SlideShare uma empresa Scribd logo
O TRABALHADOR E A INSERÇÃO OCUPACIONAL
NA CONSTRUÇÃO NA REGIÃO METROPOLITANA
DE PORTO ALEGRE EM 2016
(%)
Períodos
Setores de atividade
Indústria de
Transformação
Comércio e
reparação de
veículos
Serviços Construção
2011 17,5 19,8 54,5 7,0
2012 17,5 19,7 54,7 7,0
2013 17,1 20,2 54,9 6,7
2014 16,8 19,7 55,4 7,0
2015 16,5 18,8 56,7 6,9
2016 16,1 19,5 56,4 7,1
Distribuição dos ocupados, no trabalho principal, por setores de atividade,
na Região Metropolitana de Porto Alegre, 2011 - 2016
Boletim Trabalho e Construção
Fonte: PED-RMPA – Convênio FEE, FGTAS, SEADE, DIEESE e apoio FAT/MTb
A construção
correspondeu a
24% do Valor
Adicionado na
RMPA em 2016
Estimativa dos ocupados no setor da construção, no trabalho principal,
na Região Metropolitana de Porto Alegre, 2011 - 2016
Boletim Trabalho e Construção
127
128
123
126
122
120
2011 2012 2013 2014 2015 2016
(Em mil pessoas)
Fonte: PED-RMPA – Convênio FEE, FGTAS, SEADE, DIEESE e apoio FAT/MTb
Menor número de
ocupados da série
Distribuição dos ocupados, no setor da Construção, no trabalho principal, segundo
divisões do setor, na Região Metropolitana de Porto Alegre, 2011 - 2016
Boletim Trabalho e Construção
(%)
PERÍODOS
DIVISÕES DA CONSTRUÇÃO
Construção e Incorporação
de Edifícios
Obras de
Infraestrutura
Serviços Especializados
para Construção
2011 78,5 4,6 16,9
2012 75,2 6,2 18,6
2013 75,2 6,2 18,6
2014 72,5 (1) 22,6
2015 70,7 (1) 26,9
2016 73,5 (1) 24,3
Fonte: PED-RMPA – Convênio FEE, FGTAS, SEADE, DIEESE e apoio FAT/MTb
Nota: (1) Amostra não comporta desagregação para esta categoria
Perfil do trabalhador da Construção
Boletim Trabalho e Construção
Boletim Trabalho e Construção
• 95,4% são homens
• Redução da participação dos jovens
• 54,1% possui 40 anos e mais
• Aumento da participação de idosos ocupados na construção
• São de baixa escolaridade
• Mais de 2/3 são chefes de família
Perfil dos trabalhadores da Construção
Distribuição dos ocupados, no setor da construção, no trabalho principal,
segundo faixas etárias, na Região Metropolitana de Porto Alegre, 2011 - 2016
Boletim Trabalho e Construção
Fonte: PED-RMPA – Convênio FEE, FGTAS, SEADE, DIEESE e apoio FAT/MTb
(%)
PERÍODOS
FAIXAS ETÁRIAS
De 16 a 24
Anos
De 25 a 29
Anos
De 30 a 39
Anos
De 40 a 49
Anos
De 50 a 59
Anos
60 Anos e
Mais
2011 15,0 10,3 21,3 23,3 22,8 7,3
2012 15,1 10,5 22,7 22,7 22,0 6,9
2013 14,3 11,1 22,2 22,8 22,2 7,2
2014 13,2 11,0 22,1 24,4 21,0 8,1
2015 14,7 9,3 23,5 22,5 22,1 7,9
2016 10,9 11,0 24,0 23,2 21,0 9,9
Distribuição dos ocupados no setor da Construção, no trabalho principal, segundo
escolaridade, na Região Metropolitana de Porto Alegre, 2011 - 2016
Boletim Trabalho e Construção
Fonte: PED-RMPA – Convênio FEE, FGTAS, SEADE, DIEESE e apoio FAT/MTb
Nota: (1) Amostra não comporta desagregação para esta categoria
(%)
PERÍODOS
ESCOLARIDADE
Ensino Fundamental
Incompleto
Ensino Fundamental
Completo ou Médio
Incompleto
Ensino Médio
Completo ou Superior
Incompleto
Ensino
Superior
Completo
2011 52,2 23,5 18,4 4,5
2012 50,4 24,3 19,8 (1)
2013 50,6 21,9 22,2 (1)
2014 44,3 25,4 24,3 (1)
2015 44,9 24,7 22,5 6,7
2016 44,1 27,0 24,0 (1)
Distribuição dos ocupados nas divisões do setor da construção, no trabalho principal,
segundo a escolaridade, na Região Metropolitana de Porto Alegre em 2016
Boletim Trabalho e Construção
Fonte: PED-RMPA – Convênio FEE, FGTAS, SEADE, DIEESE e apoio FAT/MTb
48.8
31.6
26.7 27.1
19.5
38.1
Construção e Incorporação de Edifícios Serviços Especializados para Construção
Ensino fundamental incompleto
Ensino fundamental completo+médio incompleto
Ensino médio completo+superior incompleto
(%)
Maior presença
de ocupados
escolarizados
nesta divisão
Proporção de ocupados, no trabalho principal, na posição de chefes de família
por setor de atividade, na Região Metropolitana de Porto Alegre 2011, 2015 e 2016
Boletim Trabalho e Construção
Fonte: PED-RMPA – Convênio FEE, FGTAS, SEADE, DIEESE e apoio FAT/MTb
49.7 50.1 50.6
72.2 72.8
69.1
48.0 48.5 49.1
2011 2015 2016
Total de ocupados Construção Demais setores
(%)
A inserção ocupacional na construção
Boletim Trabalho e Construção
Boletim Trabalho e Construção
• Menor patamar de registro formal no mercado de trabalho
• Maior patamar de trabalhadores sem carteira
• A divisão dos serviços especializados possui a maior proporção
de autônomos
ASSALARIADOS AUTÔNOMOS
TOTAL DE OCUPADOS 70,2% 13,7%
CONSTRUÇÃO 46,8% 45,4%
Inserção Ocupacional
Proporção dos trabalhadores com carteira de trabalho assinada no total de ocupados, na
Construção e nos demais setores, na Região Metropolitana de Porto Alegre, 2011, 2015 e 2016
Boletim Trabalho e Construção
Fonte: PED-RMPA – Convênio FEE, FGTAS, SEADE, DIEESE e apoio FAT/MTb
51.5
54.3 53.2
41.0 42.7
37.2
55.5
58.4 57.8
2011 2015 2016
Total de ocupados Construção Demais setores
(%)
Proporção dos ocupados com carteira assinada, no trabalho principal, nas divisões
do setor da Construção, na Região Metropolitana de Porto Alegre, 2011 - 2016.
Boletim Trabalho e Construção
(%)
PERÍODOS
DIVISÕES DA CONSTRUÇÃO
Construção e Incorporação
de Edifícios
Obras de
Infraestrutura
Serviços
Especializados para
Construção
2011 37,9 (1) 45,9
2012 40,3 80,3 40,7
2013 38,5 85,6 37,3
2014 40,6 (1) 45,1
2015 40,0 (1) 46,4
2016 37,1 (1) 32,9
Fonte: PED-RMPA – Convênio FEE, FGTAS, SEADE, DIEESE e apoio FAT/MTb
Nota: (1) Amostra não comporta desagregação para esta categoria
Proporção dos trabalhadores sem carteira assinada no total de ocupados, na Construção
e nos demais setores, na Região Metropolitana de Porto Alegre, 2011, 2015 e 2016
Boletim Trabalho e Construção
Fonte: PED-RMPA – Convênio FEE, FGTAS, SEADE, DIEESE e apoio FAT/MTb
7.6
5.1 5.5
11.0
7.7
9.5
7.9
5.2 5.5
2011 2015 2016
Total de ocupados Construção Demais setores
(%)
Proporção de trabalhadores autônomos no total de ocupados, construção e demais
setores, na Região Metropolitana de Porto Alegre - 2011, 2015 e 2016
Boletim Trabalho e Construção
Fonte: PED-RMPA – Convênio FEE, FGTAS, SEADE, DIEESE e apoio FAT/MTb
(%)
14.1 13.1 13.7
42.9
40.9
45.4
12.7 11.7 12.0
2011 2015 2016
Total de ocupados Construção Demais setores
Proporção de autônomos, no trabalho principal, nas divisões no setor da Construção,
na Região Metropolitana de Porto Alegre — 2011-2016
Boletim Trabalho e Construção
(%)
PERÍODOS
DIVISÕES DA CONSTRUÇÃO
Construção e Incorporação
de Edifícios
Obras de
Infraestrutura
Serviços
Especializados para
Construção
2011 45,2 (1) 41,3
2012 42,9 (1) 43,2
2013 43,1 (1) 50,0
2014 45,6 (1) 40,2
2015 42,4 (1) 40,1
2016 43,5 (1) 55,0
Fonte: PED-RMPA – Convênio FEE, FGTAS, SEADE, DIEESE e apoio FAT/MTb
Nota: (1) Amostra não comporta desagregação para esta categoria
Rendimentos na construção
Boletim Trabalho e Construção
Rendimento médio real, total de ocupados e setor da Construção, na Região
Metropolitana de Porto Alegre — 2011-2016
Boletim Trabalho e Construção
Fonte: PED-RMPA – Convênio FEE, FGTAS, SEADE, DIEESE e apoio FAT/MTb
NOTA: Rendimentos em reais de nov./16. O inflator utilizado foi IPC-IEPE.
1700
1800
1900
2000
2100
2200
2300
2011 2012 2013 2014 2015 2016
(Em reais)
Total de ocupados Construção
-8,0%-9,8%
-7,6%
-6,0%
Rendimento médio real, na Construção, por posição na ocupação, na
Região Metropolitana de Porto Alegre — 2011-2016
Boletim Trabalho e Construção
Fonte: PED-RMPA – Convênio FEE, FGTAS, SEADE, DIEESE e apoio FAT/MTb
NOTA: Rendimentos em reais de nov./16. O inflator utilizado foi IPC-IEPE.
1700
1800
1900
2000
2100
2200
2300
2011 2012 2013 2014 2015 2016
(Em reais)
Assalariados Autônomos
-10,5%
-11,9%
-5,5%
-6,3%
Jornada de trabalho na Construção
Boletim Trabalho e Construção
Jornada média semanal do total dos ocupados na Construção, no trabalho principal,
por divisões do setor, na Região Metropolitana de Porto Alegre — 2011-2016
Boletim Trabalho e Construção
(horas)
PERÍODO
TOTAL DE OCUPADOS
NO SETOR DA
CONSTRUÇÃO
DIVISÕES DA CONSTRUÇÃO
Construção e
Incorporação
de edifícios
Obras de
Infraestrutura
Serviços
Especializados para
Construção
2011 43 43 45 44
2012 43 42 45 43
2013 42 42 44 43
2014 42 42 (1) 42
2015 40 40 (1) 41
2016 41 41 (1) 41
Fonte: PED-RMPA – Convênio FEE, FGTAS, SEADE, DIEESE e apoio FAT/MTb
Nota: (1) Amostra não comporta desagregação para esta categoria
Distribuição dos ocupados na Construção, por faixas de horas semanais de trabalho,
na Região Metropolitana de Porto Alegre — 2011-2016
Boletim Trabalho e Construção
Fonte: PED-RMPA – Convênio FEE, FGTAS, SEADE, DIEESE e apoio FAT/MTb
62.7 63.5 69.0 73.0 76.8 79.7
37.3 36.5 31.0 27.0 23.2 20.3
0.0
20.0
40.0
60.0
80.0
100.0
2011 2012 2013 2014 2015 2016
(%)
Até 44 horas Mais de 44 horas
Previdência Social
Boletim Trabalho e Construção
Distribuição dos ocupados, no trabalho principal, segundo a contribuição para a previdência
e setor de atividade, na Região Metropolitana de Porto Alegre — 2011, 2015 e 2016
Boletim Trabalho e Construção
Fonte: PED-RMPA – Convênio FEE, FGTAS, SEADE, DIEESE e apoio FAT/MTb
79.4 56.2 81.2 84.3 63.7 85.9 83.1 56.8 85.1
20.6 43.8 18.8 15.7 36.3 14.1 16.9 43.2 14.9
0
20
40
60
80
100
2011 2015 2016
(%)
Contribui para Previdência Social
Não Contribui:
Proporção de ocupados que não contribuem para a Previdência Social, por setores de
atividade e posições na ocupação, na Região Metropolitana de Porto Alegre
— 2011, 2015 e 2016
Boletim Trabalho e Construção
Fonte: PED-RMPA – Convênio FEE, FGTAS, SEADE, DIEESE e apoio FAT/MTb
(%)
PERÍODOS
TOTAL DE
OCUPADOS
SETOR DA CONSTRUÇÃO
Total de
Ocupados
Assalariados Autônomos
2011 20,6 43,8 19,7 76,5
2012 19,8 40,5 18,3 73,5
2013 18,2 40,8 19,4 70,1
2014 17,1 36,8 14,1 67,7
2015 15,7 36,3 13,9 66,1
2016 16,9 43,2 18,8 70,6

Mais conteúdo relacionado

Semelhante a O trabalhador e a inserção ocupacional na Construção

Estudo Mercado de Infraestrutura - Investimentos 2020_2025
Estudo Mercado de Infraestrutura - Investimentos 2020_2025Estudo Mercado de Infraestrutura - Investimentos 2020_2025
Estudo Mercado de Infraestrutura - Investimentos 2020_2025
FAIR PLAY AD / @VeronicaRRSouza
 
Informe PED Especial - Jovens
Informe PED Especial - Jovens Informe PED Especial - Jovens
Informe PED Especial - Jovens
Fundação de Economia e Estatística
 
Pesquisa sobre o setor de TI-RJ
Pesquisa sobre o setor de TI-RJPesquisa sobre o setor de TI-RJ
Pesquisa sobre o setor de TI-RJ
tirionoticias
 
Mercado de trabalho na cidade de Porto Alegre
Mercado de trabalho na cidade de Porto AlegreMercado de trabalho na cidade de Porto Alegre
Mercado de trabalho na cidade de Porto Alegre
Fundação de Economia e Estatística
 
Carta de Conjuntura - (12/01/2016) - Raul Bastos
Carta de Conjuntura - (12/01/2016) - Raul Bastos Carta de Conjuntura - (12/01/2016) - Raul Bastos
Carta de Conjuntura - (12/01/2016) - Raul Bastos
Fundação de Economia e Estatística
 
Apresentação APIMEC - MG
Apresentação APIMEC - MGApresentação APIMEC - MG
Apresentação APIMEC - MG
DirecionalRI
 
Desempenho do mercado de trabalho da Região Metropolitana de Porto Alegre e...
Desempenho do mercado de trabalho  da Região Metropolitana de  Porto Alegre e...Desempenho do mercado de trabalho  da Região Metropolitana de  Porto Alegre e...
Desempenho do mercado de trabalho da Região Metropolitana de Porto Alegre e...
Fundação de Economia e Estatística
 
Trabalho autônomo: alternativa consistente para superar o desemprego?
Trabalho autônomo: alternativa consistente  para superar o  desemprego?Trabalho autônomo: alternativa consistente  para superar o  desemprego?
Trabalho autônomo: alternativa consistente para superar o desemprego?
Fundação de Economia e Estatística
 
PLANO DE AÇÃO 2022MAURILIOEDITÁVEL.docx
PLANO DE AÇÃO 2022MAURILIOEDITÁVEL.docxPLANO DE AÇÃO 2022MAURILIOEDITÁVEL.docx
PLANO DE AÇÃO 2022MAURILIOEDITÁVEL.docx
MAURLIOMARQUESPEREIR
 
Perfil dos Fabricantes de Estruturas de Aço 2015
Perfil dos Fabricantes de Estruturas de Aço 2015Perfil dos Fabricantes de Estruturas de Aço 2015
Perfil dos Fabricantes de Estruturas de Aço 2015
Centro Brasileiro da Construção em Aço
 
O Mercado de Trabalho Paraense Sob a Ótica da Dinâmica dos Setores Produtivos
O Mercado de Trabalho Paraense Sob a Ótica da Dinâmica dos Setores ProdutivosO Mercado de Trabalho Paraense Sob a Ótica da Dinâmica dos Setores Produtivos
O Mercado de Trabalho Paraense Sob a Ótica da Dinâmica dos Setores Produtivos
Edson Silva
 
Apresentação Institucional TIM - 2T19
Apresentação Institucional TIM - 2T19Apresentação Institucional TIM - 2T19
Apresentação Institucional TIM - 2T19
TIM RI
 
Perspectivas do Investimento Estrangeiro no Brasil, com Renato Baumann, da Se...
Perspectivas do Investimento Estrangeiro no Brasil, com Renato Baumann, da Se...Perspectivas do Investimento Estrangeiro no Brasil, com Renato Baumann, da Se...
Perspectivas do Investimento Estrangeiro no Brasil, com Renato Baumann, da Se...
Fundação Fernando Henrique Cardoso
 
PLANILHA DE CUSTOS DO SISTEMA DE TRANSPORTE COLETIVO DE ILHÉUS 2014
PLANILHA DE CUSTOS DO SISTEMA DE TRANSPORTE COLETIVO DE ILHÉUS 2014PLANILHA DE CUSTOS DO SISTEMA DE TRANSPORTE COLETIVO DE ILHÉUS 2014
PLANILHA DE CUSTOS DO SISTEMA DE TRANSPORTE COLETIVO DE ILHÉUS 2014
Secom Ilhéus
 
O TRABALHO DOMÉSTICO NA REGIÃO METROPOLITANA DE PORTO ALEGRE EM 2016
O  TRABALHO DOMÉSTICO NA REGIÃO METROPOLITANA DE PORTO ALEGRE EM 2016O  TRABALHO DOMÉSTICO NA REGIÃO METROPOLITANA DE PORTO ALEGRE EM 2016
O TRABALHO DOMÉSTICO NA REGIÃO METROPOLITANA DE PORTO ALEGRE EM 2016
Fundação de Economia e Estatística
 
Avanços e recuos do mercado de trabalho na RMPA
Avanços e recuos do mercado de trabalho na RMPAAvanços e recuos do mercado de trabalho na RMPA
Avanços e recuos do mercado de trabalho na RMPA
Fundação de Economia e Estatística
 
Não tem dinheiro, Helil?
Não tem dinheiro, Helil? Não tem dinheiro, Helil?
Não tem dinheiro, Helil?
Marco Vinícius Moreira Lamarão'
 
Boletim pedrmr jun2014
Boletim pedrmr jun2014Boletim pedrmr jun2014
Boletim pedrmr jun2014
Portal NE10
 
Emprego Doméstico na Região Metropolitana de POA em 2015
Emprego Doméstico na  Região Metropolitana de POA  em 2015Emprego Doméstico na  Região Metropolitana de POA  em 2015
Emprego Doméstico na Região Metropolitana de POA em 2015
Fundação de Economia e Estatística
 
20/11/2014 - 12ª Semana FGV: Alexandre Garrett - Geração de Empregos - Temer ...
20/11/2014 - 12ª Semana FGV: Alexandre Garrett - Geração de Empregos - Temer ...20/11/2014 - 12ª Semana FGV: Alexandre Garrett - Geração de Empregos - Temer ...
20/11/2014 - 12ª Semana FGV: Alexandre Garrett - Geração de Empregos - Temer ...
EMPZ Educação e Serviços
 

Semelhante a O trabalhador e a inserção ocupacional na Construção (20)

Estudo Mercado de Infraestrutura - Investimentos 2020_2025
Estudo Mercado de Infraestrutura - Investimentos 2020_2025Estudo Mercado de Infraestrutura - Investimentos 2020_2025
Estudo Mercado de Infraestrutura - Investimentos 2020_2025
 
Informe PED Especial - Jovens
Informe PED Especial - Jovens Informe PED Especial - Jovens
Informe PED Especial - Jovens
 
Pesquisa sobre o setor de TI-RJ
Pesquisa sobre o setor de TI-RJPesquisa sobre o setor de TI-RJ
Pesquisa sobre o setor de TI-RJ
 
Mercado de trabalho na cidade de Porto Alegre
Mercado de trabalho na cidade de Porto AlegreMercado de trabalho na cidade de Porto Alegre
Mercado de trabalho na cidade de Porto Alegre
 
Carta de Conjuntura - (12/01/2016) - Raul Bastos
Carta de Conjuntura - (12/01/2016) - Raul Bastos Carta de Conjuntura - (12/01/2016) - Raul Bastos
Carta de Conjuntura - (12/01/2016) - Raul Bastos
 
Apresentação APIMEC - MG
Apresentação APIMEC - MGApresentação APIMEC - MG
Apresentação APIMEC - MG
 
Desempenho do mercado de trabalho da Região Metropolitana de Porto Alegre e...
Desempenho do mercado de trabalho  da Região Metropolitana de  Porto Alegre e...Desempenho do mercado de trabalho  da Região Metropolitana de  Porto Alegre e...
Desempenho do mercado de trabalho da Região Metropolitana de Porto Alegre e...
 
Trabalho autônomo: alternativa consistente para superar o desemprego?
Trabalho autônomo: alternativa consistente  para superar o  desemprego?Trabalho autônomo: alternativa consistente  para superar o  desemprego?
Trabalho autônomo: alternativa consistente para superar o desemprego?
 
PLANO DE AÇÃO 2022MAURILIOEDITÁVEL.docx
PLANO DE AÇÃO 2022MAURILIOEDITÁVEL.docxPLANO DE AÇÃO 2022MAURILIOEDITÁVEL.docx
PLANO DE AÇÃO 2022MAURILIOEDITÁVEL.docx
 
Perfil dos Fabricantes de Estruturas de Aço 2015
Perfil dos Fabricantes de Estruturas de Aço 2015Perfil dos Fabricantes de Estruturas de Aço 2015
Perfil dos Fabricantes de Estruturas de Aço 2015
 
O Mercado de Trabalho Paraense Sob a Ótica da Dinâmica dos Setores Produtivos
O Mercado de Trabalho Paraense Sob a Ótica da Dinâmica dos Setores ProdutivosO Mercado de Trabalho Paraense Sob a Ótica da Dinâmica dos Setores Produtivos
O Mercado de Trabalho Paraense Sob a Ótica da Dinâmica dos Setores Produtivos
 
Apresentação Institucional TIM - 2T19
Apresentação Institucional TIM - 2T19Apresentação Institucional TIM - 2T19
Apresentação Institucional TIM - 2T19
 
Perspectivas do Investimento Estrangeiro no Brasil, com Renato Baumann, da Se...
Perspectivas do Investimento Estrangeiro no Brasil, com Renato Baumann, da Se...Perspectivas do Investimento Estrangeiro no Brasil, com Renato Baumann, da Se...
Perspectivas do Investimento Estrangeiro no Brasil, com Renato Baumann, da Se...
 
PLANILHA DE CUSTOS DO SISTEMA DE TRANSPORTE COLETIVO DE ILHÉUS 2014
PLANILHA DE CUSTOS DO SISTEMA DE TRANSPORTE COLETIVO DE ILHÉUS 2014PLANILHA DE CUSTOS DO SISTEMA DE TRANSPORTE COLETIVO DE ILHÉUS 2014
PLANILHA DE CUSTOS DO SISTEMA DE TRANSPORTE COLETIVO DE ILHÉUS 2014
 
O TRABALHO DOMÉSTICO NA REGIÃO METROPOLITANA DE PORTO ALEGRE EM 2016
O  TRABALHO DOMÉSTICO NA REGIÃO METROPOLITANA DE PORTO ALEGRE EM 2016O  TRABALHO DOMÉSTICO NA REGIÃO METROPOLITANA DE PORTO ALEGRE EM 2016
O TRABALHO DOMÉSTICO NA REGIÃO METROPOLITANA DE PORTO ALEGRE EM 2016
 
Avanços e recuos do mercado de trabalho na RMPA
Avanços e recuos do mercado de trabalho na RMPAAvanços e recuos do mercado de trabalho na RMPA
Avanços e recuos do mercado de trabalho na RMPA
 
Não tem dinheiro, Helil?
Não tem dinheiro, Helil? Não tem dinheiro, Helil?
Não tem dinheiro, Helil?
 
Boletim pedrmr jun2014
Boletim pedrmr jun2014Boletim pedrmr jun2014
Boletim pedrmr jun2014
 
Emprego Doméstico na Região Metropolitana de POA em 2015
Emprego Doméstico na  Região Metropolitana de POA  em 2015Emprego Doméstico na  Região Metropolitana de POA  em 2015
Emprego Doméstico na Região Metropolitana de POA em 2015
 
20/11/2014 - 12ª Semana FGV: Alexandre Garrett - Geração de Empregos - Temer ...
20/11/2014 - 12ª Semana FGV: Alexandre Garrett - Geração de Empregos - Temer ...20/11/2014 - 12ª Semana FGV: Alexandre Garrett - Geração de Empregos - Temer ...
20/11/2014 - 12ª Semana FGV: Alexandre Garrett - Geração de Empregos - Temer ...
 

Mais de Fundação de Economia e Estatística

Idese 2015
Idese 2015Idese 2015
O significado da retomada do crescimento em 2017
O significado da retomada do crescimento em 2017O significado da retomada do crescimento em 2017
O significado da retomada do crescimento em 2017
Fundação de Economia e Estatística
 
Evolução estrutural da indústria de transformação do RS — 2007-15
Evolução estrutural da indústria de transformação do RS — 2007-15Evolução estrutural da indústria de transformação do RS — 2007-15
Evolução estrutural da indústria de transformação do RS — 2007-15
Fundação de Economia e Estatística
 
Condições do mercado de trabalho foram mais severas para as mulheres em 2017
Condições do mercado de trabalho foram mais severas para as mulheres em 2017Condições do mercado de trabalho foram mais severas para as mulheres em 2017
Condições do mercado de trabalho foram mais severas para as mulheres em 2017
Fundação de Economia e Estatística
 
Expectativas inflacionárias e política monetária
Expectativas inflacionárias e política monetáriaExpectativas inflacionárias e política monetária
Expectativas inflacionárias e política monetária
Fundação de Economia e Estatística
 
Taxa de desistência no ensino superior gaúcho atinge 64,1%
Taxa de desistência no ensino superior gaúcho atinge 64,1%Taxa de desistência no ensino superior gaúcho atinge 64,1%
Taxa de desistência no ensino superior gaúcho atinge 64,1%
Fundação de Economia e Estatística
 
Estimativas para a população flutuante do Litoral Norte do RS
Estimativas para a população flutuante do Litoral Norte do RSEstimativas para a população flutuante do Litoral Norte do RS
Estimativas para a população flutuante do Litoral Norte do RS
Fundação de Economia e Estatística
 
Desaceleração cíclica ou estrutural no comércio mundial?
Desaceleração cíclica ou estrutural no comércio mundial?Desaceleração cíclica ou estrutural no comércio mundial?
Desaceleração cíclica ou estrutural no comércio mundial?
Fundação de Economia e Estatística
 
PIB dos municípios do RS em 2015
PIB dos municípios do RS em 2015PIB dos municípios do RS em 2015
PIB dos municípios do RS em 2015
Fundação de Economia e Estatística
 
PIB TRIMESTRAL DO RS 3.° trim./2017
PIB TRIMESTRAL DO RS 3.° trim./2017PIB TRIMESTRAL DO RS 3.° trim./2017
PIB TRIMESTRAL DO RS 3.° trim./2017
Fundação de Economia e Estatística
 
Informe PED-RMPA (Novembro/2017)
Informe PED-RMPA (Novembro/2017)Informe PED-RMPA (Novembro/2017)
Informe PED-RMPA (Novembro/2017)
Fundação de Economia e Estatística
 
Mercado formal de trabalho do RS estagna após forte retração
Mercado formal de trabalho do RS estagna após forte retraçãoMercado formal de trabalho do RS estagna após forte retração
Mercado formal de trabalho do RS estagna após forte retração
Fundação de Economia e Estatística
 
PIB Trimestral do RS 2º trimestre 2017
PIB Trimestral do RS 2º trimestre 2017PIB Trimestral do RS 2º trimestre 2017
PIB Trimestral do RS 2º trimestre 2017
Fundação de Economia e Estatística
 
Elevação do nível ocupacional reduz a taxa de desemprego
Elevação do nível ocupacional reduz a taxa de desempregoElevação do nível ocupacional reduz a taxa de desemprego
Elevação do nível ocupacional reduz a taxa de desemprego
Fundação de Economia e Estatística
 
FEDERALISMO E A QUESTÃO REGIONAL DO RS - Tomás Fiori
FEDERALISMO E A QUESTÃO  REGIONAL DO RS - Tomás FioriFEDERALISMO E A QUESTÃO  REGIONAL DO RS - Tomás Fiori
FEDERALISMO E A QUESTÃO REGIONAL DO RS - Tomás Fiori
Fundação de Economia e Estatística
 
A economia do RS no atual ciclo recessivo: já chegamos ao fundo do poço? - Je...
A economia do RS no atual ciclo recessivo: já chegamos ao fundo do poço? - Je...A economia do RS no atual ciclo recessivo: já chegamos ao fundo do poço? - Je...
A economia do RS no atual ciclo recessivo: já chegamos ao fundo do poço? - Je...
Fundação de Economia e Estatística
 
O Rio Grande do Sul no cenário nacional: há perda de dinamismo? - Cecília Hoff
O Rio Grande do Sul no cenário nacional: há perda de dinamismo? - Cecília HoffO Rio Grande do Sul no cenário nacional: há perda de dinamismo? - Cecília Hoff
O Rio Grande do Sul no cenário nacional: há perda de dinamismo? - Cecília Hoff
Fundação de Economia e Estatística
 
Principais atividades no Valor Adicionado dos municípios do RS
Principais atividades no Valor Adicionado dos municípios do RSPrincipais atividades no Valor Adicionado dos municípios do RS
Principais atividades no Valor Adicionado dos municípios do RS
Fundação de Economia e Estatística
 
As barreiras e os novos desafios para inovar
As barreiras e os novos desafios para inovarAs barreiras e os novos desafios para inovar
As barreiras e os novos desafios para inovar
Fundação de Economia e Estatística
 
Informe PED Especial - Jovens
Informe PED Especial - Jovens Informe PED Especial - Jovens
Informe PED Especial - Jovens
Fundação de Economia e Estatística
 

Mais de Fundação de Economia e Estatística (20)

Idese 2015
Idese 2015Idese 2015
Idese 2015
 
O significado da retomada do crescimento em 2017
O significado da retomada do crescimento em 2017O significado da retomada do crescimento em 2017
O significado da retomada do crescimento em 2017
 
Evolução estrutural da indústria de transformação do RS — 2007-15
Evolução estrutural da indústria de transformação do RS — 2007-15Evolução estrutural da indústria de transformação do RS — 2007-15
Evolução estrutural da indústria de transformação do RS — 2007-15
 
Condições do mercado de trabalho foram mais severas para as mulheres em 2017
Condições do mercado de trabalho foram mais severas para as mulheres em 2017Condições do mercado de trabalho foram mais severas para as mulheres em 2017
Condições do mercado de trabalho foram mais severas para as mulheres em 2017
 
Expectativas inflacionárias e política monetária
Expectativas inflacionárias e política monetáriaExpectativas inflacionárias e política monetária
Expectativas inflacionárias e política monetária
 
Taxa de desistência no ensino superior gaúcho atinge 64,1%
Taxa de desistência no ensino superior gaúcho atinge 64,1%Taxa de desistência no ensino superior gaúcho atinge 64,1%
Taxa de desistência no ensino superior gaúcho atinge 64,1%
 
Estimativas para a população flutuante do Litoral Norte do RS
Estimativas para a população flutuante do Litoral Norte do RSEstimativas para a população flutuante do Litoral Norte do RS
Estimativas para a população flutuante do Litoral Norte do RS
 
Desaceleração cíclica ou estrutural no comércio mundial?
Desaceleração cíclica ou estrutural no comércio mundial?Desaceleração cíclica ou estrutural no comércio mundial?
Desaceleração cíclica ou estrutural no comércio mundial?
 
PIB dos municípios do RS em 2015
PIB dos municípios do RS em 2015PIB dos municípios do RS em 2015
PIB dos municípios do RS em 2015
 
PIB TRIMESTRAL DO RS 3.° trim./2017
PIB TRIMESTRAL DO RS 3.° trim./2017PIB TRIMESTRAL DO RS 3.° trim./2017
PIB TRIMESTRAL DO RS 3.° trim./2017
 
Informe PED-RMPA (Novembro/2017)
Informe PED-RMPA (Novembro/2017)Informe PED-RMPA (Novembro/2017)
Informe PED-RMPA (Novembro/2017)
 
Mercado formal de trabalho do RS estagna após forte retração
Mercado formal de trabalho do RS estagna após forte retraçãoMercado formal de trabalho do RS estagna após forte retração
Mercado formal de trabalho do RS estagna após forte retração
 
PIB Trimestral do RS 2º trimestre 2017
PIB Trimestral do RS 2º trimestre 2017PIB Trimestral do RS 2º trimestre 2017
PIB Trimestral do RS 2º trimestre 2017
 
Elevação do nível ocupacional reduz a taxa de desemprego
Elevação do nível ocupacional reduz a taxa de desempregoElevação do nível ocupacional reduz a taxa de desemprego
Elevação do nível ocupacional reduz a taxa de desemprego
 
FEDERALISMO E A QUESTÃO REGIONAL DO RS - Tomás Fiori
FEDERALISMO E A QUESTÃO  REGIONAL DO RS - Tomás FioriFEDERALISMO E A QUESTÃO  REGIONAL DO RS - Tomás Fiori
FEDERALISMO E A QUESTÃO REGIONAL DO RS - Tomás Fiori
 
A economia do RS no atual ciclo recessivo: já chegamos ao fundo do poço? - Je...
A economia do RS no atual ciclo recessivo: já chegamos ao fundo do poço? - Je...A economia do RS no atual ciclo recessivo: já chegamos ao fundo do poço? - Je...
A economia do RS no atual ciclo recessivo: já chegamos ao fundo do poço? - Je...
 
O Rio Grande do Sul no cenário nacional: há perda de dinamismo? - Cecília Hoff
O Rio Grande do Sul no cenário nacional: há perda de dinamismo? - Cecília HoffO Rio Grande do Sul no cenário nacional: há perda de dinamismo? - Cecília Hoff
O Rio Grande do Sul no cenário nacional: há perda de dinamismo? - Cecília Hoff
 
Principais atividades no Valor Adicionado dos municípios do RS
Principais atividades no Valor Adicionado dos municípios do RSPrincipais atividades no Valor Adicionado dos municípios do RS
Principais atividades no Valor Adicionado dos municípios do RS
 
As barreiras e os novos desafios para inovar
As barreiras e os novos desafios para inovarAs barreiras e os novos desafios para inovar
As barreiras e os novos desafios para inovar
 
Informe PED Especial - Jovens
Informe PED Especial - Jovens Informe PED Especial - Jovens
Informe PED Especial - Jovens
 

O trabalhador e a inserção ocupacional na Construção

  • 1. O TRABALHADOR E A INSERÇÃO OCUPACIONAL NA CONSTRUÇÃO NA REGIÃO METROPOLITANA DE PORTO ALEGRE EM 2016
  • 2. (%) Períodos Setores de atividade Indústria de Transformação Comércio e reparação de veículos Serviços Construção 2011 17,5 19,8 54,5 7,0 2012 17,5 19,7 54,7 7,0 2013 17,1 20,2 54,9 6,7 2014 16,8 19,7 55,4 7,0 2015 16,5 18,8 56,7 6,9 2016 16,1 19,5 56,4 7,1 Distribuição dos ocupados, no trabalho principal, por setores de atividade, na Região Metropolitana de Porto Alegre, 2011 - 2016 Boletim Trabalho e Construção Fonte: PED-RMPA – Convênio FEE, FGTAS, SEADE, DIEESE e apoio FAT/MTb A construção correspondeu a 24% do Valor Adicionado na RMPA em 2016
  • 3. Estimativa dos ocupados no setor da construção, no trabalho principal, na Região Metropolitana de Porto Alegre, 2011 - 2016 Boletim Trabalho e Construção 127 128 123 126 122 120 2011 2012 2013 2014 2015 2016 (Em mil pessoas) Fonte: PED-RMPA – Convênio FEE, FGTAS, SEADE, DIEESE e apoio FAT/MTb Menor número de ocupados da série
  • 4. Distribuição dos ocupados, no setor da Construção, no trabalho principal, segundo divisões do setor, na Região Metropolitana de Porto Alegre, 2011 - 2016 Boletim Trabalho e Construção (%) PERÍODOS DIVISÕES DA CONSTRUÇÃO Construção e Incorporação de Edifícios Obras de Infraestrutura Serviços Especializados para Construção 2011 78,5 4,6 16,9 2012 75,2 6,2 18,6 2013 75,2 6,2 18,6 2014 72,5 (1) 22,6 2015 70,7 (1) 26,9 2016 73,5 (1) 24,3 Fonte: PED-RMPA – Convênio FEE, FGTAS, SEADE, DIEESE e apoio FAT/MTb Nota: (1) Amostra não comporta desagregação para esta categoria
  • 5. Perfil do trabalhador da Construção Boletim Trabalho e Construção
  • 6. Boletim Trabalho e Construção • 95,4% são homens • Redução da participação dos jovens • 54,1% possui 40 anos e mais • Aumento da participação de idosos ocupados na construção • São de baixa escolaridade • Mais de 2/3 são chefes de família Perfil dos trabalhadores da Construção
  • 7. Distribuição dos ocupados, no setor da construção, no trabalho principal, segundo faixas etárias, na Região Metropolitana de Porto Alegre, 2011 - 2016 Boletim Trabalho e Construção Fonte: PED-RMPA – Convênio FEE, FGTAS, SEADE, DIEESE e apoio FAT/MTb (%) PERÍODOS FAIXAS ETÁRIAS De 16 a 24 Anos De 25 a 29 Anos De 30 a 39 Anos De 40 a 49 Anos De 50 a 59 Anos 60 Anos e Mais 2011 15,0 10,3 21,3 23,3 22,8 7,3 2012 15,1 10,5 22,7 22,7 22,0 6,9 2013 14,3 11,1 22,2 22,8 22,2 7,2 2014 13,2 11,0 22,1 24,4 21,0 8,1 2015 14,7 9,3 23,5 22,5 22,1 7,9 2016 10,9 11,0 24,0 23,2 21,0 9,9
  • 8. Distribuição dos ocupados no setor da Construção, no trabalho principal, segundo escolaridade, na Região Metropolitana de Porto Alegre, 2011 - 2016 Boletim Trabalho e Construção Fonte: PED-RMPA – Convênio FEE, FGTAS, SEADE, DIEESE e apoio FAT/MTb Nota: (1) Amostra não comporta desagregação para esta categoria (%) PERÍODOS ESCOLARIDADE Ensino Fundamental Incompleto Ensino Fundamental Completo ou Médio Incompleto Ensino Médio Completo ou Superior Incompleto Ensino Superior Completo 2011 52,2 23,5 18,4 4,5 2012 50,4 24,3 19,8 (1) 2013 50,6 21,9 22,2 (1) 2014 44,3 25,4 24,3 (1) 2015 44,9 24,7 22,5 6,7 2016 44,1 27,0 24,0 (1)
  • 9. Distribuição dos ocupados nas divisões do setor da construção, no trabalho principal, segundo a escolaridade, na Região Metropolitana de Porto Alegre em 2016 Boletim Trabalho e Construção Fonte: PED-RMPA – Convênio FEE, FGTAS, SEADE, DIEESE e apoio FAT/MTb 48.8 31.6 26.7 27.1 19.5 38.1 Construção e Incorporação de Edifícios Serviços Especializados para Construção Ensino fundamental incompleto Ensino fundamental completo+médio incompleto Ensino médio completo+superior incompleto (%) Maior presença de ocupados escolarizados nesta divisão
  • 10. Proporção de ocupados, no trabalho principal, na posição de chefes de família por setor de atividade, na Região Metropolitana de Porto Alegre 2011, 2015 e 2016 Boletim Trabalho e Construção Fonte: PED-RMPA – Convênio FEE, FGTAS, SEADE, DIEESE e apoio FAT/MTb 49.7 50.1 50.6 72.2 72.8 69.1 48.0 48.5 49.1 2011 2015 2016 Total de ocupados Construção Demais setores (%)
  • 11. A inserção ocupacional na construção Boletim Trabalho e Construção
  • 12. Boletim Trabalho e Construção • Menor patamar de registro formal no mercado de trabalho • Maior patamar de trabalhadores sem carteira • A divisão dos serviços especializados possui a maior proporção de autônomos ASSALARIADOS AUTÔNOMOS TOTAL DE OCUPADOS 70,2% 13,7% CONSTRUÇÃO 46,8% 45,4% Inserção Ocupacional
  • 13. Proporção dos trabalhadores com carteira de trabalho assinada no total de ocupados, na Construção e nos demais setores, na Região Metropolitana de Porto Alegre, 2011, 2015 e 2016 Boletim Trabalho e Construção Fonte: PED-RMPA – Convênio FEE, FGTAS, SEADE, DIEESE e apoio FAT/MTb 51.5 54.3 53.2 41.0 42.7 37.2 55.5 58.4 57.8 2011 2015 2016 Total de ocupados Construção Demais setores (%)
  • 14. Proporção dos ocupados com carteira assinada, no trabalho principal, nas divisões do setor da Construção, na Região Metropolitana de Porto Alegre, 2011 - 2016. Boletim Trabalho e Construção (%) PERÍODOS DIVISÕES DA CONSTRUÇÃO Construção e Incorporação de Edifícios Obras de Infraestrutura Serviços Especializados para Construção 2011 37,9 (1) 45,9 2012 40,3 80,3 40,7 2013 38,5 85,6 37,3 2014 40,6 (1) 45,1 2015 40,0 (1) 46,4 2016 37,1 (1) 32,9 Fonte: PED-RMPA – Convênio FEE, FGTAS, SEADE, DIEESE e apoio FAT/MTb Nota: (1) Amostra não comporta desagregação para esta categoria
  • 15. Proporção dos trabalhadores sem carteira assinada no total de ocupados, na Construção e nos demais setores, na Região Metropolitana de Porto Alegre, 2011, 2015 e 2016 Boletim Trabalho e Construção Fonte: PED-RMPA – Convênio FEE, FGTAS, SEADE, DIEESE e apoio FAT/MTb 7.6 5.1 5.5 11.0 7.7 9.5 7.9 5.2 5.5 2011 2015 2016 Total de ocupados Construção Demais setores (%)
  • 16. Proporção de trabalhadores autônomos no total de ocupados, construção e demais setores, na Região Metropolitana de Porto Alegre - 2011, 2015 e 2016 Boletim Trabalho e Construção Fonte: PED-RMPA – Convênio FEE, FGTAS, SEADE, DIEESE e apoio FAT/MTb (%) 14.1 13.1 13.7 42.9 40.9 45.4 12.7 11.7 12.0 2011 2015 2016 Total de ocupados Construção Demais setores
  • 17. Proporção de autônomos, no trabalho principal, nas divisões no setor da Construção, na Região Metropolitana de Porto Alegre — 2011-2016 Boletim Trabalho e Construção (%) PERÍODOS DIVISÕES DA CONSTRUÇÃO Construção e Incorporação de Edifícios Obras de Infraestrutura Serviços Especializados para Construção 2011 45,2 (1) 41,3 2012 42,9 (1) 43,2 2013 43,1 (1) 50,0 2014 45,6 (1) 40,2 2015 42,4 (1) 40,1 2016 43,5 (1) 55,0 Fonte: PED-RMPA – Convênio FEE, FGTAS, SEADE, DIEESE e apoio FAT/MTb Nota: (1) Amostra não comporta desagregação para esta categoria
  • 18. Rendimentos na construção Boletim Trabalho e Construção
  • 19. Rendimento médio real, total de ocupados e setor da Construção, na Região Metropolitana de Porto Alegre — 2011-2016 Boletim Trabalho e Construção Fonte: PED-RMPA – Convênio FEE, FGTAS, SEADE, DIEESE e apoio FAT/MTb NOTA: Rendimentos em reais de nov./16. O inflator utilizado foi IPC-IEPE. 1700 1800 1900 2000 2100 2200 2300 2011 2012 2013 2014 2015 2016 (Em reais) Total de ocupados Construção -8,0%-9,8% -7,6% -6,0%
  • 20. Rendimento médio real, na Construção, por posição na ocupação, na Região Metropolitana de Porto Alegre — 2011-2016 Boletim Trabalho e Construção Fonte: PED-RMPA – Convênio FEE, FGTAS, SEADE, DIEESE e apoio FAT/MTb NOTA: Rendimentos em reais de nov./16. O inflator utilizado foi IPC-IEPE. 1700 1800 1900 2000 2100 2200 2300 2011 2012 2013 2014 2015 2016 (Em reais) Assalariados Autônomos -10,5% -11,9% -5,5% -6,3%
  • 21. Jornada de trabalho na Construção Boletim Trabalho e Construção
  • 22. Jornada média semanal do total dos ocupados na Construção, no trabalho principal, por divisões do setor, na Região Metropolitana de Porto Alegre — 2011-2016 Boletim Trabalho e Construção (horas) PERÍODO TOTAL DE OCUPADOS NO SETOR DA CONSTRUÇÃO DIVISÕES DA CONSTRUÇÃO Construção e Incorporação de edifícios Obras de Infraestrutura Serviços Especializados para Construção 2011 43 43 45 44 2012 43 42 45 43 2013 42 42 44 43 2014 42 42 (1) 42 2015 40 40 (1) 41 2016 41 41 (1) 41 Fonte: PED-RMPA – Convênio FEE, FGTAS, SEADE, DIEESE e apoio FAT/MTb Nota: (1) Amostra não comporta desagregação para esta categoria
  • 23. Distribuição dos ocupados na Construção, por faixas de horas semanais de trabalho, na Região Metropolitana de Porto Alegre — 2011-2016 Boletim Trabalho e Construção Fonte: PED-RMPA – Convênio FEE, FGTAS, SEADE, DIEESE e apoio FAT/MTb 62.7 63.5 69.0 73.0 76.8 79.7 37.3 36.5 31.0 27.0 23.2 20.3 0.0 20.0 40.0 60.0 80.0 100.0 2011 2012 2013 2014 2015 2016 (%) Até 44 horas Mais de 44 horas
  • 25. Distribuição dos ocupados, no trabalho principal, segundo a contribuição para a previdência e setor de atividade, na Região Metropolitana de Porto Alegre — 2011, 2015 e 2016 Boletim Trabalho e Construção Fonte: PED-RMPA – Convênio FEE, FGTAS, SEADE, DIEESE e apoio FAT/MTb 79.4 56.2 81.2 84.3 63.7 85.9 83.1 56.8 85.1 20.6 43.8 18.8 15.7 36.3 14.1 16.9 43.2 14.9 0 20 40 60 80 100 2011 2015 2016 (%) Contribui para Previdência Social Não Contribui:
  • 26. Proporção de ocupados que não contribuem para a Previdência Social, por setores de atividade e posições na ocupação, na Região Metropolitana de Porto Alegre — 2011, 2015 e 2016 Boletim Trabalho e Construção Fonte: PED-RMPA – Convênio FEE, FGTAS, SEADE, DIEESE e apoio FAT/MTb (%) PERÍODOS TOTAL DE OCUPADOS SETOR DA CONSTRUÇÃO Total de Ocupados Assalariados Autônomos 2011 20,6 43,8 19,7 76,5 2012 19,8 40,5 18,3 73,5 2013 18,2 40,8 19,4 70,1 2014 17,1 36,8 14,1 67,7 2015 15,7 36,3 13,9 66,1 2016 16,9 43,2 18,8 70,6