SlideShare uma empresa Scribd logo
Persistência do vírus Zika em
fluídos corporais de pacientes com
infecção pelo vírus Zika no Brasil
FMT-AM/FIOCRUZ/ DDAHV/SVS/CGLAB/WHO/WT/WR
Objetivo Geral
 Avaliar a presença e a duração do ZIKV em sangue, sêmen, saliva, urina, secreções
vaginais, sangue menstrual, swab retal, lágrimas, suor e leite materno de indivíduos
infectados que se apresentarem a clínicas parceiras, durante a fase aguda da doença e
em seus contatos domiciliares ou sexuais sintomáticos ou assintomáticos.
 Relacionar os resultados a fatores sociodemográficos bem como outros fatores ligados
ao hospedeiro e a fatores ambientais.
Objetivos específicos
1. Analisar a presença e a duração do ZIKV em fluidos corporais entre adultos do sexo masculino e feminino
com idade a partir dos 18 anos, ao longo de um período de 12 meses;
2. Analisar a persistência de outros marcadores (RNA do ZIKV, IgM, IgG, antígeno) da infecção pelo ZIKV em
fluidos corporais, entre adultos do sexo masculino e feminino com idade a partir de 18 anos, ao longo de um
período de 12 meses;
3. Explorar a possível relação existente entre o hospedeiro e os fatores ambientais, bem como as coinfecções
– dengue, Chikungunya, HIV, sífilis, hepatite B (HBV), hepatite C (HCV), vírus Oropouche , vírus Mayaro e
febre amarela – em relação à duração e persistência do vírus em fluidos corporais.
4. Avaliar a proporção de infecções assintomáticas entre contatos domiciliares/sexuais para casos de
infecção;
5. Avaliar possibilidade de reinfecção ou reativação dos casos de infecção por ZIKV durante o período de
estudo;
6. Descrever a concordância entre os resultados de exame RT-PCR, anticorpos neutralizantes, isolamento de
vírus, resultados de antígenos e respostas específicas de anticorpos ao ZIKV nesses fluidos.
• A transmissão primária do vírus Zika se dá pela picada do mosquito do
gênero Aedes, principalmente Aedes aegypti. Entretanto, evidências
crescentes têm sugerido que a transmissão sexual do vírus Zika é possível
e tem aumentado em frequência nos últimos anos. Até o presente, este
modo de transmissão foi reportado em 11 países.
• Durante a atual epidemia do vírus Zika é importante entender mais
profundamente o período pelo qual o vírus permanece ativo nos fluidos
corporais, além do sangue, e quais são os fatores determinantes desta
persistência, a fim de possibilitar a elaboração de recomendações para
reduzir a sua transmissão.
Justificativa
Método
1. Desenho
 Este é um estudo de coorte prospectivo. Participantes com idade ≥ 18 anos com resultado positivo para o vírus Zika
por RT-PCR em sangue ou urina, e após consentimento, serão submetidos a uma série de coleta periódica de
amostras de fluidos corporais durante o período de um ano a contar da data da primeira coleta. A identificação de
possíveis participantes dar-se-á através de consultas médicas em clínicas que farão parte do estudo (Ambulatório da
Fundação Oswaldo Cruz no Rio de Janeiro e Recife, Fundação de Medicina Tropical do Amazonas -Manaus; Centros
de Saúde, UBSs, UPAs, que se encontrem na área de atuação do estudo).
2. Local do estudo
 Os locais de intervenção do estudo serão: Rio de Janeiro (RJ), Recife (PE) e Manaus (AM). Estas são áreas de alta
densidade populacional e de transmissão viral, com capacidade laboratorial e infra estrutura de atendimento à
saúde.
3. População e amostra
 Nos três sites serão incluídos um total de 1300 participantes (650 homens e 650 mulheres) com idade igual ou acima
de 18 anos com resultados laboratoriais positivos para o vírus Zika por PCR em sangue ou urina.
Locais do Estudo:
Estimativa inicial: 650 H / 650 M
Total= 1300 participantes
Recife-PE:
• Fiocruz
Rio de Janeiro-RJ:
• Fiocruz
Manaus-AM
• FMT-HVD
Estudo ZIKABRA
Paciente
Sintomático
ZIKV +
Caso índice
Coleta de
fluidos Coorte Familiares
ZIKV +
Coorte
Coleta de
fluidos
ZIKV -
Não
incluído
ZIKV -
Não
incluído
Sangue
Saliva
Fluido gengival
Fluido crevicular
Suor
Swab retal
Lágrima
Leite materno
Fluido vaginal
Sêmen
Urina
4. Recrutamento
O estudo será divulgado entre as UBSs e UPAs nas áreas de intervenção do estudo, assim
como nos Centros Ambulatoriais participantes (Centros de referência). Profissionais
trabalhando nestas unidades serão treinados e informados sobre os critérios de inclusão do
estudo e farão a triagem dos potenciais participantes voluntários. Enfermeiras do estudo
estarão baseadas nos Centros de Referência para os quais indivíduos com suspeita de
infecção pelo vírus Zika serão referidos para avaliação clínica. Durante a primeira visita, será
fornecida uma explicação sobre o estudo pela enfermeira. Os pacientes serão avaliados
quanto à elegibilidade para inclusão no estudo. Caso concordem, os participantes prováveis,
responderão a um questionário inicial e após assinatura do TCLE, serão coletadas as amostras
de sangue e de urina. Nesta etapa, será solicitado consentimento para convite dos contatos
domiciliares e parceiros sexuais para participação no estudo, caso o resultado para infecção
pelo vírus Zika seja confirmado.
5. Desfechos
Pacientes com resultado positivo para ZIKV em sangue ou urina serão convidados a participar do estudo,
cuja frequência de coleta de amostras está detalhada a seguir. Todos os fluidos corporais serão coletados
a cada visita, seguindo as normas de controle de infecção e de confidencialidade. Com exceção da coleta
de sêmen, todos os fluidos corporais serão coletados pela enfermeira do estudo ou um técnico de coleta
de amostras do participante. O desfecho primário é a taxa geral de persistência do vírus Zika por 12
meses.
6. Seguimento
Amostras de todos os fluidos corporais dos casos índice e de seus contatos serão coletados de acordo
com o diagrama a seguir
Tempo
Visita de recrutmanento do
contatante
Visita 0 Coleta de amostras -
Visita 0 + 2 dias
Resultados de RT-PCR
* Indivíduos com RT-PCR inicia o
seguimento
* Indivíduos com RT-PCR negativo
não serão incluídos na coorte
Visita 2 Visita 1 + 3 dias
Visita 3 Visita 1 + 5 dias
Visita 4 Visita 1 + 11 dias
Visita 5 Visita 1 + 21 dias
Visita 6 Visita 1 + 30 dias
Visit a 7 Visita 1 + 60 dias
Visita 8 Visita 1 + 90 dias
Visita 9 Visita 1 + 180 dias
Visita 10 Visita 1 + 360 dias
Visita 1 -visita de inclusão
Convite para participar da visita à
clínica ou visita doméstica pela
enfermeira
Visita 1 + 10 dias
Visita 1 + 20 dias
Visita 1 + 30 dias
Visita de recrutamento do caso índice Coleta de amostras
Visita 1 + 2 dias
Visita 1 + 4 dias
Visita 1 + 360 dias
S
a
n
g
u
e
O
u
t
r
o
s
F
l
u
i
d
o
s
Visita 1 + 60 dias
Visita 1 + 90 dias
Visita 1 + 180 dias
7. Coleta de dados
 A coleta de informações clínicas, epidemiológicas, sociodemográficas,
bem-estar e atividade sexual se dará através de questionários. A aplicação
dos questionários será feita por meio de tablets fornecidos às enfermeiras
do estudo, protegido com senhas. O download desses dados será feito a
um servidor central que conterá informações coletadas em todos os sites
do estudo. O sistema GAL de gerenciamento de laboratório será usado
para obtenção de informação laboratorial, por meio de um número único
de identificação do paciente, permitindo, dessa forma, a transferência dos
resultados para a análise estatística.
8. Tratamento do material biológico
As amostras de fluidos corporais serão coletadas nos centros de referência do estudo.
Após a coleta, serão mantidas refrigeradas (2-8°C) e armazenadas por não mais de 6 horas.
Caso isto ocorra, as amostras serão então, mantidas a -20°C até serem enviadas para Fiocruz
(Rio e Recife) ou para a Fundação de Medicina Tropical do Amazonas – Manaus, para
análise.
Os tubos contendo as amostras serão acondicionados em sacos transparentes vedados e
colocados em caixa térmica para transporte e que deverá ser de material rígido, lavável,
impermeável e com tampa, contendo gelo reciclável. As informações devidamente
conferidas relativas à amostra serão colocadas num envelope protegido por um saco
plástico. Ao chegar ao laboratório as amostras receberão um número interno do laboratório
e serão registradas no banco de dados. Até serem processadas os espécimes serão
armazenados a -70°C.
8. Tratamento do material biológico cont
 Amostras de sangue serão testadas para o vírus Zika, Dengue e Chikungunya
através de RT-PCR em tempo real.
 O isolamento viral será efetuado nas amostras positivas para o vírus Zika. O
método ELISA será usado para detecção de imunoglobulinas IgM, IgG e antígeno
de Zika.
O restante das amostras será testado para o vírus Zika através de RT-PCR seguido de
isolamento viral nos casos positivos. Os seguintes testes serão efetuados nos
laboratórios da Walter Reed in Bethesda, MD: PRNT, micro neutralização, teste de
reação cruzada, células T
Fiocruz Rio Fiocruz Recife FMT Walter Reed
RT-PCR (Zika, dengue,
chikungunya)
X X X
Antígeno do vírus Zika X X X
Cultura X X X
IgM, IgG X X X
Triagem sorológica para
vírus exantemáticos
X X X
HIV, sífilis, HBV e HCV X X X
PRNT X
Microneutralização X
Neutralização baseada
em citometria de fluxo
X
Reação cruzada X
Células - T X
9.Processamento e análise dos dados
 Um banco de dados eletrônico será desenhado e construído com o uso do RedCap. Somente pessoas
autorizadas e treinadas terão acesso às informações contidas neste banco. Será possível a entrada de
dados online o que possibilitará flexibilidade, pois os dados poderão ser inseridos ao mesmo tempo em
que estarão sendo coletados. Cada sítio do estudo será responsável pelo gerenciamento e inserção de
dados no servidor central.
 Enfermeiras do estudo usarão ultrabooks (tablet) para coleta de dados do questionário a ser aplicado
durante as visitas dos participantes ao centro de referência do estudo, ou a primeira visita ao domicílio
do caso índice para explicação do estudo aos contatos. O acesso à informação contida nos tablets será
protegido por senha.
 Os resultados laboratoriais serão captados através do uso de um número identificador do participante
contido no sistema de gerenciamento de laboratório – GAL e transportado para RedCap.
Aprovação dos Comitês de Ética:
•CONEP: 03/02/2017 – N° parecer: 1.905.101
•ERC (WHO): 09/02/2017
•CEP Fiocruz/RJ: 20/02/2017 – N° parecer: 1.933.483
•CEP Fiocruz/PE: 16/03/17 – N° parecer: 1.968.820
•CEP FMT-HVD: 17/03/17 – N° parecer: 1.969.994
•CEP Secretaria Municipal/RJ: 28/03/2017 – N° parecer: 1.986.416
Estudo ZIKABRA
Limitações do estudo
 Apenas participantes adultos estão sendo convidados a participar no estudo.
 Não serão incluídas gestantes, portanto resultados não poderão ser generalizados para esta
população.
 Transmissão vetorial X sexual.
 Devido à frequência de coleta das amostras mulheres grávidas não serão incluídas nos estudos.
 O mesmo se aplica a indivíduos menores de 18 anos. Este critério de exclusão limitará o
conhecimento quanto à existência ou não de diferenças da persistência do vírus de acordo com faixa
etária ou durante a gravidez.
Resultados Esperados
 Evidências sobre a presença e persistência do vírus Zika nos diferentes fluidos corporais;
 Avaliação da possibilidade de reativação ou reinfecção durante o período de seguimento de cada
participante - 12 meses;
 Persistência de marcadores da infecção por Zika vírus (RNA, IgM, IgG);
 Avaliação de fatores individuais e ambientais que possam interferir ou influenciar o tempo de
persistência do vírus Zika nos fluidos corporais.
 Melhor entendimento da história natural da doença
 Embasamento pra recomendações de medidas de prevenção de sua transmissão
Aplicabilidade dos resultados para o Sistema Único de Saúde
O conhecimento da duração da persistência do vírus Zika nos diferentes
fluidos corporais irá contribuir para recomendações mais específicas sobre
como evitar e prevenir a sua transmissão.
Infraestrutura disponível da Instituição Proponente para execução do Projeto
Os 3 centros participantes do estudo, são considerados centros de reconhecida
excelência científica regional e nacional, possuem infraestrutura laboratorial e
de recursos humanos adequados além de possuírem ampla e bem
sedimentada experiência na elaboração e na condução de pesquisas clínicas e
translacionais, tanto nacionais e como internacionais.
Cronograma e Orçamento
 O cronograma de execução do estudo compreende um período de 25 meses,
entretanto o período de execução equivalente ao financiamento da SVS
corresponde a um período de 15 meses. O mesmo é uma parceria com
instituições públicas internacionais: Wellcome Trust, Organização Mundial da
Saúde – OMS e Walter Reed Army Institute of Research, que arcarão com parte do
financiamento do referido estudo.
Abordagem sobre as prerrogativas/contrapartidas
 As instituições participantes assinaram em fevereiro de 2016 acordo de cooperação
global. Compromisso em compartilhar, de forma rápida e aberta, dados e resultados
relevantes de pesquisas que possam ajudar na crise com o vírus zika e em outras
emergências de saúde pública.
 Desde 01/07/2014 a OMS tem uma política de publicação em revistas de acesso
aberto de trabalhos próprios ou de coautoria com outros pesquisadores e
instituições financiadas integralmente ou em parte pela OMS.
OBRIGADO!!
Rafael F. O. Franca
FIOCRUZ
rafael.franca@cpqam.fiocruz.br

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a Persistência do vírus zika

Informar; orientar; presta- Guia de Conduta nas Infecções em Pacientes Submet...
Informar; orientar; presta- Guia de Conduta nas Infecções em Pacientes Submet...Informar; orientar; presta- Guia de Conduta nas Infecções em Pacientes Submet...
Informar; orientar; presta- Guia de Conduta nas Infecções em Pacientes Submet...
Vagner Machado
 
Aula safadi-covid19-pdf
Aula safadi-covid19-pdfAula safadi-covid19-pdf
Aula safadi-covid19-pdf
Rodrigo Rosa
 
Prova e gabarito - Seletiva internacional_v_final-2.pdf
Prova e gabarito - Seletiva internacional_v_final-2.pdfProva e gabarito - Seletiva internacional_v_final-2.pdf
Prova e gabarito - Seletiva internacional_v_final-2.pdf
FranciscoSallas1
 
Situação das Arboviroses em Pernambuco Destaque Chikungunya
Situação  das Arboviroses em Pernambuco Destaque ChikungunyaSituação  das Arboviroses em Pernambuco Destaque Chikungunya
Situação das Arboviroses em Pernambuco Destaque Chikungunya
Conselho Nacional de Secretários de Saúde - CONASS
 
Minicurso 2 - "Metodologias Inovadoras para ensaios diagnósticos"
Minicurso 2 - "Metodologias Inovadoras para ensaios diagnósticos"Minicurso 2 - "Metodologias Inovadoras para ensaios diagnósticos"
Minicurso 2 - "Metodologias Inovadoras para ensaios diagnósticos"
JOFARUFPR
 
Resumo tudo sobre AIDS
Resumo tudo sobre AIDSResumo tudo sobre AIDS
Resumo tudo sobre AIDS
Natacha Ágata
 
Hiv e gravidez
Hiv e gravidezHiv e gravidez
Hiv e gravidez
Cardoso Vessa
 
Marcadores sorológicos de hepatite b em indivíduos submetidos a exames de san...
Marcadores sorológicos de hepatite b em indivíduos submetidos a exames de san...Marcadores sorológicos de hepatite b em indivíduos submetidos a exames de san...
Marcadores sorológicos de hepatite b em indivíduos submetidos a exames de san...
Nádia Elizabeth Barbosa Villas Bôas
 
Surto de MPX – experiência do Município de Florianópolis.
Surto de MPX – experiência do Município de Florianópolis.Surto de MPX – experiência do Município de Florianópolis.
Surto de MPX – experiência do Município de Florianópolis.
Portal da Inovação em Saúde
 
Resumo Artigos Microbiologia Ambiental - Daniele B. Gehrke.docx
Resumo Artigos Microbiologia Ambiental - Daniele B. Gehrke.docxResumo Artigos Microbiologia Ambiental - Daniele B. Gehrke.docx
Resumo Artigos Microbiologia Ambiental - Daniele B. Gehrke.docx
danieleGehrke
 
COVID-19 UpToDate: Condutas de Diagnostico e Manejo Ambulatorial Hospitalar
COVID-19 UpToDate: Condutas de Diagnostico e Manejo Ambulatorial HospitalarCOVID-19 UpToDate: Condutas de Diagnostico e Manejo Ambulatorial Hospitalar
COVID-19 UpToDate: Condutas de Diagnostico e Manejo Ambulatorial Hospitalar
Alexandre Naime Barbosa
 
Slides Doenças Exantemáticas MS.ppt
Slides Doenças Exantemáticas MS.pptSlides Doenças Exantemáticas MS.ppt
Slides Doenças Exantemáticas MS.ppt
MarcioCruz62
 
Manual coleta de sangue
Manual coleta de sangueManual coleta de sangue
Manual coleta de sangue
Ana Paula Monteiro
 
Aula 1: Limpeza e desinfecção de superfícies e equipamentos na pandemia de Co...
Aula 1: Limpeza e desinfecção de superfícies e equipamentos na pandemia de Co...Aula 1: Limpeza e desinfecção de superfícies e equipamentos na pandemia de Co...
Aula 1: Limpeza e desinfecção de superfícies e equipamentos na pandemia de Co...
Proqualis
 
Boletim Epidemiológico
Boletim Epidemiológico Boletim Epidemiológico
Boletim Epidemiológico
Ivan Figueiredo
 
2004 hepatite colestática associada ao vírus da hepatite c pós transplante he...
2004 hepatite colestática associada ao vírus da hepatite c pós transplante he...2004 hepatite colestática associada ao vírus da hepatite c pós transplante he...
2004 hepatite colestática associada ao vírus da hepatite c pós transplante he...
Nádia Elizabeth Barbosa Villas Bôas
 
Malária micro scopia
Malária   micro scopiaMalária   micro scopia
Malária micro scopia
Daniel Mota
 
Hospital da Criança de Brasília José Alencar
Hospital da Criança de Brasília José AlencarHospital da Criança de Brasília José Alencar
Hospital da Criança de Brasília José Alencar
Portal da Inovação em Saúde
 
Capacitação Covid Médicos.pptx
Capacitação Covid Médicos.pptxCapacitação Covid Médicos.pptx
Capacitação Covid Médicos.pptx
SilviaMello18
 
Comparação da acurácia diagnóstica de testes diagnósticos comerciais imunocro...
Comparação da acurácia diagnóstica de testes diagnósticos comerciais imunocro...Comparação da acurácia diagnóstica de testes diagnósticos comerciais imunocro...
Comparação da acurácia diagnóstica de testes diagnósticos comerciais imunocro...
REBRATSoficial
 

Semelhante a Persistência do vírus zika (20)

Informar; orientar; presta- Guia de Conduta nas Infecções em Pacientes Submet...
Informar; orientar; presta- Guia de Conduta nas Infecções em Pacientes Submet...Informar; orientar; presta- Guia de Conduta nas Infecções em Pacientes Submet...
Informar; orientar; presta- Guia de Conduta nas Infecções em Pacientes Submet...
 
Aula safadi-covid19-pdf
Aula safadi-covid19-pdfAula safadi-covid19-pdf
Aula safadi-covid19-pdf
 
Prova e gabarito - Seletiva internacional_v_final-2.pdf
Prova e gabarito - Seletiva internacional_v_final-2.pdfProva e gabarito - Seletiva internacional_v_final-2.pdf
Prova e gabarito - Seletiva internacional_v_final-2.pdf
 
Situação das Arboviroses em Pernambuco Destaque Chikungunya
Situação  das Arboviroses em Pernambuco Destaque ChikungunyaSituação  das Arboviroses em Pernambuco Destaque Chikungunya
Situação das Arboviroses em Pernambuco Destaque Chikungunya
 
Minicurso 2 - "Metodologias Inovadoras para ensaios diagnósticos"
Minicurso 2 - "Metodologias Inovadoras para ensaios diagnósticos"Minicurso 2 - "Metodologias Inovadoras para ensaios diagnósticos"
Minicurso 2 - "Metodologias Inovadoras para ensaios diagnósticos"
 
Resumo tudo sobre AIDS
Resumo tudo sobre AIDSResumo tudo sobre AIDS
Resumo tudo sobre AIDS
 
Hiv e gravidez
Hiv e gravidezHiv e gravidez
Hiv e gravidez
 
Marcadores sorológicos de hepatite b em indivíduos submetidos a exames de san...
Marcadores sorológicos de hepatite b em indivíduos submetidos a exames de san...Marcadores sorológicos de hepatite b em indivíduos submetidos a exames de san...
Marcadores sorológicos de hepatite b em indivíduos submetidos a exames de san...
 
Surto de MPX – experiência do Município de Florianópolis.
Surto de MPX – experiência do Município de Florianópolis.Surto de MPX – experiência do Município de Florianópolis.
Surto de MPX – experiência do Município de Florianópolis.
 
Resumo Artigos Microbiologia Ambiental - Daniele B. Gehrke.docx
Resumo Artigos Microbiologia Ambiental - Daniele B. Gehrke.docxResumo Artigos Microbiologia Ambiental - Daniele B. Gehrke.docx
Resumo Artigos Microbiologia Ambiental - Daniele B. Gehrke.docx
 
COVID-19 UpToDate: Condutas de Diagnostico e Manejo Ambulatorial Hospitalar
COVID-19 UpToDate: Condutas de Diagnostico e Manejo Ambulatorial HospitalarCOVID-19 UpToDate: Condutas de Diagnostico e Manejo Ambulatorial Hospitalar
COVID-19 UpToDate: Condutas de Diagnostico e Manejo Ambulatorial Hospitalar
 
Slides Doenças Exantemáticas MS.ppt
Slides Doenças Exantemáticas MS.pptSlides Doenças Exantemáticas MS.ppt
Slides Doenças Exantemáticas MS.ppt
 
Manual coleta de sangue
Manual coleta de sangueManual coleta de sangue
Manual coleta de sangue
 
Aula 1: Limpeza e desinfecção de superfícies e equipamentos na pandemia de Co...
Aula 1: Limpeza e desinfecção de superfícies e equipamentos na pandemia de Co...Aula 1: Limpeza e desinfecção de superfícies e equipamentos na pandemia de Co...
Aula 1: Limpeza e desinfecção de superfícies e equipamentos na pandemia de Co...
 
Boletim Epidemiológico
Boletim Epidemiológico Boletim Epidemiológico
Boletim Epidemiológico
 
2004 hepatite colestática associada ao vírus da hepatite c pós transplante he...
2004 hepatite colestática associada ao vírus da hepatite c pós transplante he...2004 hepatite colestática associada ao vírus da hepatite c pós transplante he...
2004 hepatite colestática associada ao vírus da hepatite c pós transplante he...
 
Malária micro scopia
Malária   micro scopiaMalária   micro scopia
Malária micro scopia
 
Hospital da Criança de Brasília José Alencar
Hospital da Criança de Brasília José AlencarHospital da Criança de Brasília José Alencar
Hospital da Criança de Brasília José Alencar
 
Capacitação Covid Médicos.pptx
Capacitação Covid Médicos.pptxCapacitação Covid Médicos.pptx
Capacitação Covid Médicos.pptx
 
Comparação da acurácia diagnóstica de testes diagnósticos comerciais imunocro...
Comparação da acurácia diagnóstica de testes diagnósticos comerciais imunocro...Comparação da acurácia diagnóstica de testes diagnósticos comerciais imunocro...
Comparação da acurácia diagnóstica de testes diagnósticos comerciais imunocro...
 

Mais de Portal da Inovação em Saúde

Da organização do grupo de pesquisadores à Rede de Pesquisa Brasil: perspect...
Da organização do grupo de pesquisadores à Rede de Pesquisa Brasil:  perspect...Da organização do grupo de pesquisadores à Rede de Pesquisa Brasil:  perspect...
Da organização do grupo de pesquisadores à Rede de Pesquisa Brasil: perspect...
Portal da Inovação em Saúde
 
Da organização do grupo de pesquisadores à Rede de Pesquisa Brasil: perspect...
Da organização do grupo de pesquisadores à Rede de Pesquisa Brasil:  perspect...Da organização do grupo de pesquisadores à Rede de Pesquisa Brasil:  perspect...
Da organização do grupo de pesquisadores à Rede de Pesquisa Brasil: perspect...
Portal da Inovação em Saúde
 
Caracterização dos casos de MPOX - IIER
Caracterização dos casos de  MPOX - IIERCaracterização dos casos de  MPOX - IIER
Caracterização dos casos de MPOX - IIER
Portal da Inovação em Saúde
 
Perfil clínico-epidemiológico dos casos de Mpox no Amazonas
Perfil clínico-epidemiológico dos casos de Mpox no AmazonasPerfil clínico-epidemiológico dos casos de Mpox no Amazonas
Perfil clínico-epidemiológico dos casos de Mpox no Amazonas
Portal da Inovação em Saúde
 
Resultados da Pesquisa Mpox da Plataforma Clínica Global OMS Goiânia-Goiás
Resultados da Pesquisa Mpox da Plataforma Clínica Global OMS  Goiânia-GoiásResultados da Pesquisa Mpox da Plataforma Clínica Global OMS  Goiânia-Goiás
Resultados da Pesquisa Mpox da Plataforma Clínica Global OMS Goiânia-Goiás
Portal da Inovação em Saúde
 
Hospital São José de Doenças Infecciosas – SES CE
Hospital São José de Doenças Infecciosas – SES CEHospital São José de Doenças Infecciosas – SES CE
Hospital São José de Doenças Infecciosas – SES CE
Portal da Inovação em Saúde
 
Projeto Plataforma Clínica Global para Mpox da OMS: experiência do município ...
Projeto Plataforma Clínica Global para Mpox da OMS: experiência do município ...Projeto Plataforma Clínica Global para Mpox da OMS: experiência do município ...
Projeto Plataforma Clínica Global para Mpox da OMS: experiência do município ...
Portal da Inovação em Saúde
 
7 - APRESENTACAO MPOX_POA_Natália Aredes.pptx
7 - APRESENTACAO MPOX_POA_Natália Aredes.pptx7 - APRESENTACAO MPOX_POA_Natália Aredes.pptx
7 - APRESENTACAO MPOX_POA_Natália Aredes.pptx
Portal da Inovação em Saúde
 
ESTUDO DE CoORTE RETROSPECTIVO PÓS-COVID UBS SANTA CECÍLIA / HCPA
ESTUDO DE CoORTE RETROSPECTIVO PÓS-COVID UBS SANTA CECÍLIA / HCPAESTUDO DE CoORTE RETROSPECTIVO PÓS-COVID UBS SANTA CECÍLIA / HCPA
ESTUDO DE CoORTE RETROSPECTIVO PÓS-COVID UBS SANTA CECÍLIA / HCPA
Portal da Inovação em Saúde
 
Identificação de casos de Pós-Covid em Florianópolis-SC: resultados da cooper...
Identificação de casos de Pós-Covid em Florianópolis-SC: resultados da cooper...Identificação de casos de Pós-Covid em Florianópolis-SC: resultados da cooper...
Identificação de casos de Pós-Covid em Florianópolis-SC: resultados da cooper...
Portal da Inovação em Saúde
 
Compartilhando experiências da Rede Colaborativa Brasil - Pesquisa Pós-Covid ...
Compartilhando experiências da Rede Colaborativa Brasil - Pesquisa Pós-Covid ...Compartilhando experiências da Rede Colaborativa Brasil - Pesquisa Pós-Covid ...
Compartilhando experiências da Rede Colaborativa Brasil - Pesquisa Pós-Covid ...
Portal da Inovação em Saúde
 
Pós-Covid no âmbito da Plataforma Clínica Global OMS
Pós-Covid no âmbito da Plataforma Clínica Global OMSPós-Covid no âmbito da Plataforma Clínica Global OMS
Pós-Covid no âmbito da Plataforma Clínica Global OMS
Portal da Inovação em Saúde
 
Estratégia digital para a identificação de casos Pós-Covid
Estratégia digital para a identificação de casos Pós-CovidEstratégia digital para a identificação de casos Pós-Covid
Estratégia digital para a identificação de casos Pós-Covid
Portal da Inovação em Saúde
 
Leitura em voz alta passo a passo
Leitura em voz alta passo a passoLeitura em voz alta passo a passo
Leitura em voz alta passo a passo
Portal da Inovação em Saúde
 
Projeto Epa de Saúde Mental na Atenção Primária em Saúde
Projeto Epa de Saúde Mental na Atenção Primária em SaúdeProjeto Epa de Saúde Mental na Atenção Primária em Saúde
Projeto Epa de Saúde Mental na Atenção Primária em Saúde
Portal da Inovação em Saúde
 
Comunidade de Fala
Comunidade de FalaComunidade de Fala
Comunidade de Fala
Portal da Inovação em Saúde
 
Pré-conferências de caráter territorial como proposta estratégica para potenc...
Pré-conferências de caráter territorial como proposta estratégica para potenc...Pré-conferências de caráter territorial como proposta estratégica para potenc...
Pré-conferências de caráter territorial como proposta estratégica para potenc...
Portal da Inovação em Saúde
 
APRESENTAÇÃO PAULO.pptx
APRESENTAÇÃO PAULO.pptxAPRESENTAÇÃO PAULO.pptx
APRESENTAÇÃO PAULO.pptx
Portal da Inovação em Saúde
 
APRESENTAÇÃO Pré-conferências laboratório de inovação..pptx
APRESENTAÇÃO Pré-conferências laboratório de inovação..pptxAPRESENTAÇÃO Pré-conferências laboratório de inovação..pptx
APRESENTAÇÃO Pré-conferências laboratório de inovação..pptx
Portal da Inovação em Saúde
 
APRESENTAÇÃO MARTHA NOAL.pptx
APRESENTAÇÃO MARTHA NOAL.pptxAPRESENTAÇÃO MARTHA NOAL.pptx
APRESENTAÇÃO MARTHA NOAL.pptx
Portal da Inovação em Saúde
 

Mais de Portal da Inovação em Saúde (20)

Da organização do grupo de pesquisadores à Rede de Pesquisa Brasil: perspect...
Da organização do grupo de pesquisadores à Rede de Pesquisa Brasil:  perspect...Da organização do grupo de pesquisadores à Rede de Pesquisa Brasil:  perspect...
Da organização do grupo de pesquisadores à Rede de Pesquisa Brasil: perspect...
 
Da organização do grupo de pesquisadores à Rede de Pesquisa Brasil: perspect...
Da organização do grupo de pesquisadores à Rede de Pesquisa Brasil:  perspect...Da organização do grupo de pesquisadores à Rede de Pesquisa Brasil:  perspect...
Da organização do grupo de pesquisadores à Rede de Pesquisa Brasil: perspect...
 
Caracterização dos casos de MPOX - IIER
Caracterização dos casos de  MPOX - IIERCaracterização dos casos de  MPOX - IIER
Caracterização dos casos de MPOX - IIER
 
Perfil clínico-epidemiológico dos casos de Mpox no Amazonas
Perfil clínico-epidemiológico dos casos de Mpox no AmazonasPerfil clínico-epidemiológico dos casos de Mpox no Amazonas
Perfil clínico-epidemiológico dos casos de Mpox no Amazonas
 
Resultados da Pesquisa Mpox da Plataforma Clínica Global OMS Goiânia-Goiás
Resultados da Pesquisa Mpox da Plataforma Clínica Global OMS  Goiânia-GoiásResultados da Pesquisa Mpox da Plataforma Clínica Global OMS  Goiânia-Goiás
Resultados da Pesquisa Mpox da Plataforma Clínica Global OMS Goiânia-Goiás
 
Hospital São José de Doenças Infecciosas – SES CE
Hospital São José de Doenças Infecciosas – SES CEHospital São José de Doenças Infecciosas – SES CE
Hospital São José de Doenças Infecciosas – SES CE
 
Projeto Plataforma Clínica Global para Mpox da OMS: experiência do município ...
Projeto Plataforma Clínica Global para Mpox da OMS: experiência do município ...Projeto Plataforma Clínica Global para Mpox da OMS: experiência do município ...
Projeto Plataforma Clínica Global para Mpox da OMS: experiência do município ...
 
7 - APRESENTACAO MPOX_POA_Natália Aredes.pptx
7 - APRESENTACAO MPOX_POA_Natália Aredes.pptx7 - APRESENTACAO MPOX_POA_Natália Aredes.pptx
7 - APRESENTACAO MPOX_POA_Natália Aredes.pptx
 
ESTUDO DE CoORTE RETROSPECTIVO PÓS-COVID UBS SANTA CECÍLIA / HCPA
ESTUDO DE CoORTE RETROSPECTIVO PÓS-COVID UBS SANTA CECÍLIA / HCPAESTUDO DE CoORTE RETROSPECTIVO PÓS-COVID UBS SANTA CECÍLIA / HCPA
ESTUDO DE CoORTE RETROSPECTIVO PÓS-COVID UBS SANTA CECÍLIA / HCPA
 
Identificação de casos de Pós-Covid em Florianópolis-SC: resultados da cooper...
Identificação de casos de Pós-Covid em Florianópolis-SC: resultados da cooper...Identificação de casos de Pós-Covid em Florianópolis-SC: resultados da cooper...
Identificação de casos de Pós-Covid em Florianópolis-SC: resultados da cooper...
 
Compartilhando experiências da Rede Colaborativa Brasil - Pesquisa Pós-Covid ...
Compartilhando experiências da Rede Colaborativa Brasil - Pesquisa Pós-Covid ...Compartilhando experiências da Rede Colaborativa Brasil - Pesquisa Pós-Covid ...
Compartilhando experiências da Rede Colaborativa Brasil - Pesquisa Pós-Covid ...
 
Pós-Covid no âmbito da Plataforma Clínica Global OMS
Pós-Covid no âmbito da Plataforma Clínica Global OMSPós-Covid no âmbito da Plataforma Clínica Global OMS
Pós-Covid no âmbito da Plataforma Clínica Global OMS
 
Estratégia digital para a identificação de casos Pós-Covid
Estratégia digital para a identificação de casos Pós-CovidEstratégia digital para a identificação de casos Pós-Covid
Estratégia digital para a identificação de casos Pós-Covid
 
Leitura em voz alta passo a passo
Leitura em voz alta passo a passoLeitura em voz alta passo a passo
Leitura em voz alta passo a passo
 
Projeto Epa de Saúde Mental na Atenção Primária em Saúde
Projeto Epa de Saúde Mental na Atenção Primária em SaúdeProjeto Epa de Saúde Mental na Atenção Primária em Saúde
Projeto Epa de Saúde Mental na Atenção Primária em Saúde
 
Comunidade de Fala
Comunidade de FalaComunidade de Fala
Comunidade de Fala
 
Pré-conferências de caráter territorial como proposta estratégica para potenc...
Pré-conferências de caráter territorial como proposta estratégica para potenc...Pré-conferências de caráter territorial como proposta estratégica para potenc...
Pré-conferências de caráter territorial como proposta estratégica para potenc...
 
APRESENTAÇÃO PAULO.pptx
APRESENTAÇÃO PAULO.pptxAPRESENTAÇÃO PAULO.pptx
APRESENTAÇÃO PAULO.pptx
 
APRESENTAÇÃO Pré-conferências laboratório de inovação..pptx
APRESENTAÇÃO Pré-conferências laboratório de inovação..pptxAPRESENTAÇÃO Pré-conferências laboratório de inovação..pptx
APRESENTAÇÃO Pré-conferências laboratório de inovação..pptx
 
APRESENTAÇÃO MARTHA NOAL.pptx
APRESENTAÇÃO MARTHA NOAL.pptxAPRESENTAÇÃO MARTHA NOAL.pptx
APRESENTAÇÃO MARTHA NOAL.pptx
 

Último

Saúde coletiva para técnicos em enfermagem
Saúde coletiva para técnicos em enfermagemSaúde coletiva para técnicos em enfermagem
Saúde coletiva para técnicos em enfermagem
DavyllaVerasMenezes
 
aula 06 - Distúrbios Hemodinâmicos ( circulatórios).pdf
aula 06 - Distúrbios Hemodinâmicos ( circulatórios).pdfaula 06 - Distúrbios Hemodinâmicos ( circulatórios).pdf
aula 06 - Distúrbios Hemodinâmicos ( circulatórios).pdf
ADRIANEGOMESDASILVA
 
Sistema Reprodutor Feminino curso tec. de enfermagem
Sistema Reprodutor Feminino curso tec. de enfermagemSistema Reprodutor Feminino curso tec. de enfermagem
Sistema Reprodutor Feminino curso tec. de enfermagem
BarbaraKelle
 
higienização de espaços e equipamentos
higienização de    espaços e equipamentoshigienização de    espaços e equipamentos
higienização de espaços e equipamentos
Manuel Pacheco Vieira
 
8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf
8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf
8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf
jhordana1
 
AULA 04.06. BOTOX.pdfHarmonizaçao Facia
AULA 04.06. BOTOX.pdfHarmonizaçao  FaciaAULA 04.06. BOTOX.pdfHarmonizaçao  Facia
AULA 04.06. BOTOX.pdfHarmonizaçao Facia
AntonioXavier35
 
Medicamentos que atuam no Sistema Digestório.pdf
Medicamentos que atuam no Sistema Digestório.pdfMedicamentos que atuam no Sistema Digestório.pdf
Medicamentos que atuam no Sistema Digestório.pdf
jhordana1
 
A-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptx
A-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptxA-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptx
A-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptx
walterjose20
 
higienização de espaços e equipamentos
higienização de espaços    e equipamentoshigienização de espaços    e equipamentos
higienização de espaços e equipamentos
Manuel Pacheco Vieira
 
saúde coletiva para tecnico em enfermagem
saúde coletiva para tecnico em enfermagemsaúde coletiva para tecnico em enfermagem
saúde coletiva para tecnico em enfermagem
DavyllaVerasMenezes
 
Descubra os segredos do emagrecimento sustentável: Dicas práticas e estratégi...
Descubra os segredos do emagrecimento sustentável: Dicas práticas e estratégi...Descubra os segredos do emagrecimento sustentável: Dicas práticas e estratégi...
Descubra os segredos do emagrecimento sustentável: Dicas práticas e estratégi...
Lenilson Souza
 

Último (11)

Saúde coletiva para técnicos em enfermagem
Saúde coletiva para técnicos em enfermagemSaúde coletiva para técnicos em enfermagem
Saúde coletiva para técnicos em enfermagem
 
aula 06 - Distúrbios Hemodinâmicos ( circulatórios).pdf
aula 06 - Distúrbios Hemodinâmicos ( circulatórios).pdfaula 06 - Distúrbios Hemodinâmicos ( circulatórios).pdf
aula 06 - Distúrbios Hemodinâmicos ( circulatórios).pdf
 
Sistema Reprodutor Feminino curso tec. de enfermagem
Sistema Reprodutor Feminino curso tec. de enfermagemSistema Reprodutor Feminino curso tec. de enfermagem
Sistema Reprodutor Feminino curso tec. de enfermagem
 
higienização de espaços e equipamentos
higienização de    espaços e equipamentoshigienização de    espaços e equipamentos
higienização de espaços e equipamentos
 
8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf
8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf
8. Medicamentos que atuam no Sistema Endócrino.pdf
 
AULA 04.06. BOTOX.pdfHarmonizaçao Facia
AULA 04.06. BOTOX.pdfHarmonizaçao  FaciaAULA 04.06. BOTOX.pdfHarmonizaçao  Facia
AULA 04.06. BOTOX.pdfHarmonizaçao Facia
 
Medicamentos que atuam no Sistema Digestório.pdf
Medicamentos que atuam no Sistema Digestório.pdfMedicamentos que atuam no Sistema Digestório.pdf
Medicamentos que atuam no Sistema Digestório.pdf
 
A-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptx
A-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptxA-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptx
A-Importancia-da-Saude-Mental-na-Juventude.pptx
 
higienização de espaços e equipamentos
higienização de espaços    e equipamentoshigienização de espaços    e equipamentos
higienização de espaços e equipamentos
 
saúde coletiva para tecnico em enfermagem
saúde coletiva para tecnico em enfermagemsaúde coletiva para tecnico em enfermagem
saúde coletiva para tecnico em enfermagem
 
Descubra os segredos do emagrecimento sustentável: Dicas práticas e estratégi...
Descubra os segredos do emagrecimento sustentável: Dicas práticas e estratégi...Descubra os segredos do emagrecimento sustentável: Dicas práticas e estratégi...
Descubra os segredos do emagrecimento sustentável: Dicas práticas e estratégi...
 

Persistência do vírus zika

  • 1. Persistência do vírus Zika em fluídos corporais de pacientes com infecção pelo vírus Zika no Brasil FMT-AM/FIOCRUZ/ DDAHV/SVS/CGLAB/WHO/WT/WR
  • 2. Objetivo Geral  Avaliar a presença e a duração do ZIKV em sangue, sêmen, saliva, urina, secreções vaginais, sangue menstrual, swab retal, lágrimas, suor e leite materno de indivíduos infectados que se apresentarem a clínicas parceiras, durante a fase aguda da doença e em seus contatos domiciliares ou sexuais sintomáticos ou assintomáticos.  Relacionar os resultados a fatores sociodemográficos bem como outros fatores ligados ao hospedeiro e a fatores ambientais.
  • 3. Objetivos específicos 1. Analisar a presença e a duração do ZIKV em fluidos corporais entre adultos do sexo masculino e feminino com idade a partir dos 18 anos, ao longo de um período de 12 meses; 2. Analisar a persistência de outros marcadores (RNA do ZIKV, IgM, IgG, antígeno) da infecção pelo ZIKV em fluidos corporais, entre adultos do sexo masculino e feminino com idade a partir de 18 anos, ao longo de um período de 12 meses; 3. Explorar a possível relação existente entre o hospedeiro e os fatores ambientais, bem como as coinfecções – dengue, Chikungunya, HIV, sífilis, hepatite B (HBV), hepatite C (HCV), vírus Oropouche , vírus Mayaro e febre amarela – em relação à duração e persistência do vírus em fluidos corporais. 4. Avaliar a proporção de infecções assintomáticas entre contatos domiciliares/sexuais para casos de infecção; 5. Avaliar possibilidade de reinfecção ou reativação dos casos de infecção por ZIKV durante o período de estudo; 6. Descrever a concordância entre os resultados de exame RT-PCR, anticorpos neutralizantes, isolamento de vírus, resultados de antígenos e respostas específicas de anticorpos ao ZIKV nesses fluidos.
  • 4. • A transmissão primária do vírus Zika se dá pela picada do mosquito do gênero Aedes, principalmente Aedes aegypti. Entretanto, evidências crescentes têm sugerido que a transmissão sexual do vírus Zika é possível e tem aumentado em frequência nos últimos anos. Até o presente, este modo de transmissão foi reportado em 11 países. • Durante a atual epidemia do vírus Zika é importante entender mais profundamente o período pelo qual o vírus permanece ativo nos fluidos corporais, além do sangue, e quais são os fatores determinantes desta persistência, a fim de possibilitar a elaboração de recomendações para reduzir a sua transmissão. Justificativa
  • 5. Método 1. Desenho  Este é um estudo de coorte prospectivo. Participantes com idade ≥ 18 anos com resultado positivo para o vírus Zika por RT-PCR em sangue ou urina, e após consentimento, serão submetidos a uma série de coleta periódica de amostras de fluidos corporais durante o período de um ano a contar da data da primeira coleta. A identificação de possíveis participantes dar-se-á através de consultas médicas em clínicas que farão parte do estudo (Ambulatório da Fundação Oswaldo Cruz no Rio de Janeiro e Recife, Fundação de Medicina Tropical do Amazonas -Manaus; Centros de Saúde, UBSs, UPAs, que se encontrem na área de atuação do estudo). 2. Local do estudo  Os locais de intervenção do estudo serão: Rio de Janeiro (RJ), Recife (PE) e Manaus (AM). Estas são áreas de alta densidade populacional e de transmissão viral, com capacidade laboratorial e infra estrutura de atendimento à saúde. 3. População e amostra  Nos três sites serão incluídos um total de 1300 participantes (650 homens e 650 mulheres) com idade igual ou acima de 18 anos com resultados laboratoriais positivos para o vírus Zika por PCR em sangue ou urina.
  • 6. Locais do Estudo: Estimativa inicial: 650 H / 650 M Total= 1300 participantes Recife-PE: • Fiocruz Rio de Janeiro-RJ: • Fiocruz Manaus-AM • FMT-HVD Estudo ZIKABRA
  • 7. Paciente Sintomático ZIKV + Caso índice Coleta de fluidos Coorte Familiares ZIKV + Coorte Coleta de fluidos ZIKV - Não incluído ZIKV - Não incluído Sangue Saliva Fluido gengival Fluido crevicular Suor Swab retal Lágrima Leite materno Fluido vaginal Sêmen Urina
  • 8. 4. Recrutamento O estudo será divulgado entre as UBSs e UPAs nas áreas de intervenção do estudo, assim como nos Centros Ambulatoriais participantes (Centros de referência). Profissionais trabalhando nestas unidades serão treinados e informados sobre os critérios de inclusão do estudo e farão a triagem dos potenciais participantes voluntários. Enfermeiras do estudo estarão baseadas nos Centros de Referência para os quais indivíduos com suspeita de infecção pelo vírus Zika serão referidos para avaliação clínica. Durante a primeira visita, será fornecida uma explicação sobre o estudo pela enfermeira. Os pacientes serão avaliados quanto à elegibilidade para inclusão no estudo. Caso concordem, os participantes prováveis, responderão a um questionário inicial e após assinatura do TCLE, serão coletadas as amostras de sangue e de urina. Nesta etapa, será solicitado consentimento para convite dos contatos domiciliares e parceiros sexuais para participação no estudo, caso o resultado para infecção pelo vírus Zika seja confirmado.
  • 9. 5. Desfechos Pacientes com resultado positivo para ZIKV em sangue ou urina serão convidados a participar do estudo, cuja frequência de coleta de amostras está detalhada a seguir. Todos os fluidos corporais serão coletados a cada visita, seguindo as normas de controle de infecção e de confidencialidade. Com exceção da coleta de sêmen, todos os fluidos corporais serão coletados pela enfermeira do estudo ou um técnico de coleta de amostras do participante. O desfecho primário é a taxa geral de persistência do vírus Zika por 12 meses. 6. Seguimento Amostras de todos os fluidos corporais dos casos índice e de seus contatos serão coletados de acordo com o diagrama a seguir
  • 10. Tempo Visita de recrutmanento do contatante Visita 0 Coleta de amostras - Visita 0 + 2 dias Resultados de RT-PCR * Indivíduos com RT-PCR inicia o seguimento * Indivíduos com RT-PCR negativo não serão incluídos na coorte Visita 2 Visita 1 + 3 dias Visita 3 Visita 1 + 5 dias Visita 4 Visita 1 + 11 dias Visita 5 Visita 1 + 21 dias Visita 6 Visita 1 + 30 dias Visit a 7 Visita 1 + 60 dias Visita 8 Visita 1 + 90 dias Visita 9 Visita 1 + 180 dias Visita 10 Visita 1 + 360 dias Visita 1 -visita de inclusão Convite para participar da visita à clínica ou visita doméstica pela enfermeira Visita 1 + 10 dias Visita 1 + 20 dias Visita 1 + 30 dias Visita de recrutamento do caso índice Coleta de amostras Visita 1 + 2 dias Visita 1 + 4 dias Visita 1 + 360 dias S a n g u e O u t r o s F l u i d o s Visita 1 + 60 dias Visita 1 + 90 dias Visita 1 + 180 dias
  • 11. 7. Coleta de dados  A coleta de informações clínicas, epidemiológicas, sociodemográficas, bem-estar e atividade sexual se dará através de questionários. A aplicação dos questionários será feita por meio de tablets fornecidos às enfermeiras do estudo, protegido com senhas. O download desses dados será feito a um servidor central que conterá informações coletadas em todos os sites do estudo. O sistema GAL de gerenciamento de laboratório será usado para obtenção de informação laboratorial, por meio de um número único de identificação do paciente, permitindo, dessa forma, a transferência dos resultados para a análise estatística.
  • 12. 8. Tratamento do material biológico As amostras de fluidos corporais serão coletadas nos centros de referência do estudo. Após a coleta, serão mantidas refrigeradas (2-8°C) e armazenadas por não mais de 6 horas. Caso isto ocorra, as amostras serão então, mantidas a -20°C até serem enviadas para Fiocruz (Rio e Recife) ou para a Fundação de Medicina Tropical do Amazonas – Manaus, para análise. Os tubos contendo as amostras serão acondicionados em sacos transparentes vedados e colocados em caixa térmica para transporte e que deverá ser de material rígido, lavável, impermeável e com tampa, contendo gelo reciclável. As informações devidamente conferidas relativas à amostra serão colocadas num envelope protegido por um saco plástico. Ao chegar ao laboratório as amostras receberão um número interno do laboratório e serão registradas no banco de dados. Até serem processadas os espécimes serão armazenados a -70°C.
  • 13. 8. Tratamento do material biológico cont  Amostras de sangue serão testadas para o vírus Zika, Dengue e Chikungunya através de RT-PCR em tempo real.  O isolamento viral será efetuado nas amostras positivas para o vírus Zika. O método ELISA será usado para detecção de imunoglobulinas IgM, IgG e antígeno de Zika. O restante das amostras será testado para o vírus Zika através de RT-PCR seguido de isolamento viral nos casos positivos. Os seguintes testes serão efetuados nos laboratórios da Walter Reed in Bethesda, MD: PRNT, micro neutralização, teste de reação cruzada, células T
  • 14. Fiocruz Rio Fiocruz Recife FMT Walter Reed RT-PCR (Zika, dengue, chikungunya) X X X Antígeno do vírus Zika X X X Cultura X X X IgM, IgG X X X Triagem sorológica para vírus exantemáticos X X X HIV, sífilis, HBV e HCV X X X PRNT X Microneutralização X Neutralização baseada em citometria de fluxo X Reação cruzada X Células - T X
  • 15. 9.Processamento e análise dos dados  Um banco de dados eletrônico será desenhado e construído com o uso do RedCap. Somente pessoas autorizadas e treinadas terão acesso às informações contidas neste banco. Será possível a entrada de dados online o que possibilitará flexibilidade, pois os dados poderão ser inseridos ao mesmo tempo em que estarão sendo coletados. Cada sítio do estudo será responsável pelo gerenciamento e inserção de dados no servidor central.  Enfermeiras do estudo usarão ultrabooks (tablet) para coleta de dados do questionário a ser aplicado durante as visitas dos participantes ao centro de referência do estudo, ou a primeira visita ao domicílio do caso índice para explicação do estudo aos contatos. O acesso à informação contida nos tablets será protegido por senha.  Os resultados laboratoriais serão captados através do uso de um número identificador do participante contido no sistema de gerenciamento de laboratório – GAL e transportado para RedCap.
  • 16. Aprovação dos Comitês de Ética: •CONEP: 03/02/2017 – N° parecer: 1.905.101 •ERC (WHO): 09/02/2017 •CEP Fiocruz/RJ: 20/02/2017 – N° parecer: 1.933.483 •CEP Fiocruz/PE: 16/03/17 – N° parecer: 1.968.820 •CEP FMT-HVD: 17/03/17 – N° parecer: 1.969.994 •CEP Secretaria Municipal/RJ: 28/03/2017 – N° parecer: 1.986.416 Estudo ZIKABRA
  • 17. Limitações do estudo  Apenas participantes adultos estão sendo convidados a participar no estudo.  Não serão incluídas gestantes, portanto resultados não poderão ser generalizados para esta população.  Transmissão vetorial X sexual.  Devido à frequência de coleta das amostras mulheres grávidas não serão incluídas nos estudos.  O mesmo se aplica a indivíduos menores de 18 anos. Este critério de exclusão limitará o conhecimento quanto à existência ou não de diferenças da persistência do vírus de acordo com faixa etária ou durante a gravidez. Resultados Esperados  Evidências sobre a presença e persistência do vírus Zika nos diferentes fluidos corporais;  Avaliação da possibilidade de reativação ou reinfecção durante o período de seguimento de cada participante - 12 meses;  Persistência de marcadores da infecção por Zika vírus (RNA, IgM, IgG);  Avaliação de fatores individuais e ambientais que possam interferir ou influenciar o tempo de persistência do vírus Zika nos fluidos corporais.  Melhor entendimento da história natural da doença  Embasamento pra recomendações de medidas de prevenção de sua transmissão
  • 18. Aplicabilidade dos resultados para o Sistema Único de Saúde O conhecimento da duração da persistência do vírus Zika nos diferentes fluidos corporais irá contribuir para recomendações mais específicas sobre como evitar e prevenir a sua transmissão. Infraestrutura disponível da Instituição Proponente para execução do Projeto Os 3 centros participantes do estudo, são considerados centros de reconhecida excelência científica regional e nacional, possuem infraestrutura laboratorial e de recursos humanos adequados além de possuírem ampla e bem sedimentada experiência na elaboração e na condução de pesquisas clínicas e translacionais, tanto nacionais e como internacionais.
  • 19. Cronograma e Orçamento  O cronograma de execução do estudo compreende um período de 25 meses, entretanto o período de execução equivalente ao financiamento da SVS corresponde a um período de 15 meses. O mesmo é uma parceria com instituições públicas internacionais: Wellcome Trust, Organização Mundial da Saúde – OMS e Walter Reed Army Institute of Research, que arcarão com parte do financiamento do referido estudo.
  • 20. Abordagem sobre as prerrogativas/contrapartidas  As instituições participantes assinaram em fevereiro de 2016 acordo de cooperação global. Compromisso em compartilhar, de forma rápida e aberta, dados e resultados relevantes de pesquisas que possam ajudar na crise com o vírus zika e em outras emergências de saúde pública.  Desde 01/07/2014 a OMS tem uma política de publicação em revistas de acesso aberto de trabalhos próprios ou de coautoria com outros pesquisadores e instituições financiadas integralmente ou em parte pela OMS.
  • 21. OBRIGADO!! Rafael F. O. Franca FIOCRUZ rafael.franca@cpqam.fiocruz.br