Pesquisa sobre o setor de TI-RJ

124 visualizações

Publicada em

O estudo, realizado em parceria com a Softex e a Riosoft, analisou, entre outros dados, o crescimento anual do setor de TI comparando o estado do Rio de Janeiro com São Paulo e com a média nacional. A pesquisa tem como um dos seus objetivos apoiar a definição de políticas públicas e de fomento para o desenvolvimento do Setor no RJ.

Publicada em: Economia e finanças
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
124
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
24
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Pesquisa sobre o setor de TI-RJ

  1. 1. Pesquisa sobre o setor de TI-RJ (Análise preliminar) 12/2014
  2. 2. Convenções e critérios gerais S-TI - Setor de software e serviços de TI E-TI – Empresa de TI (os dados são de empresas com Matriz no RJ) Est-TI – Estabelecimento de TI (os dados referem-se a todas as empresas ou filiais no RJ) PO – Pessoas ocupadas (total) P-TI – Profissionais de TI [1] Fonte: Softex/IBGE •Dados disponíveis até 2010 (foram extrapolados até 2013) •Estrato certo: empresas com >19 pessoas ocupadas [2] Fonte: Softex/RAIS •Dados disponíveis até 2013 6201 – Desenvolvimento sob encomenda 6202 – Desenvolv./licenciam. SW custom. 6203 – Desenvolv./licenciam. não customiz. 6204 – Consultoria em TI 6209 - Sup. técnico, manut., outros servs. 6311 – Trat. dados, provedor, hospedagem 6319 – Portais, provedores conteúdo etc. 9511 – Repar./ manut. computadores etc. 9512 – Repar./manut. equips. comunic. Atividades principais Em todo o documento há links para páginas de comentários ou para esta página; a flecha amarela no canto inferior direito de cada página retorna à última página vista Comentário 1
  3. 3. Quantidade (2013) de Est-TI ( 1 empregado) [1] 0 500 1000 1500 2000 2500 3000 3500 6201 6202 6203 6204 6209 6311 6319 9511 9512 Total 444 110 133 290 665 329 129 845 158 3.103 Comentário 2 Códigos e convenções
  4. 4. Crescimento a.a. (2007-2013) dos Est-TI ( 1 empregado) [1] -10% -5% 0% 5% 10% 15% 20% 25% 30% 35% 40% 6201 6202 6203 6204 6209 6311 6319 9511 9512 Total 12,3% 23,5% 1,3% 4,8% 2,6% -5,8% 35,3% 12,0% 18,9% 6,4% Comentário 3 Códigos e convenções
  5. 5. Est-TI (2013) - Alguns comparativos [1] [2] Quant. Crescimento a.a. (2007-2013) Est-TI ( 1 empregado) 3103 6,4% Estabelecimentos do Estado (todas as atividades, não apenas TI) 282 mil Est-TI = 1,1% deste total Est-TI ( 1 empregado) estrato certo 311 11% dos Est-TI -4,9% P-TI nos Est-TI ( 1 empregado) 21 mil 30% dos P-TI no Estado Quant. de P-TI nos Est-TI ( 1 empregado) / Quant. total de empregados nos mesmos 42,5% Receita líquida das 8 maiores E-TI / Receita líquida total E-TI 66,4% Comentário 4 Códigos e convenções
  6. 6. Est-TI ( 1 empregado): Distribuição da quantidade (2013) e Crescimento a.a. (2007-13) [2] -20,0% -10,0% 0,0% 10,0% 20,0% 30,0% 40,0% 50,0% 60,0% 70,0% 67,5% 5,0% 2,3% 1,8% 1,6% 1,5% 1,5% 1,0% 0,7% 0,1% 0,0% 6,3% 5,7% 10,0% 4,1% 22,2% 4,1% 10,0% 0,0% -18,1% 0,0% -16,7% % dos EstSS Cresc. a.a Total de Est-TI do Estado (2013): 3103 Comentário 5 Códigos e convenções
  7. 7. Nº de Est-TI – comparação RJ-SP-Brasil (2013) Por atividade principal [2] 444 110 133 290 665 329 129 845 158 3.103 1.855 738 677 1.015 1.920 1.722 518 2.630 430 11.505 4.812 1.984 1.946 2.267 6.034 4.476 1.457 9.372 1.484 33.832 1 4 16 64 256 1024 4096 16384 6201 6202 6203 6204 6209 6311 6319 9511 9512 Total RJ SP BRASIL Códigos e convenções Comentário 6
  8. 8. Crescimento a.a. do nº de Est-TI Comparação (2007-2013) [1] 12,3% 23,5% 1,3% 4,8% 2,8% -5,8% 35,3% 12,0% 18,9% 6,4% 14,6% 28,9% 3,2% 10,6% 7,4% -5,5% 57,4% 16,1% 30,3% 8,7% 16,0% 27,1% 5,5% 7,6% 5,7% -7,1% 42,4% 16,0% 20,9% 8,2% -20% -10% 0% 10% 20% 30% 40% 50% 60% 70% 6201 6202 6203 6204 6209 6311 6319 9511 9512 Total RJ SP BRASIL Comentário 6 Códigos e convenções
  9. 9. E-TI sede RJ – Dados financeiros (2013) (em milhões) [1] 15531 812 14719 RECEITA LÍQUIDA MARGEM TOTAL GASTOS 94,8% 5,2% 7297 7422 Custos diretos, despesas… Pessoal 49,6% 50,4% Distribuição da Receita Líquida Comentário 7 Códigos e convenções
  10. 10. S-TI sede RJ (2013) Comparativos econômicos [1] 2,9% 3,1% 2,9% 2,9% 3,1% 3,2% 20,0% 19,6% 18,2% 17,8% 17,6% 17,6% 53,3% 55,0% 57,5% 59,1% 60,8% 62,4% 0% 10% 20% 30% 40% 50% 60% 70% 2008 2009 2010 2011 2012 2013 Rec. Bruta S-TI RJ / PIB RJ Rec. Bruta S-TI RJ / Rec. Bruta S-TI Brasil Rec. Bruta S-TI SP / Rec. Bruta S-TI Brasil Comentário 8 Códigos e convenções
  11. 11. P-TI (assalariados) em estabelecimentos do S-TI (2013) [2] Família ocupacional Quantidade Salário médio Diretores serviços de informática 55 12.796 Gerentes tecnologia da informação 1.026 10.374 Engenheiros computação 101 9.020 Especialistas informática 795 7.067 Analistas sistemas computacionais 12.882 5.530 Técnicos telecomunicações e telefonia 796 3.275 Técnicos programação 1.961 3.747 Técnicos oper./monitor.computadores 2.841 2.391 Técnicos oper. máquinas transm.dados 87 1.778 Operadores máquinas de escritório 463 1.603 Total 21.007 5.082 Comentário 9 Códigos e convenções
  12. 12. PO (assalariados) em E-TI (2013) Por Atividade principal [2] 1 10 100 1.000 10.000 100.000 6201 6202 6203 6204 6209 6311 6319 9511 9512 Total 12.164 1.255 3.340 8.603 10.245 5.438 1.072 6.321 992 49.430 20,5% -6,8% 4,9% 3,8% 8,5% -5,9% 45,5% 6% 22,7% 6,3% Crescimento % a.a. (2007-13) Comentário 10 Códigos e convenções
  13. 13. 11,9% 18,2% 9,7% 13,4% 8,0% 11,9% 8,6% 7,9% 20,1% -5,8% 8,3% 14,5% 3,5% -0,1% 5,1% 0,8% 3,6% 3,2% 1,3% 2,9% 4,6% 2,2% -10% -5% 0% 5% 10% 15% 20% 25% Diretores TI Gerentes TI Engenheiros TI Especialistas TI Analistas de sistemas Técnicos telecom. Técnicos programação Técnicos operação Técnicos transm.dados Oper. máq. escritório Total Salários médios Quantidades P-TI (assalariados) em E-TI - Crescimento a.a. (2007-13) das quantidades e salários médios p/ família ocupacional [2] Códigos e convenções Comentário 11
  14. 14. P-TI (assalariados) em Est-TI (> 1 empregado) - Massa salarial (R$1000) (2013) [2] 28110 3255 8882 29613 16222 12536 707 7199 234 106759 125909 23812 58861 121979 74708 30911 7120 11026 1223 455548 233133 63282 111360 222976 143911 82121 9272 31745 2049 899850 1 10 100 1000 10000 100000 1000000 6201 6202 6203 6204 6209 6311 6319 9511 9512 Total RJ SP Total Brasil Códigos e convenções Comentário 12
  15. 15. P-TI (assalariados) em Est-TI (> 1 empregado) - Massa salarial Crescimento a.a. (2007-13) [2] 22,4 13,2 5,5 7,7 17,4 -1,2 38,2 15,7 35,3 10,6 23,8 28,1 22,9 16,1 1,4 -0,5 -0,3 31,1 13,0 23,4 17,0 20,6 13,6 5,5 2,4 69,2 8,5 31,8 13,3 -10 0 10 20 30 40 50 60 70 80 6201 6202 6203 6204 6209 6311 6319 9511 9512 Total RJ SP 135,6 % Códigos e convenções Comentário 12
  16. 16. Formação de recursos humanos – alunos [MEC] 1.982 1.320 1.008 1.820 1.533 2.072 3.526 3.591 2.853 18.713 17.535 14.678 12.031 12.863 12.363 11.576 11.873 0 2.000 4.000 6.000 8.000 10.000 12.000 14.000 16.000 18.000 20.000 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 Tecnólogo Bachar./Licenc. Total N.Superior Matrículas N.Médio Códigos e convenções Comentário 13
  17. 17. Formação de recursos humanos – oferta de cursos superiores [MEC] 80 25 56 74 73 86 154 98 142 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 Total Bachar./Licenc. Tecnólogo Códigos e convenções Comentário 13
  18. 18. Formação de recursos humanos – pós-graduação e pesquisa [CAPES] RJ BRASIL 2014 2014 Cursos Mestrado 6 61 Cursos Mestrado profissional - 11 Cursos Doutorado 5 27 TOTAL 11 99 2009 Formados Mestrado 159 Formados Doutorado 26 Formados Total 185 % sobre formados Mestrado no País 17,8% % sobre formados Doutorado no País 22,6% % sobre formados TOTAL no País 17,2% Grupos de pesquisa 69 (CNPQ) Códigos e convenções Comentário 14
  19. 19. Comentário geral Esta pesquisa produziu mais de 200 tabelas, cuja análise ainda está em andamento
  20. 20. Comentário 1 •A observar que as naturezas dessas atividades definem modelos de negócios, conhecimento, pessoal e tecnologias bastante diversificadas
  21. 21. Comentário 2 1. Estes dados não incluem os profissionais autônomos que prestam serviços como pessoas jurídicas, apenas as empresas que empregam 2. As atividades principais de maior expressão quantitativa no RJ referem-se a suporte e manutenção; isto pode resultar da possibilidade de enquadramento dessas atividades no Simples; ou uma especialização do Estado em atividades de menor conteúdo tecnológico, atendendo inclusive empresas de software de fora 3. O número de empresas que desenvolvem soluções específicas é também significativo.
  22. 22. Comentário 3 1. Considerando que as taxas de crescimento indicadas são médias anuais, observa-se um processo muito acelerado, como seria de se esperar no setor 2. Os maiores crescimentos foram em ‘portais e provedores de conteúdo’, o que não surpreende, considerado o período (2007-2013), em ‘desenvolvimento ou licenciamento de software customizável’, o que parece indicar o “boom” de implantações de ERPs, e em manutenção de equipamentos de telecom, provavelmente causado pela expansão dos celulares e outros serviços deste setor. As desenvolvedoras de software específico também cresceram bastante. 3.A grande queda nas atividades de ‘tratamento de dados, provedores e hospedagem’ se explica pela concentração, inclusive em serviços no exterior, tornando impossível para as empresas menores concorrer
  23. 23. Comentário 4 1. Embora o número de estabelecimentos de TI (>1 empregado) do Estado corresponda a pouco mais de 1% do número total de estabelecimentos, o setor emprega cerca de 30% dos profissionais de TI. Ou seja, boa parte dos serviços de TI para empresas usuárias já são realizados por empresas especializadas. 2.Nestas empresas, os profissionais de TI são 42&, bem menos da metade da força de trabalho total 3.Considerando apenas as que têm as matrizes localizadas no RJ, apenas 8 empresas têm uma receita líquida superior a 66% à do total de empresas de TI com matriz localizada no Estado. Uma concentração enorme.
  24. 24. Comentário 5 1. A distribuição, como é de se esperar, é muito concentrada na cidade do Rio de Janeiro e, em seguida, em Niterói. 2.Em contrapartida, Campos e Macaé lideram com folga o crescimento, devido, sem dúvida, ao setor de Petróleo. Tal concentração, no entanto, representa um risco para as empresas, sobretudo as menores. A ressaltar o importante crescimento também em Petrópolis, mais diversificado. 3.As quedas violentas devem-se provavelmente às mudanças legais do ISS , que desencorajaram as empresas menores que haviam se instalado proforma naqueles municípios (para se beneficiar do menor ISS).
  25. 25. Comentário 6 1.A observar que o eixo vertical do gráfico é logarítmico, o que pode dar a impressão de diferenças menores do que na verdade são. 2.Mesmo considerando os respectivos PIBs em 2013 (RJ/Brasil = 11,2%; SP/Brasil = 32,6%) , o setor de TI no RJ é mais frágil do que poderia ser aparentemente (em termos de quantidade de empresas): RJ/Brasil = 9,2% e SP/Brasil = 34%. 3.O crescimento anual médio (2007-2013) reforça esta impressão. Em nenhum caso, o do Estado ultrapassou o de SP ou o do Brasil, sendo que, mesmo na atividade principal ‘6319 – Portais, provedores conteúdo etc.’, que teve expansão explosiva nos três casos, a do RJ foi bem menor.
  26. 26. Comentário 7 1. A receita líquida das empresas de TI com matriz no RJ deixa uma margem bruta de 5,2%. 2.Os gastos totais, por sua vez, são distribuídos mais ou menos na mesma proporção entre Pessoal (50,4%) e os demais custos e despesas (49,6%). ‘Pessoal’ inclui também serviços de terceiros, autônomos etc. 3.Em princípio, não seria de se esperar esta distribuição, uma vez que o setor é de serviços fortemente dependentes de mão de obra qualificada, sem maiores gastos com outras rubricas. Uma explicação possível é a comercialização de grandes pacotes de software customizável (ERP). É um dos subsetores de maior crescimento (6202)
  27. 27. Comentário 8 1. Entre 2008 e 2013, a receita bruta do setor no RJ cresceu mais do que o PIB do Estado. 2.Porém reduziu-se em relação à receita bruta do setor em SP, que superou em muito o crescimento do setor no País. 3.Ou seja, houve oportunidade de crescimento que foi aproveitada por SP, mas não pelo RJ.
  28. 28. Comentário 9 1. Os salários e quantidades de pessoas em cada família ocupacional são os esperados 2.No entanto, os conceitos utilizados nessas estatísticas oficiais ficam muito defasados em relação à dinâmica do setor.
  29. 29. Comentário 10 1.Não deve ser esquecido o fato de que este gráfico corresponde apenas a empresas que têm matriz no RJ 2.Como é de se esperar os subsetores maiores empregadores são o desenvolvimento sob encomenda, a consultoria e o suporte técnico. 3.O subsetor ‘desenvolvimento e comercialização’ (provavelmente mais esta do que aquele) consome menos mão de obra. 4.Quanto aos crescimentos a.a. do PO (entre 2007 e 2013), comparando com os crescimentos do número de estabelecimentos por subsetor, observa-se o seguinte: •O crescimentos do PO e do nº de estabelecimentos como um todo são muito próximos •Os caso mais anômalo é 6202 (provavelmente muitas empresas passaram a apenas comercializar e/ou empresas importantes levaram suas matrizes para outros estados) •Por outro lado, o subsetor 6201 passou a empregar mais. Mais desenvolvimento local? 6201 6202 6203 6204 6209 6311 6319 9511 9512 TOTAL PO 20,5% -6,8% 4,9% 3,8% 8,5% -5,9% 45,5% 6,0% 22,7% 6,3% Nº Est-TI 12,3% 23,5% 1,3% 4,8% 2,6% -5,8% 35,3% 12% 18,9% 6,4%
  30. 30. Comentário 11 1.Excetuando os diretores, todas as demais famílias ocupacionais tiveram crescimento salarial médio menor do que a quantidade de profissionais empregados, apesar de, no RJ, ter havido, ao longo de vários anos, aumentos reais nos salários resultantes dos dissídios coletivos. Globalmente, houve um aumento a.a. de 8,3% na quantidade de postos de trabalho versus 2,2% no salário médio. Produtividade? 2.O item mais anômalo é o de Engenheiros de TI, provavelmente por mudança de nomenclatura ou de papel dos profissionais 3.O forte aumento quantitativo de gerentes indicaria uma melhoria nos aspectos de gestão das empresas, tradicionalmente voltadas para a técnica
  31. 31. Comentário 12 1. Na comparação RJ-SP-Brasil, os valores absolutos e o crescimento tanto do número de estabelecimentos quanto da massa salarial são compatíveis entre si. Ou sejam, as diferenças entre os dois estados e o país são muito desfavoráveis para o RJ. 2. No RJ, o crescimento foi maior em serviços de suporte técnico (help desk?) e manutenção 3.Houve também um crescimento médio a.a. similar nos três casos (RJ-SP-Brasil) no subsetor ‘Desenvolvimento sob encomenda’. Ou seja, aparentemente, as empresas deste segmento de forte tecnologia estão atuando e empregando bem no Estado.
  32. 32. Comentário 13 1. O que mais se destaca é a queda substancial, ao longo do período, das quantidades de alunos de nível médio. Obviamente, isso prejudica fortemente as empresas no presente e no futuro 2.Quanto à quantidade de cursos, houve uma queda brusca entre 2006 e 2007, devida a mudanças de normas do MEC
  33. 33. Comentário 14 1. Os dados de cursos de Mestrado e Doutorado de 2014 referem-se apenas a programas classificados na subárea “Ciência da Computação”. Diversos outros programas, inclusive em outros departamentos de Engenharia e outros, também formam pesquisadores TI. Isso se deve não apenas à velocidade das mudanças nesta área, mas também ao caráter naturalmente multidisciplinar da mesma.

×