O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

O Mercado de Trabalho Paraense Sob a Ótica da Dinâmica dos Setores Produtivos

57 visualizações

Publicada em

A palestra "O Mercado de Trabalho Paraense Sob a Ótica da Dinâmica dos Setores Produtivos" fez parte de um conjunto de abordagens no campo econômico e social, incentivado pela organização da Pará Negócio. Diante do contexto de 2016 o país passava por uma grave crise econômica e política, que acentuaram profundamente o cenário de fragilidade do emprego no Brasil. Diante disso, visou-se com a palestra discutir um tema que é sensível a toda sociedade, o emprego.

Publicada em: Economia e finanças
  • Entre para ver os comentários

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

O Mercado de Trabalho Paraense Sob a Ótica da Dinâmica dos Setores Produtivos

  1. 1. Edson Silva Coordenador de Estudos Econômicos e Análise Conjuntural da FAPESPA O MERCADO DE TRABALHO PARAENSE SOB A ÓTICA DA DINÂMICA DOS SETORES PRODUTIVO
  2. 2. O MERCADO DE TRABALHO PARAENSE SOB A ÓTICA DA DINÂMICA DOS SETORES PRODUTIVO • Conjuntura Nacional • Estrutura do emprego no Pará • Dinâmica do emprego paraense • Desafios e Perspectivas SUMÁRIO
  3. 3. CONJUNTURA NACIONAL SUMÁRIO Estabilidade Econômica do País Recessão Econômica Ambiente Político Desfavorável  Desempenho do setor Industrial;  Nível de Preços;  Consumo das Famílias;  Investimentos;  Geração de Emprego;  Desempenho das contas públicas;  Corrupção;  Impeachment;  Reformas;  Etc.
  4. 4. CONJUNTURA NACIONAL SUMÁRIO -5 0 5 10 15 1901 1907 1913 1919 1925 1931 1937 1943 1949 1955 1961 1967 1973 1979 1985 1991 1997 2003 2009 2015 Variação do PIBVariação (%) do PIB nacional de 1901 a 2015 Expectativa para o PIB em 2016:-3,30% (FMI);-3,49% (BACEN) -3,80% Período Indústria Emprego Formal (saldo) Comércio Exterior (Valor Transacionado) Comércio Varejista Inflação 2015 -8,30% -1,542 milhões -20,18% -4,30% 10,67% 2016 -8,40% (12m) -1,600 milhões (12m) -13,34% (acum.out) -6,60% (12m) 5,78% (ano) Fonte: Haddad (PIB de 1901 a 1946) e IBGE, MDIC, MT, 2016. Elaboração: Fapespa, 2016. -4,35%-4,25%
  5. 5. CONJUNTURA NACIONAL SUMÁRIO  Taxa (%) de desocupação no Brasil das pessoas de 14 anos ou mais de idade 12,022 milhões de pessoas desocupadas 11,8  De 2014 a setembro de 2016 houve incremento de 5,570 milhões de pessoas desocupadas;  Nesse mesmo período, a massa salarial foi reduzida em R$ 10,154 bilhões de reais, R$ 6,904 bilhões somente no último ano (3ºtrim/15-3°trim/16) Fonte: PNAD/IBGE, 2016. / Elaboração: FAPESPA, 2016. 11,8
  6. 6. CONJUNTURA NACIONAL  Total de ocupados no Brasil por Grupamento de Atividade, 3º trim/16 Fonte: PNAD/IBGE, 2016. / Elaboração: FAPESPA, 2016. Absoluto (mil) Part. (%) Absoluta (mil) Var. (%) AGRICULTURA, PECUÁRIA, PRODUÇÃO FLORESTAL, PESCA E AQUICULTURA 9.021 10,04 -442 -4,7 INDÚSTRIA GERAL 11.577 12,89 -1.301 -10,1 CONSTRUÇÃO 7.140 7,95 -171 -2,3 COMÉRCIO, REPARAÇÃO DE VEÍCULOS AUTOMOTORES E MOTOCICLETAS 17.093 19,03 -501 -2,8 TRANSPORTE, ARMAZENAGEM E CORREIO 4.496 5,01 220 5,2 ALOJAMENTO E ALIMENTAÇÃO 4.684 5,21 345 8,0 INFORMAÇÃO, COMUNICAÇÃO E ATIVIDADES FINANCEIRAS, IMOBILIÁRIAS, PROFISSIONAIS E ADMINISTRATIVAS 9.574 10,66 -977 -9,3 ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA, DEFESA, SEGURIDADE SOCIAL, EDUCAÇÃO, SAÚDE HUMANA E SERVIÇOS SOCIAIS 15.750 17,53 306 2,0 OUTROS SERVIÇOS 4.308 4,80 97 2,3 SERVIÇOS DOMÉSTICOS 6.186 6,89 168 2,8 Total 89.829 100 -2.256 -2,4 variação do estoque de ocupados (3ºtrim15-3ºtrim16) Ocupados (3ºtrim16) Grupamento de Atividade (Brasil)
  7. 7. Fonte: PNAD/IBGE, 2016. / Elaboração: FAPESPA, 2016. ESTRUTURA DO EMPREGO NO PARÁ  População ocupada no estado do Pará, 3º trimestre de 2016
  8. 8. Fonte: PNAD/IBGE, 2016. / Elaboração: FAPESPA, 2016. ESTRUTURA DO EMPREGO NO PARÁ 7,9 7,7 7,1 6,8 7,8 7,6 7,6 6,0 7,6 7,0 7,2 7,0 9,2 8,9 8,4 8,6 10,0 10,9 0,0 2,0 4,0 6,0 8,0 10,0 12,0 jan-fev-mar abr-mai-jun jul-ago-set out-nov-dez jan-fev-mar abr-mai-jun jul-ago-set out-nov-dez jan-fev-mar abr-mai-jun jul-ago-set out-nov-dez jan-fev-mar abr-mai-jun jul-ago-set out-nov-dez jan-fev-mar abr-mai-jun jul-ago-set 2012 2013 2014 2015 2016 407 mil de pessoas desocupadas 11,0  Taxa (%) de desocupação no Pará das pessoas de 14 anos ou mais de idade  De 2014 a setembro de 2016 houve incremento de 154 mil pessoas desocupadas;  Nesse mesmo período, a massa salarial foi reduzida em R$ 418 milhões, R$ 151 milhões somente no último ano (3ºtrim/15-3°trim/16)
  9. 9.  Ocupação no estado, estimativa trimestral (2012-2016) Fonte: PNAD/IBGE, 2016. / Elaboração: FAPESPA, 2016. O número de ocupados no estado reduziu em 145 mil em um ano; Em um ano a população desocupada no estado aumentou em 90 mil;  A PNEA aumentou em 209 mil em um ano; 7.780 8.146 8.220 8.245 5.577 6.068 6.211 6.222 3.346 3.768 3.741 3.713 2.232 2.300 2.470 2.509 3.082 3.451 3.335 3.306 264 317 406 407 0 1.000 2.000 3.000 4.000 5.000 6.000 7.000 8.000 9.000 1º sem.12 2º sem.12 3º sem.12 4º sem.12 1º sem.13 2º sem.13 3º sem.13 4º sem.13 1º sem.14 2º sem.14 3º sem.14 4º sem.14 1º sem.15 2º sem.15 3º sem.15 4º sem.15 1º sem.16 2º sem.16 3º sem.16 Pessoas (mil) População PIA PEA PNEA POC PDE ESTRUTURA DO EMPREGO NO PARÁ
  10. 10.  Número de Ocupados nas de atividades paraenses Fonte: PNAD/IBGE, 2016. / Elaboração: FAPESPA, 2016. Sete dos dez Grupos de Atividades registraram retração do número de ocupados em um ano;  Construção (58 mil pessoas), Indústria (52 mil pessoas) e Agricultura (52 mil pessoas) foram as Atividades de maiores perdas de ocupados. GRUPAMENTOS DE ATIVIDADES 3º trimestre 2015 (mil) 2º trimestre 2016 (mil) 3º trimestre 2016 (mil) VAR% trimestre anterior VAR% trimestre ano anterior Agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura 656 611 604 -1,1 -7,9 Indústria geral 448 388 396 2,3 -11,5 Construção 309 290 252 -13,4 -18,7 Comércio, reparação de veículos automotores e motocicletas 711 686 688 0,3 -3,3 Transporte, armazenagem e correio 151 147 156 6,2 2,9 Alojamento e alimentação 139 164 174 6,3 25,8 Informação, comunicação e atividades financeiras, imobiliárias, profissionais e administrativas 169 162 168 3,4 -0,7 Administração pública, defesa, seguridade social, educação, saúde humana e serviços sociais 509 556 547 -1,6 7,4 Outros serviços 152 133 134 1,0 -11,5 Serviços domésticos 206 198 187 -5,7 -9,2 Total da população ocupada 3.451 3.335 3.306 -0,87 -4,20 ESTRUTURA DO EMPREGO NO PARÁ
  11. 11.  Ocupação da população de 14 anos ou mais do estado do Pará por Sexo, 3º Trim/2015 e 3º Trim/2016 Fonte: PNAD/IBGE, 2016. / Elaboração: FAPESPA, 2016. ESTRUTURA DO EMPREGO NO PARÁ
  12. 12.  Nível de Ocupação da população de 14 anos ou mais do estado do Pará por Faixa etária, 3º Trim/2015 e 3º Trim/2016 Fonte: PNAD/IBGE, 2016. / Elaboração: FAPESPA, 2016. ESTRUTURA DO EMPREGO NO PARÁ
  13. 13. taxa de desocupação da população de 14 anos ou mais do estado do Pará por Sexo, 3º Trim/2015 e 3º Trim/2016 Fonte: PNAD/IBGE, 2016. / Elaboração: FAPESPA, 2016. ESTRUTURA DO EMPREGO NO PARÁ
  14. 14.  taxa de desocupação da população de 14 anos ou mais do estado do Pará por Faixa etária, 3º Trim/2015 e 3º Trim/2016 Fonte: PNAD/IBGE, 2016. / Elaboração: FAPESPA, 2016. ESTRUTURA DO EMPREGO NO PARÁ
  15. 15.  taxa de desocupação da população de 14 anos ou mais do estado do Pará por Nível de instrução, 3º Trim/2015 e 3º Trim/2016 Fonte: PNAD/IBGE, 2016. / Elaboração: FAPESPA, 2016. ESTRUTURA DO EMPREGO NO PARÁ
  16. 16.  Evolução do estoque de emprego formal paraense (2005-2015) Fonte: RAIS/MT, 2016. / Elaboração: FAPESPA, 2016. 40.364 62.745 57.550 49.603 25.114 80.366 85.854 15.255 73.192 22.685 -22.592 675.857 1.037.089 1.052.344 1.148.221 1.125.629 (40.000) (20.000) - 20.000 40.000 60.000 80.000 100.000 - 200.000 400.000 600.000 800.000 1.000.000 1.200.000 1.400.000 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 Variação do EstoqueEstoque de Empregos Variação do Estoque Estoque de empregos O emprego paraense sofreu com a conjuntura nacional e com o fim de ciclos da Construção Civil, com a finalização de projetos hidrelétricos e habitacionais, impactando em outros setores como os Serviços e o Comércio ESTRUTURA DO EMPREGO NO PARÁ
  17. 17. Fonte: RAIS/MT, IBGE, 2016. / Elaboração: FAPESPA, 2016.  Participação (%) dos setores no estoque de vínculos trabalhistas em 2015 O Emprego Formal no estado responde por cerca de 34% do total de ocupados.  Participação (%) dos setores no PIB paraense em 2013 ESTRUTURA DO EMPREGO NO PARÁ
  18. 18.  Estoque de emprego formal paraense por setor (2014-2015) Fonte: RAIS/MT, 2016. / Elaboração: FAPESPA, 2016. Estado/Setor 2014 2015 Part. (%) 2015 Var. Abs. Var. (%) Pará 1.148.221 1.125.629 100 -22.592 -1,97 Administração Pública 365.806 370.278 32,89 4.472 1,22 Serviços 279.529 279.888 24,86 359 0,13 Comércio 219.206 217.563 19,33 -1.643 -0,75 Construção Civil 109.318 89.181 7,93 -20.137 -18,42 Indústria de Transformação 92.574 88.385 7,85 -4.189 -4,53 Agropecuária 53.443 51.692 4,59 -1.751 -3,28 Extrativa Mineral 20.063 20.301 1,80 238 1,19 Serviços Industriais de Utilidade Pública (SIUP) 8.282 8.341 0,74 59 0,71 Apesar do quadro recessivo do emprego paraense, houve acréscimo de vínculos em quatro dos oito setores econômicos. Com destaque para a Administração Pública com a maior variação ESTRUTURA DO EMPREGO NO PARÁ
  19. 19.  Estoque de emprego formal paraense por tamanho de estabelecimentos (2014-2015) Fonte: RAIS/MT, 2016. / Elaboração: FAPESPA, 2016. IBGE Setor 2014 2015 Part. (%) 2015 Var. Abs Var. (%) Pará 1.148.221 1.125.629 100 -22.592 -1,97 De 1 a 4 65.518 68.334 6,07 2.816 4,3 De 5 a 9 78.368 80.685 7,12 2.317 2,96 De 10 a 19 91.150 91.832 8,16 682 0,75 De 20 a 49 116.443 112.519 9,99 -3.924 -3,37 De 50 a 99 76.231 72.745 6,46 -3.486 -4,57 De 100 a 249 104.745 92.022 8,17 -12.723 -12,15 De 250 a 499 86.600 90.191 8,01 3.591 4,15 De 500 a 999 119.647 105.010 9,33 -14.637 -12,23 1000 ou Mais 409.519 412.291 36,63 2.772 0,68 A Administração Pública é setor de grande influência empregatícia na faixa de 1.000 ou mais pessoas, segmentação que representa 79,34% do contingente de trabalhadores do setor ESTRUTURA DO EMPREGO NO PARÁ
  20. 20.  Classificação de empresas enquanto ao número de empregados no estado do Pará, segundo critério SEBRAE, 2015 Fonte: RAIS/MT, 2016. / Elaboração: FAPESPA, 2016. Setores Vínculos Estabelecimentos Quantidade Part.(%) Quantidade Part.(%) Indústria 117.027 100 5.118 100 Micro: com até 19 empregados 20.217 17,28 4.267 83,37 Pequena: de 20 a 99 empregados 26.955 23,03 678 13,25 Média: 100 a 499 empregados 29.520 25,22 142 2,77 Grande: mais de 500 empregados 40.335 34,47 31 0,61 Comércio 217.563 100 29.533 100 Micro: até 9 empregados 70.393 32,36 24.704 83,65 Pequena: de 10 a 49 empregados 78.361 36,02 4.355 14,75 Média: de 50 a 99 empregados 19.450 8,94 283 0,96 Grande: mais de 100 empregados 49.359 22,69 191 0,65 Serviços 650.166 100 20.513 100 Micro: até 9 empregados 47.175 7,26 15.725 76,66 Pequena: de 10 a 49 empregados 74.554 11,47 3.722 18,14 Média: de 50 a 99 empregados 29.504 4,54 434 2,12 Grande: mais de 100 empregados 498.933 76,74 632 3,08 As micros e pequenas empresas do Comércio e do Serviços empregam 31,17% do total de vínculos desses setores, e respondem por 96,92% do total de estabelecimentos de ambos. ESTRUTURA DO EMPREGO NO PARÁ
  21. 21.  Evolução do Nº de estabelecimentos paraense (2005-2015) Fonte: RAIS/MT, 2016. / Elaboração: FAPESPA, 2016. 2.412 1.959 2.092 3.242 1.998 3.472 3.975 3.085 3.691 3.424 2.194 36.735 44.028 53.473 63.673 65.867 0 500 1000 1500 2000 2500 3000 3500 4000 4500 0 10000 20000 30000 40000 50000 60000 70000 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 Variação do Nº EstabelecimentosNº Estabelecimentos Variação do Nº Estabelecimentos Nº Estabelecimentos Apesar da retração de vínculos empregatícios no estoque de empregos paraenses o número de estabelecimentos cresceu em 2.194 novas personalidades jurídicas. ESTRUTURA DO EMPREGO NO PARÁ
  22. 22.  Número de estabelecimentos paraenses por setor (2014-2015) Fonte: RAIS/MT, 2016. / Elaboração: FAPESPA, 2016. IBGE Setor 2014 2015 Part. (%) 2015 Var. Abs Var. (%) Pará 63.673 65.867 100 2.194 3,45 Extrativa Mineral 179 183 0,28 4 2,23 Indústria de Transformação 4.591 4.663 7,08 72 1,57 Serviços Industriais de Utilidade Pública (SIUP) 262 272 0,41 10 3,82 Construção Civil 3.200 3.288 4,99 88 2,75 Comércio 28.622 29.533 44,84 911 3,18 Serviços 19.018 20.023 30,4 1.005 5,28 Administração Pública 482 490 0,74 8 1,66 Agropecuária 7.319 7.415 11,26 96 1,31 Todos os setores apresentaram incremento no número de estabelecimentos, com destaque para o setor de Serviços com 1.005 novos estabelecimentos. ESTRUTURA DO EMPREGO NO PARÁ
  23. 23.  Número de estabelecimentos paraenses por tamanho de Estabelecimento (2014-2015) Fonte: RAIS/MT, 2016. / Elaboração: FAPESPA, 2016. IBGE Setor 2014 2015 Part. (%) 2015 Var. Abs Var. (%) Pará 63.673 65.867 100 2.194 3,45 0 Empregado 5.943 6.587 10 644 10,84 De 1 a 4 32.788 34.135 51,82 1.347 4,11 De 5 a 9 11.906 12.260 18,61 354 2,97 De 10 a 19 6.784 6.853 10,4 69 1,02 De 20 a 49 3.894 3.795 5,76 -99 -2,54 De 50 a 99 1.115 1.068 1,62 -47 -4,22 De 100 a 249 687 610 0,93 -77 -11,21 De 250 a 499 247 257 0,39 10 4,05 De 500 a 999 166 148 0,22 -18 -10,84 1000 ou Mais 143 154 0,23 11 7,69 Apesar do incremento no número de estabelecimentos, 4 das 10 faixas de tamanho registraram retração no quantitativo de estabelecimentos ESTRUTURA DO EMPREGO NO PARÁ
  24. 24.  Estoque de emprego formal paraense por sexo e faixa etária (2014-2015) Faixa Etária 2014 2015 Variação 2016/2015 Masculino Feminino Total Masculino Feminino Total Masculino Feminino Total 10 a 14 28 17 45 66 38 104 135,71 123,53 131,11 15 a 17 2.577 1.769 4.346 2.964 1.909 4.873 15,02 7,91 12,13 18 a 24 102.222 52.565 154.787 93.128 49.840 142.968 -8,90 -5,18 -7,64 25 a 29 120.916 71.978 192.894 110.045 67.290 177.335 -8,99 -6,51 -8,07 30 a 39 231.830 156.460 388.290 225.490 156.739 382.229 -2,73 0,18 -1,56 40 a 49 138.517 102.707 241.224 138.713 106.312 245.025 0,14 3,51 1,58 50 a 64 90.215 64.373 154.588 91.818 67.670 159.488 1,78 5,12 3,17 65 ou mais 7.742 4.288 12.030 8.767 4.832 13.599 13,24 12,69 13,04 Não Classificados 6 11 17 1 7 8 -83,33 -36,36 -52,94 Total 694.053 454.168 1.148.221 670.992 454.637 1.125.629 -3,32 0,10 -1,97 • Na faixa de 25 a 29 anos houve a maior retração de empregos (-8,07%), sendo que os trabalhadores do sexo masculino (-8,99%) obtiveram maior redução que o feminino (-6,51%) ; • Na faixa de 18 a 29 soma-se 27.378 postos de trabalho a menos. Fonte: RAIS/MT, 2016. / Elaboração: FAPESPA, 2016. ESTRUTURA DO EMPREGO NO PARÁ
  25. 25.  Percentual de vínculos empregatícios por setor e atividade segundo o sexo no estado do Pará, (2014-2015) Fonte: RAIS/MT, 2016. / Elaboração: FAPESPA, 2016. Em 2014 e em 2015 os setores que mais empregaram mulheres foram Administração Pública, Serviços e Comércio, e em 2015 as participações foram 46,14%, 26,52% e 19,62%, respectivamente. ESTRUTURA DO EMPREGO NO PARÁ
  26. 26.  Porcentagem de vínculos empregatícios por faixas de remuneração (salário mínimo) no estado do Pará (2015) Fonte: RAIS/MT, 2016. / Elaboração: FAPESPA, 2016. A faixa de remuneração até meio salário mínimo registrou 8.392 vínculos e a faixa de mais de vinte salários obteve 9.873 vínculos formais. ESTRUTURA DO EMPREGO NO PARÁ
  27. 27.  Saldo do emprego no Mercado de Trabalho paraense Fonte: RAIS/MT, 2016. / Elaboração: FAPESPA, 2016. *acumulado até outubro. DINÂMICA DO EMPREGO PARAENSE O setor de Serviços respondeu por 28% das perdas de emprego no estado em 2016, seguido pelo Comércio com 27%. 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 Saldo de Emprego 39.916 44.598 21.861 22.904 60.058 56.217 40.503 29.132 21.074 -36.409 -25.157 -60.000 -40.000 -20.000 - 20.000 40.000 60.000 80.000 Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out 2015 -3.584 110 -1.585 -1.899 -156 -862 3.194 -744 119 -8.934 2016 -3.801 -1.045 -4.660 -1.621 -2.810 -1.902 -1.219 -2.789 -691 -4.619 -10.000 -8.000 -6.000 -4.000 -2.000 0 2.000 4.000 Mensal de 2015 e 2016 2006-2016*
  28. 28.  Mercado de trabalho paraense no mês de outubro e no acumulado de 2016 Fonte: CAGED/MT, 2016. / Elaboração: FAPESPA, 2016. DINÂMICA DO EMPREGO PARAENSE No acumulado em 12 meses o saldo paraense é de -25.157 vínculos empregatícios. Admitidos Desligados Saldo Admitidos Desligados Saldo PARÁ 19.111 23.730 -4.619 225.170 250.327 -25.157 Extrativa mineral 281 252 29 2.532 2.363 169 Indústria de Transformação 2.601 2.723 -122 27.129 29.604 -2.475 Serviço Industrial de Utilidade Pública 136 211 -75 1.840 1.357 483 Construção civil 3.083 5.955 -2.872 41.415 55.845 -14.430 Comércio 5.470 6.047 -577 60.218 67.518 -7.300 Serviços 5.430 6.198 -768 69.534 70.302 -768 Administração pública 5 10 -5 74 117 -43 Agropecuária 2.105 2.334 -229 22.428 23.221 -793 SETORES OUTUBRO NO ANO
  29. 29. Mercado de Trabalho paraense por tamanho de estabelecimento em 2016 Fonte: CAGED/MT, 2016. / Elaboração: FAPESPA, 2016. DINÂMICA DO EMPREGO PARAENSE Os setores que apresentaram os melhores saldos, nos estabelecimentos com até 4 empregados, foram os de Serviços(5.558 vínculos)e Comércio (4.555vínculos), comum aos micro e pequenos empreendimentos. tamanho Admitidos Desligados Saldo Até 4 empregados 52.408 36.355 16.053 De 5 a 9 20.406 24.162 -3.756 De 10 a 19 25.196 30.022 -4.826 De 20 a 49 31.439 37.853 -6.414 De 50 a 99 18.732 24.278 -5.546 De 100 a 249 23.342 26.383 -3.041 De 250 a 499 18.185 20.211 -2.026 De 500 a 999 16.230 19.334 -3.104 1000 ou mais 19.232 31.729 -12.497 total 225.170 250.327 -25.157
  30. 30.  Saldo dos Setores por Tamanho de Estabelecimento (Jan-Out/2016) Fonte: CAGED/MT, 2016. / Elaboração: FAPESPA, 2016. DINÂMICA DO EMPREGO PARAENSE A faixa de até 4 empregados foi a única a obter saldo positivo (16.053). Tamanho Extrativa Mineral Indústria de transformação SIUP Construção Civil Comércio Serviços Administração Pública Agropecuária Total Pará 169 -2.475 483 -14.430 -7.300 -768 -43 -793 ATÉ 4 Empregados 97 2.041 172 2.475 4.555 5.558 -29 1.184 DE 5 A 9 -19 -246 19 282 -2.532 -1.092 0 -168 DE 10 A 19 -23 -1.088 -8 687 -3.041 -1.176 -20 -157 DE 20 A 49 -13 -1.352 25 -766 -2.595 -1.509 0 -204 DE 50 A 99 -41 -1.132 -6 -1.537 -1.796 -553 0 -481 DE 100 A 249 31 -317 -14 -500 -1.157 -859 7 -232 DE 250 A 499 66 57 117 -1.118 -224 -706 -1 -217 DE 500 A 999 -24 55 28 -2.167 -510 -204 0 -282 1000 OU MAIS 95 -493 150 -11.786 0 -227 0 -236
  31. 31. Dez ocupações com os maiores saldos positivos e negativos (Jan-Out/2016) Fonte: CAGED/MT, 2016. / Elaboração: FAPESPA, 2016. DINÂMICA DO EMPREGO PARAENSE Ordem CBO-Ocupação Saldo Positivo Ordem CBO-Ocupação Saldo Negativo 1º Faxineiro 1.746 1º Vendedor de Comercio Varejista -2.649 2º Assistente Administrativo 453 2º Servente de Obras -1.999 3º Embalador a Mão 422 3º Pedreiro -1.584 4º Porteiro de Edifícios 416 4º Trabalhador na Cultura de Dende -1.374 5º Trabalhador Agropecuario em Geral 406 5º Operador de Caixa -1.085 6º Tecnico de Enfermagem 370 6º Carpinteiro -927 7º Eletricista de Manutenção Eletroeletrônica 318 7º Motorista de Caminhão (Rotas Regionais e Internacionais) -900 8º Trabalhador da Pecuaria (Bovinos Corte) 310 8º Vigilante -866 9º Trabalhador de Preparação de Pescados (Limpeza) 285 9º Montador de Estruturas Metálicas -823 10º Zelador de Edifício 244 10º Soldador -786 As ocupações predominantes na geração de novos vínculos trabalhista estão ligadas ao setor de Serviço. Por outro lado, a atividade com maior retração está ligada ao Comércio e Construção Civil.
  32. 32.  Dez municípios com maior e menor saldo (Jan-Out/2016) Fonte: CAGED/MT, 2016. / Elaboração: FAPESPA, 2016. DINÂMICA DO EMPREGO PARAENSE Ordem Município Saldo Positivo Ordem Município Saldo Negativo 1º Curionópolis 1.173 1º Altamira -7.459 2º Capanema 540 2º Belém -6.282 3º Salinópolis 306 3º Canaã dos Carajás -4.731 4º Castanhal 269 4º Marabá -1.977 5º Anapu 260 5º Barcarena -1.414 6º Benevides 226 6º Vitória do Xingu -767 7º Vigia 217 7º Ourilândia do Norte -674 8º Juruti 182 8º Paragominas -646 9º São Geraldo do Araguaia 171 9º Marituba -613 10º São Felix do Xingu 166 10º Parauapebas -508 Em Curionópolis (1.173) a geração de emprego está ligada a estruturação do parque industrial do projeto de extração de cobre. Em Altamira (-7.459) o fim das obras de Belo Monte conduz à retração de emprego no município
  33. 33. DESAFIOS E PERSPECTIVAS Mudança da Base Produtiva Melhoria do Capital Social Mudança da Base Produtiva Melhoria do Capital Social Melhoria dos Rendimentos Médios Maior Internalização da Renda
  34. 34. DESAFIOS E PERSPECTIVAS PARÁ 2030 Cadeias Prioritárias Atração de Investimentos Capacitação e Formação Regularização Fundiária Marca Amazônia Lei Estadual 8417/16 Estatuto da Microempresa Estímulo ao Associativismo; Incentivo à Formalização Acesso ao Crédito No longo prazo No curto prazo Regularização e licenciamento ambiental Tratamento Diferenciado
  35. 35. REDES SOCIAIS https://www.facebook.com/PAFapespa https://twitter.com/fapespa https://www.youtube.com/c/FapespaFundaçãoAmazônia https://instagram.com/fapespa/
  36. 36. Grato! www.fapespa.pa.gov.br

×