
 
Infraestrutura - José de Freitas Mascarenhas - Presidente do Conselho Temátic...
Infraestrutura - José de Freitas Mascarenhas - Presidente do Conselho Temátic...Infraestrutura - José de Freitas Mascarenhas - Presidente do Conselho Temátic...
Infraestrutura - José de Freitas Mascarenhas - Presidente do Conselho Temátic...
Confederação Nacional da Indústria
 
2016 06-08 mcmv - panorama atual e futuro
2016 06-08 mcmv - panorama atual e futuro2016 06-08 mcmv - panorama atual e futuro
2016 06-08 mcmv - panorama atual e futuro
Associação Cohabs
 
Ministério do Planejamento - Apresentação da 2ª etapa do Programa de Investim...
Ministério do Planejamento - Apresentação da 2ª etapa do Programa de Investim...Ministério do Planejamento - Apresentação da 2ª etapa do Programa de Investim...
Ministério do Planejamento - Apresentação da 2ª etapa do Programa de Investim...
Palácio do Planalto
 
Boletim fundos imobiliários janeiro 2016
Boletim fundos imobiliários janeiro 2016Boletim fundos imobiliários janeiro 2016
Boletim fundos imobiliários janeiro 2016
claudiusinhos
 
4º Fórum Sicoob Norte -Parceiros Sicoob para o seu Negócio - Ponta Administra...
4º Fórum Sicoob Norte -Parceiros Sicoob para o seu Negócio - Ponta Administra...4º Fórum Sicoob Norte -Parceiros Sicoob para o seu Negócio - Ponta Administra...
4º Fórum Sicoob Norte -Parceiros Sicoob para o seu Negócio - Ponta Administra...
SICOOB NORTE
 
Demanda Metrô do Recife na pandemia
Demanda Metrô do Recife na pandemiaDemanda Metrô do Recife na pandemia
Demanda Metrô do Recife na pandemia
Roberta Soares
 
Baixo Sul - Diálogos Territoriais
Baixo Sul - Diálogos Territoriais Baixo Sul - Diálogos Territoriais
Baixo Sul - Diálogos Territoriais
Jose_Sergio_Gabrielli
 
Boletim fundos imobiliários outubro 2015
Boletim fundos imobiliários outubro 2015Boletim fundos imobiliários outubro 2015
Boletim fundos imobiliários outubro 2015
claudiusinhos
 
ESALQ-LOG e a elaboração da nova Tabela da Política de Pisos Mínimos do TRC
ESALQ-LOG e a elaboração da nova Tabela da Política de Pisos Mínimos do TRCESALQ-LOG e a elaboração da nova Tabela da Política de Pisos Mínimos do TRC
ESALQ-LOG e a elaboração da nova Tabela da Política de Pisos Mínimos do TRC
SETCESP - Sindicato das Empresas de Transportes de Carga de São Paulo e Região
 
Projeto Teatro Mãe de Deus
Projeto Teatro Mãe de Deus Projeto Teatro Mãe de Deus
Projeto Teatro Mãe de Deus
Claudio Osti
 

Mais procurados (20)

FPM Timbaúba
FPM TimbaúbaFPM Timbaúba
FPM Timbaúba
 
Bahia: como pode a infraestrutura aumentar a competitividade industrial?
Bahia: como pode a infraestrutura aumentar a competitividade industrial? Bahia: como pode a infraestrutura aumentar a competitividade industrial?
Bahia: como pode a infraestrutura aumentar a competitividade industrial?
 
Marcelo Salles
Marcelo Salles Marcelo Salles
Marcelo Salles
 
Cenário do Transporte Rodoviário de Cargas no Brasil 2019
Cenário do Transporte Rodoviário de Cargas no Brasil 2019Cenário do Transporte Rodoviário de Cargas no Brasil 2019
Cenário do Transporte Rodoviário de Cargas no Brasil 2019
 
Programa de Investimentos em Aeroportos
Programa de Investimentos em AeroportosPrograma de Investimentos em Aeroportos
Programa de Investimentos em Aeroportos
 
Oferta publica
Oferta publicaOferta publica
Oferta publica
 
Boletim fundos imobiliários julho 2015
Boletim fundos imobiliários julho 2015Boletim fundos imobiliários julho 2015
Boletim fundos imobiliários julho 2015
 
Apresentação 1T08
Apresentação 1T08Apresentação 1T08
Apresentação 1T08
 
Concessões Rodoviárias: o que é melhor para o Brasil?”
Concessões Rodoviárias: o que é melhor para o Brasil?” Concessões Rodoviárias: o que é melhor para o Brasil?”
Concessões Rodoviárias: o que é melhor para o Brasil?”
 
Boletim fundos imobiliários setembro 2015
Boletim fundos imobiliários setembro 2015Boletim fundos imobiliários setembro 2015
Boletim fundos imobiliários setembro 2015
 
Infraestrutura - José de Freitas Mascarenhas - Presidente do Conselho Temátic...
Infraestrutura - José de Freitas Mascarenhas - Presidente do Conselho Temátic...Infraestrutura - José de Freitas Mascarenhas - Presidente do Conselho Temátic...
Infraestrutura - José de Freitas Mascarenhas - Presidente do Conselho Temátic...
 
2016 06-08 mcmv - panorama atual e futuro
2016 06-08 mcmv - panorama atual e futuro2016 06-08 mcmv - panorama atual e futuro
2016 06-08 mcmv - panorama atual e futuro
 
Ministério do Planejamento - Apresentação da 2ª etapa do Programa de Investim...
Ministério do Planejamento - Apresentação da 2ª etapa do Programa de Investim...Ministério do Planejamento - Apresentação da 2ª etapa do Programa de Investim...
Ministério do Planejamento - Apresentação da 2ª etapa do Programa de Investim...
 
Boletim fundos imobiliários janeiro 2016
Boletim fundos imobiliários janeiro 2016Boletim fundos imobiliários janeiro 2016
Boletim fundos imobiliários janeiro 2016
 
4º Fórum Sicoob Norte -Parceiros Sicoob para o seu Negócio - Ponta Administra...
4º Fórum Sicoob Norte -Parceiros Sicoob para o seu Negócio - Ponta Administra...4º Fórum Sicoob Norte -Parceiros Sicoob para o seu Negócio - Ponta Administra...
4º Fórum Sicoob Norte -Parceiros Sicoob para o seu Negócio - Ponta Administra...
 
Demanda Metrô do Recife na pandemia
Demanda Metrô do Recife na pandemiaDemanda Metrô do Recife na pandemia
Demanda Metrô do Recife na pandemia
 
Baixo Sul - Diálogos Territoriais
Baixo Sul - Diálogos Territoriais Baixo Sul - Diálogos Territoriais
Baixo Sul - Diálogos Territoriais
 
Boletim fundos imobiliários outubro 2015
Boletim fundos imobiliários outubro 2015Boletim fundos imobiliários outubro 2015
Boletim fundos imobiliários outubro 2015
 
ESALQ-LOG e a elaboração da nova Tabela da Política de Pisos Mínimos do TRC
ESALQ-LOG e a elaboração da nova Tabela da Política de Pisos Mínimos do TRCESALQ-LOG e a elaboração da nova Tabela da Política de Pisos Mínimos do TRC
ESALQ-LOG e a elaboração da nova Tabela da Política de Pisos Mínimos do TRC
 
Projeto Teatro Mãe de Deus
Projeto Teatro Mãe de Deus Projeto Teatro Mãe de Deus
Projeto Teatro Mãe de Deus
 

Destaque

Lista de agricultores a ser beneficiado com o garantia safra 2015
Lista de agricultores a ser beneficiado com o garantia safra 2015Lista de agricultores a ser beneficiado com o garantia safra 2015
Lista de agricultores a ser beneficiado com o garantia safra 2015
Lenildo Araujo
 
Garantiasafra.mda.gov.br garantiasafra boleto_frm_viewboleto
Garantiasafra.mda.gov.br garantiasafra boleto_frm_viewboletoGarantiasafra.mda.gov.br garantiasafra boleto_frm_viewboleto
Garantiasafra.mda.gov.br garantiasafra boleto_frm_viewboleto
Agreste Casinhas
 
RELAÇÃO DE BENEFICIÁRIOS DO BOLSA FAMÍLIA QUE ESTÃO COM CARTÕES DISPONÍVEIS N...
RELAÇÃO DE BENEFICIÁRIOS DO BOLSA FAMÍLIA QUE ESTÃO COM CARTÕES DISPONÍVEIS N...RELAÇÃO DE BENEFICIÁRIOS DO BOLSA FAMÍLIA QUE ESTÃO COM CARTÕES DISPONÍVEIS N...
RELAÇÃO DE BENEFICIÁRIOS DO BOLSA FAMÍLIA QUE ESTÃO COM CARTÕES DISPONÍVEIS N...Secom Ilhéus
 
Filiados aptos por local de votação 2 turno
Filiados aptos por local de votação 2 turnoFiliados aptos por local de votação 2 turno
Filiados aptos por local de votação 2 turno
Fernando Marcos
 
O trabalho dos canteiros de santa luz e suas formas de organização
O trabalho dos canteiros de santa luz e suas formas de organizaçãoO trabalho dos canteiros de santa luz e suas formas de organização
O trabalho dos canteiros de santa luz e suas formas de organização
UNEB
 
Lista de aprovados seguro safra santa quitéria
Lista de aprovados seguro safra santa  quitéria Lista de aprovados seguro safra santa  quitéria
Lista de aprovados seguro safra santa quitéria
Dimas Alves
 
CECAFÉ - Relatório Mensal JUNHO 2016
CECAFÉ - Relatório Mensal JUNHO 2016CECAFÉ - Relatório Mensal JUNHO 2016
CECAFÉ - Relatório Mensal JUNHO 2016
Luiz Valeriano
 
Boletos Boletos Garantia Safra
Boletos Boletos Garantia SafraBoletos Boletos Garantia Safra
Boletos Boletos Garantia Safra
Lenildo Araujo
 
Seguro-garantia de cumprimento de contrato com cobertura integral como único ...
Seguro-garantia de cumprimento de contrato com cobertura integral como único ...Seguro-garantia de cumprimento de contrato com cobertura integral como único ...
Seguro-garantia de cumprimento de contrato com cobertura integral como único ...
Mauricio Portugal Ribeiro
 
Plano Safra da Agricultura Familiar 2016/17
Plano Safra da Agricultura Familiar 2016/17Plano Safra da Agricultura Familiar 2016/17
Plano Safra da Agricultura Familiar 2016/17
Palácio do Planalto
 
Plano de Trabalho Gestão 2014 / 2016
Plano de Trabalho Gestão 2014 / 2016Plano de Trabalho Gestão 2014 / 2016
Plano de Trabalho Gestão 2014 / 2016
QUEDMA SILVA
 

Destaque (11)

Lista de agricultores a ser beneficiado com o garantia safra 2015
Lista de agricultores a ser beneficiado com o garantia safra 2015Lista de agricultores a ser beneficiado com o garantia safra 2015
Lista de agricultores a ser beneficiado com o garantia safra 2015
 
Garantiasafra.mda.gov.br garantiasafra boleto_frm_viewboleto
Garantiasafra.mda.gov.br garantiasafra boleto_frm_viewboletoGarantiasafra.mda.gov.br garantiasafra boleto_frm_viewboleto
Garantiasafra.mda.gov.br garantiasafra boleto_frm_viewboleto
 
RELAÇÃO DE BENEFICIÁRIOS DO BOLSA FAMÍLIA QUE ESTÃO COM CARTÕES DISPONÍVEIS N...
RELAÇÃO DE BENEFICIÁRIOS DO BOLSA FAMÍLIA QUE ESTÃO COM CARTÕES DISPONÍVEIS N...RELAÇÃO DE BENEFICIÁRIOS DO BOLSA FAMÍLIA QUE ESTÃO COM CARTÕES DISPONÍVEIS N...
RELAÇÃO DE BENEFICIÁRIOS DO BOLSA FAMÍLIA QUE ESTÃO COM CARTÕES DISPONÍVEIS N...
 
Filiados aptos por local de votação 2 turno
Filiados aptos por local de votação 2 turnoFiliados aptos por local de votação 2 turno
Filiados aptos por local de votação 2 turno
 
O trabalho dos canteiros de santa luz e suas formas de organização
O trabalho dos canteiros de santa luz e suas formas de organizaçãoO trabalho dos canteiros de santa luz e suas formas de organização
O trabalho dos canteiros de santa luz e suas formas de organização
 
Lista de aprovados seguro safra santa quitéria
Lista de aprovados seguro safra santa  quitéria Lista de aprovados seguro safra santa  quitéria
Lista de aprovados seguro safra santa quitéria
 
CECAFÉ - Relatório Mensal JUNHO 2016
CECAFÉ - Relatório Mensal JUNHO 2016CECAFÉ - Relatório Mensal JUNHO 2016
CECAFÉ - Relatório Mensal JUNHO 2016
 
Boletos Boletos Garantia Safra
Boletos Boletos Garantia SafraBoletos Boletos Garantia Safra
Boletos Boletos Garantia Safra
 
Seguro-garantia de cumprimento de contrato com cobertura integral como único ...
Seguro-garantia de cumprimento de contrato com cobertura integral como único ...Seguro-garantia de cumprimento de contrato com cobertura integral como único ...
Seguro-garantia de cumprimento de contrato com cobertura integral como único ...
 
Plano Safra da Agricultura Familiar 2016/17
Plano Safra da Agricultura Familiar 2016/17Plano Safra da Agricultura Familiar 2016/17
Plano Safra da Agricultura Familiar 2016/17
 
Plano de Trabalho Gestão 2014 / 2016
Plano de Trabalho Gestão 2014 / 2016Plano de Trabalho Gestão 2014 / 2016
Plano de Trabalho Gestão 2014 / 2016
 

Semelhante a Plano Safra 2016

Comitê Integrado de Enfrentamento à Estiagem | Operação Seca
Comitê Integrado de Enfrentamento à Estiagem | Operação SecaComitê Integrado de Enfrentamento à Estiagem | Operação Seca
Comitê Integrado de Enfrentamento à Estiagem | Operação Seca
pegovbr
 
Desenvolvimento Regional para a Integração Nacional
Desenvolvimento Regional para a Integração NacionalDesenvolvimento Regional para a Integração Nacional
Desenvolvimento Regional para a Integração Nacional
Confap
 
Efeitos da expansão do setor de celulose para a dinâmica regional do Estado -...
Efeitos da expansão do setor de celulose para a dinâmica regional do Estado -...Efeitos da expansão do setor de celulose para a dinâmica regional do Estado -...
Efeitos da expansão do setor de celulose para a dinâmica regional do Estado -...
Fundação de Economia e Estatística
 
Apresentação – conferência sobre concessões bradesco – bbi
Apresentação – conferência sobre concessões bradesco – bbiApresentação – conferência sobre concessões bradesco – bbi
Apresentação – conferência sobre concessões bradesco – bbi
TriunfoRi
 
Porto Competitivo: o que fazer?
Porto Competitivo: o que fazer? Porto Competitivo: o que fazer?
Porto Competitivo: o que fazer?
Fiesp Federação das Indústrias do Estado de SP
 
AS NOVAS FRONTEIRAS ECONÔMICAS DE MATO GROSSO
AS NOVAS FRONTEIRAS ECONÔMICAS DE MATO GROSSO AS NOVAS FRONTEIRAS ECONÔMICAS DE MATO GROSSO
AS NOVAS FRONTEIRAS ECONÔMICAS DE MATO GROSSO
J4rdell
 
Panorama e planejamento das obras do gov. es até 2018 paulo ruy
Panorama e planejamento das obras do gov. es até 2018   paulo ruyPanorama e planejamento das obras do gov. es até 2018   paulo ruy
Panorama e planejamento das obras do gov. es até 2018 paulo ruy
Cra-es Conselho
 
Balanço de Gestão AD Diper 2015
Balanço de Gestão AD Diper 2015Balanço de Gestão AD Diper 2015
Balanço de Gestão AD Diper 2015
ADDiper
 
Nota Técnica - Programa de Investimento em Logística: Portos
Nota Técnica - Programa de Investimento em Logística: PortosNota Técnica - Programa de Investimento em Logística: Portos
Nota Técnica - Programa de Investimento em Logística: Portos
TRAMPO Comunicação e Eventos Soares
 
Debate tv brasil nassif.spnt-mt-perrupato.18jun2010
Debate tv brasil  nassif.spnt-mt-perrupato.18jun2010Debate tv brasil  nassif.spnt-mt-perrupato.18jun2010
Debate tv brasil nassif.spnt-mt-perrupato.18jun2010
Luis Nassif
 
ESTRATÉGIA PARA O AUMENTO DA COMPETITIVIDADE PORTUÁRIA - Horizonte 2016-2026
ESTRATÉGIA PARA O AUMENTO DA COMPETITIVIDADE PORTUÁRIA - Horizonte 2016-2026ESTRATÉGIA PARA O AUMENTO DA COMPETITIVIDADE PORTUÁRIA - Horizonte 2016-2026
ESTRATÉGIA PARA O AUMENTO DA COMPETITIVIDADE PORTUÁRIA - Horizonte 2016-2026
Portos de Portugal
 
Viracopos/debate CMDU -2014
Viracopos/debate CMDU -2014Viracopos/debate CMDU -2014
Viracopos/debate CMDU -2014
resgate cambui ong
 
Rotas de Comércio Internacional e Harmonização dos Agentes Intervenientes
Rotas de Comércio Internacional e Harmonização dos Agentes IntervenientesRotas de Comércio Internacional e Harmonização dos Agentes Intervenientes
Rotas de Comércio Internacional e Harmonização dos Agentes Intervenientes
comunicacaousuport
 
IV EPBio - Reserva Legal e Área de Preservação Permanente
IV EPBio - Reserva Legal e Área de Preservação PermanenteIV EPBio - Reserva Legal e Área de Preservação Permanente
IV EPBio - Reserva Legal e Área de Preservação Permanente
Sistema Ambiental Paulista
 
Apresentação dos resultados 2 t10
Apresentação dos resultados 2 t10Apresentação dos resultados 2 t10
Apresentação dos resultados 2 t10
TriunfoRi
 
Apresentação dos resultados 2 t12
Apresentação dos resultados 2 t12Apresentação dos resultados 2 t12
Apresentação dos resultados 2 t12
TriunfoRi
 
Apresentação 4T13 e 2013
Apresentação 4T13 e 2013Apresentação 4T13 e 2013
Apresentação 4T13 e 2013
CCR Relações com Investidores
 
Transportes e portos.pdf
Transportes e portos.pdfTransportes e portos.pdf
Transportes e portos.pdf
Victor Lima
 
Próximo presidente 2015 2018
Próximo presidente 2015 2018Próximo presidente 2015 2018
Próximo presidente 2015 2018
Portal Canal Rural
 
SinteseSessaoDiscussaoPublica_TemaMobilidadeTransportes
SinteseSessaoDiscussaoPublica_TemaMobilidadeTransportesSinteseSessaoDiscussaoPublica_TemaMobilidadeTransportes
SinteseSessaoDiscussaoPublica_TemaMobilidadeTransportes
António Alvarenga
 

Semelhante a Plano Safra 2016 (20)

Comitê Integrado de Enfrentamento à Estiagem | Operação Seca
Comitê Integrado de Enfrentamento à Estiagem | Operação SecaComitê Integrado de Enfrentamento à Estiagem | Operação Seca
Comitê Integrado de Enfrentamento à Estiagem | Operação Seca
 
Desenvolvimento Regional para a Integração Nacional
Desenvolvimento Regional para a Integração NacionalDesenvolvimento Regional para a Integração Nacional
Desenvolvimento Regional para a Integração Nacional
 
Efeitos da expansão do setor de celulose para a dinâmica regional do Estado -...
Efeitos da expansão do setor de celulose para a dinâmica regional do Estado -...Efeitos da expansão do setor de celulose para a dinâmica regional do Estado -...
Efeitos da expansão do setor de celulose para a dinâmica regional do Estado -...
 
Apresentação – conferência sobre concessões bradesco – bbi
Apresentação – conferência sobre concessões bradesco – bbiApresentação – conferência sobre concessões bradesco – bbi
Apresentação – conferência sobre concessões bradesco – bbi
 
Porto Competitivo: o que fazer?
Porto Competitivo: o que fazer? Porto Competitivo: o que fazer?
Porto Competitivo: o que fazer?
 
AS NOVAS FRONTEIRAS ECONÔMICAS DE MATO GROSSO
AS NOVAS FRONTEIRAS ECONÔMICAS DE MATO GROSSO AS NOVAS FRONTEIRAS ECONÔMICAS DE MATO GROSSO
AS NOVAS FRONTEIRAS ECONÔMICAS DE MATO GROSSO
 
Panorama e planejamento das obras do gov. es até 2018 paulo ruy
Panorama e planejamento das obras do gov. es até 2018   paulo ruyPanorama e planejamento das obras do gov. es até 2018   paulo ruy
Panorama e planejamento das obras do gov. es até 2018 paulo ruy
 
Balanço de Gestão AD Diper 2015
Balanço de Gestão AD Diper 2015Balanço de Gestão AD Diper 2015
Balanço de Gestão AD Diper 2015
 
Nota Técnica - Programa de Investimento em Logística: Portos
Nota Técnica - Programa de Investimento em Logística: PortosNota Técnica - Programa de Investimento em Logística: Portos
Nota Técnica - Programa de Investimento em Logística: Portos
 
Debate tv brasil nassif.spnt-mt-perrupato.18jun2010
Debate tv brasil  nassif.spnt-mt-perrupato.18jun2010Debate tv brasil  nassif.spnt-mt-perrupato.18jun2010
Debate tv brasil nassif.spnt-mt-perrupato.18jun2010
 
ESTRATÉGIA PARA O AUMENTO DA COMPETITIVIDADE PORTUÁRIA - Horizonte 2016-2026
ESTRATÉGIA PARA O AUMENTO DA COMPETITIVIDADE PORTUÁRIA - Horizonte 2016-2026ESTRATÉGIA PARA O AUMENTO DA COMPETITIVIDADE PORTUÁRIA - Horizonte 2016-2026
ESTRATÉGIA PARA O AUMENTO DA COMPETITIVIDADE PORTUÁRIA - Horizonte 2016-2026
 
Viracopos/debate CMDU -2014
Viracopos/debate CMDU -2014Viracopos/debate CMDU -2014
Viracopos/debate CMDU -2014
 
Rotas de Comércio Internacional e Harmonização dos Agentes Intervenientes
Rotas de Comércio Internacional e Harmonização dos Agentes IntervenientesRotas de Comércio Internacional e Harmonização dos Agentes Intervenientes
Rotas de Comércio Internacional e Harmonização dos Agentes Intervenientes
 
IV EPBio - Reserva Legal e Área de Preservação Permanente
IV EPBio - Reserva Legal e Área de Preservação PermanenteIV EPBio - Reserva Legal e Área de Preservação Permanente
IV EPBio - Reserva Legal e Área de Preservação Permanente
 
Apresentação dos resultados 2 t10
Apresentação dos resultados 2 t10Apresentação dos resultados 2 t10
Apresentação dos resultados 2 t10
 
Apresentação dos resultados 2 t12
Apresentação dos resultados 2 t12Apresentação dos resultados 2 t12
Apresentação dos resultados 2 t12
 
Apresentação 4T13 e 2013
Apresentação 4T13 e 2013Apresentação 4T13 e 2013
Apresentação 4T13 e 2013
 
Transportes e portos.pdf
Transportes e portos.pdfTransportes e portos.pdf
Transportes e portos.pdf
 
Próximo presidente 2015 2018
Próximo presidente 2015 2018Próximo presidente 2015 2018
Próximo presidente 2015 2018
 
SinteseSessaoDiscussaoPublica_TemaMobilidadeTransportes
SinteseSessaoDiscussaoPublica_TemaMobilidadeTransportesSinteseSessaoDiscussaoPublica_TemaMobilidadeTransportes
SinteseSessaoDiscussaoPublica_TemaMobilidadeTransportes
 

Plano Safra 2016

  • 3. Secretaria de Portos Conjunto de ações estruturantes e integradas de gestão envolvendo as três esferas de Governo e o setor privado, com o objetivo de reduzir o congestionamento de veículos de carga durante o escoamento da safra pelo modal rodoviário, desde as regiões produtoras até os terminais portuários. Plano Safra - Definição
  • 4. Plano Safra em Anos Anteriores
  • 5. Secretaria de Portos Coordenação do Plano Safra - Estrutura de Governança NÍVEL FEDERAL BASE BRASÍLIA NÍVEL LOCAL BASE SANTOS COORDENAÇÃO DO PLANO SAFRA 2014/15 MAPA MT SEP/PR (coordenação) Intervenientes federais (regionais São Paulo) Intervenientes estaduais e municipais Intervenientes privados (embarcadores, transportadores, pátios, terminais) Informação > Decisão > Execução > Avaliação Gerente do Plano Safra (CODESP)
  • 6. Secretaria de Portos Criação de Grupo de Trabalho Interministerial SGTC Sistema de Agendamento de Caminhões Credenciamento de pátios reguladores Publicação de normas de regulamentação Fiscalização e monitoramento coordenados nas vias de acesso ao porto Elaboração e divulgação de Plano de Competências Desobstrução e sinalização dos acessos portuários Campanha educativa de divulgação do agendamento Ações do Plano Safra - Anos Anteriores
  • 7. Secretaria de Portos Resultados do Plano Safra  Redução das filas de caminhões para acessar o Porto de Santos  Redução do custo do frete (~7%) – conforme informações dos terminais  Melhor coordenação entre as autoridades envolvidas, nas três esferas de governo  Melhoria da trafegabilidade urbana (Cubatão, Santos e Guarujá)
  • 8. Secretaria de Portos 51,4 MMt 74% 17,8 MMt 26% Demais Portos Santos  O Porto de Santos movimenta 26% da soja exportada pelo país, sendo o primeiro porto na movimentação desse produto, seguido pelo Porto de Paranaguá.  O modal ferroviário já corresponde a 53% da movimentação de granéis vegetais no Porto de Santos  Em 2015, 2,6 milhões de caminhões acessaram o Porto de Santos  Deste total, aproximadamente 660.000 caminhões movimentaram granéis vegetais Fonte: MDIC Resultados do Plano Safra 2015 Participação de Santos na Movimentação Nacional de Soja e Farelo em 2015 (milhões ton.)
  • 9. Secretaria de Portos Evolução de Agendamento de caminhões (Quantidade por mês)  Desde a Safra de 2014, foi montado um programa de agendamento de caminhões com vistas a organizar a fila e minimizar o impacto de contingências;  Observa-se que o funcionamento do programa de agendamento permaneceu controlado durante todo o ano de 2015, reduzindo as filas e o valor do frete. 57.387 71.773 54.078 48.951 52.978 52.307 43.044 25.297 36.456 26.699 23.047 18.351 37.701 71.703 63.935 63.589 40.379 59.252 76.722 65.997 65.303 50.949 43.325 48% 74% 76% 78% 72% 86% 88% 87% 94% 96% 95% 93% 91% 94% 94% 95% 91% 94% 96% 96% 97% 97% 96% 42% 55% 59% 70%73% 70% 71% 79% 77% 77% 74% 81% 81% 79% 74% 77% 78% 79% 79% 83% 83% 80% 79% 0% 10% 20% 30% 40% 50% 60% 70% 80% 90% 100% 0 10.000 20.000 30.000 40.000 50.000 60.000 70.000 80.000 90.000 Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez 2014 2015 %Agendamento/Janela Acessos Terminais de Granéis Sólidos Vegetais Agendamento Janela Fonte: SGTC - CODESP Evolução dos Agendamentos para Granéis Vegetais
  • 10. Secretaria de Portos Evolução da participação - rodoviária e ferroviária 58,9 61,3 65,9 68,6 66,7 67,0 76,5 75,7 80,5 89,1 83,7 8,7 10,6 10,4 12,1 14,4 16,2 19,5 21,5 24,0 25,0 27,5 0 20 40 60 80 100 120 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 MILHÕES(TONELADAS) Rodo FerroviárioRodoviário
  • 13. Secretaria de Portos Projeção de Demanda – Granéis Sólidos Agrícolas 25,8 12,2 5,4 3,6 21,7 8,8 9,5 3,9 29,9 15,6 2042 2014 2042 2014 2042 2014 2042 2014 2042 2014 SOJA FARELODE SOJAMILHO ADUBOS+ FERTILIZ.AÇÚCAR milhões de toneladas
  • 14. Secretaria de Portos Investimento Ganho de Capacidade Panorama: Instalações Privadas Autorizadas* *Instalações autorizadas desde a promulgação da Lei nº12.815/2013
  • 15. Secretaria de Portos ÁREA STS 04 Ponta da Praia Valor do Arrecadamento R$ 810.721.500 Investimento R$ 206.000.000 Valor da Outorga R$ 303.069.333,18 Ganho de Capacidade 3,4 milhões t Consórcio LDC Granéis Sólidos TOTAL R$ 1.319.790.833,18 Capacidade Atual 3,4 milhões t Capacidade Futura 6,8 milhões t ÁREA STS 07 Macuco Valor do Arrecadamento R$ 169.083.300 Investimento R$ 155.000.000 Valor da Outorga R$ 115.047.000,00 Ganho de Capacidade 1,05 milhão t Fibria Celulose Papel e celulose TOTAL R$ 439.130.300,00 Capacidade Atual 0,75 milhões t Capacidade Futura 1,8 milhão t ÁREA STS 36 Paquetá Valor do Arrecadamento R$ 47.976.600 Investimento R$ 247.000.000 Valor da Outorga R$ 12.500.000,00 Ganho de Capacidade 1,8 milhão t Marimex Despachos Papel e celulose TOTAL R$ 307.476.600,00 Capacidade Atual 0 Capacidade Futura 1,8 milhão t Panorama: 1º Leilão de Arrendamentos – 09/12/2015
  • 16. Secretaria de Portos Panorama: 2º Leilão de Arrendamentos - 31/03/2016 ÁREA OUT 01, 02 E 03 Outeiro/PA Investimento OUT 01 R$ 243.610.000 Investimento OUT 02 R$ 243.610.000 Investimento OUT 03 R$ 243.610.000 Ganho de Capacidade 10,2 milhões t Granéis Sólidos Vegetais TOTAL R$ 730.830.000 Capacidade Atual 0 Capacidade Futura 10,2 milhões t ÁREA STM 01 Santarém/PA Investimento R$ 347.750.000 Ganho de Capacidade 5,1 milhões t Granéis Sólidos Vegetais TOTAL R$ 347.750.000 Capacidade Atual 0 Capacidade Futura 5,1 milhões t STM 02 SANTAREM Investimento R$ 91.000.000 Ganho de Capacidade 1,6 milhão t Granéis Sólidos Minerais TOTAL R$ 91.000.000 Capacidade Atual 0 Capacidade Futura 1,6 milhões t ÁREA VDC 29 Vila do Conde/PA Investimento R$ 501.060.000 Ganho de Capacidade 5,1 milhões t Granéis Sólidos Vegetais TOTAL R$ 501.060.000 Capacidade Atual 0 Capacidade Futura 5,1 milhões t
  • 17. Secretaria de Portos Perspectivas Plano Safra 2016 A ampliação de capacidade para o escoamento de granéis vegetais pelo Porto de Santos e a mitigação dos impactos em seus acessos rodoviários tem sido uma prioridade para a SEP/PR nos últimos anos. Apesar dos efeitos positivos das ações tomadas já serem observados, precisamos manter o monitoramento e garantir a realização das demais ações previstas por cada órgão. Contamos com a colaboração de todos os intervenientes para garantir o sucesso do PLANO SAFRA 2016