SlideShare uma empresa Scribd logo
Tema: Paulo de Tarso
Incentivação Inicial: Mostrar a imagem da Santa Ceia e perguntar quem são as pessoas da
imagem, dizer que falta um dos apóstolos mais importantes do cristianismo.
Desenvolvimento: Era chamado Saulo. Quem foi Saulo?
- Veio de família de vendedores de tendas e fariseus, classe mais culta da época, e assim foi educado
com a mais alta qualidade da época, aprendeu a ler e desde cedo foi colocado no estudo das
escrituras. Tornou-se um conhecedor das Leis.
Foi enviado a Jerusalém, para tornar-se Doutor da Lei.
Teve como professor da Sagrada Escritura o célebre Gamaliel, homem muito culto e sábio.
- Saulo tinha um caráter rígido, defendia profundamente os valores em que acreditava, com paixão e fé, em
pouco tempo traçava planos para levar as Lei de Moisés adiante com todas as forças que possuia,
perseguindo aqueles que se opusessem. Tomado de feroz ódio contra Jesus e seus seguidores, pois
considerava-os blasfemadores. Dizia também:
Não esquecer que Roma é poderosa e que Atenas é sábia, tornando-se indispensável acordar a eterna
Hegemonia de Jerusalém como o tabernáculo de Deus Único.
Precisamos dobrar os Gregos e Romanos, ante a Lei de Moisés (MONOTEÍSMO)
- Saulo apaixona-se por Abigail, que além de ser uma jovem de grande beleza, possuia uma moral muito
elevada. Era inteligente, versada na Lei, que significava naquela época uma pessoa bem instruida. E ela era
sobretudo dócil e carinhosa.
Os dois planejam sua união. São espíritos de profunda afinidade, almas ligadas espiritualmente pelo
verdadeiro amor.
- Abigail tem um irmão chamado Jesiel, por quem sente saudade pois encontra-se distante. Jesiel converte-
se ao cristianismo sem que Abigail saiba e passa a se chamar Estevão. Saulo não conhece Estevão.
Vinha de família Judaica, vitima de perseguições. Foi vendido como escravo e sentenciado as galeras.
Nesse trabalho, serviu a um nobre Romano, Sérgio Paulo que o libertou da escravidão. Soube que seu Pai
falecera e que sua muito amada irmã Abigail, amparada por um bondoso casal, seguira viagem, com rumo
ignorado.
Ouviu falar nos homens do Caminho, (denominação dos antigos Cristãos)
Procurou-os e sentiu a corrente magnética das grandes atrações afetivas.
Recebeu dos Apóstolos o nome grego de Estevão e começou para o jovem de Corinto, uma vida
nova.
Em pouco tempo, tornou-se famoso. Sua palavra resplandecia nas pregações da Igreja, iluminada
pala Fé ardente e pura que lhe semeara no coração as estrelas abençoadas de um júbilo infinito.
Os próprios Discípulos surpreendiam-se com a magia de suas profundas inspirações, sua pregação
estava cheia de lágrimas e alegrias, de belezas e aspirações.
Sempre o Cristo. Sempre o impostor! Trovejava Saulo. Parecia possesso de fúria e gritava: Galileus
incultos. Saberei vingar a Lei de Moisés. Recorrerei ao Sinédrio para vos julgar e punir.
_Amigo, respondia o pregador de ânimo sereno.
_O Sinédrio, tem mil meios de me fazer chorar, mas não lhe reconheço poderes para obrigar-me a
renunciar ao AMOR de JESUS CRISTO.
Ante o Sinédrio, Estevão foi acusado de blasfemo, caluniador e feiticeiro em virtude de curar em dia de
Sábado.
Não foi eu, quem praticou esse ato de cura, foi o Cristo, por intermédio de minha pobreza, dizia
Estevão.- compreendereis um dia que, para Deus, Israel significa a humanidade inteira.
Apedrejemos o imundo! Matemos a calunia e o feiticeiro
Foi então que Gamaliel, não desejando precipitar a solução, propôs que se estudasse o caso mais
ponderosamente.
Mas saulo estava resoluto
Estarias disposto a abjurar contra o Carpinteiro de Nazaré ?
_Não insulteis o Salvador! - disse o arauto do Cristo. Nada no mundo me fará renunciar a sua tutela
Divina.
Estevão foi levado ao pátio do apedrejamento.
Os executores seriam os representantes das diversas Sinagogas da cidade.
Dedicados amigos do Plano Espiritual rodeavam o mártir nos seus momentos supremos. - era o fim.
Figurou-se lhe a corte Celestial, e disse:
_Eis que vejo os Céus abertos e o Cristo Ressuscitado na grandeza de Deus.
Eis que Abigail que ali estava, reconhece no jovem supliciado, o seu irmão.
Saulo! Saulo!... é meu irmão. É Jesiel.
Aproximou-se do irmão moribundo que também a reconheceu dizendo:
_Não chores, estou bem!... Estou com Jesus.
_Estás com Jesus?- porque te chamam Estevão?
_Jesus é o nosso Salvador. Fui libertado por um generoso Romano e hoje chamam-me Estevão
_A alma é imortal. Sinto deixar-te... quando mal torno a ver-te.
_Não tenho em Saulo um inimigo, tenho um irmão. Quando conhecer Jesus, servi-lo-á com muito
amor.
_Abigail, vou-me em paz... Queria ouvir-te em prece... dos aflitos e agonizantes.
Encontra novamente Gamaliel que o ensinou no início para tornar-se Doutor da Lei e este está convertido
no cristianismo e defender os Apóstolos ameaçados pelo Sinédrio dizendo:
O "CAMINHO," Saulo, parece ter uma grande finalidade na renovação de nossos valores humanos e
religiosos.
Quem entre nós se havia lembrado de amparar os infortunados ao provimento de um lar afetuoso e fraterno.
Tenciono retirar-me da vida pública em breves dias, a fim de tomar o caminho do deserto. Não me suponhas
mentalmente debilitado.
A velhice do corpo, não me apagou a capacidade de pensar e discernir por min mesmo.
Me conheces, e sabes que o homem sincero não se pode preocupar com os que o elogiem pu o lamentem,
no cumprimento de um dever sagrado.
Deixa-os em paz Saulo. É só o que te peço. Serás o meu substituto neste senáculo, porquanto tenciono
abandonar a cidade em breves dias.
Mas.... e a minha autoridade? Dizia Saulo.
Toda autoridade é de Deus, meu filho. Somos simples e imperfeitos e ninguém se diminuirá por ser humilde
e tolerante.
Mas sentia uma saudades singular de sua bem amada Abigail. jamais esqueceria aquela prece angustiada
e comovedora, que ela fizera ao abraçar o irmão nos derradeiros instantes da vida.
Resolveu capitular ante a saudades e procurou a noiva na pequena cidade de Jope.
Soube ali que a pobrezinha adoecerá gravemente.
Soube também que por ali passara um Cristão de nome Ananias, que convertera a jovem ao
Cristianismo
E com uma só lágrima silenciosa, a doente Abigail, deu o seu último adeus.
Saulo ficou furioso, querendo conhecer o paradeiro de Ananias, a fim de prende-lo.
Roído pêlo egoísmo e o ciúme, recebeu do Sinédrio, autorização para um trabalho de perseguição
aos Cristãos e soube que Ananias, se encontrava na cidade de Damasco.
Em pequena caravana, composta de três varões, deslocaram-se de Jerusalém para a extensa
planície de Síria.
Sua alma desdobrava-se em perguntas atrozes.
Carecia de paz interior. Tinha sede de estabilidade. Entretanto aqueles adeptos do Carpinteiro
crucificado, ostentavam uma serenidade desconhecida.
Foi no caminho de Damasco que se deu a sua repentina conversão (30). Ele e seus companheiros viajavam
pelos desertos da Galiléia e quando, ao meio-dia, o sol ardente estava no seu zênite, At 26. 13,
repentinamente uma luz vinda do céu, mais brilhante que a luz do sol caiu sobre eles, derrubando-os.
Jacob!... Demétrios!.... Socorram-me!... Gritava desesperadamente.
Todos se ergueram, mas ele continuou prostrado por terra. Ouviu-se então uma voz que dizia em língua
hebraica:
"Saulo, Saulo, porque me persegues? Respondeu ele então: "Quem és tu Senhor?" E veio a resposta: "Eu
sou Jesus a quem tu persegues. Dura coisa é recalcitrares contra o aguilhão (²)".
Saulo compreendeu e chorou.
Sim, ele era a ovelha perdida, Jesus era o Pastor amigo que carinhosamente procurava salva-lo.
_Senhor!... Que quereis que eu faça?
_Levanta-te Saulo! Entra na cidade e lá te será dito o que te convém fazer!...
Saulo esfregou os olhos como se desejasse rasgar o véu que lhe obscurecia a vista, mas só
conseguiu tatear no seio das trevas densas.
_Estou cego!...
_Eu vi Jesus Nazareno!...Disse modificado.
_Senhor disseram os companheiros, lamentamos a vossa enfermidade.
Os companheiros que o seguiam ouviam a voz sem nada ver, nem entender. Ofuscado pelo intenso clarão
da luz, foi conduzido pela mão dos companheiros. Entrou em Damasco e hospedou-se na casa de Judas,
onde permaneceu três dias sem ver, sem comer e nem beber, orando e meditando sobre a revelação divina.
Guiado pelo Senhor, o judeu convertido Ananias, foi visitar-lhe e ao se encontrar com o grande perseguidor,
recebeu a confissão da sua nova fé. Certo de sua conversão Ananias impôs-lhe as mãos, fê-lo recobrar a
visão e o batizou. "Não é este aquele que ainda ontem, perseguia os Cristãos" diziam.
A conselho de Ananias, procurou o deserto para meditar, porque tudo o que é de Deus, reclama
grande paz e profunda compreensão.
Além do mais há ainda a necessidade do sofrimento. Só a dor, nos ensina a ser humanos.
É preciso morrer para o mundo, para que o Cristo viva em nós.....
A partir de então, com a juventude e a energia que o caracterizava, e para grande espanto dos judeus,
começou a pregar nas sinagogas que Jesus era o Cristo, Filho de Deus vivo, 9 10-22. Regressou à
Jerusalém, onde sofreu a desconfiança dos que não acreditavam na sua repentina conversão e instalou-se
em Antióquia, na Síria, de onde fez três grandes viagens missionárias, ao longo de 25 anos. Pregou na Ásia
Menor, Grécia e Jerusalém, até ser preso em Cesaréia (61). Levado para Roma, permaneceu dois anos sob
custódia militar, gozando de relativa liberdade, suficiente para receber os cristãos e converter os pagãos.
Durante esse período escreveu as cartas aos Filipenses, aos Colossenses, aos Efésios e a Filêmon.
Inocentado (63) passou pela Espanha, visitou suas comunidades no Oriente, onde foi preso e novamente
levado para Roma (67) sob a acusação de seguir uma religião ilegal. São desse último período as duas
cartas a Timóteo e a carta a Tito. Por ordem de Nero desta vez não teve perdão e foi condenado à morte,
mas por ser um cidadão romano não deve ter sido crucificado e, sim, decapitado.
A história se inverte, Paulo passa a sentir as dificuldades dos cristãos e a ser perseguido
Tenta pregar o Cristianismo nas sinagogas onde antes pregava o judaismo.
Quis falar na Sinagoga de Jerusalém, mais foi mal recebido.
Ouviu a vós da seu guia (ESTEVÃO) Que lhe dava assistência Espiritual:
_Retira-te de Jerusalém, porque os companheiros não aceitarão, por enquanto o teu testemunho.
Abigail e Estevão passam a acompanha-lo espiritualmente em sua jornada, axiliando-o e muitas
vezes fazendo-se visíveis e perseptiveis para Paulo.
Saulo porque me persegues?
Senhor, que quereis que eu faça?

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Tua fé te salvou richard simonetti
Tua fé te salvou   richard simonettiTua fé te salvou   richard simonetti
Tua fé te salvou richard simonetti
Helio Cruz
 
A Conversão de Paulo
A Conversão de PauloA Conversão de Paulo
Jesus e as sinagogas - n.17
Jesus e as sinagogas - n.17Jesus e as sinagogas - n.17
Jesus e as sinagogas - n.17
Graça Maciel
 
Paulo De Tarso
Paulo De TarsoPaulo De Tarso
Paulo De Tarso
Francisco Lacerda
 
Estêvão - O primeiro mártir do Cristianismo - EADE
Estêvão - O primeiro mártir do Cristianismo - EADEEstêvão - O primeiro mártir do Cristianismo - EADE
Estêvão - O primeiro mártir do Cristianismo - EADE
Núcleo de Promoção Humana Vinha de Luz
 
A multidão e Jesus
A multidão e JesusA multidão e Jesus
A multidão e Jesus
Graça Maciel
 
Voz da paróquia Fevereiro 2015
Voz da paróquia Fevereiro 2015Voz da paróquia Fevereiro 2015
Voz da paróquia Fevereiro 2015
jesmioma
 
Comentario sobre filipenses livro - cheung
Comentario sobre filipenses   livro - cheungComentario sobre filipenses   livro - cheung
Comentario sobre filipenses livro - cheung
Débora Olso
 
A cura da sogra de pedro
A cura da sogra de pedro A cura da sogra de pedro
A cura da sogra de pedro
Sergio Menezes
 
Contato: A Páscoa em Jerusalém
Contato: A Páscoa em JerusalémContato: A Páscoa em Jerusalém
Contato: A Páscoa em Jerusalém
Spiritualibrary
 
A despedida do lider
A despedida do liderA despedida do lider
A despedida do lider
ssuser615052
 
LIÇÃO 13 - A FIDELIDADE DE DEUS
LIÇÃO 13 - A FIDELIDADE DE DEUSLIÇÃO 13 - A FIDELIDADE DE DEUS
LIÇÃO 13 - A FIDELIDADE DE DEUS
Lourinaldo Serafim
 
LBA LIÇÃO 13 - A FIDELIDADE DE DEUS
LBA LIÇÃO 13 - A FIDELIDADE DE DEUSLBA LIÇÃO 13 - A FIDELIDADE DE DEUS
LBA LIÇÃO 13 - A FIDELIDADE DE DEUS
Natalino das Neves Neves
 
Como Jesus dialogava - n.19
Como Jesus dialogava - n.19Como Jesus dialogava - n.19
Como Jesus dialogava - n.19
Graça Maciel
 
A033 EAE DM - O QUADRO DOS DISCÍPULOS 20170908
A033 EAE DM - O QUADRO DOS DISCÍPULOS 20170908A033 EAE DM - O QUADRO DOS DISCÍPULOS 20170908
A033 EAE DM - O QUADRO DOS DISCÍPULOS 20170908
Daniel de Melo
 
A Fidelidade de Deus.
A  Fidelidade de Deus.A  Fidelidade de Deus.
A Fidelidade de Deus.
Márcio Martins
 
Paulo vida e_obra
Paulo vida e_obraPaulo vida e_obra
Paulo vida e_obra
ricardosantista
 
O martirio de policarpo
O martirio de policarpoO martirio de policarpo
O martirio de policarpo
Moysés Lautenschlager
 
Jovem
JovemJovem
Iasd rejeitará o sábado (3)
Iasd rejeitará o sábado (3)Iasd rejeitará o sábado (3)
Iasd rejeitará o sábado (3)
Jose Moraes
 

Mais procurados (20)

Tua fé te salvou richard simonetti
Tua fé te salvou   richard simonettiTua fé te salvou   richard simonetti
Tua fé te salvou richard simonetti
 
A Conversão de Paulo
A Conversão de PauloA Conversão de Paulo
A Conversão de Paulo
 
Jesus e as sinagogas - n.17
Jesus e as sinagogas - n.17Jesus e as sinagogas - n.17
Jesus e as sinagogas - n.17
 
Paulo De Tarso
Paulo De TarsoPaulo De Tarso
Paulo De Tarso
 
Estêvão - O primeiro mártir do Cristianismo - EADE
Estêvão - O primeiro mártir do Cristianismo - EADEEstêvão - O primeiro mártir do Cristianismo - EADE
Estêvão - O primeiro mártir do Cristianismo - EADE
 
A multidão e Jesus
A multidão e JesusA multidão e Jesus
A multidão e Jesus
 
Voz da paróquia Fevereiro 2015
Voz da paróquia Fevereiro 2015Voz da paróquia Fevereiro 2015
Voz da paróquia Fevereiro 2015
 
Comentario sobre filipenses livro - cheung
Comentario sobre filipenses   livro - cheungComentario sobre filipenses   livro - cheung
Comentario sobre filipenses livro - cheung
 
A cura da sogra de pedro
A cura da sogra de pedro A cura da sogra de pedro
A cura da sogra de pedro
 
Contato: A Páscoa em Jerusalém
Contato: A Páscoa em JerusalémContato: A Páscoa em Jerusalém
Contato: A Páscoa em Jerusalém
 
A despedida do lider
A despedida do liderA despedida do lider
A despedida do lider
 
LIÇÃO 13 - A FIDELIDADE DE DEUS
LIÇÃO 13 - A FIDELIDADE DE DEUSLIÇÃO 13 - A FIDELIDADE DE DEUS
LIÇÃO 13 - A FIDELIDADE DE DEUS
 
LBA LIÇÃO 13 - A FIDELIDADE DE DEUS
LBA LIÇÃO 13 - A FIDELIDADE DE DEUSLBA LIÇÃO 13 - A FIDELIDADE DE DEUS
LBA LIÇÃO 13 - A FIDELIDADE DE DEUS
 
Como Jesus dialogava - n.19
Como Jesus dialogava - n.19Como Jesus dialogava - n.19
Como Jesus dialogava - n.19
 
A033 EAE DM - O QUADRO DOS DISCÍPULOS 20170908
A033 EAE DM - O QUADRO DOS DISCÍPULOS 20170908A033 EAE DM - O QUADRO DOS DISCÍPULOS 20170908
A033 EAE DM - O QUADRO DOS DISCÍPULOS 20170908
 
A Fidelidade de Deus.
A  Fidelidade de Deus.A  Fidelidade de Deus.
A Fidelidade de Deus.
 
Paulo vida e_obra
Paulo vida e_obraPaulo vida e_obra
Paulo vida e_obra
 
O martirio de policarpo
O martirio de policarpoO martirio de policarpo
O martirio de policarpo
 
Jovem
JovemJovem
Jovem
 
Iasd rejeitará o sábado (3)
Iasd rejeitará o sábado (3)Iasd rejeitará o sábado (3)
Iasd rejeitará o sábado (3)
 

Semelhante a Paulo de tarso

25.12.2016 simeão, o bom velhinho
25.12.2016 simeão, o bom velhinho25.12.2016 simeão, o bom velhinho
25.12.2016 simeão, o bom velhinho
Hugo Machado
 
Conversão de São Paulo
Conversão de São PauloConversão de São Paulo
Conversão de São Paulo
guestbca50a
 
Mulheres que seguiram Jesus.pptx
Mulheres que seguiram Jesus.pptxMulheres que seguiram Jesus.pptx
Mulheres que seguiram Jesus.pptx
M.R.L
 
Maria, a Mãe de Jesus
Maria, a Mãe de JesusMaria, a Mãe de Jesus
Maria, a Mãe de Jesus
Antonino Silva
 
Jesus cristo
Jesus cristoJesus cristo
Jesus cristo
EWALDO DE SOUZA
 
Chama do Carmo_185
Chama do Carmo_185Chama do Carmo_185
Chama do Carmo_185
Frei João
 
Estudo adicional_Discipulando poderosos_912014
Estudo adicional_Discipulando poderosos_912014Estudo adicional_Discipulando poderosos_912014
Estudo adicional_Discipulando poderosos_912014
Gerson G. Ramos
 
Joana de Cusa
Joana de CusaJoana de Cusa
Joana de Cusa
Helio Cruz
 
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptxLivro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
PIB Penha
 
Livro "TRANSFORMAÇÃO PELO PERDÃO"
Livro "TRANSFORMAÇÃO PELO PERDÃO"Livro "TRANSFORMAÇÃO PELO PERDÃO"
Livro "TRANSFORMAÇÃO PELO PERDÃO"
tatianaeed
 
Tranformando pelo perdao
Tranformando pelo perdaoTranformando pelo perdao
Tranformando pelo perdao
arthurgomes33
 
50 anos depois
50 anos depois50 anos depois
50 anos depois
Patricia Farias
 
Palestra - O Suave Perfume de Jesus
Palestra - O Suave Perfume de JesusPalestra - O Suave Perfume de Jesus
Palestra - O Suave Perfume de Jesus
Mensageiros De Luz
 
GGR_As mulheres no ministério de Jesus_622015
GGR_As mulheres no ministério de Jesus_622015GGR_As mulheres no ministério de Jesus_622015
GGR_As mulheres no ministério de Jesus_622015
Gerson G. Ramos
 
Deus e Jesus
Deus e JesusDeus e Jesus
Deus e Jesus
celsocs
 
Livro dos Espíritos Q.308 ESE - cap26 item 5
Livro dos Espíritos Q.308 ESE - cap26 item 5Livro dos Espíritos Q.308 ESE - cap26 item 5
Livro dos Espíritos Q.308 ESE - cap26 item 5
Patricia Farias
 
A026 EAE DM - OS TRABALHOS NA GALILÉIA
A026 EAE DM - OS TRABALHOS NA GALILÉIAA026 EAE DM - OS TRABALHOS NA GALILÉIA
A026 EAE DM - OS TRABALHOS NA GALILÉIA
Daniel de Melo
 
Que fazemos do mestre
Que fazemos do mestreQue fazemos do mestre
Que fazemos do mestre
Izabel Cristina Fonseca
 
REENCARNAÇÕES DE EMMANUEL, O MENSAGEIRO DA LUZ
REENCARNAÇÕES DE EMMANUEL, O MENSAGEIRO DA LUZREENCARNAÇÕES DE EMMANUEL, O MENSAGEIRO DA LUZ
REENCARNAÇÕES DE EMMANUEL, O MENSAGEIRO DA LUZ
Roque Souza
 
Jesus e o evangelho á luz da psicologia profunda divaldo franco
Jesus e o evangelho á luz da psicologia profunda  divaldo francoJesus e o evangelho á luz da psicologia profunda  divaldo franco
Jesus e o evangelho á luz da psicologia profunda divaldo franco
Helio Cruz
 

Semelhante a Paulo de tarso (20)

25.12.2016 simeão, o bom velhinho
25.12.2016 simeão, o bom velhinho25.12.2016 simeão, o bom velhinho
25.12.2016 simeão, o bom velhinho
 
Conversão de São Paulo
Conversão de São PauloConversão de São Paulo
Conversão de São Paulo
 
Mulheres que seguiram Jesus.pptx
Mulheres que seguiram Jesus.pptxMulheres que seguiram Jesus.pptx
Mulheres que seguiram Jesus.pptx
 
Maria, a Mãe de Jesus
Maria, a Mãe de JesusMaria, a Mãe de Jesus
Maria, a Mãe de Jesus
 
Jesus cristo
Jesus cristoJesus cristo
Jesus cristo
 
Chama do Carmo_185
Chama do Carmo_185Chama do Carmo_185
Chama do Carmo_185
 
Estudo adicional_Discipulando poderosos_912014
Estudo adicional_Discipulando poderosos_912014Estudo adicional_Discipulando poderosos_912014
Estudo adicional_Discipulando poderosos_912014
 
Joana de Cusa
Joana de CusaJoana de Cusa
Joana de Cusa
 
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptxLivro Atos dos apóstolos  estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
Livro Atos dos apóstolos estudo 12- Cap 25 e 26.pptx
 
Livro "TRANSFORMAÇÃO PELO PERDÃO"
Livro "TRANSFORMAÇÃO PELO PERDÃO"Livro "TRANSFORMAÇÃO PELO PERDÃO"
Livro "TRANSFORMAÇÃO PELO PERDÃO"
 
Tranformando pelo perdao
Tranformando pelo perdaoTranformando pelo perdao
Tranformando pelo perdao
 
50 anos depois
50 anos depois50 anos depois
50 anos depois
 
Palestra - O Suave Perfume de Jesus
Palestra - O Suave Perfume de JesusPalestra - O Suave Perfume de Jesus
Palestra - O Suave Perfume de Jesus
 
GGR_As mulheres no ministério de Jesus_622015
GGR_As mulheres no ministério de Jesus_622015GGR_As mulheres no ministério de Jesus_622015
GGR_As mulheres no ministério de Jesus_622015
 
Deus e Jesus
Deus e JesusDeus e Jesus
Deus e Jesus
 
Livro dos Espíritos Q.308 ESE - cap26 item 5
Livro dos Espíritos Q.308 ESE - cap26 item 5Livro dos Espíritos Q.308 ESE - cap26 item 5
Livro dos Espíritos Q.308 ESE - cap26 item 5
 
A026 EAE DM - OS TRABALHOS NA GALILÉIA
A026 EAE DM - OS TRABALHOS NA GALILÉIAA026 EAE DM - OS TRABALHOS NA GALILÉIA
A026 EAE DM - OS TRABALHOS NA GALILÉIA
 
Que fazemos do mestre
Que fazemos do mestreQue fazemos do mestre
Que fazemos do mestre
 
REENCARNAÇÕES DE EMMANUEL, O MENSAGEIRO DA LUZ
REENCARNAÇÕES DE EMMANUEL, O MENSAGEIRO DA LUZREENCARNAÇÕES DE EMMANUEL, O MENSAGEIRO DA LUZ
REENCARNAÇÕES DE EMMANUEL, O MENSAGEIRO DA LUZ
 
Jesus e o evangelho á luz da psicologia profunda divaldo franco
Jesus e o evangelho á luz da psicologia profunda  divaldo francoJesus e o evangelho á luz da psicologia profunda  divaldo franco
Jesus e o evangelho á luz da psicologia profunda divaldo franco
 

Mais de Mocidade Bezzerra de Menezes

O povo hebreu 2016
O povo hebreu 2016O povo hebreu 2016
O povo hebreu 2016
Mocidade Bezzerra de Menezes
 
Gestação E Espirismo
Gestação E EspirismoGestação E Espirismo
Gestação E Espirismo
Mocidade Bezzerra de Menezes
 
Aula Lei de reprodução - Espiritismo
Aula Lei de reprodução - EspiritismoAula Lei de reprodução - Espiritismo
Aula Lei de reprodução - Espiritismo
Mocidade Bezzerra de Menezes
 
Aula Fé e a Prece
Aula Fé e a PreceAula Fé e a Prece
Aula Fé e a Prece
Mocidade Bezzerra de Menezes
 
Deficiências e Espiritismo
Deficiências e EspiritismoDeficiências e Espiritismo
Deficiências e Espiritismo
Mocidade Bezzerra de Menezes
 
Aula honrar pai e mae 3ciclo 2010
Aula honrar pai e mae 3ciclo 2010Aula honrar pai e mae 3ciclo 2010
Aula honrar pai e mae 3ciclo 2010
Mocidade Bezzerra de Menezes
 
Livre arbitrio e Espiritismo
Livre arbitrio e EspiritismoLivre arbitrio e Espiritismo
Livre arbitrio e Espiritismo
Mocidade Bezzerra de Menezes
 
Doença sexualmente transmissível e Espiritismo
Doença sexualmente transmissível e EspiritismoDoença sexualmente transmissível e Espiritismo
Doença sexualmente transmissível e Espiritismo
Mocidade Bezzerra de Menezes
 
Aula parabola do semeador 2013 m1
Aula parabola do semeador 2013 m1Aula parabola do semeador 2013 m1
Aula parabola do semeador 2013 m1
Mocidade Bezzerra de Menezes
 
Aula Celular
Aula Celular Aula Celular
Aula Introdução a Mediunidade
Aula Introdução a MediunidadeAula Introdução a Mediunidade
Aula Introdução a Mediunidade
Mocidade Bezzerra de Menezes
 
Caridade com o proximo
Caridade com o proximoCaridade com o proximo
Caridade com o proximo
Mocidade Bezzerra de Menezes
 
Aula maior mandamento
Aula maior mandamentoAula maior mandamento
Aula maior mandamento
Mocidade Bezzerra de Menezes
 
Amar ao proximo Familia
Amar ao proximo FamiliaAmar ao proximo Familia
Amar ao proximo Familia
Mocidade Bezzerra de Menezes
 
Aula responsabilidade e disciplina 3ciclo 2010
Aula responsabilidade e disciplina 3ciclo 2010Aula responsabilidade e disciplina 3ciclo 2010
Aula responsabilidade e disciplina 3ciclo 2010
Mocidade Bezzerra de Menezes
 
Aula Reencarnação
Aula Reencarnação Aula Reencarnação
Aula Reencarnação
Mocidade Bezzerra de Menezes
 
Aula planejamento Reencarnatório
Aula planejamento ReencarnatórioAula planejamento Reencarnatório
Aula planejamento Reencarnatório
Mocidade Bezzerra de Menezes
 
Aula porque nasci
Aula porque nasciAula porque nasci
Aula porque nasci
Mocidade Bezzerra de Menezes
 
Aula fidelidade 2014
Aula fidelidade 2014Aula fidelidade 2014
Aula fidelidade 2014
Mocidade Bezzerra de Menezes
 
Aborto e suas Consequências
Aborto e suas Consequências Aborto e suas Consequências
Aborto e suas Consequências
Mocidade Bezzerra de Menezes
 

Mais de Mocidade Bezzerra de Menezes (20)

O povo hebreu 2016
O povo hebreu 2016O povo hebreu 2016
O povo hebreu 2016
 
Gestação E Espirismo
Gestação E EspirismoGestação E Espirismo
Gestação E Espirismo
 
Aula Lei de reprodução - Espiritismo
Aula Lei de reprodução - EspiritismoAula Lei de reprodução - Espiritismo
Aula Lei de reprodução - Espiritismo
 
Aula Fé e a Prece
Aula Fé e a PreceAula Fé e a Prece
Aula Fé e a Prece
 
Deficiências e Espiritismo
Deficiências e EspiritismoDeficiências e Espiritismo
Deficiências e Espiritismo
 
Aula honrar pai e mae 3ciclo 2010
Aula honrar pai e mae 3ciclo 2010Aula honrar pai e mae 3ciclo 2010
Aula honrar pai e mae 3ciclo 2010
 
Livre arbitrio e Espiritismo
Livre arbitrio e EspiritismoLivre arbitrio e Espiritismo
Livre arbitrio e Espiritismo
 
Doença sexualmente transmissível e Espiritismo
Doença sexualmente transmissível e EspiritismoDoença sexualmente transmissível e Espiritismo
Doença sexualmente transmissível e Espiritismo
 
Aula parabola do semeador 2013 m1
Aula parabola do semeador 2013 m1Aula parabola do semeador 2013 m1
Aula parabola do semeador 2013 m1
 
Aula Celular
Aula Celular Aula Celular
Aula Celular
 
Aula Introdução a Mediunidade
Aula Introdução a MediunidadeAula Introdução a Mediunidade
Aula Introdução a Mediunidade
 
Caridade com o proximo
Caridade com o proximoCaridade com o proximo
Caridade com o proximo
 
Aula maior mandamento
Aula maior mandamentoAula maior mandamento
Aula maior mandamento
 
Amar ao proximo Familia
Amar ao proximo FamiliaAmar ao proximo Familia
Amar ao proximo Familia
 
Aula responsabilidade e disciplina 3ciclo 2010
Aula responsabilidade e disciplina 3ciclo 2010Aula responsabilidade e disciplina 3ciclo 2010
Aula responsabilidade e disciplina 3ciclo 2010
 
Aula Reencarnação
Aula Reencarnação Aula Reencarnação
Aula Reencarnação
 
Aula planejamento Reencarnatório
Aula planejamento ReencarnatórioAula planejamento Reencarnatório
Aula planejamento Reencarnatório
 
Aula porque nasci
Aula porque nasciAula porque nasci
Aula porque nasci
 
Aula fidelidade 2014
Aula fidelidade 2014Aula fidelidade 2014
Aula fidelidade 2014
 
Aborto e suas Consequências
Aborto e suas Consequências Aborto e suas Consequências
Aborto e suas Consequências
 

Último

Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
AndreyCamarini
 
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
AlexandreCarvalho858758
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Celso Napoleon
 
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.128 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
PIB Penha
 
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
PIB Penha
 
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
Marta Gomes
 
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
PIB Penha
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
Rogério Augusto Ayres de Araujo
 
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyugcontrole-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
AntonioMugiba
 
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
PIB Penha
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
AlailzaSoares1
 
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
Nilson Almeida
 
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
PIB Penha
 
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
PIB Penha
 
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
EdimarEdigesso
 
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
PIB Penha
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Ricardo Azevedo
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Celso Napoleon
 
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptxO MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
valneirocha
 
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
PIB Penha
 

Último (20)

Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdfBiblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
Biblia em ordem cronologica-Edward Reese e Frank Klassen-NVI-pdf.pdf
 
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptxApresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
Apresentação Transformando-Membros-e-Líderes.pptx
 
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptxLição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
Lição 2 O Livro de Rute - CPAD Adultos.pptx
 
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.128 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
8 - A Palavra de Honra do Cristão.Versículo-Chave: Tiago 5.12
 
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
3 - O Caráter do Cristão 2. Lição 3: O CARÁTER DO CRISTÃO (2)
 
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
1.3 - Criação. Considerações e concordâncias bíblicas no tocante à criação.
 
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
4 - A Influência do Cristão. Mateus 5.16 Da mesma forma, brilhe a luz de você...
 
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújoquem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
quem e essa pessoa. Rogerio Augusto Ayres de Araújo
 
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyugcontrole-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
controle-unidade.pptxvvvvggffgfftrddfyug
 
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
6 - O ato de Reconciliação do cristão Versículo-Chave: Mateus 5.22.
 
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
21 Dias - Jejum de Daniel Copyright ©️ de Joel Engel.pdf
 
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
10 Orações Poderosas Ao Espírito Santo
 
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
7 - O Casamento Cristão. Mateus 19.6 Assim, eles já não são dois, mas sim uma...
 
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
5 - A justiça do cristão. Mateus 5.20 Pois eu digo que, se a justiça de vocês...
 
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
Marie Louise Von Franz - Alquimia.pdf001
 
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
1 - Jesus - O Mestre por Excelência. Mt 1,2 "Ao ver as multidões, Jesus subiu...
 
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - RevidesSérie Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
Série Evangelho no Lar - Pão Nosso - Cap. 142 - Revides
 
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptxLição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
Lição 3 Rute e Noemi - Entrelaçadas pelo Amor.pptx
 
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptxO MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
O MÉTODO DE CRISTO - A DINÂMICA DO TESTEMUNHO.pptx
 
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são  pe...
2 - O Caráter do Cristão 1."Bem-aventurado aquele cujas transgressões são pe...
 

Paulo de tarso

  • 1. Tema: Paulo de Tarso Incentivação Inicial: Mostrar a imagem da Santa Ceia e perguntar quem são as pessoas da imagem, dizer que falta um dos apóstolos mais importantes do cristianismo. Desenvolvimento: Era chamado Saulo. Quem foi Saulo? - Veio de família de vendedores de tendas e fariseus, classe mais culta da época, e assim foi educado com a mais alta qualidade da época, aprendeu a ler e desde cedo foi colocado no estudo das escrituras. Tornou-se um conhecedor das Leis. Foi enviado a Jerusalém, para tornar-se Doutor da Lei. Teve como professor da Sagrada Escritura o célebre Gamaliel, homem muito culto e sábio. - Saulo tinha um caráter rígido, defendia profundamente os valores em que acreditava, com paixão e fé, em pouco tempo traçava planos para levar as Lei de Moisés adiante com todas as forças que possuia, perseguindo aqueles que se opusessem. Tomado de feroz ódio contra Jesus e seus seguidores, pois considerava-os blasfemadores. Dizia também: Não esquecer que Roma é poderosa e que Atenas é sábia, tornando-se indispensável acordar a eterna Hegemonia de Jerusalém como o tabernáculo de Deus Único. Precisamos dobrar os Gregos e Romanos, ante a Lei de Moisés (MONOTEÍSMO) - Saulo apaixona-se por Abigail, que além de ser uma jovem de grande beleza, possuia uma moral muito elevada. Era inteligente, versada na Lei, que significava naquela época uma pessoa bem instruida. E ela era sobretudo dócil e carinhosa. Os dois planejam sua união. São espíritos de profunda afinidade, almas ligadas espiritualmente pelo verdadeiro amor. - Abigail tem um irmão chamado Jesiel, por quem sente saudade pois encontra-se distante. Jesiel converte- se ao cristianismo sem que Abigail saiba e passa a se chamar Estevão. Saulo não conhece Estevão. Vinha de família Judaica, vitima de perseguições. Foi vendido como escravo e sentenciado as galeras. Nesse trabalho, serviu a um nobre Romano, Sérgio Paulo que o libertou da escravidão. Soube que seu Pai falecera e que sua muito amada irmã Abigail, amparada por um bondoso casal, seguira viagem, com rumo ignorado. Ouviu falar nos homens do Caminho, (denominação dos antigos Cristãos) Procurou-os e sentiu a corrente magnética das grandes atrações afetivas. Recebeu dos Apóstolos o nome grego de Estevão e começou para o jovem de Corinto, uma vida nova. Em pouco tempo, tornou-se famoso. Sua palavra resplandecia nas pregações da Igreja, iluminada pala Fé ardente e pura que lhe semeara no coração as estrelas abençoadas de um júbilo infinito. Os próprios Discípulos surpreendiam-se com a magia de suas profundas inspirações, sua pregação estava cheia de lágrimas e alegrias, de belezas e aspirações. Sempre o Cristo. Sempre o impostor! Trovejava Saulo. Parecia possesso de fúria e gritava: Galileus incultos. Saberei vingar a Lei de Moisés. Recorrerei ao Sinédrio para vos julgar e punir. _Amigo, respondia o pregador de ânimo sereno. _O Sinédrio, tem mil meios de me fazer chorar, mas não lhe reconheço poderes para obrigar-me a renunciar ao AMOR de JESUS CRISTO.
  • 2. Ante o Sinédrio, Estevão foi acusado de blasfemo, caluniador e feiticeiro em virtude de curar em dia de Sábado. Não foi eu, quem praticou esse ato de cura, foi o Cristo, por intermédio de minha pobreza, dizia Estevão.- compreendereis um dia que, para Deus, Israel significa a humanidade inteira. Apedrejemos o imundo! Matemos a calunia e o feiticeiro Foi então que Gamaliel, não desejando precipitar a solução, propôs que se estudasse o caso mais ponderosamente. Mas saulo estava resoluto Estarias disposto a abjurar contra o Carpinteiro de Nazaré ? _Não insulteis o Salvador! - disse o arauto do Cristo. Nada no mundo me fará renunciar a sua tutela Divina. Estevão foi levado ao pátio do apedrejamento. Os executores seriam os representantes das diversas Sinagogas da cidade. Dedicados amigos do Plano Espiritual rodeavam o mártir nos seus momentos supremos. - era o fim. Figurou-se lhe a corte Celestial, e disse: _Eis que vejo os Céus abertos e o Cristo Ressuscitado na grandeza de Deus. Eis que Abigail que ali estava, reconhece no jovem supliciado, o seu irmão. Saulo! Saulo!... é meu irmão. É Jesiel. Aproximou-se do irmão moribundo que também a reconheceu dizendo: _Não chores, estou bem!... Estou com Jesus. _Estás com Jesus?- porque te chamam Estevão? _Jesus é o nosso Salvador. Fui libertado por um generoso Romano e hoje chamam-me Estevão _A alma é imortal. Sinto deixar-te... quando mal torno a ver-te. _Não tenho em Saulo um inimigo, tenho um irmão. Quando conhecer Jesus, servi-lo-á com muito amor. _Abigail, vou-me em paz... Queria ouvir-te em prece... dos aflitos e agonizantes. Encontra novamente Gamaliel que o ensinou no início para tornar-se Doutor da Lei e este está convertido no cristianismo e defender os Apóstolos ameaçados pelo Sinédrio dizendo: O "CAMINHO," Saulo, parece ter uma grande finalidade na renovação de nossos valores humanos e religiosos. Quem entre nós se havia lembrado de amparar os infortunados ao provimento de um lar afetuoso e fraterno. Tenciono retirar-me da vida pública em breves dias, a fim de tomar o caminho do deserto. Não me suponhas mentalmente debilitado. A velhice do corpo, não me apagou a capacidade de pensar e discernir por min mesmo. Me conheces, e sabes que o homem sincero não se pode preocupar com os que o elogiem pu o lamentem, no cumprimento de um dever sagrado. Deixa-os em paz Saulo. É só o que te peço. Serás o meu substituto neste senáculo, porquanto tenciono abandonar a cidade em breves dias. Mas.... e a minha autoridade? Dizia Saulo. Toda autoridade é de Deus, meu filho. Somos simples e imperfeitos e ninguém se diminuirá por ser humilde e tolerante.
  • 3. Mas sentia uma saudades singular de sua bem amada Abigail. jamais esqueceria aquela prece angustiada e comovedora, que ela fizera ao abraçar o irmão nos derradeiros instantes da vida. Resolveu capitular ante a saudades e procurou a noiva na pequena cidade de Jope. Soube ali que a pobrezinha adoecerá gravemente. Soube também que por ali passara um Cristão de nome Ananias, que convertera a jovem ao Cristianismo E com uma só lágrima silenciosa, a doente Abigail, deu o seu último adeus. Saulo ficou furioso, querendo conhecer o paradeiro de Ananias, a fim de prende-lo. Roído pêlo egoísmo e o ciúme, recebeu do Sinédrio, autorização para um trabalho de perseguição aos Cristãos e soube que Ananias, se encontrava na cidade de Damasco. Em pequena caravana, composta de três varões, deslocaram-se de Jerusalém para a extensa planície de Síria. Sua alma desdobrava-se em perguntas atrozes. Carecia de paz interior. Tinha sede de estabilidade. Entretanto aqueles adeptos do Carpinteiro crucificado, ostentavam uma serenidade desconhecida. Foi no caminho de Damasco que se deu a sua repentina conversão (30). Ele e seus companheiros viajavam pelos desertos da Galiléia e quando, ao meio-dia, o sol ardente estava no seu zênite, At 26. 13, repentinamente uma luz vinda do céu, mais brilhante que a luz do sol caiu sobre eles, derrubando-os. Jacob!... Demétrios!.... Socorram-me!... Gritava desesperadamente. Todos se ergueram, mas ele continuou prostrado por terra. Ouviu-se então uma voz que dizia em língua hebraica: "Saulo, Saulo, porque me persegues? Respondeu ele então: "Quem és tu Senhor?" E veio a resposta: "Eu sou Jesus a quem tu persegues. Dura coisa é recalcitrares contra o aguilhão (²)". Saulo compreendeu e chorou. Sim, ele era a ovelha perdida, Jesus era o Pastor amigo que carinhosamente procurava salva-lo. _Senhor!... Que quereis que eu faça? _Levanta-te Saulo! Entra na cidade e lá te será dito o que te convém fazer!... Saulo esfregou os olhos como se desejasse rasgar o véu que lhe obscurecia a vista, mas só conseguiu tatear no seio das trevas densas. _Estou cego!... _Eu vi Jesus Nazareno!...Disse modificado. _Senhor disseram os companheiros, lamentamos a vossa enfermidade. Os companheiros que o seguiam ouviam a voz sem nada ver, nem entender. Ofuscado pelo intenso clarão da luz, foi conduzido pela mão dos companheiros. Entrou em Damasco e hospedou-se na casa de Judas, onde permaneceu três dias sem ver, sem comer e nem beber, orando e meditando sobre a revelação divina. Guiado pelo Senhor, o judeu convertido Ananias, foi visitar-lhe e ao se encontrar com o grande perseguidor, recebeu a confissão da sua nova fé. Certo de sua conversão Ananias impôs-lhe as mãos, fê-lo recobrar a visão e o batizou. "Não é este aquele que ainda ontem, perseguia os Cristãos" diziam. A conselho de Ananias, procurou o deserto para meditar, porque tudo o que é de Deus, reclama grande paz e profunda compreensão. Além do mais há ainda a necessidade do sofrimento. Só a dor, nos ensina a ser humanos. É preciso morrer para o mundo, para que o Cristo viva em nós.....
  • 4. A partir de então, com a juventude e a energia que o caracterizava, e para grande espanto dos judeus, começou a pregar nas sinagogas que Jesus era o Cristo, Filho de Deus vivo, 9 10-22. Regressou à Jerusalém, onde sofreu a desconfiança dos que não acreditavam na sua repentina conversão e instalou-se em Antióquia, na Síria, de onde fez três grandes viagens missionárias, ao longo de 25 anos. Pregou na Ásia Menor, Grécia e Jerusalém, até ser preso em Cesaréia (61). Levado para Roma, permaneceu dois anos sob custódia militar, gozando de relativa liberdade, suficiente para receber os cristãos e converter os pagãos. Durante esse período escreveu as cartas aos Filipenses, aos Colossenses, aos Efésios e a Filêmon. Inocentado (63) passou pela Espanha, visitou suas comunidades no Oriente, onde foi preso e novamente levado para Roma (67) sob a acusação de seguir uma religião ilegal. São desse último período as duas cartas a Timóteo e a carta a Tito. Por ordem de Nero desta vez não teve perdão e foi condenado à morte, mas por ser um cidadão romano não deve ter sido crucificado e, sim, decapitado. A história se inverte, Paulo passa a sentir as dificuldades dos cristãos e a ser perseguido Tenta pregar o Cristianismo nas sinagogas onde antes pregava o judaismo. Quis falar na Sinagoga de Jerusalém, mais foi mal recebido. Ouviu a vós da seu guia (ESTEVÃO) Que lhe dava assistência Espiritual: _Retira-te de Jerusalém, porque os companheiros não aceitarão, por enquanto o teu testemunho. Abigail e Estevão passam a acompanha-lo espiritualmente em sua jornada, axiliando-o e muitas vezes fazendo-se visíveis e perseptiveis para Paulo. Saulo porque me persegues? Senhor, que quereis que eu faça?